Advogado e pastor Wesley Roberto de Carvalho morre aos 41 anos

Foto: Reprodução/Montagem/Instagram/Juliana Celli

Com pesar, o Blog comunica nesta terça-feira(13) a morte do advogado e pastor Wesley Roberto de Carvalho, de 41 anos, após uma queda do 15º andar do prédio que morava.

Querido na comunidade evangélica, Wesley teve grande destaque ajudando diversos fiéis e necessitados nesses tempos de pandemia.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ivanilda Cardoso Mota disse:

    Minha amada irmã Juliana. Talvez os dias não estejam fáceis… saiba que Jesus quer trazer PAZ ao seu 💙, estou triste, chocada, sem entender, mais estamos orando por vocês.
    Ivanilda IBZS

  2. Sergio disse:

    Fim dos tempos. Ainda virá muita coisa. Sigamos firmes e amparemos os seus…

  3. Marcus disse:

    Pastor Wesley cuidava de pessoas, sem redes sociais e aparatos tecnológicos!!!

  4. Pepe disse:

    Grande pastor,grande perda,que DEUS conforte a sua familia e os mais proximos,muito triste,era um homem de DEUS

  5. Irmã. disse:

    Estou sem crer!
    Como…?
    estava depressivo? Ou foi acidente?

  6. Karla disse:

    Meu Jesus!!! Os cultos dos pastor Wesley, as pregações que tocavam a alma e as palavras sábias de um servo de Deus. Sem acreditar!!!
    Deus amado, conforte a família, o filhinho, a esposa em nome de Jesus 🙏🙏

  7. Rodrigo disse:

    Deus tenha misericórdia desse Servo que tanto bem fez aos que buscavam conforto nas pregações dele.

  8. Ramilson Raniere disse:

    Que jesus conforte toda sua família,e amigos.

  9. Fátima Alves disse:

    Estou arrasada com esta notícia, pois eu gostava muito do pastor Wesley e amava suas pregações. Deus conforte a família…

  10. Théo disse:

    Que Deus o receba na sua nova vida! Notícia que me deixou muito triste. Era um excelente ser humano!

Reginaldo Leme deixa Globo após 41 anos e não comenta GP de Abu Dhabi

(Foto: Duda Bairros/Stock Car)

Reginaldo Leme não vai seguir nos comentários das corridas da Fórmula 1 na TV Globo. Desde 1978 na casa, o jornalista deixa a emissora antes mesmo do fim da atual temporada, tendo feito a despedida da F1 no GP do Brasil e, das transmissões, na etapa de Goiânia da Stock Car, realizada no último final de semana.

Leme enviou um e-mail em tom de agradecimento e lamentação para a redação de esportes da Globo nesta terça-feira (26) e revelou que sequer vai participar da transmissão do GP de Abu Dhabi. A informação é do site Yahoo Esportes, confirmada pelo GRANDE PRÊMIO.

O GP apurou que Reginaldo estava descontente com as mudanças de caráter trabalhista que o Grupo Globo tem aplicado a seus funcionários. O primeiro contrato do jornalista era com registro e carteira assinada (CLT); depois, foi modificado para PJ, em que o profissional emite uma nota fiscal para recebimento dos provimentos sem ter todos os benefícios; de uns tempos para cá, a emissora resolveu retornar ao regime CLT. Leme era um dos únicos que não havia aceitado a mudança.

Ao GP, Leme negou a informação e disse que ainda está em processo de negociação com a Globo. Questionado sobre a mensagem que enviou à redação, retrucou. “É mentira. Mandei esse e-mail para quem?”, tornou a dizer. Quatro fontes, da emissora e familiares ao caso, confirmaram, no entanto, a existência do correio eletrônico.

Reginaldo foi parceiro de Galvão Bueno por muitos anos e, mesmo na ausência do narrador, seguia como titular das transmissões ao lado de Luciano Burti e, na Stock Car, com Sergio Maurício e Felipe Giaffone.

A trajetória de Leme na cobertura de F1 começa ainda na década de 1970. Mais precisamente em 1972, quando cobriu um Grande Prêmio pela primeira vez, trabalhando para o ‘Estado de São Paulo’. A passagem pela TV Globo, por sua vez, começou seis anos depois, em 1978. Foi através da emissora carioca que o jornalista se consolidou como grande referência na cobertura de automobilismo no Brasil.

A chegada do narrador Galvão Bueno às transmissões de F1 da Globo, em 1981, formou uma dupla das mais icônicas. Os dois, lado a lado, cobriram títulos de Nelson Piquet e Ayrton Senna, nos anos dourados do Brasil no automobilismo mundial.

Os mais de 40 anos de envolvimento com a F1 colocaram Leme em uma posição privilegiada. O jornalista já cobriu mais de 500 GPs, sendo recentemente homenagem pela própria categoria. Reginaldo, entretanto, teve o azar de não participar da cobertura do 1000º GP, o da China de 2019, por conta de problemas de saúde.

O ‘furo’ do ‘Singapuragate’, escândalo em que Nelsinho Piquet bateu de propósito no GP de Singapura de 2008 para atender pedido da Renault, pode ser considerado o ponto alto da carreira de Leme. O jornalista foi o primeiro a divulgar que o brasileiro agiu de má fé, abrindo investigações daquele que se consolidaria como um dos maiores escândalos da história da F1.

Com a saída de Leme, a tendência é que a Globo coloque Felipe Giaffone ao lado de Luciano Burti para comentar o GP de Abu Dhabi.

Em nota, a Globo confirmou que o jornalista “não faz mais parte” de seu quadro de funcionários.

Grande Prêmio

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Andinho disse:

    O último a sair, apague a luz!!! Eita que o negócio está feio por lá, parece que sem verba pública a potência não aguenta.

  2. Zanoni disse:

    Ah ladrão! Enganou a este que vos fala, mas acordei cedo.

  3. Jucar. Pau de da em doido disse:

    Kkkkkkkkkkkkkk
    A muito pouco tempo atrás, se brigava pra entrar na platinada, agora estão pedindo pra sair, só pode ser brincadeira uma coisa dessas.
    Olhe!!
    Bem empregado, quem mandou trabalharem errado, o povo estar percebendo a putaria nas novelas e a tentativa de derrubar o presidente com menos de um ano de mandato, só pra agarrar nas tetonas, se bem que diminuíram os ataques a Bolsonaro e o governo.
    BG!!
    Nesse nosso Nordeste véi sofrido, eu ja tinha visto o caba amansador de burro brabo, touro brabo, cavalo brabo, côrno, o satanás de rabo
    Agora, amansador de TELEVISÃO, foi a primeira vez. kkkkkkkkkk
    Ou seja o presidente Jair Bolsonaro é diferente papai.
    É um MITO sem dúvida nenhuma. É ou não é moçada??
    Kkkk