Ebserh: concurso nacional abre vagas para hospitais da UFRN; médicos especialistas, profissionais da área assistencial e administrativas

A Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), estatal vinculada ao Ministério da Educação, publicou no Diário Oficial da União dessa segunda-feira (12) chamamento público visando a contratação de 1.363 profissionais para 40 hospitais universitários federais no país, incluindo as três unidades da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN): o Hospital Universitário Onofre Lopes, a Maternidade Escola Januário Cicco, ambos em Natal, e o Hospital Universitário Ana Bezerra, localizado no município de Santa Cruz.

Acesse AQUI o chamamento público.

O projeto básico do concurso nacional contemplará 40 unidades em todo o país, incluindo hospitais, complexos hospitalares e a sede da Ebserh. São previstas 448 vagas para médicos de 69 especialidades, 800 vagas para profissionais da área assistencial e 115 administrativos.

Nesta etapa de chamamento público, os números podem variar em 25% para acréscimos ou supressões. Os candidatos passarão por duas etapas de seleção: prova objetivo e análise de títulos e de experiência profissional. A Ebserh receberá propostas das empresas interessadas em organizar os concursos até o próximo dia 27 de agosto. O objetivo é que o edital seja publicado ainda neste semestre.

Com acréscimo de informações do G1

Governo firma parceria com EBSERH para uso de softwares na rede hospitalar do Estado

Ricardo Lagreca - GabineteO governador do Estado do Rio Grande do Norte, Robinson Faria, e o secretário de Estado da Saúde Pública (Sesap), médico Ricardo Lagreca, assinam termo de parceria, nesta quinta-feira, às 16h, na Governadoria, com o presidente da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), Newton Lima, para implantação e utilização na rede hospitalar do Estado, do Aplicativo de Gestão para Hospitais Universitários (AGHU) e do Painel de Controle do Sistema (SIG-EBSERH). A solenidade contará com a presença da reitora da Universidade Federal do RN (UFRN), Ângela Paiva, do superintendente do Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL), Stênio Gomes da Silveira e do diretor da Maternidade Januário Cicco, Kleber Morais.

De acordo com o secretário Ricardo Lagreca, a parceria com a EBSERH – que é um órgão que atua na gestão dos hospitais universitários no Brasil-, vai resultar em melhorias significativas para o atendimento dos usuários do Sistema Único de Saúde. “Essa nova ferramenta vai possibilitar a utilização de um sistema integrado de gestão hospitalar, a fim de garantir aos cidadãos um melhor acesso aos serviços de saúde”, disse Lagreca.

O desenvolvimento do AGHU iniciou em 2009, como parte integrante do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (REHUF), do Ministério da Educação, destinado à reestruturação e revitalização dos hospitais das universidades federais. O objetivo do aplicativo é apoiar a padronização das práticas assistenciais e administrativas dos Hospitais Universitários Federais.

No Onofre Lopes, por exemplo, a implantação de módulos do Sistema AGHU ajuda na regulação de medicamento, atendimento aos pacientes e controle do fluxo de materiais. A iniciativa traz diversos benefícios ao trabalho dos profissionais e atinge diretamente o atendimento. O Módulo de Farmácia, por exemplo, permite atividades de regulação, triagem, dispensação dos medicamentos. A parte de prescrição médica define as condutas que serão executadas por diversos profissionais da saúde, após a avaliação do paciente pelo médico. Já o módulo de estoque gerencia as movimentações dos suprimentos através do controle do fluxo de materiais, proporcionando um atendimento mais eficiente das solicitações e disponibilidade em tempo real acerca dos suprimentos da unidade.

Já o Sistema de Informações Gerenciais da Ebserh (SIG Ebserh) interage com o aplicativo, incorporando ferramentas, como, por exemplo, o histórico de exames no Painel do AGHU. A novidade vai permitir que os hospitais acompanhem a produção de exames, além da quantidade de agendamentos, cancelamentos e realizações que vem obtendo notório sucesso nos hospitais universitários.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. FRASQUEIRINO disse:

    Não existe almoço grátis! Podem se preparar que a cobrança do sistema vem a galope. Resta saber quem vai responder junto ao Tribunal de Contas do Estado para justificar o volume de recursos financeiros dispendidos pela Secretaria Estadual de Saúde, em gestões anteriores, pagos a uma empresa do Rio Grande do sul para informatizar toda a Rede de Hospitais do Estado do RN, cujos resultado foi pífio, ou seja, a maioria continua sem a informatização e consequentemente sem receberem o valor real através de repasse financeiro do Ministéro da Saúde pelos serviços realizados , justamente por falta desse controle via sistema de gestão hospitakar.

EBSERH realiza concurso para Hospitais Universitários do RN

Os hospitais vinculados às universidades federais do Rio Grande do Norte (UFRN) poderão contratar novos profissionais de diferentes especialidades. A autorização para a contratação, que será feita por meio de concursos públicos promovidos pela Empresa Brasileira de serviços Hospitalares (Ebserh), foi publicada por meio das portarias nº 27, nº 28 e nº 29, do dia 9 de setembro, do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, na edição desta terça-feira, 10, do Diário Oficial da União, seção 1, página 65.

As contratações permitirão a regularização de parte da força de trabalho que hoje atua nos hospitais com vínculos considerados irregulares pelos órgãos de controle. Além disso, possibilitarão a ampliação e a qualificação da oferta de serviços de saúde à população por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).

Com os novos postos de trabalho, os hospitais poderão reativar leitos hoje sem uso em decorrência da falta de recursos humanos. Levantamento da Ebserh aponta para a existência de aproximadamente mil leitos desativados — 10% do total existente nos 47 hospitais universitários que integram a rede federal.

A Maternidade Ana Bezerra, hoje com 186 funcionários, poderá contar com 480 profissionais. No caso do Hospital Universitário Onofre Lopes, o quadro de 1.324 profissionais poderá passar a 1.760. Já a Maternidade Escola Januário Cicco, atualmente com 596 colaboradores, poderá chegar a 782 funcionários. Parte dos funcionários em atividade nas três unidades tem vínculo a ser regularizado.

As contratações resultam de contrato de parceria firmado entre a Ebserh e as universidades às quais os hospitais estão vinculados. A recomposição do quadro de pessoal é uma das iniciativas do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf) e atende determinação dos órgãos de controle. A partir da autorização, a Ebserh e a superintendência de cada hospital definem os cargos necessários para, em seguida, publicar os editais de seleção.

Concursos – Além dos hospitais do Rio Grande do Norte, a Ebserh já realizou concurso público para o Hospital Universitário do Piauí e estão em andamento concursos para os hospitais universitários de Brasília (HUB) e da Universidade Federal do Maranhão (HUUFMA) e para o hospital de Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (HC/UFTM). Os profissionais admitidos nos concursos públicos serão contratados pela Ebserh sob o regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e farão jus aos planos de Cargos, Carreiras e Salários e de Benefícios da empresa.

Assessoria de Comunicação Social da Ebserh

SINTEST/RN entra com representação no Ministério Público contra Ebserh

protocoloebserhFoi protocolado na tarde dessa quarta-feira (11), na Procuradoria da República do Rio Grande do Norte, uma representação do SINTEST/RN contra a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH). O documento alega a inconstitucionalidade da Lei nº 12.550, de 15.12.11, que autorizou a criação da referida empresa.

Medida semelhante já foi tomada em âmbito nacional, por várias entidades em conjunto, entre as quais a Fasubra, quando no MPF foi interposta Ação Direta de Inconstitucionalidade com o viés de expurgar do ordenamento jurídico a Lei 12.550, de 15.12.2011, estando o processo em trâmite no STF sob o nº ADIn 400080095.

As argumentações do documento trabalham com a ideia de que “é flagrantemente ilegal a Lei instituidora da EBSERH, a qual já está sendo contestada no STF e, ainda, o contrato celebrado entre a UFRN e esta empresa, razão pela qual almejamos a atuação judicial cabível deste parquet in casu, de modo a buscar o equacionamento da questão por via judicial”.

Por fim, pede-se a implementação das medidas legais cabíveis, em especial a ação civil pública, com o fim de anular o contrato, já celebrado, entre a UFRN e EBSERH. A entrega da representação contou com a presença dos coordenadores Vânia Machado (geral) e Moisés Alves (jurídico), além do assessor jurídico, Dr. Carlos Alberto Marques.

Sintest-RN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. anonimo disse:

    Prezado BG,

    Só a título de informação a Associação dos Técnicos de Nível Superior da UFRN – ATENS-RN (Seção Sindical) tinha ajuizado 06 dias antes, dia 05/09/2013, uma representação junto ao MPF para que sejam suspensos os efeitos da assinatura do contrato celebrado entre a UFRN e a EBSERH, pelo menos até a decisão da ADI 4895.

    O sindicato da matéria dormiu no ponto, mas mostra pelo menos que ainda percebe o que acontece ao seu redor… por enquanto.

    Abaixo segue a nota da Presidente da ATENS-RN (Seção Sindical), Sra. Rosa Cavalcante, comunicando aos associados o feito.
    ____________________________________________________________
    Prezados TNS da UFRN,

    A ATENS-UFRN ajuizou, na última quinta-feira (05/09/2013), uma representação junto ao MPF para que sejam suspensos os efeitos da assinatura do contrato celebrado entre a UFRN e a EBSERH, pelo menos até a decisão da ADI 4895.

    Ocorre que através da ADI 4895 a Procuradoria Geral da Republica suscita a inconstitucionalidade da Lei nº 12.550/2011 que criou a EBSERH levando em consideração que a ADI 4895, encontra-se sob a relatoria do Ministro Dias Toffoli, estando sob o rito do art. 12 da Lei nº 9.868/99, a fim de que a decisão seja tomada em caráter abreviado e definitivo e desde o dia 01/08/2013 está concluso ao relato.