FOTOS: Futebol de VÁRzea: terrão em Goiânia usa câmeras de segurança e implanta o árbitro de vídeo

 Fotos: Reprodução / TV Anhanguera

O campeonato amador da região leste de Goiânia não é brincadeira. Se tiver polêmica, chamem o árbitro de vídeo! Utilizado pela primeira vez no Campeonato Brasileiro em 2019, o VAR virou o centro das discussões após muitas rodadas e gerou divergências entre clubes, críticos e torcedores.

Polêmicas à parte, a organização do jogo entre Bragantino e Ferragista Leste, que decidiram o campeonato disputado em um campo de terrão, usou a tecnologia e a criatividade para implantar o árbitro de vídeo no torneio, vencido nos pênaltis pelo Ferragista Leste.

Com câmeras de segurança instaladas em postes e no telhado do ginásio vizinho, o árbitro pôde checar instantaneamente qualquer lance necessário. Diferente do futebol profissional, os times envolvidos na partida também têm direito a pedir revisão do lance – uma vez cada. A novidade foi aprovada pelos jogadores e pela comunidade da região leste.

– Nós tivemos essa ideia de trazer o árbitro de vídeo para enriquecer o campeonato e para ajudar a arbitragem, checando alguma jogada desleal e punindo o jogador, pois no futebol de várzea não tem aquela segurança do futebol profissional – diz Maurício Ricardo, o organizador do campeonato.

Na final, o árbitro não teve tanto trabalho e checou no vídeo apenas um possível lance de pênalti, que não foi confirmado. Após 1 a 1 no tempo normal, o Ferragista Leste venceu nos pênaltis por 3 a 2.

Globo Esporte

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. ABC disse:

    Tá atrasado, na Pelada do Tio Gilson que ocorre há 9 anos, o VAR já é utilizado desde junho kkkk

    • Bento disse:

      Tá atrasado você.
      Não documentou, não registrou, inexistência de provas.
      O exemplo acima é inédito

    • Girafa disse:

      Chico Bento tudo foi registrado, vai tirar leite do boi…

Ferramenta criada por perito do ITEP-RN para extração de imagens em câmeras de segurança ganha Prêmio Nacional de Criminalística

Fotos: Divulgação

O Instituto Técnico-Científico de Perícia (ITEP-RN) conquistou mais um reconhecimento nacional com a realização de pesquisas desenvolvidas por servidores do Instituto. No início do mês de outubro, durante o XXV Congresso Nacional de Criminalística, realizado em Goiânia/GO, o perito criminal Jossérgio Gouveia recebeu o Prêmio de Melhor Trabalho, na categoria Oral, na área de Áudio Forense, Análise Forense de Imagens e Informática Forense.

O trabalho intitulado “Software para extração de imagens em sistemas CFTV e auditoria e análise dos resultados utilizando Linux”, destaca a ferramenta criada pelo perito criminal do ITEP-RN com o objetivo de extrair imagens em aparelhos de circuito interno de televisão, as famosas câmeras de monitoramento e segurança, que possam ajudar na produção de provas e auxiliar nas atividades das investigações policiais, mesmo quando não se pode obter a senha do aparelho Digital Vídeo Recorder (DVR), ou quando há suspeita de arquivos eventualmente deletados.

“A ferramenta é compatível com diversos modelos de DVRs existentes no mercado e vem sendo sistematicamente aprimorada. Mesmo assim, vem apresentando resultados satisfatórios em diversas perícias solicitadas ao ITEP-RN, inclusive, em casos tratados por peritos em outros estados da federação onde foi solicitado apoio. Uma de suas grandes vantagens é que realiza a catalogação dos resultados obtidos, permitindo análises mais elaboradas da situação das imagens no aparelho.”, explicou Jossérgio.

Tecnologia no auxílio da perícia

A tecnologia, desenvolvida no ITEP-RN, pode ser utilizada como meio auxiliar em casos onde há suspeita de remoção, apagamento, adulteração ou inacessibilidade às imagens do DVR. Seja em casos em que o proprietário não fornece a senha do aparelho, ou quando há troca de disco de armazenamento, além de discos ou aparelhos encontrados avulsos ou com tentativa de ocultação.

“A utilização da ferramenta não se resume somente à recuperação das possíveis imagens apagadas, mas também possibilita detectar e concluir por adulterações da atividade do aparelho e tentativas de prejudicar a investigação policial”, destacou Jossérgio.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José Miquéias Antas de Gouveia disse:

    Parabéns pela autoria; parabéns ao Estado, que soube valorizar o servidor; parabéns a quem teve a iniciativa da divulgação em termos nacionais. Que o poder público adquira esta cultura e prestgie seus servidores em todas as circunstâncias e sempre.

  2. Alguém disse:

    Parabéns para os peritos que desenvolveram a ferramente, ainda mais usando SOFTWARE LIVRE sem pagamento de licenças.

    O governo deveria usar mais softwares livres ao invés de usar "ativadores" nos sistemas operacionais dos equipamentos, pois inumeros computadores utilizam software PIRATA e CRAKEADOS afim de evitar o pagamento de licenças.

VAR Caipira – (VÍDEO): câmeras de segurança ajudam peladeiros a decidir lances polêmicos

VÍDEO com reportagem aqui

O VAR tomou conta dos assuntos nas rodas de amigos durante a Copa do Mundo. O sucesso do árbitro de vídeo já foi trazido para a Copa do Brasil e deve estar em ação também durante o mata-mata do próximo Campeonato Paulista.

Mas o assunto ganhou tanta repercussão que acabou entrando também nas peladas no interior de São Paulo. Em Sorocaba, as câmeras de monitoramento de uma quadra se transformaram no VAR Caipira (assista no vídeo acima).

Antes pensadas apenas na segurança dos jogadores das peladas, as câmeras passaram a atuar ao lado da arbitragem. Quando pede a revisão, o árbitro da partida caminha até uma sala ao lado para rever a imagem. Além disso, as câmeras também servem para registrar gols bonitos ou aquela “pixotada” inacreditável.

– A instalação das câmeras fez com que elas virassem um VAR. A gente faz a captação dos lances polêmicos. Já faz o gol, fala o horário, o minuto e o segundo também para captar. Leva para casa, rede social e faz sucesso durante a semana – disse Marzukevicz Faria, o Kedão.

São quatro câmeras apontadas para o gramado sintético da quadra, mas Kedão, o invetor do VAR Caipira já revela que a ideia é aumentar para 12.

Globo Esporte