Ministro de Minas e Energia diz que não há barragem segura no Brasil

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O ministro de Minas e Energia, Beto Albuquerque, disse nesta quinta-feira (23), que não há barragem segura no país. Em depoimento na Comissão de Meio Ambiente do Senado, sobre segurança de barragens, o ministro disse que “não tem barragem segura. Esse conceito não existe”.

Albuquerque explicou que a probabilidade de rompimento de barragens construídas à montante, como foi o caso de Mariana, Brumadinho e agora de Gongo Soco, todas em Minas Gerais, é muito superior às demais. “O monitoramento é diuturno e ininterrupto. Tudo está sendo monitorado minuto a minuto e as informações estão sendo passadas às pessoas que têm responsabilidade, competência para tomar as ações e medidas, especialmente para não perdermos vidas humanas”, destacou.

Bento Albuquerque disse que em razão do grande número de barragens, cerca de 2 mil, entre elas as que não são só de rejeitos de mineração, o ministério faz pareceria com a Agência Nacional de Águas (ANA) para a fiscalização.

O ministro disse aos senadores que até 2021 todas as barragens serão descomissionadas (esvaziamento das barragens de rejeitos). “O descomissionamento também é uma atividade de risco, que tem que ter planejamento bastante apurado”.

Congresso

Bento Albuquerque destacou importância do papel do Congresso para que haja segurança jurídica não só para os empreendedores exercerem suas atividades na mineração, mas também para as autoridades exercerem seu poder de polícia ou de regulação do setor. Segundo ele, o Brasil é o terceiro país em produção mineral do mundo, atrás de Austrália e Canadá, e responde por três milhões de empregos diretos e indiretos, contribuindo com 4% do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços do país).

Medidas

O ministro de Minas e Energia garantiu que até o fim de 2019, todas as barragens do país serão fiscalizadas. “Temos cerca de 500 barragens de rejeitos, 150 delas já foram vistoriadas esse ano, e todas serão vistoriadas este ano”.

Diligência

Nesta sexta-feira (24), senadores da Comissão do Meio Ambiente irão até a região da mina de Gongo Soco, em Barão de Cocais (MG), para uma diligência. De responsabilidade da mineradora Vale, a barragem da mina está, desde a semana passada, em alerta máximo, com risco de rompimento. Os senadores querem verificar os riscos e as iniciativas do Poder Público para minimizar a situação.

“Em razão da gravidade, não podemos esperar. Não podemos deixar que o ocorrido em Mariana e Brumadinho se repita. Precisamos dar uma resposta, afirmou o presidente da comissão, senador Fabiano Contarato (Rede-ES). Ele lembrou ainda que o talude da barragem está se movendo entre 6 e 8 centímetros por dia e que se a barragem se romper, os rejeitos poderão se espalhar por até 75 quilômetros, atingindo os municípios de Barão de Cocais, Santa Bárbara e São Gonçalo, que desde fevereiro foram totalmente evacuados.

Agência Brasil

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Luciana Morais Gama disse:

    Todas as licenças ambientais foram tiradas nos governos do PT. Precisa dizer mais alguma coisa??

  2. Dilson disse:

    Hmmm… Devemos então privatizar? Ah… Mas já são empresas privadas!

Diretora-gerente do FMI diz que guerra comercial entre Estados Unidos e China pode ser um risco para a economia mundial

CHRISTINE LAGARDE, DO FMI, CRITICOU TENSÃO ENTRE EUA E CHINA NO UZBEQUISTÃO (FOTO: CHIP SOMODEVILLA/GETTY IMAGES)

A guerra comercial entre os Estados Unidos e a China pode ser um risco para as perspectivas econômicas mundiais se não for resolvida, disse a diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, durante visita ao Uzbequistão.

“Obviamente, o risco de queda que temos é a continuação das tensões comerciais entre os Estados Unidos e a China”, disse Lagarde, referindo-se às perspectivas econômicas mundiais do FMI.

“E se essas tensões não forem resolvidas, isso claramente será um risco no futuro”.

Época Negócios

 

Flávio Bolsonaro diz que informações da Veja não são verdadeiras e valores informados são falsos e “não chegam perto dos valores reais”

Reprodução: Instagram

Senador Flávio Bolsonaro usou as redes sociais nesta quinta-feira(16) para condenar as informações da Veja em que classifica como não verdadeiras. Ainda fala que valores divulgados são absolutamente falsos e não chegam perto aos valores reais. “Tenho meu passado limpo e jamais cometi qualquer irregularidade em minha vida. Íntegra no Instagram pode ser conferida abaixo.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por Flávio Bolsonaro (@flaviobolsonaro) em

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Lucas disse:

    Já disse, se balançar esse laranjal cai até presidente de cima

  2. Thalles disse:

    Sem bandido de estimação, se for comprovado crime na segunda instância, CADEIA. Se ele usar de seu poder e lobby para atrapalhar as investigações, prisão preventiva!

    • Anti-Político de estimação disse:

      Exatamente. Eu não trabalho para sustentar político ladrão, quem quiser que sustente, faça visita, brigue por eles, afinal tem trouxa para tudo .

  3. GLENIO FLORENCIO disse:

    O toque pode até ser de midas ,mas o calcanhar é de aquiles ,ah ladrão.

  4. estrela disse:

    Eles sempre são inocentes até que se prove o contrário!!!

    • Ceará-Mundão disse:

      Na verdade, esse é um princípio de direito aplicável a todos. Por exemplo, Lula, Zé Dirceu e tantos outros petistas já condenados pela justiça brasileira são bandidos, criminosos, literalmente falando. Quanto ao presidente e seus familiares, nada há de concreto contra eles.

  5. Amo os Minions disse:

    Eles sempre são inocentes!!

  6. escritor disse:

    todo mundo sabe que a Veja é uma revista comunista, cujo dono é o filho de Lula.

    • Amo os Minions disse:

      Bando de comunistas hahahaha

    • Manuel Marcelino Filho disse:

      Como assim ? 42 capas dessa revista foi detonando Lula , acho que o amigo não tomou os remédios hoje.

    • Ceará-Mundão disse:

      A grande mídia brasileira, na verdade, está a favor do "status quo" e ressentida pela perda dos recursos federais, abundantes nos governos do PT. A Editora Abril está "quebrada". Quanto às alegadas capas da Veja, apenas retrataram os inegáveis fatos que vieram à tona com a Lava Jato.

    • Ceará-Mundão disse:

      O fanatismo é tão grande que tem "cumpanhero" contando as capas das revistas que lhe são antipáticas. É incrível.

  7. Jl disse:

    Se são falsas as informações, processar a revista, inclusive, requerendo dano moral!

    • Realista disse:

      Veja 100% comunista, nunca bateu em Lula ou Dilma, imparcial total.
      Só que não, né.

Juíza que condenou Lula diz que é normal usar sentenças como modelo e sua fundamentação não tem nada da anterior – de Moro

A juíza federal Gabriela Hardt, que condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por corrupção no caso do sítio de Atibaia, no âmbito da Operação Lava Jato, admitiu hoje que escreveu sua sentença usando como modelo a decisão do ex-juiz Sergio Moro também contra o ex-presidente. A defesa de Lula protocolou uma reclamação do STF (Supremo Tribunal Federal) informando que o uso de texto de Moro na sentença dela comprovaria que o ex-presidente não está sendo propriamente julgado. Hardt negou qualquer injustiça.

Ela explicou que é normal usar sentenças como modelo. Disse que usa decisões de colegas como base para todas as suas decisões. “A gente sempre faz uma sentença em cima da outra. E a gente busca a anterior que mais se aproxima”, afirmou. “Nosso sistema tem modelo para que a gente comece a redigir em cima dele. Eu faço isso em todas as minhas decisões. Raramente começo a redigir uma sentença do zero porque seria um retrabalho.”

A juíza disse que, no caso do Lula, a sentença mais parecida disponível no sistema era o do ex-juiz Moro, hoje ministro da Justiça, que condenou o ex-presidente por corrupção no caso do apartamento tríplex no Guarujá. Por isso, essa sentença foi usada.

“Usei o modelo do caso mais próximo, mas a fundamentação da sentença não tem nada da anterior”, declarou.

Na sentença de Hardt, que trata do caso do sítio, ela chega a usar a palavra “apartamento”. Ela disse que o termo específico estava na sentença de Moro. Por erro pessoal, o termo não foi alterado na nova condenação. “Eu fiz em cima e na revisão esqueci de tirar aquela palavra”, disse Hardt. “Fiz a sentença sozinha. Todas as falhas dela são minhas.”

Aviso sobre perícia

A juíza afirmou que, antes de começar a escrever a sentença do ex-presidente, foi avisada por amigos que a defesa do ex-presidente Lula teria contratado um perito para analisar sua decisão. Não esclareceu, entretanto, como teve acesso a essa informação.

Dias após a divulgação da sentença, a defesa do ex-presidente divulgou o parecer do perito Celso Mauro Ribeiro Del Picchia, membro emérito da Associação dos Peritos Judiciais do Estado de São Paulo e da Associação Brasileira de Criminalística, que concluía que Hardt havia escrito a decisão ” em cima do texto que o ex-juiz Sergio Moro”.

“Há certeza técnica de que a sentença do sítio foi superposta ao arquivo de texto da sentença do tríplex, diante das múltiplas e extremamente singulares ‘coincidências’ terminológicas”, informou o documento, que foi encaminhado ao STF.

Por conta do laudo, a defesa de Lula apontou que o ex-presidente “não estão sendo propriamente julgados nas instâncias inferiores; ao contrário, ali estão sendo apenas formalizadas decisões condenatórias pré-estabelecidas, inclusive por meio de aproveitamento de sentenças proferidas pelo ex-juiz da Vara, símbolo do programa punitivo direcionado”.

Lula já afirmou inúmeras vezes que não cometeu crime algum. O ex-presidente está preso há mais de um, mas ainda recorre em busca de sua absolvição.

Hardt falou com jornalistas antes de palestrar num evento promovido pela Esmafe-PR (Escola de Magistratura Federal do Paraná) e a Ajufe (Associação dos Juízes Federais). Moro foi o primeiro do evento. Em seu discurso, ele elogiou o trabalho da colega Hardt.

Com informações do UOL

 

Bolsonaro diz que, se for inconstitucional, decreto de armas tem que deixar de existir

Bolsonaro participa de cerimônia de lançamento da construção da segunda ponte entre o Brasil e Paraguai com o presidente paraguaio Mario Abdo Foto: HANDOUT / REUTERS

Horas após a ministra Rosa Weber , do Supremo Tribunal Federal (STF), dar prazo de cinco dias para o governo dar mais explicações sobre o decreto que flexibiliza o porte e a pose de armas , o presidente Jair Bolsonaro disse que, “se for inconstitucional , (o decreto) tem que deixar de existir”.

— Teremos um bom embate no tocante a isso (decreto das armas), pode ter certeza. Não estamos fazendo nada mais do que o povo quis em 2015. E estamos dentro do limite da lei. Se for inconstitucional, tem que deixar de existir. Quem vai dar a palavra final é o plenário da Câmara ou a justiça — disse Bolsonaro, em entrevista após cerimônia de lançamento da pedra fundamental da construção da segunda ponte entre o Brasil e Paraguai.

O presidente não se estendeu sobre o assunto. Na ocasião, Bolsonaro ainda elogiou o presidente paraguaio e o país vizinho.

— Uns tem camisa paraguaia, outros, relógio, eu tenho o coração. Se no passado os presidentes eram militares e nos legaram grandes obras, no presente os presidentes são ‘paraquedistas’ e, talvez, por estarem mais perto do céu, têm os melhores sonhos para os povos. Que bom estarmos em um país onde as velhas ideologias foram deixadas para trás — disse Bolsonaro.

Além de dar um prazo de cinco dias para Bolsonaro explicar o decreto assinado nesta semana que flexibiliza o porte de armas, Rosa Weber, que é a relatora da ação protocolada pelo partido Rede , deu o mesmo prazo para que o Ministério da Justiça, comandado por Sergio Moro, dê suas justificativas para o ato. Ela também abriu a possibilidade de manifestações para Advocacia-Geral da União (AGU), Procuradoria-Geral da República (PGR), Senado Federal e Câmara dos Deputados.

A ministra deve aguardar a resposta antes de decidir se suspende ou não de forma liminar o decreto.

Nesta sexta-feira, as duas Casas do Congresso divulgaram, cada uma, o seu parecer sobre o tema — antes mesmo da manifestação da magistrada. O Senado pontua que Bolsonaro extrapolou seus poderes e a Câmara aponta inconstitucionalidades relativas ao Decreto do Desarmamento .

O principal argumento é que ao ampliar o porte de armas por decreto o presidente teria ido contra o Estatuto do Desarmamento, que foi instituído por lei e só poderia ser alterado por nova legislação produzida pelo Congresso.

O Globo

 

Guaidó pede ação à comunidade internacional e diz que Maduro ultrapassou “linhas vermelhas”

Foto: Leandra Felipe – Repórter da Agência Brasil/EBC

O deputado venezuelano e autodeclarado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, pediu ação à comunidade internacional para resolver a crise no país. Ele acusa o presidente Nicolás Maduro de já ter passado todas as “linhas vermelhas” e cita como exemplo a detenção do deputado Edgar Zambrano, que qualifica de sequestro absurdo.

Familiares de parlamentares da Assembleia Nacional da Venezuela – opositores do regime que são acusados e detidos – contam que perdem o contato com eles após a prisão.

Refúgio

Nas últimas horas, foram registrados pedidos de abrigo de políticos em embaixadas estrangeiras. Agências de notícias informaram que o deputado Américo de Grazia refugiou-se na embaixada italiana.

Este não é o primeiro integrante do governo de Maduro a pedir abrigo. O deputado, Richard Blanco já tinha procurado refugio na embaixada da Argentina.

Esses deputados fazem parte de um grupo de dez, de quem o Supremo Tribunal retirou a imunidade parlamentar, depois de terem manifestado apoio ao autoproclamado presidente Juan Guaidó.

O pedido de refúgio dos dois parlamentares ocorre depois da prisão de Edgar Zambrano, vice-presidente da Assembleia Nacional, de quem também tinha sido retirada a imunidade.

Maduro

Do lado do presidente Nicolas Maduro, o presidente da Assembleia Constituinte, Diosdado Cabello, advertiu os países que condenaram a detenção, na quarta-feira (8), do vice-presidente do Parlamento, Edgar Zambrano, para que não se intrometam nos assuntos internos venezuelanos.

Acrescentou que haverá novas medidas contra outros políticos venezuelanos, além dos parlamentares opositores dos quais a Assembleia Constituinte retirou a imunidade.

Estados Unidos

O secretário de Estado dos Estados Unidos (EUA), Mike Pompeo, exigiu, nessa quinta-feira (9) à noite, a “libertação imediata” do vice-presidente da Assembleia Nacional venezuelana, Edgar Zambrano.

“Este é um ataque à independência do Poder Legislativo democraticamente eleito e faz parte dos constantes ataques do regime (do presidente Nicolás) Maduro para esmagar o livre debate na Venezuela”, declarou Pompeo, em comunicado.

O chefe da diplomacia norte-americana disse que a “detenção arbitrária” do vice-presidente do Parlamento é “um ato inaceitável e ilegal que reflete, mais uma vez, a repressão do regime de Maduro”.

“Zambrano deve ser libertado imediatamente”, afirmou.

A declaração Pompeo foi dada um dia depois de aviso da embaixada virtual dos EUA em Caracas, que prometeu, em mensagem no Twitter, que “haverá consequências” se o parlamentar não for libertado.

“A detenção arbitrária de Edgar Zambrano pelas forças de segurança opressivas de (Nicolás) Maduro é ilegal e imperdoável”, disse a embaixada, cuja sede está na capital norte-americana.

A conta oficial da embaixada no Twitter é administrada pelo Departamento de Estado norte-americano, em Washington.

Prisão

Na última quarta-feira, ao fim do dia, Zambrano foi detido por funcionários do Serviço Bolivariano de Inteligência da Venezuela (Sebin, serviços secretos) quando se encontrava dentro do seu carro, à porta da sede do partido Ação Democrática, em Caracas.

Como se recusou a sair do carro, a polícia rebocou o carro para a prisão do Sebin, denominada Helicoide.

Agência Brasil

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Pronto, falei! disse:

    Maduro é um bagaço e esse Guaidó é outro!! Dois chorumes…

  2. Anti-Comunista disse:

    PRA VENEZUELA O PRESENTE E O FUTURO É SOMBRIO E TEM TORCIDA ORGANIZADA PRA MADURO E A DITADURA DE MADURO.

  3. Nilvan Rodrigues da Silva disse:

    Mimimi, ai ai ai. Toda ação tem reação. Esse Guaidó deveria saber disso.
    Ainda mais que o povo Venezuelano e as forças armadas apoiam o seu Governo contra os interesses americanos seus aliados tendo por trás as multinacionais e empresas petrolíferas.

    • Gilson disse:

      As multinacionais e empresas petrolíferas geravam milhares de empregos de qualidade e o governo miserável destruiu tudo. Inibiu até à exaustão a iniciativa privada, tanto no campo quanto nas cidades. Ao invés de usar o ouro negro para melhorar a infraestrutura para o país e despertar o “ Animal Spirits” da população, resolveu comprar bilhões em armas da Rússia e China e fazer populismo barato. Hoje a China e Rússia estão preocupadas em manter o regime para ver se recebe a dívida de bilhões que a pobre Venezuela tem com eles. Onde o comunismo passa gera terra arrasada. Esqueça isso, caro Nilvan, a Europa já testou e reprovou. A Alemanha Oriental, inclusive sumiu do mapa e até hoje é um fardo que os irmãos ocidentais carregam.

    • Nilvan Rodrigues da Silva disse:

      Não enxergar que por tras da ajuda humanitária americana está os interesses econômicos das petrolíferas é ser CAOLHO. O Brasil invadir a Venezuela é ir procurar sarna pra se coçar. Não adianta o Brasil se meter aonde não deve pra fazer os gostos de Donald Trump. Temos problemas demais pra enfrentar.

Bolsonaro diz que Polos de Agricultura Irrigada vão gerar emprego

Foto: Arquivo/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro comentou nesta sexta-feira (03), em sua conta no Twiter, a portaria do Ministério do Desenvolvimento Regional estabelecendo os Polos de Agricultura Irrigada.

“Nova Portaria 1.082/19 do @mdregional_br gere os ‘Polos de Agricultura Irrigada’ desenvolvendo e aumentando a produtividade. Foco é gerar emprego e renda, alavancar desenvolvimento dos setores produtivos, organizando esforços e investimentos”, escreveu o presidente.

A portaria define Polos de Agricultura Irrigada como aglomerados agrícolas irrigados onde a agricultura irrigada está presente e que tenha potencial de expansão, considerando, especialmente, disponibilidade de água e de solo.

É necessário que exista organização social na área, com associação de irrigantes organizada. As lideranças locais trabalharão em parceria com entidades de ensino e pesquisa, empresas públicas e privadas, bancos de desenvolvimento, entre outros. Os grupos gestores de cada projeto de irrigação usará recursos próprios e parcerias públicas e privadas.

Segundo o ministério, os polos de produção irrigada da Bacia do Rio Santa Maria (Rio Grande do Sul) e do Vale do Araguaia (Goiás) já realizaram a oficina de Planejamento Estratégico. O primeiro alcança cerca de 120 mil hectares nos municípios de Cacequi, Lavras do Sul, Dom Pedrito, Rosário do Sul, São Gabriel e Santana do Livramento.

Já o segundo integra mais de 100 mil hectares nas cidades de Britânia, Jussara, Santa Fé e Montes Claros de Goiás.

Em junho, será instalada a unidade da região de Cristalina (Goiás). Até o fim do ano, há a previsão de que os polos do Oeste da Bahia e o de Sorriso, este em Mato Grosso, também entrem no processo.

Agência Brasil

VÍDEO: Alexandre Garcia diz que o jornalismo está perdendo a credibilidade; veja íntegra de entrevista com Danilo Gentili

O talk show The Noite, apresentado por Danilo Gentili ,que vai ao ar de segunda a sexta, nas madrugadas do SBT, ganhou grande audiência nesta semana em longa entrevista com o jornalista Alexandre Garcia.

Na noite e madrugada de segunda para terça(23), o jornalista não se intimidou com as perguntas do apresentador e soltou o verbo, até mesmo, falando da militância na imprensa.

“O que me preocupa é uma cena que assisti há uns 30 anos. Em uma faculdade de jornalismo um estudante me perguntou os pilares do jornalismo… O professor deu um salto da cadeira e disse que não ensinava os alunos a serem isentos, mas militantes ideológicos para combater o status quo. Pensei ‘mas é jornalismo e não sociologia’”, posicionou-se. “Está perdendo o principal patrimônio que é a credibilidade.”

Assista abaixo.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. realmadriddepiumgenerico disse:

    Muito da perda de credibilidade se deve ao próprio.

  2. Medeiros disse:

    Ele sempre foi um jornalista imparcial. SQN !!
    Kkkkkkkkkkjjjj

  3. Bento disse:

    Alexandre Garcia, grande profissional, integro, é exemplo para o mundo.

  4. Sanches disse:

    Kkkkkkk
    Kkkkkkk
    Gostei da piada!!!
    O velho Alexandre Garcia falar em credibilidade no jornalismo.
    Kkkkkkk
    Kkkkkkk
    Gostei da piada, agora conte outra!!

  5. Ivan disse:

    Esse grande JORNALISTA é odiado pelos petistas admiradores de corruptos!!! Precisa dizer mais nada…

  6. J. Dantas disse:

    Está coberto de razão o excepcional jornalista Alexandre Garcia. Infelizmente o jornalismo ideológico e partidário político, vem perdendo espaço para as redes sociais e fortalecendo os pequenos meios de comunicação. Não existe mais coerência, isenção e verdade no grande jornalismo. Tem muitos editoriais comprados e notícias plantadas, para enganar e formar a opinião que for conveniente para o pagador. Vejam o exemplo do UOL ,G1 e Datafolha, de cada 10 notícias, pelo menos 8 são blogueiros falando da côr do pijama de Bolsonaro ou outra besteira…

  7. Potiguar disse:

    O cara foi porta-voz do último ditador brasileiro. Agora, vem com essa história de que o jornalismo está perdendo credibilidade.

  8. Kkkk disse:

    Alexandre Garcia falar em credibilidade kkkkk….

Rodrigo Maia diz que sua relação com Bolsonaro é pior do que já foi e ataca o governo

Foto: Adriano Machado / Reuters

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse na noite desta quarta-feira, em entrevista à GloboNews, que a política externa do governo Jair Bolsonaro é um “desastre”. Maia criticou ainda a política de Educação do governo e a “falta de agenda” para o país. Segundo ele, a ausência de propostas dificulta a relação do Executivo com o Congresso.

— Qual é a agenda do governo? Qual é a agenda do governo para a Educação? Eu não conheço. Qual é a agenda do governo nas relações internacionais? É um desastre — afirmou o presidente da Câmara.

Durante a entrevista, Maia acrescentou que o Planalto deveria ter listado as ações do governo para que os parlamentares pudessem saber se poderiam participar ou não do governo.

— A gente não sabe ainda qual é a agenda do governo para dizer se faz parte ou não.
Perguntado se sua relação com o presidente da República seria melhor do que já foi “como deputado”, Maia afirmou que, “pessoalmente, é pior”. No mês passado, Maia e Bolsonaro trocaram farpas. Embora o presidente da Câmara tenha indicado que o entendimento ainda é difícil, ressaltou que isso “não é relevante”, porque o que importa é “acordar cedo” para tocar a agenda econômica.

Nesta quinta-feira, Maia rejeitou um pedido de impeachment protocolado pelo deputado Marco Feliciano (PSC-SP) contra o vice-presidente da República, Hamilton Mourão. Críticas públicas de Carlos Bolsonaro, filho do presidente, dirigidas ao vice abriram uma crise dentro do governo. Sobre o assunto, Maia afirmou que já tem “muitas confusões” para administrar e que rejeitou o pedido porque não era cabível.

— Há um conflito dentro desse governo, que o Parlamento não quer participar — afirmou Maia.

O presidente da Câmara também disse que pode votar o pacote anticrime do ministro da Justiça, Sergio Moro, ainda no primeiro semestre deste ano. Ele ressaltou que dialoga pessoalmente com Moro sobre a proposta e que haverá uma convergência com o projeto do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Morais.

Rodrigo Maia disse ainda ter certeza que a reforma da Previdência será aprovada na Câmara, mas evitou fazer uma projeção de qual será a economia.

Afirmou também que as mudanças no BPC (Benefício de Prestação Continuada) e na aposentadoria rural não devem ser aprovadas e será muito difícil criar o regime de capitalização, pretendido pelo ministro da Economia, Paulo Guedes.

— Capitalização vai ter de explicar muito bem. O custo de capitalização também é muito alto, R$ 400 bilhões em dez anos — afirmou Maia, que acrescentou: — Qual modelo é esse? Capitalização pura? Chance zero de passar.

O presidente da Câmara disse que hoje tem mais gente a favor da reforma, “mas ainda não é a maioria”. E afirmou que “o governo foi omisso no começo” da tramitação, mas tem conversado constantemente com o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni.

— As coisas estão caminhando. As coisas estão melhorando.

O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Jorge Lobo disse:

    Neste particular, estou com o presidente miliciano.

  2. J..Dantas disse:

    É lamentável a cultura do brasileiro e o sistema corrupto que foi mantido por séculos controlando todos. Infelizmente, se o presidente não se corromper, não distribuiir cargos, não lotear as estatais para serem saqueadas e não pagar mensalão aos outros poderes, não vai conseguir governar… Triste realidade na nossa república das bananas, onde o maior culpado é o povão alienado e massa de manobra.

  3. Paulo Trindade disse:

    Político da velha guarda, acostumado a trabalhar se tiver articulação (muita articulação $$$$).
    Deixaram ele se reeleger presidente da câmara, vão pagar o preço por isso.
    O que Rodrigo Maia vez com as 10 medidas contra corrupção? Quem deu apoio político a ele até final de 2018? Precisa dizer mais?

  4. Antonio Turci disse:

    E$$A ALMA QUER REZA…….

  5. Anti-Político de estimação disse:

    Esse gordinho sinistro não vale nada, é um gangsterzinho. Depois, os sudestinos ficam dizendo que só os nordestinos não sabem votar…

  6. Piquet Carneiro CE. disse:

    Quer fizer que o parlamento não quer participar??
    Me engane que eu go$to.
    $e $oltar a bunfunfa, $ão iguai$ a mo$ca de padaria, $o vão no doce.

  7. Ceará-Mundão disse:

    Então, Rodrigo Maia enxerga o mesmo que eu vejo e digo sempre por aqui: que o Brasil está no caminho certo, está melhorando. Prá frente é wue anda. Retrocesso jamais.

Tucano FHC diz que Bolsonaro ‘não nasceu para ser presidente’

Fernando Henrique Cardoso, em entrevista à CBN, disse Jair Bolsonaro “não nasceu para ser presidente”.

O ex-presidente criticou a postura do atual presidente no debate da reforma da Previdência.

“Nosso regime é presidencialista. Na hora decisiva, a palavra do presidente conta muito e o presidente tem se mantido em silêncio.”

FHC também afirmou:

“Nosso sistema guarda traços do Império, nosso presidente é um pouco poder moderador, não pode ter lado, tem que ser de todos.”

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Júnior disse:

    Kkkkk o próprio Bolsonaro já falou isso, aí vêm esse senhor com essa descoberta. Esses que se dizem preparados só roubaram a nação, #Bolsonaro2022

  2. Acorda Brasil disse:

    So de não ser ladrão igual os outros ja tem meu voto pro resto da vida kkk

  3. Frank disse:

    Inépcia total do governo.

  4. Curioso disse:

    Como se houvessem pessoas vocacionadas para ser presidente…Já não bastou Ruth Cardoso ouvir esse senhor por décadas, agora temos que tolerar essas pérolas…

  5. Rocha neto disse:

    Infelizmente a família está o castrando em câmera lenta, e Bolsonaro deixando o pittibul ao Bel prazer e o país acima de tudo e Deus acima de todos na inércia. Que pena!! Tanto que acreditei… é a vida!!!!

Previdência: Maia diz que reforma deve ser aprovada na CCJ nesta terça

Foto: Jorge William / Agência O Globo

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM/RJ), afirmou que a reforma da Previdência deverá ser aprovada nesta terça na Comissão de Constituição e Justiça ( CCJ ). A votação havia sido adiada na semana passada a pedido do deputado Marcelo Freitas (PSL/MG).

— Acho que amanhã vai passar e a gente vai terminar este processo na CCJ, que levou tempo demais, infelizmente. A partir da semana que vem, a gente começa o trabalho na comissão especial — disse. — Está bem encaminhado e tem mais apoio do que no passado.

Rodrigo Maia está na capital portuguesa para palestrar no VII Fórum Jurídico de Lisboa, evento organizado pelo Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP) e a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Sobre o sigilo em torno da proposta, Maia disse que havia sido “uma decisão de curto prazo”. – Não sei se foi a melhor decisão, mas quando a reforma chegar na comissão especial não tem jeito. Os dados vão estar abertos, senão não tem como começar a trabalhar.

— A Câmara precisa entender que há uma grande crise fiscal. O custo previdenciário é muito alto e aumenta rapidamente. Se não tiver uma solução para a previdência, certamente não terá uma solução de investimento para o Brasil nos próximos anos.

Sobre a lentidão no processo, o presidente da Câmara dos Deputados disse que a reforma na Previdência divide a sociedade porque é “um tema polêmico”.

— A reforma tributária unifica a sociedade e divide a Federação, já que os interesses por uma boa reforma tributária precisa reorganizar as atribuições de cada um dos entes no sistema para que a gente possa ter de fato um sistema mais simples.

Para Rodrigo Maia, o presidente Jair Bolsonaro precisa ter mais partidos em sua base, além do próprio PSL, que publicamente “pactuem com uma agenda de quatro anos”.

— Esta questão de discutir espaço solto no governo é a pior fórmula possível. É importante que cada partido consiga construir uma relação com o governo baseada em uma agenda e que não pode se limitar na previdência — afirma o presidente da Câmara. — Acho que o governo agora nessa reta final já está at

Outras alterações

Além da reforma na Previdência, Rodrigo Maia diz que a Câmara também deve seguir com a reforma tributária e outros temas importantes para a economia brasileira. – A gente pode avançar o licenciamento ambiental, coisas como a relação CADE e Banco Central, que é muito importante para destravar alguns conflitos, a própria autonomia do Banco Central – afirmou.

— Tem muitas pautas que podem tramitar independentes das pautas de emendas constitucionais que vão ajudando o ambiente econômico. São coisas assim que a gente vai trabalhando enquanto, de forma paralela, a gente trabalha as grandes reformas.

O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ceará-Mundão disse:

    Acontece é que há certos assuntos que dependem da Reforma da Previdência. A ajuda financeira aos estados (tão importante pro RN) é uma delas. Se não passar a Previdência, a União terá que resolver seus próprios problemas. Nesse caso, os estados que se f… É isso que vai acontecer com o RN. E o governo Fátima, dentre outros da tal "resistência" ao Bolsonaro, vão pras cucuias. Entenderam, esquerdopatas?

Toffoli nega censura e diz que houve tentativa de constranger o Supremo

Foto: Ana Paula Paiva/Valor

O presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, rechaçou, em conversa com o Valor, a tese de que o STF censurou a revista “Crusoé” e o site “O Antagonista”. Segundo o ministro, os veículos de imprensa orquestraram uma narrativa “inverídica” para constranger e emparedar o Supremo às vésperas de a Corte tomar uma decisão sobre a prisão após o julgamento em segunda instância. “É ofensa à instituição à medida que isso tudo foi algo orquestrado para sair às vésperas do julgamento em segunda instância. De tal sorte que isso tem um nome: obstrução de administração da Justiça.”

O julgamento no Supremo estava agendado para o dia 10, mas foi retirado de pauta seis dias antes. A matéria que teve a leitura no site interditada foi postada há uma semana, bem depois, portanto, de o STF alterar sua agenda.

Toffoli sugeriu haver vínculo entre a agenda do Supremo e a reportagem da revista digital, que relatava um esclarecimento que Marcelo Odebrecht prestou à Polícia Federal, no âmbito do inquérito da Lava-Jato em Curitiba. O empreiteiro, que fez acordo de delação premiada, foi instado a explicar codinomes que apareciam em e-mails apreendidos em seu computador, sendo um deles “o amigo do amigo de meu pai”. A explicação de Odebrecht foi anexada aos autos no dia 9 de abril. O julgamento do STF seria no dia 10. No documento enviado pelo delator, ele diz à PF que “o amigo do amigo de meu pai” era Dias Toffoli. Essa mensagem eletrônica de Odebrecht foi enviada ao departamento jurídico da empresa, aos executivos Adriano Maia e Irineu Meireles. Para o ministro, o documento “não diz nada com nada”. “Daí tirem as suas conclusões. Era exatamente para constranger o Supremo”, reitera Toffoli, que ressalta: “Quando eu era ministro, sem ser presidente, nunca entrei com ação [contra uma publicação], nunca reclamei. Mas agora é uma questão institucional. Ao atacar o presidente, estão atacando a instituição.”

Toffoli argumentou que a Constituição veda a censura prévia. “Se você publica uma matéria chamando alguém de criminoso, acusando alguém de ter participado de um esquema, e isso é uma inverdade, tem que ser tirado do ar. Ponto. Simples assim.” Na visão do ministro, há veículos de comunicação vinculados a interesses econômicos, e não jornalísticos. “Tem que lembrar quem financia esses sites. Isso não é imprensa livre. É imprensa comprada.”

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. victoadrianoperrucijr disse:

    democraciaforteplena tem que ter imrensa forte!

  2. victoadrianoperrucijr disse:

    Censura Sim numa democracia tem que haver imprensa LIVRE # !

Bolsonaro diz que, sem imprensa, a “chama da democracia” se apaga

Crusoé noticia que Jair Bolsonaro voltou a defender a liberdade de imprensa, na comemoração do Dia do Exército:

“Prezados integrantes da mídia, em que pesem alguns percalços entre nós, nós precisamos de vocês para que a chama da democracia não se apague. Precisamos de vocês cada vez mais.”

Enquanto isso, o democrata Fernando Henrique Cardoso e o democrata Fernando Haddad não se manifestaram.

Leia:

Sem imprensa, ‘chama da democracia’ se apaga, diz Bolsonaro

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Joaquim disse:

    Mas vive criticando a imprensa. Demagogo!

  2. José Dantas disse:

    Como eu consigo um emprego de papagaio defensor da esquerda e direita em sites? quero ficar postando comentários idiotas também… obrigado!

  3. Antonio Turci disse:

    O Presidente Bolsonaro está certo em reconhecer os méritos e que o bom entendimento com a imprensa. é fundamental. Entretanto, precisamos entender o quanto a chamada grande imprensa foi injusta e , até mesmo, cruel com ele durante a campanha eleitoral. Daí o desgosto dele, penso. Mas agora parece ter superado a mágoa. Muito boa esta notícia.

  4. Pedro disse:

    Não tava defendendo a ditadura um dia desses ???

  5. FH disse:

    A imprensa favorável a ele.

    • Waldemir disse:

      Petista detectado

    • Zé Garcez disse:

      Para os bolsominions só existem dois tipos de pessoa: bolsominion ou petista.
      Se a pessoa não apoiar o ídolo deles é porque é petista, comunista etc.
      São ignorantes mesmo.
      Não adianta perder tempo argumentando.

    • Rick disse:

      E pra petista, quem não for de esquerda é pq é machista, racista, homofóbico, fascista, entreguista e quer mandar pobres para câmara de gás.

Presidente da CCJ diz que votação da Previdência ficará para semana que vem por falta de acordo

Deputados da CCJ da Câmara discutem em sessão sobre reforma da Previdência — Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

O presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, Felipe Francischini (PSL-PR) afirmou nesta quarta-feira (17) que a votação do parecer da reforma da Previdência vai ser adiado para a semana que vem por falta de acordo.

A previsão na CCJ era votar o parecer, favorável à proposta, nesta quarta. Francischini explicou que atendeu um pedido do relator, deputado Marcelo Freitas (PSL-MG), de adiar a votação a fim de que ele analise sugestões de mudança feitas por líderes partidários.

“Vou conceder o pedido e encerrar a presente reunião para que possamos retomar terça (23)”, afirmou o deputado.

Após o encerramento da reunião da CCJ, o relator disse que “um ou outro ponto” da reforma poderá ser suprimido, mas que trabalhará para que não haja uma “desidratação” do texto.

“Como se cuida de uma alteração substancial na Constituição Federal, pode ser que um ou outro ponto possa ser suprimido a pedido do relator. Continuamos a entender que a proposta apresentada pelo governo é absolutamente constitucional, mas vamos discutir com os líderes”, afirmou Marcelo Freitas.

Para ele, o adiamento da votação com eventual alteração no parecer não representa uma derrota para o governo.

“Não enxergo, absolutamente, nenhuma derrota para o governo. […] Ao contrário, estamos observando um governo que está disposto ao diálogo com o parlamento”, disse.

De acordo com o relator, o adiamento da votação não irá atrasar a tramitação da reforma, uma vez que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), já havia indicado a líderes que pretende instalar a comissão especial que analisará o mérito da proposta apenas no dia 7 de maio.

“Eu não considero um atraso, até mesmo porque o presidente Rodrigo Maia tem anunciado, inicialmente, que pretende instalar a comissão especial a partir do dia 7 de maio. Então, estamos perfeitamente dentro de um prazo razoável. O mercado já precificou, já sentiu que esse adiamento ocorresse para a próxima terça-feira, porque já havia sido anunciado antes”, concluiu.

Pontos que podem ser alterados

Segundo o relator, entre os pontos considerados polêmicos e que poderão ser revistos estão:

Dispositivo que permite definir a idade máxima para aposentadoria compulsória dos servidores públicos por meio de lei complementar, que exige quórum mais baixo do que uma proposta de emenda constitucional (PEC).

Hoje, a idade máxima foi elevada de 70 para 75 anos, o que permitiu que os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e de outros tribunais ficassem mais tempo no cargo. A brecha facilitaria uma mudança na composição dos tribunais superiores pretendida por aliados do governo para aumentar a influência sobre o Poder Judiciário.

Competência da Justiça Federal para ações contra o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Atualmente, as ações contra a Previdência Social são julgadas na Justiça Federal. No entanto, quando não há vara federal na cidade, os processos contra o INSS vão para a Justiça Estadual. A proposta do governo retira da Constituição essa previsão, tornando, na prática, obrigatório o ingresso nas varas federais. Críticos a esse ponto afirmam que muitos segurados, que moram em localidades afastadas dos grandes centros urbanos, onde estão varas federais, terão dificuldade no acesso à Justiça.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Brasileira indignada disse:

    Marquês de Rabicó kkkkkk

  2. Joaquim Lamy disse:

    Esse gordinho ta sempre com cara de fome.

Reforma da Previdência: Rogério Marinho diz que mais pobres têm pressa

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Na expectativa de que a reforma da Previdência avance ainda nesta semana na Câmara dos Deputados, o secretário de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, um dos fiadores do texto proposto pelo governo, alertou que a sociedade tem pressa e quer a aprovação da mudança legislativa. Depois de explicar detalhes da proposta em um debate com deputados na manhã desta terça-feira (16), Marinho afirmou que todos reconhecem a necessidade da reforma.

Segundo o secretário, mesmo os que não apoiam a proposta do governo têm apresentando sugestões. “Ninguém pode negar a necessidade de reestruturação do sistema previdenciário e o déficit, que é cruel com os mais pobres. Ou nós enfrentamos isso, ou vamos continuar prejudicando quem já sofre mais”, afirmou Marinho.

O texto está em debate na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara e deveria ter sido discutido na reunião de segunda-feira (15), mas a discusão acabou sendo adiada por uma inversão de pauta que priorizou a votação do orçamento impositivo. O presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), pediu que os parlamentares se concentrem hoje no debate até a madrugada, se necessário, para que a reforma seja votada nesta quarta-feira (17).

“Acredito muito no espírito público do Parlamento. Se acham que é preciso se debruçar mais sobre o tema que o façam, mas quem tem pressa é a sociedade. Hoje, a administração da União, dos estados e de municípios se dá principalmente sobre despesas primárias de manutenção e custeio e do pagamento de dívidas”, afirmou Rogério Marinho.

Para o secretário, a reforma permitirá que o Estado brasileiro deixe de atuar como “síndico de massa falida”, limitando-se à administração de folhas de pagamento, assistência e previdência. “Não sobram recursos para investirmos em saúde, educação, infraestrutura e na geração de emprego e renda”, lamentou.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José disse:

    Rogério Marinho mente a todo momento. Começou mentindo na reforma trabalhista, agora na previdência. Quer fazer uma reforma justa, insere as mesmas regras para militares e juízes. Quero ver ter coragem. Extirpamos esse câncer da política, vem Bolsonaro e ressuscita

    • Everton disse:

      É tanta categoria com reforma diferenciada, que a massa ignara que não participa de nenhuma delas é que toma no lombo.

  2. Silva disse:

    Judas Escariotes pelo menos se arrependeu e pagou com a vida; esse Judas Rogério Marinho, tão tolinho o sonso, não se arrepende de nada… e continua fazendo…

  3. Dilmanta disse:

    Rogério Marinho, eis o verdadeiro Judas da atualidade… vende tudo e todos para ter um emprego na Nação…. seu destino é triste…

  4. Fagner disse:

    Falta vergonha na cara desse sujeito.

  5. Naldinho disse:

    E o primo dele de touros. Ceará mundiça não fala nada

  6. nasto disse:

    Já votei nesse sr. Arrependido. Não acredito em nada que ele fala e faz.

  7. Roberto disse:

    Esse Rogério Marinho, era pra tá preso isso é um pilantra, têm várias empresas em natal com laranjas no comando, agora que dá uma de Santo.

  8. Anti-político de estimação disse:

    Reforma que não mexe com privilégio de militares nem de políticos não passa de um engodo. Não sejamos inocentes. E ainda tem o filé ( para os banqueiros e tubarões do mercado especulativo) : a famigerada "capitalização".

  9. Joaquim disse:

    Palhaço e sacana

  10. Joaquim disse:

    Traste. Pressa tem vc.

  11. amais tempo disse:

    esse cara deveria receber um premio pelo que esta fazendo com a sociedade, principalmente a do nosso estado, isso é uma vergunha para nos norteriograndense. mas o futuro vem aí.

  12. Bento disse:

    Justiça seja feita fez trabalhos belíssimos como IMD, REFORMA TRABALHISTA e agora REFORMA DA PREVIDÊNCIA, quem o critica o faz por pura inveja por falta de capacitação, tirem as travas de seus olhos e sejam sinceros e elogiem um belo trabalho feito por um Norte-Rio-Grandense. Perdemos um excelente Deputados, já merece lugar de Ministro, capacidade não lhe falta. Cadê os criticos sobre os governos anteriores, esse povo tava onde, super ocupado mamando.

    • Ceará-Mundão disse:

      Disse tudo, amigo. Compare esse cidadão com os representantes eleitos no RN. Tirando uns 3, o resto…

    • Ceará-Mundão disse:

      O que Fátima fez pelo RN, quando esteve no Congresso?

    • Henrique disse:

      Leva ele para tua casa e aproveita e faz um altar.

    • Fagner disse:

      Falando asneira homi. Esse elemento foi rejeitado nas urnas. Jamais vencerá uma eleição aqui em Natal ou RN.

  13. Medeiros disse:

    Comediante , só pode

  14. Justiceiro disse:

    Esse aí é o "carteiro" do apocalipse!!!

  15. Eudes disse:

    O termo exato para o que o Sr. Secretário está fazendo é o de tripudiar sobre a sociedade ao dizer que “os pobres têm pressa” em terem seu direitos mais suprimidos.

  16. Ceará-Mundão disse:

    No RN, o deficit mensal da Previdência gira em torno de 130 milhões. A crise financeira é real e os servidores estão com vários meses de salários atrasados. A única medida até agora anunciada foi a mera antecipação de receita dos royalties. E depois? Esse dinheiro não fará falta no futuro? Claro que sim. Resolve como? Com o tal "Lula livre" e fazendo oposição irresponsável ao governo federal, a única possível fonte de salvação? Não adianta tentar afundar o barco se estamos todos a bordo. Essa petezada não regula bem do juízo.

    • Alex disse:

      Por que não começar taxando as grandes fortunas?
      Aí o governo prova que tem colhões e que suas intenções são de fato positivas!

    • Ceará-Mundão disse:

      Vamos perguntar de outra forma: se essa medida é mesmo tão benéfica ao Brasil, por que não foi implantada nos governos petistas (ou do PSDB)? Passaram muitos anos no poder e tinham o Congresso na mão (sabemos como).

    • Ceará-Mundão disse:

      No caso específico do RN, já que o PT é contra a proposta de reforma apresentada, o que a governadora Fátima fará? Como resolverá a crise? Gritando "Lula livre"?

    • Lucas disse:

      Amigo, enquanto compararmos um horrível c um muito ruim n chegaremos a lugar algum! Rogério Marinho enganou o povo c a reforma trabalhista. Cadê os empregos prometidos?
      A reforma da previdência, assim como a reforma trabalhista, são necessárias! O problema eh q qd esse cidadão coloca o dedo azeda tudo!

  17. Carlos disse:

    Confesso que não sei o que pensar e falar sobre esse indivíduo. Pelo menos uma eu falo. " É um palhaço "

  18. Brasileira indignada disse:

    O ex e escorraçado deputado esqueceu de completar… Tem pressa para morrer

  19. Antonio Turci disse:

    Recuperar uma economia em recessão nunca foi algo do dia para a noite. Demanda um certo tempo. É algo parecido com isto: você sai de casa numa boa. Retorna meio mole e, de repente, arreia com febre, dor de cabeça, dor no corpo e outras milacrias. Tudo muito rápido. Vai ao médico e o diagnóstico é, digamos, a tal da chicugunha. Aquele mal que lhe apareceu e lhe derrubou tão rapidamente, passa semanas e, muitas vezes, meses para desaparecer. De modo parecido acontece com as crises econômicas. A saída da recessão é como subir uma ladeira, ou seja, a carreta manda tração e sobe devagar. Outra coisa: não há remédio doce para crise econômica; o xarope recuperador da economia não é feito do doce sapoti, mas, sim, do amargo como jiló. Daí a lentidão quanto a abertura de novos postos de trabalho. A reforma trabalhista foi necessária e trará resultados.Porém, nunca no curto ou curtíssimo prazo.

    • Ceará-Mundão disse:

      Correto, amigo. Esses fanáticos por aqui não consideram sequer a opinião de seu "dono", o presidiário de 9 dedos. Na internet tem uma porção de vídeos do canalha defendendo essas reformas. E ele próprio promoveu DUAS da Previdência, em 2003 e 2005 (Emendas 41 e 47). Esses malucos deviam ao menos respeitar seu guru.

  20. Carlos Bastos disse:

    Deixe de ser mitiroso, vai ser igual a reforma trabalhista, até hoje estou procurando os milhares de empregos que gerariam essa maldita reforma.

  21. Rei do brega disse:

    Isso é verdade? Ou esse sujeito ta ironizando?