Em defesa de Moro, Bolsonaro diz que legado do ex-juiz contra a corrupção ‘não tem preço’

Foto: Marcos Corrêa/PR

Em suas primeiras declarações públicas sobre a divulgação de mensagens de Sergio Moro pelo site de notícias “The Intercept Brasil” , no domingo, o presidente Jair Bolsonaro defendeu nesta quinta-feira o ministro da Justiça e da Segurança Pública e exaltou sua trajetória como juiz federal, dizendo que o que ele fez pelo combate à corrupção no país “não tem preço”.

Bolsonaro afirmou ainda que houve uma “invasão criminosa” e chegou a questionar a veracidade das mensagens. Ainda segundo o presidente, “ninguém forjou provas” para a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, sentenciada em primeira instância por Moro, então juiz do caso do tríplex no Guarujá em Curitiba. Para o presidente, pelo histórico, o ex-magistrado “faz parte da História do Brasil”.

– O que ele fez não tem preço. Ele realmente botou pra fora, mostrou as vísceras do poder, a promiscuidade do poder no tocante à corrupção. A Petrobras quase quebrou, fundos de pensão, muitos quebraram, o próprio BNDES, eu falei agora há pouco aqui, nessa época R$ 400 e poucos bilhões entregues para companheiros comunistas e para amigos do rei aqui dentro. Ele faz parte da história do Brasil – acrescentou Bolsonaro.

Reportagens do “Intercept” mostraram mensagens trocadas entre o então juiz e o procurador Deltan Dallagnol. Segundo o site, Moro deu orientações ao procurador sobre como atuar em processos da operação Lava-Jato, inclusive em um que investigava Lula e o levou à prisão. Procuradores também teriam discutido como barrar uma entrevista do líder petista à “Folha de S. Paulo”, autorizada pelo ministro do STF Ricardo Lewandowski.

O presidente havia participado nesta quinta-feira do lançamento de um um programa do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para apoio a hospitais filantrópicos — uma linha de crédito de R$ 1 bilhão —, no Palácio do Planalto, quando parou para falar com jornalistas. Depois de tratar de outros temas, ele foi questionado sobre Moro e ameaçou encerrar a entrevista, como havia feito ao ser indagado sobre o assunto em uma coletiva na terça-feira, em São Paulo.

Lembrado que fez gestos de apoio a Moro desde terça-feira, como a aparição pública ao lado do ministro em evento da Marinha e o convite para acompanhá-lo ao jogo entre Flamengo e CSA , na noite de quarta-feira, ele passou a falar sobre o caso das mensagens.

– Olha só, ontem foi o dia dos namorados. Em vez de eu chegar em casa e dar um presente para a minha esposa, eu dei um beijo nela. Não é muito melhor? Eu dei um beijo hétero no nosso querido Sergio Moro. Dois beijos héteros. Fomos lá na Marinha com ele – declarou, no início da resposta.

Relativizando o vazamento dos diálogos entre Moro e Dallagnol, o presidente sugeriu que, caso suas conversas pelo telefone fossem divulgadas, ele também teria problemas. E insinuou ter dúvidas sobre se as mensagens vazadas são verdadeiras.

– Ah, vazou… Se vazar o meu aqui, tem muita brincadeira que faço com colegas ali que vão me chamar de novo tudo aquilo que me chamavam durante a campanha. E houve uma quebra criminosa, invasão criminosa, se é [que] o que está sendo vazado é verdadeiro ou não – declarou.

Questionado se acha normal uma conversa entre um juiz e um procurador como a divulgada pelo site de notícias, Bolsonaro respondeu com ironia.

– Normal é conversa com doleiro, com bandidos, com corruptos… Isso é normal? Nós estamos unidos do lado de cá para derrotar isso daí. Ninguém forjou provas nessa questão lá da condenação do Lula.

Comparação com Médici

Bolsonaro comentou a ida ao Mané Garrincha com Moro e comparou a reação do pública nas arquibancadas do estádio à recebida pelo ex-presidente Emílio Garrastazu Médici (1969-1974) durante a ditadura militar.

– Fui lá com o Moro. O Moro torce lá pro Maringá. Fui com ele ontem aqui no Mané Garrincha e fomos aplaudidos. Quase que só acontecia lá atrás quando o Médici ia no Maracanã – afirmou o presidente.

Os dois, que foram aplaudidos pela parte da torcida mais próxima da tribuna, ganharam camisas do time carioca de alguns torcedores e as vestiram. O ministro da Economia, Paulo Guedes, e o vice-presidente Hamilton Mourão acompanharam a partida com Bolsonaro.

Um torcedor que estava na arquibancada logo abaixo das autoridades tirou a camisa do Flamengo que usava e a jogou para cima. Bolsonaro a pegou e a vestiu. Depois, o próprio presidente pediu que outro torcedor também jogasse sua camisa. Ele fez isso e Moro, num sorriso tímido, aceitou e a vestiu.

O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Antonio Turci disse:

    Concordo com o Presidente. Somente os adeptos do "lado sombrio da força" detestam Sérgio Moro. A este cidadão devemos os maiores atos contra a sujeira patrocinada por políticos e empresários corruptos. Ser contra Moro, ser contra Deltan, ser contra a Lava Jato é querer ver o Brasil definitivamente entregue ao crime organizado. Deplorável o comportamento desse pessoal das esquerdas.

  2. Marcelo disse:

    …. Já já se publica o valor…………

  3. Teixeira disse:

    Também acho!

  4. Anônimo disse:

    Sim fez muito pelo país mas só não fez o emprego voltar eu sou exemplo 3 anos desempregado formado em engenharia civil e com bastante experiência o estrago foi tão grande que a economia não dá sinais de melhoria alguma que pena !

    • Daniel disse:

      Vamos aguardar uma melhora pós a reforma da previdência, é oque o ministro sinalizou, que Deus abençoe e lhe abra as portas o mais breve possível.

    • Dulce disse:

      Ele não gera emprego, só quando for eleito presidente do Brasil, em 2022

    • Lívio disse:

      DULCE explica aí os 13 MILHÕES de DESEMPREGADOS que o PT deixou ao sair do governo??
      Isso que você chama gerar emprego??

    • Kaio disse:

      Lívio, explique aí as propostas de redução de desemprego de seu presidente? Porque até agora só teve emprego pra família dele e para os que o ajudaram a eleger.

Legado UFC: Prefeitura irá instalar 1.022 cadeiras numeradas no Ginásio Nélio Dias; veja o card

18489Foto: Marco Polo

“A cidade do Natal entrou de vez na rota dos grandes eventos esportivos internacionais”. Foi assim que o secretário municipal de da Juventude, Esporte, Lazer e Copa do Mundo da FIFA, Luiz Eduardo Machado, saudou a chegada do UFC Fight Night Combate: Shogun x Henderson 2, que vai acontecer na capital potiguar no próximo dia 23 de março no Ginásio Nélio Dias. A apresentação oficial do evento aconteceu no inicio da tarde desta terça-feira (04), em coletiva de imprensa realizada no Hotel Serhs Natal. Os lutadores Mauricio Shogun (Brasil), Dan Henderson (EUA), Ronny Markes e Jussier Formiga estiveram presentes na solenidade.

O Rio Grande do Norte será o sétimo estado brasileiro a receber um evento do Ultimate Fighting Championship (UFC) que é considerada a principal organizadora de combates nas Artes Marciais Mistas (MMA – sigla em inglês). A cidade do Natal será palco do segundo duelo entre Maurício Shogun x Dan Henderson. Os lutadores já se enfrentaram em 2011 e o americano levou a melhor, essa é uma das revanches mais esperadas pelos admiradores do esporte. Além dessa luta, o card do UFC Fight Night Combate: Shogun x Henderson 2 terá os seguintes confrontos: Cezar Mutante x CB Dollaway; Léo Santos x Norman Parke; Fábio Maldonado x Gian Villante; Rony Jason x Steven Siller; Gleisson Tibau x Mairbek Taisumov; Ronny Markes x Thiago Marreta; Jussier Formiga x Scott Jorgensen e Thiago Bodão x Kenny Robertson.

Luiz Eduardo Machado não escondeu a empolgação com a chegada do UFC em Natal. O secretário disse que a valorização do esporte amador e a presença de grandes eventos esportivos na cidade é uma marca forte da administração do prefeito Carlos Eduardo. A chegada do UFC foi saudada com muita alegria pelo titular da pasta de esportes do município, reforçando que o MMA é muito praticado em e tem muitos fãs em toda a cidade. O secretário destacou os grandes nomes do Rio Grande do Norte que estarão no octógono do dia do evento defendendo as cores do Brasil e do Estado: “Não tenho dúvidas que os Jussier Formiga, Ronny Markes e Gleison Tibau irão representar muito bem o povo potiguar”.

Para o secretário a parceria oferecida pela Prefeitura foi fundamental para a escolha de Natal como sede do UFC. Luiz Eduardo disse que algumas pequenas alterações que iriam ser realizadas pela Sejel/Secopa foram antecipadas com a chegada do evento. A secretaria irá instalar 1.022 cadeiras numeradas nas arquibancadas do ginásio, como também irá construir uma entrada de serviço que ligará o pátio externo do equipamento esportivo até a quadra. O secretário falou ainda que a manutenção do local está em dia com todas as instalações hidráulicas e elétricas funcionando perfeitamente: “Teremos um mega evento que não vai deixar a desejar a nenhuma outra edição do UFC”.

Fernando Bezerril, secretário de Turismo e Desenvolvimento Econômico de Natal, disse que a realização do UFC será na época do fim da alta estação, período de baixa ocupação da rede hoteleira da cidade. Ele acredita que o evento vai movimentar e trazer muitos dividendos para o setor turístico da capital potiguar, pois os amantes das artes marciais mistas acompanham fielmente as edições do evento. Ele estima que a economia de Natal receberá uma forte injeção de recursos por ocasião do UFC: “O evento movimenta a cidade por uma semana. Natal vai receber lutadores, treinadores e torcedores que irão movimentar toda a cadeia produtiva local”. O UFC Fight Night Combate: Shogun x Henderson 2 será transmitido para 800 países e terá uma audiência estimada em mais de 800 milhões de espectadores.

Os lutadores potiguares Ronny Markes e Jussier Formiga falaram da expectativa para a atuação em Natal. Os dois estão vindo de derrota no UFC e reforçaram o treinamento para fazer bonito diante da família, amigos e da torcida local. Para Jussier é um sonho poder atuar em sua cidade e ele promete muito esforço para sair do octógono com a vitória: “Estou muito feliz e confiante. Irei enfrentar um adversário difícil, mas confio no meu trabalho e para sair vitorioso”. O otimismo foi compartilhado por Ronny Markes. O lutador disse que aprendeu muito com a sua última derrota e intensificou os treinos nas últimas semanas para melhorar as suas deficiências e chegar completo para o desafio contra Thiago Marreta: “Estou preparado e acredito que a força da torcida potiguar vai ser um diferencial para conquistar uma grande vitória”.

O brasileiro Maurício Shogun e o americano Dan Henderson irão fazer a luta principal da noite. O lutador estadunidense levou a melhor no último encontro entre os dois atletas, porém o brasileiro disse que a história será outra dessa vez. Shogun falou que está motivado e pronto para vencer o seu algoz: “O Dan é um lutador de alto nível e já me venceu uma vez. Estou muito bem preparado e pronto para sair vitorioso com a ajuda da torcida de Natal. Dan Henderson falou que a torcida contrária do povo potiguar não será um empecilho para ele. “Sei que irei enfrentar uma grande pressão das arquibancadas, mas irei utilizar isso como motivação para vencer Shogun novamente”.

A venda de ingressos irá começar nesta quarta-feira. A comercialização será feita pelo site: www.ticketsforfun.com.br.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tiago Prada disse:

    Gilmar Mendes com salário de juiz, tirou 8 milhões do bolso, para indenizar o sócio e acha estranho milhares de pessoas doarem 10% disso?

Desorganização, atrasos e falta de controle ameaçam legado da Copa

Quase quatro anos após o Brasil ser escolhido como sede da Copa de 2014, o governo perdeu o controle do andamento das obras ligadas ao evento e pôs em risco o legado de infraestrutura que ele poderia deixar para o país.

Divulgado há 11 dias, o balanço mais recente do governo sobre os projetos da Copa já está desatualizado. Prazos indicados no documento não batem com informações das cidades-sede, e outros soam irreais diante dos problemas que as obras têm enfrentado.

Autoridades que acompanham os preparativos para a Copa já falam em organizar os dias de jogos com a estrutura hoje disponível, sem contar com as novas obras.

A promessa do governo de entregar nove estádios no final de 2012 também já caiu por terra, com novos atrasos.

No capítulo transportes, há problemas como o do monotrilho do eixo norte/leste de Manaus. Além de sofrer questionamentos da CGU (Controladoria-Geral da União), a obra pode estourar o prazo.

(mais…)