Moro divulga dados oficiais com queda relevante na criminalidade e mira redução “permanente e constante”

Sergio Moro divulgou os dados oficiais sobre a criminalidade no primeiro bimestre do ano, que mostram uma queda impressionante.

Ele comentou:

1 – precisamos trabalhar para a redução ser permanente e constante;

2 – muitos fatores influenciam a queda, o mérito não é só do Governo Federal, mas também dos estaduais e distrital;

3 – mesmo com a redução, os números ainda são altos, precisamos trabalhar muito mais.

O Antagonista

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Lourdes Siqueira disse:

    Não existe nada mais valioso no caráter de um ser humano do que ter as mãos limpas.
    Esperando para dar meu voto com muito orgulho pela primeira vez ao futuro presidente Sérgio Moro.
    Amém, Sr. Patriota. Que Deus nos ajude a afastar os ratos do queijo público, enquanto milhares padecem nas filas de todas as esferas, os gatunos esbanjam feito Imperadores Romanos.

  2. PATRIOTA disse:

    Seja nosso presidente, pelo amor de DEUS.
    Que sua conduta e moral sejam exemplos de que lutou por justiça e desmascarou uma quadrilha de grandes proporções nacional. O RN não merecia uma aberração como essa. Tem piedade de nós Deus. Essa dúbia é uma alienada.

  3. Carlos disse:

    Esse é o Brasil que a gente quer!

O plano de Moro para reduzir a criminalidade

Sergio Moro tocar a pauta sem depender do Congresso Nacional.

Ontem à tarde, segundo O Globo, ele e Paulo Guedes “discutiram um programa nacional de redução de criminalidade em municípios violentos.

O plano de Moro é coordenar ações de segurança que possam envolver políticas de outras pastas. A economia é uma delas.

Na conversa, os ministros falaram de temas que envolvem desde a necessidade de instalação de mais postes de iluminação em ruas escuras de bairros violentos, até medidas para ampliação da oferta de cursos profissionalizantes que tragam ocupação para a população desempregada.”

O Antagonista

Operação contra o PCC no RN e mais 4 estados apreende 7 helicópteros e 5 embarcações de luxo

por Dinarte Assunção

Uma das aeronaves apreendidas na ação de hoje. (Foto: PF)

 

Está cada vez mais frequente nas ações da Polícia Federal contra organizações criminosas operações que passam pelo Rio Grande do Norte.

No início da tarde desta segunda-feira, a Polícia Federal terminou de cumprir os 20 mandados de prisão preventiva, dois de prisão temporária e 35 mandados de busca e apreensão referentes à Operação Laços de Família, deflagrada com a autorização da 3ª Vara da Justiça Federal de Campo Grande (MS).

Conforme apurou o BlogdoBG, no Rio Grande do Norte, a operação tinha um dos mandados de prisão a cumprir na zona Norte de Natal, mas não houve sucesso por parte dos policiais federais. A ação se deu, alem de no Rio Grande do Norte, no Mato Grosso do Sul, Paraná, São Paulo, Goiás.

O nome da operação é referência ao vínculo mirado. O braço do PCC mirado na operação de hoje tinha traços de um clã, de forma assemelhada à máfia, eis que seus principais cabeças eram de um mesmo grupo familiar.

Além das prisões, houve cumprimento de 136 mandados de sequestros de veículos terrestres, 7 mandados de sequestro de aeronaves (helicópteros), 5 mandados de sequestro de embarcações de luxo, 25 mandados de sequestro de imóveis. Além disso, também foi decretado o sequestro geral de todos os bens de 38 investigados, em todo o território nacional, inclusive em nome de suas empresas de fachada.

Grandes carregamentos de droga eram remetidos da região fronteiriça para várias regiões do Brasil, geralmente escondidos em caminhões e carretas com cargas aparentemente lícitas, tudo a serviço da criminalidade.

Em contrapartida, a organização criminosa recebia joias, veículos de luxo e dinheiro por meio de depósitos em contas bancárias de laranjas e de empresas de fachada, como pagamento das cargas criminosas, que garantiam vida luxuosa e nababesca aos patrões do tráfico internacional de drogas, que incutiam o temor e o silêncio na região pela sua violência e poderio.

Também eram utilizados helicópteros para transportar joias e dinheiro usados como pagamento do bando, vindos de vários pontos do Brasil.

Durante a investigação, a PF já tinha conseguido apreender mais de R$ 317 mil em dinheiro; joias avaliadas em mais R$ 81 mil, duas pistolas, 27 toneladas de maconha, duas caminhonetes e 11 veículos de transporte de carga.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Wds disse:

    Engraçado é os otarios que querem ser pinta, com roupas da Nike e adidas falsas passando fome e roubando celular de trabalhadores para manter o vicio.

Bandido toma carro de assalto ao lado da delegacia de Candelária

Um carro foi tomado de assalto agora há pouco em Candelária. O dono do veículo estava chegando em casa, na rua Ernesto Nazareth, quando um homem armado saiu de trás de uma árvore e anunciou o assalto.

A vítima teve a arma apontada para a cabeça, não teve alternativa a não ser obedecer o criminoso. O carro levado foi um Fiat Punto Verde, de placas MYY-9555. O carro não tem seguro e o dono está desesperado. Quem tiver alguma informação, avise a polícia.

A rua Ernesto Nazareth é palco comum de assaltos. Várias casas já foram alvos dos bandidos. Este de hoje seria mais um qualquer, se não tivesse ocorrido ao lado da delegacia de plantão da zona Sul e do Centro de Detenção Provisória de Candelária. Quer dizer, na verdade crimes perto de instituições policiais aqui em Natal também não são nada incomuns.

Fonte: Jacson Damasceno

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gustavo disse:

    Que bobeira hein, carro sem seguro…

RN registra 199 homicídios este ano

Renildo Francelino, Dalvimar da Silva, Gleydson Fagundes, Elcione Borges. Laykson Franklin, Wendell Evandro, Elionai Tavares, Kerginaldo Pereira. Abimael Wilk e Euclides Fernandes. Esses são apenas 10 dos quase 200 nomes que compõem uma lista escrita com letras de sangue em páginas da violência. O Rio Grande do Norte registrou durante os 100 primeiros dias de 2012, 199 assassinatos. Em média, 14 por semana. Os números escondem as histórias que formam uma realidade cruel e desumana. As estatísticas são encobertas pela fumaça densa e branca do crack e abafada pelo estampido das pistolas automáticas.

Cada homem e mulher que tombou sem vida no território potiguar se tornou marca de uma crescente violência. Os “alvos” possuem perfis comuns e formam o padrão da morte. Quase 50% dos assassinatos envolvem jovens entre 15 e 25 anos – a grande maioria homens – e em mais de 90% dos casos foram utilizadas armas de fogo. As execuções têm como característica principal a ligação das partes com a comercialização de entorpecentes.

A equipe de reportagem da TRIBUNA DO NORTE reuniu durante mais de três meses as identidades das vítimas do descaso do Estado com a segurança pública.  Os dados foram atualizados diariamente através do website da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Estado (Sesed), baseado no registro de óbitos do Instituto Técnico-científico de Polícia (Itep). Apesar da riqueza de detalhes e informações à disposição da polícia, diversos casos permanecem sem solução e se acumulam em uma pilha que talvez nunca seja esclarecida.

Enquanto os números se avolumam, a sociedade não vê os projetos previstos saírem do papel. A famigerada Divisão de Homicídios pode não se concretizar em 2012 e a Secretaria de Segurança já estuda outras medidas para conter o avanço da criminalidade. Para o secretário Aldair da Rocha, “a saída é investir”.

A impunidade compromete a credibilidade do trabalho policial e dá espaço para o ciclo da criminalidade. A opinião é do promotor de Justiça de Investigação Criminal, Wendell Bethoven Ribeiro Agra. “Faz 15 anos que eu estou no Ministério Público e 12 que estou nessa promotoria. Posso dizer que eficiência da PC diminuiu nesse intervalo de tempo. Há 10 anos, a PC funcionava melhor do que funciona hoje”, afirmou.

O Rio Grande do Norte revive o cenário traçado pelo escritor João Cabral de Melo Neto há mais de 50 anos, em seu “Morte e Vida Severina”: “Morremos de morte igual, mesma morte severina: que é a morte que se morre de velhice antes dos trinta, de emboscada antes dos vinte”. A morte severina agora ganhou traços da vida urbana, em que se mata por uma pedra de crack, por um cigarro de maconha. Por quase nada.

Secretaria espera por investimentos

“Aguardamos investimentos maiores na área de segurança pública”. As palavras são do secretário Aldair da Rocha. Em entrevista à TRIBUNA DO NORTE, o titular da pasta esclareceu que está tentando pôr em prática os projetos, mas tem enfrentado dificuldades. Para ele, “daqui pra frente, há uma saída: investir”.

Quando assumiu a pasta no início de 2011, Aldair diz ter se surpreendido com a quantidade de casos de homicídios não resolvidos. “Mas por que isso acontecia ou ainda acontece? Não temos uma estrutura adequada de investigação de homicídios”, apontou.

Desde o começo da sua gestão, o secretário apontou como prioridade a instituição de uma Divisão de Homicídios. “Tenho falado desde o início da necessidade de se criar uma Divisão. Até o momento, infelizmente, não conseguimos o efetivo e nem a estrutura para criar essa divisão de homicídios. Ela é primordial na seqüência do trabalho”.

Enquanto o reforço policial não surge, a Secretaria pretende disponibilizar equipes da Delegacia Especializada de Homicídios para investigar casos que ocorram nos finais de semana.  “O delegado-geral está estudando o caso. Assim, na sexta, sábado e domingo, quando ocorre a maior concentração de homicídios, montaríamos uma plantão da Delegacia de Homicídios. Ela mesmo atenderia o chamado daria início às investigações. Ainda vai depender de diárias operacionais e horas extras”. Hoje, a Dehom só recebe casos depois que as distritais não consegue resolvê-los.

Segundo ele, a sua gestão tem progredido, ainda que “lentamente”. “Temos os projetos e temos encaminhado para a governadora a nossa vontade de trabalhar. Estamos progredindo, mas ainda muito lentamente”, afirmou. Um exemplo do progresso citado foi a informatização das 15 delegacias distritais, com o funcionamento do boletim e procedimentos policiais eletrônicos. “Isso vai nos permitir o controle sobre a produtividade das delegacias da Grande Natal. Quero partir para as Especializadas e depois para o interior”, esclareceu.

O secretário também enxerga um avanço quanto ao policiamento na Região Oeste do RN. “Lá, a gente conseguiu melhorar a parte de investigação. A Divisão de Polícia do Oeste (Divpoe) foi instituída sob o comando do delegado Odilon Teodósio, que tem feito um bom trabalho. A Polícia Militar também melhorou com a criação de um novo batalhão para Mossoró”.

Fonte: Tribuna do Norte

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. I Monarca da Serra disse:

    Unificação das Polícias
    Na unificação, os delegados ganhariam status de Promotor de Justiça, os Oficiais PMs, Agentes e Escrivães de Polícia, status de Delegado e os Praças das PMs se tornariam Agentes de Polícias Estaduais…Assim, todos ficariam satisfeitos e a escassez de Promotores, Delegados e Policiais seria bastante atenuada…Saliento que antes haveriam cursos para aperfeiçoar esse profissionais, habilitando-os para as respectivas funções, que muitas vezes eles já exercem de forma irregular…Por exemplo: Há muitos Sargentos, Agentes, Escrivães e Oficiais de Polícia exercendo função de Delegado em várias cidades do Brasil

    Fala-se muito em preservação das tradições… Mas, o que é mais importante? as tradições, ou a eficiência nas estruturas da segurança pública? Para quê serve o militarismo nas policias? Não seria o momento de dar aos agentes da segurança um caráter profissional desprovido do cerimonialismo e apêndices?

    Esta é a solução para a segurança pública no Brasil

Padaria, Supermercado, Ônibus, Lojas, Banco. PM Registra 68 assaltos ao comércios em Natal em 38 dias

ONDE ESTÁ A polícia? Com certeza, é o que a sociedade está se questionando agora. Onde estão os bandidos? Certamente, é o que a polícia quer saber neste momento. E onde vamos roubar hoje? Sem dúvida, é o que os bandidos estão planejando neste instante.

A sensação de insegurança nunca esteve tão em alta. Em Natal, o medo nunca foi tão real. Somente nos últimos cindo dias, uma avalanche de assaltos tem provocado terror e causado pânico na cidade.

Seja no carro, na calçada, no ônibus, no shopping, banco ou loteria, não há lugar seguro. Até numa padaria, ninguém está livre. A não ser os marginais.

Desde o início do ano, o transporte coletivo vem sendo alvo constante da ação dos assaltantes.

Mais de 30 já foram registrados. Os passageiros também estão em polvorosa. Já nos últimos dias, o pânico se generalizou. Foram cinco ações criminosas ousadas, todas planejadas e executadas com sucesso.

Porém, o terror é bem pior. Dados fornecidos pela própria PM atestam isso. De janeiro até ontem, corridos os primeiros 38 dias de 2012, já foram registrados 68 assaltos a estabelecimentos comerciais.

Todos só em Natal. Dá uma média de quase dois por dia na capital.

Como esquecer o assalto à Padaria Petrópolis, fato ocorrido na última quinta-feira? Como não lamentar os tiros que deixaram três feridos e a cliente Elizângela Iva de Souza, 32, paraplégica? Não dá.

Ainda mais sabendo que os responsáveis, um jovem de 19 anos e um adolescente de 17 continuam soltos. Horas depois, a audácia dos bandidos foi presenciada durante o assalto ao malote do Supermercado Extra, dentro do Shopping Midway Mall, onde foram roubados R$ 17 mil. Os bandidos fugiram e sequer foram identificados.

No início da semana a história se repetiu. Primeiro foi a agência do Banco Itaú, em Candelária, alvo de um quadrilha extremamente profissional. Homens de terno e gravata não levaram 20 minutos para render os clientes, chantagear uma funcionária e, sem que a polícia tomasse conhecimento do que acontecia, arrombar os terminais e saquear R$ 600 mil. Mais tarde, outro bando fortemente tomou conta da situação.

Foi numa casa loteria localizada no interior do Supermercado Nordestão de Lagoa Nova. Lá, três homens armados renderam os funcionários e levaram todo o dinheiro que encontraram. A quantia não foi revelada.

Ontem pela manhã não foi diferente. Novo assalto. Novo pavor. A bola da vez foi a loja DS Pneus, localizada na Avenida Bernardo Vieira, na lateral do Campus Central do IFRN.

Os criminosos seguiram o dono da loja – que havia acabado de sacar o salário dos funcionários – e o surpreenderam ao retornar ao estabelecimento. Não houve reação. Nada a fazer, senão entregar a grana.

Os bandidos, dois homens, levaram R$ 12 mil. “Estamos trabalhando. A população pode ter certeza que vamos identificar e prender estes criminosos”, garantiu o delegado federal Aldair da Rocha, secretário de Segurança Pública.

Ontem, já no final da tarde, ele se reuniu com o comandante geral da PM, o coronel Francisco Araújo Silva, e o chefe geral da Polícia Civil, o delegado Fábio Rogério.

Ações e estratégias para conter o avanço da criminalidade nortearam a pauta. Mais uma, diga-se de passagem. Já as promessas – as ditas providências a serem tomadas como um basta definitivo à sensação de insegurança – são as mesmas: “Vamos reforçar o policiamento e intensificar o patrulhamento”, pontuou.

As únicas notícias realmente concretas, pelo visto, é o fato já divulgado de os dois assaltantes da padaria já estarem devidamente identificados e que ambos podem ser presos a qualquer momento.

Novidade nenhuma. Quanto aos demais marginais, não há pistas. Novidade? “Temos as imagens dos bandidos que assaltaram o banco Itaú. Não podemos divulgar para não atrapalhar as investigações. São caras novas, ainda desconhecidas da polícia”, revelou Aldair, enumerando tudo o que foi feito desde os registros dos crimes aqui citados.

Reportagem de Anderson Barbosa para o NOVO Jornal