FIFA divulga novas datas de competições adiadas devido à pandemia

Foto: © Christian Hartmann/Reuters/Direitos reservado

A Fifa, entidade máxima do futebol mundial, divulgou as novas datas para a realização da Copa do Mundo de Futsal da Lituânia, por meio de comunicado oficial. A competição vai ocorrer no segundo semestre do ano que vem, entre os dias 12 de setembro e 3 de outubro. A disputa inicialmente estava prevista no calendário de 2020, teve de ser adiada devido à pandemia do novo coronarívus (covid-19).

A crise na saúde também provocou o reagendamento dos campeonatos de base organizados pela Fifa. A Copa do Mundo Feminina sub-20, com sede na Costa Rica e no Panamá, foi transferida para o início de 2021: será de 20 de janeiro a 6 de fevereiro. Apesar da mudança, está mantido o regulamento de participação: poderão competir atletas que nasceram em 2000, ou seja, que completam 21 anos no ano da disputa.

O mesmo vale para os atletas que disputarão a Copa do Mundo masculina sub-17: os jogadores que nasceram em 2003, que consequentemente completarão 18 anos em 2021, não terão impedimento de representar suas respectivas seleções. O Mundial desta categoria foi confirmado para o período que vai de 17 de fevereiro a 7 de março, na Índia.

Já o 70º Congresso da FIFA, com sede em Adis Abeba (Etiópia), adiado para o dia 18 de setembro – o evento estava marcado para 5 de julho mas foi adiado devido à pandemia – está mantido no calendário da entidade, até o momento.

Agência Brasil

Fifa propõe cinco substituições por equipe para lidar com maratona na retomada do futebol

Foto: Reuters

A Fifa propôs uma mudança temporária na regra das substituições para lidar com a provável maratona de jogos após a pandemia do novo coronavírus. Um porta-voz da entidade afirmou que a entidade sugeriu que cada equipe possa fazer cinco substituições por partida, em vez das tradicionais três, de acordo com a agência Reuters.

A medida ainda precisaria do aval da International Board (IFAB), órgão que faz a gestão das regras do esporte. A intenção seria permitir que as equipes lidem melhor com o desgaste de seus atletas na retomada das ligas em todo o mundo, quando muitos jogos devem ser disputados com poucos dias de intervalo.

– A segurança dos jogadores é uma das principais prioridades da Fifa. Uma preocupação a esse respeito é que a frequência das partidas pode aumentar o risco de possíveis lesões devido à sobrecarga do jogador. Diante disso e do desafio único enfrentado mundialmente na realização de competições de acordo com o calendário previsto, a Fifa propõe que um número maior de substituições seja temporariamente permitido – diz a nota da entidade enviada à agência “DPA”.

Após a aprovação por parte da IFAB, ainda caberia a cada competição a decisão final de adotar a medida ou não. Para que as substituições não sejam usadas como forma de diminuir o tempo de bola rolando, elas deveriam ser feitas em, no máximo, três interrupções por cada time ou durante o intervalo.

Globo Esporte

Novo Mundial de Clubes da Fifa, na China, será remarcado para junho de 2022, diz jornal

Foto: Reuters

A pandemia do coronavírus levará a Fifa a adiar em um ano a primeira edição do seu novo Mundial de Clubes, de acordo com o jornal “As”. A publicação indica que a organização decidiu remarcar a competição, que ocorreria em junho de 2021, para junho de 2022 – cinco meses antes da próxima Copa do Mundo. Outras opções, como fazer o torneio em 2021 ou em 2023, eram analisadas. O jornal aponta que a decisão foi tomada e será oficializada em breve. A Fifa, entretanto, não confirma a informação.

A mudança ocorre diante da necessidade que a Fifa teve de abrir espaço no calendário para a realização da Eurocopa e da Copa América, que ocorreriam entre junho e julho deste ano, mas precisaram ser adiadas por conta da pandemia da COVID-19. Os torneios continentais usarão justamente a janela antes reservada para o novo Mundial.

O “As” ainda indica que o torneio, marcado para acontecer na China, será chamado de “Super24” – por contar com 24 equipes de todo o mundo. A intenção do presidente Gianni Infantino é que este “Super” Mundial passe a ser uma grande atração e reúna equipes relevantes de todo o planeta, sendo realizado de quatro em quatro anos, ocupando a janela no calendário deixada pela extinta Copa das Confederações.

Apesar da mudança na edição de estreia, o novo Mundial de Clubes deve voltar ao espaço originalmente pensado para ele no calendário no ciclo pré-Copa do Mundo seguinte. Ou seja: sua segunda edição seria organizada em junho de 2025, um ano antes da Copa de 2026.

O Mundial de Clubes de 2021 seria disputado entre 17 de junho e 4 de julho de 2021, com um novo formato de 24 clubes – o Flamengo era até o momento o único confirmado. Caberá a cada confederação definir os critérios de escolha dos representantes, mas a princípio são oito times da Europa, seis da América do Sul e as demais vagas para os outros continentes. Pelos planos da Fifa, esse torneio substituirá a versão atual de sete equipes (campeões de cada continente mais um representante do país-sede), que teria sua última edição em 2020, no Catar.

O Mundial está no centro de uma crise diplomática que deixou de um lado a Fifa e do outro Conmebol e Uefa. Clubes do Velho Continente querem receber uma quantia maior do que a destinada a outros concorrentes, além de aumentar o número de vagas.

Segundo a Federação Chinesa de Futebol, as sedes do novo Mundial de Clubes serão: Xangai, Tianjin, Guangzhou, Wuhan, Shenyang, Ji’nan, Hangzhou e Dalian.

Globo Esporte

Com adiamento das Olimpíadas, Fifa estuda alterar limite de idade do futebol

Foto: Lucas Figueiredo/CBF

A Fifa vai estudar se altera o limite de idade dos atletas que vão disputar o torneio de futebol masculino nos Jogos Olímpicos de Tóquio, que foram adiados para 2021.

A medida teria como objetivo não punir os atletas sob risco de “estourar” a idade com o adiamento das Olimpíadas. As regras do torneio de futebol olímpico determinam o limite de 23 anos – com três exceções. A ideia seria aumentar para 24 anos.

No caso específico da seleção brasileira olímpica, 11 atletas vão estourar a idade. Entre os que são prejudicados estão Lucas Paquetá, do Milan, e Matheus Henrique, do Grêmio, que já fizeram parte da seleção principal.

Minutos depois de o COI (Comitê Olímpico Internacional) e o governo do Japão terem anunciado o adiamento dos jogos, a Fifa divulgou o seguinte comunicado:

“A Fifa acredita firmemente que a saúde e o bem-estar de todas as pessoas envolvidas em atividades esportivas devem sempre ser a maior prioridade e, como tal, saudamos a decisão de COI de hoje. Além da decisão do COI, a FIFA trabalhará com as partes interessadas para tratar de todos os principais assuntos relacionados a este adiamento.”

Também estão na pauta da Fifa rever todos os contratos relacionados a Olimpíada, além de redesenho do calendário e discussões com os clubes sobre liberação de jogadores.

Globo Esporte

Fifa adia novo Mundial de Clubes que começaria em junho de 2021

Foto: © Reuters/Arnd Wiegmann

A Fifa, entidade máxima do futebol, anunciou na tarde desta terça-feira(17) o adiamento do novo Mundial de Clubes, que seria realizado entre junho e julho de 2021, na China. A decisão foi tomada para acomodar as novas datas da Copa América e da Eurocopa, previstas para o meio deste ano, mas que foram adiadas pela entidade, na manhã desta terça-feira (17) devido ao avanço da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

“O mundo enfrenta um desafio sem precedentes na saúde e claramente é necessária uma resposta global e coletiva. Cooperação, respeito mútuo e compreensão devem ser os princípios a guiar aqueles que tomam decisões nesse momento crucial. Particularmente, no futebol, encontrar soluções justas em nível global é imperativo. Isso requer unidade, solidariedade e senso de responsabilidade. Temos de pensar em todos no mundo que são impactados por essas decisões”, declarou Gianni Infantino, presidente da Fifa, em comunicado oficial publicado o site da entidade.

Segundo Infantino, a possível nova data para realização do Mundial será discutida por meio de videoconferência do Conselho da FIFA, marcada para amanhã (18). A competição pode ser transferida para o fim de 2021, ou até meados de 2022 (ano da Copa do Mundo, programada para novembro e dezembro), ou mesmo 2023. O dirigente também pretende ponderar o impacto do adiamento dos torneios no calendário. Ainda de acordo com a nota, a Fifa fará uma contribuição de US$ 10 milhões (o equivalente a cerca de R$ 50 milhões) ao Fundo de Solidariedade e Combate ao Covid-19, da Organização Mundial da Saúde (OMS).

O novo formato do Mundial de Clubes terá 24 times das seis confederações continentais. Seis clubes serão da América do Sul – um deles, o Flamengo (RJ). A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) ainda não definiu os critérios de classificação, mas nas duas propostas discutidas pela entidade, uma das vagas será do vencedor da Libertadores do ano passado, justamente o clube carioca rubro-negro. O torneio, atualmente disputado com sete equipes (uma do país-sede e seis campeões continentais), deixará de ser anual e passará a ser disputado de quatro em quatro anos, ocupando a data da agora extinta Copa das Confederações (de seleções).

Agência Brasil

FIFA autoriza testes de possíveis mudanças nas regras do futebol, como lateral com os pés e substituições ilimitadas; entenda

Foto: Ilustrativa

A FIFA deu autorização à Federação Holandesa para começar a testar um conjunto de cinco alterações nas regras do jogo. Na Alemanha a suspensão temporária será colocada em prática nos escalões amadores.

A evolução de outras modalidades tem aumentado a concorrência com o futebol e responder à angústia de agentes e adeptos é a maior preocupação de alguns responsáveis pelo futebol, em função disto a FIFA deu sinais de que está atenta ao clima de mudanças que se anuncia.

A FIFA costuma testar algumas alterações antes de a International Board (IFAB) aprová-las e averiguar até que ponto poderão ter um efeito positivo na modalidade, o organismo liderado por Gianni Infantino deu sinal verde à Federação Holandesa (KNVB) para testar cinco alterações às regras. E na Alemanha também se vivem tempos de experimentação.

Reuniram-se em Zeist, nos Países Baixos, no começo de março, representantes das federações da Alemanha, de Inglaterra, da Bélgica e dos EUA, tendo como ponto central da agenda o aperfeiçoamento e a “democratização” do VAR. A intenção é tornar a tecnologia tão acessível quanto possível para alargar a sua utilização a um maior número de países e de competições, já que um dos princípios das regras é justamente a igualdade. Porém, acabou por ser a discussão em redor das regras e do tempo útil de jogo as principais atenções ao término do encontro.

As ideias debatidas foram cinco: a reposição da bola em jogo com os pés caso saia pela linha lateral, a cobrança de uma falta de e para o mesmo jogador (o denominado auto-passe, onde não se puniria mais o que chamamos de “bitoque”), substituições ilimitadas, contagem do cronômetro apenas quando a bola estiver em jogo e períodos de exclusão por amostragem de cartões.

É possível observar que algumas regras são oriundas de outras modalidades, como o futsal, por exemplo, mas também há novidades.

“Discutimos estes tópicos com diferentes grupos, que envolviam treinadores, adeptos, jogadores e atletas jovens, e acabamos sempre por chegar à estas cinco questões”, explicou Gijs de Jong, secretário-geral da KNVB. “É por isso que queremos ver se somos capazes de testar regras diferentes”, acrescentou, aludindo a uma implementação gradual e cuidadosa: “Podemos experimentar nas camadas jovens até o sub-19, por exemplo, ou no futebol não competitivo ou até numa prova a eliminar no longo prazo”.

Algo relevante é justamente as discussões incluírem não somente ex-árbitros, mas também outras pessoas ligadas diretamente à prática da modalidade como jogadores e treinadores.

O dirigente da KNVB mostra-se alerta à necessidade de adaptar o futebol às atuais exigências do mercado. “É o nosso dever pensar em mudanças que tornem o futebol mais atrativo sem alterar a sua essência. Não são medidas para aplicar amanhã ou em cinco anos. É algo mais a prazo. Não se trata de uma revolução, mas de uma evolução”.

Uma das maiores preocupações dos adeptos, a avaliar pelos resultados de diferentes estudos, é a constante quebra do ritmo do jogo. “Em média, o tempo efetivo de jogo é geralmente de apenas 50 minutos. É por isso que também queremos testar estas medidas”, acrescenta Gijs de Jong, ciente de que há muitas outras modalidades em real crescimento e que a entrada de algumas no calendário olímpico mostra como a atenção dos jovens é hoje canalizada para outras áreas. “Queremos tornar o futebol à prova do futuro. O mundo está mudando tão depressa que não podemos ficar parados”.

Movimentações idênticas estão também para acontecer na Alemanha. A Federação Germânica (DFB) anunciou que irá testar, a partir da próxima época, as suspensões temporárias como sanção a aplicar em caso de um segundo cartão amarelo, ao invés da expulsão.

Na prática, o organismo está a dar resposta a um pedido de uma das divisões amadoras do estado de Hesse, que pretende avançar com um projeto-piloto. A experiência começará em 2020/21 a nível distrital (do oitavo escalão da hierarquia para baixo), será aplicada por um período de dois anos e, por enquanto, somente no futebol masculino.

Trata-se, no fundo, de dar forma a uma solução de outras modalidades (como o handebol ou o hóquei em patins), prevendo a saída do campo de jogo, por um período determinado, de um jogador que tenha recebido o segundo cartão amarelo. Cumprido o tempo de suspensão, o jogador regressará e só em caso de voltar a ser amarelado será definitivamente expulso.

Esta experiência só pode avançar porque os regulamentos da FIFA preveem que as regras ao nível das categorias de formação e do futebol amador possam ser ajustadas em consonância com as federações nacionais.

Desta forma, mesmo que não a curto prazo, a FIFA começa a dar novos passos para grandes mudanças no futebol, onde os impactos táticos aumentem o entretenimento de uma partida.

Fonte: Blog Lei em Campo – UOL

 

FOTOS: Fifa divulga bola oficial do Mundial de Clubes

Fotos: Divulgação

A Fifa divulgou as imagens da bola oficial que será utilizada no Mundial de Clubes, que será disputada no Qatar entre os dias 11 e 21 de dezembro. O objeto permanece em branco, mas com detalhes em preto, azul e vermelho e será utilizada por Flamengo, Liverpool e os demais times que jogam pelo título de 2019.

O Rubro-Negro, campeão da Libertadores com Jorge Jesus, vai jogar apenas nas semifinais, no dia 17 de dezembro, contra o vencedor de Al Hilal, da Arábia Saudita, e o Espérance, da Tunísia.

Já os Reds, comandados por Jürgen Klopp e campeão da Champions League, entram em ação no dia 18, mas contra o ganhador de Monterrey, do México, contra o Al-Sadd, do Qatar, ou o Hienghène, de Nova Caledónia.

A competição se inicia nesta quarta-feira, no duel entre o Al-Sadd, campeão da Qatar Stars League, e o Hienghène, campeão da Champions League da Oceania, às 14h30, no Estádio Doha, em Jassim.

Extra – O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Alaca disse:

    Essa cariocada, tá em peso no bg!

  2. Jk disse:

    Vai ser 2 dessas na gaveta do Liverpool! Pra cima MEGÃÃÃÃÃO

Fifa anuncia banimento perpétuo de Ricardo Teixeira de atividades ligadas ao futebol

Ricardo Teixeira foi presidente da CBF entre 1989 e 2012 — Foto: Getty Images

 

A Fifa anunciou nesta sexta-feira o banimento perpétuo do ex-presidente da CBF Ricardo Teixeira do futebol por conta de violações no código de ética. Segundo comunicado, a câmara decisória do Conselho de Ética da entidade considerou Teixeira culpado de crimes de suborno, aplicando a pena, que o proíbe de exercer atividades ligadas ao futebol para sempre. Ele também foi multado em 1 milhão de franco suíços (R$ 4,2 milhões). O advogado de Ricardo Teixeira, Michel Assef Filho, declarou que vai recorrer da decisão ao Comitê de Apelação da própria Fifa.

A investigação do Conselho de Ética analisou atividades de Ricardo Teixeira entre 2006 e 2012, focando em contratos da CBF, Conmebol e Concacaf com empresas de mídia e direitos de transmissões de TV. O conselho considerou que Teixeira violou o artigo 27 do Código de Ética, que diz respeito a suborno, e decidiu aplicar a pena máxima – que também foi imposta a outros ex-presidentes da CBF, como Marco Polo Del Nero e José Maria Marín.

– Eu entendo que esse resultado no âmbito da Fifa era previsível, por ter havido cerceamento de defesa, e que tenho confiança de que o Tribunal de Justiça Suíço reformará a decisão para absolvê-lo, já que nessa esfera os princípios processuais serão observados e respeitados – disse o advogado de Teixeira, Michel Assef Filho.

Ricardo Teixeira presidiu a CBF entre 1989 e 2012, por cinco mandatos consecutivos, e também ocupou cargos nos Comitês Executivos da Fifa e da Conmebol. O brasileiro foi acusado de receber e distribuir propinas em contratos com empresas de mídia, desde que veio à tona o escândalo que levou para a cadeia dezenas de dirigentes do alto escalão da Fifa, em 2015.

O processo conduzido pelo FBI e a Justiça dos Estados Unidos colocou Teixeira como um dos pivôs de um esquema de corrupção. Um relatório elaborado pelo advogado Michael Garcia em 2014, que só veio à tona em 2017, afirmou que o ex-presidente da CBF violou seis artigos do Código de Ética: artigo 13 (regras gerais de conduta), artigo 15 (lealdade), artigo 19 (conflito de interesses), artigo 20 (oferecer e aceitar presentes e outros benefícios), ártico 21 (propina e corrupção), artigo 22 (comissão).

Em dezembro de 2017, o governo dos Estados Unidos publicou documentos que ligariam Teixeira a José Maria Marin e Marco Polo Del Nero – com os três envolvidos em um esquema de subornos milionários de agências de marketing esportivo. Áudios e documentos que vieram à tona em 2018 revelaram como funcionava a distribuição de propina.

Globo Esporte

 

 

Fifa confirma Mundial de Clubes de 2021 com 24 times na China

Gianni Infantino presidente da Fifa — Foto: Reuters

A Fifa confirmou na manhã desta quinta-feira que o Mundial de Clubes de 2021 será realizado mesmo na China e terá a inédita participação de 24 clubes. A decisão, oficializada durante a reunião do Conselho da entidade em Xangai, foi comemorada pelo presidente Gianni Infantino, que ressaltou a importância de pela primeira vez ser de fato disputada pelos melhores time do planeta na temporada correspondente.

– É uma decisão histórica para o futebol, porque o conselho da FIFA decidiu hoje, por unanimidade, nomear a China como sede da nova Copa do Mundo da FIFA. O novo (torneio) será uma competição que toda pessoa … qualquer um que ama futebol, está ansioso por ver. É a primeira Copa do Mundo real e verdadeira onde os melhores clubes competirão. Ela contará com 24 equipes e será realizada entre junho e julho de 2021 – destacou Infantino em entrevista coletiva.

O plano para a implementação de de uma nova Copa do Mundo de Clubes foi aprovado em uma reunião do Conselho da FIFA em Miami, em março, e a indicação da China aguardava apenas a confirmação. O reformulado torneio, passaria a ocorrer de quatro em quatro anos entre junho e julho, substituindo no calendário a Copa das Confederações, disputada sempre um ano antes do Mundial de seleções. As edições de 2019 e 2020 da Copa do Mundo de Clubes serão ambas realizadas no mês de dezembro no Catar, ainda com a habitual presença de seis times representando seus respectivos continentes (além de uma equipe local), com a grande final sendo jogada em Doha.

 

Globo Esporte

 

Seleção brasileira recua para 3ª posição no ranking masculino da Fifa

Foto: Divulgação/Fifa

A seleção brasileira caiu uma posição no ranking mundial masculino da Federação Internacional de Futebol (Fifa) e agora está na terceira posição. De acordo com a lista, divulgada nesta quinta-feira (19), a Bélgica continua no topo e a França subiu para a segunda colocação.

As demais seleções que ocupam o Top 10 são Inglaterra (4º), Portugal (5º), Uruguai (6º), Espanha (7º), Croácia (8º), Colômbia (9º) e Argentina (10º).

O maior avanço entre agosto e setembro foi obtido pela seleção da ilha caribenha de Granada, que subiu 13 colocações e passou para a 160ª posição. As maiores quedas ocorreram com a Nicarágua e com Eswatini (antiga Suazilândia), que caíram 11 colocações. A Nicarágua está na 148ª posição e Eswatini, na 150ª.

Agência Brasil

 

Fifa destaca Flamengo nas semifinais: “Único time no mundo com 40 milhões de torcedores”

Post da Fifa destaca o feito do Rubro-Negro — Foto: Fifa.com

Nas nuvens com a classificação para as semifinais da Libertadores depois de 35 anos, a torcida do Flamengo pode ficar ainda mais orgulhosa. Nas redes sociais, a Fifa destacou:

“O ÚNICO time no mundo que tem 40 milhões de torcedores em seu país”, destacou a publicação da Fifa, que ainda chamou de “supertime” o Rubro-Negro. O destaque ficou em cima de Rafinha, Filipe Luís, Arrascaeta, Gerson, Bruno Henrique e Gabigol.

Com o empate por 1 a 1 com o Internacional na segunda partida das quartas de final, o Flamengo de Jorge Jesus enfrenta o Grêmio nas semifinais – a primeira partida acontece nos dias 1 ou 2 de outubro, em Porto Alegre. A volta será em 22 ou 23 de outubro, no Rio de Janeiro. A Conmebol ainda irá confirmar as datas.

Globo Esporte

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. BOSCO disse:

    Parabéns Ronaldo ! Bom comentário. Mesmo assim vou te refrescar a memória: Não devemos esquecer o que essa instituição denominada FLAMENGO anda esquecendo: Fazer justiça, nem que seja social em relação a tragédia anunciada no Ninho do Urubu. Um grande abraço , amigo!

  2. Augusto disse:

    Na verdade as duas maiores torcidas do Brasil é do Flamengo e segunda todo resto contra o flamengo… Segue o lider

  3. mauricio disse:

    o ronaldo ai deve ser carioca

  4. H4CK3R disse:

    2ª maior torcida do mundo = Flamengo
    1ª maior torcida do mundo = os antis

  5. Cruzado Jacobino disse:

    Lavagem celebral

  6. JBBatista. disse:

    O flamengo vive de sonhos, da babada da rede Globo e da ajuda dos árbitros ao longo de sua historia ganhou um mundial que a maioria da torcida nem era nascida e não ganha um titulo importante faz tempo, pelo investimento que ninguém sabe de onde vem era para ganha tudo e não se contentar com os cariocas da vida.

  7. Marcelo disse:

    Potiguares torcendo por times de do sudeste. Por lá somos chacota.

    • Vitor Silva disse:

      Marcelo, nós somos chacota de qq jeito.

    • H4CK3R disse:

      E o que vc diz sobre quem não é potiguar e torce tambem pra times daqui, como eu?
      O cara torce pro time que quiser e quantos times quiser
      Abraço.

  8. Ronaldo Peres Coimbra disse:

    O melhor disso tudo é o diferencial que a torcida do flamengo tem: "Ela vive da alegria que seu time proporciona". Enquanto a turma do vasco, fluminense e botafogo vivem de torcer contra o flamengo, já que seus times… nem precisa comentar!
    O time do flamengo vem evoluindo, crescendo, apresentando um bom futebol, mas tem falhas e ainda não venceu, então a regra e a ordem na gávea é trabalho, trabalho e trabalho!
    O super time do Palmeiras que no início do ano poderia ganhar o campeonato paulista, a copa do brasil, a libertadores, ganhou o quê até aqui?
    Felipão era o técnico a ser vencido… O cara! Heim?
    Os novos técnicos no Brasil, todos, sem exceção, tem seus trabalhos questionados pelos jornalistas esportivos.
    A torcida do vasco, entre outras, canta o título nas duas primeiras vitórias do time no campeonato.. o tempo passa e nada!
    No Brasil criam vencedores a partir da perspectiva, talvez por isso nosso futebol esteja passando por esse momento de baixa no cenário mundial.

    • Neto Macedo disse:

      Ronaldo, simplesmente perfeito o seu comentário. Um forte abraço

Brasil fica sem indicados ao prêmio de melhor jogador do ano da Fifa

Lista não tem as duas estrelas das seleções brasileiras. Colagem R7/ Instagram

O futebol do Brasil não tem representantes entre os dez indicados ao prêmio The Best, entregue pela Fifa ao melhor jogador do ano, de acordo com lista divulgada nesta quarta-feira (31), que não tem o vencedor de 2018, o meia croata Luka Modric.

Este é o segundo ano consecutivo que o país pentacampeão mundial não tem nenhum representante na honraria. Em 2017, o atacante Neymar chegou a ser finalista, terminando na terceira colocação, e o lateral-esquerdo Marcelo ficou no oitavo posto. Naquela edição, no entanto, eram 24 nomes apresentados, antes do anúncio do ‘top-3’.

Entre as ausências destacadas na lista anunciada hoje pela Fifa, também está a de Modric, que fez temporada apagada pelo Real Madrid, e não poderá repetir o prêmio, conquistado há um ano, principalmente, devido ao bom desempenho na Copa do Mundo, em que a Croácia foi vice-campeã.

A situação do meia é a mesma vivida por Marta no feminino. A brasileira, que atua no Orlando Pride, dos Estados Unidos, teve participação apagada na Copa do Mundo e não consta entre as 12 concorrentes.

Entre os dez indicados, o destaque vai para os jogadores do Liverpool, que conquistaram a Liga dos Campeões, o zagueiro holandês Virgil Van Dijk, além de dois atacantes do time, o egípcio Mohamed Salah e o senegalês Sadio Mané. Vice da ‘Champions’, o Tottenham emplacou o atacante inglês Harry Kane.

O Ajax, que assombrou o mundo, derrubando gigantes no torneio continental, colocou no ‘top-10’ dois jovens holandeses, o zagueiro Matthijs de Ligt e o meia Frenkie de Jong, que já arrumaram malas neste segundo semestre, em que defenderão Juventus e Barcelona, respectivamente.

O atacante português Cristiano Ronaldo, atualmente na Juve, e o atacante argentino Lionel Messi, do Barça, que dominaram as premiações individuais nos últimos dez anos, também constam entre os indicados, assim como o belga Eden Hazard, do Chelsea, e o francês Kylian Mbappé, do Paris Saint-Germain.

O público pode apontar os três preferidos, do primeiro ao terceiro lugar, com cada posição tendo uma diferente pontuação. No dia 23 de setembro, a Fifa divulgará os três finalistas do The Best.

R7, com EFE

Ranking da FIFA tem liderança dividida pela 1ª vez na história; veja top 10

A FIFA publicou, esta quinta-feira, o ranking atualizado das seleções e, pela primeira vez em toda a história, a liderança está partilhada entre dois países.

França e Bélgica, que se defrontaram nas meias-finais do Mundial 2018, estão agora na primeira posição, ambos com 1729 pontos. Portugal manteve o sétimo lugar.

Top 10:

1.º Bélgica (1729 pontos)

1.º França (1729 pontos)

3.º Brasil (1663 pontos)

4.º Croácia (1634 pontos)

5.º Uruguai (1632 pontos)

6.º Inglaterra (1612 pontos)

7.º Portugal (1606 pontos)

8.º Suíça (1598 pontos)

9.º Espanha (1597 pontos)

10.º Dinamarca (1581 pontos)

A Bola

Mesmo sem jogar, Brasil ultrapassa Alemanha e volta ao topo do ranking da Fifa

Mesmo sem disputar uma partida desde junho, quando realizou amistosos em Melbourne contra Argentina e Austrália, o Brasil reassumiu a liderança do ranking da Fifa, atualizado nesta quinta-feira pela entidade que comanda o futebol mundial. A seleção nacional chegou aos 1.604 pontos e ultrapassou a Alemanha, que caiu para o segundo lugar, com 1.549, apesar de ter conquistado, também em junho, o título da Copa das Confederações, na Rússia.

Líderes na atualização anterior da listagem, os alemães caíram para o segundo lugar ao terem descontado 60 pontos por causa do critério do ranking da Fifa que prevê a redução da pontuação provocada pela perda de peso de resultados conquistados em anos anteriores – a entidade faz esse descarte levando em conta o desempenho das seleções em competições realizadas em anos anteriores.

A Alemanha, no caso, teve descontados os pontos que somou em julho de 2016 pela conquista da terceira posição da Eurocopa realizada na França. Campeão da competição, Portugal, por sua vez, caiu da quarta para a sexta posição em razão do descarte dos pontos somados com aquele título inédito para o país. Os franceses, que amargaram o vice-campeonato continental em casa naquela ocasião, desceram do nono para o décimo lugar nesta quinta-feira.

O Brasil, garantido na Copa do Mundo de 2018 com quatro rodadas de antecipação para o fim das Eliminatórias Sul-Americanas, voltou a ostentar a condição de líder do ranking da Fifa no mesmo dia em que o técnico Tite convoca a seleção brasileira para os duelos diante do Equador, no próximo dia 31, na Arena Grêmio, em Porto Alegre, e Colômbia, em 5 de setembro, em Barranquilla, válidos pelo qualificatório para o Mundial da Rússia.

A Argentina, que ocupa apenas a quinta posição das Eliminatórias Sul-Americanas, se manteve no terceiro posto do ranking da Fifa, com 1.399 pontos, e agora passou a ter logo atrás dela a Suíça e a Polônia, novas respectivas quarta e quinta colocadas. Estes dois países foram beneficiados pela queda de Portugal ao sexto lugar.

A quarta posição, por sinal, é a segunda melhor já atingida pelos suíços desde a criação do ranking da Fifa, em 1993, quando foram colocado em terceiro lugar na primeira divulgação da listagem, em 8 de agosto daquele ano. Já a Polônia alcançou nesta quinta-feira a sua melhor posição na história deste ranking. Por outro lado, a ex-líder Bélgica subiu da décima para a nona posição com a queda dos franceses.

A disputa da Copa Ouro da Concacaf, realizada no mês passado, também ocasionou algumas mudanças relevantes no ranking da Fifa. Surpreendente vice-campeã do torneio continental, a Jamaica galgou 19 postos por causa de sua campanha e alcançou o 57º lugar. Já os Estados Unidos, que ficaram com o título da competição, subiram nove posições e agora figuram em 26º no geral.

Costa Rica e México, semifinalistas da Copa Ouro, também tiveram ascensões confirmadas nesta quinta. Os costarriquenhos subiram cinco posições e estão agora em 21º lugar, enquanto os mexicanos galgaram duas e estão em 14º.

Novamente contando com o Brasil como o seu líder, o ranking da Fifa tem a sua próxima atualização marcada para acontecer no dia 14 de setembro.

Confira os 20 primeiros colocados do ranking da Fifa:

1) Brasil, 1.604 pontos

2) Alemanha, 1.549

3) Argentina, 1.399

4) Suíça, 1.329

5) Polônia, 1.319

6) Portugal, 1.267

7) Chile, 1.250

8) Colômbia, 1.208

9) Bélgica, 1.194

10) França, 1.157

11) Espanha, 1.114

12) Itália, 1.059

13) Inglaterra, 1.051

14) México, 1.046

15) Peru, 1.023

16) Croácia, 1.007

17) Uruguai, 995

18) País de Gales, 951

19) Suécia, 933

20) Islândia, 927

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Santiago disse:

    Tomara que leve outra surra na Copa de 2018!

  2. Carlos Júnior disse:

    Gostaria muito se o Brasil ocupasse essa posição nos quesitos: Educação( formal – escola) e Baixa Corrupção.
    OBS: ESSE RANKING, não muda avida de ninguém……..
    Sem mais.

    • Ceará-Mundão disse:

      Verdade. Aliás, as prioridades no nosso país estão sempre invertidas. Isso vem do próprio povo.

    • Potyguar disse:

      Concordo plenamente. Está mais do que na hora desse abestalhado povo brasileiro deixar o futebol, as novelas e as demais futilidades de lado e começar a se preocupar com os rumos deste pobre País.

  3. FRASQUEIRINO disse:

    Esse ranking é mais furado que tábua de pirulito. Basta comparar os adversários que o Brasil enfrenta pelas eliminatórias da Copa do Mundo (a MAIORIA seleções inexpressivas) com os enfrentados pela Alemanha, tanto nas eliminatórias para a Copa da Russia, quanto pela EUROCOPA .

Comitê da Fifa pede suspensão Blatter por 90 dias

blatterO Comitê de Ética da Fifa vai suspender Joseph Blatter, presidente da entidade, por 90 dias. Mas ele ainda poderia voltar para concluir seu mandato, que termina em fevereiro de 2016. A decisão final ainda precisa ser chancelada pelo juiz independente da Fifa, Hans Eckert, o que deve ocorrer até sexta-feira. Mas o próprio cartola já foi informado nesta tarde de qual será seu destino e a entidade deve ficar com um presidente interino até o final do ano.

A suspensão ao reinado de 17 anos de Blatter é um fim melancólico a um cartola que, até poucas horas, insistia que não deixaria o cargo. A decisão, porém, aprofunda ainda mais a crise.

A Fifa já viu seu secretário-geral, Jerome Valcke, afastado, está diante de uma debandada de patrocinadores e ainda tem diversos de seus dirigentes presos na Suíça e nos EUA. O afastamento de Blatter é o ponto final de um terremoto que começou em maio, quando o FBI pediu a prisão de cartolas, entre eles José Maria Marin.

Fonte: IstoÉ

FIFA: Confira o discurso de renúncia do presidente Joseph Blatter

Switzerland-Soccer-FIFA-G4B27PMT1.1Joseph Blatter pegou a todos de surpresa nesta terça-feira ao anunciar o seu afastamento da presidência da Fifa. Ele ficará no cargo até o novo mandatário ser eleito, o que deve ocorrer entre dezembro e março de 2016. Leia na íntegra o discurso de Blatter:

“Eu tenho refletido profundamente sobre minha presidência e sobre os 40 anos nos quais minha vida tem sido inseparavelmente ligada à Fifa e ao grande esporte do futebol. Eu cuido da Fifa mais do que qualquer coisa e quero fazer apenas o que for melhor para a Fifa e para o futebol. Eu me senti compelido a me candidatar à reeleição, pois eu acredito que essa era a melhor coisa para a organização. Essas eleições acabaram, mas os desafios da Fifa, não. A Fifa precisa de uma inspeção profunda.

Apesar de eu ter um mandato dos filiados da Fifa, eu não sinto que tenha um mandato para o mundo inteiro do futebol – os torcedores, os jogadores, os clubes, as pessoas que vivem, respiram e amam futebol tanto quanto nós todos na Fifa. Por isso, eu decidi entregar meu mandato para o congresso de eleição extraordinário. Eu continuarei a exercer minhas funções como presidente da Fifa antes dessa eleição.

O próximo Congresso será em 13 de maio de 2016 na Cidade do México. Isso poderia criar um atraso desnecessário, e eu vou acelerar o Comitê Executivo para organizar um Congresso Extraordinário para a eleição de meu sucessor o mais breve possível. Isso precisará ser feito de acordo com os estatutos da Fifa, e nós devemos permitir o tempo suficiente aos melhores candidatos para se apresentarem e fazerem campanha. Como eu não serei um candidato – e estou, portanto, agora livre das restrições que as eleições inevitavelmente impõem -, serei capaz de me concentrar na condução de longo alcance, reformas fundamentais que transcendem os nossos esforços anteriores. Por anos, nós trabalhamos duro para colocar em prática reformas administrativas, mas está claro para mim que enquanto isso deve continuar, eles não são o bastante.

O Comitê Executivo inclui representantes de confederações nas quais nós não temos controle, mas para essas ações a Fifa é responsável. Nós precisamos de mudança estrutural nas raízes mais profundas. O tamanho do Comitê Executivo deve ser reduzido, e seus membros devem ser eleitos através do Congresso da Fifa. As verificações de integridade para todos os membros do Comitê Executivo devem ser organizadas centralmente através da Fifa e não através das confederações. Nós precisamos limitar reeleições não apenas para o presidente, mas para todos os membros do Comitê Executivo. Eu lutei por essas mudanças antes e, como todos sabem, meus esforços foram bloqueados. Desta vez, eu vou conseguir. Eu não posso fazer isso sozinho. Eu pedi a Domenico Scala para dirigir a introdução e a implementação de essas e outras medidas.

Domenico Scala é o presidente independente de nosso Comitê de Auditoria eleito pelo Congresso da Fifa. Ele é também o presidente do comitê eleitoral e, assim, ele organizará a eleição do meu sucessor. Domenico Scala tem a confiança de uma grande quantidade de constituintes dentro e fora da Fifa e tem todo o conhecimento e experiência necessários para ajudar a fazer essas reformas maiores. É meu profundo carinho pela Fifa e pelos seus interesses, o que eu apoio candidamente, que me levou a tomar esta decisão. Eu gostaria de agradecer àqueles que sempre me apoiaram de uma maneira construtiva e leal como presidente da Fifa e que fizeram muito pelo jogo que nós todos amamos. O que importa para mim mais do que qualquer coisa é que quando tudo isso acabar, o futebol será o vencedor.”

O Globo