Toffoli diz que redução da maioridade penal pode agravar níveis de criminalidade

Foto: Reprodução/Record TV

Dias Toffoli afirmou nesta terça-feira (3/3) que a redução da maioridade penal pode agravar os níveis de criminalidade, mas afirmou que o debate sobre o tema não pode ser ignorado pela sociedade.

Segundo o presidente do STF, a taxa de reentrada no sistema prisional é bastante superior à taxa de reentrada no sistema socioeducativo. “Não adianta achar que colocando uma pessoa, um  adolescente de 17, 18 anos estaremos trazendo segurança. Temos que trabalhar com dados empíricos. O Estado não pode trabalhar com achismo, ou acho que, penso em que. Temos que trabalhar com aquilo que é a realidade”, afirmou.

“A expansão do sistema prisional para a parcela do público atualmente alcançado pelo sistema socioeducativo pode agravar ainda mais os níveis de criminalidade no país, não podendo, portanto, ser ignorados no debate em curso em nossa sociedade, sobre a maioridade penal”, completou o ministro.

Para Toffoli, a melhoria do sistema prisional do país depende de uma compreensão das raízes do problema. “Não há caminho para a superação do “estado de coisas inconstitucional” do sistema prisional senão pela compreensão do caráter estrutural da crise que enfrentamos. Só seremos capazes de promover mudanças efetivas quando as soluções forem capazes de atacar as raízes dos nossos problemas”.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ananias disse:

    Como ele vive na bolha do condomínio dele e cercado de seguranças, é natural não saber dos anseios e sofrimentos da sociedade que tem familiares e parentes assassinatos e o menor infrator saindo rindo da delegacia. Deveria passar 24 horas numa viatura da PM ou da SAMU para ver a realidade nua e crua que ele não conhece.
    Hipócrita!

  2. Cacilda disse:

    Deixa um desses "menor", com 16 ou 17 anos assaltar ele, com requintes de crueldade dignas de um psicopata, dar de presente um tiro (ou azeitona) … quem sabe ele volta à realidade da nação brasileira e possa mudar de opinião….

  3. Enir Dias. disse:

    Ele acha que é bom como está. O menor pode matar, estrupar, não tem nada.

  4. Silva disse:

    Pode??
    Como é que vc sabe??

  5. Zé priquito disse:

    Um sem futuro desse defensor do infrator, canalha sabe de nada, sabe defender a bandidagem.

  6. Antenado disse:

    Não se trata de resolver o problema ou acabar a criminalidade. Mas, se pode votar para eleger inclusive um presidente da república (tem discernimento para isso), porque não pode ser responsabilizado criminalmente. Até hoje não vi um única autoridade ou defensor da maioridade somente aos 18 anos explicar essa contradição.

  7. realista disse:

    incrível que ele acha que com 16 anos o ser humano não tem discernimento para saber o que é certo ou errado , mas com 16 anos tem discernimento para com o voto dar destino a uma cidade, estado e país.

  8. Silvino disse:

    Sem diminuir a maioridade penal, a criminalidade tende a ser maior, porquê indivíduos "dimenores" praticam crimes sem serem punidos, inclusive esses crimes aumentam exponencialmente, e com mais crueldade. A impunidade será sempre a mola mestre da violência, isso é fácil de se constatar nos últimos anos, onde benefícios pra criminosos se sucedem e são criados, em decorrencias, os índices de violências só aumentam, logo temos que testar métodos mais rigorosos contra os criminosos, com certeza teremos um decréscimo nesses índices.

  9. paulo disse:

    BG
    Eu queria ver essa conversinha dele se tivesse um parente assassinado friamente por esses bandidos "de menor", que podem tudo inclusive VOTAR, CASAR E BATIZAR.

    • Ananias disse:

      Bandido de menor batizando? Que igreja ou mesquita é essa que o Sr. se refere?

  10. paulo disse:

    BG
    Eu queria ver essa conversinha dele se tivesse um parente assassinado friamente por esses bandidos "de menor", que podem tudo inclusive VOTAR, CASAR E BATIZAR

  11. Fernando Antônio Ribeiro Bastos disse:

    O que esse cidadão tão inteligente quiz dizer aí em cima? Imitar Dilma Rousseff ou tampa o sol com a peneira?

UFRN lança edital para seleção de professor do magistério superior; 53 vagas em diversas classes e níveis

A Pró-reitoria de Gestão de Pessoas (Progesp) da UFRN lançou edital para seleção de candidatos para o cargo de professor do magistério superior. São 53 vagas em diversas classes e níveis, com e sem dedicação exclusiva.

O concurso prevê vagas para professor nas classes de adjunto-a e assistente-a, com dedicação exclusiva, além de assistente-a e auxiliar, no regime de 20 horas. Os aprovados serão distribuídos entre  CCS, CE, CCHLA, CCET, CCSA E CT, além da EAJ, Escola de Música, CERES e Facisa.

As inscrições vão do dia 11 de novembro ao dia 2 de janeiro, e estarão disponíveis na aba de concursos do Sigrh e do site da Progesp.

Com informações da UFRN