Construção de parques eólicos no RN: PF deflagra operação de combate a usurpação de minério e lavagem de dinheiro com Inteligência Geoespacial; área de solo degradado equivale a cerca de 100 campos de futebol

Foto: Divulgação/PF

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta sexta-feira, 26 de junho, a Operação Siroco, com o objetivo de apurar usurpação de minério, lavagem de capitais e crimes ambientais. As investigações apuram a extração ilegal de minério que estaria sendo utilizado em construção civil, principalmente na construção de parques eólicos no estado do RN, conduta que, em tese, importa nos delitos previstos no art. 55 da Lei 9.605/98 e art. 2º da Lei 8.176/91, além de lavagem de capitais (art. 1º da Lei 9.613/1998) ante a possível dissimulação da origem criminosa da matéria-prima extraída irregularmente.

Policiais federais cumprem, simultaneamente, três mandados judiciais de busca e apreensão, expedidos pela 15ª Vara Federal do Rio Grande do Norte, nas cidades de Natal/RN e Fortaleza/CE. A operação do RN foi deflagrada de forma coordenada com a
Operação Anemoi, deflagrada, também na data de hoje, pela Superintendência da PF no CE que investiga fatos similares praticados pelos mesmos suspeitos naquele estado.

A investigação realizada no RN, utilizando-se de modernas técnicas e diligências de campo, logrou vincular empresas de grande porte a treze áreas em que houve exploração mineral indevida nos anos de 2012 a 2016.

Os alvos foram separados por modelagem em sistema de informação geográfica, com utilização de bandas espectrais de imagens de satélite da NASA. Uma vez que a modelagem indicou locais suspeitos de extração ilegal de minério, os dados foram encaminhados ao Setor de Inteligência Geoespacial da Diretoria de Inteligência Policial da PF para análise.

A análise posterior, realizada com base em imagens satelitais de alta definição espacial e dados georreferenciados de processos minerários da Agência Nacional de Mineração, demonstrou fortes indícios de que as empresas suspeitas estariam retirando minério
(principalmente saibro e areia) de forma criminosa e utilizando esse minério na terraplenagem e na pavimentação de vias de acesso de complexos eólicos construídos no Rio Grande do Norte.

Diligências realizadas nos locais suspeitos, que contaram inclusive com uso de drones, confirmaram o que já havia sido levantado por meio de sensoriamento remoto e modelagem espacial. Policiais verificaram que houve exploração mineral nos polígonos
indicados onde não estava autorizada a exploração econômica, bem como que as empresas sob suspeita foram contratadas para as obras estruturantes dos parques eólicos construídos nas imediações.

Além da usurpação mineral, verificou-se que as áreas onde houve extração estavam degradadas, pois foi retirada a vegetação e a camada superficial do solo, rica em matéria orgânica, inviabilizando a recuperação natural do ambiente. Identificou-se que os locais de extração mineral estavam situados nas proximidades de obras de construção de parques eólicos e, mediante entrevistas, confirmou-se que esse era o destino da matéria prima retirada. A área de solo degradado analisada nesta operação chega a 800.000 m 2 , o que equivale a cerca de 100 campos de futebol.

Corroborando os dados da investigação, com uso de programas estatísticos e ferramentas de Data Mining, promoveu-se a análise de uma massa de dados de cerca de dezessete mil notas fiscais e oitocentas mil transações financeiras, o que corresponde à movimentação total de nove bilhões de reais, aproximadamente. Com esses dados foram comprovados os pagamentos em face da extração indevida.

Em relação à lavagem de dinheiro, existe a suspeita de emissão de notas fiscais ideologicamente falsas para dissimular a origem criminosa da matéria-prima extraída, bem da União.

As diligências de busca e apreensão realizadas nesta data têm como objetivo identificar todas as pessoas que atuaram na ação criminosa e mensurar o prejuízo causado à União e ao meio ambiente.

Polícia Federal realiza desdobramento da Operação Lava Jato no Rio de Janeiro

FOTO: Leo Motta/JC Imagem

A Polícia Federal realiza, nesta quinta-feira (18), a Operação Sem Limites 2 no Rio de Janeiro, em endereços localizados na capital fluminense, Petrópolis e Cabo Frio.

Os agentes deixaram a sede da PF, no centro da capital fluminense, por volta das 5h15, seguiram para bairros nobres e casas de alto padrão, e cumprem mandados de busca e apreensão.

Os policiais se dividem principalmente entre Ipanema, Jardim Botânico e Gávea, na Zona Sul do RJ, e na Barra da Tijuca, Zona Oeste. A PF não informou o nome do alvo da operação.

No Jardim Botânico, os policiais tiveram dificuldades para entrar no endereço pois os moradores do prédio – que não conta com porteiro – não queriam abrir a portaria.

Os agentes acionaram um chaveiro e pularam o portão do condomínio. Os moradores ficaram assustados porque acharam que poderia se tratar de um golpe e chamaram a Polícia Militar. Após os esclarecimentos, a PF conseguiu entrar de fato no local por volta de 6h20.

Na Barra da Tijuca, policiais tentaram contato com os moradores de uma residência por volta das 6h, mas ninguém atendeu. Os seguranças do condomínio informaram que o casal que mora no local está em Portugal desde o início da pandemia do novo coronavírus, e a residência tem sido frequentada apenas por funcionários. Os agentes apreenderam computadores e reuniram documentos.

Operação Sem Limites

A ação é um desdobramento da 57ª fase da Operação Lava Jato, chamada Operação Sem Limites. Ela foi realizada em 5 de dezembro de 2018, no Paraná e no Rio de Janeiro.

As investigações apontaram para a existência de um grupo criminoso atuante nas áreas de negociações de compra e venda de petróleo e de afretamento de navios para a Petrobras. O objetivo era obter vantagens indevidas para executivos.

CNN Brasil

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. André Fortes disse:

    Quer dizer que até imóveis do mito, o cara incorruptível, foram alvos de Mandados de Busca e Apreensão? Não bastava ter o melhor amigo preso… Agora dá pra entender por que ele quer dar o Golpe de Estado o quanto antes: sumir com as provas.

    • Dinho disse:

      Onde consta que imóveis do Presidente foram alvo das ações? Ate pq ele mora no alvorada. Aceita que dói menos, e é até 2026.

Polícia Federal deflagra Operação Para Bellum e investiga compra de respiradores no Pará

A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira (10) a operação Para Bellum com o objetivo de apurar a existência de fraude na compra de respiradores pulmonares pelo Governo do Pará, mediante contrato com dispensa de licitação, justificada pelo período de calamidade pública em virtude da pandemia. Os policiais federais estão na casa do governador Helder Barbalho.

A compra custou R$ 50,4 milhões, sendo metade do pagamento feito de forma antecipada à empresa fornecedora.

Os respiradores acabaram devolvidos pois, além de sofrerem grande atraso na entrega, eram de modelo diferente ao contratado e inservíveis para o tratamento da Covid-19. A operação conta com a participação de aproximadamente 130 Policiais Federais.

Estão sendo cumpridos 23 mandados de busca e apreensão nos Estados do PA, RJ, MG, SP, SC, ES e DF; em cumprimento a ordens emanadas pelo STJ.

Os alvos são os suspeitos de terem participação nas fraudes, entre servidores públicos estaduais e sócios da empresa investigada. As buscas foram realizadas nas residências dos investigados, em empresas, na sede do Governo do Pará, e nas Secretarias da Saúde, Fazenda e Casa Civil.

A gestão do governador Hélder Barbalho é a segunda a passar por uma operação da Polícia Federal durante a pandemia. A primeira foi a gestão fluminense do governador Wilson Witzel.

Bahia Notícias

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. MORO 2022 disse:

    Não sei é impressão, mas aí no meio desses estados não tem nenhum governado pelo PT ou pela esquerda.

  2. Junin disse:

    Viva! Oba! Já está chegando no RN!

Em depoimento à Polícia Federal, Weintraub fica calado; inquérito apura ataques a ministros do Supremo e fake news

Foto: Jorge William / Agência O Globo

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, prestou depoimento à Polícia Federal nesta sexta-feira, no prédio do MEC. Segundo relatos feitos ao GLOBO, o ministro apelou ao direito de permanecer em silêncio. A PF havia marcado o depoimento para amanhã. Porém, hoje, o próprio Weintraub pediu para antecipá-lo.

O ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes determinou o depoimento de Weintraub para explicações sobre sua afirmação durante reunião ministerial do dia 22 de abril, quando pediu a prisão de todo o STF.

— Eu, por mim, botava esses vagabundos todos na cadeia. Começando no STF. E é isso que me choca — disse Weintraub na ocasião.

A decisão de Moraes foi tomada no inquérito que investiga, desde março de 2019, ataques ao STF e aos ministros. Segundo o ministro do Supremo, há indícios de que Weintraub cometeu crimes de injúria e difamação, previstos no Código Penal, bem como quatro crimes previstos na Lei de Segurança Nacional, de 1983.

“A manifestação do Ministro da Educação revela-se gravíssima, pois, não só atinge a honorabilidade e constituiu ameaça ilegal à segurança dos Ministros do Supremo Tribunal Federal, como também reveste-se de claro intuito de lesar a independência do Poder Judiciário e a manutenção do Estado de Direito”, escreveu Moraes.

Nesta quarta-feira, o ministro Moraes autorizou uma operaçao da PF contra fake news e ataques ao Supremo dentro do mesmo inquérito. Além de seis deputados federais bolsonairstas, aliados do presidente, como empresários e influenciadores, foram alvos da operação.

A Comissão de Ética Pública da Presidência da República também determinou que o ministro da Educação explique as declarações. A comissão deve analisar também o fato de Weintraub ter usado assessores do ministério como advogados em ações de interesse particular, conforme revelado pelo GLOBO. O deputado federal Ivan Valente (PSOL-SP) entrou com uma representação no órgão sobre o caso, mas o assunto ainda não foi analisado, segundo Lucon.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Arcanjo do bem disse:

    Com essa turma de brasileiros de araque a começar pelo presidente, O barco comandado pelo capitão só desce, levando o Brasil par a o fundo do lamaçal.

  2. Cigano Lulu disse:

    Em matéria de destilar ódio, proferir bravatas e assassinar a gramática, o ministro da "educação" é o aluno número 1 do Capetão.

    • Jefff disse:

      Ministro da deseducação, isso sim, um bravateiro, igual ao presidente

  3. Fora bolsotralhas disse:

    Alexandre Morais bota esse vagabundo logo na CADEIA…esse LACRAIA…e seus coloios. FORA BOSTANARO incompetente ..

  4. Cidadão pagador de impostos disse:

    Arregou…

  5. François Cevert disse:

    'impreçionante' a COVARDIA desse ignóbil.

  6. E DAÍ??? disse:

    Tem gente que tem mais medo da milícia do que da justiça. Eu também. Tá ok PORRA?

  7. João disse:

    Agora sim, temos um ministro de verdade.
    Se você não sabe, após o uso da cloroquina, o Brasil é o segundo país do mundo em curados do covid.
    Até então só se via roubalheira.
    Aceita que dói menos, petralhada!
    Avante Brasil!!!!!🇧🇷

  8. Pedro Henrique disse:

    Tigrão atrás do teclado do computador, tchutchuca na frente da PF.

  9. Vitor Silva disse:

    Quando o negócio apertou o leão virou gatinho. Todos eles são assim.

  10. Lucas disse:

    O falastrão afinou? Típico do moralista de goela!

  11. ALEXANDRE DE MORAES 2022 disse:

    O Alexandre de Moraes tá botando pra torar nesse povo. Esse careca é doido e corajoso que só uma porra. Essa turma do capitão não é de brincadeira.

  12. Bosco disse:

    Oxente! Tão macho! Na hora do vamu ver, cagou-se! Tremendo bundão!

  13. Antonio Turci disse:

    O bravateiro que apareceu no vídeo de Bolsonaro acabrunhou.

  14. João disse:

    90% da população brasileira tem o mesmo sentimento do ministro da educação.

    • Cigano Lulu disse:

      Quem tem bigode cagado sempre acha que o mundo é uma imensa cloaca.

  15. Cabo Silva disse:

    Covarde!
    Arregou….

  16. Marcelo disse:

    Onde esta o corajoso ministro que colocaria todos na cadeia começando pelo STF. Diante de alguns agentes e delegados federais, simplesmente calou-se, tremeu-se todo e não teve a mesma "coragem"…isso é só mínimo…..seja HOMEM e assuma ao menos suas palavras, pois um HOMEM sem palavra não é nada.

  17. Vitor Silva disse:

    Estamos há 14 dias sem Ministro da Saúde diante de uma pandemia que já matou mais de 26 mil pessoas. Ainda tem quem apoie essa cambada de incompetentes.

Ministério da Justiça anuncia mudança na superintendência da Polícia Federal no RN

O Ministério da Justiça anunciou nessa quinta-feira (14) a saída da superintendente da Polícia Federal do Rio Grande do Norte, Tânia Fogaça. Ela será a nova diretora-geral do Departamento Penitenciário Nacional (Depen). O anúncio foi feito pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, durante uma videoconferência com secretários de Administração Penitenciária dos Estados e Distrito Federal. O Ministério não divulgou o nome de quem assume a superintendência da PF no RN.

Pelo menos cinco mudanças em superintendências estaduais da Polícia Federal já aconteceram desde a posse de André Mendonça como ministro da Justiça e a nomeação de Rolando Alexandre de Souza como novo diretor-geral da PF. As mudanças atingem: Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Alagoas, Paraíba e Tocantins.

Com informações do G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Manoel disse:

    Aparelhamento total.
    Pobre PF, vai ficar desmoralizada…
    E lembrar de colegas da PF q reclamavam do PT. Agora chorem.

Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República diz que exoneração de Marcelo Valeixo da PF foi a “pedido do próprio”

Foto: Reprodução/Twitter

A Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República informa na manhã desta sexta-feira(24), através das redes sociais, que a exoneração de Maurício Valeixo da Polícia Federal se deu A PEDIDO do próprio.

“Ao contrário do que parte da imprensa está noticiando, a exoneração do sr. Maurício Valeixo se deu A PEDIDO do próprio. Contra fake news, busque sempre a fonte primária da informação”.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Zé Ruela disse:

    Bolsonaro está aflito
    Como é do seu feitio,
    Deu o dito por não dito
    Mas a pressão aumentou
    E ele num ato esquisito
    Deu mais uma bola fora
    Quis que Moro fosse frito.
    Vejam que situação:
    No presidente maldito
    Que um dia diz sim e outro não
    Faz tempo que não acredito
    Desejo pro presidente e
    Pra sua família do delito
    Que paguem por seu mal feito
    Agora é que vai ser bonito
    Em breve vamos comemorar
    Sua saída com um grito
    Quero ver daqui a pouco
    Vai começar o atrito
    Que a justiça cumpra o papel
    E derrube de vez o Mito.

  2. Gilberto disse:

    Moro acabou de confirmar que não foi a pedido, e sim ligaram para ele afirmando que ele iria ser exonerado, e que iria constar que ia ser a pedido dele, e o delegado falou que não tinha opção. Até em atos oficiais este governo faz fake news.

  3. Pelé Branco disse:

    ÊÊÊÊÊÊÊÊ… Moro 2022. Mandetta 2022…

  4. Ricardo Lúcido disse:

    Tem gente que acredita em SACI PERERÊ , MULA SEM CABEÇA EM EXONERAÇÃO A PEDIDO . Na verdade esse caso da demissão ê escancaradamente típico do presidente , votei nele e me arrependo . Colocou na PGR , um engavetador e não se conforma que os bananinhas sejam investigados pela PF . Essa relação de BOZO , votei nele e me arrependo , é patológica . Ele tem uma superproteção com esses “ meninos “ , que impressiona . Quanto a MORO , Togo sinceramente que fique para o bem do 🇧🇷 , mas se tiver vergonha na cara é for realmente homem de caráter , tem todos os motivos para sair e tem meu apoio na próxima eleição . Aos Brasileiros resta uma certeza . O governo de Bolsonaro , votei nele e me arrependo , acabou , e por um motivo simples . Ele demostrou fraqueza ao demitir o delegado da PF , para proteger os pimpolhos . Sinceramente , espero que Moro fique , mas esse também pode ser o tiro de misericórdia na sua já abalada reputação , pois ficará patente seu apego ao cargo e sua submissão ao presidente. Um homem submisso demostra falta de coragem e falta de coragem e personalidade é um fator que muito conta em um cidadão que exerce cargo público .

    • Lourdes Siqueira disse:

      Eu votei Sr. Ricardo e não me arrependo. Ele nunca foi a melhor opcão, todos nós sabíamos; mas diante o PT que já conhecíamos era melhor arriscar outra coisa. Diferente dos adoradores do Lula, não adoro Bolsonaro e as eleições foram feitas para isso. Sem ídolos, sem estátuas, sem garrafas….
      Vamos tentando acertar. Sigamos.

    • Ricardo Lúcido disse:

      Sra Lourdes , respeito seu posicionamento até porque votei nesse papangú . Agora não me venha com churumelas . A questão agora é outra . Devemos refletir agora quais são as pretensões do “ Mito “. Se avexe não , amanhã pode acontecer tudo inclusive nada . Um bom chá de camomila ( não CLORIQUINA) , e paciência , ajuda . Tamô junto .

    • João Batista ZN disse:

      Só uma dúvida, pra todos que dizem que se arrependem de ter voltado em Bolsonaro (como eu tbm), más sabendo tudo que sabemos hoje da forma como ele esta levando o Brasil, teríamos votado diferente na mesma configuração: Adad x Bolsonaro ….??? Como diz o Bruno Araújo "…fica a Reflexão" …

  5. Rocha Neto disse:

    Verdade João Felipe, esta redação já é muito manjada. Acho que ficaria mais claro e elegante, o seguinte início…

    O Excelentíssimo Senhor Presidente da República resolve exonerar o senhor José da Silva , da função que até está data exercia como Chefe da Polícia Federal…

    Aí os babaovos ñ tem coragem de tomar esta iniciativa com uma redação coerente, e ficam
    tentando tentando tampar o sol com peneira.
    Pense numa qualidade sem caráter é "homem " bajulador!!

  6. João Felipe disse:

    Quem é que não sabe que QUALQUER CARGO COMISSIONADO, na portaria de exoneração, SEMPRE VAI APARECER "A PEDIDO"..independente se pediu ou não a exoneração. É cargo que não precisa de motivação, por isso sempre vai ter esse termo "a pedido".

Polícia Federal alerta para ameaças cibernéticas durante a crise sanitária provocada pelo Covid-19; veja orientações para prevenção

Durante a crise sanitária provocada pelo Covid-19, a Polícia Federal detectou um aumento significativo de ameaças cibernéticas. Os criminosos utilizam campanhas falsas – compostas por meio de e-mails, links, mensagens por aplicativos, ligações telefônicas e outros canais – para obter dados bancários e informações pessoais para o cometimento de crimes cibernéticos.

Seguem orientações para prevenção:

– Links: não clique em links enviados por e-mail, SMS ou aplicativos de mensagens em nome de instituições bancárias, não preencha dados de cartões de crédito em formulários e nem informe dados de cartões de crédito e senha em ligações telefônicas; Procure as informações junto ao seu banco nos canais oficiais.

– Voucher auxílio emergencial: diversas mensagens disparadas por meio de aplicativos como Whatsapp, SMS, e-mails e até telefonemas têm solicitado informações para cadastro dos beneficiários do auxílio emergencial aprovado pelo Governo Federal. Não informe os seus dados nesse tipo de mensagem.

– Aplicativos maliciosos: foram identificados diversos aplicativos que solicitam informações ou se passam por órgãos do governo a fim de obter dados pessoais. Fique atento e baixe apenas os aplicativos indicados nos sites oficiais.

– Golpes usando o Whatsapp: solicitações de empréstimos e transferências oriundas de contatos no Whatsapp podem ser golpes! Ligue para o seu contato e confirme a solicitação!

– Boleto falsificado: Códigos de barras podem ser facilmente alterados. Fiquem atentos ao nome da empresa e valor do pagamento. Qualquer dúvida, entre em contato com o credor e emissor do boleto ou com a sua instituição bancária.

A Polícia Federal orienta que, para garantir que você tenha acesso às informações precisas e atualizadas sobre as ações federais em torno da crise sanitária provocada pelo COVID-19, procure os canais oficiais nos sites ou mídias sociais do Portal Governo do Brasil (gov.br), Ministério da Justiça e Segurança Pública, Ministério da Saúde, Ministério da Economia, Ministério da Cidadania e das instituições bancárias.

Não seja vítima de fraudes! Verifique a origem e se proteja!

Plataforma de extração de DNA atenderá a mais cinco estados

Foto: IsaacAmorim/AG.MJ

Nos próximos dias, os estados do Acre, Alagoas, Piauí, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima e Tocantins terão acesso a modernos equipamentos de processamento genético para análise de provas coletadas em casos de crimes sexuais.

Um acordo de cooperação entre a Polícia Federal (PF) e a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) possibilitou a criação da plataforma de extração de DNA (do inglês ácido desoxirribonucleico, composto orgânico que contém a informação genética de organismos vivos), que funcionará no Centro Multiusuário de Processamento Automatizado de Vestígios Sexuais, no Instituto Nacional de Criminalística da Polícia Federal, em Brasília.

Leia a matéria completa no site Justiça Potiguar.

DEU RUIM: pastor envolvido em confusão de trânsito é intimado a depor na Polícia Federal

Imagem: Reprodução/Internet

O suposto pastor foi intimado a prestar depoimento na Polícia Federal, em Natal, após uma confusão no trânsito. Ele deve prestar esclarecimentos na sede da PF na capital potiguar nesta quinta (12). Um inquérito foi instaurado e Diego será investigado por usurpação da função pública.

Vídeos que circulam nas redes sociais mostram Diego Araújo discutindo com um casal ao se identificar como policial federal. De acordo com a própria PF, Diego não faz parte da instituição. Ele se identifica como pastor nas redes sociais próprias, que sumiram após os vídeos da discussão se espalharem pela Internet.

As gravações mostram Diego discutindo com um homem e uma mulher após supostamente ter trancado o carro do casal em uma manobra no trânsito. “Abordou a gente, ultrapassou a gente, agrediu meu marido usando da carteira de policial”, relatou a mulher.

A discussão começou quando Diego afirmou ser policial federal da corregedoria trabalhando à paisana. “Vocês só saem daqui quando a viatura chegar. Estou em serviço”, disse ao casal, que estava com a filha pequena dentro do carro. Em certo momento do vídeo, é possível ouvir o choro da menina. Durante a briga, Diego exigiu a documentação do veículo do casal e tirou fotos da placa do carro, reforçando a autoridade de policial federal.

Segundo a PF, o episódio registrado nos vídeos aconteceu no último sábado (7) no cruzamento da avenida Alexandrino de Alencar com a rua Jaguarari. A família prestou queixa na sede da PF nesta quarta-feira (11).

Com informações do AGORA RN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Everton disse:

    Os caras metem o presidente e o ex até nessa notícia, é muito fanboyzismo de político.

  2. Paula tejeau disse:

    É minion?

  3. Antonio Turci disse:

    Igrejas ditas evangélicas estão cheias de picaretas como este. Bandido travestido de "pastor".

    • Sou nordestino sim senhor!!!! disse:

      Ladrão, idiota e mentiroso tem em todo lugar. Isso não tem nada haver com igreja A, B ou C. Tem haver com o ser humano e sua capacidade de propagar o mal.

  4. Fora bolsotralhas disse:

    Mais um idiot ligado a bostanaro fazendo merda e se achando dono do pedaço….esses crapulas acreditam que podem tudo..

    • Luiz disse:

      Comentário idiota d esquerda

    • Pão com mortadela vencida disse:

      Falando em Bandido, o que houve com o caso do assassinato de Celso Daniel? Todos morreram que viram ou ouviram falar no caso. O PT está enrolado até as cuecas do Luladrão…PTista tem aminésia.

  5. Zezim disse:

    Mais 1 que chegou no últimos estágio do desmantelo. Virou evangélico, se escondendo por trás da religião mas, continuando com seu interior podre. Assim tem muitos decoradores de bíblia para enganar os bestas.
    Pequenas igrejas, grandes negócios!

  6. Chicao disse:

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk…..ainda vai? Deve tá com a cueca toda borrada.

  7. Everton disse:

    Se garanta, agora não basta apelar para Deus, tem que ser cristão!

  8. andré pinto disse:

    aS IGREJAS ESTÃO CHEIAS DE 171 DESSA QUALIDADE. SE FOSSE COMIGO TINHA DADO CERTO PARA ELE… PASSAVA POR CIMA E DEIXAVA ELE EM TERRAPLANAGEM.

  9. Zanoni disse:

    Será que era somente um maconheirinho que se converteu e deram a vez para conversar merda no púlpito?

  10. Zuza disse:

    Só pode ter baixado o capiroto nesse moço e em forma de bandido.

  11. Junior Mendonça disse:

    Não gosto de julgar, mas pessoas com essas características dissimuladas são propensas a serem estelionatários, ter audácia de reter pessoas em pleno trânsito e acreditar na própria mentira de que é um PF.
    Sanatório e depois cadeia.

  12. Luciana Morais Gama disse:

    Cadeia para esse “pastor” que se esconde na igreja evangélica.

  13. Fernando disse:

    Isso é um babaca, devia pegar pelo menos 6 meses de cana para deixar de ser pau nas beiras!!
    Era para o motorista ter metido o caro nas pernas desse malandro.

PF deflagra operação contra tráfico internacional de armas de fogo e cumpre mandados em Natal, Parnamirim e São Gonçalo do Amarante

Operação Gun Express visa desarticular grupo que importava, guardava, remetia e transportava armas ilegalmente

Foto: Ilustrativa

A Polícia Federal desencadeou, na manhã de hoje (05/03), a operação Gun Express para desarticular grupo especializado na prática do crime de tráfico internacional de armas de fogo, acessórios e munições.

No Rio Grande do Norte os mandados foram cumpridos nas cidades de Natal, Parnamirim e São Gonçalo do Amarante. Além do RN, também foram efetuadas ações no Paraná, Bahia, São Paulo, Paraíba, Sergipe, Santa Catarina, Minas Gerais e Mato Grosso do Sul. A operação inteira envolveu 310 policiais federais que estão cumprindo 62 mandados de busca e apreensão e 10 mandados de prisão preventiva.

A investigação teve início no primeiro semestre de 2018, quando a Polícia Federal identificou que armas de fogo estariam sendo remetidas pelos Correios, escondidas dentro de equipamentos de treino para artes marciais, como aparadores de chute, luvas e caneleiras. A partir daí a PF identificou que um grupo de pessoas dos estados do Paraná, Bahia e Rio Grande do Norte atuavam em associação na importação, guarda, remessa e transporte de armas de fogo, acessórios e munições, que teriam como destino diversos outros estados do país, com destaque para Bahia e Rio Grande do Norte.

Foram realizadas, também, apreensões de armamentos e acessórios escondidos em tanques de combustíveis de veículos, usados durante o transporte para alguns dos Estados do nordeste.

A estimativa é de que o grupo remeteu e transportou, desde o ano de 2016, mais de 300 armas de fogo, investindo cerca de dois milhões de reais na compra do armamento. Foi identificado que parte do pagamento das armas era feito por intermédio de empresas de fachada controladas por suspeitos da Bahia e do Rio Grande do Norte para dar aparência lícita aos repasses financeiros feitos pelo sistema de transferências bancárias.

Estão sendo executados 27 bloqueios judiciais de contas bancárias e aplicações financeiras, bem como sequestro e arresto de bens de 26 pessoas físicas e 1 pessoa jurídica, além da constrição judicial de 10 veículos em nome de terceiros.
Foram decretadas ainda 6 medidas cautelares diversas da prisão para outras pessoas envolvidas na investigação.

A Polícia Federal indiciará 28 pessoas pela prática do crime de tráfico internacional de armas de fogo, lavagem de dinheiro, associação criminosa e falsidade ideológica.

Com informações da Comunicação Social da Polícia Federal em Curitiba/PR

Lava Jato prende ex-secretário nacional de Justiça de Temer

Astério Pereira dos Santos, ex-Secretário Nacional de Justiça do governo Temer. Foto: Tasso Marcelo / AE

A Polícia Federal abriu nova fase da Operação Lava Jato no Rio nesta quinta, 5 e prendeu Astério Pereira dos Santos, ex-Secretário Nacional de Justiça do governo Temer. Segundo o Ministério Público Federal, Astério e outras 14 pessoas foram denunciadas por envolvimento em pagamento de propina a conselheiros do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro. Até o momento, sete pessoas foram presas, informou a PF.

A corporação faz ainda buscas em 32 endereços. As ordens foram expedidas pelo juiz da 7ª Vara Federal Marcelo Bretas.

Procurador de Justiça aposentado, Astério foi secretário de Administração Penitenciária entre 2003 e 2006, durante a gestão de Rosinha Garotinho.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Pedro disse:

    Devegarzinho vai chegar em Temer Tenebroso, que conseguiu enrolar Nove Dedos, Dilmanta e toda a corja funebre e mal cheirosa do PT. A Lava-jato não devia parar nunca, como quer alguns membros do STF e a maioria dos políticos brasileiros.

  2. Carlos disse:

    De jeito nenhum. Com certeza é fake. Kkkkkkk. Político desonesto neste país.! Não acredito.

  3. Cidadão Decepcionado disse:

    UM PROCURADOR DE JUSTIÇA DESONESTO?
    ISSO EXISTE MESMO?

    • Francisco disse:

      Nem ex presidente, todos honestos, inclusive os seus adoradores, esses é que são. Rsrsrs

Polícia Federal assina acordo de delação com Sérgio Cabral

Foto: Geraldo Bubniak / Agência O Globo

A Polícia Federal assinou acordo de delação premiada com o ex-governador do Rio Sérgio Cabral e enviou o material para homologação do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin. Pelo acordo, mantido sob sigilo, o ex-governador se comprometeu a devolver R$ 380 milhões da propina recebida por ele nos últimos anos. A delação, porém, só terá validade caso seja homologada pelo STF.

O acordo, assinado pela Diretoria de Investigação e Combate ao Crime Organizado da PF, chegou ao Supremo no início de novembro. A PF pediu que a delação fosse distribuída ao ministro Fachin. Logo em seguida, Fachin pediu uma manifestação do procurador-geral da República Augusto Aras sobre o material. A manifestação da Procuradoria-Geral da República (PGR) chegou ao STF nesta segunda-feira. Aras afirmou ser contrário ao acordo de delação, que também havia sido rejeitado anteriormente pela força-tarefa da Lava-Jato do Ministério Público Federal do Rio.

Em sua manifestação, Aras argumentou que o ex-governador ocultou informações e protegeu pessoas durante a negociação do acordo com a Lava-Jato do Rio. Por fim, também alegou que Cabral pode ser considerado o líder da organização criminosa montada no governo do Rio, e, portanto, não poderia se beneficiar de um acordo de colaboração. Diz, portanto, que o acordo da PF com Cabral está fora dos requisitos legais.

Durante dois meses de depoimentos prestados à PF, Cabral citou dezenas de políticos beneficiários do esquema de corrupção montado em seus governos no Rio. Chamou a atenção dos investigadores uma outra frente citada nos seus depoimentos: o Judiciário. Cabral narra nos depoimentos sua relação com ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e com o processo de indicação deles aos seus atuais cargos. É por isso que a delação precisa ser homologada no STF, já que esses ministros possuem foro privilegiado perante a Suprema Corte. Os nomes delatados são mantidos sob sigilo.

Fontes com acesso aos depoimentos afirmam que há poucas provas documentais, mas que o ex-governador fornece caminhos de provas para diversos dos seus relatos. Dizem ainda que as informações prestadas por Cabral sobre o Judiciário seriam suficientes para novas frentes de investigação na Lava-Jato. Preso desde novembro de 2016 e já denunciado 30 vezes pelo Ministério Público Federal, Sérgio Cabral já foi condenado 12 vezes na Lava-Jato e suas penas somadas superam 267 anos.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gui disse:

    Na hora que prende, todos são inocentes, nada a declarar. Aí quando vê que ninguém acredita nas conversas é o jeito partir para as delações.
    380 milhões deve ser o que sobrou ou tem guardado. E o que já torrou, fica como?

  2. Paulo disse:

    e qual o partido dele?

  3. Paulo disse:

    Quem é o lider do governo federal no senado ?

  4. Olimpio disse:

    Devolver $ 380.000.000, imagine quanto essa essa quadrilha roubou da nação junto com sapo barbudo.

  5. Papa Jerry Moon disse:

    Tem que aceitar a delação. E aí reduz a pena dele pra 200 anos.

  6. Yuri disse:

    Citou Ministros, lascou se, não vai passar.

  7. Fernando disse:

    Mais combustível pra fogueira do inferno que estão os petralhas. Temos que passar esse país a limpo.

Moro pede que PGR investigue possível denunciação caluniosa contra Bolsonaro

Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil

O ministro da Justiça, Sergio Moro, enviou uma solicitação ao Ministério Público Federal para que instaure um inquérito para investigar as declarações de um porteiro de que um dos suspeitos do assassinato de Marielle Franco pediu autorização a Jair Bolsonaro para entrar no condomínio onde encontrou o outro suspeito.

A Globo noticiou nesta terça-feira (29/20) que Élcio de Queiroz, um dos suspeitos da morte de Marielle, entrou no condomínio onde morava Ronie Lessa com a autorização de Bolsonaro. Isso teria sido no dia 14 de março de 2018, horas antes do assassinato. Acusado de fazer os disparos, Lessa morava no mesmo condomínio que o atual presidente da República.

Neste dia, Jair Bolsonaro estava em Brasília e votou em sessões da Câmara, pois ainda era deputado federal.

Moro vê “inconsistência no depoimento do porteiro” e acredita que pode se tratar de erro de investigação ou tentativa de envolver o nome do presidente no crime. Esses atos configuram crime de obstrução à Justiça, falso testemunho e denunciação caluniosa do presidente, o que atrai competência da Justiça Federal e da Polícia Federal.

O ministro da Justiça pede ao procurador-geral da República, Augusto Aras, que MPF e PF passem a atuar juntos na investigação do caso.

 

Foto: Reprodução. Confira a íntegra do ofício clicando AQUI.

Com Conjur e O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Yusuke urameshi disse:

    No final dessa investigação vão descobrir que a voz do interfone era mesmo de Bolsonaro, o tom de voz estava diferente porque Moro estava pendurado nos seus ovos.

  2. Santanense disse:

    GIBA. aceita que dói menos

  3. Ems disse:

    Moro, o nosso futuro presidente !!!

  4. Silva disse:

    MORO depois do MITO.
    É isso aí meu herói.
    Bota pra taba lascar em cima desses safados.
    Coragem é o que não lhe falta.
    ARROCHA!!!
    PRA CIMA DELES.

  5. Capitão disse:

    Com a Denúncia de que Lula mandou matar Celso Daniel, a Orcrim, organização criminosa , sacou essa falsa acusação contra o presidente.
    O Fato de Lula mega LADRÃO , Alcoólatra, psicopata é Corrupto, ser um assassino frio e calculista, pode dificultar sua soltura pelo STF sem FUTURO,,. Canalhas FDputas.

  6. Bolsominion disse:

    De super herói contra corrupção em advogado de miliciano em menos de 1 ano.

    • Acorda Brasil disse:

      Cara, você está do lado errado. Odiar o cara que ajudou a colocar atrás das grades mais de 140 mafiosos que assaltavam o Brasil na casa dos bilhões. Não precisa elogiar nem amar se discorda ideologicamente, mas fique calado se for do bem.

  7. Giba disse:

    Deixe eu ver se entendi, o Bozo nomeou o Moro, nomeou o Aras da PGR ai o Bozo pedi pra moro investigar, ai o Moro manda a PGR investigar, já entendi vai terminar em pizza kkkk

  8. Véio de Rui disse:

    Ou será que montaram tudo pra pegar o presidente? Desse povo eu acredito que pode sair de tudo.

    • Futuro disse:

      O governo sabe que nessa "estória" criada do ego infantil e desesperado daqueles que perderam os milhões dos cofres públicos, o que existe de concreto são as acusações da emissora.
      Uma vez que isso seja documentado, provado, virá a resposta devida…
      Moro se baseia na lei e dela faz sua história e ações.

Polícia Federal indicia 13 por rompimento da barragem da Vale

Foto: Pablo Nascimento / R7

A Polícia Federal indiciou sete funcionários da Vale e outros seis da empresa de consultoria alemã Tüv Süd por falsidade ideológica e uso de documentos falsos no inquérito aberto para investigar o rompimento da barragem da mina Córrego do Feijão, em Brumadinho. As duas empresas também vão responder pelos crimes.

A tragédia completa, na próxima semana, oito meses. Até o momento, 249 vítimas foram identificadas e outras 21 permanecem desaparecidas. O Corpo de Bombeiros de Minas Gerais continua com as buscas pelo 239º dia consecutivo.

Essa é a conclusão da primeira etapa das investigações, que vem sendo conduzidas pela Polícia Federal. Os funcionários serão indiciados com base no artigo 69-A da Lei 9.605/98, que dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente.

Segundo a corporação, funcionários da Vale e da Tüv Süd, que foi a empresa responsável por atestar a estabilidade da barragem que se rompeu, assinaram contratos utilizando informações falsas da DCE (Declaração de Condição de Estabilidade), em 2018. Isso caracterizaria o crime de falsidade ideológica.

Já o crime de uso de documento falso teria sido cometido um ano antes, quando as empresas apresentaram documentos que atestavam que a barragem estava estável.

O que diz a Lei 9.605/98

A Lei que embasou o indiciamento dos funcionários da Vale e Tüv Süd com base nos crimes de falsificação ideológica e uso de documentos falsos prevê pena de três a seis anos de prisão, além de multa, para quem “elaborar ou apresentar, no licenciamento, concessão florestal ou qualquer outro procedimento administrativo, estudo, laudo ou relatório ambiental total ou parcialmente falso ou enganoso, inclusive por omissão.”

O artigo 69-A também prevê que, se o crime é culposo, ou seja, praticado sem a intenção, a detenção pode variar entre um e três anos. A pena pode ser aumentada em até dois terços se houver “dano significativo ao meio ambiente, em decorrência do uso da informação falsa, incompleta ou enganosa.”

R7

 

MEC aciona Polícia Federal para apurar ataques cibernéticos; “indícios fortes” de sabotagem no Prouni e Fies

Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil

A Polícia Federal (PF) está investigando indícios de sabotagem de serviços prestados e sistemas internos do Ministério da Educação. O ministro Abraham Weintraub anunciou nesta quinta-feira (8), em entrevista coletiva, que a pasta tem sofrido ataques cibernéticos há algumas semanas e que isso tem prejudicado alguns produtos oferecidos pelo portal na Internet.

“Não estamos acusando ninguém, mas há indícios fortes de sabotagem que nos levaram a acionar a Polícia Federal. Não é nosso papel investigar”, explicou Weintraub. Segundo ele, a população não será prejudicada pelos ataques. “Qualquer serviço que for suspenso terá prazo ampliado”, assegurou.

O Programa Universidade para Todos (ProUni) e o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) são os principais afetados pelo problema. Segundo técnicos do Ministério, os dois serviços estão intermitentes desde a última segunda-feira (5). Outro produto afetado é o Sistema Presença, utilizado para o pagamento dos benefícios do Bolsa Família. O MEC ainda detectou prejuízos no funcionamento do principal sistema de negócios da pasta, conhecido como SiMEC.

De acordo com a equipe da pasta, técnicos estão trabalhando para reestabelecer todo o funcionamento o mais rapidamente, mas não há prazo para que os serviços estejam totalmente normalizados.

Força de Segurança

Esta semana foi autorizada a presença do uso da Força Nacional de Segurança Pública nas imediações do prédio onde funciona o Ministério da Educação – o Bloco L da Esplanada dos Ministérios – nos dias 7, 12 e 13 de agosto.

De acordo com o texto publicado no Diário Oficial da União, o prazo do apoio ainda poderá ser prorrogado se o MEC considerar necessário e apresentar um pedido oficial.

Em maio, o mesmo reforço de segurança foi garantido ao ministério para evitar prejuízos estruturais com os protestos de estudantes pelo fim do contingenciamento de verbas de universidades públicas. No período, a União Nacional dos Estudantes (UNE) anunciou manifestações em pelo menos 150 cidades.

Contingenciamento

Durante a coletiva, Abraham Weintraub foi questionado sobre possíveis cortes de recursos para algumas áreas atendidas pela pasta. Ele reafirmou que não haverá cortes e sim contingenciamento de verbas. A medida significa bloqueio de orçamento por um período para assegurar o equilíbrio de contas.

“Estamos administrando uma situação de crise estabelecida pelo governo passado”, afirmou.

Agência Brasil

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. clara disse:

    E tome teoria da conspiração no rabo, p manter a seita unida e ouriçada na paranóia.

PF contradiz Moro e afirma que destruição de mensagens depende da Justiça

Foto: Gazeta do Povo

A Polícia Federal afirmou, por meio de nota, que caberá à Justiça, “em momento oportuno, definir o destino do material” apreendido na terça-feira (23) com suspeitos de agirem como hackers.

A manifestação menciona entendimento da lei e contradiz o ministro da Justiça, Sergio Moro, que, conforme mostrou a Folha, avisou a autoridades na tarde desta quinta-feira (25) que as mensagens capturadas pelo grupo preso pela PF seriam destruídas.

O presidente do STJ (Superior Tribunal de Justiça), João Otávio Noronha, afirmou à Folha que a informação foi dada pelo próprio ministro por telefone.

“As mensagens serão destruídas, não tem outra saída. Foi isso que me disse o ministro e é isso que tem de ocorrer”, disse o presidente do tribunal. A comunicação foi confirmada à reportagem pela assessoria de Moro.

O descarte de qualquer material apreendido em operações policiais é uma decisão que cabe à Justiça e só pode ocorrer com decisão do juiz.

Na nota, a PF disse ainda que a operação deflagrada nesta semana não tem “como objeto a análise das mensagens supostamente subtraídas de celulares invadidos”.

A polícia também afirmou que “o conteúdo de quaisquer mensagens que venham a ser localizadas no material apreendido será preservado, pois faz parte de diálogos privados, obtidos por meio ilegal”.

Além de Noronha, outras autoridades tiveram seus celulares atacados pelo grupo, entre elas os presidentes da Câmara e do Senado e ministros do STF (Supremo Tribunal Federal).

Para a Polícia Federal, Walter Delgatti Neto, um dos quatro presos pela PF na terça-feira, foi a fonte do material que tem sido publicado desde junho pelo site The Intercept Brasil com conversas de autoridades da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba.

Conforme revelou a Folha, Delgatti disse à PF que encaminhou as mensagens ao jornalista Glenn Greenwald, fundador do site, de forma anônima, voluntária e sem cobrança financeira.

Em depoimento ao Senado no dia 19 de junho, Moro defendeu que o site Intercept Brasil, que divulgou as mensagens, entregasse o material para ser periciado.

“Pega o material e entrega para uma autoridade, sem prejuízo da publicação das matérias. Aí vai se poder verificar por inteiro esse material, o contexto no qual ele foi inserido e principalmente verificar se esse material é autêntico ou não. Porque até agora não temos nenhuma demonstração da origem desse material”, declarou Moro na ocasião.

ENTENDA A OPERAÇÃO

Qual o resultado da operação da PF? Nesta terça (23), quatro pessoas foram presas sob suspeita de hackear telefones de autoridades, incluindo Moro e Deltan. Foram cumpridas 11 ordens judiciais, das quais 7 de busca e apreensão e 4 de prisão temporária nas cidades de São Paulo, Araraquara (SP) e Ribeirão Preto (SP). Os quatro presos foram transferidos para Brasília, onde prestariam depoimento à PF

As prisões têm relação com as mensagens trocadas entre Moro e procuradores da Lava Jato divulgadas desde junho pelo site The Intercept Brasil? Walter Delgatti Neto, um dos suspeitos presos na operação de terça, afirmou em depoimento que encaminhou as mensagens que obteve ao jornalista Glenn Greenwald, fundador do site, de forma anônima, voluntária e sem cobrança financeira. Não há até agora indício de que tenha havido pagamento pelo material divulgado, segundo investigadores.

Como a investigação começou? O inquérito em curso foi aberto em Brasília para apurar, inicialmente, o ataque a aparelhos de Moro, do juiz federal Abel Gomes, relator da Lava Jato no TRF-2 (Tribunal Regional Federal da 2ª Região), do juiz federal no Rio Flávio Lucas e dos delegados da PF em São Paulo Rafael Fernandes e Flávio Reis. Segundo investigadores, a apuração mostrou que o celular de Deltan também foi alvo do grupo.

Quando Moro foi hackeado? Segundo o ministro afirmou ao Senado, em 4 de junho, por volta das 18h, seu próprio número lhe telefonou três vezes. Segundo a Polícia Federal, os invasores não roubaram dados do aparelho. De acordo com o Intercept, não há ligação entre as mensagens e o ataque, visto que o pacote de conversas já estava com o site quando ocorreu a invasão.

Folhapress

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Arnaldo Franco disse:

    Todo petista é doido pra que sejam anuladas as sentenças da Lava Jato e verem o seu presidiário de estimação solto. Acordem. A utopia idiota de voces já não engana mais as pessoas. O socialismo não deu certo em país nenhum do mundo. Busquem outras referencias. Façam oposição construtiva, mostrando alternativas para a sociedade e não tentando cavar o impeachment do Presidente!

  2. Marcelo disse:

    Imagina mas de mil pessoas que tiveram sua privacidade violada (presidente da república,pres do Senado,pres da câmara,juízes do stj,juízes mas diversos,ministros em fim isto não passou apenas por um fato isolado entre juiz e procurador que a verdade apareça!na realidade eu acredito desmoralizar a justiça e depois quem estaria ao longo dos anos com estas outras invasões ?

  3. José disse:

    Porque destruir? Quem não deve não teme! Tem que explicar o conteúdo?

  4. M. Vinicios disse:

    "Folhapress" essa é a fonte!

  5. Anderson disse:

    INFORMAÇÕES DISTORCIDAS?! INFORMAÇÕES TENDENCIOSAS?! INFORMAÇÕES PARCIAIS?!
    INFORMAÇÕES POLÍTICAS?!
    INFORMAÇÕES PARTIDÁRIAS?!
    São apenas perguntas!

  6. Del disse:

    Pra justiça escutas telefônicas e vídeos clandestinos não tem validade nenhuma, já essas conversas hackeadas tem, também concordo toda prova terá validade no processo. Será um avanço pra cidadania, só assim conseguiremos provas contra esses patifes que saqueiam os cofres públicos, soltam bandidos, vendem decisões judiciais e prescrevem crimes. Será um avanço positivo pra sociedade.