Diversos

Explosão deixa dezenas de mortos em comboio no Paquistão

Foto: Stringer

Pelo menos 73 pessoas morreram na explosão de um comboio que viajava entre Karachi e Rawalpindi, no Paquistão. A maioria das vítimas teria morrido ao saltar do comboio em movimento para fugir das chamas. O primeiro-ministro já determinou a abertura de inquérito para apurar as causas do incêndio.

As primeiras informações são de que dois fogões a gás causaram a explosão, que ocorreu quando alguns passageiros preparavam o almoço no comboio em movimento, disse o ministro dos Transportes Ferroviários paquistanês, Sheikh Rashid Ahmad. As chamas ganharam ainda mais força por haver querosene a bordo.

A viagem do Tezgam Express durava 25 horas e meia. Passageiros transportam fogões para cozinhar nessas longas viagens, um problema comum, diz o ministro.

O balanço preliminar do acidente indica mais de 70 mortos e 40 feridos. Os números ainda podem aumentar, admitem as autoridades.

No total, três comboios foram consumidos pelas chamas. A bordo desses vagões estariam cerca de 200 pessoas, a maioria peregrinos que iriam participar de um dos principais encontros religiosos anuais do Paquistão.

Apesar da versão oficial sobre as causas do incêndio, alguns sobreviventes mencionaram um curto-circuito a bordo, que poderia ter iniciado o fogo, de acordo com a BBC.

O primeiro-ministro paquistanês Imran Khan afirmou estar entristecido com “essa terrível tragédia”, acrescentando que já pediu um “inquérito imediato”.

O Paquistão tem um histórico de acidentes ferroviários. Este é o mais grave da última década. Em 2007, pelo menos 56 pessoas morreram num acidente em Mehrabpur. Em 2005, mais de 130 pessoas perderam a vida na sequência de uma colisão entre três comboios, na província de Sindh.

RTP – Emissora pública de televisão de Portugal
Agência Brasil

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Segurança

MASSACRE DE CRIANÇAS: Casa Branca e Itamaraty condenam ataque

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, condenou “nos termos mais fortes possíveis o terrível ataque do Taleban” a uma escola em Peshawar, no Paquistão.

“Ao mirar estudantes e professores nesse ataque hediondo, os terroristas mostraram mais uma vez sua depravação”, afirmou, em nota divulgada pela Casa Branca.

“Nós estamos ao lado do povo do Paquistão, e reiteramos o compromisso dos Estados Unidos em apoiar o governo paquistanês em seus esforços para combater o terrorismo e o extremismo e para promover a paz e a estabilidade na região.”

De acordo com o diretor de informação do governo local, ao menos 130 pessoas foram mortas e mais de 120 ficaram feridas no ataque. Mais de cem das vítimas eram crianças, a maioria entre 12 e 16 anos, afirmou Bahramand Khan.

Brasil

O Itamaraty divulgou nota hoje condenando o ataque da milícia islâmica do Taleban a uma escola no Paquistão. “O governo brasileiro condena com veemência o atentado ocorrido hoje numa escola da cidade de Peshawar, no norte do Paquistão”, afirma trecho do texto, divulgado pelo Ministério das Relações Exteriores.

O governo brasileiro destacou ainda o “repúdio à violência” e condenou a ação de atos terroristas.

A maioria das vítimas tinha entre 12 e 16 anos.

“Neste momento de pesar e consternação, o povo e o governo brasileiro manifestam a sua solidariedade ao governo do Paquistão e às famílias enlutadas”, afirma a nota.

Folha Press

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Tragédia: Passa de 300 o número de mortos em terremoto no Paquistão

2013-649069625-20130925074011073afp.jpg_20130925Uma autoridade paquistanesa informou que subiu para 327 o número de mortos no forte terremoto que atingiu o sudoeste do país na terça-feira. Cerca de 400 pessoas ficaram feridas.

O terremoto de 7,7 graus de magnitude atingiu uma área remota do Sudoeste do Paquistão, a 66 quilômetros da cidade de Awaran. A força do tremor foi tão intensa que provocou o surgimento de uma nova ilha no litoral do país.

O leito do mar elevou-se a cerca de 600 metros da costa, na altura da cidade de Gwadar, criando uma pequena ilha em formato de montanha, mostraram canais de TV paquistaneses.

Mesmo a centenas de quilômetros do epicentro do terremoto, moradores da capital indiana, Nova Délhi, sentiram o chão tremer, mas não houve registro de danos. Na maior cidade paquistanesa, Karachi, a 250 quilômetros do epicentro, houve correria para deixar prédios, e muitos se aglomeraram nas ruas de celular em punho, em busca de notícias de parentes e conhecidos.

O Globo

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Histórico: Afeganistão e Paquistão se enfrentam em amistoso

235_2036-alt-20130820125504399AFPO recentemente construído Estádio da Federação de Futebol de Afeganistão foi palco nesta terça-feira(20), do primeiro jogo internacional no país em uma década. E não foi um jogo qualquer: rivais políticos históricos, Afeganistão e Paquistão fizeram uma partida amistosa.

235_2036-alt-20130820141804388AFPCom os seis mil lugares do estádio tomados, o Afeganistão venceu por 3 a 0, para delírio da torcida local. Foi a primeira partida entre as duas seleções em Cabul em 30 anos.

O Globo

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Irmãs fazem vídeo dançando em chuva e são assassinadas para restaurar "honra" da família

Duas adolescentes foram mortas a tiros, no Paquistão, após serem filmadas dançando na chuva, vestidas com um traje tradicional da cidade conservadora onde moravam.

As irmãs Noor Basra, de 15 anos, e Noor Sheza, um ano mais velha, foram mortas por cinco homens armados no dia 23 de junho. Segundo informações do jornal americano Daily News, a mãe das meninas, identificada apenas como Noshehra, também foi assassinada.

O meio-irmão das jovens, Khutore, foi preso sob a acusação de ser o mandante do crime. A polícia acredita que ele tenha encomendado a morte das irmãs para restaurar a “honra” da família, seis meses depois que o vídeo começou a circular na internet.

Conheça os cinco países mais perigosos para mulheres no mundo

“Parece que as duas meninas foram assassinadas depois de terem sido acusadas ​​de manchar o nome de sua família, fazendo um vídeo de si mesmas dançando na chuva”, disse um oficial.

No vídeo, as duas meninas são vistas usando o “shalwar kameez”, um tipo de vestido longo tradicional e lenços verdes e roxos. Uma das meninas chega a dar um sorriso para a câmera.

Esta não é a primeira vez que uma tragédia como esta acontece no país. Um ano atrás, quatro mulheres foram executadas por ter cantado e dançado com homens em um casamento no noroeste do Paquistão.

Anciãos tribais ordenaram que as mulheres fossem mortas a tiros por supostamente manchar os nomes de suas famílias e por seus atos de “fornicação”.

Mulheres e homens dançando junto é uma violação da lei Sharia, com cerca de mil “crimes de honra”. Todos os anos há vários casos como o das irmãs Noor.

Dessas mortes, quase 77% acabam com a absolvição de criminosos, de acordo com a Comissão de Direitos Humanos da Tahira Abdullah.

R7

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

Operação que matou Osama Bin Laden

A operação que culminou na morte de Osama bin Laden, no domingo, no Paquistão, foi o oposto de boa parte das ações militares lançadas pelo país desde o início da tentativa de capturar o chefão terrorista. Desta vez, não houve uma enorme mobilização de soldados avançando lentamente na direção do alvo. A missão de domingo foi rápida, modesta e absolutamente eficaz – “de precisão cirúrgica”, conforme fontes militares ouvidas pela agência de notícias EFE. Eles descreveram as circunstâncias da ação sob a condição de anonimato.

Na operação, que durou apenas 40 minutos desde a chegada dos americanos ao local até sua partida, morreram cinco pessoas, incluindo Bin Laden. Os serviços de inteligência americanos sabiam há anos que o líder da rede terrorista Al Qaeda confiava especialmente em um de seus seguidores e se suspeitava que vivia com ele. Em novembro, os agentes descobriram que este seguidor morava em um complexo residencial avaliado em mais de um milhão de dólares, em Abbottabad, um enclave de luxo nos arredores de Islamabad.

O complexo contava com duas portas de segurança e muros de três metros de altura cercados com arame farpado. Quanto mais investigava o local, mais a CIA ganhava confiança na chance de Bin Laden se esconder ali. No final de abril se contava com a certeza de que Bin Laden e sua família se refugiava nesse lugar. Durante a última quinzena do mês, se constatou que o dirigente terrorista não deixava o complexo. O presidente americano, Barack Obama, deu a ordem de atacar na sexta-feira passada, 29 de abril.

(mais…)

Opinião dos leitores

  1. JOGARAM O CORPO NO MAR?
    NÃO ACREDITO, SENDO O AMERICANO FANÁTICO POR TROFÉU, POR QUE NÃO EXIBIR ESSE?

  2. Será que ele está agora queimando no mármore do inferno ou feliz no paraíso ao lado de 70 virgens?…

  3. Essa foto atribuida ao corpo morto de Bin Laden , na verdade trata-se de uma montagem feita por um site de humor chamado 4chan, de compartilhamento de arquivos. Ate'a globo caiu na pegadinha.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

Bin Laden partiu….

De Veja Online:

Depois de 3.519 dias, duas guerras e 1,18 trilhão de dólares em gastos militares, “a justiça foi feita”. Foi assim que o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciou a morte do homem mais procurado do planeta, o terrorista mais famoso da história e o mandante do maior atentado já cometido no mundo. O saudita Osama bin Laden, de 54 anos, foi executado com um tiro na cabeça, numa operação militar realizada nos arredores de Islamabad, capital do Paquistão, neste domingo. A poucos meses do décimo aniversário do 11 de Setembro, os Estados Unidos fizeram uma grande festa para comemorar a morte de seu inimigo número 1, com direito a muita festa em Washington e em Nova York, palcos do ataque cometido pela rede Al Qaeda em 2001. Os americanos, porém, também entraram em alerta, temendo uma reação dos terroristas à morte de seu líder e mentor.

(mais…)

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *