Esporte

TRF determina retorno do lockdown no DF e afeta Supercopa, Recopa e Libertadores

Estádio Mané Garrincha — Foto: Lucas Magalhães

O Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) derrubou, no início da tarde desta quinta-feira, a decisão que suspendia o retorno do lockdown no Distrito Federal. Com isso, volta a valer a determinação que proíbe atividades consideradas não essenciais, como a realização de eventos esportivos. O governador do DF, Ibaneis Rocha, disse que vai recorrer.

Na programação para os próximos dias, três grandes jogos estão marcados para o estádio Mané Garrincha: a Supercopa do Brasil, neste domingo, entre Flamengo e Palmeiras; Santos e San Lorenzo, na terça (13), pela pré-Libertadores; e Palmeiras e Defensa y Justicia, na quarta (14), pelo jogo de volta da Recopa Sul-Americana.

As chegadas de Flamengo e Palmeiras a Brasília para a disputa da Supercopa estão previstas para esta sexta.

Procurada pelo ge sobre a realização da Supercopa, a CBF informou que não vai se manifestar neste momento. O Flamengo disse que vai manter a programação e que confia na reversão da decisão. Já o Palmeiras ainda não se manifestou.

No entendimento do desembargador Souza Prudente, a situação da pandemia que serviu de base para o lockdown – decretado em março – ainda não sofreu qualquer redução.

“(…) há uma escalada no risco de iminente colapso do serviço de saúde público e privado no DF, não se justificando, dessa maneira, o relaxamento de tais medidas, enquanto não reduzidos os índices de contaminação e de capacidade de atendimento e tratamento às enfermidades decorrentes do contágio do coronavírus”, argumentou Prudente, em um trecho da decisão.

Até quarta-feira, o DF registra 6.532 óbitos pela Covid-19. O índice de ocupação de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) na rede pública está em 98%. Na rede privada, 98,12% das vagas estão ocupadas.

Entenda o caso

Durante o mês de março, o DF entrou no sistema de lockdown, com a proibição de funcionamento de atividades consideradas não essenciais, com os eventos esportivos.

O retorno dessas atividades estava marcado para o dia 29 de março. Porém, uma liminar proferida na no dia 30 pela juíza Kátia Balbino de Carvalho Ferreira determinou que o Governo do Distrito Federal retornasse com as medidas restritivas a partir do dia 1º de abril. O GDF recorreu da decisão e conseguiu derrubar a liminar no dia 31 de março.

Agora, essa liminar foi derrubada pelo TRF-1, e o lockdown que ocorreu durante o mês de março volta a valer.

Globo Esporte

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Governador do DF quer na disputa da Supercopa entre Flamengo e Palmeiras, dia 11 de abril, no Mané Garrincha, público de até 7 mil vacinados

Foto: Felipe Schimdt

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, afirmou que a Supercopa 2021, entre Flamengo e Palmeiras, será realizada no estádio Mané Garrincha – jogo marcado para o dia 11 de abril. O governador também confirmou que o plano é que a disputa entre os campeões do Brasileirão e da Copa do Brasil seja a primeira partida com público no DF desde o início da pandemia: a ideia é que profissionais de saúde vacinados possam assistir ao jogo das arquibancadas.

Questionado nesta quinta-feira sobre o assunto, o governador Ibaneis Rocha foi enfático na resposta.

– Vamos fazer – afirmou, Ibaneis.

A questão ainda é tratada com cautela nos bastidores, mas a ideia do governo do Distrito Federal, em conjunto com a CBF, é adotar em Brasília modelo semelhante ao utilizado na última edição do Super Bowl – a decisão da NFL (Liga de Futebol Americano dos Estados Unidos). Na partida, disputada no dia 7 de fevereiro, cerca de 7.500 profissionais de saúde vacinados contra a Covid-19 puderam ir ao estádio na região de Tampa, na Flórida.

Para a Supercopa no Mané Garrincha, a proposta confirmada pelo governador seria ter público de 10% da capacidade do estádio: cerca de 7 mil pessoas. Os ingressos seriam entregues pela CBF aos profissionais de saúde de Brasília como forma de agradecimento ao empenho durante o combate à pandemia.

Ainda não se sabe, entretanto, como seria feita a distribuição das entradas. A única obrigatoriedade é que os profissionais já tenham recebido as duas doses da vacina contra a Covid-19 e cumprido o período necessário para a imunização.

O Mané Garrincha é o estádio preferido da CBF para a realização da Supercopa deste ano, mas o local da disputa ainda não foi confirmado pela Confederação. A CBF também ainda não se pronunciou sobre a possibilidade de público vacinado.

Caso o plano se confirme, será a segunda vez que Brasília receberá a Supercopa. No ano passado, o Flamengo venceu o Athletico-PR por 3 a 0 no Mané Garrincha. A partida foi um mês antes do início da pandemia e contou com público de quase 50 mil pessoas.

O controle da pandemia no DF

Partidas de futebol estão proibidas no Distrito Federal desde o último dia 28 de fevereiro – parte do decreto publicado pelo governo local para tentar frear os avanços da pandemia. Após um mês de restrições, o decreto mais recente do GDF libera o retorno de atividades não essenciais a partir da próxima segunda-feira (29 de março), entre elas, o futebol profissional.

Os números da pandemia no DF ainda são preocupantes: a estimativa é de mais de 90% de ocupação nos leitos de UTI. No entanto, o governo entende que a reabertura gradual a partir da próxima segunda-feira será possível por causa da redução na taxa de transmissão do vírus na cidade: baixou de 1,38 no início de março para 0,95 na última semana.

Globo Esporte

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Conmebol nega boatos sobre recriação de Supercopa dos Campeões da Libertadores

Reprodução: Twitter

É mentira que a Conmebol tenha confirmado a recriação da Supercopa dos Campeões da Libertadores. O boato circulou nesta quinta-feira pelas redes sociais, mas foi desmentido pela própria entidade.

A Conmebol de fato tem um planto para recriar o torneio, para usá-lo como classificatório para o Mundial de Clubes de 2021. Mas há incontáveis obstáculos, internos e externos, até conseguir tirar a ideia do papel — algo que, hoje, está muito longe de acontecer. Sobretudo por dois motivos:

A Fifa ainda não oficializou quantas vagas cada confederação continental terá no torneio. Tudo indica que a América do Sul terá seis, mas isso não foi oficializado ainda.

A CBF, mais poderosa e fica das 10 associações nacionais filiadas à Conmebol, é frontalmente contra a ideia, por entender que um novo torneio prejudicaria ainda mais o já inchado calendário do futebol brasileiro.

Extraoficialmente a Conmebol confirma que os campeões da Copa Sul-Americana e da Copa Libertadores de 2019 e 2020 já estão classificados para o Mundial de Clubes de 2021, que será disputado entre junho e julho de 2021 na China

Em Lima, inclusive, as placas em torno do gramado do Monumental parabenizavam o Flamengo pela classificação ao Mundial, assim como o placar eletrônico depois da final da Copa Sul-Americana vencida pelo Independiente del Valle.

Globo Esporte

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *