Show de oito minutos vai marcar passagem da bandeira paralímpica de Londres para o Rio

O Rio de Janeiro vai receber amanhã (9), em Londres, a bandeira paralímpica, já que a cidade sediará os próximos Jogos Paralímpicos, em 2016. A bandeira será entregue à capital fluminense durante a cerimônia de encerramento dos Jogos de Londres.

Para marcar a passagem da bandeira, os brasileiros prepararam um show de dança e música, de oito minutos, que vai reunir artistas como Carlinhos Brown e a banda Paralamas do Sucesso. Está prevista ainda a participação dos bailarinos brasileiros Thiago Soares e Roberta Marquez, que integram o Royal Ballet de Londres e que vão dançar com bailarinas cegas da Associação de Ballet e Artes para Cegos.

Haverá ainda a participação de um grupo de dança sobre cadeira de rodas e dos atletas paralímpicos Daniel Dias que, somente em Londres, ganhou cinco medalhas de ouro na natação, e Ádria dos Santos.

Ontem (7), no mesmo dia em que o Brasil comemorou 190 anos de independência, foi iniciada a contagem regressiva para os Jogos do Rio, que ocorrerão entre os dias 7 e 18 de setembro de 2016. Um evento para marcar os quatro anos que faltam para o início das Paralimpíadas Rio 2016 foi realizado no espaço Casa Brasil, montado em Londres para promover o país durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos deste ano.

O evento reuniu o vice-presidente da República, Michel Temer, o governador fluminense, Sérgio Cabral, e o presidente do Comitê Paralímpico Internacional, Philip Craven.  “Os Jogos Paralímpicos deixarão no Rio, além do legado da mobilidade urbana, um impacto positivo na autoestima, de superação e na política para pessoas com deficiência”, disse o governador, segundo nota divulgada pelo Comitê Organizador dos Jogos Rio 2016.

Os Jogos Paralímpicos do Rio serão realizados logo depois dos Jogos Olímpicos, que ocorrem entre 5 e 21 de agosto de 2016, e contarão com cerca de 4.200 atletas de mais de 150 países.

A competição na capital fluminense terá a inclusão de dois novos esportes, o paratriatlo e a paracanoagem, e totalizará 22 modalidades. A expectativa é que 5.500 jornalistas, 30 mil voluntários e 2 milhões de espectadores estejam presentes no evento.

 

 

 

Edênia Garcia conquista prata na Paralimpíada de Londres

A nadadora potiguar Edênia Garcia conquistou a prata na final dos 50m costas feminino da Paralimpíadas 2012, depois de uma acirrada disputa pelo segundo lugar com a chinesa Juan Bai. O duelo só foi definido no final da prova pela nadadora do Brasil.

Edênia foi a primeira competidora brasileira a conquistar uma medalha na natação em Londres 2012. Lisette Teunissen, da Holanda, liderou de ponta a ponta e ficou com a medalha de ouro.

Edênia Garcia vive expectativa de buscar o ouro em Londres

Promessa de medalha nas Paralimpíadas de Londres, a nadadora da delegação potiguar Edênia Garcia está pronta para entrar na piscina. Depois de longos meses de preparação, a sua prova acontece nesta quinta-feira (6), às 11h.

Edênia Garcia já participou das Paralimpíadas de Atenas (2004) e Pequim (2008), de onde trouxe medalhas de prata e bronze, respectivamente. A experiência acumulada deve ajudar na busca pelo inédito ouro.
“Comecei muito jovem e agora me sinto pronta para buscar o sonhado ouro. Certamente será muito difícil, mas fiz uma excelente preparação e estou pronta para buscar medalha”, garantiu a nadadora.

De acordo com a atleta, sua principal adversária será a Holanda. “Elas realizam um grande trabalho e devem ser fortes concorrentes. Contudo, eu estou competindo em competições internacionais há algum tempo e conheço bem minhas adversárias. O importante é trabalhar dentro da minha estratégia e buscar os resultados”, apontou a atleta.

Especialista em 50 metros costa, esta é a modalidade que vai representar em Londres. “A bateria e a final acontecem no mesmo dia. É preciso muita concentração e buscar sempre fazer o melhor. Espero trazer um grande resultado para o meu país”, destacou Edênia Garcia, que nasceu no Ceará e adotou o Rio Grande do Norte como seu estado para viver e competir.

Potiguares estão na disputa por medalhas nas Paralímpiadas de Londres

A delegação de atletas do Rio Grande do Norte está na luta pela conquista de medalhas. Teve estreia no golball e na natação. Edênia Garcia ainda não estreou em Londres e Clodoaldo Silva não conseguiu disputar a final dos 200m com dores no ombro. O golball teve quatro gols do potiguar Romário, já no jogo de estreia, Denise Souza também pelo golball ainda não iniciou a disputa.

Natação Masculino

Clodoaldo Silva foi vencido por dores no ombro e não disputou a final dos 200m na piscina do Centro Aquático dos Jogos Paralímpicos de Londres na prova que valia a medalha.

O atleta se prepara para a disputa das duas últimas provas nos jogos, que são os 50 metros nado borboleta e 100 metros nado livre nos dia 07 e 08 de setembro.

No dia 4 de setembro, Francisco Avelino  cai na água pelos 100m peito. A prova mais esperada por ele é a dos 50m costas, que só acontece dois dias depois.

Natação Feminino

Na manhã desta quinta-feira (30), Joana Neves disputou a prova classificatória dos 50 metros livre das Paralímpiadas de Londres e garantiu vaga na final. Joana fez o o terceiro melhor tempo da prova, com 38s73 e vai brigar por um lugar no pódio.

A outra potiguar que vai cair nas águas de Londres e é Edênia Garcia, que deve fazer sua estreia na próxima quinta-feira (06)

Golball

O potiguar Romário Marques brilhou na sua estreia nas paraolimpíadas de Londres, com quatro gols do potiguar, a equipe derrotou a Finlândia por 6 a 5 e começou bem a disputa no Grupo A.

No jogo deste domingo a equipe  perdeu para a Turquia por 4 x 1 Brasil. O próximo jogo será contra a Grã- Bretanha no dia (04)

No golball tem Denise Souza ,  a equipe começou a disputa com a vitória sobre a Dinamarca por 2 x1. Depois sofreu duas derrotas uma para a China por 8 x 0, e a outra neste domingo (02) para a Grã-Bretanha por 3 x1. A seleção feminina volta a jogar na segunda (03) contra a Finlândia.

 

 

Paralimpíadas: Brasil fecha terceiro dia de competições com nove medalhas

O Brasil encerrou o terceiro dia dos Jogos Paralímpicos de Londres com mais três medalhas, totalizando nove até o momento. Os nadadores Daniel Dias e André Brasil conquistaram o ouro e estabeleceram novos recordes nos 200 metros livre da classe S5 e 100m borboleta da classe S10. Além deles, o experiente Antônio Tenório, judoca com deficiência visual tetra campeão paralímpico, ganhou o bronze nesta edição.

André Brasil e Daniel Dias começam a fazer suas coleções de medalhas nos jogos de Londres. Com as de hoje, André já soma três medalhas e Dias, duas. Nas Paralimpíadas de Pequim, há quatro anos, o primeiro subiu cinco vezes ao pódio, sendo quatro delas no lugar mais alto, e o segundo foi o recordista de medalhas daquela edição, com nove, sendo quatro de ouro e quatro de prata.

Com as conquistas de hoje, o Brasil se aproxima da meta de ficar entre as sete primeiras nações no quadro de medalhas. Com quatro ouros, o país está na oitava posição, também com duas pratas e três bronzes.

Nas Paralimpíadas, os atletas são separados, em cada modalidade, em cinco tipos de categorias de deficiência: paralisados cerebrais, deficientes visuais, atletas em cadeira de rodas, amputados e les autres (pessoas com esclerose múltipla ou nanismo). Além disso, são classificados de acordo com suas capacidades físicas e competitivas, colocando deficiências semelhantes em um mesmo grupo, buscando o nivelamento mais justo.

Andre Brasil ganha ouro e quebra recorde mundial nos 50 metros nado livre nas Paralimpíadas

O nadador Andre Brasil conquistou o ouro na prova dos 50 metros nado livre S10 e quebrou o recorde mundial, com o tempo de 23s16. Essa é a segunda medalha do nadador nos Jogos Paralímpicos de Londres. Andre Brasil ganhou ontem (30) a medalha de prata nos 200 metros medley SM10, com o tempo de 2m12s36.

Com a estreia do atletismo na manhã de hoje, a atleta Marivana Nóbrega bateu o recorde das Américas, no lançamento de disco F35/36, com a marca de 23,73 metros. No entanto, a quebra do recorde parapan-americano não garantiu medalha para a brasileira, que terminou a prova em sétimo lugar.

Os nadador brasileiro Daniel Dias também foi ouro ontem, confirmando o favoritismo. Dias chegou em primeiro lugar nos 50 metros nado livre S5 e bateu o próprio recorde, com o tempo de 32s05 – 21 centésimos mais rápido que a marca anterior.

Até o momento, o Brasil ocupa o nono lugar no quadro geral de medalhas – com duas de ouro, duas de prata e uma de bronze. A China lidera o ranking com 31 medalhas, seguida pela Austrália (com 15 medalhas) e a Ucrânia (com 14 medalhas).

Repetindo o feito nas Olimpíadas deste ano, o judô foi o esporte que garantiu a primeira medalha para o Brasil nas Paralimpíadas ontem (30), com a vitória da judoca Michele Ferreira, na categoria até 52 quilos. A brasileira conquistou a medalha de bronze depois que a adversária, a francesa Sandrine Martinet, se machucou nas semifinais e não competiu.

A 14ª Paralimpíadas em Londres vão até o dia 9 de setembro. Participam dos Jogos, atletas com deficiências físicas e sensoriais. A equipe brasileira é formado por 182 atletas, que competem em 18 das 20 modalidades. O Brasil não participa das competições de rugby e tiro com arco.

Da Agência Brasil