Diversos

FOTO: Cavalos vítimas de maus-tratos são resgatados na Cidade da Esperança, em Natal; saiba como denunciar

Foto: Semdes

Dois cavalos em situação de maus-tratos foram resgatados nessa terça-feira (27) por uma equipe de patrulhamento da Ronda de Proteção Escolar da Guarda Municipal do Natal. Os animais estavam nas proximidades do Centro de Educação Infantil Nossa Senhora Auxiliadora, no bairro Cidade da Esperança, zona Oeste da capital. O crime de maus-tratos contra animais está previsto na Lei de Crimes Ambientais Nº 9.605/98 e prevê multa e detenção.

De acordo com a chefe de Grupo de Ação da GMN, Francineide Maria, os animais apresentavam diversas marcas de maus tratos, inclusive um deles se encontrava com uma das patas ferida e sangrando. “Infelizmente se tornou comum esse tipo de situação. Mesmo com a existência de lei que protege os animais, a cada dia presenciamos mais situações absurdas como esta. Precisamos colocar em prática e fazer valer realmente. Que as pessoas façam as denúncias e também que se criem mecanismos para que possamos fazer mais resgates”, comentou.

A guarnição da GMN acionou a equipe do Curral Municipal que veio recolher os animais para serem tratados. Os guardas municipais ainda mostram que o cuidado com o animal, além de ser um dever de cada responsável, também mantém a saúde e a capacidade física para que o trabalho a que são expostos seja realizado de maneira satisfatória. “É preciso que as pessoas entendam que qualquer ato de abuso ou violência contra os animais é crime e pedimos que a sociedade ajude a combater esse tipo de dano denunciando”, completou a CGA.

O crime de maus-tratos contra animais está previsto na Lei de Crimes Ambientais (9.605/98) e prevê pena de detenção de três meses a um ano, além de multa pecuniária. A punição pode ser ampliada com a aprovação do Projeto de Lei 470/2018, aprovado pelo Senado Federal em dezembro do ano passado. De acordo com o Projeto, a pena de maus-tratos sobe para de um a quatro anos de detenção.

Para denúncia de maus-tratos contra animais o cidadão pode acionar o Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp), no 190, ou a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb), no número 3616-9829.

 

Opinião dos leitores

  1. Só pode roubar dinheiro de Público dos mais humilde, e deixa-los desassistidos de alimentação adequada, assistência de saúde morrendo nos corredores de hospitais e com procedimento cirúrgicos atrasados, e entregue a violência, onde perde a vida e os celulares nas paradas de ônibus, e vivendo nas ruas intransitáveis com esgoto e fedentina escorrendo nas portas entre outras mazelas, inclusive se os ladrões forem pegos com o roubo, o stf arranja todo tipo de lei pra solta-los. Triste destinos!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

FOTO: Cães da raça pitbull em condições de maus tratos são resgatados de imóvel em Natal

Foto: Divulgação/Semurb

Na última sexta-feira (23), dois cães da raça pitbull, que estavam abandonados e submetidos a maus tratos em um imóvel no bairro de Lagoa Seca foram resgatados pelas equipes da Semurb com apoio do Grupamento de Ações Ambientais da Guarda Municipal (GAAM/GMN) e da Companhia Independente de Proteção Ambiental da Polícia Militar (Cipam).

Segundo relatos de populares a casa está abandonada há cerca de anos e uma pessoa viria deixar comida e água de vez em quando para os animais. Um deles estava com uma das patas machucadas e não conseguia ficar de pé. Os pitbulls recolhidos foram entregues a uma ONG de proteção animal e serão colocados para adoção.

Já o tutor que submeteu os cães a maus tratos foi autuado pela Semurb com multa grave e responderá inquérito policial por crime ambiental junto a Delegacia Especializada em Proteção ao Meio Ambiente (Deprema).

Denúncias podem ser feitas pela população pelo canal 24h do Ciosp, no número 190 e também no disque denúncia da Polícia Civil no 181 nos fins de semana e feriados. Já de segunda a sexta-feira das 8h às 16h, pelo telefone da Ouvidoria da Semurb no (84) 3616-9829 ou e-mail [email protected]

 

Opinião dos leitores

  1. Maus tratos aos animais era pra ser crime hediondo!
    Quem maus-trata um animal, faz a mesma coisa com uma criança, um idoso.
    Teria que prendê-lo e jogar a chave fora, ir deixar água e comida só de vez em quando…

    1. Ele apenas sancionou!
      Relator foi o senador Fabiano Contarato, seu mito não tem capacidade para tal.
      Ele passou 28 anos no congresso, esqueceu?
      Pela vontade dele, ele premiaria quem maltratasse um animal.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Médico potiguar e mais três mergulhadores desaparecem no mar, ficam 13 horas à deriva e são resgatados no Grande Recife

Foto: Reprodução

Quatro mergulhadores desapareceram no mar na tarde do domingo (6) e foram encontrados na madrugada desta segunda-feira (7), na Região Metropolitana do Recife. Eles relataram que ficaram cerca de 13 horas à deriva, até serem resgatados (veja vídeo AQUI).

Os quatro homens saíram do Cabanga Iate Clube, no Recife, para realizar um mergulho técnico com o Rebreather, aparelho que possibilita que o mergulhador inspire novamente o gás expirado. O grupo seguiu para o naufrágio Corveta Camaquã, localizado a aproximadamente 37 quilômetros da costa, na posição relativa à Coroa do Avião, no município de Itamaracá.

O médico cirurgião potiguar Alan Filgueira fazia parte do grupo. Segundo ele, o mergulho aconteceu normalmente, o problema foi na hora que eles voltaram à superfície e perceberam que havia algo errado, pois o barco estava distante.

“À deriva, foram 13 horas, a gente solto, derivando em direção à praia. De mergulho, foram aproximadamente duas horas. A gente subiu por volta das 13h30 e o barco estava distante”, contou, nesta segunda, ao chegar de volta ao Cabanga.

Equipes da Marinha e o helicóptero do Corpo de Bombeiros participaram das buscas. O quarteto foi encontrado a 15 quilômetros da posição de onde desapareceram, segundo a Capitania dos Portos. Os outros três mergulhadores preferiram não falar com a TV Globo. Os quatro passam bem.

O mergulho

Os quatro mergulhadores estavam acostumados a esse tipo de incursão. Um deles, tem mais de 20 anos de experiência. Como a Corveta Camaquã fica a 56 metros de profundidade, chegar à superfície exige descompressão, explicou Filgueira. Segundo ele, uma forte correnteza, que não havia sido identificada na rota, provavelmente causou o acidente.

“Quando a gente desceu, não tinha corrente. Provavelmente, dentro do mergulho, a corrente cresceu e nós não sentimos. Quando a gente voltou a subir no cabo, vimos que estava correndo bastante água e que o barco estava muito longe”, disse.

Para Figueira, a boia que serve de referência para o barco localizar os mergulhadores pode ter afundado, dificultando o trabalho da equipe náutica. Ele relatou que conseguia ver o barco, mas, por causa da distância, a tripulação não conseguia encontrar o grupo.

“A gente viu o barco, porque ele é grande. Vimos quando começaram a fazer o padrão de busca, mas a melhor opção foi soltar o cabo e derivar até a praia. […] Passamos muito tempo em alto mar”, afirmou.

O grupo foi encontrado na altura da praia do Janga, em Paulista, por um barqueiro que estaria ajudando nas buscas com outra embarcação, segundo o Corpo de Bombeiros. O helicóptero do Corpo de Bombeiros chegou a ser utilizado para auxiliar nas buscas.

G1 – PE

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Resgatados pela Marinha 9 dos 10 passageiros de barco que seguia para Noronha

Foto: Divulgação

A Marinha do Brasil resgatou, na noite dessa quinta-feira (13), nove dos dez náufragos da embarcação que saiu do Recife com destino ao Arquipélago de Fernando de Noronha. As buscas pelo último desaparecido continuam. O barco Navegantes emitiu um sinal de alerta na manhã de ontem e perdeu contato com a empresa proprietária quando estava a uma distância de 80 milhas náuticas da costa da Paraíba, o que equivale a 148 quilômetros de distância.

As nove pessoas foram resgatadas pelo navio-patrulha Guaíba e atendidas por um oficial médico a bordo. Segundo a Marinha, o estado de saúde delas é considerado bom. Das dez pessoas a bordo, seis eram tripulantes e quatro eram passageiros. O Navegantes deixou o Porto do Recife nessa quarta-feira (12) e tinha previsão de atracar no Porto de Noronha na manhã desta sexta-feira (14).

Confira a nota da Marinha na íntegra:

“A Marinha do Brasil (MB), por intermédio do Comando do 3º Distrito Naval (Com3ºDN), informa que o Navio-Patrulha “Guaíba” resgatou, na noite do dia 13 de junho, nove náufragos da embarcação “Navegantes”. A busca por um tripulante, que se encontra desaparecido, continua.

A “Navegantes” suspendeu de Recife, no dia 12 de junho, com destino ao Arquipélago de Fernando de Noronha, e naufragou a uma distância de 80 milhas náuticas – equivalente a 148 quilômetros – de João Pessoa-PB.

Os nove resgatados foram atendidos pelo Oficial Médico embarcado e apresentam bom estado de saúde, estando em segurança a bordo do Navio-Patrulha “Guaíba”. O Salvamar Nordeste, que coordena a Operação de Busca e Salvamento, deslocou o Navio-Patrulha “Macau” para prosseguir com a busca”.

OP9

 

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *