Mega-Sena sorteia prêmio de R$ 55 milhões neste sábado

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O concurso 2.239 da Mega-Sena será realizado neste sábado no Espaço Loterias Caixa em São Paulo e pode pagar R$ 55 milhões para quem acertar as seis dezenas. Concurso está acumulado desde 29 de fevereiro.

A aposta simples, de seis números, custa R$ 4,50. Para esse tipo de aposta, a probabilidade de ganhar o prêmio é de 1 em 50.063.860.

As apostas podem ser feita até as 19 h em qualquer lotérica da Caixa. Também é possível fazer apostas pela internet por meio do site Loterias Online, que pertence à própria Caixa.

Além do grande prêmio para quem acertar os seis números, ainda é possível ganhar ao acertar quatro ou cinco números dentre os 60 disponíveis.

AGÊNCIA BRASIL

Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 55 milhões no sábado

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Nenhum apostador acertou as seis dezenas do Concurso 2.239 da Mega-Sena sorteadas nesta quarta-feira (4), no Espaço Loterias Caixa, em São Paulo. O prêmio para o próximo sorteio, que ocorrerá no sábado (7), está estimado em R$ 55 milhões.

Os números sorteados foram 07, 27, 31, 39, 45, 46.

Já a quina teve 29 apostas vencedoras que vão receber, cada uma, R$ 76.121,74. A quadra teve 3.057 apostas vencedoras e paga o prêmio de R$ 1.031,60.

As apostas para o próximo concurso da Mega-Sena podem ser feitas até as 19h de sábado. Um jogo simples, de seis números, custa R$ 4,50. Quanto mais números marcar, maior o preço da aposta e maiores as chances de faturar o prêmio.

AGÊNCIA BRASIL

Arrecadação com loterias aumenta 22,7% em 2019

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A cada semana, milhares de pessoas recorrem à sorte na esperança de enriquecer. Os brasileiros estão apostando mais neste ano. De janeiro a setembro, a arrecadação com loterias somou R$ 12,11 bilhões, alta de 22,7% em relação aos R$ 9,87 bilhões do mesmo período do ano passado. Os dados foram divulgados pela Secretaria de Avaliação, Planejamento, Energia e Loteria (Secap), do Ministério da Economia.

No Brasil, a exploração de loterias cabe ao governo federal. A Loteria Instantânea Exclusiva (Lotex), também conhecida como raspadinha, foi concedida para a iniciativa privada no fim de outubro, mas a exploração pelo consórcio ganhador só começará em meados de 2020.

Segundo a Secap, a arrecadação com loterias começou o ano próxima da estabilidade, mas passou a subir a partir de abril. No primeiro trimestre, as apostas renderam R$ 3,3 bilhões contra R$ 3,28 bilhões no mesmo período do ano passado. No segundo trimestre, a receita saltou para R$ 4,76 bilhões, alta de 53% em relação aos R$ 3,12 bilhões dos mesmos meses de 2018. No terceiro trimestre, dado mais recente divulgado, a arrecadação com loterias atingiu R$ 4,05 bilhões, aumento de 16% em relação a igual período do ano passado.

Programas sociais

O crescimento observado em 2019 concentra-se nas três modalidades mais jogadas no país: Mega-Sena, Lotofácil e Quina. O aumento das apostas reflete-se em mais dinheiro para políticas sociais, esportivas, culturais e de segurança.

De janeiro a setembro, o dinheiro de loterias repassado a programas do governo somou R$ 5,83 bilhões, aumento de 23,2% em relação aos R$ 4,73 bilhões transferidos no mesmo período em 2018.

O novo marco regulatório das loterias, que entrou em vigor no fim do ano passado, destina parte dos recursos das apostas ao Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP) e ao Fundo Penitenciário Nacional (Funpen). Atualmente, 43,35% do dinheiro arrecadado financiam o pagamento dos prêmios brutos (sem desconto de Imposto de Renda).

O restante é distribuído da seguinte forma: 17,32% para a seguridade social; 9,26% para o FNSP; 2,92% para o Fundo Nacional da Cultura (FNC); 2,46% para a Secretaria de Esportes do Ministério da Cidadania; 1,73% para o Comitê Olímpico Brasileiro; 1% para o Funpen; 1% para as Secretarias Estaduais de Esporte; 0,96% para o Comitê Paralímpico Brasileiro e 0,87% para outros comitês, clubes e federações esportivas. Dados oficiais indicam que 19,13% das receitas cobrem custos com a exploração das loterias, como comissões às lotéricas, despesas operacionais e recursos para o Fundo de Desenvolvimento de Loterias.

Agência Brasil

Governo autoriza a Caixa a reajustar preço das apostas das loterias; veja novos valores, com Mega-Sena em R$ 4,50

Foto: Marcelo Brandt/G1

O Ministério da Economia autorizou a Caixa Econômica Federal a aumentar os preços das apostas das loterias no país. A Mega-Sena, que hoje custa R$ 3,50, passará a R$ 4,50, um aumento de 28,6%. O banco deverá definir a data em que os novos valores entram em vigor.

A portaria que autoriza o aumento foi publicada nesta quinta-feira (31) no Diário Oficial, e foi elaborada pela Secretaria de Avaliação, Planejamento, Energia e Loteria do ministério.

A última atualização no preço da aposta da Mega-Sena ocorreu em 2015, quando passou de R$ 2,50 para R$ 3,50.

Veja abaixo os novos valores:

Dupla-Sena: a aposta simples, ou mínima, passa de R$ 2,00 para R$ 2,50

Loteca: a aposta múltipla mínima obrigatória passa de R$ 2,00 para R$ 3,00

Loteria Federal: a portaria não faz menção se haverá mudança

Lotofácil: a aposta simples, ou mínima, passa de R$ 2,00 para R$ 2,50

Lotogol: a aposta simples, ou mínima, passa de R$ 1,00 para R$ 1,50

Lotomania: a aposta única passa de R$ 1,50 para R$ 2,50

Mega-Sena: a aposta simples, ou mínima, passa de R$ 3,50 para R$ 4,50

Quina: a aposta simples, ou mínima, passa de R$ 1,50 para R$ 2,00

Timemania: a aposta única passa de R$2,00 para R$ 3,00

O aumento deverá entrar em vigor num domingo ou feriado nacional, após pelo menos 3 dias de propaganda em rádio, TV, jornais e revistas e internet.

A portaria também autoriza a Caixa a, a partir de 2020, fazer reajustes sem necessidade de autorização do governo desde que o percentual seja inferior ou igual à inflação acumulada nos 12 meses desde o aumento anterior. Para reajuste superiores, o banco ainda vai precisar do aval do governo.

Mudança da premiação

De acordo com a portaria, as loterias Lotofácil e Timemania terão os valores de premiação alterados:

Lotofácil

R$ 5,00 para apostas vencedoras com acerto de 11 números
R$ 10,00 para apostas vencedoras com acerto de 12 números
R$ 25,00 para apostas vencedoras com acerto de 13 números

Timemania

R$ 3,00 para apostas vencedoras com acerto de 3 números
R$ 9,00 para apostas vencedoras com acerto de 4 números
R$ 7,50 para apostas vencedoras com acerto do “Time do Coração”

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Mário disse:

    Loteria é o tipo de imposto que os trouxas gostam de pagar.

  2. Diogo disse:

    Tem que boicotar a "fézinha" para ver se o preço ficar mais agradável.

Caixa Econômica Federal anuncia lançamento de bolão nas loterias

A prática do bolão de apostas, tão comuns entre grupos de amigos, agora será institucionalizada. A Caixa Econômica Federal apresentou, nesta sexta-feira, uma nova modalidade de apostas nas loterias de todo o país: o Bolão CAIXA. Com previsão para entrar em vigor a partir de 1º de outubro, a nova modalidade tem como principal objetivo garantir segurança e transparência aos apostadores, além de acabar com problemas dos jogos onde os apostadores pagavam o combinado, acertavam as dezenas, mas na hora de receberem os prêmios ficavam sabendo que as apostas não haviam sido concluídas. Ou seja, os volantes não haviam sido pagos e os apostadores terminavam sem o prêmio e muitas vezes sem o ressarcimento devido, já que a CAIXA não tinha como se responsabilizar por apostas não concluídas.

De acordo com Cleto, com a oficialização, a partir do momento em que for montado o bolão em uma casa lotérica, haverá um número de bilhetes correspondente ao número de cotas. “Se você entra com dez pessoas se cotizando para fazer um bolão, você vai ter a emissão de dez recibos de aposta, cada um contemplando uma cota de um dez avos desse bolão. Porque já vai ter a segurança de o apostador estar participando do bolão de forma oficial e com toda a garantia de que ele pode ir pegar o prêmio correspondente à sua cota”, disse à Agência Brasil.

O Bolão Caixa, segundo ele, terá um teto de 100 apostadores, mas não há limite financeiro. A aposta mínima será R$ 10, divididos em duas cotas de R$ 5 cada. Fábio Cleto informou ainda que a partir de negociação com os lotéricos, feita pela Secretaria de Acompanhamento Econômico (SAE), ficou acordado que será até 35% o percentual de prêmio que eles poderão cobrar de taxa de administração de um bolão. Ressaltou que, ao mesmo tempo, as pessoas poderão montar um bolão entre os amigos e apenas registrá-lo na casa lotérica, sem nenhuma cobrança de taxa de serviço.

A criação do Bolão Caixa acaba com a informalidade e com o risco de um apostador participar de um bolão e não receber o prêmio. “Alguns casos já ocorreram e a Caixa sempre foi sensível a essa demanda dos próprios lotéricos para a constituição da estrutura tecnológica que contemplasse isso”. Cleto disse que não se trata de uma estrutura simples, porque ela permite o pagamento em cotas, ou parcelas. “As pessoas podem ir pegar individualmente. Elas não precisam ir todas juntas pegar o prêmio. Segundo ele, isso demandou grande esforço da área de tecnologia da informação (TI) da Caixa “. O novo produto já foi homologado pela Caixa, passou por todos os processos e se acha, no momento, em fase de distribuição para as lotéricas.

A instituição está comemorando também os 50 anos das Loterias Caixa, com sorteio da Loteria Federal, extração especial 4.693, amanhã (15), às 20h25m (horário de Brasília), no Caminhão da Sorte, que estará estacionado nos Arcos da Lapa, no centro do Rio de Janeiro. O prêmio principal alcança R$ 1 milhão. O bilhete tem valor inteiro de R$ 70, com preço por fração de R$ 7. A primeira extração da Loteria Federal foi sorteada também no município do Rio, em 15 de setembro de 1962.

O vice-presidente de Fundos de Governo e Loterias da Caixa destacou que as loterias constituem uma área em que a Caixa presta “um grande trabalho ao governo e à sociedade”. Cerca de 40% a 45% do faturamento das loterias da Caixa são direcionados a programas e projetos de assistência social do governo, de autarquias e de entidades, como o Comitê Olímpico Brasileiro (COB), sendo um terço para a área da saúde e um terço para educação e esporte. “São mais de 15 beneficiários”, salientou Cleto.

Para se ter uma ideia da importância das loterias, o vice-presidente destacou que o faturamento total do setor foi R$ 9,4 bilhões, no ano passado, dos quais R$ 4,5 bilhões foram direcionados a beneficiários. Para 2012, a meta é atingir uma arrecadação em torno de R$ 10,5 bilhões.

Com informações da Agência Brasil