Servidores da Saúde do Estado encerram greve e aguardam fim do recesso da AL

Em reunião realizada na manhã desta sexta-feira (13), os Servidores da Saúde Estadual decidiram encerrar a greve iniciada no último dia 10, ainda que o SindSaúde confirme que a categoria continua em estado de greve até o dia 22 de janeiro, quando irá realizar uma nova assembleia e decidir os rumos das negociações.

A greve teve o objetivo de forçar o envio para a Assembleia Legislativa do projeto de lei que trata da implantação da tabela salarial elaborada pelo Dieese, com base na Lei 333/2006. Contudo, como a AL entrou em recesso nesta sexta-feira (13), prevaleceu o bom senso, e por isso, os servidores acharam melhor voltar com as atividades. Neste período, o secretário da pasta, Luís Roberto Fonseca, promete enviar o documento logo após o recesso e garante que será em tempo suficiente para o cumprimento do acordo.

Com informações adicionais da Tribuna do Norte

Justiça no RN determina pagamento de indenização a mãe que perdeu a filha por falha no atendimento de saúde

Uma mãe que perdeu a filha recém-nascida por falha no atendimento da rede pública de saúde, que não disponibilizou um leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). O caso gerou um processo na Justiça Federal do Rio Grande do Norte, que determinou o pagamento de uma indenização por danos morais no valor de R$ 150 mil, custo que será dividido entre o Município de Natal, o Estado do Rio Grande do Norte, a União e a Universidade Federal do Rio Grande do Norte. A sentença foi proferida pelo Juiz Federal Orlan Donato Rocha, que atuou em substituição na 4ª Vara Federal.

“A alegação de falta de recursos, de leitos, e de UTI´s neonatais não socorre, e muito menos justifica a reticência dos hospitais que negaram atendimento a criança em estado crítico de saúde. Visível perfeitamente, portanto, a caracterização da responsabilidade civil objetiva do Estado no dano sofrido pela autora, mãe da criança falecida”, destacou o magistrado. O Juiz Federal chamou atenção ainda que os réus poderiam ter agido para garantir o procedimento atendimento ao tratamento intensivo do bebê. “Os entes estatais se conduziram em completo descompasso com o que lhes ordena a Constituição Federal e a Lei Orgânica, no que se refere à assistência integral da saúde de seus cidadãos”, destacou.

Para o Juiz Federal Orlan Donato restou patente a responsabilidade dos entes públicos. “Se a paciente necessitava de específico tratamento para a sua sobrevida e os réus que estavam obrigados a fornecê-lo não agiram diligentemente nesse sentido, por ser certo e evidente que assim não o fez, o dano sofrido pela autora com a morte da filha é evidente”, ressaltou.

O caso ocorreu em 2007. A criança nasceu no Hospital Maternidade Januário Cicco e precisou de incubadora, onde permaneceu por dez dias antes de receber alta. Dois dias após chegar em casa, a mãe conduziu a filha para um posto de saúde, já que o bebê permanecia com dificuldade de respirar. Em seguida, a criança, com o quadro extremamente grave, foi conduzida, em um táxi, para o Hospital Sandra Celeste. Segundo relato, a unidade hospitalar tentou contato com vários hospitais para buscar um leito de UTI para a criança, mas não houve disponibilidade. A criança ainda foi levada para o Hospital Walfredo Gurgel, onde faleceu, sem conseguir receber atendimento em um leito de UTI.

JFRN

No dia independência, mobilizações defendem uma saúde de qualidade no RN

A sexta-feira, 07 de setembro, foi marcada por mobilizações em prol da saúde do Rio Grande do Norte. Na internet um twitaço com a hashtag #SOSSaudeRN movimentou o microblog, lembrando as dificuldades que profissionais e pacientes enfrentam ao procurar o sistema de saúde. O assunto foi bastante comentado e repercutido no Rio Grande do Norte.

Já nas ruas, os médicos servidores da Secretaria de Estado da Saúde Pública do Rio Grande do Norte (Sesap/RN), em greve desde 28 de abril, realizaram uma caminhada partindo da Praça 7 de Setembro, em direção a Praça Cívica, local onde anualmente acontece o desfile-cívico-militar em Natal.

Com faixas, cartazes e alto-falantes, os manifestantes ligados a diversas entidades sindicais que representam trabalhadores da área cobraram a melhoria das condições e serviços públicos.

Durante o desfile, a governadora Rosalba Ciarlini foi vaiada pela população quando seu nome foi pronunciado pelo cerimonial.

Memorial e Médico Cirúrgico vão Parar….

Em nota Sábado à imprensa, os Hospitais Memorial e Medico Cirúrgico informam que depois de muitas tentativas, negociações, ofícios, apelos ao MP e, até ações Judiciais vão paralisar a partir de segunda-feira o atendimento do SUS à população. Os Hospitais não receberam, até agora, nenhum pagamento do Sistema Único de Saúde de 2011. Como pode uma empresa com muitos custos, com fornecedores e, funcionários ficar noventa dias sem receber?

Como sempre, o descaso e o mau gerenciamento só quebram nas costas da população carente. E viva a esculhambação na gestão da Saúde Pública!

Sim, os Hospitais Memorial e Medico Cirúrgico irão fazer uma exceção e, continuar atendendo crianças, gestantes e idosos.

Maravilha!!!

Na Saúde do RN, Duelo de Titãs

Quando foi anunciado o secretariado estadual, surgiu a dupla Batman e Robin. A dupla formada pelo secretário da Saúde Domício Arruda e sua adjunta, Ana Tânia estava naquele clima de  “Um costurando e outro dando o nó”, como aquela famosa dobradinha da época de Garibaldi Filho e Fernando Bezerra.

O clima que antes era de parceria e harmonia, não é mais o mesmo.

Mandos e desmandos, o doce e azedo, meu bem meu mal, já fazem parte do dia-a-dia do secretário e de sua adjunta.

E o clima pesado, carregado, com nuvens negras e trovões, já não é segredo dentro do governo.

A própria governadora Rosalba já tomou conhecimento e inclusive externou para outros integrantes governistas.

O trabalho sério e discreto de Domício Arruda tem batido de frente com o trabalho, digamos arrojado, da competente Ana Tânia.

Na Saúde que está doente, falimentar e cansada, não cabe mando e desmando.

E a falta de harmonia, com nuvens carregadas e prenúncios de trovões, começa a afetar auxiliares próximos.