Denúncia

Kassio Marques, indicado para vaga no STF, plagiou advogado em tese apresentada em Lisboa, noticia Crusoé

Foto: Divulgação

Na Crusoé, Rodrigo Rangel e André Spigariol relatam, com exclusividade, que Kassio Marques, escolhido por Jair Bolsonaro para ocupar a vaga de Celso de Mello no STF, apresentou uma dissertação de mestrado à Universidade Autônoma de Lisboa com “trechos inteiros copiados de artigos publicados na internet por um advogado”:

“Kassio Marques concluiu a dissertação em 2015. Um levantamento feito por Crusoé nas 127 páginas do trabalho, que garantiu ao desembargador o título de mestre em direito, mostra que passagens inteiras são idênticas a trechos de textos do advogado Saul Tourinho Leal, integrante da banca de advocacia do ex-ministro do Supremo Tribunal Federal Carlos Ayres Britto. Tourinho Leal é piauiense, assim como Kassio Marques.

A dissertação repete até um erro de português contido em um dos artigos do advogado – o que indica ter havido, na elaboração da dissertação, um “copia e cola” a partir dos textos do advogado.

Crusoé utilizou a ferramenta “Plagium”, disponível na internet, para identificar os trechos. Há mais de uma dezena de passagens da dissertação de Kassio Marques reproduzem partes de artigos de Tourinho Leal, muitas sem tirar nem pôr palavras. Não há, no trabalho, qualquer referência ao advogado – ele não é citado nenhuma vez.

Para além dos indícios de plágio, na dissertação do desembargador escolhido pelo presidente da República para o Supremo há algo mais que chama atenção, e que põe em dúvida se foi ele mesmo quem produziu o trabalho: o arquivo do texto, disponibilizado na internet, registra o nome “Saul” como autor do documento (veja abaixo). É uma informação que leva à suspeita de que Saul Tourinho pode não apenas ter “inspirado” o trabalho de Kassio a ponto de ter passagens inteiras de seus artigos reproduzidas, mas ajudado o magistrado a escrever a dissertação. Saul ainda não foi localizado por Crusoé para falar sobre o assunto.”

O Antagonista via Crusoé

Opinião dos leitores

  1. Outra Entregador De Pizza, não diga a ninguém o que vc faz, além de só escrever besteira, certamente isso não se aprende na faculdade, de engenharia, possuo dois irmãos engenheiros que pensam diametralmente o oposto de vc. Esses realmente fizeram Universidade, excelentes profissionais, reconhecidos pela categoria.

    1. “Toda unanimidade é burra.
      Quem pensa com a unanimidade não precisa pensar”
      Autor: Nelson Rodrigues

      Eu fico imaginando, o tipo de profissional que você é.

    2. Roger Abdelmassih Também era um profissional reconhecido pela categoria, deu no que deu.

    3. O Luladrão "arrotava" honestidade e dizia mais ou menos assim: "para ser indicado Ministro (do Poder Executivo) no Brasil, antes precisa ser ladrão".
      Deve ser um dos motivos pelos quais Dilmanta tentou fazer de Luladrão um Ministro. Somado ao fato de deixar o molusco com foro privilegiado. Não fosse a gravação feita pela Polícia Federal, mesmo fora do prazo autorizado pelo ex Juiz Sérgio Moro (e divulgado) , o gatuno de nove dedos teria facilidade no julgamento no STF.
      Viva ao patriota SÉRGIO MORO!!!

  2. Ninguém resiste a um crtlC e crtlV kkkkk é o mundo todo. Os honestos, no entanto , citam as fontes.

  3. Próximo Ministro que o miliciano vai indicar, é o Tiririca.
    Lembrar que o Presidente Lula indicou Joaquim Barbosa, Fernando Henrique indicou a Ellen Gracie, Sarney indicou o Brilhante Celso de Mello… O esclerosado do bozo indica um ministro fake.

    1. cita aí as outras "bombas" que o teu presidente Lula indicou, "entregador de pizza", tirando o Joaquim Barbosa que se acovardou e caiu fora do 'time'… coerência não faz mal a ninguém…

  4. Ô homem de um dedo podre. Todos que ele apóia têm alguma sujeira.
    É difícil investigar primeiro?
    Indica logo o Queiroz…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Cancelamento de voo de Lisboa para Natal gera indenização para consumidora

Uma consumidora de Natal será indenizada por danos morais no valor de R$ 3 mil, a ser paga de forma solidária pelas empresas Smiles e a TAP, pelos danos sofridos em virtude do cancelamento do voo com trecho Lisboa – Natal, fato que fez com que ela fosse reacomodada em voo com destino final Recife, fazendo-se necessária a aquisição de nova passagem aérea com destino Recife – Natal. O valor será corrigido monetariamente e acrescido de juros. A sentença é da juíza Arklenya Pereira, da 8ª Vara Cível da Comarca de Natal.

A consumidora ajuizou a ação judicial contra a Smiles Fidelidade S/A e a TAP – Transportes Aéreos Portugueses S/A afirmando que efetuou compra de passagem aérea com saída da cidade de Praga com destino à Natal sem escala ou conexão, marcada para 23 de setembro de 2017, às 18h25, na classe executiva.

Alegou que foi informada do cancelamento do voo, o qual seria substituído por um novo voo cinco horas após o planejado, às 23h40min, sem qualquer assistência. Relatou que o voo inicialmente adquirido tinha como destino final a cidade de Natal, todavia, o novo voo seguiu viagem para destino final em Recife, sem consulta prévia aos passageiros.

Em razão disso, ela disse que foi necessário comprar nova passagem com destino a Natal, o que somou um atraso de 11 horas, já que somente conseguiu chegar a Natal por volta das 9h do dia 24 de setembro de 2017.

Em razão disso, requereu a condenação dos réus ao pagamento de indenização por danos materiais no valor de R$ 600 em relação ao valor da passagem aérea com destino Recife – Natal, bem como pelo valor cobrado pela taxa de bagagem e pagamento de indenização por danos morais.

Empresa aérea

A TAP alegou que o voo com itinerário Lisboa – Natal foi cancelado por determinação do controle de tráfego aéreo devido a grande quantidade de voos existentes na mesma data e horário. Afirmou que realocou a passageira em voo que decolou no mesmo dia.

A empresa salientou que ofertou a consumidora duas opções a fim de que pudesse escolher a que melhor lhe atenderia, sendo uma delas com destino a Recife, o qual decolaria no mesmo dia, e outro para Natal, o qual decolaria no dia seguinte, optando-se por decolar no mesmo dia.

A companhia aérea lembrou que segue as normas internacionais de segurança e que as aeronaves somente podem decolar após a permissão do controle de tráfego. Defendeu a inexistência de danos materiais, porque foi a própria autora que escolheu o voo com destino final a Recife, bem como somente comprovou o desembolso do valor de R$ 525.

A Smiles S/A alegou não ter legitimidade para estar em juízo nesse caso e que já havia identificado com antecedência o cancelamento realizado pela TAP. Por isso, disse que diligenciou junto a Companhia Aérea a obtenção de voo de reacomodação, momento no qual a TAP disponibilizou novo voo de Lisboa para Recife e, mesmo não tendo sido ofertado o trecho completo, foi ofertado voo pela Gol com trecho Recife-Natal.

Defendeu que a passagem aérea com trecho Recife-Natal foi comprada com mais de um mês de antecedência. Argumentou que a alteração de horários do voo decorreu de conduta imputável apenas à companhia aérea, de forma que o programa de milhagem não detém ingerência sobre a malha aérea das cias parceiras. Disse que não pode realocar os clientes no voo que bem entender, já que não tem autonomia de escolha dos voos, sendo estes determinados pela companhia aérea operadora do voo original.

Decisão

Ao analisar o caso, a magistrada Arklenya Pereira rejeitou o pedido de danos materiais requerido pela autora, porque constatou que, mesmo sabendo que os danos materiais já haviam sido solicitados em outro processo, requereu a sua concessão. Em razão disso, reputou a autora como litigante de má-fé, e fixou multa de 5% sobre o valor da causa por ser proporcional e razoável.

Todavia, quanto ao cancelamento do voo, viu que é possível dizer que o serviço prestado pelas empresas foi defeituoso. Em que pesem as alegações delas de que não tem ingerência sobre a malha aérea e sobre a readequação da malha aérea promovida pelos controladores de voo, a juíza entendeu que elas não se enquadram dentro das hipóteses de excludentes de culpabilidade, sendo, em verdade, hipótese de caso fortuito interno que não as exime da responsabilidade.

“Na situação em análise, a parte autora sofreu danos morais indenizáveis, tendo em vista o cancelamento do voo, causando angústia e aflição no retorno à cidade natal”, concluiu.

(Processo nº 0804397-45.2018.8.20.5001)
TJRN

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Turismo

Pela primeira vez, RN participa da feira de turismo em Lisboa com estande próprio

Artesão produz garrafas de areia in locoA participação do Governo do Rio Grande do Norte na Feira Internacional de Turismo de Lisboa (BTL), este ano, representa um marco histórico. Não pela sequência presencial no evento, mas por montar, pela primeira vez em sua história, um estande próprio, com autonomia para expor seus destinos e abrir facilidades de negócios junto a operadores internacionais.

A BTL acontece entre 2 e 6 de março. E além do RN, apenas a Bahia e o Amazonas participam com estande próprio. Representam o Estado potiguar, o secretário de Turismo, Ruy Gaspar, e uma equipe da Emprotur composta pela presidente Aninha Costa, a diretora de Marketing, Suyane França, e a gerente de Promoção Internacional, Nayara Santana.

“Ano passado, durante reunião nossa com a TAP e presença do governador Robinson Faria, o presidente e vice-presidente da TAP ressaltaram a importância da BTL para o Rio Grande do Norte no mercado europeu. Aqui podemos agendar negócios com outros mercados internacionais, não só o português, porque a Europa inteira vem pra cá”, avaliou Ruy Gaspar.

O secretário lembrou ainda que, apenas no segundo dos cinco dias da feira, já tem agendado reuniões com operadores da Espanha, Polônia, Escandinávia, Alemanha e Holanda, no intuito de abrir novos mercados ao RN. “É um marco histórico. Pela primeira vez o RN participa com estande próprio, separado da Embratur. Com recursos do RN Sustentável esse ano conseguimos esse feito”, concluiu.

A presidente da Emprotur, Aninha Costa, frisou que os cinco pólos do RN estão representados no estande potiguar. “É importante estarmos aqui para vendermos nossos destinos ao mundo inteiro. Nosso estande está muito visitado. Trouxemos o artesão Igor preparando a arte das garrafinhas de areia colorida in loco, além de outros atrativos e brindes”.

Os dois primeiros dias da BTL são reservados integralmente para profissionais. Os demais são abertos ao consumidor final e ao trade. Nos dias de público final, a feira oferece, também, a oportunidade de escolher novas soluções e destinos para as férias a preços altamente competitivos. A BTL 2015 atingiu 72.096 visitantes, sendo um acréscimo de 6% face à edição de 2014, dos quais 35.000 mil eram profissionais de turismo, 1.050 expositores, e 400 hosted/buyers provenientes de 29 mercados internacionais.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *