Segurança

FOTOS: Bolsonaro participa de batismo e lançamento de submarino, no Rio

Foto: Isac Nóbrega/PR/; José Dias/PR

O presidente da República, Jair Bolsonaro, participou nesta sexta-feira (11) do batismo e do lançamento ao mar do submarino Humaitá (S-41) e a união das seções do submarino Tonelerio (S-42), em cerimônia que marcou as comemorações do Dia do Marinheiro. “A reconhecida excelência do que aqui foi mostrado traz a convicção do êxito dessa empreitada e revela a capacidade do nosso país em projetar, construir e lançar submarinos de última geração, por meio de um programa abrangente e audacioso que gera milhares de empregos e enaltece nossa economia”, observou o presidente na solenidade, que ocorreu no complexo naval de Itaguaí (RJ).

O Humaitá é o segundo da classe, fruto da cooperação tecnológica com a França, que já lançou ao mar o submarino Riachuelo, que está em fase de testes finais, com previsão de ser entregue para operação à Marinha em 2021, quando estará armado e pronto para cumprir suas missões.

No total, estão planejados quatro submarinos do tipo convencional, movidos à bateria, recarregadas por motor a diesel. O Toneleiro, terceiro da série, tem previsão de lançamento em dezembro de 2021, seguido pelo último convencional, o Angostura, planejado para ser lançado em dezembro de 2022.

Investimento

O valor total estimado pela Marinha para os quatro submarinos convencionais é de 100 milhões de euros, o equivalente a cerca R$ 630 milhões, em câmbio atual. Os quatro somados equivalem ao mesmo valor orçado para o submarino movido por energia nuclear, também 100 milhões de euros.

Capacidade

Os submarinos convencionais têm uma capacidade operativa de até 80 dias no mar, podendo ficar submersos por até cinco dias, sem necessidade de vir à tona para influxo de ar aos motores a diesel, o que garante um grande raio de ação, podendo ir sem paradas, por exemplo, do Rio de Janeiro ao Rio Grande do Sul.

Propulsão nuclear

Futuramente, seguindo o planejamento atual, o Brasil contará com um submarino com propulsão nuclear, em 2033, batizado de Álvaro Alberto, em homenagem ao almirante que foi um dos grandes incentivadores do programa nuclear da Marinha. O início da construção do submarino nuclear está previsto para o segundo semestre de 2022. O submarino nuclear poderá ficar submerso por um tempo muito maior que os convencionais, pois não precisa vir à tona para alimentar seu sistema de propulsão, que não depende de ar.

O contra-almirante André Martins, gerente de Infraestrutura Industrial do Programa de Desenvolvimento de Submarinos (Prosub), destacou que é fundamental ao Brasil resguardar a faixa da Amazônia Azul, por onde passa a maior parte do comércio marítimo nacional e onde estão localizadas as principais jazidas de petróleo do país.

“O Prosub está alcançando a etapa de lançamento de seu segundo submarino ao mar. Com isso, nós estamos cumprindo marcos do Prosub, com intenção de chegarmos ao nosso submarino nuclear brasileiro. Permitirá a renovação dos nossos submarinos, de modos a termos navios modernos, projetados com a presença de brasileiros e já operando em nossas águas nacionais”, disse o contra-almirante.

Ainda segundo o militar, somente dez países em todo o mundo, incluindo o Brasil, fabricam submarinos convencionais. E apenas cinco países, atualmente, produzem submarinos nucleares, time ao qual o país irá se juntar dentro de mais alguns anos: “nossos submarinos contribuem com a defesa nacional, permitindo que o Brasil preserve suas riquezas e seu mar territorial”.

Agência Brasil

Opinião dos leitores

  1. Fazendo onda com chapéu dos outros. Esse projeto é do PT, visse. Se apropia dos projetos dos governos anteriores com uma facilidade incrível. Mas vacina que salva o povo, nada.

  2. Caramba ! O véio é bom . Terminou rápido o submarino em dois anos o véio aprontou tudo ! Ah Papai ! Por e quanto o véio não fez nada além de inaugurar obra dos ! Ou véio obrador MUMMMMMM

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Coluna do BG

BlogdoBG visita submarino da Marinha do Brasil no porto de Natal

Hoje tive o prazer de entrar em um submarino da Marinha do Brasil. Eu, que desde pequeno sou fissurado em coisas militares, senti uma emoção diferente.

Lembro bem quando se aproximava dos desfiles de 7 de setembro na Praça Cívica. Aquela mostra que acontecia durante o fim de semana era aguardada por mim pelo ano inteiro, para ver aquelas barracas com canhões, metralhadoras, roupas de mergulhador, jipes antigos estacionados e até tanques de guerra.

Quando recebi o convite da assessoria de imprensa da Marinha para visitar um submarino não me contive. De pronto confirmei minha presença e no meio desta manhã de terça-feira (12) parti para o porto armado de máquina fotgráfica, lentes e flash para registrar minha emoção.

Submarino Tapajós por dentro. Foto 1 - Periscópio Foto 2 - Um dos 3 tubos de torpedo Foto 3 - Escotilha de entrada e saída Foto 4 - corredor do submarino

Realmente fiquei impressionado. E olha que a nossa embarcação “Tapajó” passa longe de ser um submarino de ponta. Mas deu para eu sentir o ambiente apertado, muito apertado, o banheiro minúsculo em aço inox, a cozinha também minúscula e do mesmo material, os beliches em tamanho anão e principalmente sentir os 8 grandes tubos de torpedos, o periscópio, os manches de comando e toda parafernália instalada no equipamento: impressiona os tubos espalhados por todo equipamento que levam ar e fazem o Tapajó afundar ou submergir.

Vale lembrar que em submarino não há janela, nem internet, GPS (Sistema de Posicionamento Global), TV ou rádio. Os tripulanes chegam a passar 50 dias desbravando os oceanos até 200 metros de profundidade, como é o caso do “Tapajós”.

Valeu, valeu Marinha. Obrigado.
Hoje voltei a ser o menino que esperava ansioso para ver o desfile de 7 de setembro.

Informações

O S.Tapajó é o terceiro submarino construído no Brasil. Ele teve seu casco fabricado na Nclebrás Equipamentos Pesados S/A (Nuclep) e o seu nascimento foi possível somente com o esforço de enenheiros, técnicos e operários brasileiros do Arsenal da Marinha do Rio de Janeiro (AMRJ). Batizado pela Exmª Srª Anna Maria Ferreira Maciel em 0 de junho de 1998, o S.Tapajó foi incorporado à Armada em junho do ano seguinte.

Trata-se de um navio com 61,2 metros de comprimento, com 6,2 metros de espessura do casco. A velocidade dele chega a passar de 20 nós e operar há profundidades superiores a 200 metros. Sua tripulação conta com oito oficiais e 34 praças. Sua autonomia no mar é de até 50 dias.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Submarino da Marinha do Brasil chega a Natal

No próximo dia 10 de março, o Submarino “TAPAJÓ”, terceiro construído no Brasil, chegará a Natal, onde ficará até dia 15, no Porto de Natal. Não será aberto à visitação pública, no entanto, o Comandante do Submarino, Capitão-de-Fragata Horácio Cartier, poderá receber a imprensa nos dias 12 e 13 de março pela manhã. Interessados devem entrar em contato com esta Assessoria de Comunicação para confirmação por meio do telefone 3216-3048.

O SUBMARINO 

SubmarinoTapajós

Em 1979, dentro do Programa de Reaparelhamento da Marinha, iniciou-se o estudo para a definição do tipo de submarino a ser adquirido, tendo sido escolhido o de origem alemã IKL 209-1400, projetado pela firma Ingenieur Kontor Lubeck (IKL) e construído pelo estaleiro Howaldtswerke Deustche Werft (HDW).

O Submarino TAPAJÓ, o terceiro construído no Brasil, teve o seu casco fabricado na Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A (NUCLEP), e o seu nascimento só foi possível com o esforço de engenheiros, técnicos e operários brasileiros do Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro. O grande poder ofensivo deste submarino se baseia na capacidade de lançar seus torpedos guiados a fio a longas distâncias. Conta para isso, com 8 tubos de torpedos.

DIMENSÕES
Comprimento Total: 61,2 m
Diâmetro do casco:  6,2 m
VELOCIDADE: Acima de 20 nós
PROFUNDIDADE DE OPERAÇÃO: Superior a 200 m
TRIPULAÇÃO: 10 Oficiais e 35 Praças

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social

Após simulação de guerra nos EUA, submarino brasileiro atraca no RN

Depois de quase três meses em exercício militar nos Estados Unidos, o Submarino brasileiro Tikuna está de volta ao Brasil. A primeira parada aconteceu nesta quarta-feira (15) em Natal, para abastecimento e manutenção da máquina. O Submarino Tikuna participou da “Deployment-SUB 2012”, uma simulação de guerra nos Estados Unidos.

De acordo com o comandante de mar-e-guerra Eduardo Antônio Pires, que coordenou o treinamento, o Brasil teve um desempenho positivo em relação aos outros países. “O nosso submarino e a nossa tripulação competiram igualmente com as outras nações. Se a guerra fosse real, possivelmente, só os Estados Unidos nos atingiria. É necessário manter sempre uma boa relação diplomática para que isso não aconteça”, ressaltou o comandante.

O Brasil tem cinco submarinos. Quatro deles foram comprados da Alemanha. O mais novo, o Tikuna, foi atualizado com tecnologia nacional. Desde 2006, ele participa de operações militares, com capacidade para 44 tripulantes. Possui 8 tubos lançadores de torpedos. A carcaça mede 62 metros de comprimento e 6 metros de altura, atinge 40 quilômetros por hora e navega numa profundidade que pode chegar a 200 metros.

Como é movido a diesel, o Tikuna precisou atracar em Natal para abastecimento antes de chegar ao seu destino final, a cidade do Rio de Janeiro. A previsão da Marinha é de que, em 2025, o país já tenha um submarino movido a energia nuclear que possa para garantir que fique por muito mais mais tempo submerso.

No interior da embarcação o espaço é reduzido, mas os militares têm à disposição quartos, cozinha e banheiros. A água usada nos banheiros é tratada e devolvida ao mar. Para beber, os equipamentos transformam a água salgada em potável.

O Tikuna fica em Natal até segunda-feira (20). Depois, segue para Salvador, de onde parte para a capital fluminense. O submarino não está aberto ao público para visitação.

Fonte: G1 RN

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

[FOTOS] Chinês fica famoso por usar submarinos caseiros construídos por ele mesmo

O agricultor chinês Zhang Wuyi, que ganhou fama em seu país por construir submarinos caseiros, realizou novos testes na segunda-feira (7) em uma piscina artificial perto de um estaleiro em Wuhan, na província de Hubei, na China.

Zhang, de 37 anos, construiu seis submarinos, tendo vendido um deles para um empresário em Dalian por 100 mil yuans (R$ 30,7 mil) em outubro do ano passado. Os submarinos atingem uma profundidade de 20 a 30 metros e têm autonomia de dez horas.

Foto: Reuters
Foto: Reuters
Foto: Reuters

Fonte: G1

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

Procon aplica multa de R$ 2 mi e determina que os sites da Americanas, Submarino e Shoptime saiam do ar

O Procon/SP determinou: os sites de e-commerce de Americanas, Submarino e Shoptime ficarão fora do ar por 72 horas. E terão de pagar quase R$ 2 milhões de multa por não entregar produtos vendidos.

A determinação sai amanhã no Diário Oficial. Cabe recurso.

Fonte: Sonia Racy – Estadão

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *