Dilma Rousseff convida Rosalba Ciarlini para viagem no exterior

De um lado a presidenta Dilma Rousseff, do PT, do outro a governadora Rosalba Ciarlini, do DEM. Essa frase poderia até ser aceita, mas não é assim que o colunista Anselmo de Carvalho vê as coisas. De acordo com sua última coluna, as duas mulheres estão juntas no mesmo lado, inclusive com viagem agendada para fora do país, mais especificamente para a Índia.

A que se daria essa aproximação a ponto de um convite para o exterior? Seria um princípio de articulação política? Respostas o blog não tem, mas que é, no mínimo, estranho. Isso é!

Ah! Não poderíamos deixar de fazer uma análise mais profunda desse convite. Se a governadora for no AeroDilma rumo à Índia, quem fica no poder é o rompido vice Robinson Faria. Será que ele vai sentir esse gostinho de ter o poder das mãos vindo exatamente de quem acabou de se desvincular politicamente?

Isso ainda vai render um bocado nos bastidores, principalmente se o convite for aceito. Além de Rosalba, também foi convidado o sergipano Marcelo Déda.

 

Mais de 63% dos natalenses aprovam governo de Dilma Rousseff

A pesquisa Consult/Sinduscon foi realmente uma das mais esperadas dessa semana como o blog ouviu comentários. Não bastando, a avaliação da Prefeitura e do Governo do Estado, ela também trouxe números da Presidência da República.

Em Natal, 63,5% da população aprova os trabalhos da presidenta Dilma Rousseff a frente do Executivo federal. Uma fatia de 23,8% dos entrevistados, porém, tem outra visão e desaprova o governo da petista. Exatos 12,7% dos entrevistados não tinham opinião formada.

A encomenda da pesquisa divulgada hoje foi feita pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon). Nela, foram entrevistadas mil pessoas de 43 localidades de Natal. Essa é a primeira pesquisa eleitoral registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) este ano.

Agripino avisa: "Precisamos saber quem está mentindo, a presidente ou o ministro"

O presidente nacional do DEM, José Agripino Maia (RN), diz que espera esclarecimentos após a conversa desta segunda-feira (9) entre o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, e a presidente Dilma Rousseff. “Precisamos saber quem está mentindo, se a presidente ou o ministro”, afirmou o líder da oposição.

“A presidente da República precisa dizer se autorizou ou não que a verba destinada a catástrofes fosse repassada para Pernambuco no percentual que foi ou se isso foi iniciativa voluntária de Bezerra. O ministro diz que ela sabia. O governo diz que não”, declarou o senador em entrevista a Terra Magazine.

Fernando Bezerra é suspeito de favorecer seu Estado, Pernambuco, no repasse de verbas para obras contra inundações, por meio de seu filho, o deputado Fernando Coelho (PSB-PE). Além disso, o ministro está sob acusações de nepotismo, ao empregar seu irmão, Clementino Coelho, na presidência da Codevasf (Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba).

Ainda segundo Agripino Maia, mesmo que o ministro se mostre disposto a esclarecer as denúncias contra ele no Congresso, isso só deverá acontecer na retomada dos trabalhos da Casa, no início de fevereiro. “Todos os partidos têm questionamentos quanto ao caso. Isso não pode ser tratado agora, na comissão temporária, e ser dado como assunto encerrado”, justificou o senador.

Enquanto o governo cuida para que o desgate do ministro não seja ainda maior, gerando nova crise na Esplanada, a oposição se movimenta. Na terça-feira (10), o senador Demóstenes Torres (DEM-GO), líder do DEM no Senado, pedirá investigação de Fernando Bezerra à Procuradoria-Geral da República.

Por sua vez, o líder do PSDB no Senado, Alvaro Dias (PR), solicitará ao presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), que convoque a Comissão Representativa do Congresso para ouvir o ministro.