Ossada encontrada em mata no RN pode ser de sanfoneiro

Uma ossada encontrada nesse domingo (22), na zona rural da cidade de Almino Afonso (339 km de Natal), região Oeste do RN, infelizmente, pode ser do sanfoneiro Francisco Ivanildo Alves, de 46 anos, desaparecido há três meses.

Segundo a Polícia Militar, a ossada humana foi encontrada por um caçador que caminhava nas proximidades do sitio Alívio, área de mata.

Na ocasião foram encontradas roupas semelhantes ao do sanfoneiro. Familiares, inclusive, teriam dito que era dele. Contudo, somente após perícia do Instituto Técnico-Científico de Polícia (ITEP) que o DNA da vítima, natural do município de João Dias (372 km de Natal), poderá ser desvendado, assim como causa da morte.

Ossada é encontrada em fazenda de vereador de Vera Cruz

Saiu no www.tribunadonorte.com.br

A Polícia Civil encontrou uma ossada humana dentro de um carro carbonizado e enterrado em uma fazenda em Vera Cruz, a 37km de Natal. A fazenda pertence ao vereador Cleonaldo Joaquim Oliveira, preso pela Polícia Civil em 27 de junho deste ano por porte ilegal de arma de fogo, e indiciado por receptação de arma roubada e pela morte de Erival Lopes da Silva, de 37 anos, assassinado no dia 26 de junho deste ano.

A Polícia Civil ainda não sabe de quem é o corpo encontrado e serão realizados exames pelo Itep para a identificação através de exames clínicos. No entanto, a ossada não é de Erival Lopes da Silva, que foi morto em junho deste ano.
De acordo com informações do Tribunal de Justiça, Cleonaldo Joaquim de Oliveira permanece preso desde o dia em que foi detido, em 27 de junho deste ano.
Memória
Cleonaldo Joaquim de Oliveira confirmou que matou Erival Lopes da Silva. O incidente ocorreu em frente à casa do vereador, em Vera Cruz, quando teria ocorrido uma discussão entre a mulher do parlamentar e quatro homens que estavam em frente à residência trocando o pneu furado de um automóvel.
Segundo Cleonaldo, os homens teriam promovido um tumulto em frente à residência e a mulher do vereador teria pedido que eles fizessem silêncio. Os homens, de acordo com o vereador, teria revidado com xingamentos e, em dado momento, Erival Lopes teria feito menção de que sacaria uma arma. Cleonaldo efetuou quatro disparos e matou o homem na hora.
O delegado Raimundo Rolim, de Vera Cruz, solicitou a que o vereador se apresentasse voluntariamente e levasse a arma do crime. No entanto, no momento em que Cleonaldo se entregou, o delegado percebeu que ele apresentou um revólver calibre 38. Porém, a perícia do Itep havia identificado que a morte ocorreu por tiros de uma pistola ponto 40, que é de uso restrito da polícia. A arma apresentada por Cleonaldo era roubada e ele foi preso em flagrante.