Startup cria saquinho comestível para água que substitui garrafa

A meia-maratona de Londres, que será disputada no 29 de março, não terá as tradicionais mesas com copos d’água para hidratar os corredores. Em vez disso, os organizadores se juntaram a Notpla, startup de tecnologia que trabalha com embalagens.

A embalagem alternativa — batizada de Ooho — é um sachê transparente e comestível, feito com algas marinhas. Com eles, os corredores poderão simplesmente morder a ponta e beber a água. Se quiserem, podem até comê-lo “como um tomate-cereja”, nas palavras do co-fundador da empresa, Pierre-Yves Paslier.

“Você coloca dentro da sua bochecha e morde. Ela explode, então é bem surpreendente,” disse Paslier a Fast Company. O sachê não tem sabor.

Segundo Paslier, que já trabalhou como engenheiro de embalagens da L’Oreal, a ideia é garantir que não haja impacto ambiental no descarte do sachê.

“Queremos ter uma solução a prova de balas, que não importa onde terminar, nossas embalagens não vão causar consequências negativas,” disse Paslier. “Se a natureza consegue lidar com isso caso acabem indo para o lugar errado, é o maior tipo de proteção.”

A embalagem comestível é criada utilizando conceitos de gastronomia molecular. Segundo a Notpla, um cubo de gelo é colocado em uma solução de cloreto de cálcio e extrato de alga marinha. A mistura se junta a redor do cubo, criando uma camada que, após o gelo derreter, retém a água.

Além de eventos esportivos, a Notpla já se juntou com uma marca de whisky, Glenlivet, para criar “coquetéis sem copos.” A empresa também pretende investir no mercado de embalagens de molhos como ketchup e mostarda.

“Nós acreditamos que vai funcionar junto com pessoas utilizando mais garrafas reutilizáveis e esquemas de devolução de embalagens, e muitas outras coisas que, juntas, vão criar uma sociedade livre do plástico,” disse Paslier.

Época

Coca-Cola responde a denúncia sobre rato em garrafa: 'o fato alegado não tem fundamento'

A Coca-Cola divulgou, nesta terça-feira, um comunicado em resposta a um consumidor que alega ter encontrado um rato dentro de uma garrafa ainda lacrada. O caso de Wilson Batista Rezende foi registrado em dezembro de 2000 e noticiado há cerca de dez dias na TV Record.

Ele comprou um pacote com seis garrafas no supermercado na cidade de São Paulo, e “sentiu os órgãos queimarem” ao consumir uma delas.

“Ingeri meio gole de uma das seis garrafas de dois litros de Coca-Cola contaminada com restos de rato, e senti corroer meu esôfago, língua e estômago. Foi quando cuspi o restante para fora da boca, desesperado e com a indescritível ardência, literalmente por todo meu aparelho digestivo. Verifico o copo que me servi e percebo pequenos fios de pelos de ratos junto ao líquido”, explica Wilson no perfil dele no Facebook.

coca-cola-0Em resposta, a Coca-Cola afirmou:

“Todos os nossos produtos são seguros e os ingredientes utilizados são aprovados pelos órgãos regulatórios, em um histórico de 127 anos de compromisso e respeito com os consumidores. Os nossos processos de fabricação e rígidos protocolos de controle de qualidade e higiene tornam impossível que um roedor entre em uma garrafa em nossas instalações fabris. Lamentamos o estado de saúde do consumidor, mas reiteramos que o fato alegado não tem fundamento e é totalmente equivocada a associação entre o consumo do produto e o seu estado de saúde”.

Wilson Rezende ficou com sequelas após o incidente, com dificultades motoras e de fala. O consumidor entrou com um processo na Justiça para cobrar uma ação da Coca-Cola. Desde então tenta provar que a bebida foi a responsável pelos problemas de saúde dele. Wilson alega, por meio de atestados de laboratório e médicos, que havia restos de ratos nas garrafas.

Segundo Wilson, um representante da empresa foi até a casa dele e pediu que entregasse as garrafas de Coca-Cola. Ele decidiu manter algumas delas – a garrafa que ele já tinha consumido e a que havia identificado um objeto estranho, que seria uma cabeça de rato. Para conseguir alguma resposta da empresa e da Justiça, Wilson já fez até greve de fome.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Marcos Antonio disse:

    Aqui nesse mundo só não tem jeito para a morte, o resto tudo se dá um jeito, sabe lá , se não fora sabotagem de algum colaborador da época com raiva da empresa para denegrir a imagem da mesma, existem mil possibilidades para o fato ocorrer, ou vocês acham que o cara queria ficar doente daquele, acabou a vida dele, e para a galera que não acredita, entao tomem aquela coca que aquele sr. tomou para vê se ta boa mesmo, facil falar, mas tem que ter coragem para fazer!!!! eu tomava refirgerante em geral e agora não tomo mais.

    • Ribeiro disse:

      tanto é que o caramelo da coloração da coca cola é mais forte aqui no Brasil do que nos outros pais pro que la é primeiro mundo.

  2. Karla disse:

    Conheço um caso que encontraram uma rã. Isso é verídico! Uma idosa que mora em Ponta Negra estava tomando e quando terminou a latinha percebeu que continuava com alguma coisa dentro. Quando abriram a lata, tinha uma rã.

    • global disse:

      já trabalhei em uma fábrica da Coca-Cola na manutenção, inclusive regulando a maquina que evita que este tipo de problema aconteça. e digo que é possível sim este tipo de problema acontecer. As garrafas de vidro são retornáveis e vem da rua com muita porcaria, tanto que é comum processos contra a Coca-Cola por parte de pessoas que encontram bitucas de cigarro ou papéis ou chicletes dentro de garrafas. o que acontece é que para aumentar a produção, o sistema automático de inspeção é burlado ou muitas vezes mal regulado. Já se fosse uma garrafa pet eu diria que é quase impossível que isso aconteça, a não ser em caso de sabotagem. mas como é uma garrafa de vidro retornável é quase certo que a história seja verdadeira.

  3. joao disse:

    Olha ,fizero uma analise e a justica não aceitou,o lacre não foi violado?e como ele tomou o refresco?ele ao abrir a garrafa não viu na hora que havia algo de errado?tenha do,alguém mostrou o laudo?
    Tem gente que acha que só o denunciante tem direito,o denunciado também tem ,eu não to muito confiante nesta historia não.

    • Joao disse:

      Bem,a industria do cigarro fez a mesma coisa,dizendo que o cigarro não faziam mal a saúde. o absurdo é que tribunais deram o parecer a favor da industria do tabaco, e anos depois teve a afirmação que o cigarro tem varias substâncias que viciam e pode causar vários tipos de câncer.A coca-cola é do mesmo jeito que vai morrer negado tal fato,pois assumir seriam o mesmo que fechar as portas, sua substância com auto pode acido ao ponto de ser usado para desentupir pia e tirar a ferrugem e limpar os pinos de bateria de carro gente vamos ser sensato que tipo de refrigerante é esse ou será o multi-uso e além do, mas tem amônia com na maioria do refrigerante ,mas que ela pode causar câncer essa bebida faz muito mal para a saúde com ou sem ratos,chiclete,pitoca de cigarros,dentes,pipoca etc.

  4. erica disse:

    Até parece que a Coca Cola vai admitir que isso aconteceu. Uma das marcas mais renomadas mundialmente admitir que em sua linha de produção foi possível cometer um erro grave desses? Hahaha… Vão esperando, é mais fácil o boi dançar tango na chuva do que essa empresa, mesquinha e desumana, assumir esse erro. Fico perplexa com esse fato, e ainda assim tem gente que acha que o cara tá de má fé, é brincadeira né? Foi feita a perícia na garrafa contendo a cabeça de rato e o consumidor foi avaliado por um médico e ambos os casos foi constatado que há veracidade nos fatos. Acontece que a Coca é uma empresa tão poderosa que consegue o apoio de qualquer um para manipular qualquer ocorrido. Isso tanto é verdade que o ministério público na época tentou fechar a fábrica (a qual fabricou as garrafas), mas a Coca “comprou” o juiz e conseguiu mantê-la funcionando. Se nós soubéssemos o que acontece de fato no chão fabril (digo de qualquer empresa que produz produtos alimentícios) não comeríamos e não beberíamos absolutamente mais nada (já presenciei infelizmente alguns comentários de quem já trabalhou nesse ramo e é inacreditável os ocorridos). A Coca por sua vez tem dinheiro e poder suficientes para manipular qualquer orgão (seja ele público ou não), para que esse tipo de assunto não venha a tona e a sujeira continue embaixo do tapete. E agora, esse coitado que se arrasta por 13 anos literalmente falando, sem nenhuma ajuda dessa empresa, a qual deveria pelo menos ter auxiliado o mesmo e procurar oferecer-lhe uma qualidade de vida melhor. Essas empresas, infelizmente, não estão nem aí para o consumidor, só querem ficar bem na mídia, com as ações em alta, sendo disputada por empresários para patrociná-los e sempre ficarem por cima de qualquer suspeita. Me enoja esse tipo de atitude nada humano. Vergonha disso, é a única coisa que consigo sentir quando leio matérias desse tipo.

  5. HUDSON MEDEIROS disse:

    eu acho um absurdo isso porque pelo que vi na materia fizeram uma analise e a garrafa pet que esta com a cabeça de rato segundo a analise esta com lacre de fabrica e não foi violado. então porque a justiça ainda demora em dar causa ganha para esse coitado o brasil precisa urgentimente de um reforma politica nos orgãos desde municipais até os federais porque um negocio desse ha 13 anos e ainda sem solução é brincadeira. é complicado um simples cidadao contra uma multinacional tao rica. mais fazer o que se a justiça sempre ta do lado de quem tem mais . ACORDA BRASIL ASSIM NÃO PODE FICAR

    • Caroline disse:

      Engracado, corroeu o esofago dele e 13 anos depois a cabeça do rato continua ali??
      nao sabia que rato resistia tanto! ACORDA isso e fraude!

    • Patricia disse:

      Então se a garrafa tava lacrada quando analisaram como é que ele bebeu? E depois de 13 anos o rato continua la… quer dizer corroeu o estomago do cara mais o rato não… Vamos ser realistas neh a coca cola assim como outros refrigerantes são feitos em lote não uma a uma deveria então ter um lote contaminado e muitas pessoas teriam sido prejudicadas …

    • Ricardo disse:

      Acorda Brasil, isso é fraude!!! No youtube tem video tutorial de como fraudar litro pet de refrigerante, e é fácil! Na pericia feita no litro com o possivel rato, esse Wilson, 171 total, não deixou os peritos chegarem perto e nem tocar, foi somente visual, essa info está no processo!

Garrafa de Coca-Cola explode e cega comerciante

O Tribunal de Justiça de São Paulo condenou a empresa Spaipa Indústria de Bebidas, uma das fabricantes e distribuidoras da Coca-Cola no Brasil, a pagar R$ 60 mil de indenização ao comerciante Francisco Geraldo Giacominni, além de uma pensão vitalícia no valor de um salário mínimo por mês.

O comerciante de Bauru (329 km a noroeste de São Paulo) perdeu a visão do olho direito em 2001, após ser atingido pela tampa de uma garrafa de refrigerante que explodiu.

Esta é a segunda condenação que a Spaipa sofre em São Paulo pelo mesmo tipo de acidente. Em abril, ela foi condenada a pagar R$ 10 mil por danos morais a um consumidor que teve o olho ferido após a explosão de uma garrafa.

A empresa disse que não se manifestaria se recorrerá na Justiça, porque ainda não havia sido informada da decisão.

Médico descreve lesão em ‘zig-zag’

O médico que atendeu Giacominni escreveu que “a lesão no olho do comerciante é irregular, denteada, ou em zig-zag e perfurante” e concluiu que “somente os ‘dentes metálicos’ da tampa da garrafa poderiam levar a tal ferimento”.

A perícia concluiu que “em condições especiais de temperatura e agitação anterior do frasco, a tampa pode sair com velocidade a ponto de ferir o operador ou pessoas próximas, inclusive atingir os olhos” e que “se submetida a altas temperaturas, a garrafa do refrigerante poderia explodir”.

A empresa alegou, em juízo, que a perícia não foi conclusiva. Em sua defesa, a companhia afirmou que o fato de a garrafa ter continuado cheia de líquido torna improvável a ocorrência do acidente da forma como foi narrada pelo comerciante.

Com base na perícia técnica e nas declarações do médico que socorreu o comerciante, a Justiça concluiu que “só uma enorme pressão do líquido dentro da garrafa poderia ter ocasionado o estouro e danos com hemorragia intensa” e afirmou que o exame feito na garrafa não encontrou “amassamento ou atritamentos metálicos que pudessem sugerir a utilização de qualquer instrumento para a sua abertura”.

Fonte: UOL