Reportagem conta superação de filha de diarista aprovada em medicina na UFRN

Fotos: Cleíldo Azevedo/Inter TV Cabugi

É destaque no portal G1-RN. Desde o resultado do Sistema Unificado de Seleção (Sisu), divulgado na terça-feira (28), a família de Raíssa Nascimento, de 21 anos, vive momentos de um sonho de infância da jovem. Moradora do bairro Guarapes, localidade pobre da Zona Oeste de Natal, e filha de diarista e pai de desempregado, ela foi aprovada no curso de medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), o mais concorrido da instituição.

“Eu tive muita ajuda da família, das minhas primas, dos meus professores, muito apoio. Principalmente quando se trata de uma pessoa negra, pobre e da periferia, se você não tiver ajuda de terceiros, você não vai pra frente. Foi difícil, foi. Mas a gente vai tentando e no final consegue”, disse Raíssa, que sempre estudou em escola pública.

Leia reportagem na íntegra aqui.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Fernando Antônio Ribeiro Bastos disse:

    A mediocridade de muitos com a ignorância e a famigerada radicalização política, faz com que alguns tentem apagar o BRILHO desta grande batalhadora e vencedora Raíssa. Parabéns, siga seus objetivos e que Deus ilumine seu caminho.

  2. mauricio disse:

    A classe médica pira, pois sobquerem seus filhos filhos la, ninguem quer cotas mas tb não querem melhorar a educação, então no momento só existe essa maneira de se ter uma chance

    • Dilma disse:

      Deixa de ser idiota, conheço centenas de médico que vieram de pobreza extrema, hoje fazem parte da elite. E não tem esses objetivos equivocados

  3. Ana Maria disse:

    Parabéns, sucesso você com certeza sera uma excelente profissional, desejo toda felicidade nessa nova trajetória profissional.

  4. Mily disse:

    Parabéns Raíssa! Sucesso em sua caminhada.

  5. Verdade disse:

    Chora não Bolsominiom.

    Evidente que todos não são iguais, mesmo a lei tentando garantir. "Todos são iguais perantea lei." Art.5 da CF.

    Essas são algumas possibilidades possíveis graças as conquistas das quotas, dos incentivos dos amigos, da existência mesmo precária das escolas públicas e da educação como direito.
    Parabéns linda.

    A sua força mostra que a realidade social individual e desa família pode mudar. tem determinação de superar os obstáculos.

    • Minion de Peixeira disse:

      Essa nobre moça prova justamente que não se precisa de vitimização ou quotas.

    • Dúvida disse:

      Verdade, ninguém é igual perante a lei como diz na CF, mas se as pessoas quiserem e lutarem ai sim podemos TODOS sermos iguais, basta parar de vitimização e com esta palhaçada.

      No momento que diz que negros precisam de cotas, ai sim é onde está o racismo, pois se tiver um negro e um branco, ambos pobres, qual a diferença? o negro será menos inteligente que o branco?

      Ou se um negro que sempre estudou em escola privada, que os pais tem uma renda de mais de R$30.000,00 mensais, e o loirinho do olho azul, favelado, filho de catador de latas, com notas iguais ao do negro não entrar na faculdade/concurso por motivo de cotas.

    • Verdade disse:

      Chora não BêBê.

      Rayssa só passou em medicina devido o apoio da família, da escola pública, de seus professores e dos amigos.

      Com tudo isso sem a existir a escola pública, educação enquanto direito, e a política de QUOTAS essa menina não teria passado em medicina ou outro curso.

    • Romualdo disse:

      Ela usou duas cotas, tomem tento, competir com quem estuda no ar-condicionado e é bem nutrido é de lascar.

  6. Bento disse:

    Parabéns nao existe lutas sem sacrifício.
    Agora a Vitória para coroar o esforço dela e de todos para atingir o objetivo

  7. natalsofrida disse:

    Alguém conhece algum negro que foi impedido de estudar?
    Muda Brasil! Somos todos brasileiros, negros, brancos etc, essa ideologia de separar o Brasil, não cola mais. Conheço muitos brancos, pardos e mestiços, que passaram pelos mesmos problemas, sem essa de vitimização.
    Vamos mudar a cabeça desses jovens, essa de tentar separar os de cor dos brancos não é legal
    Parabéns a nossa conterrânea.

    • Mily disse:

      Ótima colocação!

    • JBS disse:

      Existe diferença sim…..no Natal shopping ou UFRN sou negro, só na minha vizinhança é que não tem diferença, pois somos todos pobres. Racismo e preconceito ela vai passar na UFRN sim…sou do direito e senti na pele. O Brasil nunca foi igualitário ou justo. Vai ler imbecil…

  8. BOSCO disse:

    Sou pai ! Conheço de perto uma história similar! Que Deus a abençoe e a cubra de graças! Um sonho realizado !

  9. Souza disse:

    Parabéns à essa jovem. Com certeza será uma excelente profissional.
    Pessoas como essa é que merecem toda ajuda que possa ser oferecida.

VÍDEO: “Não tem credibilidade. Lamentavelmente, uma péssima imprensa que faz a Folha de S.Paulo”, diz Bolsonaro, ao comentar sobre secretário

Um dia depois de reportagem da Folha de S.Paulo mostrar que o chefe da Secom (Secretaria de Comunicação), Fabio Wajngarten, é sócio majoritário de uma empresa que recebe dinheiro do governo federal –incluindo a própria secretaria–, o presidente Jair Bolsonaro atacou o jornal. Em entrevista coletiva na saída do Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência, ele afirmou nesta 5ª feira (16.jan.2020) que a Folha faz uma “péssima imprensa”.

“Quando a Folha de S.Paulo vai fazer uma matéria desfazendo a covardia que vocês fizeram com a Wal de Manbucaba [cidade na região de Angra dos Reis]? Porque, quando vocês falaram que ele estava trabalhando, ela estava de férias, conforme boletim informativo da Câmara. Então, a Folha de S.Paulo não tem crédito para acusar ninguém. Não tem credibilidade. Lamentavelmente, uma péssima imprensa que faz a Folha de S.Paulo. Outra pergunta!”, falou.

Os apoiadores que aguardavam Bolsonaro na saída do Alvorada aplaudiram o presidente e gritaram “é isso aí, é isso aí!”. Eles ficam separados da imprensa por uma grade que bate na altura da cintura e costumam vibrar com os ataques aos jornais proferidos por Bolsonaro.

“Com relação ao Fabio…”, disse a repórter da Folha de S.Paulo, tentando retomar a pergunta inicial e sendo interrompida pelo presidente:

“Cai fora, Folha de S.Paulo. Vocês não têm moral para perguntar!”

“Isso aí! Boa!”, reagiram os apoiadores.

Num outro momento da coletiva de imprensa, Bolsonaro foi indagado se não falaria sobre o secretário especial da Secom. Respondeu da mesma maneira:

“Você é da Folha. Folha, fora! Não quero conversa com a Folha!”

“Muito bem!”, disseram apoiadores.

A entrevista prosseguiu, e Bolsonaro mais tarde foi novamente indagado pela profissional da Folha de S.Paulo. O assunto àquela altura era decisão do presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Dias Toffoli, sobre juiz de garantias.

“Já falei que a Folha está fora”, disse Bolsonaro, sorrindo e olhando para seus apoiadores.

“Ihiii”, respondeu o grupo, aplaudindo e dando risos.

“Você não aprende que a Folha está fora? A Folha é 1 lixo! A Folha é 1 lixo! A Folha de S.Paulo, Datafolha: eu perderia para todo mundo no 2º turno. Vocês não têm vergonha na cara? Ainda vem aqui fazer plantão? Eu sei que você não é dona da Folha, está cumprindo o seu papel lá para tentar infernizar o governo. Qual a pauta positiva a Folha fez do governo até hoje? Nada. Zero. O 13º do Bolsa Família vocês não deram, na capa não apareceu nada. Se fosse do PT, que dava bilhões para a grande mídia o ano todo, estaria elogiando o Lula. Enquanto a mim é só pancada o tempo todo. Acabou a mamata, Folha de S.Paulo!”

FABIO WAJNGARTEN

Questionado por outro repórter se achava que o secretário especial Fabio Wajngarten deveria ser afastado do cargo, Bolsonaro falou:

“Cara, eu não vou te responder isso aí. Se for ilegal, a gente vê lá na frente. Mas, pelo que eu vi até agora, está tudo legal com o Fabio. Vai continuar, é 1 excelente profissional. Se fosse uma porcaria igual alguns que tem por aí, ninguém estaria criticando ele.”

Essa foi a última resposta dada por Bolsonaro aos repórteres, numa entrevista que durou 7 minutos e 40 segundos na saída do Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência.

Diário do Poder

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Luiz Antônio disse:

    Como disse o general terraplanista:”o cara é muito despreparado “…

  2. Bento disse:

    Calma o Mito sabe o que esta fazendo
    Tem que apurar.
    Não é só porquê a "foia" levantou uma lebre, construiu sua narrativa, que quer dizer que seja verdade..
    Tem que apurar, pra que a pressa, deixem de chililiques, a verdade sempre aparece.
    O partido dos trambiqueiros passou 16 anos metendo a mão com força, muitos foram condenados, a maioria fora da cadeia e ainda dizem inocentes.
    O direito a defesa esta na constituição
    Tenham calma.

  3. Bolsominion disse:

    “A Folha de S.Paulo não tem moral para acusar ninguém”. Palavras do presidente que já mentiu ao acusar brigadistas, ONGs, Leonardo di Caprio, mamadeira de piroca, kit gay e que deu 82 declarações falsas em apenas 68 dias, segundo levantamento de jornal.

    • Vergonha nacional disse:

      Bom mesmo para essas coisa era o VAGABUNDO MOR Dr.LULADRAO !!!!
      Esse fazia doação de dinheiro público para países sugadores ( DITADORES ) a fundo perdido …etc

    • Mortadela disse:

      Não tem nada melhor para fazer do que ficar mentindo?
      Onde você estava quando foi enganado por 16 anos e foram estabelecidos os maiores índices de corrupção que o Brasil tem notícia?
      Quando foi que se preocupou a presidência quando tivemos no cargo criaturas sem a menor condição moral, por sinal, um já foi condenado, a outra está em vias disso.

    • Bolsominion disse:

      Vergonha Nacional, Lula é ladrão sim e tu é babão de político.

  4. natalsofrida disse:

    Pra pergunta burra, resposta nervosa.
    Esse é o cara!!!!!!

  5. Silva disse:

    É um louco de pedra, nem luladrão foi capaz de ter uma justificativa tão esfarrapada.

Quem matou Celso Daniel? Reportagem fala de fita com pistas sobre o assassinato e até um pedido de Lula “para esquecer assunto”

Foto: Reprodução

A reportagem de capa da nova edição da Crusoé revela uma outra história sobre o crime que assombra o PT há quase duas décadas: a morte de Celso Daniel.

“Uma fita com pistas sobre o assassinato. Um pedido de Lula e um amigo para esquecer o assunto. Uma invasão de bandidos em busca de provas contra petistas.”

O mistério da fita

O Antagonista, com Crusoé

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ana Bueno disse:

    Sempre me pergunto: alguém leu O CHEFE, do Ivo Patarra ? Alguém leu o O ASSASSINATO DE REPUTAÇÕES ? De Romeu Tuma Jr. ? Por que será que esses dois não foram processados por calúnia ? Por que será que todas aquelas denúncias ficaram por isso mesmo ? EU NUNCA DISSE ISSO.

  2. Ojuara disse:

    Essa quadrilha de PTralhas atua a muito tempo e esse foi so um dos crimes cometido por esse bando. LULADRAO está envolvido em tudo de ruim em nosso país nós últimos trinta anos. O canalha tem que voltar o mais rápido para cadeia.

  3. Fábio disse:

    Deve ter sido o Presidente Bolsonaro.

    • Dilma disse:

      Por favor esqueça isso, melhor saber sobre a rachadinha de Flávio, que todos o poderes legislativos municipais, estaduais e congresso praticam, e até outros poderes

    • Flavio disse:

      Foi morto por não aceitar entrar no esquema de corrupção proposto por luladrao.

Reportagem destaca homem que ficou 2 anos preso por engano no lugar do irmão no RN: “jamais vou esquecer”

Foto: Emmily Virgílio

“Não era para ter deixado que eu passasse dois anos preso sem ter feito nada. O que eu passei eu jamais vou esquecer na minha vida”. A declaração é do agricultor Eldis Trajano da Silva, de 36 anos, que passou dois anos e três meses preso no lugar do irmão, Eudes Trajano da Silva. Eldis – com L – foi preso em 2017. O erro só foi corrigido no último dia 9 de dezembro, quando ele foi solto. A reportagem é destaque no portal G1-RN.

Segundo a advogada do agricultor, policiais o abordaram, perguntaram o nome dele e mandaram que ele entrasse no carro dizendo que o levariam para casa. Os policiais estavam atrás de Eudes, com “u” no início e “e” no final, irmão dele.

Quando passou da entrada da comunidade, Eldis relatou perceber que não estava sendo levado para casa. “E no momento desse cumprimento, em vez de levarem o Eudes com U, levaram Eldis com L”, disse Marilene Batista de Oliveira, advogada que defendeu o homem.

De acordo com Henrique Baltazar, juiz de Execuções Penais, Eldis foi preso no lugar do irmão em agosto de 2017. Segundo o magistrado, nesta época o sistema de identificação criminal não fazia exames de impressão digital, o que comprovaria que Eldis não era fugitivo. “Não havia nenhum outro tipo de sistema que pudesse confirmar que aquela pessoa era quem devia ser”, disse.

Para a advogada, a sensação é de espanto por não ter sido feito nenhum levantamento para identificar o detento. “Não consigo imaginar como alguém pode estar preso sem ter sua identificação, seja a civil ou criminal”, observou Marilene.

Leia todos os detalhes aqui em reportagem completa.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Brasil disse:

    Dá oque pra quem errou? Porra nenhuma, isso é o judiciaro do pais

  2. Sérgio disse:

    Imagine se tivesse pena de morte nesse país!

  3. Francisco disse:

    QUEM DISSE QUE A JUSTIÇA NÃO ERRA?

  4. Mauro Revoredo Albuquerque disse:

    Isso acontece por um fato estranho e até simples: Por não ser adotado no sistema prisional e criminal no Brasil um sistema informatizado de identificação dos criminosos e de digitais do povo.
    Em pleno mundo digital as polícias militar e civil não possuem um sistema único de registro de criminosos e procurados.
    Cada um tem seu sistema, cada estado e corporação policial tem sua base de informações e cada um trabalha isolado do outro. Então acontece esse tipo de barbaridade.
    Qual a razão desse isolamento? O que justifica não existir um sistema único em cada estado, integrado a uma base de informações de todo Brasil?
    Não tem justificativa plausível para isso, a não ser que o STF vá impedir um serviço desse alegando falta de recursos como fez para impedir a impressão do voto.
    MUDA BRASIL… Precisamos de segurança, ordem e progresso

Suspeito de matar enteado de 5 anos envenenado na Zona Sul de Natal é solto em audiência de custódia, destaca reportagem

O portal Agora RN destaca nesta terça-feira(17) que o homem suspeito de ter matado o próprio enteado de 05 anos envenenado – na zona Sul de Natal no final de semana – foi solto após audiência de custódia realizada nessa segunda(16).  O padrasto havia sido preso no sábado, 14, dia em que o caso foi registrado pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Polícia Civil.

O homem foi preso sob a acusação de homicídio qualificado. O crime aconteceu em Candelária, bairro da zona sul de Natal. Para o juiz responsável pela audiência de custódia, não houve elementos de flagrante que sustentassem a prisão do suspeito. No entanto, o padrasto da criança será processado judicialmente e terá que cumprir uma série de medidas cautelares. Leia mais detalhes e entenda caso aqui em texto na íntegra.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Moro disse:

    Divulga o nome do Juiz?

  2. Sincero disse:

    Se fosse com o filho do juiz o que ele faria?

VÍDEO: Reportagem entra nas ruínas do Hotel Reis Magos, em Natal

Foto: Reprodução/Via Certa Natal

O Via Certa Natal destaca em suas redes sociais a primeira parte da matéria que mostra as ruínas do hotel Reis Magos.

“Neste ano estamos comemorando dez anos no ar e para marcar essa data com chave de ouro resolvemos entrar nas ruínas do hotel Reis Magos, a primeira equipe de reportagem a entrar no local após seu fechamento em 1995”,

O Via Certa Natal ainda destaca que após a publicação do vídeo, a empresa que administra o hotel emitiu uma nota que pode ser lida abaixo.

“Preocupada com os riscos de desabamento a qualquer momento, a empresa Hotéis Pernambuco S/A, proprietária das ruínas do prédio onde funcionou o Hotel Reis Magos, na Praia do Meio, anuncia que irá fechar completamente o muro do prédio para evitar a entrada de pessoas.

A empresa também notificou o Governo do RN sobre os perigos que moradores vizinhos podem correr, com relação à saúde pública. Apesar da decisão da Prefeitura do Natal ser pela demolição, a ação não foi autorizada pelo Governo do RN, contrariando também os anseios da proprietária.

Com um processo de tombamento que se arrasta há seis anos, a Hotéis Pernambuco S/A explica que a recuperação do imóvel é financeiramente inviável à empresa.”

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Manoel disse:

    Qué isso! Nada de deixar empresários ganharem dinheiro e gerar emprego e renda! O bom mesmo é usar dinheiro público para, dentro de uns 20 anos, transformar esse prédio em mais um elefante branco… Ou então deixar o MST ou MTST invadir …

  2. Raimundo Correia Lopes disse:

    Os entraves burrocráticos que a cidade do Natal vem passando fez a bela capital potiguar, depois de décadas, ficar atrás, bem aquém da vizinha João Pessoa.
    Natal era uma capital que o povo paraibano reverenciava, hoje a coisa mudou completamente.
    João Pessoa se mostra mais estruturada, evoluída, dinâmica, bonita e segura que Natal, infelizmente para nós que estamos presos a uma visão pequena e mesquinha da politicagem e vaidade daqueles que formam os entes públicos.
    Até a pequena Aracaju faz frente a Natal hoje, com os avanços da cidade, a organização de suas ruas e construções, evolução gastronômica e a cidade viva que se tornou.
    Vejamos o exemplo do parque da cidade, um excelente espaço que a família deveria ir e prestigiar. Quem vai, dificilmente volta.
    É um espaço praticamente "morto"!
    Não tem dinâmica, não tem opções, não oferece nada além das trilhas para caminhada.
    Sequer locais para comprar ou tomar água, um suco, um lanche rápido.
    Poderia ter um espaço kids, para os pais deixarem seus filhos enquanto fazem sua caminhada. Mas não, a teimosia e soberba determinou o contrário, lá não tem nada, absolutamente nada! Sendo justo, tem um pequeno e escondido museu da fauna nordestina e biblioteca que a maioria que ali vai, nem sabe da existência.
    Nossa orla deixou de evoluir e se tornou a menos atrativa das capitais nordestina.
    Enfim, Natal não teve a evolução e crescimento que deveria, enquanto as demais capitais nordestinas, cresceram, se modernizaram, criaram atrações e opções.
    A única coisa que cresceu em Natal foram os preços, o quanto seus moradores e turistas precisam desembolsar para desfrutar do pouco que existe.

  3. chibatazil disse:

    Retrato fiel do descaso, do abandono e do atraso de nossa cidade. Natal e o RN têm o mais belo litoral do Nordeste, mas por outro lado, é também o mais feio, em face do abandono, incompetência e inoperância do Poder Público. O finado hotel reis magos é o maior exemplo disso, mas basta dar uma volta pela nossa orla urbana, a partir da Praia dos Artistas e indo até as praias do litoral norte, em especial, pra ser ver o enorme potencial econômico que está sendo desprezado e se transformando em lixo, literalmente.

Diretor de jornalismo da Globo elogia em “nota interna” reportagem sobre o porteiro e revela bastidores

Foto: Reprodução

O diretor de jornalismo da Rede Globo, Ali Kamel, divulgou uma nota interna de elogio aos jornalistas envolvidos na reportagem do Jornal Nacional que revelou a história do porteiro do condomínio de Jair Bolsonaro, depoente no caso do assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes.

Eis a nota na íntegra:

“Há momentos em nossa vida de jornalistas em que devemos parar para celebrar nossos êxitos.

Eu me refiro à semana passada, quando um cuidadoso trabalho da editoria Rio levou ao ar no Jornal Nacional uma reportagem sobre o Caso Marielle que gerou grande repercussão. A origem da reportagem remonta ao dia 1° de outubro, quando a editoria teve acesso a uma página do livro de ocorrências do condomínio em que mora Ronnie Lessa, o acusado de matar Marielle. Ali, estava anotado que, para entrar no condomínio, o comparsa dele, Elcio Queiroz, dissera estar indo para a casa 58, residência do então deputado Jair Bolsonaro, hoje presidente da República. Isso era tudo, o ponto de partida.

Um meticuloso trabalho de investigação teve início: aquela página do livro existiu, constava de algum inquérito? No curso da investigação, a editoria confirmou que o documento existia e mais: comprovou que o porteiro que fez a anotação prestara dois depoimentos em que afirmou que ligara duas vezes para a casa 58, tendo sido atendido, nas palavras dele, pelo “seu Jair”. A investigação não parou. Onde estava o então deputado Jair Bolsonaro naquele dia? A editoria pesquisou os registros da Câmara e confirmou que o então deputado estava em Brasilia e participara de duas votações, em horários que tornavam impossível a sua presença no Rio. Pesquisou mais, e descobriu vídeos que o então deputado gravara na Câmara naquele dia e publicara em suas redes sociais. A realidade não batia com o depoimento do porteiro.

Em meio a essa apuração da Rio (que era feita de maneira sigilosa, com o conhecimento apenas de Bonner, Vinicius, as lideranças da Rio e os autores envolvidos, tudo para que a informação não vazasse para outros órgãos de imprensa), uma fonte absolutamente próxima da família do presidente Jair Bolsonaro (e que em respeito ao sigilo da fonte tem seu nome preservado), procurou nossa emissora em Brasilia para dizer que ia estourar uma grande bomba, pois a investigação do Caso Marielle esbarrara num personagem com foro privilegiado e que, por esse motivo, o caso tinha sido levado ao STF para que se decidisse se a investigação poderia ou não prosseguir. A editoria em Brasilia, àquela altura, não sabia das apurações da editoria Rio. Eu estranhei: por que uma fonte tão próxima ao presidente nos contava algo que era prejudicial ao presidente? Dias depois, a mesma fonte perguntava: a matéria não vai sair?

Isso nos fez redobrar os cuidados. Mandei voltar a apuração quase à estaca zero e checar tudo novamente, ao mesmo tempo em que a Editoria Rio foi informada sobre o STF. Confirmar se o caso realmente tinha ido parar no Supremo tornava tudo mais importante, pois o conturbado Caso Marielle poderia ser paralisado. Tudo foi novamente rechecado, a editoria tratou de se cercar de ainda mais cuidados sobre a existência do documento da portaria e dos depoimentos do porteiro. Na terça-feira, dia 29 de outubro, às 19 horas, a editoria Rio confirmou, sem chance de erro, que de fato o MP estadual consultara o STF.

De posse de todas esses fatos, informamos às autoridades envolvidas nas investigações que a reportagem seria publicada naquele dia, nos termos em que foi publicada. Elas apenas ouviram e soltaram notas que diziam que a investigação estava sob sigilo. Informamos, então, ao advogado do presidente Bolsonaro, Frederick Wassef, sobre o conteúdo da reportagem e pedimos uma entrevista, que prontamente aceitou dar em São Paulo. Nela, ele desmentiu o porteiro e, confirmando o que nós já sabíamos, disse que o presidente estava em Brasília no dia do crime. Era madrugada na Arábia Saudita e em nenhum momento o advogado ofereceu entrevista com o presidente.

A reportagem estava pronta para ir ao ar. Tudo nela era verdadeiro: o livro da portaria, a existência dos depoimentos do porteiro, a impossibilidade de Bolsonaro ter atendido o interfone (pois ele estava em Brasilia) e, mais importante, a possibilidade de o STF paralisar as investigações de um caso tão rumoroso. É importante frisar que nenhuma de nossas fontes vislumbrava a hipótese de o telefonema não ter sido dado para a casa 58. A dúvida era somente sobre quem atendeu e só seria solucionada após a decisão do STF e depois de uma perícia longa e demorada em um arquivo com mais de um ano de registros. E isso foi dito na reportagem. Quem, de posse de informações tão relevantes, não publica uma reportagem, com todas as cautelas devidas, não faz jornalismo profissional.

Hoje sabemos que o advogado do presidente, no momento em que nos concedeu entrevista, sabia da existência do áudio que mostrava que o telefonema fora dado, não à casa do presidente, mas à casa 65, de Ronnie Lessa. No último sábado, o próprio presidente Bolsonaro disse à imprensa: “Nós pegamos, antes que fosse adulterada, ou tentasse adulterar, pegamos toda a memória da secretária eletrônica que é guardada há mais de ano”.

Por que os principais interessados em esclarecer os fatos, sabendo com detalhes da existência do áudio, sonegaram essa informação?

A resposta pode estar no que aconteceu nos minutos subsequentes à publicação da reportagem do Jornal Nacional.

Patifes, canalhas e porcos foram alguns dos insultos, acompanhados de ameaças à cassação da concessão da Globo em 2022, dirigidos pelo presidente Bolsonaro ao nosso jornalismo, que só cumpriu a sua missão, oferecendo todas as chances aos interessados para desacreditar com mais elementos o porteiro do condomínio (já que sabiam do áudio).

Diante de uma estratégia assim, o nosso jornalismo não se vitimiza nem se intimida: segue fazendo jornalismo. É certo que em 37 anos de profissão, nunca imaginei que o jornalismo que pratico fosse usado de forma tão esquisita, mas sou daqueles que se empolgam diante de aprendizados. No dia seguinte, já não valia o sigilo em torno do assunto, alegado na véspera para não comentar a reportagem do JN antes de ela ir ao ar. Houve uma elucidativa entrevista das promotoras do caso, que divulgamos com o destaque merecido: o telefonema foi feito para a casa 65, quem o atendeu foi Ronnie Lessa, tudo isso levando as promotoras a afirmarem que o depoimento do porteiro e o registro que fez em livro não condizem com a realidade. O Jornal Nacional de quarta exibiu tudo, inclusive os ataques do presidente Bolsonaro ao nosso jornalismo, respondidos de forma eloquente e firme, mas também serena, pela própria Globo, que honra a sua tradição de prestigiar seus jornalistas. Estranhamente, nenhuma outra indagação da imprensa motivada por atitudes e declarações subsequentes do presidente foi respondida. O alegado sigilo voltou a prevalecer.

Mas continuamos a fazer jornalismo. Revelamos que a perícia no sistema de interfone foi feita apenas um dia depois da exibição da reportagem e num procedimento que durou somente duas horas e meia, o que tem sido alvo de críticas de diversas associações de peritos.

Conto tudo isso para dar os parabéns mais efusivos à editoria Rio. Seguiremos fazendo jornalismo, em busca da verdade. É a nossa missão. Para nós, é motivo de orgulho. Para outros, de irritação e medo.”

Ali Kamel

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Pedro disse:

    Como justificar e qual a real motivação de soltar uma materia, como se admite, falsa, tendo bastante tempo não ter sido questionado, o alvo que se queria atingir, Sr. Ali Kamel, vcs deram uma barrigada, atiraram numa mosca e acertaram bem no peito de vcs, não se justifica o injustificável, pedir desculpas Seria mais educado, fino e honesto. Infelizmente ou felizmente vcs tem contas para acertar com o Brasil , que de passagem não é de vcs. A Globo como concessão deveria estar a serviço da verdade, seja lá de onde viesse. Vcs estão sempre a favor dos seus interesses, pena que agora o mandatário não está a seu soldo.

  2. aof disse:

    A mesma postura da Globo, evidenciada desde a primeira entrevista com o então candidato Jair Bolsonaro: antipatia e hostilidade. O cofre um dia seca. A chave do cofre está do outro lado.

  3. Sem Político de Estimação disse:

    Muito bem rede Globo, continuem investigando e informando à população os podres de TODOS os governos. Se não gosta da Globo vão assistir Edir Macedo e Sílvio Santos.

  4. Véi de Rui disse:

    O diretor de jornalismo ia dar uma de Carrile e detonar seus comandados? Claro que tá livrando o seu da reta!

  5. Antenado disse:

    Tão bestinha

Praia de Galinhos, no Rio Grande do Norte, é a nova descoberta do verão, destaca reportagem da Folha de SP

Foto: Reprodução/Youtube

Nem Pipa nem São Miguel do Gostoso. Na próxima temporada, um areal rodeado por dunas, com piscinas naturais desertas e que atende pelo nome de Galinhos é o lugar para quem quer distância de badalação e procura refúgio em praias do Rio Grande do Norte. Colado a ele está o seu distrito vizinho, Galos.

Não é tarefa das mais fáceis chegar a esse pedaço da costa pouco explorado pelo turismo de massa, localizado a cerca de 170 km da capital, Natal.

Isolado por dunas e água salgada, Galinhos fica na ponta de uma península, braço de terra que avança sobre o mar, ocupando área de 342 km².

A pequenina cidade é acessível por barco, bugueiros aventureiros ou até por automóveis tração 4×4, conduzidos por quem conhece a região e, mesmo assim, corre o risco de ficar atolado na areia fofa.

O jeito mais rápido e, digamos, cômodo de alcançar aquelas terras é sair de Natal ou São Miguel do Gostoso por estrada de asfalto, a BR-406.

A viagem, de aproximadamente duas horas, corta a vegetação da caatinga, cruza cidadezinhas perdidas no tempo e passa no meio de salinas.

O ponto final é o estacionamento do porto de Pratagil, mantido pela prefeitura, gratuito e com segurança 24h. De lá, é só tomar um dos barcos que fazem a travessia para desembarcar no destino final em um trajeto de 15 minutos.

Outra opção, recomendada para os mais aventureiros, é seguir de bugue de São Miguel de Gostoso até Galinhos, percorrendo 80 km, passando por praias desertas do litoral norte potiguar.

Qualquer que seja a escolha, o esforço justifica-se caso você procure por ambientes tranquilos, nos quais a natureza opera soberana.

Galinhos tem praias tranquilas de águas mornas e transparentes. É um lugar rústico. Suas poucas ruas são calçadas de paralelepípedos. A maioria segue de areia, onde circulam bugues ou burros-táxi, charretes puxadas pelos bichinhos —o passeio até o farol leva meia hora e custa R$ 30.

Erguida em 1931, a construção orienta navegações na região. É também um ponto para ver o pôr do sol, na praia do Farol. Esse trecho é o mais seco da costa brasileira: as raras chuvas concentram-se entre março e abril.

Cercado por uma atmosfera bucólica e acolhedora, Galinhos e seu distrito vizinho, Galos, têm menos de 3.000 moradores. Os dois destinos caíram no gosto de estrangeiros, sobretudo franceses, que fogem do agito de Natal e Pipa, à procura de praia intocada.

As duas localidades fazem parte da Costa Branca, roteiro marcado pela vegetação da caatinga, dunas multicoloridas, falésias, extensas praias desertas e uma das maiores produções de sal do Brasil.

O nome do município está associado a antigas histórias de pescaria. Antigamente, ali havia o peixe-galo, mas uma espécie um pouco menor, conhecida como “galinhos”. Na praia ao lado, a 3 km na direção leste, a pescaria era outra, mais graúda: a de peixes-galo do alto, esses, bem maiores. Assim, as praias foram batizadas por moradores, respectivamente, de Galinhos e Galos.

Quem dita a pauta da estadia é a natureza. Lagoas se transformam em piscinas naturais. Ao sabor da maré, praias isoladas surgem. Horas depois, desaparecem. Montanhas de sal embranquecem o horizonte.

Muita gente confunde, mas o traço largo de água que separa a cidade do continente é um braço de mar —e não um rio.

Nele, há um mangue preservado, que abarca berçários de caranguejos e ostras que se fixam nas raízes, além de cavalos-marinhos, peixes-morcegos e estrelas-marinhas. Devido à alta concentração de sal na água, é fácil simplesmente ficar boiando.

É nesse cenário que ocorrem tours gastronômicos preparados pelo nativo Júnior Tubarão, 29. Em seu passeio de barco, mostra espécies de plantas, peixes, aves, como a rara garça-azul. Faz uma pausa num lugar chamado Gamboa da Areia, para coletar ostras que serão saboreadas pelos visitantes, junto com vinho branco e espumante.

Ele escolhe uma praia deserta para a parada na qual provaremos ceviche de cavala-branca, molho manguezal e sashimi de pescada. O passeio de quatro horas para grupos de quatro sai por R$ 130/pessoa —bebidas à parte.

Bem diante de cata-ventos gigantes do parque eólico na Dunas do Capim, o percurso segue. Desta vez, de bugue, cruzando montes de areia com paradas estratégicas para apreciar o Atlântico.

É bom proteger a boca e os olhos porque ali venta a dedéu, com correntes que chegam a 50 km, ideais para a prática de esportes náuticos, como o winde e o kitesurfe.

Em Galinhos e Galos, o visitante precisa de disposição para caminhar, para desbravar, para encarar dunas, mas é agraciado com banhos relaxantes em praias calmas.

Para isso, precisa, sobretudo, esquecer o luxo. Já existem, porém, pousadinhas charmosas tocadas em sua maioria por estrangeiros.

Para evitar perrengue, outra dica: leve dinheiro em espécie, apesar de ser crescente o número de estabelecimentos que trabalham com cartão de crédito e débito. Em Galinhos, tampouco em Galos, não há bancos nem caixas eletrônicos.

PACOTES

2 noites em Galinhos, na Top Brasil Turismo (topbrasiltur.com.br)
Com café da manhã, na pousada Peixe Galo, em acomodação dupla .Preço por pessoa. Pacote não inclui passagens aéreas

R$ 1.915
6 noites entre Natal e Galinhos, na Maringá Lazer (maringalazer.com.br)
Com café da manhã, no D Beach Resort, com acomodação dupla. Hospedagem em Natal. Inclui city tour pela capital potiguar, passeio à praia de Galinhos e traslados. Preço por pessoa. Com passagens aéreas a partir de São Paulo. Pacote entre os dias 19 e 25 de março

R$ 1.957
7 noites em Natal, na Submarino Viagens (submarinoviagens.com.br)
Com café da manhã, no hotel Recanto da Costeira, em acomodação dupla. Preço por pessoa. Pacote inclui passagens aéreas com embarque em São Paulo

R$ 3.850
5 noites em Touros, na Abreu (abreutur.com.br)
Com regime de alimentação all-inclusive, no hotel Vila Galé Touros, em acomodação dupla. Inclui traslados entre o aeroporto de Natal e o destino. Preço por pessoa. Com passagens aéreas a partir de São Paulo. Pacote entre os dias 5 e 10 de fevereiro

Folha de SP

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tarcísio Eimar disse:

    Lugar bacana e bom demais, só faltava colocar mais uma dose de açúcar na água

  2. Geni disse:

    Conheço Galinhos, e em especial Galos. É um paraíso que vou pelo menos uma vez ao ano. Tranquilidade total e energias renovadas

  3. Alguém disse:

    HAHAHAHHAHA
    Deixe chegarem aqui, preço exorbitantes, atendimento péssimo, assalto na ida ou volta do aeroporto.

    Sucesso garantido.

    • Dr. Veneno disse:

      Va conhecer Galinhos e renovar suas energias.
      Deixe de negativo. O q vc relatou pode muito bem não acontecer.

    • Diogo disse:

      Né isso, qualquer coisa q fale do RN o pessoal já mete desgraça, isso que é ódio interno.

VÍDEO: Reportagem mostra talento de potiguar multicampeã no judô e jiu-jitsu nacional e internacional

Noticiada por este Blog desde as suas primeiras conquistas, Ana Beatriz de Freitas Malta Feitosa, de 13 anos, conhecida como Bia, foi a única atleta potiguar convocada pela seleção brasileira de Judô para participar do Pan Americano de Judô, que será realizado em Guadalajara, no México, entre os dias 06 a 10 de novembro. Um feito grandioso.

A atleta de judô da Nagashima Futuro Campeão e de jiu-jitsu na Gracie Barra Natal coleciona conquistas nas duas artes marciais e vem sendo apontada como uma das grandes promessas do esporte potiguar e nacional. Confira abaixo excelente reportagem da TV Ponta Negra contando um pouco da história de Bia e sua preparação para a competição internacional.

FOTOS E VÍDEO: Venezuelanos refugiados pedem dinheiro nas ruas de Natal, destaca reportagem

Foto: Anna Alyne Cunha/Inter TV Cabugi

Uma reportagem do portal G1-RN destaca nesta quarta-feira(18) pelo menos seis famílias, sem abrigo, que chegaram a Natal há quatro dias.

Parte deste grupo de refugiados da Venezuela, formada por mulheres e crianças, se reuniu no semáforo do cruzamento entre a Avenida Prudente de Morais e a rua Mossoró, em Petrópolis, Zona Leste. Os pedidos são os mesmos.

Os estrangeiros dizem que entraram no Brasil há dois meses, por Roraima. De carona, foram até Fortaleza (CE) e chegaram a Natal em seguida. Todos estão hospedados em um hotel de baixo custo próximo à rodoviária, onde pagam R$ 20 por pessoa a diária.

Veja reportagem aqui.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Silva disse:

    Procurem a acessória da deputada Bonavides, que certamente eles dão abrigo, no hotel reis magos, agora corram que ela está se mudando de mala e cuia pra lá.

  2. Arnaldo Franco disse:

    Nessa hora temos que esquecer por que eles sairam de seu País. Os governantes tem que acolhe-los e a população tem que ajuda-los. O Brasil é acolhedor por natureza e Natal não seria diferente.

  3. Araújo disse:

    DIRETÓRIO ESTADUAL DO PSOL DO RIO GRANDE DO NORTE
    Rua José de Alencar, 776, Cidade Alta – CEP 59025140 – Natal / RN

    Telefone (84)99927-1171 / 988483499

  4. FERNANDO disse:

    PESSOAL ! VENDO VOCÊS FALAREM ASSIM NÃO CONSIGO ENTENDER , HAJA VISTA QUE O POVO BRASILEIRO SEMPRE FOI UM POVO ACOLHEDOR , RECEBENDO OS ESTRANGEIROS MUITO BEM, TEMOS ESPAÇO DE SOBRA PARA TODOS. O BRASIL DESDE O SÉCULO 19 RECEBEU UM MONTE DE ITALIANOS, ALEMÃES, ÁRABES ETC. NÃO SOMOS XENÓFOBOS. O FATO DELES SEREM DE UM PAÍS ONDE HÁ UMA DITADURA NÃO É CULPA DELES.

    ALÉM DO MAIS, JESUS SEMPRE PREGOU O AMOR ENTRE OS IRMÃOS SEJA BRASILEIRO OU ESTRANGEIRO.

  5. Netto disse:

    Eu cantei essa pedra. Era cheio de gente cobrando que nós (os reaças) éramos manipulados por só estarmos preoupados com a Venezuela, enquanto o Mundo está coalhado de ditadruras. Eu dizia que an Venezeula era problema que nos afetava, pois os refugiados já estavam nas capitais do Norte e não tardariam a chegar aos nossos cruzamentos. ELES CHEGARAM. E antes que algum vigarista venha botar a culpa no embargo americano (que do ponto de vista de ações no campo econômico são recentes – até há pouco, e parece que não mudou, os EUA são o país para onde a Venezuela mais compra e vende), saiba que o país já apresentava escassez de produtos em pleno pico do preço do petróleo. O país quebrou por causa de medidas socialistas (expropriações, estatizações, controles brutais de preços, contratos e cãmbio, intevencionismo hardcore).

    • Almir disse:

      O PROBLEMA NÃO É O SOCIALISMO (ESQUERDA), POIS EXISTEM GOVERNOS SOCIALISTAS NO MUNDO (ESPANHA, DINAMARCA, SUÉCIA , FINLÂNDIA etc..), TODOS DEMOCRÁTICOS E GOVERNADOS POR PARTIDOS SOCIAIS. O RUIM É SER UMA DITADURA SEJA DE ESQUERDA OU DIREITO.

    • Netto disse:

      Esses países não são socialistas. São países dos mais livres para se empreender no Mundo, que depois que ficaram ricos por causa do liberalimo, começaram a fazer graça com dinheiro e a criar leis ambientais e trabalhistas mais rigorosas. Alguns se arrependeram dos exageros e estão voltando atrás (como a Suécia).

    • Netto disse:

      Socalismo é um problema (se não quiser chamar de socialismo, chame de medidas socialistas). Alguma intervenção estatal na vida das pessoas é até desejável, o problema é quando se erra a mão e começa a tornar difícil empreender ou torna as pessoas muito dependentes do Estado.

    • Netto disse:

      Noruega é um país com população da Cidade do RJ que produz 2/3 do que o Brasil produz de petróleo (dá um per capita nas nuvens). Mesmo assim, eles não pegam toda a grana da venda para gastar praticamente in natura, como fizeram os chavistas. Eles investem em ativos pelo mundo afora e daí tiram os lucros.

  6. Murilo disse:

    Uma boa Ideia seria mandar todos para casa da Deputada Nathalia Bonavides, ela é fã do Governo Maduro e acha a Venezuela exemplo de Democracia da América do Sul

    • joaozinho da escola disse:

      Nao daria certo.. ela colocaria a conta pra os bestas, os trabalhadores, pagarem.. e ainda sairia com aquela cara de riso que ela faz o tempo todo.. rindo da cara do povo bobo que votou nela e dizendo que a culpa é da elite na qual ela mesma faz parte.

  7. Ivan disse:

    Esse tem cara de quem votou 2x em Chavez e em Maduro em troca de um mingau…

  8. francisco Carlos Xavier disse:

    Com pessoal veio o sarampo de volta para o Brasil

  9. Sérgio Nogueira disse:

    O endereço do Diretório do PT, aquele que diz que Maduro é tudo na vida é este:
    R. Dr. José Borges, 1477 – Lagoa Nova, Natal – RN, 59056-040
    Telefone: 2226-7308

Cúpula da Época pede demissão por reportagem com nora de Bolsonaro

Foto: Reprodução/Instagram

Três membros do alto escalão de revista Época pediram demissão nesta terça-feira (17) após a repercussão negativa de uma matéria sobre a atuação de Heloisa Wolf Bolsonaro, esposa de Eduardo, como coach e psicóloga.

Publicada na última edição da revista, que entrou em circulação nesta segunda-feira (16) e também divulgada na internet, a reportagem “uma Bolsonaro ensina a vencer na vida” foi duramente criticada pela família presidencial e por seus apoiadores.

Após as respostas negativas, a cúpula da revista soltou uma nota afirmando que analisou a reportagem e que ela não extrapolava os limites éticos do jornalismo. Pouco depois o Grupo Globo publicou outra nota em que rebatia o entendimento dos gestores, confirmando que a matéria havia sim extrapolado a ética jornalista.

Assim, diante das divergências, os três membros da cúpula da Época pediram demissão do Grupo Globo. Ainda não há confirmação se os pedidos foram aceitos.

Na matéria, o repórter conta como foi seu mês de sessões com a nora do presidente da República, em que, segundo o relato, foram discutidas questões políticas e até o possível descontentamento do povo paulista com o deputado, eleito com maior número de votos da história, por sua intenção em se tornar embaixador brasileiro em Washington, nos Estados Unidos.

R7

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Manoel disse:

    É! Brasil véi tá mudando: Quem lacra não lucra!

Com base em reportagem, MP do Rio investiga Carlos Bolsonaro por suposto uso de funcionários fantasmas

 Foto: Gabriel Monteiro / Agência O Globo

O Ministério Público estadual do Rio abriu dois procedimentos para investigar as denúncias de uso de funcionários fantasmas e a eventual prática de “rachadinha”, como é conhecida a devolução de salários, no gabinete do vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ). As investigações foram abertas com base em reportagem publicada por ÉPOCA em junho que revelou que Carlos empregou sete parentes de Ana Cristina Valle, ex-mulher do presidente Jair Bolsonaro e sua madrasta. Dois admitiram à reportagem nunca terem trabalhado para o vereador, embora estivessem nomeados. O MP ainda apura suspeitas de que outros três profissionais nunca deram expediente na Câmara.

A partir de um pedido com base na Lei de Acesso à Informação, o MP confirmou os dois procedimentos, mas informou que ambos tramitam sob segredo de justiça. A investigação criminal está a cargo do procurador-geral de Justiça, Eduardo Gussem, com apoio do Grupo de Atribuição Originária Criminal (Gaocrim). Já na esfera cível, onde se apura eventual improbidade administrativa, a investigação ocorre na 8ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Defesa da Cidadania da Capital.

Um dos principais alvos da investigação é a situação de Marta Valle — professora de educação infantil e cunhada de Ana Cristina Valle. Moradora de Juiz de Fora, em Minas Gerais, ela passou sete anos e quatro meses lotada no gabinete entre novembro de 2001 e março de 2009. Procurada por ÉPOCA, Marta disse que nunca trabalhou para Carlos. “Não fui eu, não. A família de meu marido, que é Valle, que trabalhou”. O salário bruto de Marta Valle chegou a R$ 9,6 mil, e, com os auxílios, chegava a R$ 17 mil. Segundo a Câmara de Vereadores, ela não teve crachá como assessora.

Outro caso descoberto pela reportagem foi Gilmar Marques, ex-cunhado de Ana Cristina Valle e morador de Rio Pomba, em Minas Gerais. Com a correção inflacionária, o salário bruto dele chegou a R$ 7,9 mil, mas somados os auxílios chegou a R$ 14 mil. Questionado, não se recordava da nomeação e disse: “Meu Deus do céu. Ah, moça, você está me deixando meio complicado aqui. Eu ganhava? Isso aí você deve estar enganada”. Ele também nunca teve identificação funcional da Câmara Municipal do Rio.

A situação se repetiu em relação ao advogado Guilherme Henrique de Siqueira Hudson que constou como assessor-chefe do vereador Carlos Bolsonaro durante dez anos – entre abril de 2008 e janeiro de 2018. Guilherme é primo de Ana Cristina Siqueira Valle e, apesar de todo o tempo em que ficou lotado na chefia do gabinete, ele jamais teve crachá. Desde 2012, possui residência fixa em Resende, onde casou e abriu um escritório de advocacia, além de uma loja de decoração. Desde 2012, o site do Tribunal de Justiça do Rio mostra que ele atuou em 68 processos na região de Resende e em cinco na capital. Resende fica a cerca de 170 quilômetros da capital.

No período em que Hudson foi relacionado como assessor-chefe, Ananda Hudson, sua mulher, foi nomeada no gabinete para ocupar o cargo e salário deixados por Marta Valle, quando ela foi exonerada, em 1º de março de 2009. Ananda constou como assessora até agosto de 2010. No mesmo período, porém, ela cursava faculdade de Letras em Resende.

Depois que Ananda Hudson saiu, o cargo dela foi repassado a Monique Hudson, cunhada de Guilherme. Monique é outra que nunca teve crachá da Câmara. Ela também mantém residência fixa em Resende há pelo menos duas décadas. Monique ficou lotada no gabinete da Câmara Municipal até dezembro de 2014, mas, nesse período, também cursou Letras na Associação Educacional Dom Bosco, mesma faculdade de Ananda.

A investigação também inclui Andrea Siqueira Valle, irmã de Ana Cristina. Ela constou como servidora de Carlos entre os anos de 2006 e 2008. Fisiculturista, ela também foi nomeada nos gabinetes de Jair e de Flávio. Ao todo, ficou lotada por 20 anos. Mas, fora as listas de frequência entregues pelos próprios parlamentares, não há registro do trabalho dela. Andrea também não teve crachá da Câmara do Rio.

Segundo a Câmara Municipal do Rio, “a emissão dos crachás dos servidores ocorre preferencialmente no dia da sua posse”.

Procurado por meio de seu chefe de gabinete, Carlos Bolsonaro não respondeu à ÉPOCA. A reportagem também não teve retorno de Marta, Gilmar, Guilherme, Ananda e Monique.

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Henrique Alberto disse:

    Interessante saber que o MP dá ouvidos as denúncias públicas.
    Mas quantas delas o MP se dispõe a investigar? A seletividade é grande, só vão atrás de quem pode dar manchete, os outros, por pior que seja a denúncia, cai no esquecimento.
    Mas para não ser injusto, vão atrás do currículo desses promotores que estão tão preocupados com Carlos. Depois poderemos iniciar o assunto com isenção.

    • Pato disse:

      Importante é investigar desvios independentemente de viés ideológico, afinal de contas, seja de direita ou de esquerda, o dinheiro que sobra no bolso deles é o mesmo que falta na mesa de muitas famílias. Não concorda?

Reportagem do UOL com informações do The Intercept noticia que Deltan Dallagnol “usou” a Rede para mover ação contra decisão de Gilmar Mendes

Com base em outras mensagens roubadas, o UOL, parceiro agora oficial de Glenn Greenwald, diz que Deltan Dallagnol “usou” a Rede para mover ação contra decisão de Gilmar Mendes, depois que o ministro concedeu um HC de ofício em favor do tucano Beto Richa.

O UOL diz que, como procurador de primeira instância, Deltan “usurpou” a competência da PGR.

Análise de O Antagonista rechaça “análise” e diz que um partido político, que tem legitimidade para propor ADPFs, pode muito bem ser convencido por qualquer cidadão — e procuradores são cidadãos — a propor ações de qualquer tipo. É do jogo. E a Rede não pode ser tratada como legenda de aluguel.

Procurador não é juiz, senhores.

O Antagonista ainda provoca reportagem e diz que “Usurpação é o que ministro de tribunal superior faz ao encontrar-se na calada da noite com poderosos acusados de crimes de corrupção e lavagem de dinheiro”.

Com informações de O Antagonista e UOL

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Raimundo disse:

    Lula livre, Cunha livre Cabral livre solta tudo a lava jato foi uma farsa! Eram 3 anjinhos junto com Dirceu e mais 155 condenados solta tudo foi tudo forjado

    • Fábio disse:

      Raimundo, acho que estão confundindo as coisas. Lula e todos que devem têm que ficar presos, porém não justifica uma ação ilegal para coibir outra. Se for assim, não haverá justiça no real sentido da palavra. Tem que ser punido quem erra, independente de que é.

  2. Edilson Sion disse:

    Homi, Dallagninho parece que não trabalhava muito não, era como diz minha mãe "dipindurado" nos apps de conversas. agora ele arranjou o chapéu da viagem, cutucou onça com vara curta mesmo, querendo reiar logo quem? Gilmarzinho não é de levar desaforo para casa, o procurador bb da nívea e lisa pele que aguarde.

  3. Walsul disse:

    Essa operação lava jato parece cometer mais ilegalidades que a quem eles acusam. Qualquer cidadão pode acionar partidos, mas quando um cidadão, procurador, usa isso para conseguir algo que não seja por interesses coletivos e sim, de um grupo, isso não pode. Por que não acionaram a procuradoria geral da república para obter o que queriam? Porque é um jogo, não movimentos republicanos.

    • Arthur disse:

      Eu até acredito que a Lava Jato começou com uma boa intenção, mas visivelmente foi contaminada pelo viés político e deixou de ser imparcial. Perdemos uma ótima oportunidade de colocar muita gente dos dois "lados" na cadeia. Conseguiram o que queriam, esquerda na cadeia e direita no poder. Pau que bate em Chico deveria bater em Francisco.

VÍDEO: Reportagem aponta os riscos de expor a vida nas redes sociais

O Câmera Record que foi ao ar nesse domingo (21) mostrou os riscos que os usuários das redes sociais correm ao compartilhar tudo da rotina na internet. Publicar fotos, marcar localização, consultar mapas e até mesmo conversar perto do aparelho celular pode deixar as pessoas mais vulneráveis.

O assunto da segurança na internet entrou novamente em discussão após um aplicativo de envelhecimento digital viralizar, e agitar as redes sociais de famosos e anônimos nas últimas semanas. Para Luciane Aquino, especialista em conteúdos digitais, “o que o FaceApp está fazendo é formar um banco de dados mundial sem gastar dinheiro”.

E esse banco de dados é bem valioso para as grandes empresas como Facebook e Google, que são donas do Facebook, Instagram, YouTube, entre outros. A média anual de faturamento com dados digitais está em torno de R$ 20 bilhões.

Os próprios usuários das redes sociais aceitam fornecer seus dados pessoais, mesmo sem saber. Ao criar uma conta em qualquer rede social, a pessoa precisa aceitar os termos e condições de uso.

A reportagem esteve no centro de São Paulo e viu que poucas pessoas passam da primeira página dos termos e condições para acessar as redes sociais.

De acordo com Jamila Venturini, da ONG Derechos Digitales, para se ler todo o termo de uso das redes sociais, o usuário levaria, em média, duas horas. Mas isso não costuma acontecer, e os usuários aceitam ceder dados que não gostariam que fossem compartilhados.

Mas não é apenas nas redes sociais que os usuários ficam mais vulneráveis. Os repórteres investigativos do Câmera Record simularam uma conversa sobre móveis de escritórios em frente a seus celulares. Depois de 15 minutos falando de possíveis produtos a serem comprados, ao acessarem as redes sociais, foram surpreendidos com propagandas dos itens que mais enfatizaram.

Embora não tenha nenhum valor científico, as propagandas com móveis e materiais de escritórios demonstrariam que os celulares escutam o que é falado, mesmo com todos os aplicativos fechados.

Para o professor de inovação e interações digitais Luli Radfahrer, o fato de as redes sociais serem de uso gratuito demonstra que “quando você não paga o produto, você é o produto”. Ou seja, os usuários das redes sociais são usados para terem os dados vendidos às empresas.

R7

Reportagem apresenta “íntegra do manual do crime produzido pelo Intercepet”

O Blog reproduz abaixo a matéria do site jornalístico Agora Paraná – com o UOL, com possíveis ligações entre o hacker que interceptou as mensagens de integrantes da Lava Jato, o jornalista Glenn Greenwald, responsável pela divulgação do conteúdo e práticas criminosas. Confira.

Veja mais: Descobrimos a trilha do Hacker do Intercept. Greenwald é cúmplice do crime contra Moro e Lava Jato, diz jornal

Com informações do UOL via portal Agora Paraná

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Fagner disse:

    Quem era Moro.

  2. Lucas disse:

    Kkkkkk pera aí, deixa eu ver se eu entendi esse chororô dos baba ovo de corruptos:

    O site de jornalismo investigativo dispõe de uma manual que serve para que qualquer fonte anônima possa enviar material que denuncie algum esquema criminoso para eles e eles façam o trabalho que a imprensa deve fazer, que é tornar de interesse público.

    SIGILO DA FONTE É GARANTIA CONSTITUCIONAL.

    ONDE ESTÁ O CRIME DO JORNALISTA??

    AGORA, OS AGENTES DA LEI, PAGOS COM O DINHEIRO DO CONTRIBUINTE QUE SE UTILIZARAM DA JUSTIÇA PARA SE BENEFICIAR POLITICAMENTE É QUE DEVEM SER CONDENADOS E PRESOS. PRECISO NEM CITAR QUAIS SÃO OS MELIANTES…

  3. Cigano Lulu disse:

    Minha mula Adelaide me perguntando aqui se o portal Agora Paraná é filial do congênere Agora RN.
    Sinceramente, é preciso muito amor… para suportar essa mulher.

  4. Justus benem disse:

    Cadeia para esse bandido MORO…JUÍZES MARGINAIS E ladrões… AJUDARAM A eleger O desvairado ..o louco imbecil BOLSOTRALHA..AH LADRAO

  5. Ypiranga disse:

    Esse GRINGO TONTO tem CORAGEM de mamar numa ONÇA PINTADA, vejam a onde ele foi se meter.
    Logo com quem, se segure na sela, vc e quem estar por trás dessa presepada proibida.
    Pensando aqui com meus botões, cheguei a conclusão que tu tá F… gringo, a corda vai arrebentar do teu lado.
    É muito bem empregado, pra larga de ser otário.

Reportagem de O Globo revela que ataque criminoso de hackers foi orquestrado e mirou ‘coração’ da Lava-Jato”, atingindo até Janot e juíza que substituiu Moro; veja como PF detalha ação

Foto: Jorge William / Agência O Globo -20/05/2019

Polícia Federal e o Ministério Público Federal (MPF) têm indícios de que o ataque hacker que expôs mensagens privadas do juiz Sergio Moro e de procuradores foi muito bem planejado e teve alcance bem mais amplo do que se sabe até agora. Entre os alvos dos criminosos, estiveram integrantes das forças-tarefas da Operação Lava-Jato de ao menos quatro estados (Rio, São Paulo, Paraná e Distrito Federal), delegados federais de São Paulo, magistrados do Rio e de Curitiba.

Além do atual ministro da Justiça e do procurador Deltan Dallagnol,foram alvo de ataques a juíza substituta da 13ª Vara Federal Gabriela Hardt (que herdou processos de Moro temporariamente quando ele deixou o cargo), o desembargador Abel Gomes (relator da segunda instância da Lava-Jato no Rio), o juiz Flávio de Oliveira Lucas, do Rio, o ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot , os procuradores Januário Paludo, Paulo Galvão, Thaméa Danelon, Ronaldo Pinheiro de Queiroz, Danilo Dias, Eduardo El Haje, Andrey Borges de Mendonça, Marcelo Weitzel e o jornalista do GLOBO Gabriel Mascarenhas . Outros dois procuradores, ambos ex-auxiliares de Janot, relataram ao GLOBO também terem sido vítimas de ataques de hackers, mas pediram para não terem os nomes publicados.

Em nota, a Justiça Federal confirmou que a substituta de Moro foi atingida e disse que o fato foi “imediatamente comunicado à Polícia Federal”. Segundo o texto, “a juíza não verificou informações pessoais sensíveis que tenham sido expostas”.

Em alguns casos, como o da força-tarefa da Lava-Jato no Rio, alguns integrantes evitaram a invasão, já que tinham controles mais rígidos, em especial a verificação em duas etapas para acesso remoto ao aplicativo Telegram.

As mensagens atribuídas a Moro e Deltan indicam uma atuação combinada em determinados momentos da Lava-Jato, inclusive no processo que resultou na condenação do ex-presidente Lula, expondo a operação a inédito desgaste.

Mesmo após a revelação do caso, o esquema criminoso continua em atuação. Na noite de terça-feira, um hacker entrou em contato com José Robalinho, ex-presidente da Associação Nacional de Procuradores, se fazendo passar pelo procurador militar Marcelo Weitzel, que teve seu celular invadido, como revelou a revista Época.

Em meio à crise deflagrada pelos ataques, procuradores discutem entre si as mais variadas teses sobre as origens dos ataques. Alguns levantam suspeitas até sobre invasões de origem russa, o que não está comprovado. Mas, se os autores ainda são desconhecidos, entre os alvos prevalece a ideia de que as invasões são uma ação orquestrada contra a Lava-Jato.

Ação profissional

A Polícia Federal investiga os ataques dos hackers com duas turmas de agentes e delegados, em quatro cidades. A Procuradoria-Geral da República também abriu um procedimento para acompanhar o trabalho da polícia. A apuração desse tipo de crime é tida como complexa, e o prazo para conclusão das investigações será longo, prevê a cúpula da PF.

As suspeitas iniciais apontam para um mandante com capacidade financeira para bancar o esquema aparentemente sofisticado de ação. Uma das hipóteses é a de utilização de equipamentos que custam entre US$ 2 milhões e US$ 3 milhões, segundo uma fonte da cúpula da PF ouvida pelo GLOBO. Há diversas empresas sediadas no leste europeu e no Oriente Médio que oferecem estes serviços por esses valores.

Por outro lado, chamou a atenção o fato de o suposto hacker ter feito piada na terça-feira com um dos alvos. Numa das mensagens, o invasor afirmou que é apenas um “técnico de TI” (Tecnologia da Informação), sem objetivos partidários.

Segundo os relatos das vítimas e apurações do Ministério Público Federal, o esquema funciona em três etapas:

1 – O hacker descobre o número do celular da vítima e o utiliza para solicitar, via desktop, a abertura de nova sessão do Telegram. Imediatamente, o aplicativo encaminha para a vítima o código de acesso, via SMS, achando que o pedido foi feito pelo dono da conta;

2- O clonador adquire um número de celular, geralmente em países onde há pouca fiscalização, e o utiliza para ligar para a vítima, depois de ter solicitado o código de acesso. Por alguma técnica ainda desconhecida, a vítima, ao atender, permite que o clonador capture todo o conteúdo do SMS, incluindo o código de acesso ao Telegram;

3- Com esse código, o hacker acessa o Telegram através de seu PC e pode ver todas as conversas da vítima, entre as quais as de grupos. Isso porque os diálogos pretéritos ficam guardados no aplicativo. O hacker pode fazer um backup de todos os arquivos, mídias e conversas da vítima e/ou pode se passar por ela perante terceiros no aplicativo, dialogando etc.

Os integrantes do MPF só deram conta do tamanho da ação depois da divulgação dos diálogos de Moro com os membros da força-tarefa de Curitiba. Para o golpe ter êxito, desconfiam, é preciso da conivência de alguém dentro das operadoras de telefonia, uma vez que o acesso é dado no momento em que a vítima atende a ligação. Alguns dos números usados pelo esquema já foram repassados à Polícia Federal.

O problema, apuraram, seriam uma brecha denominada pelas operadoras de “Falha SS7”. Embora aplicativos como o WhatsApp e a Telegram ofereçam criptografia ponta a ponta para evitar que suas mensagens sejam interceptadas, ambos usam o número de celular do usuário para funcionar, e isto abre a guarda para os ataques. A fraude do SS7 permite que qualquer pessoa com acesso à rede de telecomunicações envie e receba mensagens celulares específicas, com alguns ataques que permitem aos hackers interceptar textos, chamadas e dados de localização.

O início dos ataques

A série de invasões teve início, até onde se sabe no momento, em 24 de abril. No primeiro dia de aposentadoria, Janot voltou mais cedo para casa aborrecido com uma série de ligações e mensagens esquisitas que tinha recebido ao longo do dia. Alguns telefonemas tinham partido do próprio número do ex-procurador. Por volta das 22 horas, o telefone celular voltou a tocar.

— Diga aí — disse um procurador, amigo de Janot, do outro lado da linha.

— Diga aí você, que está me ligando — respondeu o ex-procurador-geral, estranhando a abordagem do colega.

— Estou ligando porque você está me pedindo dados que eu já te passei — respondeu Janot.

— Estou estou te pedindo dados ?? — questionou Janot.

Antes de terminar a frase, os dois perceberam que estavam sendo vítimas de um ataque quase simultâneo de um mesmo hacker. O estranho, que tinha ligado várias vezes durante o dia para Janot, estava usando a conta do Telegram do ex-procurador-geral para conversar com um outro procurador. O invasor estava em busca da senha do Twitter do ex-procurador-geral.

No meio da confusão, o procurador interrompeu a conversa com o hacker e orientou Janot a não mais atender ligação e nem abrir mensagens para mudar códigos da Apple, do Telegram ou de outros aplicativos.

O Globo

(Colaboraram Cleide Carvalho, Gustavo Schmitt e Bela Megale)

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rômulo disse:

    Hacker não tem dever funcional de seguir a lei. Não adianta a Globo tentar inverter a situação! Quem tem dever de seguir a lei são os juízes! Moro, o anti-herói dos bozopatas, estava em conluio com a acusação para prender Lula para fins políticos. Isso já era praticamente verdade sabida, mas não havia como provar. Agora que a merda foi jogada no ventilador, ele pode esquecer a cadeirinha no STF, e tomar cuidado para não ir para atrás das grades! Estou ansioso pela liberação de áudios, pois são irrefutáveis!

    #VazaJato

  2. Walsul disse:

    A desmoralização da operação lava jato é mundial, não tem como mudar isso. O conteúdo do que está sendo exposto é criminoso para um juiz que deveria ter a função de zelar pela legalidade e isenção do julgamento. O fato se torna mais criminoso ainda, quando as decisões são para interferir no processo democrático. Quanto a globo, esperava-se o que? Como disse o jornalista , ela é sócia da operação lava jato. Essa discussão do hacker é para desviar o foco dos crimes cometidos. Não tem nenhuma prova que os documentos que desmascaram a operação tenha partido de hackers. Tem muita coisa para vir à tona e é isso que a globo teme.

  3. Gaius Baltar disse:

    Ativar verificação em dois passos evitaria todo esse imbróglio, mas a turma usa celular desprotegido para veicular informações sensíveis.
    OBS: O Telegram não tem criptografia ativada nos chats normais, do nos secretos.

  4. Rivanaldo disse:

    Brasil: O país onde o professor tem de ser imparcial mas juiz pode ter lado!

    • Rodrigo disse:

      Melhorando seu comentário: O país onde o professor tem de ser imparcial, quanto a política, mas o juiz pode ter lado, quanto a corrupção.

  5. M.Vinícius disse:

    Pacientemente, vou aguardar ss novidades contra os cibermortadelas!

  6. Potiguar disse:

    Essa reação contra os vazamentos da conversa do Moro era esperada. Eles não vão soltar o lula tão facilmente, apesar das evidências. Todavia, a repercussão do tema é grande no exterior vide reportagem do le monde, guardian, NYT… A dúvida que resta é a seguinte: lula receberá o nobel em Curitiba ou Oslo?