Pentágono divulga relatório sobre OVNIs; ex-chefe de operação diz que “há evidência que talvez nós não estamos sozinhos”

Foto: Departamento de Defesa/Divulgação

O Pentágono divulgou nesta quinta-feira, 14, um relatório que detalha os encontros entre aviões militares dos Estados Unidos com “fenômenos aéreos não identificados”. Há menos de um mês, o governo americano retirou o sigilo de três vídeos que mostram a proximidade dos pilotos aos objetos voadores. Em nenhum momento, porém, o relatório menciona que os objetos possam ser de origem extraterrestre.

“A aeronave não identificada parece ser de pequeno porte, de tamanho aproximado ao de uma maleta de cor prata”, descreve o relatório sobre um encontro ocorrido no dia 26 de março de 2014. Durante o episódio, o avião americano “passou a 300 metros de distância do objeto, mas foi incapaz de determinar a identidade da aeronave”, diz o relatório. O piloto “tentou ganhar contato visual com a aeronave, mas não conseguiu”, conclui.

O relatório descreve as aeronaves não identificadas como Sistemas Aéreos Não Tripulados (UAS, na sigla em inglês), o mesmo termo usado pelo Pentágono para se referir aos drones. O texto foi publicado pelo site The Drive que o solicitou por meio da lei de acesso à informação americana (FOIA).

Em outro encontro, de novembro de 2013, um piloto da Marinha americana conseguiu avistar uma pequena nave. “Essa aeronave tinha cerca de 2,5 metros de largura e estava pintada de branco, sem nenhum outro recurso aparente… Devido ao seu tamanho, a aeronave foi classificada como um UAS”, afirma o relatório.

Em junho de 2013, outro objeto, da mesma cor branca, foi avistado. Desta vez, ele tinha o “formato de um drone ou míssil”. O relatório aponta que o Pentágono não conseguiu determinar a origem ou quem operava esses objetos.

“Após o voo, a agência controladora entrou em contato com diversas operadoras de UAS, mas nenhuma reivindicou saber sobre as aeronaves não identificadas”, continua o relatório. O texto coloca a possibilidade de os UAS terem sido utilizados por potências rivais, como a Rússia e a China, com o objetivo de conseguir informação sobre as operações militares dos Estados Unidos.

Os vídeos divulgados em março já haviam sido vazados pela imprensa. O mais famoso, gravado em 2004, ao qual o relatório não faz menção, voava de forma irregular, segundo o piloto aposentado da Marinha David Fravor em entrevista à emissora CNN em 2017. “Quando me aproximei dele, ele acelerou rapidamente para o sul e desapareceu em menos de dois segundos”, relatou, acrescentando que era “como uma bola de pingue-pongue quicando em uma parede”.

O Pentágono lançou um programa para investigar os encontros com os Objetos Voadores Não Identificados (OVNIs) entre os anos de 2007 e 2012. Após o programa ter sido descontinuado e o público conhecer sua existência, a CNN entrevistou Luiz Elizondo, o ex-chefe da operação, que disse acreditar que “há evidência que talvez nós não estamos sozinhos”. “Essas aeronaves mostram características que os nem os Estados Unidos nem outros países possuem em seus inventários, pelo que sabemos”, afirmou.

Veja

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Diego Rafael disse:

    É o Coronavírus que está voando.

OVNIS – VÍDEO: Governo dos EUA autoriza e Pentágono divulga imagens com objetos voadores não identificados

Fotos: Reprodução/CNN Brasil

O Pentágono, sede do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, publicou nesta segunda-feira (27) três vídeos nos quais objetos não identificados são observados e que já haviam sido publicados em várias mídias quando vazaram. A publicação é uma autenticação das imagens, mas não pode ser considerado a confirmação de que o Pentágono trabalha com a ideia da existência de vida extraterrestre.

Em uma declaração, o Departamento de Defesa observou que esta decisão procura “esclarecer quaisquer equívocos do público sobre se o material que circulava era real ou não, ou se há mais nos vídeos. Os fenômenos aéreos observados nos vídeos permanecem classificados como ‘não identificado’ “.

Um dos vídeos foi gravado por militares em 2004 e outros dois, em 2015.

Nos vídeos de 2015, é possível ouvir os comentários de militares norte-americanos, se perguntando o que seriam os objetos. O terceiro vídeo mostra o objeto voando com muita velocidade por cima do oceano.

Veja as imagens divulgadas pelo Pentágono:

R7, EFE e CNN Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Junior play disse:

    Ja foi divulgado o link e outros links está no canal space today YouTube.

  2. Giba disse:

    O GADO vai já falar que são os comunistas kkk em tudo eles acreditam.

  3. Neco disse:

    Se vc vir algo voando e não consegue identficar, é literalmente um OVNI para vc.
    Agora, afirmar que é um artefato oriundo de vida inteligente são outros 500.

  4. Naldo disse:

    Não sei se julgo ceticismo ou ignorância dos únicos seres do universo que não tem inteligência capaz de aceitar que o universo é muito grande para que só exista uma raça viva e pensante.
    Sinto pena desse tipo de vivente.

  5. pedro disse:

    Malditos Russos…mal conseguimos vê-los…kkkk
    Acelera EUA, ou vão comer poeira dos hipersônicos….

  6. Guilherme disse:

    Drone

PRONTO: Parlamento do Irã classifica Pentágono, o comando militar dos EUA, como terrorista

Foto: Vahid Salemi/AP

O parlamento do Irã aprovou nesta terça-feira (7) uma medida urgente que declara que o comando militar dos Estados Unidos, conhecido como Pentágono, e os que agem por ordens dele são terroristas e sujeitos a sanções iranianas.

“Todos aqueles que ordenaram e os que executaram esse crime (a morte do general Qassem Soleimani) que estão com o Pentágono e seus militares são considerados terroristas”, afirmou Ali Larijani, líder do parlamento.

A medida foi aprovada em meio às cerimônias que lotam as ruas de cidades do Irã em homenagem ao general Qassem Soleimani, morto pelos Estados Unidos em um ataque com drones perto do aeroporto de Bagdá, no Iraque, na quinta-feira (2).

Soleimani, de 62 anos, comandava a Força Quds, uma unidade de elite da Guarda Revolucionária Iraniana com atuação no exterior. Ele era considerado o segundo homem mais poderoso do Irã, abaixo apenas do líder supremo, o aiatolá Ali Khamenei.

Os Estados Unidos, que classificam Quds como uma força terrorista, acusaram Soleimani de estar “ativamente desenvolvendo planos para atacar diplomatas americanos e membros do serviço no Iraque e em toda a região”.

Ao aprovar a medida sobre o Pentágono, os parlamentares iranianos cantaram “morte à América” e “sem comprometimento, sem rendição, vingança, vingança” durante a sessão.

Em abril de 2019, os Estados Unidos haviam declarado considerar a Guarda Revolucionária do Irã também como uma organização terrorista. O Departamento de Defesa dos EUA usou a designação para justificar o ataque que matou Soleimani.

O parlamento iraniano usou um procedimento específico para que a medida se torne lei rapidamente. A decisão foi tomada no momento em que autoridades do país promete retaliar a morte de Soleimani.

Na sessão, os parlamentares também aprovaram aumentar o orçamento das Forças Quds em 200 milhões de euros (cerca de R$ 908 milhões).

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Escritor disse:

    Saiu a tabela da terceira guerra mundial. Na primeira fase, Brasil enfrenta o Irã. Se ganhar, pega a Russia na segunda fase.

  2. Lula na cadeia sempre disse:

    Esse povo iraniano são tão DOIDOS doentes que no funeral MORRERAM 30 pessoas , esses psicopatas estão em guerra a séculos, país rico mas amam a guerra

    • Marcelo disse:

      …eles não amam a guerra, e sim idolatram e adoram o ódio, que é o que os move.

  3. Ojuara disse:

    E realmente foi um ato terrorista. Se tivesse sido realizado pelo governo iraniano contra um comandante, ou outra pessoa do governo americano que tivesse tamanha relevância, também seria um ato terrorista, portanto. Eles fazem isso no mundo todo, basta eles classificarem alguém como " terrorista" . Olha no que eles fizeram na Coreia, Vietnã, Afeganistão, Iraque, líbia, Irã, libano, Turquia, Palestina, Egito………………………desagradou a eles, ou se posicionaram contra sua política de exploração e domínio, recebem logo a classificação de terrorista e estão liberados daí em diante pra fazer o que bem entendem. Pronto, e vai ficar por isso mesmo, pois eles tem mais poder, mais arsenal, dinheiro…..

  4. Geraldo disse:

    Aí eu te pergunto: Quantos inocentes morreram no atentado as torres gêmeas nos EUA, são terroristas sanguinários sim.

  5. Bolsominion disse:

    Luciano, se tem um país que matou inocentes, sob a desculpa de estar defendendo a paz, foram os EUA. Faz uma pesquisa rápida no google que tu vai ver que eles já fora aliados do Irã quando convinha aos interesses deles. O ataque nada mais é de que uma forma de Trump ganhar corpo nas eleições. Isso já foi feito por outros Presidentes norte americanos.

    • Fernando Henrique disse:

      Nenhuma mentira, de fato. Mas é preciso tratar uma obviedade como tal.
      Todos os países (até nosso "exército") já mataram inocentes em nome da paz. Qualquer nação que tenha força armada, o fez.
      Outra, se alguém se aliar a outra parte contra seus interesses… Eu não sei nem qual o castigo merecido.

    • Bento disse:

      Barbaridade.
      Quanta mentira isto é um verdadeiro absurdo.
      Parece discurso de um partido aqui do Brasil (13).

  6. Ricardo disse:

    Só li verdades.

EUA: Pentágono aprova US$ 3,6 bilhões para construção de muro na fronteira do país com o México

Foto: Reuters/Direitos Reservados

A pedido do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, o Pentágono anunciou ontem (3) a liberação de 3,6 bilhões de dólares (15 bilhões de reais) para a construção de 280 quilômetros de um muro na fronteira do país com o México.

Para desbloquear estes fundos, o Departamento de Defesa americano decidiu adiar ou suspender 127 projetos de construção e de modernização de instalações militares nos Estados Unidos e no exterior previstos no seu orçamento de 2019, indicou à imprensa um porta-voz do Pentágono, Jonathan Hoffman.

O secretário da Defesa, Mark Esper, argumentou que o muro é necessário para apoiar os esforços das Forças Armadas na região e, por isso, “o Departamento de Defesa vai realizar 11 projetos de construção militar da barreira fronteiriça”.

Segundo o responsável por assuntos de segurança interna no Pentágono, Kenneth Rapuano, esses recursos serão usados para reforçar segmentos do muro já existentes e na construção de novos trechos.

A construção de um muro na fronteira mexicana foi uma das principais promessas de campanha de Trump, para conter a entrada de imigrantes da América Latina. Após o Congresso aprovar apenas 1,4 bilhão de dólares para esse fim dos 5,7 bilhões solicitados pelo governo, no início deste ano, o presidente declarou emergência nacional para conseguir esses fundos sem a aprovação do Legislativo.

A declaração de emergência permite ao governo usar recursos do orçamento militar para essa finalidade. O Pentágono, então, afirmou que poderia destinar 3,6 bilhões de dólares para o muro. Em março, enviou ao Congresso uma lista com projetos que teriam seus recursos desviados nesta reestruturação orçamentária.

De acordo com o Departamento de Defesa, a construção do muro pode começar daqui a cerca de 100 dias em terras que pertencem ao governo. Atualmente, mais de 4,5 mil militares estão atuando na fronteira do país.

O general Andrew Poppas, diretor das operações no Estado-Maior americano, indicou que a construção dos novos segmentos do muro permitirá reduzir o número de militares destacados na região.

O anúncio foi criticado por legisladores democratas. O líder dos democratas no Senado, Chuck Schumer, disse que entre os projetos afetados está um edifício da academia militar de West Point.

“É um tapa na cara das Forças Armadas que servem ao nosso país”, escreveu Schumer no Twitter. Trump está “pronto para canibalizar fundos militares já atribuídos para satisfazer o seu ego e por um muro que prometeu que o México pagaria”, adiantou.

A presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, a democrata Nancy Pelosi, também argumentou que a realocação de recursos pode prejudicar projetos importantes que já foram planejados.

“Roubar dinheiro de construções militares, em casa e no exterior, prejudicará nossa segurança nacional, a qualidade de vida e moral das nossas tropas e, de fato, tornará os Estados Unidos menos seguros”, afirmou a democrata.

Deutsche Welle