Esporte

Comitê da Fifa pede suspensão Blatter por 90 dias

blatterO Comitê de Ética da Fifa vai suspender Joseph Blatter, presidente da entidade, por 90 dias. Mas ele ainda poderia voltar para concluir seu mandato, que termina em fevereiro de 2016. A decisão final ainda precisa ser chancelada pelo juiz independente da Fifa, Hans Eckert, o que deve ocorrer até sexta-feira. Mas o próprio cartola já foi informado nesta tarde de qual será seu destino e a entidade deve ficar com um presidente interino até o final do ano.

A suspensão ao reinado de 17 anos de Blatter é um fim melancólico a um cartola que, até poucas horas, insistia que não deixaria o cargo. A decisão, porém, aprofunda ainda mais a crise.

A Fifa já viu seu secretário-geral, Jerome Valcke, afastado, está diante de uma debandada de patrocinadores e ainda tem diversos de seus dirigentes presos na Suíça e nos EUA. O afastamento de Blatter é o ponto final de um terremoto que começou em maio, quando o FBI pediu a prisão de cartolas, entre eles José Maria Marin.

Fonte: IstoÉ

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Blatter renuncia à presidência da Fifa após escândalos e convoca novas eleições

1ajd28rr2xrvdy2qugzvl472w

Quatro dias após ser reeleito presidente da Fifa, o suíço Joseph Blatter anunciou que renunciou ao cargo de presidente da entidade. Ele convocará novas eleições entre dezembro de 2015 e março de 2016.

Blatter foi reeleito para o seu quinto mandato à frente da entidade na última sexta-feira (29) em meio ao escândalo de corrupção da Fifa. Na última quarta-feira (27), sete cartolas da Fifa, entre eles o ex-presidente da CBF José Maria Marin, foram presos em Zurique a pedido das autoridades americanas sob acusação de corrupção.

Na eleição, o suíço venceu seu único adversário, o príncipe da Jordânia, Ali bin Al-Hussein.

O príncipe desistiu de participar do segundo turno depois que Blatter obteve 133 votos na primeira primeira votação entre 209 federações. Pelas regras, como nenhum dos dois candidatos atingiu dois dois terços dos votos, haveria a necessidade de um segundo turno, quando então se exige apenas maioria simples.

Com os 133 votos, Blatter já tinha, em tese, essa maioria. O príncipe, que conquistou 73 votos, então abriu mão da disputa. Três votos foram nulos.

A reeleição de Blatter era esperada por contar com o apoio de cinco das seis confederações continentais. Apenas a Uefa, que dirige o futebol europeu, apoiou o príncipe da Jordânia.

Folha Press

Opinião dos leitores

  1. Quando se tem vergonha na cara, isso é o mínimo a ser feito depois dos escândalos de corrupção.
    Por aqui quanto mais escândalos se descobre do PT, parece existir menos chance de deixar o poder.
    Quando dizer que o Brasil está de cabeça para baixo, vendo o exemplo de Blatter se entende o sentido da inversão brasileira.
    O Brasil tem mania de seguir o exemplo da Europa e dos EUA, mais nisso, nem pensar.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

Blatter diz que Dilma prometeu manter compromissos com a Fifa

O presidente da Federação Internacional de Futebol (Fifa), Joseph Blatter, disse hoje (16) que recebeu da presidenta Dilma Rousseff a garantia de que todos os compromissos assumidos pelo Brasil com a entidade para a realização da Copa do Mundo de 2014 serão cumpridos. Pela manhã, ele se reuniu durante mais de uma hora com a presidenta, no Palácio do Planalto.

“Dilma assegurou que todas as garantias para a Copa do Mundo serão entregues para a Fifa”, disse Blatter após o encontro. As declarações do ministro do Esporte, Aldo Rebelo, que também participou da reunião, seguiram na mesma direção. “O governo brasileiro está empenhado em cumprir suas garantias e seus compromissos para que Copa se transforme em um êxito.”

Ontem (15), o relator da Lei Geral da Copa, deputado Vicente Cândido (PT-SP), informou que manterá em seu parecer a liberação da venda de bebidas alcoólicas nos estádios, ao contrário da informação divulgada na quarta-feira (14) de que os líderes dos partidos na Câmara haviam construído um acordo para manter a proibição, prevista no Estatuto do Torcedor.

A mudança no relatório se deu após uma informação que o deputado recebeu na quarta-feira à noite, em reunião na Casa Civil, de que a permissão para a venda de bebidas alcoólicas durante os jogos da Copa não fazia parte dos compromissos que o governo assumiu com Fifa. Ontem, Vicente Cândido disse que se confundiu. Achou que a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, e a ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, disseram que não havia esse compromisso do governo com a Fifa.

A reunião de Blatter com a presidenta ocorreu após mal-estar provocado por declarações do negociador da Fifa no Brasil, Jérôme Valcke, que foram consideradas ofensivas pelo governo. O dirigente da Fifa, no entanto, não deixou claro se Valcke continuará como o interlocutor da entidade com o Brasil. Perguntado mais de uma vez por jornalistas sobre a permanência de Valcke, Blatter disse que precisa de um tempo para solucionar o problema.

“Jérôme continua trabalhando para a Fifa, o problema entre Jérôme Valcke e o Brasil é um problema que pertence ao presidente da Fifa e que o presidente da Fifa tem que solucionar. Vocês podem dar um tempo para ele solucionar o problema?”, respondeu Blatter, que, assim como o ministro do Esporte, saiu da reunião falando em cooperação, trabalho conjunto, harmonia e estreitamento de laços entre a entidade e o governo brasileiro.

O presidente da Fifa disse que ele e Dilma precisam se reunir com mais frequência e reiterou a confiança no Brasil para a realização do Mundial. “Temos a certeza total de que o Brasil vai realizar a melhor Copa de todos os tempos”.

Enquanto o governo e Fifa falaram em cooperação, o embaixador do Brasil para a Copa de 2014, o Pelé, lembrou o clima de desentendimento que se estabeleceu desde a declaração de Jérôme Valcke e também a polêmica em torno da venda de bebidas nos estádios. “Pedi para que Blatter fizesse o esforço de fazer essa reunião com nossa presidenta e o ministro do Esporte para resolver todas as dúvidas e mal-entendidos que estavam acontecendo antes da Copa.”

“Disse para a presidenta Dilma que agora não era para ela me chamar de ministro, mas de bombeiro, porque estou aqui para apagar as fogueiras e é isso que estou fazendo. Daqui para a frente, vamos caminhar em harmonia, sem nenhuma confusão”, completou Pelé.

A reunião de hoje ocorreu a pedido de Blatter. Além de Aldo Rebelo e Pelé, o encontro teve a participação do ex-jogador Ronaldo, que integra o Comitê Organizador Local da Copa de 2014.

Fonte: Agência Brasil

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *