RN registra queda pelo terceiro mês seguido na redução no número de homicídios; Natal e Mossoró acompanham queda

Foto: Reprodução/ASSECOM/SESED

O Rio Grande do Norte apresentou, pelo terceiro mês seguido, redução no número de Condutas Violentas Letais Intencionais (CVLIs) em comparação com o mesmo período do ano passado, o que fez com que os números gerais de 2020 passem a ser menores do que os de 2019. Os dados são da Coordenadoria de Informações Estatísticas e Análises Criminais (COINE) da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed).

Em setembro deste ano foram registradas 94 CVLIS, enquanto em 2019 foram 120 casos no mesmo mês, uma redução de 21,6%. Em comparação com o mesmo período de 2019, o mês de agosto já havia contabilizado uma queda de 24,4%, passando de 131 casos para 99. Em julho, a redução foi de 14,8%, saindo de 122 em 2019 para 104 em 2020.

Natal e Mossoró, as duas maiores cidades do Estado, acompanharam a tendência de queda e também apresentam variações para baixo. A capital potiguar passou de 224 casos para 215, enquanto o município do Oeste saiu de 155 para 137.

Com as recentes baixas nas quantidades de ocorrências desse tipo, o Rio Grande do Norte passou a registrar menos CVLIS nos nove primeiros meses de 2020 do que o mesmo período de 2019 (1.100 para 1.102).

RN tem queda pelo segundo mês consecutivo no número de homicídios

Foto: Divulgação

O Rio Grande do Norte apresentou, pelo segundo mês seguido, redução no número de Condutas Violentas Letais Intencionais (CVLIs). Os dados são da Coordenadoria de Informações Estatísticas e Análises Criminais (COINE) da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed).

Em comparação com o mesmo período de 2019, o mês de agosto deste ano registrou uma queda de 25,2%, passando de 131 casos para 90. Em julho, a redução foi de 14,8%, saindo de 122 em 2019 para 104 em 2020.

Mossoró, Parnamirim e São Gonçalo do Amarante, três das cidades mais populosas do Estado, tiveram diminuição de homicídios comparando os nove primeiros meses de 2020 com o mesmo período do ano passado – respectivamente 8,5%, 12,5% e 29,3%. Dois tipos de condutas letais contabilizaram grande queda este ano: Feminicídio, 41,2% (passou de 17 para 10); e lesão corporal seguida de morte, 48,1% (saiu de 77 para 40).

“No tocante aos homicídios e aos crimes contra o patrimônio houve uma ligeira redução. Uma consequência do trabalho conjunto das forças de Segurança Pública do Estado e também do apoio da PRF e PF. Em 2019, alcançamos uma das maiores reduções nas taxas de criminalidade dos últimos anos e estamos empenhados em manter esses índices. O patrulhamento, a investigação e o serviço de inteligência trabalhando de maneira integrada estão mostrando resultados”, destacou o secretário de Segurança Pública, Coronel Francisco Araújo.

Natal tem redução de 41,4% de homicídios em 2019; Parnamirim e São Gonçalo também apresentam números positivos

A Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed) divulgou os dados estatísticos que fazem um balanço das ocorrências de Condutas Violentas Letais e Intencionais (CVLIs) em todo o ano de 2019.

Veja mais: Número de homicídios no RN em 2019 atinge menor patamar dos últimos cinco anos

Trazendo dados de alguns municípios, o maior destaque fica pela capital potiguar, que apresentou uma redução de 41,4% nas Condutas Violentas Letais Intencionais, passando de 483 em 2018 para 283 em 2019. Parnamirim, com queda de 26,9% (caiu de 108 para 79) e São Gonçalo do Amarante, com -17,6% (saiu de 125 para 103), também tiveram dados positivos.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Silva disse:

    MORO presidente.!!!!
    Depois do Mito é claro.

  2. Raimundo disse:

    Viva Sérgio Moro

  3. Luso disse:

    Deve ser a cara fêa da guvernadora, até os bandido tem mêdo, pense numa muié fêa. Kkkkk

    • Ric disse:

      Não consigo entender essa estatística, não vejo violência diminuindo em canto nenhum, pelo contrário está e cada dia mais próximo da gente, moro no cidade verde, e naquela região quando vamos comprar pão , e preferível ir a um grande supermercado do que ir numa panificadora. E lamentável a situação em que o nosso querido estado se encontra.

Número de homicídios no RN em 2019 atinge menor patamar dos últimos cinco anos

A Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed) divulgou os dados estatísticos que fazem um balanço das ocorrências de Condutas Violentas Letais e Intencionais (CVLIs) em todo o ano de 2019. Considerando o retrospecto do ano anterior, 517 vidas foram poupadas no território estadual.

Baseado em números fornecidos pela Coordenadoria de Informações Estatísticas e Análise Criminal (Coine), de janeiro a dezembro de 2019 foram registrados 1.446 CVLIs, um número consideravelmente menor comparado ao mesmo período de 2018, em que foram contabilizados 1.963 CVLIs, uma redução de 26,3%. Em outro aspecto, 2019 foi o ano com o menor índice de homicídios desde 2015. Desde então, o seu maior número ocorreu em 2017, quando houve 2.412 crimes com letalidade.

Entre os tipos criminais com maior redução, é possível destacar o homicídio doloso, com a diminuição de 1.468 ocorrências em 2018, para 1.039 em 2019, uma queda em 29,2% dos casos. Outra conduta reduzida foi a de latrocínio, nesta houve diminuição em 37,6%, saindo de 93 crimes para 58. Lesão Corporal Seguida de Morte foi outro tipo de ocorrência que apresentou diminuição significativa, enquanto em 2019 aconteceram 162 registros, em 2018 houve 19,4% de crimes a mais desta natureza.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Pires disse:

    Eu já sabia!!
    O Brasil agora tem um ministro do mais alto padrão e gabarito.
    Sem desmerecer os generais e o astronauta.
    TA POUCO OU QUER MAIS.???
    Compare.!!!
    com os outros governo inclusive com o petralha.
    Kkkkkkkk
    Tchau corruptos, canalhas.

  2. Antenado disse:

    Efeito Bolsonaro

  3. Rui disse:

    Os Assaltos,Roubos de Carros,Arrastões,????????

  4. Osvaldo Delgado disse:

    ninguém fala

  5. Osvaldo Delgado disse:

    E os assaltos e roubos ? Isso nin fala.

Polícia Civil apreende adolescente de 15 anos investigado por homicídios na Grande Natal

Foto: Ilustrativa

Policiais civis da Delegacia Municipal de Macaíba apreenderam, na manhã desta terça-feira (10), no bairro Vilar de Cima, um adolescente de 15 anos. Ele foi apreendido por ser investigado pelos atos infracionais análogos aos crimes de posse ilegal de arma de fogo e receptação.

Durante as diligências, foram apreendidos com o adolescente um revólver calibre.38, seis munições calibre .38, porções de maconha e “crack” e aparelhos celulares.

De acordo com investigações, o adolescente é suspeito de ter participado de três homicídios, sendo um duplo homicídio ocorrido no loteamento Boa Esperança, e outro às margens da BR 304, no dia 05 de dezembro de 2019.

A Polícia Civil pede que a população continue enviando informações de forma anônima através do Disque Denúncia 181.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS

Segurança Pública do RN informa que estado registrou 500 homicídios a menos até outubro em comparação ao ano passado

Foto: Divulgação

A Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed) divulgou, nesta quarta-feira (23), dados estatísticos que comprovam a redução de Condutas Violentas Letais e Intencionais (CVLIs) em 2019, quando comparado aos últimos anos, desde 2015. Até o mês de outubro, mais de 500 vidas foram poupadas em relação ao ano de 2018.

Os números divulgados, pela Coordenadoria de Informações Estatísticas e Análise Criminal (Coine), apresentam a queda na quantidade de crimes violentos no Rio Grande do Norte. Em números totais, de janeiro a outubro de 2019 foram contabilizados 1.172 homicídios, uma diminuição em 29,9% em comparação a 2018, onde foram registradas 1.673 ocorrências. A redução se destaca quando comparada com os anos de 2017, 2016 e 2015, onde foram apontados, respectivamente, 2.010, 1.600 e 1.292 homicídios.

A Sesed destaca, entre os indicadores de tipos criminais, a baixa em ocorrências de homicídio doloso. De janeiro a outubro do ano passado, foram registrados 1.263 incidentes, no mesmo período em 2019, 827 casos foram apontados, uma redução em 34,5%. Outra importante diminuição ocorreu nos números de latrocínios (roubo seguido de morte). Em 2019, ocorreram 46 registros no estado, uma redução em 43,2%, diante dos 81 crimes desse tipo que aconteceram no mesmo período em 2018.

“Precisamos cada dia melhorar nossos índices de redução da criminalidade e violência, pela importância de cada vida poupada nesse estado. Com o trabalho integrado e a dedicação dos nossos agentes de Segurança Pública, iremos gradativamente melhorar os números de homicídio”, afirma Coronel Araújo, secretário da Sesed.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Lauro disse:

    Parabéns aos PMs. Agora nada de grave por salários e plano de cargos, pois a gente está que não aguenta mais essa conversa. Parar, só se for pela melhoria de equipamentos.

  2. paulor disse:

    Parabens para nosso presidente e ao ministro da justiça pelo excelente trabalho que estão fazendo…. e viva o MITO !!

  3. Rui disse:

    No Rn a violência piorou,ninguém está seguro nem dentro de casa,Natal e Mossoró são verdadeiros bang-bang todos os dias,so quem não ver são as estatísticas….

  4. Silva disse:

    Parabéns ao presidente Bolsonaro e o ministro Sérgio Moro.
    Vamos em frente.
    Parabéns aos policiais militares, agora com a chegada de equipamentos, que já foram entregues, tende a melhorar mais ainda.

  5. Só Comento disse:

    Parabéns ao Ministro Sérgio Moro pelo excelente trabalho conduzido pelo MJ. Parabéns também aos profissionais da segurança pública que exercem a sua função com dedicação e qualidade. Os resultados foram muito bons.

  6. Olimpio disse:

    Violência não é só homicidio, assalto, roubo, tomar veículo de assalto como se vê todo dia, arrastão em residência constante, isso à polícia não divulga e não consta como violência.

Homicídios e outros oito crimes violentos caem no país 1º semestre

Foto: Tânia Rego/Arquivo/Agência Brasil

O número de homicídios caiu 22% em todo o país durante o primeiro semestre deste ano, em comparação com o mesmo período de 2018. A informação foi divulgada nesta segunda-feira(14), em Brasília, pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, com base em dados do Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública, Prisionais, de Rastreabilidade de Armas e Munições, de Material Genético, de Digitais e de Drogas (Sinesp).

O resultado já havia sido parcialmente antecipado pelo presidente Jair Bolsonaro, que, ontem (13), usou sua conta no Twitter para comemorar o que classificou como um dos pontos positivos de seu governo. Segundo o presidente, no primeiro semestre deste ano foram registrados 5.423 assassinatos a menos que no mesmo período de 2018.

Segundo o ministério, a redução no total de ocorrências também foi verificada nos outros oito tipos de crimes registrados na plataforma que reúne informações fornecidas pelos estados e pelo Distrito Federal, a partir de boletins de ocorrência das polícias civis.

Os casos de estupro caíram 12%. Tentativas de homicídio foram reduzidas em 9,4%. Também houve queda no total de latrocínios (-23,8%); lesão corporal seguida de morte (-3,2%); roubos contra instituições financeiras (-40,9%); roubo de carga (-25,7); roubo de veículo (-27%) e furto de veículo (-9,9%).

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Manoel disse:

    Engraçado que nos governos do PT essas taxas aumentavam ano após ano!!!

  2. Ems disse:

    Não pode ser !!! A mídia diz que tudo vai de mal a pior.

  3. Só Comento disse:

    Parabéns ao ministro Moro e aos profissionais da segurança pública nos estados!! Não fosse a fraca petista nas rédeas da segurança pública do nosso estado, localmente estaríamos num patamar bem mais avançado.

Polícia Civil do RN prende, em Natal, dois irmãos suspeitos de homicídios, tráfico de drogas e roubo a bancos na Bahia

Foto: Divulgação/Polícia Civil

Policiais civis da Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado (DEICOR), em operação conjunta com a Delegacia de Polícia Civil de Bom Jesus da Lapa/BA, prenderam, na manhã desta quinta-feira (19), os irmãos Décio Douglas Silva Oliveira, 24 anos, e Roberto Silva Hora, 32 anos.

Após trabalho de investigação, foi confirmado que os dois homens, que são foragidos da justiça baiana e naturais de Bom Jesus da Lapa/BA, estavam morando na Capital Potiguar. Os policiais da DEICOR empreenderam diligências e conseguiram prender Décio Douglas e Roberto Silva, os quais portavam documentos falsos. A prisão aconteceu no bairro Dix Sept Rosado, em Natal.

Os dois irmãos são apontados como chefes de uma facção criminosa na Bahia e seriam responsáveis por diversos crimes de homicídios, além de responderem por tráfico de drogas e roubo a banco no Estado do Mato Grosso. Eles foram encaminhados à DEICOR e autuados em flagrante pelo uso de documento falso.

A Polícia Civil pede que a população continue enviando informações de forma anônima, através do Disque Denúncia 181 ou do Disque DEICOR, através do fone 3232-2862

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS

Isolamento de chefes de facções contribuiu para queda de homicídios, diz secretário nacional de Segurança Pública

O secretário nacional de Segurança Pública Guilherme Theophilo (à esquerda) e o ministro da Justiça Sergio Moro Foto: Daniel Marenco / Agência O Globo

O secretário nacional de Segurança Pública, Guilherme Theophilo, credita a redução dos crimes violentos intencionais (homicídios dolosos, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte) ao aumento da coordenação entre as esferas de governo e a ações como o isolamento, em presídios federais, de chefes das principais facções do crime organizado.

O Ministério da Justiça planeja, para os próximos dias, o lançamento oficial do programa “Em Frente Brasil”, focado na redução da criminalidade. Cinco cidades foram escolhidas para o projeto-piloto: Ananindeua (PA), Goiânia (GO), Cariacica (ES), São José dos Pinhais (PR) e Paulista (PE), uma em cada região do país. Pesquisadores já estão há mais de um mês nos municípios colhendo dados para os diagnósticos locais de segurança, com informações de diversos indicadores e um direcionamento para os bairros mais violentos de cada município. A previsão é que, a partir de janeiro, planos específicos passem a ser implantados em cada um dos municípios.

Depois de seis meses da experiência inicial, o objetivo é que outras cidades possam aderir ao projeto. A primeira ação será o envio de cerca de cem agentes da Força Nacional de Segurança para cada uma das cidades, e o programa vai reunir oito ministérios: Justiça; Saúde; Educação; Mulher, Família e Direitos Humanos; Cidadania; Desenvolvimento Regional; Economia e Casa Civil.

Por que os homicídios estão caindo?

São vários fatores, mas eu citaria, primeiro, a transferência das lideranças criminosas. Nunca antes tinha sido feita uma operação de transferir as principais lideranças criminosas de São Paulo. Esperava-se um “salve geral” da facção, uma tragédia nacional, e não foi. Transferimos também no Ceará e no Pará. Há mais rigidez dentro das penitenciárias, com o advento da força-tarefa de intervenção prisional. Os presídios não serão mais quartéis de comando do crime organizado. Ordens todas emanavam de dentro dos presídios. Citaria também a integração efetiva entre as esferas federal, estadual e municipal e a atuação nas fronteiras, porque estamos dando grande desfalque à parte econômica do crime organizado com as apreensões.

O legado dos grandes eventos, como os centros integrados de comando e controle, tem ajudado?

A tecnologia tem facilitado o monitoramento, como no caso dos veículos roubados e dos presos com tornozeleira eletrônica. Temos também levantado manchas criminais em todos os municípios, o que permite antecipar o patrulhamento. É uma inteligência preditiva.

O governador Wilson Witzel já falou, por exemplo, em “atirar na cabecinha” de bandidos. Esse tipo de ação traz resultados efetivos ou é só retórica?

É uma característica do governador do Estado do Rio e vou me ater de fazer comentários, porque é uma política dele. Nós participamos da intervenção federal no rio, eu ainda era oficial do Alto Comando do Exército, e foi feito todo um trabalho de gestão. O general Braga Netto (interventor) e o general Richard (secretário de Segurança) deixaram grande legado para a segurança pública do Rio. Muita coisa que se está conseguindo agora é fruto de viaturas novas, armamentos novos, equipamentos novo e material de inteligência.

Qual é a diferença do plano do governo de combate à criminalidade violenta para os planos nacionais de segurança que outros ministros da Justiça já tentaram implementar?

A grande diferença de tudo que já existiu, como UPP (no Rio), Pacto Pela Vida (em Pernambuco), é que esses planejamentos só visualizavam repressão. O Em Frente Brasil é um projeto integrado. Temos oito ministérios. Não vai ser só a repressão. Vai ser repressão seguida de um diagnóstico local de segurança. Especialistas já estão nos municípios vendo problemas de saúde, educação, saneamento básico, coleta de lixo, iluminação pública, creche, esporte e lazer. Está tudo incluído. Vamos entrar com a repressão para que Estado volte a ser presente, depois vamos entrar com toda a obrigação do Estado e não vamos mais sair.

O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Dilma disse:

    Se tivessem isolado o CANALHA do luladrão, o número de ladrões no Brasil iria reduzir bastante, pois serviria de exemplo pra outros que ousassem fazer a mesma CANALHISSE. Com certeza o Brasil e os brasileiros sairiam ganhando.

RJ tem menor número de homicídios desde 1991, mas mortes por ações policiais subirão até dezembro, diz secretário

Reprodução: TV Globo

O secretário de Polícia Civil do Rio de Janeiro, delegado Marcus Vinícius Braga, adiantou em uma entrevista concedida na manhã desta quarta-feira (21) ao Bom Dia Rio que os números de homicídios por ação policial cresceram e devem aumentar até, pelo menos, o mês de dezembro deste ano. Ele afirmou também que o estado registrou o menor número de homicídios dolosos desde 1991.

“A tendência é subir até dezembro, porque as ações estão sendo feitas. Conforme a gente for trabalhando as investigações, a inteligência, a integração com a Polícia Militar, a tendência é abaixar. É um número alto, não é o número que a gente deseja”, explicou Braga, que não citou os números.

No primeiro trimestre do ano, foram 434 pessoas mortas, de acordo com os dados do ISP. Uma média de sete óbitos por dia. Foi o maior número desde 1998.

De acordo com os números apresentados pelo secretário, que devem ser oficialmente divulgados pelo Instituto de Segurança Pública (ISP) durante a tarde, foram registrados 2.392 casos de janeiro a julho desde ano. Em 2018, foram 3.101 casos.

“Só esse ano a gente prendeu 700 homicidas. Em mais ou menos quatro semanas, fizemos uma operação em Queimados e prendemos uma quadrilha enorme de homicidas. Ficamos 14 dias sem homicídio lá. Além da ostensividade, temos que focar na investigação”, ressaltou Braga, afirmando que os números são “maravilhosos”.

Sequestro na Ponte Rio-Niterói

O delegado afirmou que o sequestro do ônibus na Ponte Rio-Niterói, que terminou com o sequestrador Willian Augusto da Silva morto por atiradores de elite e 39 reféns libertados, está sob a investigação da Divisão de Homicídios (DH) e que o caso aparenta ser um atuação isolada.

“Pela experiência que eu tenho, acredito que seja um surto psicótico. Já era uma pessoa com alguns problemas, isso foi falado pela família. Isso o torna mais perigoso do que um criminoso comum, que sabe o que está fazendo”, contou Braga.

Ele definiu a operação como “exitosa”.

Operação na CDD

Sobre a operação realizada na terça na Cidade de Deus, na Zona Oeste, e questionada por moradores pelo uso de aeronaves e por artefatos serem jogados no meio da comunidade, Marcus Vinícius Braga destacou ainda que acredita que o helicóptero é necessário por ser um “salvador de vidas”, e por oferecer uma visão privilegiada e permitir uma visão de cima das comunidades.

“Quando não tem o águia, a reportagem mostra de 30 a 40 minutos de tiroteio. O tempo de tiroteio com a presença do águia é de três minutos”, contou.

Segundo o secretário, as bombas jogadas de helicóptero eram armamentos não letais e que a polícia não possui granadas defensivas, capazes de machucar.

“A Polícia Civil, quando vai a uma operação, ela já fez um trabalho de investigação, já obteve um mandado de prisão, já fez o planejamento prévio e trabalha com inteligência na hora”, explicou Braga.

Morte de jovens

Sobre a morte de seis jovens a tiros em cinco dias, o secretário afirmou que as operações são dificultadas quando inocentes são atingidos. Ele afirmou que criminosos têm interesse em atingir pessoas que não possuem relação com o crime em situações como essa.

Na última sexta-feira (16), o governador Wilson Witzel também deu uma declaração nesse sentido ao afirmar que se solidariza com as famílias das vítimas, mas que a culpa pelas mortes não era das forças de segurança, mas sim dos criminosos.

“Há situações que traficantes, assim que a polícia entra, atiram em inocentes pois sabem que a operação vai acabar”, afirmou Braga.

G1

 

Municípios considerados polos no RN, Natal, Mossoró e Parnamirim, registram queda de homicídios entre 26,2% e 45,7%

Foto: Ilustrativa

A continuidade na redução dos números de Condutas Violentas Letais e Intencionais (CVLIs) ao longo dos meses em 2019 é destaque nesta sexta-feira(02) no Rio Grande do Norte. A Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed) divulgou dados que apontam um início de segundo semestre com diminuição nas estatísticas, quando comparado aos números de 2018.

Outro importante quesito de redução ocorreu em municípios considerados polos no Rio Grande do Norte, são eles Natal, Mossoró e Parnamirim. Na capital potiguar, a maior diminuição desde 2015, com índice 45,7% casos a menos. Em 2018, foram 322 ocorrências, 147 a mais do que em 2019, quando foram registradas 175. De acordo com a Coine, Natal ficou, ainda, oito dias sem nenhuma ocorrência de CVLI durante o mês de julho. Além de Natal, Mossoró reduziu em 26,2% as suas ocorrências na comparação entre 2018 e 2019, dado semelhante ao registrado em Parnamirim, com uma redução de 27,9%.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gil disse:

    Polo de produção de bandidos. O RN está se firmando como o Estado que produz a maior quantidade de bandidos no Brasil. Inclusive é especialista em produzir aqueles bandidozinhos pé-de-chinelo, que anda limpando o cu e com tatuagem mal feita.

  2. Ems disse:

    É Gópi !!!

Sesed aponta continuidade na redução no número de homicídios em 2019; Natal registra a maior diminuição desde 2015

A Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed) divulgou, nesta sexta-feira (02), a continuidade na redução dos números de Condutas Violentas Letais e Intencionais (CVLIs) ao longo dos meses em 2019. Dessa vez, os dados apontam um início de segundo semestre com diminuição nas estatísticas, quando comparado aos números de 2018.

Os dados, divulgados pela Coordenadoria de Informações Estatísticas e Análise Criminal (Coine), apontam uma redução significativa nas estatísticas de CVLIs até o mês de julho. Comparado ao ano anterior, as estatísticas da Sesed apontam um número de 383 vidas poupadas.

Entre os indicadores, a Secretaria destaca a redução em ocorrências diretas contra a juventude, faixa segmentada entre 16 e 29 anos. De janeiro a julho de 2019, em comparação ao mesmo período do ano anterior, houve uma diminuição total de 34,1%. O período etário que apresentou a maior subtração foi entre 16 e 17 anos, quando o estado saiu de 89 casos em 2019, para 49 registros em 2019, 44,9% de redução.

Outro importante quesito de redução ocorreu em municípios considerados polos no Rio Grande do Norte, são eles Natal, Mossoró e Parnamirim. Na capital potiguar, a maior diminuição desde 2015, com índice 45,7% casos a menos. Em 2018, foram 322 ocorrências, 147 a mais do que em 2019, quando foram registradas 175. De acordo com a Coine, Natal ficou, ainda, oito dias sem nenhuma ocorrência de CVLI durante o mês de julho. Além de Natal, Mossoró reduziu em 26,2% as suas ocorrências na comparação entre 2018 e 2019, dado semelhante ao registrado em Parnamirim, com uma redução de 27,9%.

Em relação aos tipos de ocorrências com melhores índices de redução, os dados de homicídio doloso obtiveram destaque, com 35,3%, assim como de lesão corporal seguida de morte, que apontou uma diminuição de 28,1% nos registros, e as estatísticas de latrocínio ficaram em 37,3% de redução.

De acordo com o Secretário da Sesed, Coronel Francisco Araújo, as significativas reduções em 2019 têm relação com alguns fatores. “Melhor planejamento e integração das forcas policiais, tanto as estaduais, municipais, quanto federais que atuam no RN (PF, PRF e ABIN), Guardas Municipais, além das Forças Armadas, maior apoio do Poder Judiciário e do Ministério Público Estadual, maior controle do sistema prisional e o apoio inconteste do Governo do Estado a todas as ações dos órgãos do sistema de segurança pública”, aponta Araújo.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. WASHINGTON disse:

    PRECISA REDUZIR A QUANTIDADE DE ASSALTO , TA ENORME , NÃO COSTA NOS REGISTROS POR QUE AS PESSOAS NÃO FAZ MAIS O BO , POIS NÃO DA EM NADA. É ASSALTO A ONIBUS, E ASSALTOS NAS RUAS E PARADAS , PEQUENOS COMERCIOS E RESIDENCIA. PRECISA ACABAR COM ISSO.

  2. Ted disse:

    Se a bandidagem souber que o cara tem uma arma, cai ainda mais, vão com medo, pensa duas vezes antes de enfrentar.
    Quem tem C… tem medo. Né mesmo???

Ex-presidente do Flamengo e mais 7 são indiciados por homicídios por tragédia em CT

Foto: Reprodução/GloboNews

A Polícia Civil do Rio de Janeiro indiciou por homicídio com dolo eventual – quando se assume o risco de matar – o ex-presidente do Flamengo Eduardo Bandeira de Mello e outras sete pessoas pelas mortes de 10 atletas no incêndio no Centro de Treinamento do clube, em fevereiro deste ano.

A tragédia aconteceu em um alojamento improvisado com contêineres em uma área do Ninho do Urubu, como o CT é conhecido, em Vargem Grande, Zona Oeste do Rio.

Muitos dos garotos não conseguiram fugir das chamas. Três jovens foram resgatados com ferimentos, e 13 escaparam ilesos.

O inquérito, assinado pelo delegado Márcio Petra, da 42ª DP (Recreio), também pede o indiciamento por dolo eventual de engenheiros do Flamengo e da empresa NHJ, responsável pelos contêineres, além de um técnico de refrigeração.

Indiciados

Danilo da Silva Duarte, engenheiro da NHJ;

Edson Colman da Silva, técnico em refrigeração;

Eduardo Bandeira de Mello, ex-presidente do Flamengo;

Fábio Hilário da Silva, engenheiro da NHJ;

Luis Felipe Pondé, engenheiro do Flamengo;

Marcelo Sá, engenheiro do Flamengo;

Weslley Gimenes, engenheiro da NHJ.

Em nota, o Flamengo informou ainda não ter sido notificado e que, por isso, não ia comentar o caso.

O ex-presidente do Flamengo Eduardo Bandeira de Mello também disse que ainda não tinha sido notificado e, por isso, não podia se manifestar.

Na investigação, a polícia observou as seguintes questões:

Conhecimento de que diversos atletas da base residiam no contêiner;

Estrutura incompatível com a destinação (dormitório);

Contêiner com diversas irregularidades estruturais e elétricas;

Ausência de reparos dos aparelhos de ar condicionado instalados no contêiner;

Ausência de monitor no interior do contêiner;

Recusa de assinatura do TAC proposto pelo Ministério Público do Rio de Janeiro para que fosse regularizada a situação precária dos atletas da base do Flamengo;

Piora das condições do alojamento dos jogadores da base, inclusive, no que se refere a segurança contra incêndio, assinalada nos autos de uma ação civil movida pelo MPRJ;

Descumprimento da ordem de interdição do CT editada pela prefeitura por falta do alvará de funcionamento e do certificado de aprovação do Corpo de Bombeiros;

Múltiplas multas impostas pelo município diante do descumprimento da ordem de interdição;

Causa entre o cenário exposto e o incêndio.

Relembre o caso

No dia do incêndio, os jovens dormiam em um alojamento improvisado com contêineres quando o fogo destruiu a estrutura.

O laudo da Polícia Civil sobre a tragédia aponta que as chamas foram causadas por um curto-circuito em um dos aparelhos de ar-condicionado. O material do revestimento dos módulos permitiu que as labaredas se alastrassem.

Quem são os 10 garotos mortos no incêndio do CT do Flamengo — Foto: Arte/G1

VÍTIMAS

Athila Paixão, de 14 anos;

Arthur Vinícius de Barros Silva Freitas, 14 anos;

Bernardo Pisetta, 14 anos;

Christian Esmério, 15 anos;

Gedson Santos, 14 anos;

Jorge Eduardo Santos, 15 anos;

Pablo Henrique da Silva Matos, 14 anos;

Rykelmo de Souza Vianna, 16 anos;

Samuel Thomas Rosa, 15 anos;

Vitor Isaías, 15 anos.

Por causa de um temporal que deixara o Ninho do Urubu sem luz, os treinos daquela sexta tinham sido cancelados. Assim, jovens que tinham residência no Rio puderam dormir em suas casas. Por isso, no momento do incêndio, havia menos jogadores no local do que em dias normais de treino.

DETALHES DO LAUDO

Uma peça do ar-condicionado do cômodo onde o fogo começou indica curto;

Chapas metálicas que revestiam os contêineres indicavam ser compostas por uma espuma de poliuretano injetado, um material altamente inflamável;

G1

 

Bolsonaro critica “especialistas” sobre queda de homicídios no Brasil: “se o número tivesse aumentado, certamente culpariam o governo”

Pelas redes sociais,o  presidente Jair Bolsonaro(PSL) celebrou na tarde desta segunda-feira(13) a queda de 24% dos homicídios no Brasil no primeiro trimestre deste ano comparado ao ano mesmo período ano passado.

Por fim, criticou “especialistas”, que dão poucos méritos ao atual governo. “Se o número tivesse aumentado, certamente culpariam o governo”, disse.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gaius Baltar disse:

    Medidas de segurança levam meses ou até anos para terem efeito, então é óbvio que a queda da criminalidade não tem a ver com o governo atual, até porque segurança pública é atribuição dos governos estaduais.
    Se algum especialista atribuísse um eventual aumento da criminalidade à gestão do governo atual seria tão leviano quanto querer atribuir a queda ao mesmo governo.

  2. Rosa disse:

    Valeu mito, essa foi na mosca. Kkkkkkk

    • eron disse:

      Esse Jumento desse presidente tomou alguma medida para a violência diminuir? Não lembro de nenhum programa ou investimento dele até agora. Somente vi ele dizer que bandido bom é morto. Será que o filho dele e Queiroz, servem para a premissa…?

    • Rosa disse:

      Pra neutralizar bandidos e petralhas, só bater o pé e eles tremem

Governo Temer edita e envia a Moro decreto que fixa em 3,5% a meta de redução de homicídios

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, durante entrevista coletiva em setembro, em Brasília — Foto: TV Globo/Reprodução

A cinco dias do fim do mandato, o governo Michel Temer fixou em 3,5% a meta de redução de homicídios para o ano que vem, segundo decreto publicado na edição desta quinta-feira (27) do “Diário Oficial da União”.

O ministro Raul Jungmann (Segurança Pública), que assina o texto com o presidente, explicou ao blog que o esforço será “gigantesco” porque, segundo ele, o objetivo é alcançar essa redução em um contexto no qual o crescimento médio anual dos homicídios é de 4%.

“Redução absoluta de homicídios de 3.5%. Levando-se em conta que o crescimento médio anual estava em cerca de 4%, é só somar os dois percentuais para se ter uma ideia do esforço”, disse.

Jungmann entregou o plano nas mãos do futuro ministro da Justiça e Segurança Pública, o ex-juiz Sérgio Moro.

“Esse plano foi o primeiro documento que enviei à transição. E entreguei ao Moro fisicamente também”, afirma.

Questionado sobre a expectativa de o plano vir a ser de fato colocado em prática, já que o governo está acabando, o ministro afirmou que Moro pode ajustá-lo. “Mas doravante é preciso ter um plano decenal porque é lei”, afirmou.

Segundo ele, planos semelhantes editados anteriormente eram expressão da vontade dos ministros de Estado, mas nasciam e morriam com eles.

“Se o ministro durasse 15 dias, ou 1 ano ou 3 anos, o ‘plano’ durava igual”, diz.

A meta faz parte do novo Plano Nacional de Segurança Pública e Defesa Social. No documento, o governo estabelece objetivos e programas que devem ser cumpridos no prazo de 10 anos, com ciclos de implementação de dois em dois anos.

O plano também prevê o fortalecimento do aparato de segurança para aumentar o controle de divisas, fronteiras, portos e aeroportos e a ampliação do controle e do rastreamento de armas de fogo, munições e explosivos.

BLOG DO MATHEUS LEITÃO -G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tereza disse:

    Ok, quando era presidente não teve meta de p*** nenhuma, agora vai ter. Fdp

Crescem homicídios no Nordeste e RN lidera taxa de crescimento entre os estados

O jornal Folha de S.Paulo divulgou na edição desta sexta-feira (9) levantamento de homicídios nos estados do Nordeste. O Rio Grande do Norte lidera a taxa de crescimento entre as nove unidades, com taxa de 68 mortes para cada 100 mil habitantes. A análise do jornal atribui o aumento na região ao descontrole nos presídios e à guerra entre facções.

Em três estados houve recorde de assassinatos: Ceará, Pernambuco e Rio Grande do Norte.

Alagoas também teve alta em 2017, enquanto Sergipe, Paraíba e Piauí apresentaram queda, segundo os dados oficiais.

Dois Estados ainda não informaram dados, nem deram previsão de quando irão fazer. A Bahia só tem estatísticas atualizadas entre janeiro e agosto de 2017, quando foram assassinadas 4.267 pessoas. Já o Maranhão informa apenas os números de homicídios registrados na capital, São Luís, onde 591 pessoas foram mortas.

Se considerados os sete Estados que divulgaram os dados, foram mortas 17.913 pessoas, contra 15.077 em 2016. Ao que tudo indica, quando Maranhão e Bahia divulgarem seus dados completos, o Nordeste deve bater seu recorde de 24.825 pessoas assassinadas, registrado em 2016.