Economia

Bolsonaro classifica como hipocrisia o fechamento de praias no Rio: “A vitamina D é uma forma de você evitar que o vírus te atinja com gravidade”

Foto: Ueslei Marcelino

O presidente Jair Bolsonaro criticou nesta sexta-feira o decreto do prefeito do Rio, Eduardo Paes, que fechou praias nos fins de semana, para conter o avanço da Covid-19. Bolsonaro considerou a medida uma “hipocrisia” porque o banho de sol é uma maneira de conseguir vitamina D, cuja deficiência pode aumentar o risco de contrair o novo coronavírus.

O decreto de Paes, publicado nesta sexta-feira, proíbe não apenas o banho de sol nas areias como também esportes (como altinho e futevôlei, entre outros), o banho de mar e atividades econômicas por ambulantes e barraqueiros.

— Vê lá o Rio de Janeiro agora, o prefeito, fiquei sabendo, o decreto fechou tudo, até praia. A vitamina D é uma forma de você evitar que o vírus te atinja com gravidade. Onde você consegue a vitamina D? Tomando sol. Uma hipocrisia — disse Bolsonaro nesta sexta, em conversa com apoiadores na saída do Palácio da Alvorada.

Um estudo feito no ano passado por pesquisadores da Universidade de Medicina de Chicago, nos Estados Unidos, mostrou que pacientes com deficiência da vitamina D que não receberam tratamento tiveram quase duas vezes mais chance de ter um diagnóstico positivo em comparação com pacientes que tinham níveis suficientes da vitamina.

Com O Globo

Opinião dos leitores

  1. Engraçada são as fotos. Esse BG é uma resenha mesmo.
    Tenho certeza que os bolsonaristas qdo vêem o título do post com a foto, se ajoelham em reverência.
    Fico só imaginando a cena.
    kkkkkkkkkkkkkkkkklkk

  2. Sol, boa ventilação e descontração. Tudo isto o cidadão encontra à beira nar. Mais uma vez o Presidente tem razão.

    1. Quando a inteligência é exposta. Parabêns Sérgio, você é o máximo.
      Onde você mais se expõe ao sol? Em casa? no trabalho? na parada de ônibus? dentro do supermercado? Andando na rua de camisa, calça e sapato?
      Qual a possibilidade de pegar covid na praia, com o calor do sol ao ar livre?
      Impressiona ver que a ideologia politica leva a achar certo ser corrupto e aceita o fechamento de espaço público aberto e ao ar livre, sem qualquer comprovação científica que isso evita o covid.

    2. Roberto, em qualquer lugar que não seja coberto, existe a possibilidade de tomar banho de sol, esse banho de sol não pode passar de 15 minutos. Quer dizer que o sol mais benéfico é o da praia? Parabéns Roberto, você é o máximo.

  3. 🐮🐮🐮🐮🐮🐮🐮🐮🐮🐮🐮🐮🐮🐮🐮🐮🐮🐴🐴🐴🐴🐴🐴🐴🐴🐴🐴🐴🐴🐴🐴🐴🐴

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Rio fecha praias para banho de mar, esporte e comércio nas areias

Foto: KEVIN DAVID/A7 PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

A Prefeitura do Rio de Janeiro publicou no Diário Oficial desta sexta-feira (19) um decreto determinando o fechamento das praias para conter o avanço da Covid na cidade.

As regras se somam às do decreto publicado há uma semana e, a princípio, valem somente para este fim de semana — da 0h de sábado (20) até as 5h de segunda-feira (22). O prefeito Eduardo Paes ainda prevê a antecipação dos feriados de abril.

Está proibido:

Ficar na areia da praia;

Praticar esportes na praia;

Tomar banho de mar;

Comércio e serviços na praia, incluindo ambulantes;

Entrada de ônibus e vans fretados na cidade, exceto de hotéis;

Estacionar na orla.

Quiosques podem abrir normalmente.

Veja os detalhes das novas medidas

As áreas de lazer da orla não vão funcionar no domingo.

De acordo com a determinação, fica proibida a permanência nas areias em qualquer horário, incluindo a prática de esportes, o banho de mar e o exercício de qualquer atividade econômica, como o comércio ambulante.

Também está proibida a entrada de ônibus e outros veículos de fretamento na cidade, com a exceção dos que prestam serviços regulares para os funcionários de empresas ou para hotéis. Neste último caso, os passageiros devem confirmar a reserva de hospedagem.

O estacionamento também foi proibido na orla, exceto para os moradores, idosos, portadores de necessidades especiais, hóspedes de hotéis e táxis.

As áreas de lazer nas pistas das avenidas Delfim Moreira, Vieira Souto e Atlântica, além do Aterro do Flamengo, também estão suspensa.

Relembre o decreto do dia 11

O fechamento das praias é um acréscimo ao decreto da semana passada. As regras são:

Entre 23h e 5h, será proibido permanecer em ruas, espaços públicos, praias e praças; a multa por descumprimento é de R$ 562,42 – a circulação será permitida;

Eventos, festas e rodas de samba também estão proibidos;

Não podem funcionar boates, casas de espetáculo, feiras especiais, feiras de ambulantes e feirartes (artesanato) — feiras livres, de alimentos, estão liberadas;

A lotação máxima de 40% também deve ser observada em todos os lugares.

No entanto, bares, restaurantes e afins ainda poderão funcionar até as 21h, com delivery depois desse horário.

Continua em vigor o escalonamento das atividades econômicas:

Serviços: das 8h às 17h;

Repartições públicas: das 9h às 19h;

Comércio (incluindo shoppings): das 10h30 às 21h.

Boletim nesta sexta

Nesta sexta, o prefeito se reúne com o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, para a divulgação do 11º Boletim Epidemiológico da Covid-19 na cidade. Os dois devem detalhar as medidas que serão adotadas no fim de semana.

A Prefeitura do Rio considera que os próximos dias vão dar o tom das novas medidas e anunciou uma reunião com o comitê científico na segunda-feira (22). O lockdown é uma possibilidade.

Recorde de internação

As UTIs dos hospitais públicos do Rio tinham mais de 622 pacientes internados nesta quinta-feira (18). Foi o maior número desde o início da pandemia, mesmo se considerado o momento em que havia hospitais de campanha.

A ocupação de leitos de UTI na rede SUS na capital — incluindo leitos municipais, estaduais e federais — era de 95%.

G1

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

MEDIDAS RESTRITIVAS: Comércio, bares e restaurantes do Rio terão que fechar às 21h

Foto: © Tomaz Silva/Agência Brasil

Um decreto da prefeitura do Rio de Janeiro, publicado hoje (11), prorrogou as restrições ao horário de funcionamento de comércio, serviços, bares e restaurantes até o dia 22 de março. Na nova decisão da prefeitura, que começa a valer a partir de amanhã, comércio, bares e restaurantes poderão funcionar, com atendimento presencial, até as 21h.

Depois desse horário, bares e restaurantes só poderão funcionar com entrega em domicílio, drive thru ou retirada no local (mas sem consumo).

O comércio poderá funcionar a partir das 10h30. O decreto também determina horários de funcionamento para os serviços (8h às 17h) e administração pública (9h às 19h). Ambulantes e barracas de venda de produtos poderão trabalhar até as 17h nas praias.

As atividades com atendimento presencial só poderão receber, em seus estabelecimentos, 40% de sua capacidade de clientes. Por exemplo, se o bar só tem lugar para 20 pessoas, só poderá atender a oito por vez, no horário permitido.

O decreto de hoje flexibiliza as medidas adotadas no decreto anterior, de 5 de março, que definia fechamento de bares e restaurantes às 17h e do comércio às 20h. Também proibia comércio nas praias.

No entanto, o novo decreto mantém a proibição de permanência de pessoas em praças e outros locais públicos das 23h às 5h do dia seguinte. Também continuam proibidos festas e eventos em áreas públicas e particulares e o funcionamento de boates e casas de espetáculo.

Agência Brasil

Opinião dos leitores

    1. Continue pensando assim e nunca venha para o Rio. É um favor que você faz e contribui para evitar que a fauna seja piorada.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Gilmar Mendes: o que se fala da Lava Jato do Rio, de Marcelo Bretas, é “de corar frade de pedra”

Foto: Reprodução

Na sessão do Supremo Tribunal Federal que julga a suspeição do ex-juiz Sérgio Moro nos casos de julgamento do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, o ministro Gilmar Mendes alegou que a Justiça Federal vive uma “imensa crise” e que havia, ali, a oportunidade de ser realizada uma reformulação.

Ainda durante sua fala, o ministro atrelou a crise na justiça ao “fenômeno de Curitiba” ao nacionalizar os julgamentos e se tornar um “juiz universal”.

Após tecer suas críticas, Gilmar Mendes citou a 7ª Vara do Rio de Janeiro, que tem como juiz Marcelo Bretas, e disse “não entender como esse escândalo não veio à tona”, ainda mais “é de fora frade de pedra”.

Justiça Potiguar com Último Segundo

Opinião dos leitores

    1. Só não tem para andar no meio do povo. Precisa ir para Portugal.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Primeira pessoa do Estado do Rio a contrair Covid-19 não sente cheiro ou gosto há mais de um ano: ‘É horrível’

Foto: Divulgação/Chico de Assis

A pandemia da Covid-19 ainda parecia uma ameaça distante quando Jeniffer Pereira Melgaço, moradora de Barra Mansa, no Sul Fluminense, tornou-se a primeira pessoa do estado do Rio a testar positivo para o novo coronavírus. Era 5 de março de 2020 e, à epoca, apenas oito casos da doença, todos importados do exterior, haviam sido confirmados em todo o país. A advogada, de 29 anos, vinha apresentando sintomas como tosse, febre e coriza por cerca de duas semanas, desde que voltara de uma viagem à Itália, quando passou pela região da Lombardia, primeiro epicentro de contágio no país europeu.

Apesar de ter desenvolvido uma versão branda da Covid, Jeniffer passou cerca de dois meses sentindo um cansaço excessivo, que a deixava ofegante para subir um mísero lance de escadas, por exemplo. A fraqueza exagerada passou. Outras marcas da doença, porém, permanecem até hoje.

— Estou sem olfato e paladar mesmo passado um ano, só sinto algo meio distorcido. Eu fui a um otorrino, que me passou um remédio e uma tomografia, mas a medicação não teve efeito algum. Depois, eu tentei sentir cheiro de café e de alguns óleos fortes, mas nada — conta Jennifer, que continua:

— Mas eu sou muito grata, porque fiquei muito assustada e com muito medo de contaminar as pessoas. Graças a Deus, não passei para ninguém.

Nenhum outro familiar de Jennifer testou positivo, mas, entre amigos e pessoas do trabalho, a jovem contabiliza pelo menos meia centena de conhecidos que contraíram a doença na cidade, que soma, até o momento, 299 mortes e mais de 10 mil casos. Entristecida, a advogada lamenta já não constatar, na atual reaceleração da pandemia no Brasil, os mesmos cuidados de prevenção do período inicial da crise sanitária:

— Acho que as pessoas se “acostumaram” com as mortes e com essa situação, e acabam não levando mais a sério. Esse absurdo entrou no dia a dia, o que é desesperador, porque a gente sabe da gravidade da doença que, para muitos, é fatal. A gente sabe que, se tiver superlotação em algumas cidades, não vai ter como atender todo mundo.

A jovem deseja, agora, que a “vacina chegue para todo mundo”. E comemora que a imunização em Barra Mansa já tenha alcançado a avó. Falta, agora, voltar a aproveitar todos os mimos de neta…

— É horrível ficar sem sentir o cheiro e gosto, pois a comida deixou se ser um prazer. Não sinto mais o cheirinho de chuva, ou o do arroz da minha avó.

Enquanto esteve doente, Jennifer chegou a sofrer ataques pelas redes sociais de pessoas que a culpavam por trazer a pandemia ao Brasil. Hoje, embora exista mais conhecimento disponível sobre o vírus, o crescimento do negacionismo preocupa a advogada:

— A gente tem de se cuidar e seguir o que a ciência diz. A ciência cuidou da gente o tempo todo, e sempre deu um resultado positivo. Se a ciência fala que não é para aglomerar e que tem que usar máscara, a gente tem que fazer isso. Se todo mundo fizer a sua parte, sairemos dessa.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Eu vou com mais de oito meses com paladar e olfato oscilando , chega me emociono no dia que sinto o cheiro de café

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Justiça do Rio decide afastar Flordelis do cargo de deputada federal

Foto: FABIANO ROCHA / Agência O Globo

A 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio decidiu, por unanimidade, afastar Flordelis dos Santos de Souza (PSD) do cargo de deputada federal. O julgamento por videoconferência ocorreu na tarde desta terça-feira. A decisão é para que a parlamentar fique afastada de qualquer função pública até seu julgamento em processo no qual é acusada de ser mandante morte do marido, o pastor Anderon do Carmo.

A decisão dos desembargadores será submetida ao plenário da Câmara dos Deputados para que os parlamentares decidam se mantém o afastamento, conforme determina a Constituição Federal. O relator do processo na 2ª Câmara Criminal, desembargador Celso Ferreira Filho, determinou que a decisão seja encaminhada à Câmara dos Deputados em 24 horas. Além do relator, votaram a favor do afastamento os desembargadores Antônio José Ferreira Carvalho e Kátia Jangutta.

Para Celso Filho, há situações concretas que demonstram atos de Flordelis para atrapalhar a “busca pela verdade” no processo.

– (Nesse processo) Há situações que me causaram perplexidade. São 50 anos que convivo nessa casa de conflitos e há muito tempo não vejo uma situação tão complexa, estranha e que causa tanta surpresa. Lidamos com homicídio, improbidade administrativa, vários desvios, mas nesse processo há uma gama de circunstâncias estranhas, sobre as quais não vou tecer comentários – afirmou Celso Ferreira Filho ao iniciar seu voto.

A procuradora de Justiça Maria Christina Pasquinelli Bacha de Almeida deu parecer a favor do afastamento de Flordelis. Durante sua sustentação oral na sessão desta terça-feira, a procuradora afirmou que Flordelis usa o cargo para intimidar e para “cooptar benesses para sua pessoa e seu clã criminoso”. O advogado Ângelo Máximo, que representa a família do pastor, também defendeu o afastamento, sob alegação de que Flordelis atrapalhou as investigações do caso, além de fazer menção aos nomes de testemunhas em redes sociais.

– Fica claro o uso do cargo, o uso da maquina, da função pública para se esquivar da responsabilidade de ser mandante do crime – afirmou Ângelo Máximo durante sua sustentação oral.

O pedido de afastamento foi feito pelo promotor Carlos Gustavo Coelho de Andrade, que recorreu ao Tribunal de Justiça após a juiza Nearis dos Santos Carvalho Arce, da 3ª Vara Criminal de Niterói, ter negado seu pedido para afastar Flordelis de suas funções. A solicitação foi feita pelo promotor no processo criminal respondido pela deputada. Na ação, já foram ouvidas todas as testemunhas de defesa e acusação, além dos réus. O processo está em fase de alegações finais, na qual Ministério Público, assistente de acusação e defesa dos réus fazem suas considerações finais.

Após a manifestação de todos em alegações finais, a juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce vai decidir se Flordelis e os outros acusados vão a júri popular.

Extra – O Globo

Opinião dos leitores

  1. Ops! George e Gustavo, convidem essa figura pra passar umas férias com vocês! Mas não podem usar dinheiro público! Viu? Com certeza tem orgia garantida!

    1. Oi??!! Estão fazendo JUSTIÇA em desfavor de uma homicida, entendeu? Não tem nada a ver com ela ser branca , preta, azul, mulher, homem, trans…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

(VÍDEO) – FALTOU ‘SOMENTE’ O LÍQUIDO: Rio tem novo caso de aplicação irregular de vacina da Covid-19

Foto: Reprodução

A CBN recebeu uma denúncia de mais um caso de falsa aplicação da vacina contra Covid-19 no estado do Rio. Esse foi registrado em Copacabana, na Zona Sul da capital, no Centro Municipal de Saúde João Barros Barreto. Uma mulher de 85 anos, profissional de saúde, foi se vacinar no dia 27 de janeiro, acompanhada pela filha, que fez imagens do momento em que ela teria recebido a dose do imunizante Oxford/Astrazeneca. Após ficar sabendo dos casos de falsa aplicação pela imprensa, a família resolveu rever as gravações e percebeu que a seringa estava vazia ou com uma quantidade mínima de líquido.

No mesmo dia, ontem, a filha dessa idosa foi ao posto de saúde e mostrou o vídeo a uma das chefes do local. Essa profissional prometeu analisar as imagens e entrar em contato. Mais tarde, ela retornou reconhecendo o problema e disse que a idosa precisaria ser vacinada corretamente. É o que conta uma das filhas dela, que pediu para não ser identificada.

“Ela viu que a seringa parece não ter nada, ou tem menos do que 0,5ml, que seria a dose que ela deveria ter tomado. Ela foi no posto ontem e a chefe do posto disse que ia analisar as imagens e depois entraria em contato. No mesmo dia, ela entrou em contato dizendo que o problema realmente tinha acontecido, que ela lamentava muito e que não era o comportamento padrão do posto. Minha mãe não foi vacinada ainda, a gente está aguardando isso. Essas pessoas estão fazendo o quê com as doses? Revendendo, vacinando parentes, vacinando amigos? A gente não tem como saber”.

A unidade de saúde garantiu à família da paciente que a procuraria quando tivesse disponibilidade de reparar o erro, com uma aplicação real da vacina. Nós entramos em contato com a Secretaria Municipal de Saúde para receber esclarecimentos sobre o caso e aguarda uma resposta. A família da mulher que receber a falsa aplicação disse que vai à delegacia amanhã prestar queixa contra a funcionária do posto de saúde.

Globo, via CBN

Opinião dos leitores

    1. A responsabilidade é do ministério da saúde. Cadê o Pazuello, cadê o Bozo?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

VÍDEO: Polícia Civil investiga show do cantor Belo que reuniu multidão no Rio

Foto: Reprodução/CNN Brasil

O show do cantor Belo na zona norte do Rio de Janeiro é alvo de uma investigação da Polícia Civil. A Delegacia de Combate às Drogas (DCOD) instaurou inquérito para apurar as circunstâncias de como o evento aconteceu na noite do sábado de carnaval (13), na Maré.

A apresentação do pagodeiro reuniu uma multidão e contrasta com o momento atual de isolamento da cidade. A capital está há quatro semanas em alto risco de contaminação. As autoridades proibiram festas e blocos de carnaval que formem aglomeração na tentativa de conter a disseminação da pandemia do coronavírus.

O show foi filmado pelo próprio público e postado em diversas redes sociais. No vídeo é possível ver centenas de pessoas aglomeradas no local. (ASSISTA REPORTAGEM AQUI).

O artista será intimado para esclarecer quem pagou o cachê da apresentação e organizou o evento. De acordo com a nota enviada pela Polícia Civil, “todas as pessoas envolvidas no evento serão ouvidas para esclarecimento”.

A assessoria de imprensa do cantor Belo disse à CNN que o show foi feito seguindo todos os protocolos de segurança e lembrou que as praias estão lotadas, assim como os transportes públicos, e só quem sofre as consequências são os artistas.

Além disso, a assessoria disse que o segmento foi o primeiro a parar por causa da pandemia e que até agora não houve apoio de ninguém para a retomada.

“Fomos contratados por uma produtora!! Temos contrato firmado com essa empresa!! Quanto ao local não cabe ao artista!! Fomos contratados para fazer o show e cumprimos o que foi acordado!! Sem mais”, afirmou a assessoria do artista.

A CNN também questionou a assessoria de Belo sobre o comparecimento do cantor tão logo a intimação seja concretizada. A assessoria se limitou a dizer essa parte ficará a cargo do departamento jurídico.

Com CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Eles vão pra festa justamente por acreditarem no Bolsoloide, pois, como não iriam a uma festinha se só temos uma gripizinha pra evitar? Atchin.

    1. Tem que ser muito imbecil para acreditar que esse povo foi influenciado por Bolsonaro.

    2. BoNeco, tem que ser muito imbecil pra ser influenciado por Bozo. Mas o mundo está cheio de imbecis.

    3. Neco, vc é o exemplo clássico de uma pessoa influenciada pelo bozo. Na falta de ter o q dizer, apenas xinga.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Prefeito do Rio diz que vai suspender vacinação contra a Covid-19 na quarta-feira por falta de doses

Foto: Reprodução/ TV Globo

O prefeito do Rio, Eduardo Paes (DEM), anunciou por meio de uma postagem em suas redes sociais que a cidade terá que interromper a campanha de vacinação contra a Covid-19 na quarta-feira (17) por falta de doses do imunizante.

“Recebi a notícia de que não chegaram novas doses. Teremos que interromper amanhã a nossa campanha. Hoje vacinamos pessoas de 84 anos e amanhã de 83. Estamos prontos e já vacinamos 244.852. Só precisamos que a vacina chegue. Nova leva deve chegar do Butantan na próxima semana”, afirmou Eduardo Paes.

Segundo o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, o calendário retorna na próxima segunda, dia 22 de fevereiro, quando a cidade deve receber mais doses da Coronavac do Instituto Butantan.

“Infelizmente, a gente vai ter que interromper o calendário, voltar para o calendário original, porque a gente antecipou uma semana o calendário no Rio”, disse Soranz.

O calendário de vacinação contra a Covid-19 havia sido antecipado no dia 2 de fevereiro. A previsão era que todos os idosos com idade até 75 anos fossem vacinados até o fim de fevereiro.

O plano segue sendo vacinar todos os idosos com mais de 60 anos até o fim de março, disse o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz.

“Quem tem 82 anos tem que procurar os postos na semana que vem, voltando ao calendário original”, afirmou o secretário.

A Prefeitura do Rio de Janeiro ainda vai avisar como ficará o novo calendário, a partir da chegada de mais doses. Em entrevista à GloboNews, Eduardo Paes disse que a prioridade segue sendo vacinar os grupos mais vulneráveis à Covid.

“Havia a expectativa de chegada de mais doses, isso não aconteceu, quando o secretário de Saúde informou isso pela manhã eu já fiz a comunicação de que teríamos que suspender na quarta-feira. E há uma expectativa de entrega de doses por parte do Butantan na semana que vem. Assim que as doses chegarem a gente retoma. A gente quer acelerar isso”, afirmou Paes.

Segunda dose

A segunda dose a ser aplicada nos profissionais de saúde e idosos abrigados está garantida, segundo Soranz.

“A segunda dose está reservada, a gente já começa na segunda-feira a aplicar a segunda dose em alguns institutos de longa permanência de idosos. Profissionais de saúde que tomaram a primeira dose no dia 20 de janeiro, também terão a aplicação desta dose amanhã, 16 de fevereiro. Vamos aproveitar o feriado de carnaval para poder aplicar a dose”, informou o secretário.

Suspensão em outros lugares do Brasil

A vacinação também foi interrompida em Ananindeua, na Região Metropolitana de Belém, no domingo (14). A informação foi publicada nas redes sociais da prefeitura do município.

Segundo o poder municipal, o quantitativo para aplicação das primeiras doses em idosos teria acabado. A secretaria disse ainda que aguarda um novo repasse do Ministério da Saúde para que a vacinação volte a acontecer.

G1

Opinião dos leitores

    1. É fácil governar uma cidade assim. Ele espera que tudo caia do céu.
      Corra atrás, faça convênios, compre vacinas, negocie com o Estado o remanejamento de estoques (as chamadas xepas das vacinas).

    2. Realmente! Ele, Crivela, Flávio Bolsonaro… Todos deveriam estar presos!

    3. Porque titia? Acabou a vacina. Quem deveria ter comprado preferiu se preocupar com coisas mais importantes, como liberação de armas, ofensas à países estrangeiros e guerrinha pela reeleição. Sim, foi o Bozo, o infeliz que nos trouxe a essa situação Esse sim ira pra cadeia em brevê.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

FOTOS: Megaoperação da PM em comunidades nas zonas Norte e Oeste do Rio deixa dez mortos e seis feridos

Batalhão de Choque participou da ação nesta quarta-feira Foto 1: Marcos Nunes/ Foto 2: Reprodução

Dez pessoas morreram e outras seis ficaram feridas durante uma operação da Polícia Militar, realizada nesta quarta-feira, para acabar com uma disputa de território travada por traficantes e milicianos em oito comunidades nas zonas Norte e Oeste do Rio. Segundo a polícia, os grupos rivais também disputam a exploração de negócios irregulares, como venda clandestina de sinal de TV a cabo, fornecimento clandestino de internet e o monopólio do comércio de gás e de drogas.

Trezentos homens de cinco batalhões participaram da ação. Em Quintino, PMs do Batalhão de Operações Especiais (Bope) e do Batalhão de Choque trocaram tiros com bandidos dos morros do Dezoito, Caixa D’Água e Saçu. Neste último, que dá acesso pela mata às duas primeiras comunidades, um confronto deixou seis homens baleados. Eles foram levados para o Hospital Salgado Filho, no Méier, mas não resistiram aos ferimentos e morreram.

Outras duas mortes ocorreram na favela da Caixa d’água e mais duas no Morro do Flexal, no Engenho da Rainha. PMs também vasculharam o Morro do Urubu, em Pilares, e as Favelas Bateu Mouche, Chacrinha e Barão, na Praça Seca. Além dos mortos, outras seis pessoas foram baleadas e atendidas no Salgado Filho. Parentes dos mortos não quiseram falar com a imprensa.

Ao saber que seu irmão estava entre as vítimas do tiroteio, uma mulher passou mal e foi amparada por parentes. Segundo a polícia, foram apreendidos cinco fuzis, uma submetralhadora, quatro pistolas, rádios de comunicação e drogas. Também participaram da operação policiais do 18º BPM ( Jacarepaguá), do 3º BPM( Méier) e 9º BPM( Rocha Miranda).

Participam da operação 1º e 2º Comandos de Policiamento de Área (CPAs) – 3º BPM (Méier), 9º BPM (Rocha Miranda) e 18º BPM (Jacarepaguá) – e unidades do Comando de Operações Especiais (COE) – Batalhão de Polícia de Choque (BPChq) e do Batalhão de Operações Especiais (Bope).

O Globo

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Polícia apreende passaporte e R$ 470 mil na casa de Nego do Borel no Rio

Foto: Reprodução/TV Globo

A Polícia Civil de SP, com apoio de agentes fluminenses, cumpriu nesta quinta-feira (28) dois mandados de busca e apreensão contra Nego do Borel.

Os policiais apreenderam R$ 470 mil em espécie e o passaporte do cantor na mansão dele na Zona Oeste do Rio.

As buscas estão relacionadas ao boletim de ocorrência que Duda Reis, ex do cantor, registrou na 1ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), em São Paulo.

Duda afirma ter sido vítima de violência e de ameaças feitas pelo ex-noivo — ele nega.

Um dos mandados foi cumprido na casa de Nego no Recreio dos Bandeirantes,. Lá policiais encontraram e retiveram o passaporte do artista. Em um cofre, os agentes encontraram as cédulas.

A outra busca foi em um endereço em São Paulo, onde o cantor estava.

Agentes apreenderam ainda telefones e um computador nos dois endereços.

O funkeiro ainda não se manifestou sobre a operação.

Nego também prestou queixa contra a atriz, por injúria, calúnia e difamação.

No dia 15, policiais apreenderam na casa de Nego no Recreio uma réplica de fuzil, usada para a prática de airsoft.

A 42ª DP (Barra) apurava a denúncia publicada em meios de comunicação de que ele teria um fuzil em casa.

O que disse Duda

Foto: Reprodução

No dia 14, Duda contou aos policiais da 1ª DDM que as agressões de Nego começaram em fevereiro de 2018, durante o carnaval. Ela disse que o cantor a ameaçou porque ela foi ao Sambódromo do Rio sem a anuência dele.

A partir daquela data, depôs Duda, o cantor iniciou uma rotina de “humilhações e xingamentos” e que foi agredida fisicamente na frente de outras pessoas.

Segundo Duda, em agosto de 2018, durante uma viagem a Portugal, foi estuprada por Nego nos momentos em que ela estava sob efeito de remédios.

A atriz relatou que, incentivada pelo então namorado, tomava doses maiores que as prescritas de um medicamento controlado.

Ela também disse à polícia que, na mesma viagem, depois de ter se recusado a acompanhar o cantor em uma das apresentações dele, foi agredida e teve lesões nas costas e pernas, mas não recebeu atendimento médico em nenhuma dessas ocasiões.

Duda afirmou ter medo do cantor e disse que vai “tomar todas as medidas protetivas necessárias”.

“Porque eu preciso, eu temo pela minha vida, temo pela minha segurança, sim, porque eu sei como a pessoa é. Eu não sou louca, não sou mentirosa, sei o que vivi, sei o medo que dá”, explicou Duda.

A jovem também afirmou aos policiais que, após as agressões, passou a sofrer de transtornos psíquicos e emocionais, diagnosticados por psicólogos e psiquiatras. Ela disse que desenvolveu anorexia nervosa, bulimia, depressão e síndrome do pânico.

O que disse Nego

Foto: Reprodução

O cantor prestou queixa contra a ex na 42ª DP (Recreio dos Bandeirantes) por injúria, calúnia e difamação no dia 13.

Em uma rede social, Nego do Borel confirmou que traiu Duda.

“Estou vivendo, com certeza, um dos piores dias da minha vida. Tenho sido bombardeado de coisas e precisei de um tempo para ler e absorver tudo antes de vir me pronunciar em respeito ao meu público”, afirmou o cantor em uma publicação no stories de seu Instagram.

“Sim, houve traição, que foi um erro do qual não me orgulho, me arrependo muito e não trouxe em público antes para não expor terceiros.”

“Quando ao posicionamento da minha ex, é de fato algo que me surpreende. Tenho também o meu lado da história e também vi e descobri muitas coisas, que ao contrário do que vem sendo feito, não gostaria de expor para não comprometer a integridade dela como mulher. Por questão de princípios, é algo que eu não faria com ela, assim como não faria com nenhuma outra mulher, a não ser que seja extremamente necessário.”

Em outro post, Nego escreveu: “Em breve me pronunciarei e contarei toda a verdade”.

Relembre a relação do casal

Duda Reis e Nego do Borel começaram a namorar no final de 2018

O casal se separou um ano depois, entre boatos de traições

Em abril de 2020, o casal tentou dar uma nova chance ao relacionamento. Na época, o pai da atriz foi contra e fez vários relatos contra Nego nas redes sociais

Em junho, o casal anunciou o noivado

Em dezembro de 2020, aconteceu um novo término. Na época, Nego fez um longo texto para a atriz e escreveu: “A menina do sorriso largo, abraço apertado, olhos azuis encantadores, guerreira, decidida e cheia de sonhos, será sempre lembrada com muito carinho. Ela faz parte de um amor que foi eterno enquanto durou, e hoje se transformou numa grande amizade, que quero que dure para sempre.”

Ambos já deletaram as fotos do casal nas redes sociais, mas Nego mantém o depoimento sobre a separação

G1

Opinião dos leitores

  1. Essa adorável mocinha de santa não tem nada, usou esse cabrinha ai, que também não está correto, para ganhar fama e projeção, agora tira proveito dos crimes cometidos por este mal caráter para ganhar mais projeção. Na minha opinião já extrapolou o que estão fazendo com este rapaz, tenos crimes bem mais graves que não vemos tanto teatro e perseguição.

  2. Agora o nego do borel não presta para essa senhorita Duda Reis,a dita cuja ganhou uma grande projeção nas redes sociais e na televisão e dinheiro por causa da exposição desse relacionamento,agora vem cuspir no prato que comeu com terríveis acusações contra o homem que patrocínou a sua ascensão midiática e financeira agora o pobre do nego do borel é o seu maior adversário,inimigo e opressor,isso é o que acontece quando se dá oportunidade a mulher pobre ou lisa.

  3. Só não entendi por que a polícia confiscou o dinheiro do cantor. Se o problema é de abuso sexual e violência, o que o dinheiro tem a ver?

    1. Simples, com dinheiro e contas bloqueadas ele em teoria não pode "fugir".

  4. Ninguém canta funk! Esse tipo de "zuada" que é os simpatizantes chamam de música, é um verdadeiro atentado a todo tipo de música de verdade! O funk não é uma questão de gosto, no máximo é um "num sei quê" de ritmo repetido e totalmente desprovido de mínima qualidade musical!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cultura

Carnaval fora de época em julho é oficializado pelo governo estadual do Rio

Foto: (CARL DE SOUZA / AFP) 

Confetes e serpentinas pelo menos duas vezes ao ano. Agora é oficial. O governador em exercício Cláudio Castro sancionou lei que inclui o carnaval fora de época em todo o estado. Com a medida, o calendário de datas oficiais do Rio de Janeiro será alterado, incluindo o mês de julho em todo ano dentro do projeto intitulado “CarnaRio – Carnaval fora de época”. No entanto, ligas de bloco se manifestaram contra a decisão tomada pelo governo em meio à pandemia de Covid-19.

— É fora de proposta esse decreto, algo inoportuno. Não é hora de pensar em carnaval, não sabemos nem o início da vacinação. Estamos no ápice de uma curva de contágio, temos que respeitar as famílias. O governador não pode falar em nosso nome. Não vemos nenhuma chance de marcar carnaval em 2021, é fora de propósito. Além do mais, carnaval é genuíno, não se decreta ou se impõe — afirma Rita Fernandes, presidente da Sebastiana (Associação Independente dos Blocos de Carnaval de Rua da Zona Sul, Santa Teresa e Centro).

Novo plano: Paes explica novas medidas de restrição e diz que fiscalização será por amostragem: ‘Não estamos relaxando, estamos fixando regras’

Ainda de acordo com Rita, os organizadores dos blocos de rua foram pegos de surpresa, já que não foram consultados. Ela lembra que a cidade não terá fôlego para se preparar, duas vezes por ano, para se preparar para um carnaval nas dimensões do que acontece no Rio.

— O carnaval acontece naturalmente, parte dos organizadores, porque o povo se envolve e coloca seus blocos na rua. Mesmo a festa das escolas de samba precisam ser espontâneas, não pode ser imposta. O que se cria é um evento para atrair turistas, mas não será carnaval. Não vamos nos planejar para uma festa fora de época.

Segundo o texto publicado no Diário Oficial Extra da última terça-feira, a medida visa a estimular o turismo e aquecer a economia com a criação de postos de empregos e venda de produtos e serviços. A organização deverá contar com a participação das ligas, agremiações e blocos carnavalescos, e ainda da secretaria estadual de Cultura.

— Neste momento, não estamos falando sobre carnaval na rua, sobre aglomeração. Sobre fazer um evento em julho, simplesmente não é o momento de falar a respeito. Há divergências, blocos que concordam e outros que não, e não há clima para conversar sobre o assunto, no auge da segunda onda da pandemia do novo coronavírus — afirma o presidente da Liga Amigos do Zé Pereira, Rodrigo Rezende.

Liesa fará reunião sobre o decreto em ‘data oportuna’

A Liga das Escolas de Samba (Liesa) do Rio, que também é citada na lei como uma das participantes do CarnaRio, explica que, para 2021, os desfiles na Sapucaí poderão ocorrer em julho se houver recursos e condições sanitárias. Já para os anos seguintes, haverá um encontro com as escolas de samba para determinar o que é necessário para a festa. Esse encontro acontecerá em data ainda a ser definida.

Já a RioTur disse que ainda não vai se posicionar sobre o decreto.

Parlamentar destaca que lei visa à chegada de turistas

De acordo com o autor da lei, o deputado estadual Dionísio Lins (PP), a segunda quinzena do mês de julho coincide com férias escolares praticamente em todo o país, o que atrairia o interesse de turistas em desembarcar na folia nas diferentes cidades do estado. Além disso, a festa poderia entrar no calendário nacional, assim como em outros estados que já possuem carnavais fora de época como atração.

O evento ainda não tem data estabelecida para ocorrer, além de detalhes de logística de segurança e medidas sanitárias. Ainda será levantado quanto geraria de retorno em turismo para o Estado.

O novo projeto de lei não tem nada a ver com o carnaval que pode acontecer este ano em julho, devido a pandemia do Covid-19. As datas prévias já foram definidas e a ordem dos desfiles das escolas de samba. Mas o evento só irá ocorrer, como garantiu os organizadores, caso a população esteja vacinada. Ainda precisa também ser votado em Brasília um feriado apenas para o evento de julho de 2021.

Em fevereiro, mês em que habitualmente se celebra o carnaval, já foi definido que a festa não acontecerá nas seguintes cidades: Belo Horizonte, Florianópolis, São Paulo, Salvador, Recife e Rio de Janeiro.

Em nota, o Governo do Estado esclarece que a lei possibilita a realização do evento, mas que, no caso deste ano, irá seguir as recomendações das autoridades sanitárias. “A iniciativa tem como objetivo estimular o turismo no Estado, fortalecendo a economia e a geração de empregos. Além disso, a alteração da lei permite que a Secretaria de Estado de Cultura apoie o maior evento cultural do Rio, em diálogo com representantes de escolas de samba e blocos”.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Kkkkk depois da vacinação vai ter evento com força, e a desculpa é que o povo já foi imunizado

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Jogador do Botafogo Marcinho é suspeito de atropelar casal de professores no Recreio, no Rio; homem morreu na hora

 Foto: Divulgação/Botafogo

O jogador do Botafogo Márcio Almeida de Oliveira, o Marcinho, é apontado pela polícia como suspeito de ter atropelado um casal no Recreio, na Zona Oeste do Rio, na noite de quarta-feira (30). A informação foi publicada pela Época e confirmada pelo G1.

Os professores Maria Cristina José Soares e Alexandre Silva de Lima atravessavam a Avenida Sernambetiba, na altura do número 17.170 quando foram atingidos pelo carro, modelo Mini Cooper. O motorista fugiu sem prestar socorros.

O delegado Allan Luxardo, titular da 42ª DP (Recreio), disse ao G1 que as investigações estão em andamento e que há evidências de que Marcinho conduzia o veículo no momento do acidente.

O jogador ainda não foi encontrado e o carro foi apreendido para perícia.

Alexandre Lima da Silva morreu na hora. Segundo a polícia, o carro envolvido no acidente foi abandonado em uma avenida, metros depois. O motorista fugiu e ainda não foi localizado pela polícia.

A mulher atropelada foi operada e está internada no hospital Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca.

Em nota, o Diretório Central dos Estudantes do CEFET/RJ lamentou a morte do professor.

“Tivemos a oportunidade de conhecer o professor Alexandre para solucionar alguns problemas, e ele se mostrou muito solícito e comunicativo conosco. Uma pessoa de qualidade ímpar. Um ótimo professor. Estamos de luto e perplexos com o acontecimento, e prestamos solidariedade e recuperação à sua esposa, e aos familiares e amigos, nossos sentimentos nesse momento. Que ele descanse em paz e será sempre lembrado como parte da história do CEFET!”, dizia a nota.

G1

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Réveillon no Rio: prefeitura decide fechar toda a orla para evitar aglomerações

Vista aérea das praias de Copacabana e Leme, tradicional palco da festa de réveillon mais famosa do mundo, que foi cancelada por causa da pandemia do coronavírus — Foto: Leonardo Ferreira/Arquivo pessoal

A Prefeitura do Rio decidiu estender para toda a orla da cidade os bloqueios na noite do réveillon, de quinta (31) para sexta-feira (1º). As medidas já previstas para Copacabana agora valerão para as praias da Zona Sul e até o Recreio.

Na semana passada, o prefeito em exercício do Rio, vereador Jorge Felippe (DEM), determinou o fechamento dos acessos a Copacabana, tradicional palco da festa da virada, que foi cancelada, e proibiu a queima de fogos e equipamentos de som na orla.

Veja o que será proibido na noite da virada:

Acesso à praia para quem não mora no bairro

Estacionamento na orla e ruas do entorno

Festas e equipamento de som

Queima de fogos

Barraqueiros em pontos fixos

Circulação de ônibus, micro-ônibus e vans de fretamento

As medidas foram tomadas após o aumento do número de casos e mortes por Covid-19 nas últimas semanas no Rio de Janeiro. Já foram registradas quase 25 mil mortes pela doença no estado, mais da metade na capital.

O Blog apurou que, a fim de evitar aglomerações na virada, ao longo das praias serão montadas barricadas em pontos-chave, como o Cebolão da Barra da Tijuca. A ideia é que apenas moradores possam ir às areias do respectivo bairro.

Mais detalhes sobre as restrições serão dados em entrevista coletiva prevista para o fim da tarde desta segunda.

Também dentro desse pacote de restrições, o metrô anunciou nesta segunda-feira que no dia 31 as linhas vão parar de circular às 20h. É a primeira vez, desde 1998 — quando o metrô chegou a Copacabana —, que não haverá operação na virada.

Na última quarta-feira (23), Felippe já havia adiantado algumas das medidas restritivas, que incluem, além do bloqueio de Copacabana, a proibição de estacionamento de veículo na orla e ruas do entorno, o bloqueio do transporte público para acesso a Copacabana e a proibição de festas privadas tanto no calçadão quanto na areia.

Um decreto com todas as medidas restritivas seria publicado nesta segunda-feira (28). Entre elas, destacam-se:

A queima de fogos ficará proibida em toda a orla da cidade desde as 0h do dia 30 de dezembro até as 7h do dia 1º de janeiro. Nem mesmo a rede hoteleira poderá acionar fogos de artifício;

O uso de equipamentos de som será proibido em toda a extensão da orla a partir da 0h do dia 31 até as 6h do dia 1º;

O trabalho dos ambulantes também será restringido. A permanência de barraqueiro em ponto fixo, tanto na areia da praia quanto no calçadão, ficará proibida das 0h do dia 31 às 6h do dia 1º;

Ônibus, micro-ônibus e vans de fretamento não poderão entrar na cidade do Rio de Janeiro a partir do primeiro minuto do dia 31 até as 6h do dia 1º.

As festas públicas de réveillon em Copacabana já tinham sido canceladas pelo prefeito Marcelo Crivella. As festas em quiosques também estão canceladas.

Os quiosques, entretanto, estão autorizados a funcionar como vêm operando desde a reabertura, em julho, “com quantidade reduzida de mesas, distanciamento de 1,5 m entre elas, e seguindo todos os protocolos de segurança e higiene”, segundo a concessionária Orla Rio.

Prefeito até 31 de dezembro

Jorge Felippe é presidente da Câmara dos Vereadores e assumiu a prefeitura após a prisão e afastamento de Marcelo Crivella (Republicanos). Fernando Mac Dowell, que era o vice de Crivella, morreu em 2018.

G1

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Nova linhagem com mutação do vírus da Covid-19 é descoberta no Rio

Movimentação intensa no Saara, no Centro do Rio, no último fim de semana antes do Natal para compras de fim de ano Foto: Gabriel Monteiro / Agência O Globo 21-12-2020

Cientistas descobriram no estado do Rio de Janeiro uma nova linhagem do coronavírus. Ela derivou da B.1.1.28, a linhagem que já estava em circulação no Brasil desde o início do ano. O estudo não indica que a nova cepa seja mais transmissível ou agressiva, apenas relata sua descoberta. Como para as demais linhagens do Sars-CoV-2, tampouco há indícios de que esta possa reduzir a eficácia das vacinas que começam a chegar no mundo, frisam os pesquisadores.

Ela foi identificada por meio de sequenciamento genético. Amostras de 180 genomas do Sars-CoV-2 em circulação no estado do Rio de Janeiro foram sequenciadas pelo Laboratório de Bioinformática do Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC), em Petrópolis, sob coordenação de Ana Tereza Vasconcelos.

Dos 180 genomas, 38 tinham mutações que indicam se tratar de uma nova linhagem, explica Vasconcelos. Sessenta por cento dos genomas são do município do Rio de Janeiro.

A análise dos dados foi realizada em conjunto com o Laboratório de Virologia Molecular da UFRJ entre outras instituições. O trabalho é parte da Rede Coronaômica, do MCTI, e da Rede Fluminense de Ômicas, apoiada pela Faperj. O trabalho foi publicado no site do LNCC e submetido ao medRxiv.

O Globo

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Presidente da Câmara do Rio assumirá prefeitura do Rio interinamente

Foto: Marcos de Paula 22-12-2017 / Agência O Globo

Com a prisão do prefeito do Rio, Marcelo Crivella (Republicanos), o presidente da Câmara de Vereadores do Rio, Jorge Felippe (DEM), assumirá interinamente a prefeitura do Rio. O vice-prefeito Fernando Mac Dowell morreu em maio de 2018.

O vereador Jorge Felippe está em seu sétimo mandato na Câmara do Rio. É o atual presidente da Câmara Municipal do Rio de Janeiro pela oitava vez consecutiva.

Crivella (Republicanos) foi preso na manhã desta terça-feira. O político era investigado em um inquérito que ficou conhecido como o QG da Propina — um esquema de corrupção que acontecia dentro da prefeitura. Além de Crivella foram presos Rafael Alves, homem de confiança do prefeito e apontado como operador do esquema, e o delegado aposentado Fernando Moraes.

O próximo na linha sucessória da Prefeitura do Rio seria o vice-prefeito, Mac Dowell, eleito na chapa de Crivella em 2016. Ele faleceu aos 72 anos, devido a complicações decorrentes de um infarto agudo do miocárdio. Ele dera entrada na unidade no dia 13 de maio de 2018 e chegou a passar por uma angioplastia coronariana de emergência, mas não resistiu.

‘QG da propina’

Crivella foi preso a três dias do Natal e a nove do fim de seu mandato. O político era investigado em um inquérito que ficou conhecido como o QG da Propina — um esquema de corrupção que acontecia dentro da prefeitura.

Revelada com exclusividade pelo GLOBO em dezembro, a investigação QG da Propina teve como alvo o governo Crivella e está baseada na colaboração premiada do doleiro Sérgio Mizrahy, preso pela operação Câmbio, Desligo no ano passado.

Na delação, homologada pelo Tribunal de Justiça do Rio, Mizrahy se referiu a um “QG da propina” dentro da Riotur e apontou Rafael Alves, homem de confiança do prefeito, como operador do suposto esquema.

O Globo

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *