Jovem de Recife-PE cria “picalé” para o carnaval e faz sucesso nas redes sociais

Foto: Reprodução/Twitter

A foto de um picolé em formato de pênis está fazendo sucesso nas redes sociais. O “picalé” é criação da cozinheira Tayná Maísa, de 24 anos.

Em entrevista ao Delas, Tayná conta que a ideia do “ picalé ” surgiu em curso de confeitaria que faz em Recife (PE). “A proposta era criar um doce, um bolo ou qualquer outra coisa ligada à confeitaria”, diz. A princípio, ela queria reinventar o tradicional bolo de rolo e fazer um “bolo de rola”. “Mas achei que o bolo não chamaria atenção no carnaval”, fala.

Ela continuou pensando em um doce criativo até que sonhou com o “picalé”. Depois de várias tentativas, Tayná conseguiu colocar a receita em prática e divulgou o resultado em seu Instagram.

Foi aí que o “picalé” conquistou a internet. “Um picolé em formato de bilola, é isso mesmo! Eu também tô passada, mas tu vai perder de chupar, é?”, brinca na legenda da foto.

A cozinheira conta que o picolé é coberto de chocolate meio amargo e conta com recheios variados, incluindo cachaça. “Chupem bastante nesse carnaval !”, diz.

O sucesso foi tanto que mais de 1,2 mil pessoas curtiram a foto do “picale” no Twitter. “Estou muito feliz e chocada. Faz dois dias que eu não durmo direito. Tem gente do Brasil inteiro me mandando mensagem”, revela.

A cozinheira, que pretende vender o produto no carnaval de Olinda e Recife, avisa que a ideia não é não hipersexualizar o corpo masculino, mas, sim, brincar e ganhar dinheiro de forma criativa.

IG

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Francisco disse:

    Damares já tomou conhecimento dessa nova iguaria?

  2. Bento disse:

    Sacanagem

  3. Carlinhos Silva disse:

    BG, deixa de hipocrisia, homi! Aqui no seu blog os comentaristas falam coisas horríveis contra mulheres, esculhambam os homossexuais, destilam em palavras todo tipo de absurdos e xingamento cheios de ódio contra esquerda ou qualquer coisa que não seja a favor do mito de vocês, e agora você esconde um picolé porque tem a forma de uma rola??? Incoerente….

    • Delano disse:

      Pode contabilizar, o maior número de postagem com poder ofensivo vem atacando o presidente Bolsonaro e contra os que desacreditaram da esquerdalha e optaram pelo novo. Somos acusados de facistas, racistas, hofobicos, misóginas… De tudo. Mas se formos comparar os governos, veremos que na prática mesmo, quem mais se aliava a essas práticas eram os petralhas, não existe uma decisão política do Bolsonaro que tenha essas conotações repulsivas. Mas os ataques continuam da esquerdalha não cessam.

  4. David disse:

    Vou inventar vaginalé. Não vai fazer tanto sucesso, melhor que chupo sozinho

Proposta de Walter Alves apresenta projeto que cria outra categoria de habilitação e facilita retirada de CNH

O deputado federal Walter Alves (MDB-RN) apresentou um Projeto de Lei (PL 6367/19) que cria outra categoria de habilitação e facilita a emissão de Carteira Nacional de Habilitação (CNH). “Com este projeto, pretendemos ajudar especialmente os moradores das zonas rurais e de pequenas cidades em todo o país”, explica o deputado.

A ideia do PL foi apresentada a Walter Alves pelo deputado estadual Nelter Queiroz (MDB), e favorece a população com baixo grau de instrução. De acordo com a proposta, a categoria S (Simplificada) permite a condução de veículos somente em municípios com população inferior a 100 mil habitantes e que não façam parte de Região Metropolitana ou de Região Integrada de Desenvolvimento Econômico.

O projeto estabelece que a nova categoria vai ser utilizada por condutor de veículo motorizado de duas ou três rodas cuja cilindrada do motor de combustão interna não exceda a 250 cm³ ou, no caso de motores elétricos, uma potência equivalente.

Ainda de acordo com o PL, o candidato à obtenção do documento de habilitação na categoria S está sujeito a processo simplificado, mantidos os exames de aptidão física e mental e de direção veicular, exame de conhecimento da sinalização de trânsito, facultado o exame oral a pedido do candidato, e fica dispensado de aulas e exames.

Para Walter, parte da população que tem baixo grau de instrução fica inviabilizada de ter acesso à CNH devido às provas escritas de legislação de trânsito. “Nossa legislação priva essas pessoas do direito de, ao menos, tentar demonstrar que são hábeis na condução de veículos automotores de forma segura. Não obstante a exigência legal da CNH para dirigir, temos de reconhecer que a realidade de inúmeras cidades é outra. Independente de possuírem CNH, muitos cidadãos, especialmente moradores da zona rural, trocaram seus cavalos por motocicletas, as quais são o principal meio de transporte em muitos pontos do País”, explica.

O PL prevê ainda que parte dos recursos do Fundo Nacional de Segurança e Educação de Trânsito (Funset) seja destinada ao custeio de habilitações da categoria S, para pessoas de baixa renda.

Tramitação

O projeto, que tramita em caráter conclusivo, será analisado pelas comissões Viação e Transportes; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Predador disse:

    Fala sério. Vá fazer vergonha lá na China… Que coisa mais ridícula. Devia se preocupar em melhorar a formação dos condutores, reduzir custos para se fazer um bom curso de condutor, baixar o preço da carteira, criar o bolsa carteira, sei lá, meu irmão… Essa proposta deve ter saído da cabeça desse pulha quando ele assistia o programa do Chaves. Vá fazer proselitismo político lá na caixa bozó seu encostado usurpador do dinheiro público. Pense num dinheiro mal pago, o desse cara, só perde para o que é gasto com o Rogério Marinho, escória.

  2. Val Lima disse:

    Kkkkkk…. Esse projeto tem o "s" de Sem futuro… Não passa na comissão de constituição e justiça…

  3. Jacques disse:

    Já temos “poucos” acidentes de moto. Imagina facilitando mais o acesso a carta.

  4. LULADRÃO disse:

    Esse Valter Alves é um político da pior espéciE. Uma vergonha para o já sem futuro RN.

  5. Paulo disse:

    BG.
    Esse projeto na nasce morto, eses políticos não tem vergonha na cara.

  6. Brasil Já era. disse:

    Essa CNH deve ser para os coitados dos jumentos puxar carroças, nunca vi uma coisa tão descabida. Vamos dar instrução ao povo e não aceitar a situação em que eles se encontram, típicos dessas turminhas de Alves, Maia, Queiroz e demais outros que não querem educação para o cidadão.

    • Arthur Fernandes disse:

      O deputado Nelter Queiroz com essa proposta S para o deputado Walter Alves, 1° deveria ensinar ao filho ex. Prefeito George Queiroz a "Servir" e não fazer nada errado como ele fez aqui em Jucurutu, que diga o GAECO/MPRN.

Cientista brasileira cria xampu com cafeína para tratar a calvície

Foto: (Reprodução/Thinkstock)

A calvície, que é a perda parcial ou total dos cabelos do couro cabeludo, afeta mais de 42 milhões de brasileiros, segundo a Associação Brasileira do Cabelo. Para trazer uma solução para o problema, a cientista Jackeline Alecrim desenvolveu um xampu com ativo de café que estimula o crescimento de cabelos na região onde for aplicado. Lançado em 2017, o produto recebeu o nome de “Caffeine’s Therapy” e utiliza extrato biotecnológico de café.

Em entrevista a EXAME, a cientista, formada no curso de farmácia pela Faculdade Pitágoras (Ipatinga, MG), comentou que a inspiração inicial para o produto foi o fato de existirem muitos artigos científicos sobre o uso benéfico do café no cabelo.

“A cafeína isolada sempre foi ressaltada como um ativo que beneficia o ciclo capilar. Ao invés de isolar a cafeína, fizemos o dermocosmético utilizando um extrato concentrado de café para aumentar a eficácia”, explicou Jackeline.

Desenvolvido, em maior parte, com recursos próprios, o xampu foi a forma pensada pela facilidade de absorção que proporciona ao couro cabeludo. De acordo com Jackeline, os voluntários que participaram dos testes iniciais observaram melhorias no crescimento logo após o primeiro uso.

A cientista, que estudou o processo do produto por quatro anos, disse que é importante acertar a concentração do café. “Meus estudos demonstraram que, na concentração correta, o extrato que desenvolvemos teria eficácia muito maior do que o que existia no mercado. Por isso fomos o primeiro grupo de pesquisa a obter resultados significativos com a cafeína com ação beneficiada para o tratamento da alopecia [queda capilar]. Durante quatro anos de estudo, mais da metade deste tempo foi tentando encontrar a concentração ideal para estimular o efeito de crescimento capilar e combate a calvície, pois em concentração errada poderia promover a queda em vez do crescimento”, disse a cientista.

O produto foi patenteado em 2017, e é vendido pela empresa criada por Jackeline, chamada Magic Science. A empresária e cientista informou que a empresa está aberta a realizar exportações do xampu, devido ao número crescente de clientes no exterior. O produto teve 100% de eficácia antiqueda nos testes exigidos pela Anvisa com redução da queda, estímulo no surgimento de novos fios e no crescimento capilar, algo único em todo o mundo”, declarou.

Para utilizar o produto, basta usar como um xampu comum e massagear a região de 3 a 5 minutos, enxaguando o local após o tempo determinado. O xampu é vendido no site oficial da empresa de Alecrim, por 124,90 reais, e em demais sites de revenda, com preços variando de 90 até 100 reais.

Exame

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gustavo disse:

    Como eu fasso pra fazer o pedido do champoo

  2. Genildo disse:

    Pois, se há alguém interessado como fazer para obter o shampoo? Pois aqui não diz o nome do shampoo e nem o site oficial para adiquiri-lo.

  3. Selma disse:

    É o presidente corta cada dia mais verba destinada a educação. Sucateando cada dia a educação do país. Ele acha que todos tem que ser igual a ele e filhos, que não sabem se expressar e não tem raciocínio lógico.

Brasil cria 644 mil empregos formais em 2019, melhor resultado em 6 anos, e todas as regiões registraram mais contratações do que demissões

O Brasil criou 644.079 empregos com carteira assinada em 2019, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta sexta-feira (24).

O número resulta da diferença entre as contratações, que totalizaram 16.197.094 no último ano, e as demissões – que totalizaram 15.553.015 pessoas.

Esse foi o segundo ano seguido de geração de vagas formais e, também, o melhor resultado desde 2013 – quando foram criados 1,117 milhão de empregos com carteira assinada. Deste modo, é o maior número de vagas formais abertas em seis anos.4

De acordo com o secretário de Trabalho do Ministério da Economia, Bruno Dalcolmo, o aumento na criação de empregos formais, em 2019, é “mais um sintoma de retomada da economia brasileira e da confiança do empresariado na política econômica do governo”.

“A indústria, depois de anos registrando dados negativos, voltou a reagir, puxada também pela construção civil”, acrescentou. Segundo ele, a indústria fechou vagas entre 2014 e 2017 e, no ano de 2018, abriu 2.610 vagas, com desempenho “praticamente estável”. Em 2019, criou 18 mil empregos formais.

Empregos formais

Com a criação de empregos formais em 2019, o Brasil fechou o ano com um estoque de 39,05 milhões de empregos formais existentes. No fim de 2018, o saldo de empregos formais estava em 38,43 milhões de vagas.

O resultado de 2019 representa o estoque mais alto, registrado no fim do ano, desde 2015 – quando 39,23 milhões de pessoas ocupavam empregos com carteira assinada.

Em dezembro de 2019, porém, houve fechamento de vagas. Esse é um mês que tradicionalmente há demissões de trabalhadores com carteira assinada.

Em dezembro do ano passado, foram fechadas 307.311 vagas formais. No mesmo mês de 2018, por exemplo, as demissões superaram as contratações em 334.462 vagas.

Ano de 2019 por setores

De acordo com os números do governo, os oito setores da economia abriram vagas no ano passado. O setor de serviços foi o que mais criou empregos, e a administração pública foi o setor que contratou menos trabalhadores.

Veja abaixo os resultados:

Construção civil: 71.115 postos
Indústria de transformação: 18.341 empregos
Indústria extrativa mineral: 5.005 postos formais
Serviços industriais de utilidade pública: 6.430 vagas
Administração pública: 822 empregos
Comércio: 145.475 vagas formais
Agropecuária: 14.366 vagas
Serviços: 382.525 empregos

Regiões do país

De acordo com o Ministério da Economia, todas as cinco regiões do país registraram mais contratações do que demissões no ano passado.

Região Sudeste: 318.219 vagas abertas
Região Nordeste: 76.561 vagas criadas
Região Norte: 32.576 vagas abertas
Região Centro-Oeste: 73.450 vagas criadas
Região Sul: 143.273 vagas abertas

O governo informou ainda que as 27 unidades da federação criaram empregos formais no ano passado.

A abertura de vagas no ano foi liderada por São Paulo (+184.133), seguido por Minas Gerais (+97.720) e Santa Catarina (+71.406 vagas). Os estados que menos criaram vagas no ano passado foram Amapá (352), Acre (353) e Alagoas (731).

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bolinha perço. disse:

    Chupa Lula!
    Kkk
    Lula ta solto!!!
    E fudido.
    Kkk

    • pietra disse:

      Tudo motorista de aplicativo e entregadores de comida (que não tem direitos e trabalham 20h por dia)…belo "emprego"…gado!…muuuuuuuuuuu

UFRN cria novo combustível

Foto: Reprodução

Um novo combustível, com emissões mais limpas e comparado com o diesel mineral, desenvolvido por meio de um processo de formulação que requer um curto tempo de preparação e utiliza materiais de baixo custo, esse é o resultado da pesquisa desenvolvida na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) pelos pesquisadores Tereza Neuma de Castro Dantas, Manoel Reginaldo Fernandes, Eduardo Lins de Barros Neto, Igor Micael Alves Uchoa e Afonso Avelino Dantas Neto. Com o título de Formulação de Combustíveis Microemulsionados à Base de Diesel Glicerina, o estudo resultou também na obtenção da 21º carta-patente da UFRN, no mês de dezembro. Um dos cientistas responsáveis pela descoberta, Igor Micael Alves Uchoa, explica que a eficiência energética similar, com ganho da lubricidade e das emissões, são atrativos para a utilização da nova formulação.

“A patente consiste em uma nova formulação de um combustível diesel, com a inserção de glicerina, fruto de resíduo do atual processo de formulação. Em linhas gerais, ao parar em um posto de combustível, um ônibus ou caminhão, por exemplo, abastece com um combustível que é formado por 90% de diesel mineral e 10% do biodiesel. O biodiesel, no seu processo de produção, após a reação entre um óleo ou uma gordura de origem vegetal ou animal, gera o biodiesel em si e a glicerina, normalmente também em uma proporção de 90% e 10%. Então, com a nossa formulação, há uma destinação para esse resíduo, pois devolvemos a glicerina para ser aproveitada, sem descarte”, explicou Igor Uchoa, que desenvolveu a pesquisa durante o Mestrado em Engenharia Química na UFRN e que recentemente concluiu o doutorado no mesmo Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química.


Imagem ilustrativa – Cícero Oliveira

Atualmente, lecionando no Instituto Federal da Bahia, ele pontuou que o mercado já não consegue absorver essa glicerina fruto do processo, apesar da aplicação na indústria de cosméticos e alimentícia. Para ele, a pesquisa se encaixa justamente em dois pontos: dar uma destinação à glicerina e melhorar o combustível mineral, no caso o diesel. Igor Uchoa acrescentou que as indústrias automobilísticas e distribuidoras de combustível são potencialmente interessadas nesse processo, haja vista que, de acordo com a nova legislação, até 2023, o percentual de biodiesel no diesel terá incremento de 50% em relação aos números atuais. “Portanto, haverá um grande crescimento da demanda, sobretudo na hipótese concomitante de crescimento econômico. Solucionando os inconvenientes no descarte do excesso de glicerina gerada na produção do biodiesel, casado com o aumento da qualidade lubrificante e a menor emissão de poluentes, há condição de puxar o preço para baixo com a utilização desses outros componentes”, colocou.

Devido aos resultados promissores da nova tecnologia, o diretor da Agência de Inovação (AGIR) da UFRN, Daniel Pontes, pontuou que a equipe da unidade buscará transformar a tecnologia em produto rentável, disponibilizando-o para uso e benefício da sociedade, por meio do investimento da iniciativa privada. Sobre o procedimento para o processo de patentear, o diretor acrescentou que podem ser registradas invenções que atendam requisitos de novidade, atividade inventiva e aplicação industrial, bem como modelos de utilidade que sejam objeto de uso prático, ou parte desses, e que sejam suscetíveis de aplicação industrial.

Pesquisadora Tereza Neuma é uma das responsáveis pelo projeto – Cícero Oliveira

“Patentear um processo ou produto tem importância para garantir os direitos de quem os desenvolveu e, assim, garantir os méritos e direitos sobre o trabalho. Porém, o mais importante e gratificante seria repassar os conhecimentos para o setor produtivo e fazer com que a invenção se torne útil à sociedade. Mas essa etapa não tem sido fácil, pois as empresas dificultam muito essa aquisição e, assim, as patentes ficam estocadas aguardando oportunidades”, colocou a cientista Tereza Neuma de Castro Dantas. Além de ser uma das patenteadoras nessa invenção, ela também integrou a equipe responsável pela primeira patente concedida à UFRN, no ano de 2014.

Daniel Pontes acrescentou, por sua vez, que as orientações e explicações a respeito dos requisitos para patenteabilidade de um resultado de pesquisa são dadas na própria AGIR, unidade criada em 2007, inicialmente sob a nomenclatura de Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT), e localizada no segundo piso do prédio da Reitoria. Entre suas atribuições, a Agência de Inovação é responsável pela gestão da propriedade intelectual, transferência de tecnologia e ambientes promotores de inovação na UFRN, acompanhando e estimulando, por exemplo, as atividades das incubadoras da universidade, bem como as atividades dos parques e polos tecnológicos. Fruto do trabalho, a UFRN alcançou, em 2019, números proeminentes para a realidade do Nordeste, o que a situou em 13º no país quanto ao número de patentes pedidas pela universidade, de acordo com o Ranking Universitário da Folha (RUF), divulgado no mês de outubro. Além disso, com 21 cartas-patente concedidas, a UFRN é a universidade líder no Norte-Nordeste, à frente de instituições com Índice Geral de Cursos similares ao seu, como a Universidade Federal do Ceará, a Universidade Federal de Pernambuco e a Universidade Federal da Bahia.

Igor Micael Alves Uchoa explica que a eficiência energética similar, com ganho da lubricidade e das emissões, são atrativos para a utilização da nova formulação.

Com informações da UFRN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. François Cevert disse:

    Balburdia e das grandes, parabéns a instituição, aos pesquisadores e seus professores, mestres e doutores !!!

  2. Bento disse:

    Fazendo o dever de casa
    Foram formados para isto.
    Nada além de obrigação
    E olhem que estavam devendo bons resultados psra valer p investimento que não é abaixo.
    Era para admirar se fosse eu um leigo a fazer tal descoberta.

  3. verdade disse:

    OUTRA VERDADE – BOLSONARO É UM PESADELO
    Como disse o Neurocientista Sidarte Ribeiro "o Bolsonaro é um pesadelo" devido as intervenções para paralisar as universidades públicas.
    Mas não foi isso que aconteceu. As nossas universidades públicas conseguiram gerar produção de conhecimento e criar novos produtos e resultados. Nossa performance aqui em nosso RN, sem tirar as nossas limitações, é ESPETACULAR.
    Parabéns aos Cientistas a Graduação das Universidades Públicas e parabéns a RESISTÊNCIA e continuidade da LUTA.
    A Luta continua os retrocessos e ataques ao povo do Governo Bolsonaro.

    • Silvio disse:

      Com um ano de governo já descobriram nova fonte energética?

    • Bento disse:

      Parabéns a todos
      Foi só o Mito assumir para mostrarem serviços
      Competência tem muita, são preparados, afinal a federação investiu bastante em seus conhecimentos.
      É que ser petista dá uma preguicinha.

  4. djailson disse:

    uma maravilha, mais onde anda a pesquisa pioneira do professor Nicanor para caros movidos a água dos anos 70 . o galaxie dele era o protótipo e funcionava. por que não desengavetar o projeto? (dizem que foi a Petrobras e os Árabes que patrocinaram o boicote a ideia nos anos 70)

    • Minion de Peixeira (PhD) disse:

      Não existe carro movido a água. Existem sistemas que fazem a eletrólise dá água para extrair o hidrogênio que é queimado (normamente voltando a se combinar com o oxigênio, o que dá uma explosão da mulesta e voltar a se ter… água). Só que para tirar o H se gasta mais energia do vai se aproveitar movendo o carro. Violar isso é querer criar um moto-perpétuo. Viola as leis da termondinâmica.

    • Minion de Peixeira (PhD) disse:

      E nesse processo o motor vai perdendo energia para o meio, como por exemplo, emitindo calor energia cinética, que não vão ser reapreoveitados na eletrolise (ou processo que o valha).

  5. 357 disse:

    Parabéns aos Pesquisadores, fazer Ciência neste país não é fácil, tarefa de gigantes. PARABÈNS UFRN!!!!!!!

  6. cigano lulu disse:

    Parabéns aos pesquisadores. A pesquisa, a ciência, o estudo, são o caminho para o país se desenvolver, cabe ao governo incentivar sempre esse tipo de situação.

  7. Jadson disse:

    Será que vai aparecer alguém pra criticar? Daqui a pouco vem os despeitados falar mal.
    Eu nunca estive na UFRN, por pura incompetência/falta de estudo, mas admiro muito a grande capacidade de pesquisa.
    Orgulho do estado, um grande viva pra federal do RN!!!

    • Sebastião disse:

      Tá perdoado pela ignorância. Ninho petralha é muita enrolação, faz de conta e CANALHICE muita

  8. Diogo disse:

    WOW!

Governo cria grupo para atuação imediata em grandes desastres

Foto: Antonio Cruz / Agência Brasil

O Ministério da Justiça e da Segurança Pública criou uma estrutura especializada para atuar em grandes tragédias, informa Helena Mader na Crusoé.

O Grupo para Resposta a Desastres (GRD) será ligado à Força Nacional de Segurança e vai trabalhar em situações de calamidade causadas por ventanias, alagamentos, inundações ou enchentes, incêndios florestais, rompimento de barragens e em outros desastres que ultrapassem a capacidade de resposta das autoridades locais.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bento disse:

    Presidente com ações digno de "OSCAR".
    Sempre atuante e preocupado com a população brasileira.
    E isto sem roubar como fazia ps comunas anteriores se dizendo que fazia isto para acabar com a fome.
    Obrigado Presidente Jair Messias bolsonaro.

FOTOS E VÍDEO: UFRN cria aplicativo que indica postos com combustíveis de qualidade

Fotos: Cícero Oliveira

Combustível Nota Dez, esse é o nome da nova ferramenta criada pela UFRN para ajudar o cidadão do Rio Grande do Norte a abastecer com segurança. Por meio desse aplicativo gratuito, o consumidor saberá quais postos mais próximos de sua localização foram atestados com combustíveis de qualidade. A adesão ao projeto é voluntária por parte dos empresários que submetem suas empresas a duas testagens surpresas a cada mês. Apenas os postos com todos os combustíveis aprovados ficam visíveis no aplicativo.

A proposta dos pesquisadores Valter Fernandes e Antônio Araújo, ambos do Laboratório de Combustíveis e Lubrificantes (LCL), do Instituto de Química da UFRN, começou a funcionar recentemente, mas já tem ao menos sete postos cadastrados em Natal, Macaíba, Ceará Mirim e São José do Mipibu. Como é novidade, a expectativa é que esse número cresça nas próximas semanas.

Desde o ano 2000, o LCL é o único do RN e Paraíba credenciado pela Agência Nacional de Petróleo (ANP) para realizar a testagem de combustíveis para o Programa de Monitoramento da Qualidade dos Combustíveis e Lubrificantes do governo federal. Por sua qualidade internacional, o LCL está concorrendo à certificação ISO 17025, que atesta os requisitos gerais para competência de laboratórios de ensaio e calibração. Além disso, está atrelado aos programas de pós-graduação da UFRN contribuindo para a formação de profissionais, mestres e doutores que atuam na área de petróleo.

Para Antônio Sales, empresário do ramo de combustíveis e presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do RN (Sindipostos/RN), esse projeto oferece benéfico para todos. “Tanto para o empresário, que pode mostrar ao consumidor que seu produto é de qualidade, como para o consumidor que tem a certeza de estar abastecendo em um posto de combustível legal, bem como para a sociedade em geral, porque quando vendemos combustível sem adulteração, não interferimos na arrecadação do Estado”, afirma.

O pesquisador Valter José Fernandes lembra que o combustível pode ser alterado de várias maneiras, seja pela adição de solventes, pelo excesso de álcool na gasolina ou pelo alto teor de enxofre, no caso do óleo diesel de má procedência. Além de aumentar a poluição do ar, um combustível adulterado pode provocar aumento do consumo, danos no motor, válvulas e bicos injetores. Em casos mais extremos, provoca superaquecimento que leva a interrupção do funcionamento dos mecanismos e até a incêndio do veículo.

Laboratório

O Laboratório de Combustíveis e Lubrificantes da UFRN, vinculado à Fundação Norte-Rio-Grandense de Pesquisa e Cultura (FUNPEC), está localizado no Instituto de Química, no Campus Universitário em Natal/RN. O LCL foi o primeiro laboratório instalado em uma universidade pública do Norte-Nordeste, sendo considerado referência nacional. Nos últimos 19 anos, os pesquisadores percorreram mais de 2 milhões de quilômetros coletando mais de 100 mil amostras de combustível para a ANP.

O Instituto de Química da UFRN, com fundação 1968, como Departamento de Química, é um dos mais bem conceituados do país. Atua nas áreas de Ensino, Pesquisa e Extensão, sendo a unidade acadêmica responsável pelos cursos de Química Bacharelado, Química Licenciatura, Química do Petróleo e o Programa de Pós-graduação em Química, com cursos de Mestrado e Doutorado recomendados pela CAPES.

Conheça mais sobre o LCL.

Com informações da UFRN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Luiz disse:

    Baixei na boa!

  2. Jgomes disse:

    Aplicativo não disponível

  3. Cezario disse:

    Tentei baixar na Apple Store o aplicativo "Combustível Nota Dez" e a Apple Store retornou mensagem dizendo "Aplicativo não encontrado!

Bolsonaro cria a primeira estatal de seu governo, a NAV Brasil

Foto: Marcos Corrêa/PR

Em uma vitória da ala militar do governo frente a uma equipe econômica de viés privatizante, o presidente Jair Bolsonaro sancionou a criação da primeira estatal federal desde 2013: a NAV Brasil Serviços de Navegação Aérea, responsável pelo controle do espaço aéreo do País. O texto sancionado está publicado no Diário Oficial da União (DOU) de hoje.

É a primeira empresa pública criada pela União desde 2013, quando a ex-presidente Dilma Rousseff criou a Agência Brasileira Gestora de Fundos Garantidores e Garantias (ABGF).

A NAV resulta da cisão da Infraero, que administra aeroportos públicos como Congonhas (SP) e Santos Dumont (SP), e ficará com as receitas das tarifas de navegação aérea. Ela será vinculada ao Ministério da Defesa, por meio do Comando da Aeronáutica, e herdará cerca de 2 mil empregados da Infraero que já atuam na área de controle de tráfego aéreo.

Mas as transferências de empregados podem superar esse número. Apesar da recomendação do Ministério da Economia, Bolsonaro manteve o artigo 23 da lei, que permite a transferência de todos os empregados da Infraero em caso de “extinção, privatização, redução de quadro ou insuficiência financeira”. Para isso, bastará a solicitação de “qualquer órgão da administração pública direta, indireta ou autárquica, mantido o regime jurídico”.

Os empregados da Infraero entram por concurso público, mas no regime de CLT. Apesar disso, um acordo coletivo firmado em 2011, quando o governo começou a privatizar aeroportos, concedeu estabilidade aos empregados até o fim de 2020.

Com a intensificação das concessões de aeroportos à iniciativa privada nos últimos anos, os funcionários temiam ficar sem emprego e atuaram para emplacar uma emenda que protegesse a categoria, durante tramitação da proposta no Congresso.

Hoje, já são 22 aeroportos privados, entre eles Guarulhos, Campinas, Brasília, Galeão, Confins, Natal, Fortaleza, Porto Alegre, Salvador e Florianópolis. O governo Bolsonaro também leiloou 12 aeroportos neste ano, divididos em blocos regionais no Nordeste, Centro-Oeste e Sudeste.

Os empreendimentos privados têm liberdade para contratar empregados que não sejam da Infraero, e o governo já havia sinalizado que esses funcionários poderiam ser dispensados ao fim do prazo do acordo coletivo.

A Medida Provisória que criava a NAV foi enviada ao Congresso pelo ex-presidente Michel Temer em 20 de dezembro. Em 22 de maio o governo Bolsonaro revogou a proposta que criava a NAV, por meio do envio de outra Medida Provisória, pois a matéria estava trancando a pauta de votações da Câmara.

Depois que o problema foi resolvido, a MP foi “ressuscitada” e aprovada numa tramitação relâmpago: como ela perdia validade em 27 de setembro, a Câmara aprovou a proposta no dia 25 de setembro, e o Senado, no dia 26. A MP da NAV foi relatada pelo senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), o filho 01.

Privatizações

Antes da sanção presidencial, o secretário especial de Desestatização do Ministério da Economia, Salim Mattar, que trabalha para reduzir o número de estatais, criticou a criação da NAV. Disse que a empresa era “coisa do governo passado” e disse que sua criação não estava garantida. Deputados do Partido Novo ligaram para Mattar para se orientar. Eles tentaram obstruir a proposta, mas não tiveram sucesso.

De janeiro a setembro, o governo vendeu ativos estimados em US$ 23,5 bilhões, ou R$ 96,2 bilhões. A conta considera desinvestimentos – venda de subsidiárias vinculadas a empresas-mãe, como a TAG e a BR Distribuidora, da Petrobras -, concessões de aeroportos, terminais portuários e de um trecho ferroviário, além de campos de petróleo.

Até agora, nenhuma estatal federal de controle direto da União foi privatizada durante o governo Bolsonaro.

Estadão

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Canindé Lima disse:

    Realmente!
    O PT sempre dava satisfação aos contribuintes brasileiros! Aliás, respeito! Era essa a postura do PT, sempre prestando contas aos contribuintes, ATÉ MESMO das propinas, desvios de dinheiro, petrolão, mensalão, etc. etc…

    Oh PTrakhada honesta!

  2. Sergio disse:

    DEPOIS DE CRIAR UM PARTIDO, O ANEL (Aliança Nacional) PARA PEGAR UM FUNDO PARTIDARIO, AGORA VEM O NAV PARA PROTEGER A TERRA PLANA E GARANTIR PAZ NO LARANJAL SOB AS BÊNÇÃOS DE JESUS NO OIO DA GOIABEIRA.

  3. Alacaa disse:

    +1 Estatal, liberal só na lorota.

  4. Fato sem partido disse:

    Isso é solicitado a mais de 20 anos e ignorado pelo governo.
    Já provaram que existem vários ponto de navegação aérea no Brasil que são "cegos", os radares existentes perdem o avião e é uma situação temerária, exposta a muitos anos sem qualquer providência do governo.
    O texto tendencioso e que tenta difamar o governo que está tendo o compromisso de atender a solicitação e principalmente, acabar com o perigoso problema no controle do tráfego aéreo, recebe a taxação de ser privatizante , mas vai criar uma empresa estatal. Quanta distorção.
    Aí vem os cultos e conhecedores dos assuntos, dão seus palpites desconexos e ficam se achando senhor da razão. Esse país precisa ser passado a limpo, está invertido em valores, conceitos e começa a ser colocado de cabeça para baixo diante da insegurança jurídica produzida.

  5. Anti-Político de Estimação disse:

    "Em uma vitória da ala militar do governo frente a uma equipe econômica de viés privatizante,……"????? .
    Qualquer governo democrático daria, no mínimo, uma satisfação ao contribuinte que o sustenta.

RETOMADA DO TRABALHO FORMAL: Maioria das capitais cria empregos com carteira assinada

Foto: Agência O Globo

Mais da metade das capitais brasileiras já vivencia a retomada do emprego formal. Levantamento feito pela consultoria Tendências, a pedido do GLOBO, mostra que, nos oito primeiros meses do ano, o saldo de vagas com carteira assinada foi positivo em 14 delas, considerando os 26 estados e o Distrito Federal.

A recuperação do mercado de trabalho tem seu maior entrave no Nordeste do país — onde oito das nove capitais registraram mais fechamentos do que criação de vagas no período — e em dois estados que enfrentam grave crise fiscal: Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro.

No primeiro, a capital, Porto Alegre, teve um saldo de 2.385 postos formais fechados. Já a capital fluminense perdeu 8.072 empregos com carteira, ficando em último lugar no país.

Também registraram fechamento de vagas formais Florianópolis, em Santa Catarina, e duas capitais da Região Norte: Belém do Pará e Macapá, no Amapá.

Na outra ponta do ranking aparece São Paulo. A cidade gerou 58.889 empregos com carteira assinada. Em seguida vem Belo Horizonte, com a criação de 17.085 postos.

O economista e professor da UFRJ João Saboia destaca que a situação do Norte e Nordeste está atrelada ao nível de desenvolvimento dos mercados de trabalho locais:

— Nestas duas regiões, o mercado de trabalho tem muita informalidade. Os empregos formais, em sua maioria, estão ligados à administração pública. Ao passo que o Sudeste tem mercados mais desenvolvidos, uma maior participação de empresas privadas. Isso explica a geração de empregos formais.

No Rio, comércio fechou vagas

Uma exceção na Região Sudeste, o Rio sofre com a crise financeira, que afeta quase todos os setores da economia. A indústria, a construção civil, a agricultura e o comércio apresentaram nos oito primeiros meses do ano resultados negativos na contratação de profissionais com carteira assinada.

O caso que mais chama atenção é o do comércio: até agosto, a cidade teve um saldo de 8.645 postos formais fechados. O segundo setor com mais vagas encerradas foi a indústria: 2.031 postos. A construção ficou perto da estabilidade, com saldo negativo de 42 vagas, ao passo que as atividades ligadas à agricultura registraram fechamento de 128 postos. O único setor que teve resultado positivo foi o de serviços, que gerou 2.774 empregos.

— O setor de serviços responde mais facilmente a sinais de recuperação da economia. Além disso, é um setor muito influenciado pelo consumo das famílias, que, embora não esteja tão forte como em anos anteriores, ainda contribui para que a economia demonstre algum crescimento — destaca Rayne Santos, economista da Tendências. — A construção civil, entretanto, demanda um ambiente com sinais mais concretos de retomada da atividade econômica e de menos incertezas. Por isso, ainda leva um pouco mais de tempo para que os números sejam positivos.

Para especialistas, a geração de vagas formais no Rio, especialmente no comércio, foi prejudicada pela crise fiscal, mas também pelo encarecimento dos imóveis comerciais.

— Com o Estado endividado, os salários foram atrasados. A consequência deste cenário foi a redução da circulação de dinheiro na economia local, uma vez que as pessoas estavam consumindo menos. E o comércio, que é um dos motores do emprego formal, foi bastante afetado pela crise — ressalta Maria Andreia Lameiras, técnica de planejamento e pesquisa do Ipea.

Patricia de Araújo, de 48 anos, trabalhou durante 15 anos em uma empresa do ramo de transportes. Há dois anos, por conta de problemas financeiros da empresa, foi demitida. Desde então, não conseguiu voltar ao mercado formal e hoje trabalha por conta própria, fazendo consultoria:

— Quando fui demitida, procurei emprego com carteira assinada. Mas, como não encontrava e precisava me sustentar, comecei a trabalhar como freelancer.

Controle das contas

Bruno Ottoni, economista e pesquisador da consultoria IDados, destaca que as projeções para a economia em 2020 apontam para um crescimento mais consistente do que o visto em 2019. Diante deste cenário, ele pondera que o Rio pode ser beneficiado pelo crescimento do país como um todo.

— Com a economia do Brasil avançando, a tendência é que os estados também apresentem melhoras em seus indicadores, como o de geração de vagas formais.

Ele diz, porém, que a perspectiva de melhora do mercado de trabalho no Rio depende do controle das contas públicas e do recebimento de royalties do petróleo:

— Caso o Rio saia do Regime de Recuperação Fiscal ou perca royalties do petróleo, a situação financeira da região pode ficar complicada e, como consequência, a geração de empregos formais pode não ser retomada.

O economista e professor da FGV Mauro Rochlin lembra que, no período de fim de ano, o comércio costuma abrir vagas por causa das festas. Ele ressalta, porém, que uma melhora nos indicadores de emprego depende de sinais mais fortes e consistentes da economia.

— Para que o comércio volte a contratar de forma constante, é preciso melhorar o acesso ao crédito para os consumidores. Além disso, é necessário que empresários e consumidores tenham sinais mais concretos de uma melhora da economia para que, assim, as empresas façam investimentos e as famílias voltem a consumir mais.

O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. BC3331986GAC disse:

    Aqui no Hell Grande Da Morte está tudo bem, o SINE anunciou " 8 vagas " de Empregos para todo Estado, é emprego que não acaba mais….KKkkkkk

VOCÊ NÃO LEU ERRADO: Advogada cria PTinder para namoro de pessoas de esquerda; serviço vai começar no Instagram e depois será lançado aplicativo

A advogada Maria Goretti Nagime, do grupo Prerrogativas, está criando o PTinder, uma página para promover namoros entre pessoas de esquerda.

Ela vai começar com uma página no Instagram e em seguida lançará um aplicativo.

DETALHE 

A ideia surgiu depois que um amigo ficou na fossa por ter levado um fora. Maria resolveu ajudá-lo divulgando uma foto dele em suas redes. Disse que era advogado, diretor de escola técnica, bom papo e “de esquerda”. “Por incrível que pareça, foi o que mais atraiu as mulheres”, diz ela.

É O AMOR

A página terá ainda um quadro que se chamará “Partidão de Esquerda”, com pequenas entrevistas com pessoas “solteiras ou em um relacionamento aberto ou confuso” que estejam buscando um novo amor.

Mônica Bergamo – Folha de São Paulo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Carlos disse:

    Eita delicia! Tá tá tá pegando fogooooo!!!! kkkkkkkkkk

  2. Fernando disse:

    Isso é o mais puro preconceito e discriminação. Aí está um tipo de discriminação descarada, e que o MP poderia instaurar de imediato um processo criminal contra esses preconceituosos, inclusive os que ja estão no aplicativo.

  3. Roberto disse:

    kkkkkk QUEM DIABOS VAI QUEREM CRUZAR COM ESSA GENTE!!!

  4. Genaro disse:

    Tão aceitando ômi procurando muié? Ou é só ômi cum ômi e Muié cum Muié?

  5. Daniel disse:

    Ótimo, só assim eles não se reproduzem!!

  6. Juvenal disse:

    Tenho um jumento viúvo lá no meu sítio, vou cadastrá-lo nesse serviço.

  7. Jandira disse:

    Tem que criar um novo hospício parar internar estas pessoas de esquerda…. fazem o mal coletivo e ainda acham graça… por que não vão logo pra China, Coréia do Norte, ou simplesmente pra Venezuela?

  8. Aprígio disse:

    Muito bom!!!
    Aí depois casem e vao morar na VENEZUELA.

  9. Manoel disse:

    KKK, essa esquerda gosta mesmo de segregar as pessoas!

“LIBERDADE”: Bolsonaro assina MP que cria carteira de estudante digital gratuita; entenda em 8 pontos

Cerimônia de assinatura da carteirinha de identificação estudantil — Foto: TV Globo

O presidente da República, Jair Bolsonaro, assinou nesta sexta-feira (6) uma medida provisória que cria uma carteirinha estudantil digital. Chamado “ID Estudantil”, o documento valerá para alunos dos ensinos fundamental, médio ou superior.

Entenda em 8 pontos

Emissão será gratuita por meio de lojas de aplicativo no celular

Caixa Econômica vai oferecer o documento físico de graça

Emissão está prevista para começar em 90 dias para o ensino superior e até seis meses para alunos da educação básica

MP não prevê veto à emissão de carteirinhas por Une, Ubes e outras entidades

Estudante que emitir o “ID Estudantil” vai ter que fornecer dados para banco do MEC

Sem citar entidades, Bolsonaro diz que MP é “bomba” e evita que “certas pessoas” promovam o socialismo nas universidades

Em maio, polêmica sobre as carteirinhas levou a demissão do presidente do Inep

Documento permite que estudantes paguem meia entrada em shows, teatro, cinema e outros eventos culturais

Nas lojas em 90 dias

A carteirinha poderá ser baixada gratuitamente nas lojas Google Play e Apple Store. Elas serão usadas na tela do celular, sem necessidade de impressão. Quando for necessário, o documento físico será emitido em parceria com a Caixa Econômica Federal.

Assim como a carteirinha tradicional, o documento permite que estudantes paguem meia entrada em shows, teatro, cinema e outros eventos culturais. A emissão, no entanto, só começa 90 dias após a assinatura da MP e publicação no Diário Oficial.

Segundo o secretário-executivo do MEC, Antônio Paulo Vogel, o prazo de 90 dias descrito na MP deve valer apenas para o ensino superior. Para outras etapas (ensino fundamental, médio, técnico e profissional), o início da emissão pode levar até seis meses, em razão da demanda.

O projeto é conhecido desde a equipe de transição do governo Bolsonaro, que propôs a centralização dos documentos como forma de desidratar o orçamento do movimento estudantil.

Sem citar o nome de entidades, o presidente fez críticas aos representantes dos estudantes e disse que o atual modelo de emissão das carteirinhas colabora com a defesa do socialismo.

“Essa lei de hoje, apesar de ser uma bomba, é muito bem vinda, vem do coração. E vai evitar que certas pessoas, em nossas universidades, promovam o socialismo. Socialismo esse que não deu certo em lugar nenhum do mundo, e devemos nos afastar deles” – Jair Bolsonaro, presidente

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, citou diretamente as entidades estudantis.

“Instituições como a UNE e outras, impregnadas por uma esquerda… O que nós estamos fazendo hoje é libertar cada jovem, cada estudante. Não pagar dinheiro nem para UNE nem para Ubes, para quem quer que seja. Basta acessar a internet e fazer o cadastro”, afirmou o ministro.

Sem entidades

Atualmente, uma lei de 2013 prevê que a carteirinha seja emitida por entidades como a União Nacional dos Estudantes (UNE) e a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes). Ambas cobram R$ 35 pela carteira, além do frete.

Esse serviço é uma das principais fontes de recursos das entidades. A UNE fica com 20% do valor (R$ 7), e a Ubes, com 25% (R$ 10,50). A TV Globo aguarda retorno das duas organizações sobre o número de carteirinhas emitidas nos últimos anos.

Além de UNE e Ubes, a Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG), as entidades estudantis municipais e os diretórios estudantis e acadêmicos das faculdades também podem emitir o documento.

‘Não estuda nem trabalha’

Bolsonaro afirmou que há “muitos estudantes pobres” para os quais o custo atual de R$ 30 para emissão das carteirinhas “faz diferença”. Na sequência, fez contas para mostrar o valor que seria arrecadado pelas entidades estudantis.

“Eu não sei quantos têm carteira no Brasil, vou chutar aqui uns 20 milhões. Se botaram aí R$ 20, vai dar quanto? R$ 400 milhões. Talvez seja um pouco menos, que seja R$ 100 milhões. São R$ 100 milhões que deixam de sair do bolso de quem trabalha, para ir para o bolso de quem não estuda, nem trabalha” – Jair Bolsonaro

O presidente ainda associou a medida à conquista da “liberdade estudantil”.

“Estou feliz também por poupar o trabalho de uma minoria que representa os estudantes. Eles nem vão trabalhar mais, afinal de contas, agora o seu tempo laboral será zero. Não teremos mais uma minoria para impor certas coisas em troca de uma carteirinha”, afirmou Bolsonaro.

O secretário de Ensino Superior, Arnaldo Barbosa de Lima, diz que não vão faltar recursos. “Foi um erro histórico se manter distante dos nossos estudantes, dos nossos clientes. Não faltarão recursos para os nossos estudantes, não contingenciamos recursos da assistência estudantil”, disse Lima, sem citar os bloqueios de recursos para universidades e livros didáticos.

Ministro diz que espera desbloqueio de 1/3 da verba da Educação nos próximos 2 meses
Capes corta 5.613 bolsas a partir deste mês e prevê economia de R$ 544 milhões em 4 anos

Cadastro unificado

No material divulgado à imprensa, o Ministério da Educação afirma que o estudante que fizer a carteirinha digital terá que concordar em ceder seus dados pessoais “para a composição do cadastro unificado e para utilização no ciclo das políticas públicas estudantis”.

Segundo o MEC, esses dados vão compor uma base unificada, junto com informações como o histórico escolar e a frequência do aluno em sala. O ministério pretende usar essas informações, tanto de modo agrupado quando de um aluno específico, para “formular políticas” e acompanhar o desempenho dos estudantes.

Demissão

Em maio, uma polêmica sobre as carteirinhas levou à demissão do então presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Elmer Vicenzi.

O instituto é responsável pelas principais avaliações de grande porte do país, como o Enem e o Revalida. O MEC queria usar o banco de dados dessas inscrições para a emissão dos documentos estudantis.

O pedido de mudança nas regras de sigilo, para que esse acesso fosse liberado, chegou a ser feito por Vicenzi. Representantes de uma diretoria do Inep e da área jurídica emitiram pareceres contrários, e foram exonerados à época.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Azevedo disse:

    Eita porra, lascou as entidades estudantis que pegavam o dinheiro dos estudantes através da emissão da carteira de estudante para torrar com farras e badernas para beneficiar o PT. Medida aceleradíssima do Presidente Bolsonaro.

  2. Amauri disse:

    Socialismo????PQP esse asno relincha e as ienas e papagaios replicam aqui nesse blog as imbecilidades que ele propaga…..PARABÉNS aos jumentos de plantão!

  3. Edilberto Nogueira disse:

    Esse pr ausente é foda!!! Enquanto o PT dava esmola, Bolsonaro tá dando dignidade…..
    Daqui uns anos, vc vai procurar petistas como procura agulha no palheiro….

    • Dias Junior disse:

      Dignidade? Você é sao mentalmente? O Bozo tá destruindo o Brasil e um imbecil como você aplaudindo com as patas. Mas o bom é que durará pouco…

  4. Amo os Minions disse:

    Gostei, vamos acabar com o socialismo nas instituições privadas também. Carteira gratuita acima de tudo e dados pessoais de todos os estudantes para o governo.

    • Robson Levy disse:

      Os petistas de iPhone esquecem que já fornecem todos os dados para todo tipo de aplicativo!

  5. Bob disse:

    Esse é meu patrão!!
    Boa chefe.

Lei cria roteiro turístico-ecológico oficial da cidade do Natal

Contemplada com diversos recursos naturais, a capital potiguar se destaca pela beleza de suas áreas verdes e a preservação da natureza nas quatro zonas administrativas da cidade. Dona de cartões-postais como o Morro do Careca e unidades de conservação como o Parque da Cidade Dom Nivaldo Monte, o Parque Estadual das Dunas e o Bosque das Mangueiras, está em tramitação no legislativo municipal o Projeto de Lei N° 119/2019, de autoria do vereador Fúlvio Saulo (SD), que cria o primeiro roteiro turístico-ecológico da cidade. Segundo o parlamentar, a Lei visa incentivar que as pessoas que visitam a cidade possam conhecer os recursos naturais existentes no município. “Vamos com essa lei agregar as potencialidades turísticas junto ao nosso meio-ambiente, garantindo novas formas de expansão do turismo na cidade e também garantindo a conscientização ambiental. Será a união do ecológico ao com geração de emprego e renda de forma consciente e sustentável”, destacou o vereador Fúlvio Saulo.

Localizado nos limites dos bairros Cidade Nova, Pitimbu e Candelária, o parque da Cidade Dom Nivaldo Monte recebeu recentemente da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), o título de Posto Avançado da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica. Com cerca de 140 hectares de área total, o bioma é responsável pela manutenção e proteção de uma das principais fontes de recarga de água da cidade e destinado ao lazer ecológico, cultural e equipamento estratégico de promoção da educação ambiental.

Para Carlos da Hora que é o gestor do parque, incluir a unidade de conservação no roteiro turístico da cidade é mostrar nossas belezas para o mundo. “É um circuito que se percorre todas as Zonas de Proteção Ambiental da cidade e outros dois pontos, garantindo que a nossa cidade, que possui duas unidades de conservação ambiental, possa mostrar os espaços que garantem a nossa qualidade de vida. Aqui no Parque da Cidade, por exemplo, além das belezas naturais, existe todo um roteiro de trilhas e educação que poderão ser explorados, além de que será possível divulgar as outras Zonas de Proteção da cidade. Com certeza será mais um produto turístico, que vai garantir que os nossos visitantes possam ficar mais tempo na cidade”, ressaltou Carlos da Hora.

NIMAS: Polícia Civil cria Núcleo para investigar mortes de agentes de segurança pública

A Polícia Civil divulgou nesta sexta-feira (02), a publicação de uma portaria no Diário Oficial desta quinta-feira (01), que criou o Núcleo de Investigação Policial de Mortes de Agentes de Segurança Pública (NIMAS), diretamente vinculado à Divisão de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP).

O Núcleo objetiva apurar todas as mortes violentas de agentes de segurança pública e aquelas decorrentes de intervenção policial, ocorridas no município de Natal. O Nimas também irá fortalecer, padronizar e ampliar a coordenação destas investigações. Além da atuação em Natal, o Núcleo realizará controle, coordenação e orientações das investigações, em casos dessa natureza ,que ocorram em qualquer cidade do Estado.

“Pretendemos com a criação do Núcleo aprimorar as investigações sobre as mortes que foram efetivadas contra os agentes de segurança e com isso almejamos uma  redução deste tipo de crime. Nós iremos coordenar, controlar e monitorar todos estes casos e teremos a criação de um banco de dados”, detalhou o diretor da DHPP, Júlio Costa.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cigano Lulu disse:

    Precisa criar "núcleo" coisa nenhuma, é só um gasto desnecessário a mais. O corporativismo ancestral das polícias já é ultrassuficiente para resolver todos os casos envolvendo os bichim.

VÍDEOS: Falha em piscina em parque aquático cria ‘tsunami’ e deixa 44 feridos

Uma falha técnica em piscina de parque aquático em Shuiyun, um popular destino turístico no verão chinês, acabou provocando uma “tsunami”, na última terça-feira (30/7). A enorme onda pegou banhistas – boa parte, crianças e adolescentes – de surpresa e deixou 44 deles feridos.

De acordo com a imprensa local, a onda chegou a 3 metros de altura. O South China Morning Post relatou que um corte de energia danificou o equipamento eletrônico que controla as ondas na piscina, frequentada por centenas de banhistas.

Muitos dos feridos tiveram fraturas e cortes. Alguns continuam internados. A piscina foiinterditada.

Assista abaixo à ‘tsunami’:

Extra

Termo de Cooperação cria rede de proteção para mães no RN que desejam entregar filho para a adoção em maternidade

Foto: via TJRN

Para dar mais segurança à decisão da mãe de entregar o filho para a adoção, no Rio Grande do Norte, diversas instituições assinaram Termo de Cooperação Técnica para consolidar uma rede de proteção às crianças recém-nascidas no estado. A solenidade ocorreu na Presidência do TJRN, reunindo órgãos de Justiça e as Secretarias de Saúde Estadual e a de Natal, na manhã desta terça-feira (21). O termo dispõe a respeito dos procedimentos corretos a serem seguidos pelos profissionais da área, nos casos da decisão da mãe em entregar a criança para a adoção, ainda na maternidade. A articulação foi coordenada pelo juiz José Dantas de Paiva, coordenador da Infância e Juventude do TJ potiguar.

Além do presidente do TJRN, desembargador João Rebouças, e do corregedor geral de Justiça, desembargador Amaury Moura, também estiveram presentes representantes da Secretaria Municipal de Trabalho e Assistência Social, do Ministério Público Estadual e da Maternidade Januário Cicco, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). O presidente do Tribunal, destacou que “esse Termo de Cooperação Técnica representa para o Judiciário o encaminhamento da mãe que pretende entregar o seu filho, que ela tenha a consciência de que esse é um gesto legal, humano e que a equipe interprofissional vai orientá-la a encaminhar essa criança para a Justiça, para a Vara da Infância e Juventude”.

Segundo José Dantas de Paiva, “o convênio surgiu de uma demanda nossa, da Infância e Juventude, no que diz respeito à adoção de crianças e adolescentes, num passado, não muito distante. Chegava uma mãe numa maternidade dizendo que queria entregar o filho para adoção, dizendo que não tinha condições de criar, de imediato eles (profissionais da saúde) assumiam essa situação”.

Por vezes, o que no momento era considerado uma atitude bondosa, gerava problemas futuros, a criança era entregue a um lar que não havia passado por nenhum preparo (em termos de conhecer os processos que envolvem a adoção) e acabava devolvendo a criança ao Judiciário, por perceber que não estavam preparados para acolher a criança. Não apenas isto, a própria mãe que havia concordado em realizar a entrega por vezes se arrependia e desejava recuperar o filho.

Orientação

Buscando evitar situações como esta e tornar a decisão da mãe cada vez mais consciente, José Dantas de Paiva acrescenta que o convênio deseja orientar o “acolhimento de mães que querem entregar os filhos, para que seja um atendimento humanizado, para que ela tenha consciência de que o ato que ela cometeu não é criminoso, pelo contrário, é um ato de amor, porque ela não abandonou, ela entregou o filho para que outras pessoas pudessem adotar”. E também priorizar a adoção para pais que estão no Cadastro Nacional e receberam a preparação necessária e correta para garantir uma adoção de sucesso.

O secretário estadual adjunto de Saúde, Petrônio Spinelli, afirma que a importância de construir uma rede entre os poderes juntamente com a sociedade para tratar de um assunto tão sensível, “para nós é uma alegria muito forte perceber a sensibilidade da Justiça. Um país tão desigual, com tantas dificuldades e iniquidades, nós precisamos estar muito próximos da sociedade. Se a gente puder trabalhar em normas e convivências sociais, pactos, termos de cooperação como este, que minimizem esses problemas e façam um enfrentamento a luz da sensibilidade para humanizar o processo de adoção na sociedade será de extrema importância”.

TJRN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. nasto disse:

    Façam uma campanha de educação para essas mulheres pensarem antes de fabricar os filhos.

    • alice disse:

      Ahh sim… SÓ COM AS MULHERES porque elas se reproduzem sozinhas!

    • Fagner de Orós disse:

      Ora, Alice. Quem tem soberania sobre como e quando dispor da zona do agrião é a própria mulher.

    • João Rodrigues disse:

      Sem semente não há plantio, se o homem não quer filho, que use capa.

Empresa israelense cria o primeiro bife feito em laboratório no mundo

(Foto: Shutterstock / nevodka)

Uma empresa israelense chamada Aleph Farms afirmou que conseguiu criar o primeiro bife desenvolvido em laboratório no mundo. E sem matar um único animal no processo.

Para chegar ao produto, a empresa afirma que descobriu como criar a estrutura da carne real a partir de células animais em uma placa de Petri – com isso, segundo, seus os cientistas da empresa, a sensação é que que você está, realmente, mordendo um pedaço de carne, em vez de apenas saboreá-la.

“Teoricamente, estamos falando que você pode estar comendo carne de boi sem matar bois. Você poderia estar comendo baleia sem prejudicar as baleias ”, disse Jan Dutkiewicz, pesquisador da Universidade Johns Hopkins, em entrevista ao jornal Wall Street Journal.

A Aleph Farms está entre as várias empresas que disputam uma corrida para cultivar carne em um laboratório usando grupos de células de animais, sem realmente matá-las. Reguladores nos EUA ainda estão avaliando se esse tipo de produto é seguro para os consumidores, e se eles deveriam ser chamados, de fato, de carne.

As empresas envolvidas dizem que essas novas carnes podem ser produzidas por uma fração dos custos ambientais que vêm da agricultura tradicional de larga escala. No entanto, neste estágio inicial de desenvolvimento, produzir um quilo de carne a partir de células ainda é muito mais caro que o processo tradicional, envolvendo o abate dos animais.

Olhar Digital, via Wall Street Journal