Judiciário

STF mantém condenação do ex-governador do Rio Wilson Witzel

Foto: © Antonio Cruz/Agência Brasil

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, rejeitou o pedido ajuizado pelo ex-governador do Rio Wilson Witzel e manteve o resultado do julgamento e da condenação por crime de responsabilidade na gestão de contratos na área de saúde do estado.

O julgamento foi realizado no dia 30 de abril deste ano pelo Tribunal Especial Misto, composto por cinco deputados e cinco desembargadores do Estado do Rio de Janeiro.

O ex-chefe do executivo fluminense alegava ter sido julgado por um tribunal de exceção, uma vez que o Parágrafo 3º do artigo da Lei do Impeachment, que dispõe sobre a composição do Tribunal Especial Misto, não teria sido acolhido pela Constituição Federal de 1988 e seria incompatível com o princípio da impessoalidade.

De acordo com Witzel, ao negar a concessão de liminar em mandado de segurança, o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ), teria aplicado indevidamente as teses jurídicas firmadas pelo STF em diversos precedentes. Para o ex-governador, o Supremo “nunca apreciou a não recepção do artigo da Lei do Impeachment por incompatibilidade com o Inciso 37º do Artigo 5º da Constituição Federal, que veda a criação de tribunais de exceção”. Com este argumento, Witzel pretendia anular a eficácia de seu julgamento e de sua condenação pelo Tribunal Especial Misto até o julgamento final do mandado de segurança no TJRJ.

O ministro Alexandre de Moraes considerou que não existe violação às decisões do STF apontadas por Witzel, porque o juízo natural para o processo e julgamento de crime de responsabilidade praticado por governador de estado é o Tribunal Especial Misto. Na visão do ministro, em respeito ao processo legal e ao princípio do juízo natural, o STF já declarou expressamente a recepção da norma referente à formação do tribunal para o julgamento de governadores. Alexandre de Moraes descartou qualquer violação aos princípios da impessoalidade ou imparcialidade.

“Não há, portanto, qualquer violação aos princípios da impessoalidade ou imparcialidade, mesmo porque, a participação de parlamentares é condição indissociável ao procedimento investigativo de crime de responsabilidade, diante de sua natureza política”, disse.

“Diante do exposto, com base no art. 161, parágrafo único, do Regimento Interno do Supremo Tribunal Federal, julgo improcedente a presente reclamação, ficando prejudicada a apreciação da questão de ordem suscitada pelo reclamante. Por fim, nos termos do art. 52, parágrafo único, do Regimento Interno do Supremo Tribunal Federal, dispenso a remessa dos autos à Procuradoria-Geral da República.”

Witzel foi afastado do cargo no dia 28 de agosto do ano passado, por decisão do ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Benedito Gonçalves, após investigações do Ministério Público Federal (MPF) que apuraram desvios de recursos na saúde.

A decisão do ministro levou ao afastamento do ex-governador por 180 dias. Depois disso, em uma votação no plenário da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) por 69 a 0, os deputados estaduais decidiram dar prosseguimento ao processo de impeachment do governador no Tribunal Misto. Com a notificação e formação do tribunal, o governador se tornou novamente afastado por 180 dias até ser concluído o julgamento que o afastou definitivamente do cargo.

Agência Brasil

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Com vacinação completa, Rio poderá ter carnaval em 2022, diz Paes

Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, disse nesta sexta-feira (9) esperar que a imunização da população da cidade esteja concluída no carnaval de 2022 e que, com isso, seja possível realizar a festa sem que os foliões precisem apresentar resultado de testes.

Paes explicou que o carnaval tem características diferentes de outros eventos que concentram público. “Para ter carnaval, não dá para ficar exigindo: testou entra no bloco, não testou, não entra na Sapucaí. Isso seria impossível. É torcida, esperança, fé, crença de que vamos ter carnaval porque vai estar todo mundo protegido”, afirmou o prefeito durante a apresentação do 27º Boletim Epidemiológico.

Com base no calendário da prefeitura, Paes estimou que a aplicação da primeira dose será concluída no dia 15 de agosto e, acrescentando três meses para a frente, em novembro, a população acima de 18 anos estaria imunizada também com a segunda dose. Segundo o prefeito, com isso, a população alvo da campanha estaria totalmente vacinada.

“Isso significa vida normal. Então, vamos caminhar com isso. Partindo dessa premissa é que a gente tomou a decisão, até porque o carnaval é uma celebração complexa, que exige muita preparação, de avançar não só com o carnaval, mas também com o réveillon”, acrescentou Paes. Ele adiantou que o chamamento para a organização do réveillon será divulgado em breve.

O prefeito lembrou que, a partir do carnaval de 2022, o evento terá uma inovação, que é o acordo com a Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa) para os próximos quatro anos, com garantia de estabilidade aos organizadores para realização dos desfiles na Marquês de Sapucaí. “Vamos trabalhar com a hipótese de ter carnaval. [É] óbvio que, se houver alguma situação crítica no momento, eu não queria ficar, nem deixar o secretário Daniel especulando sobre hipóteses, mas, se tiver que interromper, vamos interromper”, disse ele, ao ressaltar que espera e torce para que isso não aconteça e que haja carnaval.

Risco moderado

Segundo o superintendente de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde , Márcio Garcia, a cidade mantém a tendência de queda do número de casos confirmados de covid-19, com pelo menos cinco semanas de redução. Nos casos de morte pela doença, já são dez semanas de recuo gradativo.

Com base nas informações, o mapa de risco da Semana 27 mostra que cinco das 33 regiões da cidade estão com risco moderado para contaminação pela covid-19, como já estava na semana anterior, mas com uma alteração: a zona portuária voltou para risco alto e a Barra da Tijuca passou para risco moderado. Penha, Ilha do Governador, Santa Teresa e Vigário Geral continuam em risco moderado.

O restante das regiões está em risco alto, e nenhuma em risco muito alto. “Lá atrás, toda a cidade estava com risco muito alto. Depois, avançou-se a para parte da cidade em risco muito alto, vai para alto e muito alto, ficando várias semanas com as regiões administrativas todas em risco alto. Agora, a gente já vem desde a semana passada em uma evolução gradativa com cinco regiões em risco moderado”, detalhou.

Intervalo menor entre doses

O secretário Municipal de Saúde, Daniel Soranz, informou que , após a conclusão das aplicações da primeira dose na população maior de 18 anos, será avaliada a possibilidade de reduzir o prazo de intervalo para a segunda dose da vacina. Soranz lembrou que a primeira aplicação tem potencial de imunogenicidade maior que a dose de reforço. “Este é o nosso planejamento, e é assim que estamos trabalhando. Certamente todas as pessoas vão ser vacinadas na cidade do Rio com a primeira e a segunda doses até o fim do ano”, afirmou.

Soranz comentou informação do Boletim do Observatório Covid-19 Fiocruz, referente ao período de 20 de junho a 3 de julho, de que, pela primeira vez neste ano, não houve aumento das taxas de incidência ou de mortalidade por covid-19 em nenhum estado do país. Conforme o boletim, houve tendência de melhora nas taxas de ocupação de leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) no Sistema Único de Saúde (SUS) pela quarta semana consecutiva. Para o secretário, o avanço na vacinação tem contribuído para reduzir os indicadores da covid-19.

“Aqui [na prefeitura do Rio] ninguém é negacionista”, disse o secretário. De acordo com Soranz, todos acreditam na vacinação e sabem que a vacinação salva vidas. “Os números estão mostrando isso. O número de pessoas internadas caiu em 50% na cidade do Rio de Janeiro. Já tivemos 1.400 pessoas internadas; hoje temos menos de 650 pessoas internadas. É uma redução impressionante. Estamos em um mês de inverno em que, normalmente, há mais casos de gripe e mais casos graves. O efeito da vacina é claro: mesmo no período mais perigoso, temos redução de casos, não só no Rio, mas no Brasil todo”, afirmou.

Agência Brasil

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

RIO: Poderemos ter um Réveillon normal esse ano, diz prefeito Eduardo Paes

Foto: © Gabriel Monteiro/SECOM

Com o avanço da vacinação na cidade do Rio de Janeiro, o prefeito Eduardo Paes já planeja a virada do ano em Copacabana.

“Eu tô super animado. Eu acho que a gente pode ter um réveillon tradicional. As coisas caminhando como estão caminhando. A gente conseguir aí meados de agosto terminar a primeira dose de todo mundo até 18 anos. Pra já setembro, outubro e novembro dando a segunda dose. A gente pode ter um mês de dezembro diferente que permitirá um réveillon normal”, disse Paes.

Devido a pandemia da COVID 19 vários eventos tradicionais no Rio de Janeiro não foram realizados. Na virada de 2020 para 2021, pela primeira vez Copacabana não teve sua queima de fogos, tradição da cidade desde 1958. O prefeito Eduardo

“Nós estamos trabalhando pra isso. Porque isso exige da gente muito planejamento, com antecipação. A Riotur tá trabalhando a todo vapor pra gente ter um Réveillon inesquecível no Rio de Janeiro”, finalizou o prefeito.

CNN Brasil

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Corregedor abre investigação contra procuradores da Lava Jato no Rio

O Corregedor Nacional do Ministério Público Rinaldo Reis Lima determinou nesta quarta (23) a abertura de um processo administrativo disciplinar contra 11 procuradores e uma promotora que atuaram na Lava Jato do Rio, diz a Veja.

Eles são acusados de quebrar o sigilo da investigação contra os ex-senadores Romero Jucá e Edison Lobão em suposto esquema de propinas na usina nuclear de Angra 3.

Na decisão, Lima indicou que o plenário do CNMP precisará ser consultado para confirmar a a abertura do processo. Caso os procuradores sejam considerados culpados, poderão ser suspensos de seus cargos ou até demitidos.

São alvos do processo Eduardo El Hage, Fabiana Schneider, Marisa Ferrari, José Vagos, Gabriela Câmara, Sérgio Pinel, Rodrigo Silva, Stanley Silva, Felipe Leite, Renata Baptista e Tiago Martins.

O Antagonista

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Rio prevê vacinar todos acima de 18 até fim de agosto e adolescentes a partir de setembro

Fotos: Reprodução

A Prefeitura do Rio acelerou o calendário da vacinação e prevê imunizar todos os cariocas maiores de 18 anos até 31 de agosto.

O prefeito Eduardo Paes (PSD) também afirmou que em setembro será a vez de adolescentes até 12 anos — sempre respeitando uma idade por dia.

A novidade foi anunciada nesta sexta-feira (18), durante a divulgação do 24º Boletim Epidemiológico da Covid no Rio. Não houve mudanças nas medidas restritivas contra o coronavírus.

Nesta sexta e neste sábado (19), quem tem 50 anos ou mais pode ir a um posto para tomar a 1ª dose.

Grávidas e puérperas (que deram à luz recentemente) poderão se vacinar na semana que vem. As mamães

O calendário anterior previa terminar a vacinação de adultos no Rio até meados de outubro.

Sobre vacinas para crianças

A Organização Mundial da Saúde (OMS) é contra a vacinação de crianças no atual momento e diz que os países ricos deveriam adiar seus planos de imunizá-las e doar essas doses para o resto do mundo.

Nesta semana, a Justiça de MG suspendeu a vacinação de adolescentes em Betim, que ainda não terminado a vacinação de toda as pessoas com mais de 18 anos.

Na sexta-feira (11), o Ministério da Saúde disse que a ampliação da vacinação de pessoas a partir dos 12 anos ainda estava em discussão na Câmara Técnica Assessora em Imunização e Doenças Transmissíveis, e que a prioridade era imunizar os grupos prioritários e a população com 18 anos ou mais.

Com G1

Opinião dos leitores

  1. Os governantes dos estados estão com um índice de vacinação abaixo da quantidade de vacinas que recebem do governo federal, por isso estão reprogramando a idade das pessoas na vacinação.
    Muitos não comparecem por não confiarem na tão falada proteção, principalmente aquela do calça cravad. Já sabemos de mortes após a segunda dose desta vachina ,como a do cantor Agnaldo Timóteo e do compositor Nelson sargento.
    A dos anônimos nunca saberemos pelas midiaslixo.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cultura

Morre, no Rio, o cantor Dominguinhos do Estácio, intérprete de samba

Foto: Reprodução/Redes sociais

Morreu na madrugada desta segunda-feira(31), no Rio de Janeiro, o cantor e compositor Dominguinhos do Estácio, aos 79 anos. A informação foi divulgada nas redes sociais do intérprete do carnaval carioca.

Ele estava internado desde o dia 11 de maio no Hospital Estadual Azevedo Lima, em Niterói, onde passou por uma cirurgia de emergência após uma hemorragia cerebral.

Domingos da Costa Ferreira nasceu no Rio no dia 4 de agosto de 1941 e começou a carreira no carnaval no fim dos anos 60 como cantor e compositor na escola Unidos de São Carlos, que, a partir de 1983, passou a se chamar Estácio de Sá. O nome Dominguinhos do Estácio é uma referência ao bairro onde o intérprete nasceu.

O sambista passou por outras escolas, como a Imperatriz Leopoldinense, na qual interpretou o samba vencedor do carnaval de 1989, Liberdade, Liberdade, Abra as Asas Sobre Nós.

Pela Unidos do Viradouro, venceu o carnaval de 1997 interpretando o samba-enredo Trevas! Luz! A Explosão do Universo.

Ao longo da carreira, também gravou nove discos. Ainda não há informações sobre o velório e enterro.

Agência Brasil

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Televisão

Piloto é baleado de raspão após helicóptero que cede imagens a Record ser alvejado durante tiroteio na Mangueira; ‘inaceitável’, dizem associações de imprensa

Foto: Reprodução

Um helicóptero da TV Record foi alvejado e o piloto atingido de raspão quando sobrevoava o Morro da Mangueira, na Zona Norte do Rio, na manhã desta sexta-feira (28).

O piloto Darlan Santana foi ferido na panturrilha direita. Ele ainda conseguiu fazer um pouso de emergência no anexo do Estádio Nilton Santos, o Engenhão.

Após pousar, médicos do Samu prestaram os primeiros socorros. Darlan foi levado em seguida para o Hospital Salgado Filho, no Méier, na Zona Norte. Segundo a direção da unidade, seu estado de saúde é estável.

Uma foto tirada por um bombeiro mostra o vidro da frente do helicóptero quebrado.

O caso é investigado pela delegacia de São Cristóvão, que já solicitou uma perícia na aeronave para identificar qual foi o tipo de arma usada.

A Record informou que o helicóptero pertence a uma empresa que presta serviços à TV e que o piloto está bem.

Manhã de confrontos

Um intenso confronto ocorreu nesta manhã após policiais da UPP da Mangueira serem atacados por traficantes na Rua Visconde de Niterói, principal via que dá acesso à comunidade.

O tiroteio assustou moradores na região. Há relatos de pessoas que estavam com medo de sair de casa para trabalhar até em bairros que ficam no entorno da comunidade.

“Nunca ouvi tanto tiro assim desde que vim morar aqui”, disse uma moradora de Vila Isabel que mora no local há quatro anos.

‘Inaceitável’, dizem associações de imprensa

Em nota, associações ligadas ao jornalismo disseram, por meio de nota, ser “inaceitável” esse tipo de violência contra a imprensa. Confira abaixo a íntegra da nota:

“A Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (ABERT), a Associação Nacional de Editores de Revistas (ANER) e a Associação Nacional de Jornais (ANJ) consideram de extrema gravidade o atentado contra um helicóptero da Record TV, ocorrido nesta sexta-feira (28), no Rio de Janeiro.

A aeronave foi atingida por um tiro enquanto sobrevoava o Morro da Mangueira, onde acontecia uma operação da Polícia Militar, após agentes da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) serem atacados por criminosos. O piloto Darlan Silva de Santana foi ferido na perna. Ele fez um pouso de emergência nas proximidades do estádio Nilson Santos, o Engenhão, e foi levado ao hospital.

É inaceitável que a imprensa seja submetida a este nível de violência.

ABERT, ANER e ANJ seguirão empenhadas em coibir toda e qualquer represália ao trabalho jornalístico e pedem providências imediatas às autoridades locais para o esclarecimento do caso e rigorosa apuração dos fatos”.

G1

Opinião dos leitores

    1. Acho que você está um pouco atrasado. Witzel sofreu impeachment a algum tempo.
      Seria interessante se atualizar antes de falar em defunto político.

    2. Foi uma ironia (até pq o impedimento foi uma notícia amplamente divulgada), na próxima deixo um marcador de ironia.

  1. Uma das estratégias usadas em países socialistas e comunistas é desacreditar a polícia e as forças armadas, para que sejam substituídas pelas milícias do ditador e nas forças armadas ocorra a expulsão de todos que não se alinham e se submetem ao regime totalitário. Faz tempo que no Brasil, toda e qualquer bala perdida é imediatamente atribuída pela mídia aos policiais.
    Nunca a mídia mostrou cenas das pessoas mortas e torturadas nos morros pelos bandidos.
    Quantos jornalistas foram mortos nos morros e a mídia esqueceu deles?

  2. A nota, infelizmente, induz ao raciocínio que teria sido a polícia a efetuar o disparo. Deviam ter mandado aos meninos do molusco, para não fazer isso, o território é deles, as drogas são benéficas, a comunidade agradece, todos ficaríamos contentes.

  3. Já passou da hora do presidente mandar o exército ocupar os morros dominados pela narcomilícia do Rio.

    1. Se ele mandar, os amigos dele não vão gostar.
      Milícia com milícia se entendem.

  4. A imprensa não lamentou que apenas um policial tivesse morrido no confronto de uns dias atrás? Deveria tá lamentando a bala que o bandido gastou.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Helicóptero da Record é atingido por tiro e faz pouso emergencial no Rio; aeronave cobria intenso tiroteio na comunidade da Mangueira

Foto: Reprodução/Internet

Um helicóptero da Tv Record teve que fazer um pouso de emergência no campo anexo do Estádio Nilto Santos (Engenhão), após ser atingido por um tiro na manhã desta sexta-feira (28). As informações são da Band News.

O Corpo de Bombeiros foi acionado para prestar socorro ao piloto da aeronave , que foi atingido na perna. O quadro de saúde do piloto é estavel.

A imprensa acompa a operação realizada na comunidade da Mangueira , após agentes da UPP serem atacados por criminosos. Ainda não há detalhes de onde partiu o disparo.

A Record ainda não se pronunciou sobre o assunto.

Último Segundo – IG

Opinião dos leitores

  1. Eu pensava que o nosso presidente iria mudar isso. Mas não vejo nenhuma ação dele no sentido de mobilizar as forças contra o crime no RJ. Nem comentar ele comenta…..por que será???

    1. Está mudando. Só no Jacarezinho tombaram 27 CRIMINOSOS, mas os esquerdopatas iguais a você, logo levantaram a bandeira gritando que foi um massacre. Bandido bom é bandido debaixo de 7 palmos do chão.

    2. As intervenções da policia civil do estado do Rio de Janeiro têm feito a diferença. Quando Temer esteve no poder determinou intervenções do exército nas áreas dominadas pelas narcomilícias.

  2. Era pra ter sido o globocop, só assim a rede globo faria uma matéria expondo o verdadeiro lado perigoso dos traficantes.

  3. Mais o pessoal da imprensa não gosta tanto de bandido, critica tanto a policia e agora vão procurar quem? vai atrás de quem atirou e conversar para socializar eles são vitimas da sociedade.

    1. O porteiro do morro vai dizer que ouviu a voz do Bolsonaro antes do helicóptero ser atingido, conforme notícia do Jornal Desce_o_pau.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

FOTO: Polícia do Rio prende médico e dono de clínica por vender atestados de comorbidade falsos para vacinas de Covid

Foto: Divulgação

Agentes da Delegacia de Defraudações da Polícia Civil do Rio prenderam nesta quinta-feira (27) em Pilares, na Zona Norte da capital, dois suspeitos de vender atestados falsos de comorbidades para vacinas de Covid.

Os presos foram identificados como Sérgio Mendes Izidoro, dono de uma clínica em Pilares, e Augusti Guedes de Carvalho FIlho, médico.

Segundo a polícia, na clínica foi constatado que ambos vendiam o atestado falso por R$ 20. “No atestado, o médico afirma que o paciente possuía comorbidade incluída no rol elencado pelo Ministério da Saúde”, explicou Daniela Rebelo, responsável pelas investigações.

No local, a polícia apreendeu medicamentos e atestados para doenças como hipertensão aterial.

O médico e o dono da cínica podem pegar até 5 anos de prisão pelos atestados falsos.

G1

Opinião dos leitores

  1. Natal teve uma chuva de atestados dados por médicos amigos. Teve família que se vacinou todos num dia. Até o papagaio.

  2. Tem que começar a vacinar todas as pessoa na sequência com menos de 60 anos que contremplarar todos sem discriminação e atingirá todas as pessoas sem distinção e sem fraude, TEMOS QUE DIVULGAR, BLOGUEIRO AJUDE A QUE TODOS SEJAM VACINADOS SEGUINDO A FILA ONDE SE INCLUIRÁ TRABALHADORES QUE NO DIA A DIA ESTÃO EXPOSTOS AO VÍRUS E POR CONTA DE SEREM SADIOS SÃO DISCRIMINADOS.

  3. Isso é uma VEGONHA. O cara ser médico e vender atestado a 20 reais. A corrupção , o roubo, a sacanagem estão enraizados no Brasil . Onde vamos parar ? Só Deus mesmo .

    1. Calma …dizem que ele VENDEU ATESTADO !!! é só contratar o advogado do ladrao Lula, STF julga, e correr para o abraço

    2. Se tivesse contratado o advogado do Flávio Rachadinho nem tinha ido preso…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cultura

Nelson Sargento morre no Rio aos 96 anos; veja carreira e sucessos do ícone do samba

Foto: Claudia Martini/Enquadrar/Estadão Conteúdo/Arquivo

“Samba, agoniza mas não morre, alguém sempre te socorre, antes do suspiro derradeiro.” Estes são alguns dos versos que tornaram célebre para o mundo do samba o artista Nelson Sargento, que morreu na manhã desta quinta-feira (27), aos 96 anos.

Presidente de honra da Estação Primeira de Mangueira e autor de sucessos como “‘Agoniza, mas não morre”, o sambista estava internado no Instituto Nacional do Câncer (Inca), desde sexta-feira (21).

Segundo o Inca, Nelson Sargento chegou ao hospital com um “quadro de desidratação, anorexia e significativa queda do estado geral. Ao chegar na unidade, foi realizado o teste de Covid-19, que apontou positivo.”

Ainda segundo a nota, o sambista era paciente do Inca desde 2005 quando foi diagnosticado e tratado de um câncer de próstata.

A família de Nelson Sargento informou que não haverá velório e o corpo será cremado em cerimônia restrita por causa da pandemia.

Uma de suas últimas aparições em público foi em 12 de fevereiro, no Museu do Samba, em um manifesto em defesa do carnaval — cancelado este ano por causa da pandemia.

“Todos nós estamos um pouquinho tristes por não ter desfile, mas foi melhor assim. Temos que estar todos vacinados para fazermos um grande carnaval em 2022”, disse o compositor na ocasião.

No dia 26 de fevereiro, o compositor recebeu a segunda dose da vacina contra a Covid-19 em casa. A primeira dose tinha sido aplicada, em um ato simbólico no dia 31 de janeiro, no início da imunização de idosos na cidade.

Segundo os epidemiologistas, nenhuma vacina é 100% eficaz, mas as chances de uma pessoa vacinada ser infectada pelo vírus é muito menor do que a de quem não foi vacinado.

A proteção máxima só é alcançada quando grande parte da população está imunizada e o vírus para de circular.

“As pessoas têm muita dificuldade de entender qual é a função de uma vacina”, diz Natalia Pasternak, bióloga e divulgadora científica brasileira, fundadora e primeira presidente do Instituto Questão de Ciência. “Elas acham que a vacina é mágica. Ou seja, tomou a vacina, está protegido; não tomou, vai ficar doente. Não é assim que vacinas funcionam.”

A carreira do ícone do samba

Nascido em 25 de julho de 1924, na Praça XV, Centro do Rio de Janeiro, Nelson Mattos ganhou o apelido de Nelson Sargento depois de servir o Exército.

A música surgiu na adolescência, mas foi apenas com 31 anos que o torcedor do Vasco da Gama compôs seu primeiro sucesso.

Ao lado de Alfredo Português, em 1955, Sargento escreveu ‘Primavera’, samba-enredo que também ficou conhecido como ‘As quatro estações’. Até hoje, muitos consideram um dos sambas mais bonitos de todos os tempos.

Nos anos 60, Sargento integrou o grupo A Voz do Morro, ao lado de Paulinho da Viola, Zé Kéti, Elton Medeiros, Jair do Cavaquinho, José da Cruz e Anescarzinho.

Entre seus parceiros de composição musical, estão Cartola, Carlos Cachaça, Darcy da Mangueira, João de Aquino, Pedro Amorim, Daniel Gonzaga e Rô Fonseca.

Entre os grandes sambas feitos por ele estão:

Agoniza, mas não morre;

Cântico à natureza;

Encanto da paisagem;

Falso amor sincero;

Século do samba;

Acabou meu sossego.

O mestre do samba ainda escreveu os livros “Prisioneiro do Mundo” e “Um certo Geraldo Pereira”.

No cinema, ele atuou nos filmes “O Primeiro Dia”, de Walter Salles e Daniela Thomas, “Orfeu”, de Cacá Diegues, e “Nélson Sargento da Mangueira” de Estêvão Pantoja. Esse último rendeu ao sambista o prêmio Kikito, no Festival de Gramado, pela melhor trilha sonora entre os filmes de curta metragem.

Artista versátil

Um dos ícones do samba, Nelson Sargento foi cantor, compositor, pesquisador, artista plástico, ator e escritor.

Na festa de aniversário de 96 anos, Sargento recebeu homenagens de grandes nomes da cultura popular em um vídeo com votos de felicidade.

Artistas como Mar’tnália, Alcione, Paulinho da Viola, Preta Gil, Tia Surica, Monarco, Regina Casé e Estevão Ciavatta cantaram, cada um em sua casa, o samba “Agoniza, mas não morre”.

A letra de ‘Agoniza mas morre’

Samba

Agoniza mas não morre

Alguém sempre te socorre

Antes do suspiro derradeiro

Samba

Negro, forte, destemido

Foi duramente perseguido

Na esquina, no botequim, no terreiro

Samba

Inocente, pé-no-chão

A fidalguia do salão

Te abraçou, te envolveu

Mudaram toda a sua estrutura

Te impuseram outra cultura

E você nem percebeu

G1

Opinião dos leitores

  1. Essa é a vachina do calça cravada que passou pela Anvisa com um pouco mais de 50% de eficàsia.
    Foi o Nelson sargento com segunda dose, foi o Agnaldo Timóteo com segunda dose e quase foi também o Stênio Garcia com segunda dose da vachina.
    Por isso que a maioria dos países da Europa e EUA não vacinaram sua população com esse placebo.

  2. O sambista tinha tomado as duas doses da coronavac e morreu de covid.
    Se fosse outra vacina, a golbo, CNN, Band e toda mídia da esquerda estaria noticiando em seus noticiários que a vacina não serve para nada. Mas como foi a coronavac, esse detalhe fica esquecido.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Queiroga demite chefe do Ministério da Saúde no Rio que fechou contratos sem licitação

O ministro Marcelo Queiroga demitiu o coronel George Divério do cargo de superintendente do Ministério da Saúde no Rio de Janeiro. A exoneração foi publicada hoje no Diário Oficial.

Nomeado ainda na gestão de Eduardo Pazuello, de quem é próximo, Divério foi o responsável por fechar contratos de R$ 29 milhões para duas reformas em prédios do ministério, ambas com dispensa de licitação e com empresas que já haviam trabalhado para ele outras vezes.

A AGU, entretanto, não aceitou as justificativas para as obras e os contratos acabaram desfeitos.

Os locais em que seriam feitas as reformas, em plena pandemia, eram um galpão usado como arquivo de documentos e um prédio no Centro do Rio, na Rua México.

A propósito, este prédio era exatamente onde estava situado o gabinete de Gama e Silva, ministro da Justiça do general Costa e Silva. Gama e Silva foi cérebro e o redator do AI-5, que, em parte, foi produzido no gabinete que o então ministro tinha no imóvel.

Lauro Jardim – O Globo

Opinião dos leitores

  1. Mesmo sem haver corrupção, o governo Bolsonaro não deixa sequer margem para dúvidas e não há tolerância com erros. A propósito, qual a importância que há entre o ocorrido e uma utilização anterior desse imóvel? Nenhuma mas, a mídia militante não pode perder a oportunidade de tentar associar o governo Bolsonaro com qualquer coisa que lembre os governos militares. É uma tara que essa gente tem.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Calendário de imunização do Rio contra covid a partir de 18 anos até outubro é ‘realista’ e terá reserva técnica para garantir segunda dose, diz secretário

Foto: Fabiano Rocha / Agência O Globo

O calendário de imunização divulgado pela Prefeitura do Rio na noite desta quarta-feira, dia 12, — que prevê vacinar todos os moradores da capital com mais de 18 anos até outubro — é tido como “realista” pelo secretário Municipal de Saúde do Rio, Daniel Soranz, de acordo com a estimativa quanto à entrega de novas doses pela Fiocruz e pelo Ministério da Saúde. A expectativa é de que 30 mil pessoas sejam vacinadas contra a Covid-19 por dia, de segunda-feira a sábado neste período. Para manter sem atrasos o calendário de segunda dose — etapa necessária nos três imunizantes aplicados na capital —, o município segue fazendo uma reserva técnica de parte do lote.

O município também não descarta integrar o calendário unificado para o estado do Rio, conforme o secretário Estadual de Saúde, Alexandre Chieppe, voltou a falar na possibilidade de criação. De acordo com Soranz, o planejamento divulgado nesta quarta foi desenhado considerando a idade como um dos fatores de risco para morrer de Covid-19, logo após pessoas com comorbidades e com deficiência, grupos contemplados nessa fase em curso.

— O calendário é realista. Nós estamos prevendo aplicar 30 mil doses de vacina por dia, que é um número bem inferior do que a gente vem aplicando hoje — disse Soranz, em entrevista ao “Bom Dia Rio” nesta quinta-feira. —Assim foram feitos em muitos países, então a gente volta por idade, 3 dias para cada idade, gradativamente, até outubro, quando vacina 18 anos.

Para evitar atrasos da segunda dose para os próximos grupos, o município segue fazendo reserva técnica, em que parte do lote fica guardado para concluir a imunização. Soranz conta que a estratégia concilia acelerar a vacinação com a primeira dose, mas mantém parte deste grupo coberto com a garantia da segunda etapa.

— A gente sempre faz uma reserva técnica de determinado período, não do período todo completo, porque é muito importante que a gente aplique o mais rápido possível a primeira dose. A Fiocruz já regularizou sua produção. Então, a gente pode aplicar essas primeiras doses com segurança porque tem uma pequena reserva para garantir essa vacinação — contou o secretário municipal. — Se não, a gente iria segurar muitas doses, em 3 meses, o que não seria positivo. A gente segue a recomendação do Ministério da Saúde, mas também faz uma reserva técnica para garantir as segundas doses.

Alexandre Chieppe voltou a falar na possibilidade de unificar os calendários de vacinação no estado do Rio, como disse em entrevista nesta manhã ao “Bom Dia Rio”, da TV Globo. Segundo ele, a ideia seria criar um cronograma único após concluir o grupo de pessoas com comorbidades, em julho. Soranz diz que o município está aberto à discussão, mas que espera que as demais cidades e até mesmo outras capitais sigam o planejamento por idade.

— A princípio não tem nenhuma discussão para mudanças desse calendário. Pode ser que os outros municípios acompanhem a capital do Rio, que fez um calendário por idade, mais objetivo, que vai contemplar toda a população e tentando dar um pouco mais de previsibilidade para as pessoas de quando elas vão se vacinar. Então, a princípio, estamos abertos a essa discussão, e esperando que outros municípios, outras capitais acompanhem a gente nesse calendário por idade logo depois do grupo de comorbidades e de pessoas com deficiência — disse Soranz.

Quanto à vacinação das grávidas com comorbidade, grupo desta fase de prioridades, o secretário municipal de Saúde afirma que a imunização continua, mas apenas com doses da Pfizer. Após recomendação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o município suspendeu a aplicação da AstraZeneca em gestantes. A CoronaVac também é sugerida para o grupo, mas, no momento, tem os lotes reservados, à medida que são entregues, para concluir a vacinação dos primeiros grupos que estão com a segunda dose atrasada.

— Na cidade do Rio, a CoronaVac é para completar a segunda dose. A gente não vai aplicar nenhuma primeira dose de CoronaVac enquanto não zerar a primeira turma que tomou a primeira dose e não tomou a segunda. Aqui no Rio, as grávidas estão tomando a vacina da Pfizer, lembrando que é preciso ter recomendação médica — disse.

A aplicação da segunda dose da AstraZenaca nas gestantes que tomaram a primeira está suspensa enquanto o município aguarda nova determinação do Ministério da Saúde e da Anvisa.

O Globo

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Rio autoriza permanência nas praias e acaba com toque de recolher

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

O município do Rio de Janeiro autorizou a permanência de pessoas e o comércio nas areias das praias da cidade em todos os dias, inclusive fins de semana e feriados. Também foi suspenso o toque de recolher nas ruas das 23h às 5h. As novas medidas têm validade até o dia 20 de maio.

As medidas de restrição estavam em vigor desde março, com o objetivo de conter a pandemia de covid-19, mas perderam a validade com a publicação de um novo decreto hoje (7) pela prefeitura do Rio de Janeiro.

O novo decreto também acaba com a restrição de horário para atendimento presencial em comércio e serviços, incluindo bares e restaurantes. No caso dos bares e restaurantes, a única restrição de horário determinada pela prefeitura é para apresentações de música ao vivo, que só podem ocorrer até as 23h.

No caso dos estabelecimentos localizados em shopping centers, há restrições para o número de pessoas a serem atendidas ao mesmo tempo. Em locais fechados, só podem atender a 40% de sua capacidade de lotação. Em locais abertos, o percentual sobe para 60%. As mesmas regras valem para casas de espetáculo e apresentações artísticas em espaços de eventos.

Continuam proibidos, no entanto, o funcionamento de boates, danceterias e salões de dança; a realização de rodas de samba e de festas que necessitem de autorização transitória, em áreas públicas e particulares; e a entrada de ônibus e demais veículos de fretamento no município, salvo aqueles que prestem serviços regulares para empresas.

Agência Brasil

 

Opinião dos leitores

    1. Não, ninguém quer fechar tudo par sempre. Um dia vai abrir. Quero ver o que o seu presidente vai falar quando tudo voltar ao normal?

    2. O presidente falando e um cachorro latindo, o cachorro é mais considerado…
      Acorda, abestalhado….
      Ninguém leva a sério o que Bozo fala… só vcs que usam argola na venta…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Bolsonaro classifica como hipocrisia o fechamento de praias no Rio: “A vitamina D é uma forma de você evitar que o vírus te atinja com gravidade”

Foto: Ueslei Marcelino

O presidente Jair Bolsonaro criticou nesta sexta-feira o decreto do prefeito do Rio, Eduardo Paes, que fechou praias nos fins de semana, para conter o avanço da Covid-19. Bolsonaro considerou a medida uma “hipocrisia” porque o banho de sol é uma maneira de conseguir vitamina D, cuja deficiência pode aumentar o risco de contrair o novo coronavírus.

O decreto de Paes, publicado nesta sexta-feira, proíbe não apenas o banho de sol nas areias como também esportes (como altinho e futevôlei, entre outros), o banho de mar e atividades econômicas por ambulantes e barraqueiros.

— Vê lá o Rio de Janeiro agora, o prefeito, fiquei sabendo, o decreto fechou tudo, até praia. A vitamina D é uma forma de você evitar que o vírus te atinja com gravidade. Onde você consegue a vitamina D? Tomando sol. Uma hipocrisia — disse Bolsonaro nesta sexta, em conversa com apoiadores na saída do Palácio da Alvorada.

Um estudo feito no ano passado por pesquisadores da Universidade de Medicina de Chicago, nos Estados Unidos, mostrou que pacientes com deficiência da vitamina D que não receberam tratamento tiveram quase duas vezes mais chance de ter um diagnóstico positivo em comparação com pacientes que tinham níveis suficientes da vitamina.

Com O Globo

Opinião dos leitores

  1. Engraçada são as fotos. Esse BG é uma resenha mesmo.
    Tenho certeza que os bolsonaristas qdo vêem o título do post com a foto, se ajoelham em reverência.
    Fico só imaginando a cena.
    kkkkkkkkkkkkkkkkklkk

  2. Sol, boa ventilação e descontração. Tudo isto o cidadão encontra à beira nar. Mais uma vez o Presidente tem razão.

    1. Quando a inteligência é exposta. Parabêns Sérgio, você é o máximo.
      Onde você mais se expõe ao sol? Em casa? no trabalho? na parada de ônibus? dentro do supermercado? Andando na rua de camisa, calça e sapato?
      Qual a possibilidade de pegar covid na praia, com o calor do sol ao ar livre?
      Impressiona ver que a ideologia politica leva a achar certo ser corrupto e aceita o fechamento de espaço público aberto e ao ar livre, sem qualquer comprovação científica que isso evita o covid.

    2. Roberto, em qualquer lugar que não seja coberto, existe a possibilidade de tomar banho de sol, esse banho de sol não pode passar de 15 minutos. Quer dizer que o sol mais benéfico é o da praia? Parabéns Roberto, você é o máximo.

  3. 🐮🐮🐮🐮🐮🐮🐮🐮🐮🐮🐮🐮🐮🐮🐮🐮🐮🐴🐴🐴🐴🐴🐴🐴🐴🐴🐴🐴🐴🐴🐴🐴🐴

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Rio fecha praias para banho de mar, esporte e comércio nas areias

Foto: KEVIN DAVID/A7 PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

A Prefeitura do Rio de Janeiro publicou no Diário Oficial desta sexta-feira (19) um decreto determinando o fechamento das praias para conter o avanço da Covid na cidade.

As regras se somam às do decreto publicado há uma semana e, a princípio, valem somente para este fim de semana — da 0h de sábado (20) até as 5h de segunda-feira (22). O prefeito Eduardo Paes ainda prevê a antecipação dos feriados de abril.

Está proibido:

Ficar na areia da praia;

Praticar esportes na praia;

Tomar banho de mar;

Comércio e serviços na praia, incluindo ambulantes;

Entrada de ônibus e vans fretados na cidade, exceto de hotéis;

Estacionar na orla.

Quiosques podem abrir normalmente.

Veja os detalhes das novas medidas

As áreas de lazer da orla não vão funcionar no domingo.

De acordo com a determinação, fica proibida a permanência nas areias em qualquer horário, incluindo a prática de esportes, o banho de mar e o exercício de qualquer atividade econômica, como o comércio ambulante.

Também está proibida a entrada de ônibus e outros veículos de fretamento na cidade, com a exceção dos que prestam serviços regulares para os funcionários de empresas ou para hotéis. Neste último caso, os passageiros devem confirmar a reserva de hospedagem.

O estacionamento também foi proibido na orla, exceto para os moradores, idosos, portadores de necessidades especiais, hóspedes de hotéis e táxis.

As áreas de lazer nas pistas das avenidas Delfim Moreira, Vieira Souto e Atlântica, além do Aterro do Flamengo, também estão suspensa.

Relembre o decreto do dia 11

O fechamento das praias é um acréscimo ao decreto da semana passada. As regras são:

Entre 23h e 5h, será proibido permanecer em ruas, espaços públicos, praias e praças; a multa por descumprimento é de R$ 562,42 – a circulação será permitida;

Eventos, festas e rodas de samba também estão proibidos;

Não podem funcionar boates, casas de espetáculo, feiras especiais, feiras de ambulantes e feirartes (artesanato) — feiras livres, de alimentos, estão liberadas;

A lotação máxima de 40% também deve ser observada em todos os lugares.

No entanto, bares, restaurantes e afins ainda poderão funcionar até as 21h, com delivery depois desse horário.

Continua em vigor o escalonamento das atividades econômicas:

Serviços: das 8h às 17h;

Repartições públicas: das 9h às 19h;

Comércio (incluindo shoppings): das 10h30 às 21h.

Boletim nesta sexta

Nesta sexta, o prefeito se reúne com o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, para a divulgação do 11º Boletim Epidemiológico da Covid-19 na cidade. Os dois devem detalhar as medidas que serão adotadas no fim de semana.

A Prefeitura do Rio considera que os próximos dias vão dar o tom das novas medidas e anunciou uma reunião com o comitê científico na segunda-feira (22). O lockdown é uma possibilidade.

Recorde de internação

As UTIs dos hospitais públicos do Rio tinham mais de 622 pacientes internados nesta quinta-feira (18). Foi o maior número desde o início da pandemia, mesmo se considerado o momento em que havia hospitais de campanha.

A ocupação de leitos de UTI na rede SUS na capital — incluindo leitos municipais, estaduais e federais — era de 95%.

G1

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

MEDIDAS RESTRITIVAS: Comércio, bares e restaurantes do Rio terão que fechar às 21h

Foto: © Tomaz Silva/Agência Brasil

Um decreto da prefeitura do Rio de Janeiro, publicado hoje (11), prorrogou as restrições ao horário de funcionamento de comércio, serviços, bares e restaurantes até o dia 22 de março. Na nova decisão da prefeitura, que começa a valer a partir de amanhã, comércio, bares e restaurantes poderão funcionar, com atendimento presencial, até as 21h.

Depois desse horário, bares e restaurantes só poderão funcionar com entrega em domicílio, drive thru ou retirada no local (mas sem consumo).

O comércio poderá funcionar a partir das 10h30. O decreto também determina horários de funcionamento para os serviços (8h às 17h) e administração pública (9h às 19h). Ambulantes e barracas de venda de produtos poderão trabalhar até as 17h nas praias.

As atividades com atendimento presencial só poderão receber, em seus estabelecimentos, 40% de sua capacidade de clientes. Por exemplo, se o bar só tem lugar para 20 pessoas, só poderá atender a oito por vez, no horário permitido.

O decreto de hoje flexibiliza as medidas adotadas no decreto anterior, de 5 de março, que definia fechamento de bares e restaurantes às 17h e do comércio às 20h. Também proibia comércio nas praias.

No entanto, o novo decreto mantém a proibição de permanência de pessoas em praças e outros locais públicos das 23h às 5h do dia seguinte. Também continuam proibidos festas e eventos em áreas públicas e particulares e o funcionamento de boates e casas de espetáculo.

Agência Brasil

Opinião dos leitores

    1. Continue pensando assim e nunca venha para o Rio. É um favor que você faz e contribui para evitar que a fauna seja piorada.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *