RJ tem menor número de homicídios desde 1991, mas mortes por ações policiais subirão até dezembro, diz secretário

Reprodução: TV Globo

O secretário de Polícia Civil do Rio de Janeiro, delegado Marcus Vinícius Braga, adiantou em uma entrevista concedida na manhã desta quarta-feira (21) ao Bom Dia Rio que os números de homicídios por ação policial cresceram e devem aumentar até, pelo menos, o mês de dezembro deste ano. Ele afirmou também que o estado registrou o menor número de homicídios dolosos desde 1991.

“A tendência é subir até dezembro, porque as ações estão sendo feitas. Conforme a gente for trabalhando as investigações, a inteligência, a integração com a Polícia Militar, a tendência é abaixar. É um número alto, não é o número que a gente deseja”, explicou Braga, que não citou os números.

No primeiro trimestre do ano, foram 434 pessoas mortas, de acordo com os dados do ISP. Uma média de sete óbitos por dia. Foi o maior número desde 1998.

De acordo com os números apresentados pelo secretário, que devem ser oficialmente divulgados pelo Instituto de Segurança Pública (ISP) durante a tarde, foram registrados 2.392 casos de janeiro a julho desde ano. Em 2018, foram 3.101 casos.

“Só esse ano a gente prendeu 700 homicidas. Em mais ou menos quatro semanas, fizemos uma operação em Queimados e prendemos uma quadrilha enorme de homicidas. Ficamos 14 dias sem homicídio lá. Além da ostensividade, temos que focar na investigação”, ressaltou Braga, afirmando que os números são “maravilhosos”.

Sequestro na Ponte Rio-Niterói

O delegado afirmou que o sequestro do ônibus na Ponte Rio-Niterói, que terminou com o sequestrador Willian Augusto da Silva morto por atiradores de elite e 39 reféns libertados, está sob a investigação da Divisão de Homicídios (DH) e que o caso aparenta ser um atuação isolada.

“Pela experiência que eu tenho, acredito que seja um surto psicótico. Já era uma pessoa com alguns problemas, isso foi falado pela família. Isso o torna mais perigoso do que um criminoso comum, que sabe o que está fazendo”, contou Braga.

Ele definiu a operação como “exitosa”.

Operação na CDD

Sobre a operação realizada na terça na Cidade de Deus, na Zona Oeste, e questionada por moradores pelo uso de aeronaves e por artefatos serem jogados no meio da comunidade, Marcus Vinícius Braga destacou ainda que acredita que o helicóptero é necessário por ser um “salvador de vidas”, e por oferecer uma visão privilegiada e permitir uma visão de cima das comunidades.

“Quando não tem o águia, a reportagem mostra de 30 a 40 minutos de tiroteio. O tempo de tiroteio com a presença do águia é de três minutos”, contou.

Segundo o secretário, as bombas jogadas de helicóptero eram armamentos não letais e que a polícia não possui granadas defensivas, capazes de machucar.

“A Polícia Civil, quando vai a uma operação, ela já fez um trabalho de investigação, já obteve um mandado de prisão, já fez o planejamento prévio e trabalha com inteligência na hora”, explicou Braga.

Morte de jovens

Sobre a morte de seis jovens a tiros em cinco dias, o secretário afirmou que as operações são dificultadas quando inocentes são atingidos. Ele afirmou que criminosos têm interesse em atingir pessoas que não possuem relação com o crime em situações como essa.

Na última sexta-feira (16), o governador Wilson Witzel também deu uma declaração nesse sentido ao afirmar que se solidariza com as famílias das vítimas, mas que a culpa pelas mortes não era das forças de segurança, mas sim dos criminosos.

“Há situações que traficantes, assim que a polícia entra, atiram em inocentes pois sabem que a operação vai acabar”, afirmou Braga.

G1

 

Municípios considerados polos no RN, Natal, Mossoró e Parnamirim, registram queda de homicídios entre 26,2% e 45,7%

Foto: Ilustrativa

A continuidade na redução dos números de Condutas Violentas Letais e Intencionais (CVLIs) ao longo dos meses em 2019 é destaque nesta sexta-feira(02) no Rio Grande do Norte. A Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed) divulgou dados que apontam um início de segundo semestre com diminuição nas estatísticas, quando comparado aos números de 2018.

Outro importante quesito de redução ocorreu em municípios considerados polos no Rio Grande do Norte, são eles Natal, Mossoró e Parnamirim. Na capital potiguar, a maior diminuição desde 2015, com índice 45,7% casos a menos. Em 2018, foram 322 ocorrências, 147 a mais do que em 2019, quando foram registradas 175. De acordo com a Coine, Natal ficou, ainda, oito dias sem nenhuma ocorrência de CVLI durante o mês de julho. Além de Natal, Mossoró reduziu em 26,2% as suas ocorrências na comparação entre 2018 e 2019, dado semelhante ao registrado em Parnamirim, com uma redução de 27,9%.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gil disse:

    Polo de produção de bandidos. O RN está se firmando como o Estado que produz a maior quantidade de bandidos no Brasil. Inclusive é especialista em produzir aqueles bandidozinhos pé-de-chinelo, que anda limpando o cu e com tatuagem mal feita.

  2. Ems disse:

    É Gópi !!!

Sesed aponta continuidade na redução no número de homicídios em 2019; Natal registra a maior diminuição desde 2015

A Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed) divulgou, nesta sexta-feira (02), a continuidade na redução dos números de Condutas Violentas Letais e Intencionais (CVLIs) ao longo dos meses em 2019. Dessa vez, os dados apontam um início de segundo semestre com diminuição nas estatísticas, quando comparado aos números de 2018.

Os dados, divulgados pela Coordenadoria de Informações Estatísticas e Análise Criminal (Coine), apontam uma redução significativa nas estatísticas de CVLIs até o mês de julho. Comparado ao ano anterior, as estatísticas da Sesed apontam um número de 383 vidas poupadas.

Entre os indicadores, a Secretaria destaca a redução em ocorrências diretas contra a juventude, faixa segmentada entre 16 e 29 anos. De janeiro a julho de 2019, em comparação ao mesmo período do ano anterior, houve uma diminuição total de 34,1%. O período etário que apresentou a maior subtração foi entre 16 e 17 anos, quando o estado saiu de 89 casos em 2019, para 49 registros em 2019, 44,9% de redução.

Outro importante quesito de redução ocorreu em municípios considerados polos no Rio Grande do Norte, são eles Natal, Mossoró e Parnamirim. Na capital potiguar, a maior diminuição desde 2015, com índice 45,7% casos a menos. Em 2018, foram 322 ocorrências, 147 a mais do que em 2019, quando foram registradas 175. De acordo com a Coine, Natal ficou, ainda, oito dias sem nenhuma ocorrência de CVLI durante o mês de julho. Além de Natal, Mossoró reduziu em 26,2% as suas ocorrências na comparação entre 2018 e 2019, dado semelhante ao registrado em Parnamirim, com uma redução de 27,9%.

Em relação aos tipos de ocorrências com melhores índices de redução, os dados de homicídio doloso obtiveram destaque, com 35,3%, assim como de lesão corporal seguida de morte, que apontou uma diminuição de 28,1% nos registros, e as estatísticas de latrocínio ficaram em 37,3% de redução.

De acordo com o Secretário da Sesed, Coronel Francisco Araújo, as significativas reduções em 2019 têm relação com alguns fatores. “Melhor planejamento e integração das forcas policiais, tanto as estaduais, municipais, quanto federais que atuam no RN (PF, PRF e ABIN), Guardas Municipais, além das Forças Armadas, maior apoio do Poder Judiciário e do Ministério Público Estadual, maior controle do sistema prisional e o apoio inconteste do Governo do Estado a todas as ações dos órgãos do sistema de segurança pública”, aponta Araújo.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. WASHINGTON disse:

    PRECISA REDUZIR A QUANTIDADE DE ASSALTO , TA ENORME , NÃO COSTA NOS REGISTROS POR QUE AS PESSOAS NÃO FAZ MAIS O BO , POIS NÃO DA EM NADA. É ASSALTO A ONIBUS, E ASSALTOS NAS RUAS E PARADAS , PEQUENOS COMERCIOS E RESIDENCIA. PRECISA ACABAR COM ISSO.

  2. Ted disse:

    Se a bandidagem souber que o cara tem uma arma, cai ainda mais, vão com medo, pensa duas vezes antes de enfrentar.
    Quem tem C… tem medo. Né mesmo???

Ex-presidente do Flamengo e mais 7 são indiciados por homicídios por tragédia em CT

Foto: Reprodução/GloboNews

A Polícia Civil do Rio de Janeiro indiciou por homicídio com dolo eventual – quando se assume o risco de matar – o ex-presidente do Flamengo Eduardo Bandeira de Mello e outras sete pessoas pelas mortes de 10 atletas no incêndio no Centro de Treinamento do clube, em fevereiro deste ano.

A tragédia aconteceu em um alojamento improvisado com contêineres em uma área do Ninho do Urubu, como o CT é conhecido, em Vargem Grande, Zona Oeste do Rio.

Muitos dos garotos não conseguiram fugir das chamas. Três jovens foram resgatados com ferimentos, e 13 escaparam ilesos.

O inquérito, assinado pelo delegado Márcio Petra, da 42ª DP (Recreio), também pede o indiciamento por dolo eventual de engenheiros do Flamengo e da empresa NHJ, responsável pelos contêineres, além de um técnico de refrigeração.

Indiciados

Danilo da Silva Duarte, engenheiro da NHJ;

Edson Colman da Silva, técnico em refrigeração;

Eduardo Bandeira de Mello, ex-presidente do Flamengo;

Fábio Hilário da Silva, engenheiro da NHJ;

Luis Felipe Pondé, engenheiro do Flamengo;

Marcelo Sá, engenheiro do Flamengo;

Weslley Gimenes, engenheiro da NHJ.

Em nota, o Flamengo informou ainda não ter sido notificado e que, por isso, não ia comentar o caso.

O ex-presidente do Flamengo Eduardo Bandeira de Mello também disse que ainda não tinha sido notificado e, por isso, não podia se manifestar.

Na investigação, a polícia observou as seguintes questões:

Conhecimento de que diversos atletas da base residiam no contêiner;

Estrutura incompatível com a destinação (dormitório);

Contêiner com diversas irregularidades estruturais e elétricas;

Ausência de reparos dos aparelhos de ar condicionado instalados no contêiner;

Ausência de monitor no interior do contêiner;

Recusa de assinatura do TAC proposto pelo Ministério Público do Rio de Janeiro para que fosse regularizada a situação precária dos atletas da base do Flamengo;

Piora das condições do alojamento dos jogadores da base, inclusive, no que se refere a segurança contra incêndio, assinalada nos autos de uma ação civil movida pelo MPRJ;

Descumprimento da ordem de interdição do CT editada pela prefeitura por falta do alvará de funcionamento e do certificado de aprovação do Corpo de Bombeiros;

Múltiplas multas impostas pelo município diante do descumprimento da ordem de interdição;

Causa entre o cenário exposto e o incêndio.

Relembre o caso

No dia do incêndio, os jovens dormiam em um alojamento improvisado com contêineres quando o fogo destruiu a estrutura.

O laudo da Polícia Civil sobre a tragédia aponta que as chamas foram causadas por um curto-circuito em um dos aparelhos de ar-condicionado. O material do revestimento dos módulos permitiu que as labaredas se alastrassem.

Quem são os 10 garotos mortos no incêndio do CT do Flamengo — Foto: Arte/G1

VÍTIMAS

Athila Paixão, de 14 anos;

Arthur Vinícius de Barros Silva Freitas, 14 anos;

Bernardo Pisetta, 14 anos;

Christian Esmério, 15 anos;

Gedson Santos, 14 anos;

Jorge Eduardo Santos, 15 anos;

Pablo Henrique da Silva Matos, 14 anos;

Rykelmo de Souza Vianna, 16 anos;

Samuel Thomas Rosa, 15 anos;

Vitor Isaías, 15 anos.

Por causa de um temporal que deixara o Ninho do Urubu sem luz, os treinos daquela sexta tinham sido cancelados. Assim, jovens que tinham residência no Rio puderam dormir em suas casas. Por isso, no momento do incêndio, havia menos jogadores no local do que em dias normais de treino.

DETALHES DO LAUDO

Uma peça do ar-condicionado do cômodo onde o fogo começou indica curto;

Chapas metálicas que revestiam os contêineres indicavam ser compostas por uma espuma de poliuretano injetado, um material altamente inflamável;

G1

 

Bolsonaro critica “especialistas” sobre queda de homicídios no Brasil: “se o número tivesse aumentado, certamente culpariam o governo”

Pelas redes sociais,o  presidente Jair Bolsonaro(PSL) celebrou na tarde desta segunda-feira(13) a queda de 24% dos homicídios no Brasil no primeiro trimestre deste ano comparado ao ano mesmo período ano passado.

Por fim, criticou “especialistas”, que dão poucos méritos ao atual governo. “Se o número tivesse aumentado, certamente culpariam o governo”, disse.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gaius Baltar disse:

    Medidas de segurança levam meses ou até anos para terem efeito, então é óbvio que a queda da criminalidade não tem a ver com o governo atual, até porque segurança pública é atribuição dos governos estaduais.
    Se algum especialista atribuísse um eventual aumento da criminalidade à gestão do governo atual seria tão leviano quanto querer atribuir a queda ao mesmo governo.

  2. Rosa disse:

    Valeu mito, essa foi na mosca. Kkkkkkk

    • eron disse:

      Esse Jumento desse presidente tomou alguma medida para a violência diminuir? Não lembro de nenhum programa ou investimento dele até agora. Somente vi ele dizer que bandido bom é morto. Será que o filho dele e Queiroz, servem para a premissa…?

    • Rosa disse:

      Pra neutralizar bandidos e petralhas, só bater o pé e eles tremem

Governo Temer edita e envia a Moro decreto que fixa em 3,5% a meta de redução de homicídios

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, durante entrevista coletiva em setembro, em Brasília — Foto: TV Globo/Reprodução

A cinco dias do fim do mandato, o governo Michel Temer fixou em 3,5% a meta de redução de homicídios para o ano que vem, segundo decreto publicado na edição desta quinta-feira (27) do “Diário Oficial da União”.

O ministro Raul Jungmann (Segurança Pública), que assina o texto com o presidente, explicou ao blog que o esforço será “gigantesco” porque, segundo ele, o objetivo é alcançar essa redução em um contexto no qual o crescimento médio anual dos homicídios é de 4%.

“Redução absoluta de homicídios de 3.5%. Levando-se em conta que o crescimento médio anual estava em cerca de 4%, é só somar os dois percentuais para se ter uma ideia do esforço”, disse.

Jungmann entregou o plano nas mãos do futuro ministro da Justiça e Segurança Pública, o ex-juiz Sérgio Moro.

“Esse plano foi o primeiro documento que enviei à transição. E entreguei ao Moro fisicamente também”, afirma.

Questionado sobre a expectativa de o plano vir a ser de fato colocado em prática, já que o governo está acabando, o ministro afirmou que Moro pode ajustá-lo. “Mas doravante é preciso ter um plano decenal porque é lei”, afirmou.

Segundo ele, planos semelhantes editados anteriormente eram expressão da vontade dos ministros de Estado, mas nasciam e morriam com eles.

“Se o ministro durasse 15 dias, ou 1 ano ou 3 anos, o ‘plano’ durava igual”, diz.

A meta faz parte do novo Plano Nacional de Segurança Pública e Defesa Social. No documento, o governo estabelece objetivos e programas que devem ser cumpridos no prazo de 10 anos, com ciclos de implementação de dois em dois anos.

O plano também prevê o fortalecimento do aparato de segurança para aumentar o controle de divisas, fronteiras, portos e aeroportos e a ampliação do controle e do rastreamento de armas de fogo, munições e explosivos.

BLOG DO MATHEUS LEITÃO -G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tereza disse:

    Ok, quando era presidente não teve meta de p*** nenhuma, agora vai ter. Fdp

Crescem homicídios no Nordeste e RN lidera taxa de crescimento entre os estados

O jornal Folha de S.Paulo divulgou na edição desta sexta-feira (9) levantamento de homicídios nos estados do Nordeste. O Rio Grande do Norte lidera a taxa de crescimento entre as nove unidades, com taxa de 68 mortes para cada 100 mil habitantes. A análise do jornal atribui o aumento na região ao descontrole nos presídios e à guerra entre facções.

Em três estados houve recorde de assassinatos: Ceará, Pernambuco e Rio Grande do Norte.

Alagoas também teve alta em 2017, enquanto Sergipe, Paraíba e Piauí apresentaram queda, segundo os dados oficiais.

Dois Estados ainda não informaram dados, nem deram previsão de quando irão fazer. A Bahia só tem estatísticas atualizadas entre janeiro e agosto de 2017, quando foram assassinadas 4.267 pessoas. Já o Maranhão informa apenas os números de homicídios registrados na capital, São Luís, onde 591 pessoas foram mortas.

Se considerados os sete Estados que divulgaram os dados, foram mortas 17.913 pessoas, contra 15.077 em 2016. Ao que tudo indica, quando Maranhão e Bahia divulgarem seus dados completos, o Nordeste deve bater seu recorde de 24.825 pessoas assassinadas, registrado em 2016.

RN é o terceiro estado do Brasil no crescimento da taxa de homicídios

O RN é o terceiro estado do Brasil com maior taxa de crescimento de homicídios. É o que aponta um levantamento do Jornal O Estado de São Paulo, divulgado nesta segunda-feira, 21.

De accordo com a publicação, o RN só perde para Pernambuco e Ceará, que lideram as estatísticas. O comparativo é entre o primeiro semestre do ano passado e este ano.

No estado potiguar, o aumento na taxa ficou próximo do que é divulgado na imprensa local. O Estadão informa que a variação entre 2016 e 2017 é de 26,27%. O portalnoar.com, com base em números da Secretaria de Segurança e do OBVIO, projetou variação em torno de 30%.

Em números absolutos, o Rio Grande do Norte cravou 1.161 (2016) e 1.466 (2017) homicídios nos períodos considerados do levantamento.

O Brasil já ultrapassou a marca dos 28 mil assassinatos cometidos neste ano, número 6,79% maior do que no mesmo período do ano passado e indica que o país pode retornar à casa dos 60 mil casos anuais.

Em âmbito local, o aumento é puxado pelas elevações registradas em Estados nordestinos, como Pernambuco. Se o País teve 1,7 mil homicídios a mais neste semestre, boa parte, 913, se deve à derrocada do Pacto Pela Vida, programa pernambucano que vinha conseguindo reduzir os assassinatos na última década, enquanto a região mantinha a tendência de alta.

Com informações do Portal No Ar e do Estado de São Paulo

Brasil registra 28 mil homicídios no 1º semestre

O Brasil já ultrapassou a marca dos 28 mil assassinatos cometidos neste ano. De acordo com dados fornecidos pelas secretarias estaduais de segurança pública, no 1º semestre o País chegou a 28,2 mil homicídios dolosos, lesões corporais seguidas de morte e latrocínios (roubos seguidos de morte). São 155 assassinatos por dia, cerca de seis por hora nos Estados brasileiros, onde as características das mortes se repetem: ligada ao tráfico de drogas e tendo como vítimas jovens negros pobres da periferia executados com armas de fogo. O número é 6,79% maior do que no mesmo período do ano passado e indica que o País pode retornar à casa dos 60 mil casos anuais.

O aumento acontece em um ano marcado pelos massacres em presídios, pelo acirramento de uma briga de duas facções do crime organizado (Primeiro Comando da Capital e Comando Vermelho), dificuldades de investimento dos Estados na área e um plano federal de apoio que avança menos que o prometido.

Em âmbito local, o aumento é puxado pelas elevações registradas em Estados nordestinos, como Pernambuco. Se o País teve 1,7 mil homicídios a mais neste semestre, boa parte, 913, se deve à derrocada do Pacto Pela Vida, programa pernambucano que vinha conseguindo reduzir os assassinatos na última década, enquanto a região mantinha a tendência de alta.

A onda de violência tomou as cidades pernambucanas, assim como foi intensificada no Ceará e no Rio Grande do Norte. Quatro dos 11 Estados que tiveram aumento no ano estão no Nordeste.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Sávio disse:

    É mais que uma guerra!
    Meu Deus, que país é esse?

Força Nacional, Polícia Civil e PM fazem operação de combate a homicídios na Grande Natal

Homens da Força Nacional, da Polícia Civil e da Polícia Militar realizam, na manhã desta quarta-feira, 16, uma operação com o objetivo de combater crimes de homicídios, no município de Ceará-Mirim, na Grande Natal.

Equipes da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa, DHPP, estão cumprindo mandados de prisão, busca e apreensão. As esquipes buscam elucidar crimes quem vem acontecendo na cidade.

Com informações do G1RN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Welingtom Pinheiro disse:

    Graças a Deus

  2. SILVIA disse:

    É O RN TODO QUE ESTÁ PRECISANDO DE OPERAÇÃO ASSIM.

RN no topo negativo: Maior crescimento da taxa de homicídios no Brasil

Tabela 1 Tabela 2Reprodução 1: Tabela de homicídios; Reprodução 2: Mortes a cada 100 mil habitantes

Infelizmente não é uma surpresa. Está diariamente estampando nas manchetes de todos os veículos de comunicação do Estado: a violência, especificamente, o crime de homicídio, vem apresentando números cada vez mais assustadores. Agora, o nosso “destaque” é nacional. Pois bem.  O Rio Grande do Norte foi o estado que teve o maior percentual de crescimento no número de homicídios entre 2002 e 2012. A prévia do Mapa da Violência 2014, vale destacar, com dados com dois anos de “atraso”, mostrou que o número de mortes violentas cresceu 272% em 10 anos. O levantamento foi realizado pelo Instituto Sangari, com base nos números dispostos no Sistema de Informações de Mortalidade (SIM). Para se ter noção do aumento desse tipo de crime, compara-se o ano de 2002, com registro de 301 homicídios, contra 2012, com um salto de 1.121.

O levantamento indica um crescimento a 272,4%, contra 91,5% da região Nordeste. No Brasil, somente a Bahia (242,1%) e o Maranhão (203,6%) chegaram perto do crescimento da violência potiguar. Em nossa região, Pernambuco foi o estado com maior diminuição percentual nos crimes. No país, a menor diminuição foi em São Paulo, que de 2002 para 2012 reduziu em 56,4% o número de homicídios. A região Sudeste, pasmem, que demonstrou a maior redução percentual de homicídios, com -37,5%. Na região, somente Minas Gerais teve crescimento significativo, com 52,3% em 10 anos e 7,1% entre 2011 e 2012.

Quanto as regiões, o Norte tem o maior crescimento no número de homicídios por região: 107,6%, seguido do Nordeste (91,5), o Centro-Oeste (49,8%) e o Sul (41,2%).

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Luciano disse:

    Rosa e Já Já do DEMO, os dois culpados do caos no RN!

  2. TITICO disse:

    É A ROSA GARI E JAJÁ……..

  3. Rafael Vale disse:

    Não custa nada lembrar que Rosalba/DEM devolveu R$ 11 milhões ao governo federal de verba destinada a segurança pública por falta de projeto e pura incompetência.
    E José Agripino/DEM ainda tem a cara de pau de cobrar segurança pública na propaganda eleitoral do DEM.
    Zé, você vai ser cobrado por suas indicações (Micarla e Rosalba) em 2018 quando estiver disputando o Senado novamente, não vou esquecer desses dois desastres administrativos que você empurou com sua voz fanhosa para o "povo do Rio grande do Norte"

ASSUSTADOR: Noite de quarta em Mossóro registra dois homicídios e cinco baleados

A cidade de Mossoró segue apresentando números alarmantes de violência. De acordo com o Blog O Câmera, principal da região Oeste, somente nessa quarta-feira (23), foram registrados dois homicídios e cinco feridos por armas de fogo. O primeiro assassinato teve como vítima Jorge Paulo do Nascimento, de 28 anos, baleado na praça do conjunto Freitas Nobre no bairro Barrocas. Ele chegou a ser socorrido para a Unidade de Pronto Atendimento do Santo Antônio aonde já chegou morto. Não se tem informação do crime. A segundo morte foi de um homem de 42 anos, identificado como Elias Belarmino de Souza, que morreu durante uma tentativa de assalto. O fato aconteceu dentro de uma vila, na Avenida Alberto Maranhão, no bairro Barrocas. Segundo informações preliminares, dois homens armados tentaram tomar sua motocicleta. Na ocasião, a vítima teria sofrido um mal súbito, recebeu socorro médico, mas já chegou morto na Unidade de Pronto Atendimento do bairro Santo Antônio.

Quanto aos baleados, o Blog O Câmera registrou um atentado contra Silvestre Estalone de Oliveira Rocha, de 27 anos, baleado no braço esquerdo durante uma briga envolvendo gangues de jovens da Favela do Pirrichil e do Papoco. A ação criminosa aconteceu na Rua Delmiro Rocha, no Alto de São Manoel, no início da noite. Ainda segundo O Câmera, Estalone já havia sofrido uma tentativa de homicídio no final do ano passado. Ele foi socorrido para o Hospital Regional Tarcísio Maia e não corre risco de morrer.

A segunda tentativa de homicídio teve como vítima Francisco Alexandre Dantas da Silva, de 26 anos , baleado na região do ombro com um disparo de arma de fogo  na Rua Aoem Menescal. Ele foi socorrido pela equipe do Samu para o Hospital Regional Tarcísio Maia. O terceiro caso envolveu uma mulher. Ana Alice Miranda de Souza, de 42 anos, foi baleada na região abdominal. Segundo informações preliminares, ela foi vitima de uma bala perdida. Alice foi socorrida pela equipe do Samu para o Tarcísio Maia e seu estado de saúde requer cuidados. O quarto caso teve como vítima Natanael Alves de Oliveira, de 23 anos, atingido por um disparo no braço. Segundo informações, ele também teria sido atingido por bala perdida. Ele foi socorrido por populares para o Tarcísio Maia e passa bem. Por fim, a quinta vítima foi identificada como Edigledson de Andrade, de 27 anos, morador do bairro Teimosos. Ele foi socorrido por populares para a Unidade de Pronto Atendimento do Alto de São Manoel e transferido para o Tarcísio Maia. Não se tem informação de como a ocorrência aconteceu.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. eduardo disse:

    Bento, a culpa nao é da governadora simplesmente.
    Ou vc acha q ao cruzar a fronteira do estado com os vizinhos Ceara e Paraiba vc pode andar como se tivesse no paraiso??
    Esse problema é nacional e p RN nao é uma ilha.
    Naturalmente pra quem vive aqui cobra aqui, mas o problema é maior

  2. BENTO disse:

    Juro por Deus, se eu fosse essa governadora do Rio Grande do Norte, eu já tinha renunciado. pelo amor de Jesus Cristo tá demais, e ela não se toca.

PM registra dois assassinatos em Natal e outro em São Gonçalo do Amarante

Dois homicídios foram registrados pela Polícia Militar na noite dessa quinta-feira (20) em Natal, e mais um na região metropolitana, em São Gonçalo do Amarante. Nos três casos, nenhum suspeito foi preso, e foram cometidos com armas de fogo.

O primeiro crime aconteceu na zona sul da capital, em Nova Descoberta, e teve como vítima Marcley Pablo da Silva Nascimento, de 23 anos. Informações dão conta que ele passava pelo cruzamento entre as ruas Distrito Federal e Lauro Medeiros quando foi surpreendido com vários tiros. De acordo com a polícia informou, o jovem havia sido preso duas vezes em crimes não revelados. O segundo registro, em São Gonçalo do Amarante, teve como vítima o vigilante Leandro Dantas Alves, de 31 anos. Ele estava em uma motocicleta no loteamento Samburá quando foi atingido por disparos. A única informação que se tem é que o homem vinha sendo perseguido, mas o motivo não foi explicado de momento.

A terceira morte violenta teve como vítima Luiz Ferreira de Lima Neto, de 18 anos, numa calçada no conjunto Vale Dourado, no bairro de Nossa Senhora da Apresentação, na zona Norte de Natal. Segundo a PM, a mãe do jovem disse que ele havia sido roubado há oito dias, e procurava pelo seu bem no conjunto. Por outro lado, a polícia tomou conhecimento que ele já havia sido preso por receptação de veículo roubado. Os casos serão investigados pela Polícia Civil.

Itep registra seis homicídios em Mossoró e região no fim de semana

Enquanto em Natal e região metropolitana foram registrados pelo menos 15 homicídios durante o fim de semana, o órgão registrou em Mossoró e região cinco mortes por arma de fogo e uma por arma branca.

Na capital potiguar e Grande Natal, dos 15 registros, 13 foram por arma de fogo e dois por arma branca nesse último fim de semana de fevereiro.

Câmara de Monitoramento de Homicídios do RN propõe mudança na atuação de delegacia

 Depois de discutir, anteriormente no dia 17, os principais problemas atravessados pelo Instituto Técnico Científico de Polícia do RN (Itep-RN), a Câmara de Monitoramento de Homicídios do RN realizou, nesta sexta (24), na presidência do TJRN, mais uma mesa redonda para apontar soluções, desta vez, relacionadas aos procedimentos de atuação da Delegacia de Homicídios (DEHOM).

Na reunião, coordenada pelo juiz auxiliar da presidência do TJRN, Fábio Filgueira, participaram representantes do Ministério Público, OAB – seccional RN, além da Defensoria Pública, Polícia Civil e Secretaria de Segurança Pública. Todos concordaram com a ampliação das competências daquela unidade de polícia.

Dentre as várias mudanças sugeridas nos procedimento da delegacia, foi discutida a importância da Dehom estar presente nos locais do crime – que tem sido feita apenas pelas delegacias distritais – e não apenas no que se refere às investigações.

“É tudo pra ontem nessas questões. Sabemos que existem coisas que dependem de ‘outros’. Mas, aquilo que está em nossas mãos pra fazer, podemos apresentar soluções”, reforça Filgueira, no momento em que todos enfatizaram a importância de modificar os modelos de atuação da DEHOM, cujas alternativas seriam todas apresentadas à Secretaria de Segurança Pública, para ter ou não o aval.

“O RN tem sido vítima de homicídios pelas torcidas organizadas desde 1998. Tudo é mesmo urgente”, enfatizou o representante da OAB, Marcos Dionísio, presidente do Conselho Estadual dos Direitos Humanos.

TJRN

Pelo menos 10 homicídios são registrados pelo Itep no fim de semana

O Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep) registrou dez homicídios, em sua maioria, nas regiões Oeste e metropolitana de Natal, entre o sábado (18) e esse domingo (19). Entre os crimes no sábado estão de Matheus da Silva Oliveira, de 19 anos, atingido por oito tiros de arma de fogo na rua Francisca Alves, próximo ao Bar da Joice,  na cidade de Baraúna e José da Anchieta da Silva, de 34 anos, conhecido como “Chocolate”,  também surpreendido a tiros na rua Francisca Marques da Silva, no bairro Santo Antônio, em Mossoró.

Já em Apodi, Francisco Jeovan Gonçalves de Morais, de 32 anos, também foi assassinado a tiros durante o dia. Mais tarde, já no período da noite, na Grande Natal, Dimas de Araújo Dantas foi assassinado com cinco tiros na rua Pedro Batista Cavalcanti, em Golandim, em São Gonçalo do Amarante e bem próximo do homicídio, Elenilson Ferreira da Silva, de apenas 15 anos, foi baleado pouco tempo depois, na rua São Francisco, foi socorrido para o hospital Santa Catarina, mas morreu ao dar entrada.

O Itep ainda registrou homicídio em Pium, e nas zonas norte, sul e oeste de Natal. Nos registros ainda consta a morte por enforcamento de José Carlos Lopes Gerônimo, preso no fim do ano passado após usar uma criança como escudo para se defender de tiros disparados contra ele em Macaíba. A forma de como a morte aconteceu apesar do companheiro de cela ter negado autoria, também será investigado sob hipótese de suicídio.

Com acréscimo de informações da Tribuna do Norte.