Saúde

VÍDEO: Médica sem máscara que ignorou idosa de 96 anos e agrediu filha de paciente em SP é afastada

A médica que se recusou a atender uma idosa de 96 anos e ainda agrediu a filha de uma paciente dentro do hospital estadual de Heliópolis, na zona sul de São Paulo, foi afastada da função. Nos vídeos gravados por uma testemunha, ela aparece sem máscara durante o trabalho e se descontrola até ser contida por outro funcionário.

Era 12h30 quando a dona Chiarela Aurora Lang chegou ao hospital sem apetite e com dificuldade para andar. A idosa foi colocada na cadeira de rodas e depois foi levada para o corredor para aguardar atendimento.

O neto que a acompanhava contou que, depois de uma hora e meia de espera, decidiu cobrar a médica responsável, Silvia Duellberg, pela consulta. Ele gravou a ação e argumentou que a avó deveria ser prioridade, mas ela o ignora e diz que ali “não era assim”.

O ajudante geral, Anderson Basílio Ferraz, lembrou que a própria médica pegou as fichas e fez a chamada dos pacientes. Segundo ele, era a profissional quem decidia quem iria atender e a hora.

“Com 96 anos, minha avó em uma cadeira de rodas. Isso não é uma médica, uma profissional de saúde que tem amor no que faz”, afirma Anderson.

O neto procurou a polícia e acionou um advogado que vai processar a médica e o hospital por omissão de socorro e desrespeito ao Estatuto do Idoso.

De acordo com o advogado da família, Paulo Augusto de Oliveira, quando ela se negou a fazer o atendimento, ela desrespeitou o Código de Ética Médica e pode responder por omissão de socorro. Segundo o Estatuto do Idoso, as pessoas que têm mais de 60 anos têm prioridade.

Anderson ainda flagrou uma outra situação de desrespeito envolvendo a mesma médica. No auge da pandemia do novo coronavírus, quando os médicos recomendam o uso de máscaras, ela decidiu atender pacientes sem cobrir o rosto.

Uma das acompanhantes de paciente questiona a médica sobre a postura em meio à pandemia. Ela estava com a mãe, que faz tratamento contra o câncer, quando foi atacada. Depois da confusão, a médica abandonou o plantão.

Chiarela foi atendida por outra profissional, que viu os exames e determinou que a idosa ficasse em observação. Ela continua internada no hospital e o estado de saúde dela é estável.

O boletim de ocorrência foi registrado no 95º DP, em Heliópolis.

R7

Opinião dos leitores

    1. Pergunta que não quer falar.
      O que o Dória tem bom isso? Foi ele que cometeu o fato?

    1. Não gosta de trabalhar igual aos retardados que votam em luladrão

  1. Pelo comportamento dessa médica, alguém tem alguma dúvida se ela apertou o 17 na última eleição pra presidente?
    Eu não tenho dúvidas.
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Mãe denuncia estupro de filha internada com suspeita de covid-19 em Mato Grosso do Sul

FOTO: DIVULGAÇÃO

Uma mulher de 36, internada com suspeita de covid-19 no HRMS (Hospital Regional do Mato Grosso do Sul), alega ter sido estuprada por enfermeiro na madrugada de quarta-feira (3).

A mãe dela registrou um B.O. (Boletim de Ocorrência) na Delegacia da Mulher com base em um áudio enviado pela filha por mensagem de celular. No áudio, a vítima descreve em detalhes o ato. Ofegante, em vários momentos, a paciente faz uma pausa para tentar respirar. Ela conta que tentou parar a ação do suspeito, mas estava sem forças.

A vítima descreve o autor como um enfermeiro que estava de serviço naquela madrugada. Ao receber a mensagem, a mãe, Míriam Motta, disse que procurou imediatamente a direção do hospital e a polícia.

O caso foi registrado como estupro de vulnerável – quando praticado com alguém que, por enfermidade ou deficiência mental, não tem o necessário discernimento para oferecer resistência. Segundo Míriam, a filha estava com medo de denunciar, mas uma de suas motivações para fazer o registro é que outras mulheres não passem pela mesma situação da filha.

O HRMS não se manifestará a respeito. Em nota, o hospital afirma: “Reiteramos que todos os casos de supostas infrações nos diversos campos, administrativo e assistencial, o HRMS pauta-se nos ditames éticos e legais vigentes para tomada de providências.”

R7

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Homem agride esposa e esfaqueia a própria filha de 1 ano no interior do RN, diz PM

Uma criança de 1 ano de idade foi ferida de raspão por uma facada desferida pelo próprio pai na noite desta quarta-feira (13), na cidade de Umarizal, região Oeste potiguar. Segundo informações da Polícia Militar, o homem estava agredindo a esposa e tentou esfaquear a mulher, mas acabou acertando a criança. A mulher e a criança foram levadas ao hospital. O homem foi preso.
Todos os detalhe AQUI em reportagem do G1-RN.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acidente

Idosa atropelada junto com filha no centro de Natal morre no hospital

Atropelada por um caminhão de uma empresa de alimentos na manhã desta quarta-feira (13), a aposentada Maria das Dores de Lima, de 82 anos, morreu na sala de cirurgia do Hospital Walfredo Gurgel, na Zona Leste de Natal. Ela e a filha, de 40 anos, foram vítimas no acidente que aconteceu no cruzamento da Avenida Rio Branco com a Rua João Pessoa, no centro da capital. As informações são do G1-RN

A outra mulher atropelada, filha de Maria das Dores, segue internada no hospital, acompanhada do marido. Ela vai precisar fazer uma cirurgia no tornozelo. Detalhes AQUI em texto na íntegra.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polêmica

Filha de ex-prefeito de Ponta Grossa exibe frasco com símbolo do Butantan em VÍDEO em rede social e escreve: ‘Vacina do Covid’

Filha de ex-prefeito publicou vídeo exibindo frasco com símbolo do Butantan em vídeo em rede social — Foto: Reprodução/Tik Tok

A filha do ex-prefeito de Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná, Marcelo Rangel (PSDB), publicou um vídeo em que aparece exibindo um frasco com o símbolo do Instituto Butantan na plataforma TikTok.

No vídeo, Juliana Rangel se refere à vacina contra a Covid-19. Nas imagens, ela mostra a embalagem enquanto é possível ouvir uma gravação com as falas “mostre algo que você tem, que mais ninguém tenha, e que você ache muito legal”.

A jovem publicou o vídeo na rede social e escreveu a legenda “Vacina do Covid”. (ASSISTA AQUI em matéria na íntegra).

A vacina do instituto ainda aguarda a liberação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para iniciar a distribuição pelo país. O pedido para uso emergencial foi protocolado na última sexta-feira.

Após a repercussão do caso, nesta terça-feira (12), o ex-prefeito Marcelo Rangel afirmou que a filha, de 19 anos, não se pronunciará sobre o fato. Ele confirmou a autenticidade do vídeo e disse que a publicação foi uma forma de publicidade da vacina, diante dos questionamentos da população sobre eficácia e compra.

Rangel compartilhou um print da publicação da jovem em uma rede social pessoal.

O ex-prefeito afirmou, ainda, que o frasco trata-se de uma amostra da CoronaVac, vacina fabricada no Instituto Butantan, que foi distribuída a prefeitos durante uma visita dos gestores municipais ao local, em dezembro.

Ele afirmou que teve autorização do instituto para uso do frasco com fins de divulgação.

O G1 aguarda retorno do Instituto Butantan, que desenvolveu a vacina no Brasil.

Em nota, a Prefeitura de Ponta Grossa disse que o material foi entregue ao ex-prefeito após um pedido pessoal de Rangel, e que não realiza divulgação de vacina, uma vez que a função, segundo o município, cabe aos governos estaduais e federal.

Compra da vacina

Em dezembro do último ano, o então prefeito Marcelo Rangel (PSDB) viajou a São Paulo para negociar a compra de doses da CoronaVac para Ponta Grossa. O anúncio oficial do convênio saiu em 10 de dezembro, após uma visita do ex-prefeito ao Instituto Butantan.

Na época, Rangel afirmou ainda que a prefeitura tinha orçamento emergencial previsto para a aquisição das vacinas, com intenção de disponibilizar inicialmente recursos para compra de 60 a 100 mil doses.

Em 15 de dezembro, um ofício foi publicado pelo então prefeito com autorização para compra de 16 mil doses da CoronaVac, com intenção de iniciar a vacinação ainda neste mês.

Ponta Grossa tem 14.194 casos confirmados do novo coronavírus, com 6.143 pessoas recuperadas e 222 óbitos confirmados pela doença, segundo o último boletim divulgado pela prefeitura municipal, na segunda-feira (11).

G1

Opinião dos leitores

  1. Propaganda da vacina da China? Isso pode? E comprar algo sem ser aprovado, pode? E cadê os cinco milhões dos respiradores? Pode ficar sem punição?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

VÍDEO: Família é expulsa de avião após filha de 2 anos se recusar a usar máscara

(Fotos: Reprodução/Instagram)

A coach de saúde e bodybuilder norte-americana Eliz Orban estava com a família a caminho de Nova York para seguir com a tradição que tem há anos de ver a árvore de Natal Rockefeller, mas ela, o marido e a filha de 2 anos do casal, Edeline, não puderam seguir viagem, uma vez que a criança se recusava a permanecer de máscara dentro do avião e, por isso, a família foi convidada a retirar-se da aeronave.

Em vídeo e post compartilhados no Instagram, Eliz contou aos seguidores, chorando, a situação pela qual passou com a família. No texto na legenda da publicação ela escreveu:

“Fomos expulsos de um voo da United. Isso aconteceu há 7 horas e ainda estou sentada aqui em confusão, descrença, nojo e humilhação. Meu marido cresceu em Nova Jersey, eu morei lá duas vezes antes de nos casarmos e passamos muito tempo lá juntos. É realmente nossa segunda casa. Uma tradição que temos é ir ver a árvore Rockefeller todos os anos. É uma tradição que também queríamos que nossa filha de 2 anos experimentasse. Alguns de nossos amigos / familiares mais próximos com quem crescemos (incluindo seu melhor amigo de infância, que se mudou para a Eslováquia anos atrás e nem mesmo conheceu nossa filha, e alguns de nossos outros amigos que chamamos de família, estavam viajando de Cleveland) estarão lá esta noite e amanhã para que possamos passar um tempo juntos pela primeira vez em anos. Estávamos muito animados com essa viagem de fim de semana para Jersey / NYC. Nós somos clientes fidelizados da @united, então sempre voamos com eles. Na verdade, já tínhamos voado com Edeline 4 vezes desde a pandemia, sem nunca ter tido um problema. Hoje, fomos convidados a deixar o avião depois que ele começou a andar pela pista, eles tiveram que trazê-lo de volta ao portão, porque nossa filha de 2 anos não iria “obedecer” e manter sua máscara. Ela fará 3 [anos] em abril de 2021, para todos que perguntarem. E o que me impressiona ainda mais é que as recomendações OMS são contra máscaras faciais para menores de 5 anos. CONTRA. E esta decisão foi ‘baseada na opinião de especialistas sobre marcos de desenvolvimento da infância, desafios com a conformidade com a máscara e a autonomia necessária para usar uma máscara adequadamente.’ Isso vale uma pesquisa no google. ⁣Como nossas malas não foram retiradas do avião (eles pegaram nossa cadeira de criança) – temos que esperar até amanhã para que eles entreguem em nossa casa em Breckenridge, que fica a 2 horas do aeroporto DIA. Definitivamente não vou jantar em Jersey esta noite.”, desabafou Eliz.

No vídeo compartilhado por ela, há cenas gravadas dentro do avião também, inclusive é possível ver o marido de Eliz tentando fazer com que Edeline, a filha do casal, permanecesse de máscara, até o momento em que um membro da tripulação pede para que eles se retirem do avião: “Olá, senhor, terei de pedir-lhe que pegue seus pertences e saia da aeronave”, disse o funcionário da companhia aérea ao marido de Eliz.

O que diz a OMS e a United Airlines

De fato, no site da OMS, eles não recomendam o uso de máscara às crianças menores de 5 anos, mas a United Airlines – segundo eles, sob a orientação do CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças, uma agência do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos) e parceiros de saúde – decretaram regras preventivas contra a Covid-19 nos voos que inclui o uso de máscara a todos as pessoas maiores de 2 anos:

“A saúde e a segurança de nossos funcionários e clientes é nossa maior prioridade, e é por isso que temos um conjunto de políticas em várias camadas, incluindo a obrigatoriedade de que todos a bordo que tenham de dois anos ou mais usem uma máscara. Esses procedimentos não são apenas respaldados pela orientação dos [Centros federais para Controle e Prevenção de Doenças] e nossos parceiros na Clínica Cleveland, mas também são consistentes em todas as grandes companhias aéreas.”, notificou a United Airlines ao portal Heavy.

Sobre o incidente com Eliz e sua família, a companhia aérea declarou: “Estamos investigando esse incidente específico e entramos em contato com a família. Também reembolsamos os bilhetes e devolvemos a cadeirinha e as malas.” A companhia aérea também negou que a família tenha sido banida da United Airlines para sempre, como disse Eliz no vídeo.

GQ – Globo

Opinião dos leitores

  1. Esse povo tá doente da cabeça, criança não consegue usar máscara, 2 anos?!?! Tá de sacanagem!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Homem é assassinado a tiros em Macaíba na frente da esposa e da filha

Foto: Sérgio Henrique Santos/Inter TV Cabugi

O portal G1-RN noticia que um jovem de 22 anos foi assassinado na frente da sua companheira e de sua filha de dois meses na noite desta quarta-feira (14), em Macaíba, na região metropolitana de Natal. O atentado aconteceu no Loteamento Esperança, na Rua Ceará.  Segundo a Polícia Civil, a vítima chegava no próprio carro à casa de um amigo, quando foi surpreendido por dois homens armados em uma motocicleta. Ainda de acordo com os investigadores, ao se aproximarem, os bandidos ordenaram que a mulher saísse do carro com a criança. Em seguida, atiraram várias vezes no motorista. Veja mais detalhes em matéria completa AQUI.

Opinião dos leitores

  1. Macaiba, terra sem Lei. As Facções tomaram conta, quem tem sítio não vai mais. O Distrito de Cana Brava e Traíras não se vê um Soldado, Fátima prometeu e vai cumprir, acabar com o RN.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

A emocionante lista de planos que filha encontrou em celular do pai meses após morte por câncer

Meses depois da morte do pai, Júlia encontrou em seu celular uma lista de coisas que ele queria fazer Foto: Arquivo pessoal

Era aniversário do pai, o primeiro em que Júlia teria só sua lembrança para celebrar. Naturalmente, a adolescente de 16 anos reuniu a caixa de coisas que tinha dele: roupas com seu cheiro, celular, o perfume que ele usava e algumas cartas. No celular, ela abriu um aplicativo que não havia aberto antes: o de notas. O que viu a fez chorar.

“Quando sair do hospital, eu vou…”, escreveu seu pai, começando uma lista. “Ver a Ju casar”, “Cuidar dos meus netinhos”, “construir uma casa no meio do mato”, “ajudar as crianças no hospital”. E mais: “Fazer comidas novas para a Ju”, “fazer a tatuagem com a Ju”, “ir em Fátima”.

Vinte e seis planos, e uma nova linha que ele nunca completou.

No dia 21 de dezembro do ano passado, o mineiro Ramon do Vale Vicente morreu aos 53 anos. Foram dois anos lutando contra a leucemia. Deixou a filha Júlia, de 16 anos, mãe, irmão e a ex-mulher Fernanda, de quem se reaproximou nos últimos anos de vida, e que aparece na lista como alguém de quem ele queria “cuidar”, assim como ela fez com ele, passando meses no hospital ao seu lado.

Emocionada com o que encontrou no celular do pai em setembro, meses depois de sua morte, Júlia postou a lista no Twitter.

“Por isso que eu falo, aproveitem. Encontrei essa lista q meu pai escreveu no hospital antes de morrer”, escreveu. “Podem ter certeza que eu irei realizar toda essa lista do meu papai!! E eu tenho certeza que ele vai estar junto comigo nesses momentos especiais!!!”. A publicação recebeu 145 mil curtidas e quase 15 mil retuítes.

Quase todos os planos de lista escrita pelo pai envolve a filha, “Ju” Foto: Reprodução

Para ela, é um recado para “aproveitarmos as pessoas quando a gente ainda as tem, principalmente os adolescentes que brigam direto com os pais”.

“Quando a gente perde, é horrível. Acho que as pessoas deveriam aproveitar enquanto podem, ainda mais agora em tempos de pandemia. A gente tem que aproveitar quem a gente ama, passar mais tempo, curtir, contar as coisas, aproximar mais… Todo mundo está muito afastado de todos”, diz ela, que quer completar a lista em homenagem ao pai (leia mais abaixo).

A ex-mulher Fernanda, de 47 anos, acrescenta: “É importante também que, para isso, as pessoas se mobilizem para a doação de medula e de sangue para quem precisa”.

‘APROVEITAR A VIDA’

Nascido em Cataguases, pequena cidade em Minas Gerais, perto da fronteira com o Rio de Janeiro, Ramon passou a infância em Recreio, cidade ao lado. Ali, abandonou a escola e foi trabalhar com motos, segundo contava à filha, porque se considerava “o melhor motorista de moto da cidade”. Também tinha paixão por carros. Com 1,90m de altura, era considerado um cara forte, que chamava a atenção.

Em Juiz de Fora, formou-se como técnico em eletrônica. Depois, trabalhou em Belo Horizonte fazendo manutenção em torres de rádio para a Telefonia.

Ramon era técnico em eletrônica e apaixonado por carros Foto: Arquivo pessoal

Foi no trânsito da capital mineira onde ele e Fernanda, psicóloga que trabalha com recursos humanos, se conheceram. Era 1996.

“É até engraçada as coincidências das nossas vidas. A primeira vez em que eu saí com o Ramon, ele perguntou quando era meu aniversário. Quando disse 26 de setembro, ele falou ‘Ah, não, não acredito’. É porque era o dia do aniversário dele também. Trabalhávamos no mesmo prédio e a gente nunca tinha se visto – nos conhecemos em um lugar totalmente diferente, distante de onde a gente trabalhava”, diz ela.

Era uma pessoa alegre e brincalhona, segundo descreve Fernanda. “Não tem um que não fale ‘nó, não era um cara bom’. Nunca ouvi ele falar mal de ninguém. Ele gostava de viver, de aproveitar a vida”, diz.

Casaram-se em 1999, e Júlia veio quatro anos depois.

Mas, “no meio do caminho, ficamos dez anos separados”, conta ela. “Ficamos afastados durante um tempo, mas mantivemos o relacionamento.”

Júlia diz que ela e o pai brincavam muito. “A minha relação com ele sempre foi muito boa, a gente brincava muito, falava que minha mãe era a general e meu pai deixava eu comer tudo que eu quisesse, mas só depois do almoço”, ri.

Pula para 2018.

Ramon começou a se sentir fraco. Achou que algo estava errado.

“Tive com o Ramon um mês antes da gente descobrir que ele estava doente. Ele mencionou que estava fraco. Fomos numa quadrilha da escola da Júlia, saímos e ele já estava passando mal.”

Na semana seguinte, ele contou para Fernanda que estava com pedras nos rins e estava internado. Ali, descobriram que havia também uma alteração na contagem de seus leucócitos, células que compõem nosso sistema de defesa.

Quinze dias depois, o diagnóstico: leucemia. Nesse tipo de câncer, a produção desordenada aumenta o número de leucócitos no sangue.

“A primeira internação dele durou 30 dias. Eu fiquei com ele esses 30 dias, sem sair do hospital. Acompanhei ele por todo o período, e nesse período a gente se acertou, a gente curou as feridas, e a gente retomou o relacionamento”, conta Fernanda. “Nossa história é triste e bonita ao mesmo tempo. Dizem que Deus tem propósito para todo mundo. A gente se afastou, se acertou e retomou.”

“Ramon era forte, animado, uma pessoa que amava a vida em todos os sentidos”, diz. O período da quimioterapia foi duro, mas ele sempre dizia “estou firme, vamos, vamos vencer, passar por isso”, lembra ela. “Ele nunca se perguntou ‘por que comigo?'”

“Às vezes a gente levantava de manhã no hospital, e eu abria a janela para a gente ver o sol. Ele olhava para o céu e falava: ‘Que dia lindo. Estou doido para sair daqui ver esse céu maravilhoso, doido para ir para a praia’.”

Um ano e oito sessões de quimioterapia depois, ele foi para a casa. “A médica disse ‘ele tá ótimo, tá curado, a quimioterapia foi excelente e a medula está funcionando normal’. Ele ficou em casa, e nós retomamos a vida.”

Quatro meses depois, ele começou a passar mal de novo. A leucemia havia voltado. Foram mais quatro meses no hospital.

“Fizemos campanha para doação de medula, coleta com parentes mais próximos para ver quem era compatível”, conta Fernanda. A filha, Júlia, era 50% compatível, o que permitiria que uma técnica inovadora de transplante de medula fosse feita. “Estava tudo preparado, a autorização para ela doar, tudo. Estávamos só esperando a última quimioterapia, que ele precisava para receber a medula.”

Mas Ramon não resistiu. Em 21 de dezembro de 2019, faleceu.

A LISTA

Quando viu a lista que o pai tinha escrito, viu que eram anotações de todos os planos que tinham feito juntos no hospital, diz Júlia. “Ele ficava deitado e me contava tudo que queria fazer. Ele falava que depois a gente ia fazer isso, depois ia fazer aquilo…”

A maior parte dos itens da lista envolve a “Ju”. Agora, ela quer realizar todos os planos que eles tinham juntos, menos um, diz ela. Ela não quer trocar o sobrenome “Vale” para “Valle”, como é o sobrenome do resto dos membros da família – uma modificação que o avô fez na hora de registrar o filho e que, para Júlia, faz dos dois “únicos”. “Só eu e ele teremos o sobrenome assim, vai ser uma coisa só nossa.”

Em janeiro, Júlia foi à praia favorita do pai, que ele estava sonhando em ir quando estava internado Foto: Arquivo pessoal

Alguns dos outros planos já foram realizados: em janeiro, ela pediu que a mãe a levasse para Cabo Frio, no Rio, a praia favorita do pai, para onde ele estava louco para ir. Era o primeiro item da sua lista.

A tatuagem que eles tinham combinado de fazer juntos – uma reprodução de uma foto que Júlia tirou do batimento cardíaco do pai no monitor da UTI – ela já fez.

Ajudar as crianças do hospital foi algo que Júlia e Fernanda fizeram por ele antes mesmo de verem a lista.

Na reta final da internação de Ramon, fizeram uma campanha com amigos e familiares para doação de sangue (mais de 100 doadores doaram para ele) e arrecadar um valor para pagar um profissional para ajudá-lo em casa depois do transplante de medula.

O valor arrecadado, cerca de R$ 8 mil, foi dividido e doado em parte para um projeto chamado “Missão Sofia”, que produz perucas para crianças com câncer, e em parte para um conhecido, uma pessoa humilde da cidade da mãe de Ramon que estava com um linfoma, para ajudá-lo com sua alimentação. Esse conhecido, Helder, recuperou-se bem da doença.

A casa da mãe, que ele queria ajeitar, tem sido reformada pouco a pouco neste ano pela neta e pela nora.

O Troller, o jipe que ele tinha e que queria modificar, está com Júlia. O pai já tinha até comprado um volante vermelho, e ela quer completar todas as modificações que ele tinha em mente. Ela conta que ele lhe ensinou muito sobre carros, e que também já a havia ensinado a dirigir.

O botox que ele escreve que queria pagar para Fernanda era uma brincadeira entre os dois, explica ela.

“Ele brincava que com o tratamento teria uma renovação tão intensa que ficar jovem de novo. E eu, que ficava no hospital 24 horas, dizia que só estava envelhecendo, que tinha que colocar botox para alcançá-lo e ficarmos os dois brotinhos”, ri ela.

Júlia, por sua vez, sonha também em completar as viagens da lista. Quer ir para Nova York e ver a neve – algo que o pai sempre teve vontade de conhecer, mas nunca teve a oportunidade, explica ela. Também quer ir para Fátima, uma promessa do pai, que era devoto.

E em momentos importantes da vida, como casar ou ter filhos – se ela quiser -, Júlia diz que “com certeza” estará lembrando o seu pai.

“De uma certa forma, movimentou a gente para uma maior reflexão sobre o sentido da vida, e o que a gente faz no dia a dia. A vida reserva muitas surpresas e nem sempre são agradáveis. Por pouca coisa, a gente reclama e, diante da situação toda, ficou a lição. Mesmo com muita dor, vale a pena lutar pela vida e fazer a diferença para as pessoas”, diz Fernanda, que agradece quem ajudou ao longo do caminho.

Para Júlia, a lista é só mais uma lembrança do pai. “O tempo todo eu me lembro dele. Qualquer coisa que eu faço, eu me lembro dele”, diz. “Completá-la é mais uma maneira de tê-lo por perto.”

Época, com BBC

 

Opinião dos leitores

  1. A família deste sr. Ramon atentou para o fato de que ele pode ter sido vítima de doença relacionada ao trabalho?
    A matéria relata que ele trabalhou fazendo manutenção em Torres de rádio para telefonia e morreu de leucemia.
    Pesquisem em fontes confiáveis, sobre exposição a ondas eletromagnéticas e câncer.

  2. O único plano que vale a pena é o da vida eterna Isso aqui é só ilusão.
    Tanta discórdia e agressão pra nada…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Filha do diretor-geral da Fundação José Augusto morre no CE após infecção bacteriana

NOTA DE PESAR

A Fundação José Augusto, através de todos os seus funcionários e gestores, manifesta imenso pesar pelo falecimento de Penélope Domitila de Medeiros Crispiniano, filha do Diretor-Geral do órgão Crispiniano Neto, ocorrido na madrugada desta quinta-feira (16/07) na cidade de Fortaleza(CE), em decorrência de uma infecção bacteriana. Penélope se recuperava há 50 dias em um hospital na capital cearense de um acidente automobilístico.

O corpo de Penélope Domitila será transladado para a cidade de Mossoró onde ocorrerá o sepultamento ainda nesta quinta-feira (16), seguindo as recomendações das autoridades sanitárias devido a pandemia da Covid 19.

Nosso conforto e imenso abraço a Crispiniano Neto e toda sua família neste momento de grande perda.

Fábio Henrique Lima de Almeida
Diretor da FJA

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Pai, mãe e filha morrem com Covid-19 em Natal em um intervalo de duas semanas

Foto: Arquivo familiar/Cedida

Dona Nina, Katiane e Seu Canindé eram moradores da Zona Norte da capital e faleceram em um intervalo de duas semanas, vítimas do coronavírus. O portal G1-RN destaca que a professora Francisca Katiane do Nascimento, de 37 anos, foi a terceira vítima da Covid-19 em uma família devastada pela doença. Ela vivia no bairro de Pajuçara, Zona Norte de Natal, com o pai, Francisco Canindé Nunes do Nascimento, e a mãe, Maria Francisca Nunes do Nascimento. Os três morreram com o novo coronavírus em um intervalo de duas semanas.

Katiane faleceu na noite de domingo (5) após 10 dias internada em um hospital particular de Natal. Ela apresentou os sintomas da doença no dia 25 de junho e deu entrada na unidade após sentir dores no corpo e dificuldades para respirar. A professora, que não tinha nenhuma comorbidade, foi internada dois dias depois da morte do pai e faleceu sem saber da morte da mãe. Reportagem completa aqui.

Opinião dos leitores

  1. Meus pêsames à família enlutada. Infelizmente o Ocidente não reage às agressões desses criminosos psicopatas do Partido Comunista Chinês. Vão esperar o que para retaliar a China? Um ataque nuclear?

  2. Meu Deus onde iremos parar! Não gosto de colocar ninguém como judas mas o mundo deveria dar uma resposta a China, ela é a responsável por essa tragédia no mundo, tinha que ser punida! Até agora o mundo não fez nada para punir os responsáveis da China!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Filha mata mãe com golpes de faca e marreta na Zona Oeste de Natal

O portal G1-RN destaca nesta terça-feira(30) que uma mulher de 18 anos foi presa após matar a própria mãe a facadas e marretadas, na manhã desta terça-feira (30), na Zona Oeste de Natal.

A informação foi confirmada pela Polícia Civil. Aos agentes da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), a mulher confessou o crime e disse ter cometido o ato extremo por “impulso”. Mais detalhes aqui em reportagem completa.

Opinião dos leitores

  1. Feminicidio? Será que não se enquadra nesta tipificação de crime? Ou é só quando é um homem que feminicida a fêmea?

    1. Claro que não se encaixa, somente se o homicídio tiver sido em virtude tão somente do sexo feminino.
      O feminicídio é a morte de uma mulher em razão dela ser mulher. Não é interessante confundir as coisas.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Flávio Bolsonaro sugere investigação da filha do juiz que mandou prender Queiroz, e fala de “boquinha” com Witzel

Foto: Adriano Machado 

O senador Flávio Bolsonaro publicou nessa quinta-feira (18) em suas redes sociais um vídeo em que sugere ao Ministério Público (MP) a investigação de Natália Nicolau, filha do juiz Flavio Itabaiana de Oliveira Nicolau, que expediu o mandado de prisão de Fabricio Queiroz e Marcia de Oliveira.

Segundo o senador, Natália possui uma “boquinha” com o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel.

Em nota, o governo do estado esclarece que Natália Menescal Braga Itabaiana Nicolau trabalha hoje na Casa Civil do Estado como secretária II e possui vasta experiência na área cível e de direito público, sendo advogada e exercendo a profissão em escritórios de advocacia.

O governo rebate também a suposição de ligação entre o juiz Flavio Itabaiana e o governador Wilson Witzel.

A nota ressalta que a nomeação da advogada ocorreu 15 dias antes da distribuição eletrônica do processo de Flávio Bolsonaro ao Juízo de Direito da 27° Vara Criminal, onde atua o pai da servidora, e que a distribuição eletrônica do processo é aleatória.

A assessoria do juiz também enviou uma nota para a CNN. Confira abaixo.

A filha do dr. Flávio Itabaiana foi nomeada em 01/04/2019, sendo certo que trabalha diariamente, cabendo, contudo, ao governo do estado informar se ela é ou não funcionária fantasma. O magistrado ressalta que não foi a pedido dele que ela foi nomeada para trabalhar lá, pois não tem qualquer contato com o governador nem com qualquer outra pessoa do Palácio Guanabara. A 1ª medida cautelar só foi distribuída ao Juízo da 27ª Vara Criminal depois, mais precisamente em 15/04/2019, quando, inclusive, o Senador Flávio Bolsonaro e o Governador Wilson Witzel ainda se relacionavam bem. O fato de ela trabalhar lá não o  torna impedido nem suspeito de processar e julgar o feito. Basta a leitura dos arts 252, 253 e 254 do Código de Processo Penal para se constatar isso.

Art. 253. Nos juízos coletivos, não poderão servir no mesmo processo os juízes que forem entre si parentes, consangüíneos ou afins, em linha reta ou colateral até o terceiro grau, inclusive. Ver tópico (1904 documentos)

Art. 254. O juiz dar-se-á por suspeito, e, se não o fizer, poderá ser recusado por qualquer das partes: Ver tópico (10267 documentos)

I – se for amigo íntimo ou inimigo capital de qualquer deles; Ver tópico (1505 documentos)

II – se ele, seu cônjuge, ascendente ou descendente, estiver respondendo a processo por fato análogo, sobre cujo caráter criminoso haja controvérsia; Ver tópico (110 documentos)

III – se ele, seu cônjuge, ou parente, consangüíneo, ou afim, até o terceiro grau, inclusive, sustentar demanda ou responder a processo que tenha de ser julgado por qualquer das partes; Ver tópico (104 documentos)

IV – se tiver aconselhado qualquer das partes; Ver tópico (375 documentos)

V – se for credor ou devedor, tutor ou curador, de qualquer das partes; Ver tópico (173 documentos)

Vl – se for sócio, acionista ou administrador de sociedade interessada no processo.

Atenciosamente.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Lógico ! Investigar tudo . A bola da vez agora são os bananinhas 01, 02. 03 e o Tonho da lua . O probo , honesto , incólume , guardião da moralidade e dos bons costumes , guardião da família , o chefe da família impecável do Brasil .

  2. Quem for podre que se quebre, seja lá quem for : Lula, Bolsonaro, filho de Lula, filhos de Bolsonaro, Juiz, Deputado, Senador, filho ou filha de Juiz, o escambau.
    Se quisermos evoluir como Nação temos que abandonar esse péssimo hábito de passar a mão na cabeça de bandido e de pilantra !

    1. Perfeito seu comentário. Parece que só é corrupto quem está na frente, esquecendo quem está do lado. Sem ladrão de estimação.

    2. Apoiado, investiguem todos e punam quem quer que seja!!! Comprovou, cadeia.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Polícia Civil apreende adolescente suspeito de ter assassinado mãe e filha em Mossoró

Duas investigações que estavam sendo realizadas pelos policiais civis da Delegacia de Homicídios (DHM) e pela Delegacia Especializada de Narcóticos (DENARC) de Mossoró resultaram na apreensão, nessa quarta-feira (27) de um adolescente de 16 anos, suspeito de ter assassinado mãe e filha no município. O suspeito foi detido quando estava em uma residência na comunidade do Ouro Negro. Um outro adolescente que estava na casa, também foi apreendido.

Na manhã desta quarta-feira, uma equipe de policiais civis da DENARC cumpriu dois mandados de busca e apreensão expedidos pelo Juizado da Infância e Juventude de Mossoró, dando continuidade às ações da Operação Resistência. Durante o cumprimento, foram apreendidos em flagrante dois adolescentes, um de 16 e outro de 15 anos. Os adolescentes, que estavam com maconha e munições de arma de fogo, foram autuados em flagrante pela prática de atos infracionais análogos à posse de drogas para consumo pessoal e posse de arma de fogo.

Durante depoimento, o adolescente de 16 anos confessou o crime cometido no dia 17 de maio, que vitimou a mãe Maria Clécia Ferreira da Silva, 49 anos e Jackeline Ferreira da Silva, de 21 anos. As duas estavam em casa, quando a residência foi invadida. Jackeline foi morta dentro de local e a mãe que tentou correr pelas calçadas da rua, foi alcançada pelo atirador e não resistiu.

Os dois adolescentes apreendidos foram encaminhados para o Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) de Mossoró. A Polícia Civil pede que a população continue enviando informações de forma anônima, através do Disque Denúncia 181.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Mãe e filha são assassinadas a tiros em Mossoró, destaca reportagem

 Foto: Marcelino Neto/O Câmera

Mãe e filha foram mortas a tiros em Mossoró, na região Oeste do Rio Grande do Norte, na noite desse domingo (17). O duplo homicídio foi registrado no bairro Ouro Branco. Segundo a Polícia Militar, o suspeito dos crimes encontrou a ex-sogra Maria Clécia Ferreira da Silva, de 49 anos, próximo a uma praça e atirou três vezes na cabeça da mulher por volta das 21h. Em seguida, o homem saiu em direção a casa da ex-companheira Jackeline Ferreira da Silva, de 21 anos, que também sofreu disparos e morreu dentro de casa.

Após as mortes, o suspeito foi até uma casa na região, deixou um par de tênis, um par de luvas, roupas e o revólver calibre 38 usado no atentado antes de fugir. Ele já foi identificado e é considerado foragido.

Veja todos os detalhes em reportagem completa aqui.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Mãe vai à lua de mel da filha, fica com o genro e engravida

Suportar uma traição logo após o casamento não é fácil. Imagine, então, se a pessoa que acaba de se tornar seu marido engata um relacionamento com a sua própria mãe, sogra dele. Foi o que aconteceu com a inglesa Lauren Walls, que decidiu abrir o coração agora e contar sua história ao jornal Daily Mirror. Ela e o então namorado, Paul White, estavam juntos há dois anos e tiveram uma filha, que não foi programada, mas os deixou tão felizes, que o rapaz pediu Lauren em casamento. A cerimônia aconteceu cinco meses depois do nascimento da pequena, em agosto de 2004. Ela tinha 19 anos e o noivo, 20.

A mãe de Lauren, Julie, na época com 35 anos, ajudou a financiar o casamento e, como forma de agradecimento, o casal a convidou para a viagem de lua de mel. Apenas oito semanas depois, Paul se mudou e, nove meses mais tarde, a mãe de Lauren deu à luz um bebê, fruto do relacionamento com seu ex-marido.

“Paul sempre se deu muito bem com a minha mãe, mas eu nunca achei isso estranho, já que ela era sogra dele e ele só estava sendo simpático. Eles riam muito juntos. Eu nem pensei em me preocupar. Quem se preocuparia?”, contou ela, ao jornal.

Depois da lua de mel, no entanto, Lauren conta que começou a notar que Paul passava muito tempo fora de casa e tinha um comportamento estranho, escondendo demais o celular. Em pouco tempo, a irmã de Lauren desconfiou do que estava acontecendo, quando usava o telefone da mãe e viu uma troca de mensagens suspeitas entre Paul e a sogra.

Lauren, então, foi tirar satisfações com a mãe, que negou tudo. Quando fez o mesmo com o marido, ele ficou pálido e não deixou que ela visse seu celular. A história, então, se confirmou. Então, Paul saiu de casa e se separou de Lauren, deixando-a sozinha com a bebê de 7 meses do casal. Em alguns dias, ele foi morar com a ex-sogra. “Eu não conseguia acreditar que as duas pessoas que eu mais amava e em quem eu mais confiava no mundo podiam me trair desse jeito. Era nojento, Uma das piores coisas que uma mãe poderia fazer a uma filha. Paul poderia ser um péssimo noivo, mas ela é minha mãe. Ela deveria me amar e me proteger, acima de tudo. Em vez disso, ela roubou meu marido, destruiu minha família e meus sonhos. Por isso, eu nunca conseguirei perdoá-la de verdade”, desabafou.

Mas os fatos ainda não tinham terminado. Algumas semanas depois de Paul ter saído de casa, Lauren viu sua mãe andando na rua e achou que ela parecia estar com uma barriga de grávida. Julie negou, dizendo que tinha um cisto. Em julho de 2005, ela teve o bebê. “Eu mandei uma mensagem para ela e perguntei: ‘E aí, removeu o cisto?’.

Anos depois, Julie ainda ligou convidando a filha para o casamento dela com o ex-marido da filha. O mais surpreendente? Lauren foi. A cerimônia aconteceu exatamente cinco anos depois da de Lauren e Paul, em 2009. “Era muito para aguentar, mas fui por causa da minha filha. Fui ver minha mãe se casar com o mesmo homem com que eu me casei cinco anos antes”.

Julie tentou fazer as pazes com a filha várias vezes ao longo do tempo e, embora tenha tentado reestabelecer a convivência, Lauren nunca conseguiu perdoá-la de verdade e conta que, até hoje, embora tenha se casado e tido outros filhos, tem problemas para se relacionar por conta do trauma. “O tempo é o melhor remédio e minha mãe e eu temos tentado ter um relacionamento normal, mas nunca seremos tão próximas como éramos – e eu nunca conseguirei confiar nela de novo”, disse.

A mãe dela disse ao jornal: “Nós somos casados. Não foi um caso”. Paul, hoje com 35 anos, se recusou a comentar a história.

Revista Crescer – Globo

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

“NÃO EDUQUEI PRA ISSO”: Mãe devolve a loja objetos furtados pela filha no interior do RN

Foto: Reprodução

Uma mãe profundamente abalada procurou uma loja, na manhã desta terça-feira (10), para devolver 13 facas que tinham sido roubadas por sua filha e uma amiga nessa segunda-feira (9) em Nova Cruz, na região Agreste potiguar. De acordo com reportagem do G1-RN, o crime havia sido flagrado pelas câmeras de segurança do estabelecimento e a mulher reconheceu a própria filha no vídeo que passou a circular no município. “Não eduquei ela para isso”, disse ela pedindo muitas desculpas ao gerente da loja de importados.

A reportagem ainda diz que, segundo o gerente, que preferiu não se identificar,  a mulher chegou ao local e pediu para falar com ele, conversa que instantes depois ocorreu no escritório. Devido à atitude dela, a loja decidiu não prestar queixa à polícia. As facas roubadas custavam entre R$ 5 e R$ 8.

Opinião dos leitores

  1. Responsabilidade, caráter e educação não depende de quanto dinheiro a pessoa tem, mas de como ela quer ser vista na sociedade. Parece que a quantidade de dinheiro anda em sentido oposto ao caráter e ao respeito. Parabéns a essa senhora que está fazendo o maior benefício que a filha pode receber com essa atitude digna.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *