Médico potiguar e mais três mergulhadores desaparecem no mar, ficam 13 horas à deriva e são resgatados no Grande Recife

Foto: Reprodução

Quatro mergulhadores desapareceram no mar na tarde do domingo (6) e foram encontrados na madrugada desta segunda-feira (7), na Região Metropolitana do Recife. Eles relataram que ficaram cerca de 13 horas à deriva, até serem resgatados (veja vídeo AQUI).

Os quatro homens saíram do Cabanga Iate Clube, no Recife, para realizar um mergulho técnico com o Rebreather, aparelho que possibilita que o mergulhador inspire novamente o gás expirado. O grupo seguiu para o naufrágio Corveta Camaquã, localizado a aproximadamente 37 quilômetros da costa, na posição relativa à Coroa do Avião, no município de Itamaracá.

O médico cirurgião potiguar Alan Filgueira fazia parte do grupo. Segundo ele, o mergulho aconteceu normalmente, o problema foi na hora que eles voltaram à superfície e perceberam que havia algo errado, pois o barco estava distante.

“À deriva, foram 13 horas, a gente solto, derivando em direção à praia. De mergulho, foram aproximadamente duas horas. A gente subiu por volta das 13h30 e o barco estava distante”, contou, nesta segunda, ao chegar de volta ao Cabanga.

Equipes da Marinha e o helicóptero do Corpo de Bombeiros participaram das buscas. O quarteto foi encontrado a 15 quilômetros da posição de onde desapareceram, segundo a Capitania dos Portos. Os outros três mergulhadores preferiram não falar com a TV Globo. Os quatro passam bem.

O mergulho

Os quatro mergulhadores estavam acostumados a esse tipo de incursão. Um deles, tem mais de 20 anos de experiência. Como a Corveta Camaquã fica a 56 metros de profundidade, chegar à superfície exige descompressão, explicou Filgueira. Segundo ele, uma forte correnteza, que não havia sido identificada na rota, provavelmente causou o acidente.

“Quando a gente desceu, não tinha corrente. Provavelmente, dentro do mergulho, a corrente cresceu e nós não sentimos. Quando a gente voltou a subir no cabo, vimos que estava correndo bastante água e que o barco estava muito longe”, disse.

Para Figueira, a boia que serve de referência para o barco localizar os mergulhadores pode ter afundado, dificultando o trabalho da equipe náutica. Ele relatou que conseguia ver o barco, mas, por causa da distância, a tripulação não conseguia encontrar o grupo.

“A gente viu o barco, porque ele é grande. Vimos quando começaram a fazer o padrão de busca, mas a melhor opção foi soltar o cabo e derivar até a praia. […] Passamos muito tempo em alto mar”, afirmou.

O grupo foi encontrado na altura da praia do Janga, em Paulista, por um barqueiro que estaria ajudando nas buscas com outra embarcação, segundo o Corpo de Bombeiros. O helicóptero do Corpo de Bombeiros chegou a ser utilizado para auxiliar nas buscas.

G1 – PE

 

Resgatados pela Marinha 9 dos 10 passageiros de barco que seguia para Noronha

Foto: Divulgação

A Marinha do Brasil resgatou, na noite dessa quinta-feira (13), nove dos dez náufragos da embarcação que saiu do Recife com destino ao Arquipélago de Fernando de Noronha. As buscas pelo último desaparecido continuam. O barco Navegantes emitiu um sinal de alerta na manhã de ontem e perdeu contato com a empresa proprietária quando estava a uma distância de 80 milhas náuticas da costa da Paraíba, o que equivale a 148 quilômetros de distância.

As nove pessoas foram resgatadas pelo navio-patrulha Guaíba e atendidas por um oficial médico a bordo. Segundo a Marinha, o estado de saúde delas é considerado bom. Das dez pessoas a bordo, seis eram tripulantes e quatro eram passageiros. O Navegantes deixou o Porto do Recife nessa quarta-feira (12) e tinha previsão de atracar no Porto de Noronha na manhã desta sexta-feira (14).

Confira a nota da Marinha na íntegra:

“A Marinha do Brasil (MB), por intermédio do Comando do 3º Distrito Naval (Com3ºDN), informa que o Navio-Patrulha “Guaíba” resgatou, na noite do dia 13 de junho, nove náufragos da embarcação “Navegantes”. A busca por um tripulante, que se encontra desaparecido, continua.

A “Navegantes” suspendeu de Recife, no dia 12 de junho, com destino ao Arquipélago de Fernando de Noronha, e naufragou a uma distância de 80 milhas náuticas – equivalente a 148 quilômetros – de João Pessoa-PB.

Os nove resgatados foram atendidos pelo Oficial Médico embarcado e apresentam bom estado de saúde, estando em segurança a bordo do Navio-Patrulha “Guaíba”. O Salvamar Nordeste, que coordena a Operação de Busca e Salvamento, deslocou o Navio-Patrulha “Macau” para prosseguir com a busca”.

OP9

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Arnaldo Franco disse:

    Mas as Forças Armadas não servem pra nada, né?