Coordenador da Lava Jato no PR diz que operação está ‘em pleno vapor’ e ainda tem muitos crimes para revelar ao país

Foto: Reprodução / WhatsApp

O procurador da República Alessandro Oliveira afirmou que a 76ª fase da Lava Jato, deflagrada nesta quarta-feira (7), prova que a operação está em “pleno vapor” e ainda tem muitos crimes para revelar ao país.

Oliveira, atual coordenador da Lava Jato no Paraná, explicou que o esquema que levou agentes da PF (Polícia Federal), Receita e MPF (Ministério Público Federal) às ruas nesta quarta-feira busca mais provas de desvios de mais de R$ 45 milhões aos cofres da Petrobras.

Estão sendo cumpridos quatro mandados de busca e apreensão em três locais no Rio de Janeiro.

“A Operação Lava Jato, apesar de ter descortinado um megaesquema de corrupção, ainda está em pleno vapor e ainda tem um amplo horizonte de práticas ilícitas a serem descobertas, a serem desveladas”, afirmou o procurador em vídeo.

Segundo as investigações, funcionários da estatal recebiam propinas de companhias estrangeiras em troca de garantir a elas o abastecimento de navios da Petrobras em portos no exterior.

Sequência de derrotas

A declaração do procurador não é à toa. Neste ano, a Lava Jato sofreu duras derrotas que colocaram em risco a continuidade da operação.

Primeiramente, o procurador-geral da República, Augusto Aras, crítico dos procedimentos da Lava Jato, exigiu que os documentos de todas as investigações da força-tarefa fossem compartilhados com ele, o que irritou os procuradores, que acabaram ganhando no STF (Supremo Tribunal Federal) o direito de manterem os dados no Paraná.

Também em 2020, o ex-coordenador da força-tarefa, Deltan Dallagnol, deixou o cargo alegando problemas pessoais. Ele vinha sendo bastante pressionado por setores do próprio Judiciário e chegou a ser advertido pelo Conselho Nacional do Ministério Público por ter postado críticas a Renan Calheiros durante a eleição do Senado, em 2018.

A terceira derrota do ano ocorreu com a Lava Jato de São Paulo, na qual a equipe de procuradores pediu demissão após se sentir ameaçada pela atuação de uma das integrantes do grupo, ligada a Aras.

R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Observando. disse:

    Inocente. Quando chegar no Procurador Aras arquiva tudo. Quando chegar no novo ministro STF arquiva tudo. Ta tudo dominado pelo centrao. O Mito ta preocupado com seus filhos. Lava jato ja morreu faz tempo.

MPF apresenta denúncia e ação de improbidade contra coordenador do Cenarte por desvio de recursos que tinham como destino o Comitê de Direitos Humanos do RN

Roberto Monte desviou R$ 150 mil em 2011 (R$ 276 mil em valores atualizados), que seriam destinados à capacitação de integrantes do Comitê de Direitos Humanos do RN

O Ministério Público Federal (MPF) apresentou uma denúncia e uma ação de improbidade administrativa contra o coordenador do Centro de Estudos, Pesquisa e Ação Cultura (Cenarte), Roberto de Oliveira Monte, por desvio de recursos públicos em 2011. Ele recebeu à época R$ 150 mil para capacitar 300 representantes de ONGs, fóruns e movimentos sociais participantes do Comitê Estadual de Educação em Direitos Humanos Sociais do RN, mas terminou por promover a contratação irregular de parentes e integrantes do próprio Cenarte.

O centro também é réu na ação de improbidade, na qual o MPF requer o ressarcimento do dano (R$ 267 mil atualizado até fevereiro de 2019); perda da função pública; suspensão dos direitos políticos de cinco a oito anos; pagamento de multa e proibição de contratar com o Poder Público pelo prazo de cinco anos. Já a denúncia pede a condenação de Roberto Monte por peculato, que prevê pena de dois a doze anos de reclusão, além de multa.

Matéria completa aqui no Justiça Potiguar.

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cigano Lulu disse:

    R$ 150 mil? Tá, se isso é nada. Deve ter gasto tudo no Beco da Lama.

  2. Francisco Alves disse:

    Menino!!! O maior defensor dos "direitos dos manos" envolvido em falcatruas???? Desviando e se apropriando de verba pública????
    150 milzinho, foi???? O baluarte da moralidade!!!!
    Pois é… Certo dia, ouvi um amigo dizer que a ideologia desse povo, era falta de dinheiro fácil no bolso!!! Penso que o amigo estava certo.

  3. Ceará-Mundão disse:

    Por que será que essa notícia não me causou surpresa? São os "lacradores", turma da "resistência"?

Juiz Federal Adrian Amorim é indicado para coordenador do Juizado Especial Federal no RN

O Juiz Federal Adrian Soares Amorim de Freitas, que atua na 3ª Vara da Justiça Federal no Rio Grande do Norte, foi indicado como coordenador do Juizado Especial Federal no Rio Grande do Norte.

A indicação foi feita pelo pleno do Tribunal Regional Federal da 5ª Região. O Juiz Federal Adrian Amorim também é o coordenador do Comitê de Qualidade de Vida da JFRN.

CBF tira Gallo do cargo de coordenador das categorias de base da seleção e coloca futuro como técnico em xeque

A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) já comunicou Alexandre Gallo sobre o seu desligamento do cargo de coordenador das categorias de base da seleção brasileira.

A saída do treinador do cargo foi definida após a quarta colocação da seleção brasileira no Campeonato Sul-Americano sub-20.

O presidente da CBF, José Maria Marin, avaliou como “ruim” a campanha da equipe brasileira no torneio. “Não fiquei satisfeito com as atuações da seleção. Vou falar como torcedor e não como presidente. Prevaleceu o individualismo quando deveria prevalecer o coletivo”, disse.

Marin é o principal fiador de Gallo dentro da CBF. Em 2012, ele escolheu o treinador para comandar todas as divisões de base.

Na próxima semana, o treinador deverá entregar para a cúpula da entidade um relatório sobre a participação do time brasileiro na competição.

Erasmo Damiani, do departamento de base do Palmeiras, é o nome mais cotado para ocupar a vaga de coordenador das categorias de base da seleção brasileira.

Gallo também o corre o risco de ser demitido do cargo de técnico da seleção olímpica.

Caso Gallo seja demitido, a CBF deve convidar Dunga para acumular a função de treinador das seleções olímpica e principal..

Em sua última passagem no comando da seleção brasileira, Gallo dividiu a função de técnico da seleção olímpica e principal. Em Pequim, o time brasileiro ficou com a medalha de bronze. Na África do Sul, a seleção brasileira foi eliminada nas quartas de final para a Holanda.

Folha Press

Juiz Federal do RN será coordenador geral da comissão do Fórum Permanente do Sistema Penitenciário Federal

Será do Rio Grande do Norte o coordenador geral da comissão que atuará na gestão do Fórum Permanente do Sistema Penitenciário Federal, grupo criado pelo Conselho da Justiça Federal. O Juiz Federal Walter Nunes da Silva Júnior, titular da 2ª Vara Federal da JFRN, foi designado coordenador geral do fórum. O adjunto será o Juiz Federal Márcio Flávio Mafra Leal. A comissão que coordenará o fórum terá como integrante todos os Corregedores Penitenciários Federais e ainda três magistrados federais do Paraná, Pará e Rondônia.

O corregedor do Conselho da Justiça Federal, ministro João Otávio Noronha, na portaria que designou a comissão definiu que o objetivo do grupo é “propiciar a integração dos órgãos envolvidos para troca de ideias e experiências, promover debates e formulação de propostas de solução para as dificuldades apresentadas, bem como disseminar o conhecimento da realidade dos diferentes órgãos que cuidam da execução penal no âmbito federal”.    

CORREIÇÃO –  O Juiz Federal Walter Nunes da Silva Júnior também foi designado para atuar na inspeção que a Corregedoria da Justiça Federal fará no Tribunal Regional Federal da 3ª Região. A solicitação para o trabalho do magistrado foi do próprio corregedor do CJF, ministro João Otávio de Noronha.

 

CERNE tem novo Coordenador

O advogado e engenheiro civil José Henrique Azeredo é o novo Coordenador de Relações Governamentais do CERNE – Centro de Estratégias em Recursos Naturais e Energia.

Advogado com atuação no mercado de Energia Eólica e apaixonado por Política (com P maiúsculo, como ele mesmo diz), José Henrique é sócio do escritório André Elali Advogados e da B2L (Business to Lawyers), aliança representada em 20 Estados, criada  com a proposta de prospectar e fomentar operações de grande vulto e que hoje já conta com ativos negociáveis da ordem de R$ 9 bilhões.

O novo diretor deverá auxiliar a coordenação, juntamente com cada diretor setorial respectivo, nas ações do CERNE relativas ao Governo do Estado do RN e demais entidades de representação política. A posse está marcada para o próximo dia 19, durante reunião ordinária do Centro.