MPRN recomenda proibição de entrada de organizadas do Santa Cruz em jogo contra ABC

Responsabilidade pela proibição será da Polícia Militar. Os dois times duelam neste sábado (27), no Frasqueirão

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) recomendou que as torcidas organizadas do Santa Cruz sejam proibidas de adentrarem ou de se aproximarem do estádio Maria Lamas Farache, o Frasqueirão, neste sábado (27). O time pernambucano vai enfrentar o ABC, em partida válida pelo Campeonato Brasileiro da Série C.

O acesso do torcedor pernambucano deverá ser permitido apenas para zona mista do estádio (cadeiras), desde que não ostentem qualquer adereço que sinalize ligação com as torcidas organizadas do clube visitante. Na recomendação publicada nesta quarta-feira (24) no Diário Oficial do Estado (DOE), o MPRN reforça que qualquer necessidade de urgência relacionada à segurança do público será de exclusiva responsabilidade da Polícia Militar, que poderá determinar, inclusive, a disposição dos torcedores no estádio.

Para expedir a recomendação, o MPRN levou em consideração o princípio da Proteção Integral do Torcedor, norteador do Estatuto do Torcedor. O MPRN também levou em consideração as informações da PM sugerindo que as torcidas organizadas do Santa Cruz sejam impedidas de adentrar aos estádios de futebol do Rio Grande do Norte “em face dos conhecidos atos de violência, especialmente quando dos jogos contra o ABC, fatos que ganharam bastante repercussão na mídia desportiva”.

O MPRN frisou ainda, que deve ser aplicado o princípio da reciprocidade, em nome da segurança pública, sendo já a praxe adotada em Pernambuco em jogos com “torcidas rivais” de outros Estados.

MP em PE solicita afastamento das torcidas organizadas por um ano

20140311151032841618oApós as cenas de violência promovidas pelas torcidas organizadas Jovem do Sport e Inferno Coral, na última quinta-feira, e às vésperas de um novo clássico entre Sport e Santa Cruz, o Ministério Público de Pernambuco resolveu se mexer. Na manhã desta terça-feira, após reunião do comitê de prevenção à violência nos estádios e grandes eventos, o promotor José Bispo decidiu entrar com uma ação solicitando o afastamento das principais organizadas do Estado, durante o período de um ano, nas praças esportivas da Região Metropolitana do Recife.

De acordo com a ação, será proibida a entrada nos estádios de qualquer artigo alusivo às organizadas, como camisas, bonés e bandeiras. “Estou finalizando a peça. Precisamos dar uma resposta à sociedade e restabelecer a ordem”, discursou José Bispo.

Além da ação do Ministério Público, deputado estadual Betinho Gomes (PSDB-PE), também deve protocolar uma ação para que Torcida Jovem, Inferno Coral e Fanáutico sejam proibidas de entrarem nos estádios durante este mês. Até o dia 30, estão programados a realização de mais cinco clássicos.

Também na tarde desta terça-feira, haverá uma reunião no quartel da Polícia Militar, no Derby, onde será definido o efetivo para o jogo desta quarta entre Sport e Santa Cruz, na Ilha do Retiro, pela Copa do Nordeste. A expectativa é que o contigente seja superior aos 660 policiais que trabalharam no Clássico da Multidões da última semana.

Superesportes

Torcidas organizadas assinam tratado antiviolência

estadão.com.br

SÃO PAULO – Foi iniciado nesta segunda-feira, 13, no Rio de Janeiro, com a assinatura de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) entre as lideranças das torcidas, o Ministério Público e o Ministério do Esporte, mais um capítulo do Estatuto do Torcedor.

A assinatura do termo representa propósito a favor da não violência nos estádios de futebol. Sessenta e cinco torcidas organizadas cariocas se comprometeram a cumprir regras para melhorar a segurança durante os jogos.

O ministro do Esporte, Orlando Silva, destacou que o acordo faz parte do Estatuto do Torcedor e visa garantir maior segurança durante as partidas de futebol. “Vamos fazer um ajuste de conduta com todas as torcidas organizadas. Nosso objetivo é ter estádios mais seguros e confortáveis.

A torcida organizada é parte do espetáculo e é preciso dar responsabilidade às torcidas para respeitar o Estatuto do Torcedor e ter um ambiente mais adequado nos estádios do Brasil”, disse o ministro.

O TAC prevê que as torcidas organizadas terão que se tornar pessoas jurídicas, com registro de seus estatutos em cartório. As que têm menos de 200 membros serão dispensadas de registro em cartório.

(mais…)