FOTO: Polícia Civil prende integrantes de quadrilha especializada em assaltos a carros-fortes e bancos no RN

Foto: Divulgação/Polícia Civil

 

 

A Polícia Civil prendeu quatro pessoas e cumpriu mais dois mandados de prisão contra dois detentos em uma operação que aconteceu no Rio Grande do Norte, Pernambuco e no Paraná, contra uma quadrilha especializada em roubos a bancos e ataques a carros-fortes. De acordo com os investigadores, os crimes foram praticados em vários estados do país, mas principalmente no potiguar.

A “Operação Andarilhos” foi comandada pela Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado (Deicor), com apoio de policiais de outras localidades, e aconteceu entre a terça (8) e esta quinta-feira (10). O resultado foi divulgado em entrevista coletiva nesta sexta (11).

A notícia foi destaque em reportagem no portal G1-RN. Clique aqui e acesse todos os detalhes.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. joão carlos disse:

    o estatuto do desarmamento é realmente um sucesso pessoal! não podemos deixar bolsonaro liberar as armas! só com as armas sendo proibidas é que teremos segurança SQN

Polícia Civil do RN prende, em Natal, dois irmãos suspeitos de homicídios, tráfico de drogas e roubo a bancos na Bahia

Foto: Divulgação/Polícia Civil

Policiais civis da Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado (DEICOR), em operação conjunta com a Delegacia de Polícia Civil de Bom Jesus da Lapa/BA, prenderam, na manhã desta quinta-feira (19), os irmãos Décio Douglas Silva Oliveira, 24 anos, e Roberto Silva Hora, 32 anos.

Após trabalho de investigação, foi confirmado que os dois homens, que são foragidos da justiça baiana e naturais de Bom Jesus da Lapa/BA, estavam morando na Capital Potiguar. Os policiais da DEICOR empreenderam diligências e conseguiram prender Décio Douglas e Roberto Silva, os quais portavam documentos falsos. A prisão aconteceu no bairro Dix Sept Rosado, em Natal.

Os dois irmãos são apontados como chefes de uma facção criminosa na Bahia e seriam responsáveis por diversos crimes de homicídios, além de responderem por tráfico de drogas e roubo a banco no Estado do Mato Grosso. Eles foram encaminhados à DEICOR e autuados em flagrante pelo uso de documento falso.

A Polícia Civil pede que a população continue enviando informações de forma anônima, através do Disque Denúncia 181 ou do Disque DEICOR, através do fone 3232-2862

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS

Polícia Civil do RN participa de Operação nacional para prender investigados por homicídios e feminicídios

Na manhã desta terça-feira (28), policiais civis de diversas delegacias, tanto da Grande Natal, quanto do interior, participaram da Operação Cronos II, que foi deflagrada em todo o país, com o objetivo de prender investigados por crimes de homicídios e feminicídio. Até o momento, no Rio Grande do Norte, foram presas 33 pessoas. Destas, 11 foram presas por homicídio, 11 por roubo, 5 por tráfico de drogas, 3 por posse ilegal de arma de fogo, 2 por violência doméstica e 1 por estupro de vulnerável.

A Operação Cronos II é coordenada pelo Conselho Nacional dos Chefes de Polícias Civis (CONCPC) e conta com apoio do Ministério da Segurança Pública (MSP). A escolha do nome Cronos vem da referência à supressão do tempo de vida da vítima, reduzido pelo autor do crime

*Cronos I –* em agosto de 2018, a Polícia Civil do RN participou da primeira Operação que prendeu 21 pessoas no Estado, mediante o cumprimento de mandados de prisões. Foram presos investigados pelos crimes de feminicídios (consumados e tentados), estupro e estupro de vulnerável. Também foram presos suspeitos que descumpriram medidas protetivas previstas na Lei Maria da Penha.

Esta é a segunda fase da operação Cronos, coordenada pelo Ministério da Justiça, que tem apoio do Ministério da Segurança Pública (MSP) e é coordenada pelo Conselho Nacional dos Chefes de Polícias Civis (CONCPC). Na época, mais de mil pessoas foram presas em todo o país e 75 adolescentes foram apreendidos e a ação contou com aproximadamente 6,6 mil policiais civis.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS

FOTO: Polícia Civil do RN pede ajuda da população para identificar suspeito por estelionato em Natal

Foto: Divulgação/Polícia Civil

A 3ª Delegacia de Polícia Civil de Natal divulgou, nesta terça-feira (2), imagens de um homem que é investigado por ter aplicado, no dia 30 de março de 2019, um golpe em um cliente de um banco, localizado no bairro do Alecrim. Além disso, ele já vem sendo investigado, desde o início de fevereiro, por ter clonado um cartão de crédito de uma vítima e ter causado o prejuízo de R$ 11.019,95 em compras feitas em um shopping de Natal.

Caso

“Nós descobrimos que a dona do cartão foi induzida a cortar o cartão em quatro pedaços e entregar os pedaços para um portador, que é este homem que está sendo procurado por nós, depois de ter recebido uma ligação de uma suposta funcionária do banco, alegando que o seu cartão havia sido clonado. De posse dos pedaços magnéticos, o suspeito conseguiu clonar o cartão e efetuar compras no shopping, usando um CPF registrado no nome do ex-jogador de futebol Deivid de Souza, que já atuou em times como Flamengo e Santos”, detalhou o delegado Júlio Rocha, titular da 3ª DP de Natal.

A Polícia Civil pede ajuda da população para enviar informações anônimas e com garantia de sigilo para o Disque-Denúncia 181.

Polícia Civil do RN: um dos menores efetivos do Brasil

Artigo publicado nesta terça-feira(05) pelo Sindicato dos Policiais Civis do Rio Grande do Norte(Sinpol-RN) destaca “uma instituição em processo de extinção”. Confira íntegra abaixo.

A Polícia Civil do Rio Grande do Norte (PCRN) é uma instituição que vem sendo sucateada há anos, seus profissionais trabalham em delegacias com condições estruturais totalmente adversas, salários atrasados, sem equipamentos adequados e com sobrecarga de demandas. Há dez anos sem realizar concurso publico, a PCRN possui um dos menores efetivos do Brasil. Estamos em 23º no ranking em comparação com os 27 estados da federação (fonte: COBRAPOL).

A proporção ideal de policial/habitante é relativa, os contextos sócio-culturais envolvidos como credibilidade da força policial e níveis de violência variam em todos os lugares, a quantidade de policiais necessária em Tóquio, considerada a capital mais segura, não é a mesma de Natal que é uma das cidades mais violentas do mundo. Em análise aos contextos e peculiaridades locais em 2010 foi instituído através da Lei Complementar 417/2010, que o efetivo policial civil necessário ao RN era 5.150 policiais, e hoje contamos com um efetivo de 1.398. Em 2010, o estado do RN era um dos mais seguros do Brasil, ao contrário de hoje.

Estudos realizados por duas universidades em Santa Catarina (UFSC e UNISUL), que envolvem a atividade policial civil, demonstram que 60% do efetivo estava acometido por síndrome de burnout, caracterizando a atividade como de estresse excessivo e demonstrando não haver diferença significativa entre o policial operacional de rua e aquele que faz atividade de atendimento ao publico e coleta de oitivas, referentes a atividades internas. Fadiga e sobrecarga de trabalho são uns dos itens desencadeadores da síndrome. O efetivo policial civil de SC é maior que do RN.

A PCRN não possui um sistema informatizado que possa garantir otimização do efetivo e uma melhor eficiência na resolução dos crimes, o que também impede a mensuração dos resultados dos trabalhos produzidos demonstrando a produção individualizada por área, por delegacia e por policial. A falta de sistemas informatizados adequados também gera uma subnotificação dos crimes, ausência de informação sobre a criminalidade em diversas áreas e ausência de compartilhamento de informações entre as forças de segurança no estado. Soluções simples para esta situação existem, mas a burocracia e a inscícia por parte dos gestores da nossa instituição relativa a políticas de tecnologia, impedem a implantação de sistemas inteligentes.

Qual a efetividade na resolução de crimes que PCRN tem? A resposta é complexa por não haver dados confiáveis, devido a falta de um sistema informatizado e gerenciável na instituição. A média nacional de resolubilidade de crimes de homicídios dolosos (intenção de matar) é de 6%, conforme dados oficiais da Estratégia Nacional de Justiça e Segurança Pública. Possivelmente nosso índice seja igual ou pior, pois temos uma das policias mais deficitárias do país em relação a efetivo. A impunidade impera no Estado do Rio Grande do Norte.

Nosso estado possui uma das maiores taxas de mortes do sexo feminino no Brasil, de 2015 até agosto de 2018 foram 270 mortes, sendo 71 por razão de gênero. No ranking nacional, o estado potiguar figura na quarta posição com o maior crescimento de mulheres assassinadas, conforme relatório do Observatório da Violência no RN (OBVIO). A maioria desses crimes aconteceu no período noturno e finais de semana. Por motivo do baixo efetivo as delegacias especializadas de atendimento a mulher (DEAM), não apuram lesão corporal, ameaça, importunação ofensiva ao pudor, injuria, calúnia e difamação mesmo tendo motivação de gênero (não sendo em sede de violência domestica); nem tentativa de feminicídio e nem feminicídio. Não há no nosso estado nenhum atendimento especializado a mulher no período noturno e nos fins de semana, as DEAMs fecham a noite por falta de efetivo. No período de maior vulnerabilidade da mulher, ela irá encontrar as portas da Polícia Civil do RN fechadas.

Quais políticas e atitudes o Ministério Publico tem realizado em prol da instituição PCRN no sentido de fortalecê-la? Qual o apoio em prol de um concurso publico e da aquisição de ferramentas que possam qualificar a investigação na luta contra a impunidade? Por que não ajudar a fortalecer uma instituição que pode promover a justiça e proteger a sociedade? “Nenhuma pergunta é tão difícil de responder quando aquela cuja resposta é óbvia”, Bernard Shaw. O Ministério Publico do RN, instituição rica, sólida e bem estruturada, deveria atuar de forma mais contundente na busca do fortalecimento da polícia investigativa, com intuito de diminuir os índices de impunidade e criminalidade no nosso estado.

Muitos policiais se submetem a mais de 70 horas semanais de carga horária, para terem uma complementação salarial em diárias operacionais. O salário em início de carreira de agentes e escrivães é de R$3.755,48, temos um dos piores salários do Brasil, 24º do ranking entre estados. Os policiais civis sofrem há mais de dois anos com regulares atrasos salariais.

Com todas estas adversidades o termo herói não é adequado para o policial civil do RN, pois o herói sempre possui dotes extraordinários, sobre-humanos para superação dos problemas contando com o apoio e admiração de todos. O melhor termo é obstinado, pois mesmo com limitação de forças sendo cobrado, desmotivado, emocionalmente esgotado, e muitas vezes punido segue inflexível no cumprimento de suas missões.

Nilton Arruda
Presidente do SINPOL/RN

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Renato disse:

    Fizeram concurso em 2009 e, por ordem judicial, em 2013 foram inseridos centenas de delegados, escrivães e agentes na Polícia Civil do RN. Alguém viu diferença?? Será que a criminalidade diminuiu nesse tempo no Estado ou aumentou exponencialmente??

  2. Chico disse:

    E vcs querem o quê? Polícia Civil está toda aposentada e os que ficaram trabalham 2 dias por semana. Um monte de menino de 45/50 anos anos, coçando o saco e ganhando salários q ultrapassam, em muito, o teto da previdência. O dinheiro da secretaria vai todo para pagar salário de 25 paus p delegados e outra lapada para agentes, enquanto as delegacias são verdadeiros lixos Um dia desses uma delegada q parecia uma menina falou q estava se aposentando. Acho q não tinha nem 45 anos kkkk RN falido quem chegar primeiro leva.

  3. Everton disse:

    Tem menos que Sergipe, isso explica muita coisa.

  4. Gerson disse:

    Com os salários que os delegados ganham e com a idade que se aposentam, se colocarmos mais dez deles o Estado quebra de vez!!!

  5. Wilson disse:

    Efetivo e salários.

  6. SD MARCOS disse:

    FALTOU FALAR DA PÉSSIMA GESTÃO E DA FALTA DE COMPROMISSO.

FOTOS: Polícia Civil do RN destrói e incinera 70 máquinas caça-níqueis

Fotos: Divulgação Policia Civil

Na manhã desta quarta-feira (30), 70 máquinas caça-níqueis, apreendidas ao longo do ano de 2018, durante ações realizadas por diversas unidades da Polícia Civil do Rio Grande do Norte foram destruídas e incineradas na Cerâmica Santa Rosa, em São Gonçalo do Amarante.

A ação foi possível mediante a assinatura de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) entre a Corregedoria Geral de Justiça, Polícia Civil e o Instituto Técnico-Científico de Perícia (ITEP). A logística de transporte das máquinas caça-níqueis foi realizada pela Diretoria Administrativa da Polícia Civil.

FOTO E VÍDEO: Nova delegada-geral da Polícia Civil do RN toma posse; novos diretores também foram empossados

Crédito da fotografia: José Aldenir

Na manhã, desta terça-feira (08), a nova delegada-geral da Polícia Civil do Rio Grande do Norte, Ana Cláudia Saraiva Gomes foi empossada pela governadora do Estado, Fátima Bezerra. Na mesma solenidade, que aconteceu na Escola de Governo, também foram empossados os novos diretores da Polícia Civil do RN.

Diversas autoridades do Estado participaram da cerimônia. A mesa da cerimônia foi composta pela governadora do Estado, Fátima Bezerra; pelo vice-governador do Estado, Antenor Roberto Soares de Medeiros; pelo secretário da Segurança Pública e da Defesa Social (SESED), Francisco Canindé de Araújo Silva; pela ex-delegada-geral da Polícia Civil, Adriana Shirley; pela secretária de Justiça e Cidadania (SEJUC), Arméli Brenand; pelo representante da Procuradoria-Geral de Justiça, o promotor Leonardo Nagashima; pelo presidente da OAB, Aldo Medeiros Lima Filho; pela representante da Câmara de Vereadores de Natal, vereadora Nina Souza; pela superintendente da Polícia Federal, Tânia Maria Mattos Ferreira Fogaça ; pelo defensor-geral do Estado, Marcos Vínicius Soares Alves e pelo comandante da Guarda Municipal de Natal, Alberfran Câmara Grilo. A solenidade também contou com a presença de delegados, agentes e escrivães da Polícia Civil.

Em seu discurso a governadora do Estado, Fátima Bezerra, deixou clara a alegria em empossar a delegada Ana Cláudia Saraiva. “Vejo em Ana Cláudia o desejo sincero de quem deseja contribuir com a segurança pública. Digo da minha alegria em dar posse a você e a sua equipe, pois tenho convicção de que vocês estarão irmanados no espírito público de servir ao povo do Rio Grande do Norte. Esta equipe renova minha esperança e eu não medirei esforços para contribuir com a segurança pública”, destacou a governadora.

“Implantaremos na Polícia Civil um planejamento estratégico, para os próximos quatro anos. Temos consciência das enormes dificuldades financeiras que teremos que enfrentar, mas não mediremos esforços para buscar alternativas e recursos, entre elas, a melhoria das instalações físicas das delegacias de polícia, de modo que nossos policiais tenham um ambiente de trabalho digno para atender a população. Vamos implementar um modelo de gestão mais que eficaz, eficiente, pois teremos que fazer mais, com menos”, destacou a delegada-geral, Ana Cláudia Saraiva, durante o seu discurso de posse.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Chico disse:

    Baixando a bola, se vestindo de acordo com a ideologia de aldamares/mito. Kkkkkkk, pensa que engana!

  2. ? disse:

    moça atraente…

  3. Bento disse:

    Meninas vestem rosa e Meninos vestem azul, simples assim.

    • Potiguar disse:

      E os bolsonaros vão de laranja.

    • Rio disse:

      Potiguar é mais uma viuvinha do presidiário barbudo de nove dedos , vagabundo vermelho adora lamber saco de bandido.

Polícia Civil do RN participa de operação da Polícia Civil de SP contra integrantes de facção criminosa

Legenda da imagem: Da esquerda para a direita, Delegado da Deatur, Márcio Delgado; Diretor da Diretoria de Polícia Civil do Interior, delegado Lenivaldo Pimentel; Delegado-geral adjunto da Polícia Civil, Gustavo Santana e Edmar Rogério Dias Caparroz, delegado da Polícia Civil de São Paulo.

Policiais civis de São Paulo e do Rio Grande do Norte cumpriram no Estado dois mandados de prisão e dois mandados de busca e apreensão contra integrantes de uma facção criminosa com atuação nacional, na manhã desta quinta-feira (14). O cumprimento dos mandados é decorrente da deflagração da Operação Echelon, uma ação conjunta da Polícia Civil de São Paulo, do Ministério Público e da Secretaria de Administração Penitenciária do Estado de São Paulo, que foi efetivada em 14 Estados.

Foram cumpridos dois mandados de prisão contra dois presos que estão detidos no Presídio de Alcaçuz e dois mandados de busca e apreensão nas em uma residência na cidade de Mossoró e em outra residência localizada na zona rural de Apodi.

Sobre as investigações – A Polícia Civil de São Paulo foi acionada para investigar fragmentos de manuscritos que foram encontrados por agentes penitenciários nos esgotos do Presídio de Segurança Máxima de Presidente Venceslau. A investigação revelou a existência de uma célula denominada “Sintonia de Outros Estados e Países”, que contava com o envolvimento de 103 integrantes, dos quais 75 já presos, distribuídos nos Estados de São Paulo, Mato Grosso do Sul; Paraná; Rio Grande do Sul; Pará; Alagoas; Minas Gerais; Góias; Tocantis; Roraima; Rio Grande do Norte; Acre; Amapá e Maranhão.

“ Após o cumprimento destes mandados judiciais e com a colheita de novas provas, nós teremos condições de compartilhar provas com a Polícia Civil do RN, as quais poderão ajudar a elucidar a atuação desta facção criminosa no Estado”, detalhou o delegado da Polícia Civil de São Paulo, Edmar Rogério Dias Caparroz.

De acordo com o delegado titular da Delegacia Especializada Assistência ao Turista (Deatur,) Márcio Delgado, que fez parte do cumprimento dos mandados no Rio Grande do Norte, “a arrecadação destas provas na manhã desta quinta-feira (14), ajudará a Polícia Civil do RN a subsidiar várias investigações que estão em curso”.

 

FOTO: Polícia Civil do RN prende acusado por homicídio em Minas Gerais

09.03.2016 Francisco Oliveira da SilvaUma equipe da Delegacia Especializada em Capturas e Polinter (Decap) divulgou, nesta quarta-feira (09), que prendeu Francisco Oliveira da Silva, quando ele estava em Minas Gerais. Ele é acusado de ter matado o fazendeiro José Francisco da Silva, em 15 de agosto de 2015, na cidade de Serrinha. O acusado, que era funcionário de uma propriedade da vítima, usou uma faca para cometer o crime.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. bily disse:

    Bg acho que a policia do nosso estado nao está falando a verdade,segundo a reportagem,pois os familiares da vitima pelo que eu sei pagou detetive e ajudou a policia de Minas Gerais prender esse cara ha mais de 2 meses atras .faltando apenas a vinda dele para o RN..

Polícia Civil do RN empossa 47 agentes de polícia, que irão trabalhar na Grande Natal e interior

posseA Polícia Civil do Rio Grande empossou 47 agentes de polícia, durante uma solenidade realizada na Delegacia de Capturas e Polinter (Decap), na manhã desta sexta-feira (25). Os novos agentes da Polícia Civil do RN irão trabalhar na Grande Natal e em cidades do interior.

Participaram do evento o delegado geral de Polícia Civil, Stenio Pimentel; o delegado geral adjunto de Polícia Civil, Adson Kepler; o diretor da Academia de Polícia Civil (Acadepol), delegado Francisco Correia Júnior; o diretor de Polícia Civil da Grande Natal (DPGRAN), o delegado Júlio Rocha; o diretor de Polícia Civil do Interior (Dpcin), delegado Cleiton Pinho; o Diretor de Planejamento e Finanças, delegado Christian Cirino de Medeiros; o Diretor do Setor de Recursos Humanos da Polícia Civil, o delegado Olavo Ferreira Chaves Filho e a delegada da 15ª Delegacia de Polícia, Danielle Filgueira.

“A chegada destes novos agentes de polícia à nossa Instituição é permeada de uma grande missão. Precisamos a cada dia, atender melhor às pessoas que procuram os nossos serviços, a sociedade precisa de um atendimento que seja prestado da melhor forma possível. Acreditamos que este novo grupo de agentes chega para somar e superar obstáculos”, ressaltou o delegado geral de Polícia Civil, Stenio Pimentel. Na solenidade de posse, os quatro primeiros alunos que obtiveram as melhores notas no curso de Formação da Acadepol receberam certificados e distintivos da Polícia Civil do RN.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Joao disse:

    Espero que metade desses nao estejam a disposicao de outros orgaos depois de alguns meses…. ou fazendo greve.

FOTOS: Polícia Civil do RN empossa 29 novos escrivães

mesa1 posse1A Polícia Civil do Rio Grande empossou 29 escrivães, durante uma solenidade realizada na Delegacia de Capturas e Polinter (Decap), na manhã desta sexta-feira (04).

Participaram do evento o delegado geral de Polícia Civil, Stenio Pimentel; o delegado geral adjunto de Polícia Civil, Adson Kepler; o diretor da Academia de Polícia Civil, delegado Francisco Correia Júnior; o diretor de Polícia Civil da Grande Natal (DPGRAN), o delegado Júlio Rocha; o diretor adjunto de Polícia Civil do Interior (Dpcin), delegado Lenivaldo Pimentel; o Diretor de Planejamento e Finanças, delegado Christian Cirino de Medeiros; o diretor Administrativo da Polícia Civil, delegado Gustavo Santana; o Diretor do Setor de Recursos Humanos da Polícia Civil, o delegado Olavo Ferreira Chaves Filho e o presidente da Associação dos Escrivães de Polícia Civil do RN, o escrivão Roberto Moura.

“É uma grande satisfação empossar os nossos novos escrivães, que chegam para engrandecer a Polícia Civil do nosso Estado. Agora iniciam uma nova fase, depois de quatro meses intensos dentro do curso de Formação realizado pela Academia de Polícia Civil (Acadepol). Aqui fica o nosso agradecimento para todos os funcionários e professores que não mediram esforços para oferecer a melhor preparação para os nossos novos policiais civis”, ressaltou o delegado geral de Polícia Civil, Stenio Pimentel.

Na solenidade de posse, as três primeiras alunas que obtiveram as melhores notas receberam certificados e seus distintivos. Os novos escrivães irão trabalhar na Grande Natal e em cidades do interior. “Estou muito satisfeito em ter sido instrutor da turma de vocês e saber que irão trabalhar com um sistema de gestão cartorária (Siscart), em uma versão atualizada. Todas estas informações digitalizadas serão fundamentais para nosso trabalho”, afirmou o delegado geral adjunto de Polícia Civil, Adson Kepler.

Polícia Civil do RN deflagra operação “Recado Dado”; suspeito de matar homem com 78 tiros em Ponta Negra é preso

A Delegacia Especializada de Homicídios (Dehom) deflagrou, na manhã desta quinta-feira (11), a Operação “Recado Dado” e prendeu Adriano Lemos Araújo do Nascimento, de 29 anos, por ser o suspeito de ter disparado 78 tiros contra Tércio Duarte da Silva, no dia 03 de fevereiro em Ponta Negra.

“Depois de quatro meses de investigações conseguimos provas irrefutáveis que revelaram a participação de Adriano Lemos no crime. A moto preta usada no dia do crime era dele e o capacete preto, que foi apreendido na casa dele, também foi identificado como sendo o utilizado pelo atirador. Descobrimos que Adriano também é conhecido por “Raul Ferraz”, “Cabeça” e “Matador” e que ele possui ligação com o tráfico de drogas. Não temos dúvida da participação dele na morte de Tércio”, detalhou o delegado titular da Dehom, Fábio Rogério.

De acordo com o delegado, as investigações ainda irão prosseguir, pois ainda existem outras pessoas que estão envolvidas com o crime. “Batizamos o nome da Operação de “Recado Dado” para deixar claro que a Dehom está trabalhando de forma firme e constante para combater a atuação dos criminosos”, afirmou o delegado Fábio Rogério.

PRESO E FORAGIDO – No dia 24 de abril, a Especializada prendeu Marcos da Silva Andrade (33 anos). Ele era o homem que dirigia o veículo no qual estava a vítima. A Dehom identificou que José Francisco da Silva é um dos envolvidos no crime que está foragido.

FOTOS: Polícia Civil do RN incinera aproximadamente 700 quilos de drogas‏

IMG_20140924_110307864 IMG_20140924_110407470 IMG_20140924_111547806A equipe da Divisão Especial de Investigação e de Combate ao Crime Organizado (Deicor), comandada pela delegada Sheila Freitas, realizou na manhã desta quarta-feira (24) a queima de aproximadamente 700 quilos de drogas. O material incinerado foi apreendido nos dias 02 de junho e 25 de julho deste ano durante a Operação Typhoon. A incineração foi feita na cerâmica Jacaraú, localizada na comunidade de Uruaçu, em São Gonçalo do Amarante. No material incinerado havia maconha e pasta base para cocaína.

O delegado geral, Adson Kepler, que acompanhou a incineração, disse estar satisfeito com o trabalho desenvolvido pela Polícia Civil no combate ao tráfico, “Fizemos um trabalho excepcional antes da Copa, com a apreensão de 2 toneladas de droga, o que foi essencial para que o evento tivesse a segurança que teve. Vamos continuar fazendo esse trabalho, tanto Denarc quanto Deicor estarão trabalhando para combater o tráfico no Rio Grande do Norte”, disse.

Além da equipe do Deicor e do delegado geral Adson Kepler, estiveram presentes para acompanhar a incineração o delegado geral de Polícia Civil Adson Kepler, policiais do Instituto Técnico-Científico de Polícia (ITEP), representantes da Vigilância Sanitária e do Ministério Público.

Operação Typhoon

A Operação Typhoon foi deflagrada nas cidades de Natal, Currais Novos, Parelhas e Caicó, com o objetivo de combater o tráfico de drogas. Durante a ação policial foram apreendidos, além dos 700 quilos de droga, cerca de R$ 210 mil, veículos, armas e munições.

A droga apreendida seria distribuída para os estados do Ceará, Paraíba e Pernambuco. Durante a Operação a quadrilha, que tinha conexões com quadrilhas do Acre e de alguns países sul americanos, foi desarticulada com a prisão de 10 pessoas.

Operação "FireStone"(FOTOS): Polícia Civil do RN cumpre 11 mandados de busca e apreensão na Itália

1111111111111 22222222A Polícia Civil do Rio Grande do Norte deflagrou nessa quinta-feira (26/06), na Itália, a Operação “FireStone”, para dar continuidade às investigações do homicídio que vitimou o italiano Enzo Albanese, morto no último dia 02 de maio, em Natal/RN e proceder na desarticulação da Organização Criminosa de Pietro Ladogana, acusado de ser o mandante do assassinato. Desde as primeiras horas de hoje estão sendo cumpridos 11 Mandados de Busca e Apreensão, nas casas dos sócios italianos das empresas de Ladogana, expedidos pelo Procurador da República Dr. Andrea Vacca.

O Delegado Raimundo Rolim se encontra na Itália desde o dia 22 de junho, onde realiza diligências policiais, entrevistas, interrogatórios e mandados de buscas, contando com a colaboração com a Polícia Carabinieri de Budoni – Sardenha, que instaurou procedimento de investigação criminal comandado pelo Procurador da República Dr. Andrea Vacca e o Maresciallo Capo Gianluca Lombardi contra o italiano Pietro Ladogana, o qual se encontra preso em Civitavecchia, distante 80km de Roma, Capital italiana.

Pietro Ladogana estava sendo investigado pela polícia italiana e pela Polícia Civil do Rio Grande do Norte e contra ele já havia um Mandado de Prisão expedido pelo Juiz de Direito da 2ª Vara Criminal do Distrito Judiciário da Zona Sul da Comarca do Natal/RN, Dr. Alceu José Cicco. O italiano Pietro Ladogana foi preso no dia 29 de maio, no aeroporto de Fiumicino em Roma, quando tentava embarcar para o Brasil, com € 120.000,00 (cento e vinte mil euros) que não tinha declarado a autoridade Doganale da Itália. Ele é o principal suspeito da morte de Enzo Albanese, italiano que residia no Brasil há mais de oito anos.

O Delegado Geral da Polícia Civil do RN, Adson Kleper e o Secretário Estadual de Segurança Pública, General Eliezer Girão Monteiro Filho, expediram Cartas de Apresentação para que o Delegado Rolim realizasse diligências policiais em estreita cooperação com a Polícia Italiana Carabinieri em Frescati, Fiumicino, Civitavecchia, Ardea, Nettuno e Budoni na Sardenha, onde foi instaurado outro procedimento criminal contra o italiano Pietro Ladogana.

A Organização Criminosa de Ladogana, instalada em Natal/RN, consistia na administração de dez empresas do ramo imobiliário em Natal e Extremoz, todas com sócios italianos não residentes no Brasil e estão envolvidas em diversos crimes de homicídios, tentativas de homicídios, ameaças, estelionatos, fraudes, falsificações de documentos públicos, lavagem de dinheiro e evasão de divisas, dentre outros crimes que também estão sendo investigados pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO), do Ministério Público do Estado do Rio Grande do Norte.

Até agora a Polícia Civil do Rio Grande do Norte, através da Delegacia Especializada em Homicídios (DEHOM), já apreendeu mais de dois milhões de reais em bens móveis e semoventes, isto é, 10 veículos automotores, sendo vários automóveis de luxo e importados; uma Fazenda, no município de Ielmo Marinho/RN (Haras Novo Mundo), com dezenas de animais da raça “Quarto de Milha”, avaliada em mais de 1,5 Milhão, além da quantia de € 36.100,00 (trinta e seis mil e cem euros), em espécie, com a namorada de Pietro Ladogana, quando a mesma desembarcava na Capital potiguar, no último dia 30 de maio, além de computadores Desktops, MacBook, Notebooks, iPads, e, mais de 20 aparelhos celulares de diversas marcas.

A investigação descobriu também que um consórcio de italianos mandou Pietro Ladogana e o Cabo da Polícia Militar, Alexandre Douglas, dar um “susto” no Secretário de Tributação de Extremoz, Giovanni Gomes de Araujo, de  53  anos, em razão da cobrança de ITIV’S dos terrenos comprados e vendidos por Pietro Ladogana e as empresas sob sua administração, resultando em duas tentativas de homicídio contra o referido Secretário.

A primeira tentativa ocorreu em Julho de 2012, na cidade de Extremoz, quando um homem “encapuzado” desceu de um veículo Corolla, de cor prata, e, desferiu três disparos de arma de fogo nas pernas do Secretário e se evadiu, tendo a segunda ocorrida em Agosto de 2013, no estacionamento do Centro de Convenções em Natal, quando um homem não identificado que estava em um Fiat/Siena, de cor prata, desferiu dois disparos de arma de fogo contra o mesmo Secretário de Tributação, atingindo-o novamente nas pernas e se evadiu do local. A partir de então o Secretário de Tributação passou a sofrer ameaças de morte pelo telefone e não teve outra alternativa a não ser pedir exoneração do cargo que exercia na Prefeitura de Extremoz.

Os inquéritos policiais instaurados sobre as tentativas de homicídios já foram avocados pelo chefe da Polícia Civil e farão parte da Investigação Principal, em conexão com o homicídio que vitimou o italiano Enzo Albanese. Outros homicídios praticados pelo grupo de Ladogana também estão sendo investigados pela Delegacia Especializada de Homicídios (DEHOM), Força Tarefa e pela Diretoria de Policiamento da Grande Natal (DPGRAN).

Operação “Pedra de Fogo”

Em entrevista coletiva concedida no dia 02 de Junho, a equipe da Delegacia de Homicídios deu detalhes sobre as prisões dos suspeitos de envolvimento no assassinato do italiano Enzo Albanese, realizada durante a operação batizada de “Pedra de Fogo”. No dia 30 de maio foi presa em Natal, a ex-mulher de Pietro, Tamara Ladogana, acusada de dar apoio no homicídio e o Policial Militar Alexandre Douglas Ferreira, acusado de ser o executor do crime. Os suspeitos foram presos por força de mandados de prisão temporária expedidos pela 2ª Vara Criminal de Natal. Também foram cumpridos, naquela ocasião, doze mandados de busca e apreensão.

A motivação do crime se deu porque a vítima teria descoberto e denunciado a fraude de uma dessas empresas administradas por Pietro Landogana. A Empresa é a Globo Construções LTDA, que teria adquirido a Fazenda Telha, localizada em Ielmo Marinho/RN. A propriedade foi transferida ilegalmente para laranjas e depois para Pietro. “Enzo era procurador de um dos sócios da empresa, fazendo a cobrança de alugueis de imóveis. Ele descobriu o esquema fraudulento e denunciou a um dos sócios dessa empresa cerca de um mês antes de seu assassinato. Após a denúncia, ele passou a receber ameaças de morte, uma delas do policial Alexandre Douglas”, detalhou Rolim. A vítima chegou a registrar um boletim de ocorrência e denunciou as ameaças a sócios da empresa.

A Operação “Pedra de Fogo” foi assim batizada fazendo uma alusão ao principal suspeito do crime Pietro, versão italiana do nome Pedro (que significa “Pedra”), e, “fogo” porque os suspeitos passaram a “queimar” (matar) as testemunhas que estavam delatando a organização criminosa. A ação contou com a colaboração do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (GAECO).

Pietro Landogana

Pietro Landogana trabalhava como encanador e eletricista na Itália e veio para o Brasil como fugitivo da polícia italiana, já que ele era investigado por vários crimes naquele país. No Rio Grande do Norte, ele passou a trabalhar na venda e compra de imóveis, sendo apontado como dono de empresas fraudulentas no ramo. Nesse sentido ele passou a adquirir e fazer a lavagem de uma vasta quantia em dinheiro. Por trás dessa quadrilha estaria atuando a uma organização criminosa italiana denominada de Máfia Casalesi.

O crime

Enzo Albanese foi morto em frente a sua casa, localizada na Rua Francisco Pignataro, no bairro de Capim Macio, Zona Sul da capital potiguar, na noite do último dia 02 de maio. Dois homens teriam se aproximado da vítima num Corolla de cor prata e efetuado disparos de pistola calibre 380. O italiano retornava de um supermercado, quando foi surpreendido pelos criminosos.

FOTO: Polícia Civil do RN recebe delegacia móvel para grandes eventos

IMG000000000031600A Polícia Civil do Rio Grande do Norte conta agora com uma delegacia móvel para ser usada em grandes eventos no estado. O ônibus foi recebido pela Instituição graças a convênio firmado com o Ministério da Justiça, através da Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos (SESGE), num investimento de aproximadamente 1,1 milhão de reais.

O ônibus é climatizado e caracterizado com o símbolo e as cores da Polícia Civil do RN. O veículo possui sistema interno e externo de câmeras de monitoramento, um sistema de elevação para cadeirantes (acessibilidade), além de um gerador de 30kva para alimentar servidor, computadores, central de telefonia e o sistema de monitoramento.

O interior da delegacia móvel conta com um gabinete para autoridades, três espaços para atendimento, dois espaços para cartório, um ambiente de contenção (cela), alojamento para os policiais, banheiro e copa.  Ao todo 30 policiais civis já foram treinados para operacionalizar o ônibus, dentre motoristas, agentes, delegados e servidores da área de tecnologia da informação.

A delegacia móvel será usada nos jogos realizados no estádio Arena das Dunas, durante a Copa do Mundo 2014, bem como no evento Fifa Fan Fest em Natal. Além disso, estará disponível para outros eventos de grande porte como o Carnatal, por exemplo.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Norbeto Charles disse:

    Espero que a Delegacia Móvel jamais seja usada em um evento privado como o Carnatal, até porque poderia configurar improbidade administrativa ao gestor que autorizasse.

  2. Jerb disse:

    E o combustível, quanto tempo durará?

  3. Natã disse:

    Ou esses 30 possíveis policiais são da força Nacional que irá embora desse sofrido e velho faroeste tão logo termine a copinha ou desativaram algumas delegacias no já abandonado interior para conseguir esse número expressivo de policiais. Pois para quem acompanha o Diário Oficial do RN pode perceber a enxurrada de exonerações por abandono (falta de condições de trabalho para os agentes), ou a pedido dos servidores que buscam ares bem melhores para conviver. É muito estranho esse número. ????????????????
    GOOOOOOOOOOOOOLLLLLLLLL!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  4. Alex disse:

    Uma pergunta: Quanto tempo até quebrar uma peça desse ônibus e o Estado não ter dinheiro para consertar?

Polícia Civil do RN e representantes da FIFA se reúnem nesta quarta em Natal

Nesta quarta-feira, dia 07 de maio, a Academia de Polícia Civil (Acadepol) promove uma reunião com representantes da Copa do Mundo de 2014. O objetivo é trazer instruções específicas aos policiais civis que atuarão durante os jogos.

A reunião acontece às 09hs, na Escola de Governo, localizada no Centro Administrativo. Estarão presentes profissionais da Polícia Civil, da Secretaria Extraordinária para Assuntos Relativos à Copa do Mundo 2014  (SECOPA), da Comissão Estadual de Segurança para Grandes Eventos (COESGE), Polícia Militar e da FIFA.

O evento será voltado para o efetivo das Delegacias de Plantões e integrantes do Plano Básico de Segurança da Polícia Civil para a Copa.