FOTOS: Polícia Federal usa drones para fiscalizar eleições 2020

Foto: Divulgação/PF

A Polícia Federal, com o objetivo de auxiliar na prevenção e repressão de crimes eleitorais, utilizará 100 Aeronaves Remotamente
Pilotadas (drones), em todo o território nacional nas Eleições 2020.

Os equipamentos serão alocados estrategicamente, sobrevoando zonas eleitorais e locais considerados de grande incidência de crimes eleitorais.

Ao flagrar uma situação suspeita, os operadores dos drones transmitirão as imagens à equipe mais próxima da Polícia Federal, que,
imediatamente, se deslocará ao local para realizar a abordagem e conduzir os envolvidos à unidade policial, para a formalização dos procedimentos.

Os drones que serão utilizados possuem tecnologia de ponta, sendo capazes de se tornarem imperceptíveis ao realizarem voo em elevada altitude, e de identificarem suspeitos, placas de veículos, entregas de santinhos e situações de compra de votos, capturando imagens de alta nitidez.

A ação inovadora é uma das metas da Direção Geral da Polícia Federal, que tem orientado a utilização de novas tecnologias na repressão de delitos, e representa mais um esforço da instituição em cumprir seu papel constitucional de polícia judiciária eleitoral, mostrando que está preparada para combater os crimes eleitorais, garantindo um pleito seguro para que os cidadãos possam exercer livremente seu direito de sufrágio, nos limites da legalidade.

No RN, a Superintendência da PF em Natal e a Delegacia em Mossoró têm realizado uma série de treinamentos e simulações com drones, para que as ações tenham êxito durante o pleito eleitoral que se avizinha.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Saulo disse:

    Usem em mãe Luíza e no mosquito para ajudar a prender os traficantes.

Projeto na Câmara Municipal de Natal quer fiscalizar uso privativo de bens públicos por particulares

Foto: Marcelo Barroso

Para fiscalizar a utilização dos bens públicos municipais, a Comissão de Legislação, Justiça e Redação Final da Câmara Municipal de Natal deu parecer favorável, nessa segunda-feira (12), a um projeto de lei apresentado pelo vereador Preto Aquino (Patriota) que dispõe sobre a obrigatoriedade da Prefeitura do Natal fornecer anualmente ao Legislativo natalense relatório contendo os bens públicos do município que estejam sendo utilizados por particulares.

“O intuito da lei é supervisionar o uso dos bens públicos, tendo em vista, principalmente, o interesse público e social que devem justificar a autorização de uso de tais bens, fundamentado pelo princípio da publicidade e da moralidade administrativa. A matéria, agora, segue para debate e votação no plenário da Casa”, explicou o vereador Preto Aquino.

Na sequência, foi acatado outro texto de autoria do vereador Preto Aquino sobre a obrigatoriedade de realizar o monitoramento contínuo da condição do solo e das águas subterrâneas dos cemitérios públicos da capital potiguar, com a finalidade de verificar a existência de contaminação do meio ambiente por necrochorume provenientes da decomposição dos corpos.

“Votamos a favor porque entendemos a relevância do projeto. É de conhecimento geral que a qualidade da nossa água está ficando cada vez pior e isso compromete a saúde da população, sendo os cemitérios da cidade os grandes responsáveis por essa contaminação”, defendeu o vereador Fúlvio Saulo (SD), relator da proposição.

Também passou uma proposta do vereador Maurício Gurgel (PSOL) que institui o Estatuto do Pedestre de Natal. O objetivo é contribuir para a elevação da qualidade de vida no município e conduzir o processo de crescimento e desenvolvimento sustentável, com modernização, respeito e valorização das pessoas que nele habitam.

Ao final da reunião, o colegiado aprovou um projeto de lei encaminhado pelo vereador Ney Lopes Júnior (PSD) que institui o dia 22 de julho como Dia Municipal da Paz e da Conciliação para promover, especialmente entre os jovens, uma reflexão acerca da importância da conciliação no âmbito da paz social.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. val disse:

    Inclusive alguns desses bens são "utilizados" por cargos comissionados da própria prefeitura.

Professora da UFRN é uma das principais candidatas para gerir, deliberar e fiscalizar o Funpresp

E uma professora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) é uma das principais candidatas para gerir, deliberar e fiscalizar o Funpresp, o fundo de previdência complementar dos servidores públicos federais.

O fundo, para se ter uma ideia, cuida de um patrimônio de R$ 1,2 bilhão, algo com 10% de todo o orçamento do governo do estado potiguar.

Luciana Conceição de Lima é doutora em Demografia pela Universidade Federal de Minas Gerais e atualmente é docente do Departamento de Demografia e Ciências Atuariais da UFRN.

Além das atividades docentes e de pesquisa, desenvolve atividades relacionadas aos indicadores socioeconômicos e políticas públicas. Também tem experiência em gestão pública.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Silva disse:

    Eu q não boto meu dinheiro numa bomba dessas. Daqui a 20 anos vira pó.