Pai e filho são assassinados na Zona Norte por causa de um roubo de galinha

Francisco de Aires Nunes da Silva, de 52 anos, e Francivan Nunes da Silva, de 24, pai e filho, foram assassinados ontem, no bairro de Lagoa Azul, na Zona Norte de Natal. Motivo: o roubo de uma galinha. Os assassinos, também pai e filho, estão foragidos.

De acordo com informações da polícia, os quatro estavam juntos bebendo, até que se desentenderam.  Francisco acusou João Batista e Neguinho de ter roubado uma galinha em seu quintal. Os dois foram para casa ofendidos e prometeram vingança.

Mas Francisco, ainda insatisfeito, foi procurar João Batista armado com uma foice. Mas ele foi surpreendido por João Batista, que já estava armado com um facão e, em luta corporal, terminou sendo assassinado.

Depois do crime cometido pelo seu pai, Neguinho ainda foi procurar o filho de Francisco e o assassinou com três tiros de espingarda calibre 12. Francivan morreu ainda no local. Sua mãe, há pouco viúva, presenciou tudo.

MITO: Ovo Caipira não é mais gorduroso do que ovo de granja

Eles são cerca de 30% menores, têm a casca mais grossa e a cor da gema mais escura – de um alaranjado forte, em comparação com o amarelo claro dos ovos de granja. “São apenas diferenças superficiais: em termos nutricionais ambos são idênticos”, afirma o melhorista genético Vicente José Maria Savino, da Escola Superior Agrícola Luiz de Queiroz (ESALQ), em Piracicaba, São Paulo.

Essas características indicam simplesmente que a galinha não foi estimulada a botar mais ovos do que o normal e que houve mais tempo para a formação deles – ao contrário das aves de granja, que, confinadas em ambientes iluminados 24 horas por dia, são artificialmente induzidas a produzir mais ovos. A verdadeira diferença está, portanto, na galinha. A caipira é criada solta – por isso, fica menos gorda e tem acesso a uma alimentação mais variada (de besouros, larvas e minhocas a frutas, verduras, capim e grãos de milho), enquanto a de granja só come ração.

Tudo isso faz com que as galinhas caipiras ponham cerca de 80 ovos por ano e seus frangos atinjam o ponto de corte aos 60 dias de vida, enquanto as de granja põem em torno de 300 ovos por ano e seus frangos estão prontos para serem abatidos com apenas 45 dias.

 

Galinha choca cinco patos na Inglaterra

Essa está circulando na internet após a publicação de um jornal inglês. O diário “Daily Telegraph” trouxe a notícia de que a galinha “Hilda” chocou uma ninhada de patinhos, mas calma! Ela apenas chocou cinco ovos e não os pôs.

De acordo com a matéria, a galinha chocou acidentalmente depois de se sentar sobre os ovos errados por quase um mês, sem saber que eles tinham sido colocados por uma pata.

Cientista do Jurassic Park quer chocar um dinossauro a partir de galinhas

O consultor do filme Jurassic Park, o professor de paleontologia da Monta State University, Dr. Horner, crê que as aves modernas  (como a galinha) possuem informações na memória de seus genes, que poderia de alguma forma fazer uma ponte para ressuscitar alguns traços dos famosos dinossauros.Atualmente o professor está procurando algum especialista em engenharia genética para ajudá-lo na conclusão de seu plano.

“Eu estou procurando um pesquisador pós-doutorado. Um pós-aventureiro que saiba muito sobre biologia do desenvolvimento e um pouco sobre os pássaros”. Declarou o professor ao LiveScience.

Ele comenta que planeja começar o estudo com um emu (um tipo de ave comum na Austrália, com aspecto próximo de uma ema, porém um pouco menor). Segundo ele, estas aves possuem todas as características para trazer de volta um dinossauro Velociraptor de médio porte.

Apesar de ousada, a idéia está encontrando apoio acadêmico de vários estudiosos. Sean Carroll, especialista em genética da Universdade de Wisconsin, declarou que um inventário aprofundado dos genes de um pássaro, certamente seria muito próximo de um inventário dos genes de um dinossauro.

Outro cientista que dá apoio é Hans Larsson, paleontólogo da Universidade McGill no Canadá. Ele conduziu um experimento sobre evolução dos dinossauros, mostrando exemplos de caudas longas em pássaros há 150 milhões de anos. A pesquisa mostrou que durante a fase embrionária de uma galinha, parece existir uma espécie de cauda, que desaparece antes de seu nascimento. Segundo ele, isso seria resquício de um passado distante que faz uma ligação com aves da época dos dinossauros.

Os pesquisadores acreditam que dentro de 100 anos será possível trazer de volta animais da época do Mesozóico, através das informações genéticas que eles deixaram nos atuais animais. “Por que não podemos trazer todas as informações genéticas? Basta alterá-las um pouco e produzir um Tyrannosaurus rex”, comentou o Dr. Horner.

Um biólogo especialista em desenvolvimento da Universidade de Wiscosin concorda plenamente: “À medida que aprendemos mais, nós vamos ser capazes de fazê-lo”.

Segundo Dr. Horner, o conhecimento genético de um pássaro será a grande chave. “Eu tenho que admitir que eu certamente imagino que exista um pouco de dino-galinha quando vejo uma galinha andando atrás de mim. Não existe nada que nos impeça de trazer de volta os dinossauros. As pessoas que não acreditam na evolução poderão ver o feito. Se isso é uma boa idéia ou não, já é uma outra questão…” concluiu.

Fonte: Jornal da Ciência