Petroleiros do RN anunciam venda em Natal de botijão de gás(limitada) por R$ 40, na manhã desta sexta-feira, em frente à sede da Petrobras

Foto: Arquivo

O Sindicato dos Petroleiros do Rio Grande do Norte anunciou a venda de botijão de gás (unidades limitadas*) por R$ 40, o equivalente à metade do preço cobrado atualmente. A ação será realizada na manhã da sexta-feira (14), em frente à sede da Petrobras em Natal, no bairro de Cidade da Esperança. A iniciativa vem sendo realizada em outros estados com sucesso. O objetivo é explicar à população as razões da greve da categoria iniciada em 1º de fevereiro. O movimento já paralisou 91 unidades de 13 estados do país.

A pauta local inclui entre as reivindicações a retomada dos investimentos da Petrobras para recuperar a produção e a capacidade de refino de petróleo e gás no Rio Grande do Norte. O Estado potiguar, que já foi o segundo maior produtor de petróleo no Brasil e teve pico de 110 mil barris por dia, hoje produz em torno de 36 mil.

“Os petroleiros inauguram uma inédita reivindicação que é ampliar a produção das unidades da Petrobras”, afirma o coordenador geral do Sindipetro-RN, Ivis Corsino.

O movimento também luta para reverter em nível nacional o desmonte da estatal e as transferências de trabalhadores em todo Sistema Petrobrás.

Anúncios

No Rio Grande do Norte, onde o setor respondeu, em 2018, por 45% do Produto Interno Bruto (PIB) industrial e contribuiu com R$ 437 milhões em royalties para o Estado e 97 municípios, as mobilizações atingem o campo terrestre do Alto do Rodrigues, o polo industrial de Guamaré e a base administrativa de Mossoró. Segundo o Sindipetro-RN, diariamente estão sendo realizadas atividades para manter a categoria organizada, alertar a população sobre os prejuízos causados pela política de privatização da Petrobras e conquistar o apoio da sociedade potiguar à greve.

Entre as atividades realizadas nos últimos dias para mobilizar os trabalhadores e esclarecer a população estão assembleias, controle do fluxo de carros nas rodovias a exemplo da ação do dia 7 de fevereiro na estrada do óleo (que escoa parte da produção no Estado), formação de comissão de trabalho para avaliar a segurança das atividades e o atraso de embarque para atualização do quadro nacional.

Além da suspensão das demissões em massa e o cumprimento do Acordo Coletivo de Trabalho, os trabalhadores querem mudança na política de preços da Petrobras, que passou a acompanhar o valor internacional do barril do petróleo, e colocar freio na política econômica de privatização do governo de Jair Bolsonaro.

Com informações do SindIpetro-RN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Chico disse:

    Apareceu o Bento defensor ferrenho do governo e do Clã minios!

  2. Ivan disse:

    O medo da privatização e fim da mamata estatal faz os parasitas se mexerem…como, o de sempre, greve…parasita só sabem paralisar…nisso eles são bons!!!!!

  3. Paulo disse:

    BG
    Já tem autorização da SET(secretaria Estadual de tributação) para emitir nota fiscal da venda do gás???????

  4. Marcelo disse:

    Muita ignorância achar que meros funcionários sabiam que a Petrobras estava sendo roubada, são tão vítimas, quanto a Petrobras e a sociedade. Se alguém com Luciana Morais Gama e Antonio Barbosa Santos, sabiam, porque não denunciaram ao Ministério público? Saibam que é crime, saber de um crime contra a União e não denunciar.

  5. Antonio Barbosa Santos disse:

    Interessante esse ato.
    Faço duas observações:
    1 – na época do Petrolão, estavam bem caladinhos, pianinho, mansos, sonolentos, porque será? Porque não vimos, como protesto, nenhum ato como esse que estão divulgando? Pq?
    2 – vá eu inventar de vender gás de cozinha em qualquer lugar, de qualquer jeito, para ver se o Procon, não bate em cima, se o MP não bate em cima, se a PM não bate em cima, Delegacia do Consumidor chega com tudo, e eu levo uma multa de cada um desses Órgãos. Então, será que eles todos vão fingir que nada acontece?

  6. Luciana Morais Gama disse:

    O que até hoje não entendi foi o silêncio do SINDIPETRO quando os PTralhas roubavam a Petrobras, e nem assim deram um pio para preservar a então maior empresa do Brasil. A Petrobras quase quebrou….

    • Minion disse:

      Acho bonito a Srta minion acreditar nessa conversa que a Petrobrás quase quebrou!! Conversa para minios dormi!!! A Petrobrás nunca deixou de lucrar nem tão pouco de quebrar! Tá conversando e besteira, vá se informa pare de ver as lives e postagens do Clã bolzonaro!!

    • Bento disse:

      Tanto é prova de que sabiam e ficavam pianinhos que os seus defensores aqui vem aqui com nomes faikes rebater a verdade de quem quer ver um Brasil melhor.
      São mentirosos, levianos e cúmplices do líder de chiqueiro

Pais de jovem morta após explosão de botijão de gás em feira livre de Natal em 2011 serão indenizados em R$ 200 mil

O juiz Cícero Martins de Macedo Filho, da 4ª Vara da Fazenda Pública de Natal, condenou o Município de Natal a pagar a um casal, a título de dano moral, o valor de R$ 200 mil, acrescidos de juros de mora e correção monetária, em virtude da morte da sua filha decorrente da explosão de um botijão de gás em uma barraca de uma feira livre de Natal, no ano de 2011.

O magistrado condenou ainda o Município de Natal a pagar aos autores a título de dano material uma pensão mensal correspondente a 2/3 do salário mínimo a partir da data do evento, até a data em que a vítima completaria 25 anos, e a partir daí reduzindo-se para 1/3 até a data em que completaria 65 anos.

Para a efetivação do pagamento da pensão mensal, devem ser observados os valores do salário mínimo de cada ano, reajustando-se sempre, observando-se os terços fixados, quando ocorrer alteração do seu valor, devendo incidir juros moratórios a partir da data do evento, assim como a correção monetária.

Os autores promovem a ação de indenização por danos materiais e morais contra o Município de Natal, afirmando que na manhã do dia 24 de julho de 2011 a filha dos autores, com 18 anos de idade, dirigiu-se à feira livre do bairro de Cidade da Esperança, acompanhada do seu namorado.

Ao transitar pela feira, mantida pelo Município, a jovem foi surpreendida com a explosão de um botijão de gás em uma barraca de tapioca, acidente que deixou 19 pessoas feridas, entre elas a filha dos autores, com queimaduras de 2º grau em pelo menos 70% do corpo.

O casal afirmou que após o acidente a jovem teve que iniciar verdadeiro calvário em hospitais, no entanto ela veio a falecer em 20 de setembro de 2011, após passar dois meses de intenso sofrimento em vários estabelecimentos hospitalares.

Sofrimento

Os pais sustentam que o sofrimento e morte da jovem somente ocorreram em razão da negligência do ente público em permitir o funcionamento de bancas sem a observância das regras mínimas de segurança, deixando de exercer seu papel poder de polícia nas feiras livres.

Para eles, caso existisse fiscalização efetiva por parte do Município jamais o acidente teria ocorrido, pois foi causado pela explosão de um botijão de gás que superaqueceu e que sequer possuía válvula de alívio para situações de superaquecimento, conforme declarou o Corpo de Bombeiros.

Nos fundamentos jurídicos que utilizaram para defender o seu direito, invocaram o disposto no § 6º do art. 37, da Constituição Federal, e entendem presentes, no caso, a omissão do ente público, o dano, o nexo de causalidade e a culpa.

Mencionaram doutrina para sustentar que o nexo causal e a conduta omissiva do agente se revelam pela falha da prestação de serviço de fiscalizar as feiras livres e impedir que os feirantes utilizem objetos que possam colocar em risco o ambiente.

Argumentaram que a autorização para explorar a atividade das feiras livres bem como a sua fiscalização é atribuição do Município de Natal, e para tanto os feirantes recolhem taxas de licença, fundada no poder de polícias assegurado pelo art. 145, II, CF.

Dever de indenizar

Asseguraram os pais da jovem que os fatos narrados revelam o dano decorrente da dor e sofrimento experimentado pelos autores, bem como o nexo causal entre a conduta do preposto do ente público e o dever de indenizar.

Segundo o juiz, pelas provas constantes dos autos, especialmente os documentos juntados ao processo, não há dúvida de que a jovem faleceu em razão dos ferimentos (queimaduras) sofridos em decorrência da explosão do botijão de gás que ocorreu na feira livre da Cidade da Esperança.

Para ele, é possível se afirmar que a explosão poderia ter sido evitada se tivesse havido uma fiscalização efetiva por parte do ente público. “Não há como afastar a responsabilidade do ente público no evento, em razão da omissão do dever de fiscalizar”, comentou.

“Resta evidente que esse dever de fiscalização, imposto por lei, não foi cumprido satisfatoriamente. A observância mais rigorosa desse dever poderia ter evitado a tragédia. A omissão na fiscalização criou, portanto, um risco de ocorrência de um resultado danoso, como de fato aconteceu”, decidiu.

Processo nº 0801367-40.2013.8.20.0001
TJRN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Manoel disse:

    Chegar no TJ eles baixam para 2 mil.

FOTOS: Vazamento de botijão de gás em Caicó provoca incêndio em residência

GEDC3491Um incêndio de proporções graves foi registrado pelo Corpo de Bombeiros por volta de 09h20 desta quinta-feira (03), em uma residência localizada na Rua Siloé Capuxu, no Bairro Barra Nova, na Zona Oeste da cidade de Caicó. De acordo com informações, o incêndio aconteceu na residência de Maria Áurea de Sousa e foi provocado por um vazamento em um botijão de gás que a dona da residência colocou em um pequeno fogão de uma boca.

Segundo o blogueiro Eduardo Dantas, a vítima disse que a mangueira do botijão não estava bem conectada no fogão e acabou ocasionando o incêndio no momento em que ligou o fogão para preparar uma alimentação. Ao perceber o incêndio, a dona de casa ainda tentou apagar e ao ver que não conseguiria saiu do local e acionou o Corpo de Bombeiros, que estava nas proximidades da Ponte Nova, e rapidamente chegou ao local e conseguiu controlar as chamas.

 totalMesmo com a rapidez dos bombeiros, o fogo ainda destruiu vários objetos que estavam na área de serviço e na cozinha. A parte de madeira do teto da área serviço, da cozinha de um quarto também foram destruídos pelo fogo.

 O forro do quarto e da cozinha também teve que ser derrubado pelos bombeiros para evitar que o fogo se alastrasse pela madeira da cobertura da residência.

Informações e fotos: Eduardo Dantas

Vejam as imagens da explosão do Botijão de Gás na Cidade da Esperança

Tribuna do Norte:

A câmera de segurança de uma residência localizada na rua da Feira da Cidade da Esperança registrou o momento da explosão. A casa fica a cerca de 50m da feira.

Segundo o material da filmagem, a explosão ocorreu às 10h30 deste domingo (24). As imagens mostram que após o incidente houve correria dos frequentadores da feira.

Explosão Cidade da Esperança: 11 vítimas permanecem no Walfredo Gurgel

Onze vítimas da explosão ocorrida na Feira da Cidade da Esperança neste domingo (25) foram operadas no Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel. Das 11, quatro apresentam um quadro mais grave.

A explosão foi provocada por um botijão de gás. Das pessoas atingidas pelo acidente, 19 foram encaminhadas ao hospital. As que apresentavam queimaduras mais leves foram atendidas e, em seguida, liberadas.

*Informações da Tribuna do Norte