Geral

Cresce 400% número de potiguares em busca da nacionalidade portuguesa através da Lei dos Sefarditas; entenda

Foto: Alícia Uchôa / G1

Cresceu 419% o número de potiguares que deram entrada nos processos de certificação para obterem a nacionalidade portuguesa através da Lei dos Sefarditas, de 2015.

A lei permite que descendentes de judeus sefardistas (entenda mais abaixo) consigam obter vistos permanentes do governo português caso comprovem o parentesco através da árvore genealógica.

Em 2021, 180 potiguares buscaram a certificação de janeiro a setembro. O número é 419% maior do que os 43 requerentes de 2020. Em 2019, o número foi ainda menor: 5 pessoas buscaram a certificação. O aumento em três anos é de 3.500%.

De acordo com o genealogista Alexandre Santos, integrante da Ancestralis, assessoria que acompanha processos de cidadania em Portugal, em 2021 ao todo 85 processos foram aprovados até o mês de setembro. Em 2020, esse número tinha sido de 7 e em 2019 nenhum certificado foi aceito.

Segundo a Ancestralis, no RN há um número considerável de descendentes de judeus sefarditas, concentrados especialmente nas famílias Dantas, Azevedo, Araújo, Medeiros, Lucena, Cirne, Gurgel, Santos, dentre outras.

A região do Seridó potiguar é também um grande “celeiro” de antigas comunidades sefarditas, sendo os patriarcas de Caicó, Jardim do Seridó, Carnaúba dos Dantas e Timbaúba dos Batistas, por exemplo, delas diretamente descendentes.

Lei dos Sefarditas

Os judeus sefarditas viviam na Península Ibérica (formada por Portugal e Espanha) desde antes da chegada dos cristãos. Durante a inquisição católica, nos séculos XV e XVI, esses judeus foram perseguidos, forçados à conversão ou expulsos. Muitos deles se refugiaram no Brasil. Em 2015, Portugal atualizou sua Lei de Nacionalidade Portuguesa para permitir que as pessoas que descendem desse povo possam adquirir a cidadania.

Passo a passo

O genealogista Alexandre Santos, que também é diretor da Ancestralis, empresa especializada em prestar assessoria para quem deseja adquirir cidadania portuguesa pela descendência de judeus sefarditas, explica que o processo funciona em três etapas: estudo genealógico, certificação israelita e pedido de naturalização.

É preciso, antes de tudo, verificar a viabilidade do processo. Em seguida, é feito um estudo genealógico, uma pesquisa profunda e elaborada da árvore genealógica do solicitante.

Assim, é construído o caminho geracional que leva à identificação do ancestral sefardita. Para isso, são usados documentos, registros públicos, livros e fontes históricas que ajudam a documentar o vínculo.

Segundo o genealogista, é importante que se ter em mãos informações da parte mais próxima da árvore, como a data e local onde nasceram, casaram e, em alguns casos, faleceram os pais, avós e bisavós.

A segunda etapa é a certificação israelita. Já com o relatório genealógico que comprova o vínculo com o antepassado sefardita nas mãos, o requerente dá entrada na Comunidade Israelita de Lisboa para obter a certificação. Não é necessário ser judeu para dar entrada no processo, basta ser descendente de um judeu sefardita.

A terceira etapa é o pedido de naturalização. O requerente aciona a Conservatória dos Registros Centrais, órgão português responsável pela análise dos processos de nacionalidade. = Caso seja aprovado, a Conservatória envia os dados para o Ministério da Justiça, que é o responsável pelo deferimento do pedido de nacionalidade.

Todo o processo costuma levar de 18 a 24 meses, segundo o genealogista.

Com a nacionalidade deferida, cabe ao potiguar pedir a documentação portuguesa e o passaporte no Vice-Consulado de Portugal em Recife, Pernambuco. Esta é a última etapa do processo.

G1 RN

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cidades

PAINEL RN 2021/BLOG DO BG/AGORASEI: Índice de satisfação em morar no Rio Grande Norte é alto no interior e baixo na Grande Natal

Foto: Reprodução

A pesquisa do Painel RN 2021 questionou aos entrevistados se eles estão satisfeitos com a vida que levam hoje morando no Rio Grande do Norte. De acordo com os números levantados, juntando todas as regiões o percentual de 64,8% corresponde aos que afirmaram que sim, enquanto 29,6% disseram que não. As pessoas que não têm opinião formada sobre o assunto ou não souberam responder somam 5,6%.

Por regiões: pessoas do interior são muito mais satisfeitas

A pesquisa mostra números reveladores: enquanto a população das mesorregiões Central, Oeste e Agreste variam o percentual de satisfação, que vai de 80,2% a 84,7%, na Leste, onde estão a Grande Natal e cidades dos litorais Sul e Norte, o nível cai para apenas 37,4%.

Por gênero: satisfação entre homens e mulheres é parecida

Entre os homens o percentual de satisfação é de 64,4%, enquanto o das mulheres é de 65,1%.

Por idade: pessoas de 35 a 44 anos são as mais satisfeitas

Os entrevistados de 35 a 44 anos são os mais satisfeitos, com 70,1%. Já as pessoas de 25 a 44 anos aparecem com o menor nível de satisfação, com 60,4%.

Por escolaridade: entrevistados com ensino fundamental são os mais satisfeitos

As pessoas com ensino fundamental revelaram ser os mais satisfeitos com a vida que levam no RN: 72%. Já os entrevistados que apenas leem e escrevem, mas não frequentaram uma escola, são os menos satisfeitos, com 49,1%.

Por ocupação: satisfação é menor entre os desempregados

Enquanto aposentados e donos de negócios são os mais satisfeitos, com 73,4% e 74,2%, respectivamente, os entrevistados que disseram estar sem emprego aparecem com 60,3%.

Por religião: aqueles que não seguem uma religião são os mais satisfeitos

As pessoas que dizem acreditar num deus, mas que não seguem uma religião, são os mais satisfeitos: 67,5%. Já os católicos somam 65,1% e os evangélicos são 63,4%.

Sobre a pesquisa

O Painel RN 2021 ouviu 800 pessoas, de 16 anos acima, em todas as 19 microrregiões e 52 municípios do Rio Grande do Norte. O intervalo de confiança estimado é de 95% e a margem de erro máxima estimada é de 3.4 pontos percentuais, para mais ou para menos sobre os resultados totais da amostra. O trabalho foi realizado na primeira quinzena de agosto deste ano.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

PAINEL RN 2021/BLOG DO BG/AGORASEI: Quase 70% dos potiguares são favoráveis à redução da maioridade penal

Foto: Reprodução

Exatos 68,8% dos norte-rio-grandenses defendem a redução da maioridade penal para os jovens que cometem crimes. Assim mostra o Painel RN 2021, parceria entre o Blog do BG e o Instituto Agorasei. Já os entrevistados que afirmam ser contra a redução da idade são 26,9%. Os que não souberam responder ou sem opinião formada totalizam 4,3%.

Por gênero: homens são mais favoráveis à redução

Enquanto 73,8% dos homens defendem a diminuição da maioridade penal, 63,9% das mulheres concordam com a redução.

Por idade: os mais jovens defendem menos

Os entrevistados de 16 a 24 anos são os menos favoráveis, com 63,5%. Já as pessoas de 35 a 44 anos aparecem como as mais entusiastas da redução da idade penal: 72%.

Por escolaridade: apoio é menor entre pessoas de nível superior

Os universitários e pessoas com nível superior são os entrevistados que apoiam menos a redução: 62,8%. Na outra ponta, pessoas que apenas leem e escrevem, mas não frequentaram uma escola, são os maiores defensores, com 74,5%.

Por ocupação: profissionais autônomos defendem mais a redução

Os entrevistados que declaram a ocupação como autônomo são os maiores apoiadores, com 75,5%. Os estudantes aparecem com o menor percentual de apoio: 55%.

Por religião: aqueles que não seguem uma religião são mais favoráveis

As pessoas que dizem acreditar num deus, mas que não seguem uma religião, são 70,1% a favor da redução. Já os católicos somam 69,5% e os evangélicos são 66,7%.

Por regiões: Grande Natal defende mais a redução

A mesorregião Leste, onde está inserida a Região Metropolitana de Natal, possui o maior percentual favorável: 74,8%. A mesorregião Oeste tem o menor apoio: 61,7%.

Sobre a pesquisa

O Painel RN 2021 ouviu 800 pessoas, de 16 anos acima, em todas as 19 microrregiões e 52 municípios do Rio Grande do Norte. O intervalo de confiança estimado é de 95% e a margem de erro máxima estimada é de 3.4 pontos percentuais, para mais ou para menos sobre os resultados totais da amostra. O trabalho foi realizado na primeira quinzena de agosto deste ano.

Opinião dos leitores

  1. A redução da idade maioridade penal não resolverá o problema do Brasil, além disso, precisa aumentar as penas por morte, latrocínio e assalto a banco, e excluir qualquer redução da pena.

  2. ten que reduzir mesmo. O marmanjo com 16 anos (menos) faz filhos adoidado; mara, estupra, rouba, faz todo tipo de safadeza e é tratado como criancinha inocente. Chega de hipocrisia.

    1. Não vi o presidente bandido das rachadinhas enviar nenhum projeto pra reduzir a maioridade penal nem movimentar sua base de apoio para aprovar os projetos nesse sentido que já tramitam no Congresso. Afinal, o MINTO das rachadinhas só se preocupa em impedir as investigações dos crimes cometidos por ele e pelos filhos…

  3. Sejamos realistas, isso é pauta vencida, A ESQUERDA NÃO ACEITA, ASSUNTO ENCERRADO!
    NADA que seja para punir criminoso, colocar ordem na sociedade, retirar bandido de circulação, aumentar a segurança será aceito pela esquerda que aparelhou quase todos os órgãos e setores no Brasil depois de se manter no poder desde 1994 com o PSDB e o PT. Quando a pressão é gigante, eles impõe leis que distorcem a situação e são vendidas como solução, a exemplo da lei do desarmento. Querem contestar? Antes olhem o número de assaltos, roubos e assassinatos antes e depois da lei da lei do desarmamento. Os números não deixam qualquer dúvida da situação. Deixou o vigilante, o segurança, o trabalhador e o cidadão desarmado e colocou arma nas mãos dos bandidos, fato incontorverso.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Religião

PAINEL RN 2021/BLOG DO BG/AGORASEI: Potiguares são amplamente favoráveis ao ensino religioso nas escolas

Foto: Reprodução

Segundo a pesquisa do Painel RN 2021, a imensa maioria da população do Rio Grande do Norte defende o ensino religioso nas escolas, sejam públicas ou privadas. Na questão feita aos entrevistados não foi colocado o ensino como obrigatório.

De acordo com a sondagem, 83% dos norte-rio-grandenses são favoráveis às aulas religiosas, enquanto 13,4% opinam ser contra. Os entrevistados sem opinião formada ou que não souberam responder são apenas 3,6%.

Por gênero: mulheres apoiam mais o ensino religioso

Em relação aos homens as mulheres defendem mais as aulas religiosas, com percentual de 85%, enquanto os homens são 80,9%.

Por idade: jovens desejam menos a religião nas escolas

Apesar de ainda ser um percentual alto, a faixa etária dos 16 aos 24 anos aparece na pesquisa com uma menor aceitação do que as demais: 71,5%. Dos 25 anos em diante os percentuais oscilam entre os 82% aos 88% favoráveis às aulas religiosas.

Por escolaridade: quanto menor a instrução, maior o apoio ao ensino religioso

Apesar de percentuais não muito distantes a pesquisa mostrou que a defesa das aulas religiosas cai conforme aumenta o grau de instrução dos entrevistados. Analfabetos são 89,5%; pessoas que leem e escrevem sem terem ido à escola são 85,5%; que fizeram o ensino fundamental são 83,8%; ensino médio são 82,5% e os universitários e formados são 79,8%.

Por ocupação: donos(as) de casa apoiam mais, estudantes apoiam menos

Os entrevistados que disseram ter apenas ocupações domésticas são os maiores defensores do ensino religioso, com 87,5%. Já os estudantes têm o menor percentual, com 70%.

Por religião: evangélicos são os maiores defensores do ensino religioso

87,4% dos entrevistados evangélicos são favoráveis às aulas religiosas, enquanto os católicos são 83,9%. Apesar de não acreditarem em um deus, curiosamente metade dos ateus (50%) são a favor do ensino religioso.

Por regiões: Mesorregião Agreste tem o maior percentual favorável

Mesorregião Agreste, 87,5%; Leste, 84,4%; Oeste, 80,8% e Central, 80,2%.

Sobre a pesquisa

O Painel RN 2021 ouviu 800 pessoas, de 16 anos acima, em todas as 19 microrregiões e 52 municípios do Rio Grande do Norte. O intervalo de confiança estimado é de 95% e a margem de erro máxima estimada é de 3.4 pontos percentuais, para mais ou para menos sobre os resultados totais da amostra. O trabalho foi realizado na primeira quinzena de agosto deste ano.

Opinião dos leitores

  1. Ensino religioso em colégio religioso. Se for em escola pública, só a religião dominante é que vai propagar…

  2. BG MEU LORD!!
    PARABÉNS POR ESSAS PESQUISAS.
    MUITO BACANA.
    SHOW!!
    agora as de política.
    Por caridade.
    Muitas mentiras.
    Não ajuda em nada.
    Manipula.
    Engana os que não querem exergar os verdadeiros fatos.
    Destrói a cabecinha dos que tem baixo neurônios.
    É maléficas.
    São e é Desprezível.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

PAINEL RN 2021/BLOG DO BG/AGORASEI: 50,6% dos potiguares são favoráveis ao casamento homoafetivo

Foto: Reprodução

O Painel RN 2021 também investigou a opinião dos norte-rio-grandenses acerca do casamento entre pessoas do mesmo sexo/gênero. A sondagem mostra que 50,6% dos entrevistados apoiam a união homoafetiva, enquanto 37,6% dizem ser contra. Os potiguares que não têm opinião formada sobre o assunto ou não souberam responder somam 11,8%.

Por gênero: mulheres apoiam mais o casamento gay

53,8% das mulheres ouvidas na pesquisa opinam favoravelmente à união entre pessoas do mesmo sexo/gênero, enquanto os homens são 47,3%.

Por idade: jovens são disparados os maiores apoiadores

Como era de se esperar, a faixa etária mais nova é mais aberta ao casamento gay: 70,8% dos entrevistados entre 16 a 24 anos apoiam. Já entre as pessoas de 60 anos acima a aceitação desaba: apenas 30,8% deles são favoráveis e 55,1% são contra.

Por escolaridade: os mais instruídos apoiam mais a união homoafetiva

Enquanto os universitários e graduados num curso superior são 63,8% favoráveis, entre os analfabetos e pessoas que apenas leem e escrevem, sem terem frequentado a escola, os percentuais são de 42,1% a 30,9% de aceitação.

Por ocupação: estudantes apoiam mais, aposentados apoiam menos

Enquanto 78,3% dos entrevistados declarados estudantes são a favor do casamento gay, apenas 26,6% dos aposentados e pensionistas aceitam.

Por religião: apoio é menor entre os evangélicos

Enquanto 100% dos ateus ouvidos pela pesquisa são favoráveis à união entre pessoas do mesmo sexo/gênero, entre os evangélicos o percentual é de 44,5%. Já entre os católicos a aceitação é de 51,4%.

Por regiões: aceitação do casamento gay é maior no interior

Surpreendentemente, a aceitação do casamento homoafetivo é menor na Mesorregião Leste, que compreende a Grande Natal e municípios do Litoral Norte e Sul. Enquanto as demais mesorregiões possuem percentuais que variam de 57% a 59% de aprovação, na Leste a aceitação é de apenas 41,4%. Uma explicação possível para a circunstância pode ser o percentual mais elevado de evangélicos na população da Grande Natal em relação ao interior.

Sobre a pesquisa

O Painel RN 2021 ouviu 800 pessoas, de 16 anos acima, em todas as 19 microrregiões e 52 municípios do Rio Grande do Norte. O intervalo de confiança estimado é de 95% e a margem de erro máxima estimada é de 3.4 pontos percentuais, para mais ou para menos sobre os resultados totais da amostra. O trabalho foi realizado na primeira quinzena de agosto deste ano.

Opinião dos leitores

  1. Fica claro que é uma pesquisa manipulada! À aceitação o dos evangélicos ao casamento gay é comprovadamente mínima, não alcançando 15%!

  2. Essa Pesquisa mostra uma coisa; A FORÇA DA ESQUQERDA. Solidária, inclusiva, SEM DISCRIMINAÇÃO. E o gado pira de raiva. O Gado só aceita gay se for Carlos Bolsonaro no CASO dele com o Primo Léo Índio que tá com nojo do casamento inventado. Vão disputar a cachorrinha. Bolsonaro foi duramente castigado. O Filho que mais MANDA no Minto é GAY

  3. so hipocresia esse pessoal que é a favor não deve ter nemhum em casa, todo mundo acha bonitinho mais nimguem que um em sua casa ,

  4. Calígula apoia a poligamia, o trisal, Calígula tem 3 mulheres.
    Calígula é puro êxtase delas.

    1. Hahaha boa. Maluco é quem casa ou contrai união estável hoje em dia.

  5. Apoio do casamento gay é maior no interior ??? Omi, pelas caridades ! Kkkkkkkk. É cada pesquisa eu vou te fizer viu, só resultado maluco, doido e fora de realidade total ! Cada vez mais esses institutos de pesquisas se perdem em velocidades maiores

    1. sim, o potiguar do interior não é cheio de preconceitos como alguns ‘estudados’ da capital.

    2. A pesquisa deve tá correta como diz o texto: os evangélicos são uma parcela boa da população do RN. E notem que por religião eles apoiam menos. Tá explicado!

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

PAINEL RN 2021/BLOG DO BG/AGORASEI: Quase 82% dos potiguares são contra o aborto

Foto: Reprodução

Dando continuidade ao Painel RN 2021 a pesquisa questionou aos entrevistados se eles são a favor ou contra a descriminalização e a legalização do aborto. Segundo números do Agorasei, 81,6% das pessoas ouvidas afirmam ser contrárias a mudanças nas leis que permitam a interrupção da gravidez em qualquer fase da gestação normal. Já os entrevistados favoráveis somam 14,4%. As pessoas que não souberam responder ou sem opinião formada totalizam 4%.

Por gênero: mulheres rejeitam um pouco mais

Curiosamente, as mulheres norte-rio-grandenses rejeitam um pouco mais o aborto em relação aos homens. Elas são 82,2%, enquanto os homens são 81,2% contrários à descriminalização e legalização do feticídio.

Por idade: os mais jovens têm o maior percentual do contra

Enquanto os entrevistados de 16 a 24 anos rejeitam o aborto em 71,5%, os mais idosos, de 60 anos acima, são a faixa etária mais contrária, com 89,7%.

Por escolaridade: pessoas com baixa instrução são as mais contrárias

Os universitários e pessoas com nível superior são os entrevistados com a menor reprovação ao aborto legalizado: 64,9%. Já aqueles com baixa instrução, que apenas leem e escrevem sem ter frequentado a escola, são os mais contrários, com 87,3%.

Por ocupação: estudantes têm a menor rejeição à legalização do aborto

Os entrevistados que declaram a ocupação como estudante rejeitam em 60% a prática abortiva. Já os aposentados e pensionistas são os mais contrários, com 91,1%

Por religião: maioria dos ateus são favoráveis ao feticídio

Entre os ateus a descriminalização e legalização do aborto é apoiada por 83,3%, enquanto apenas 16,7% são contrários. Já os evangélicos são 84,7% contra e os católicos 82,6%.

Por regiões: Grande Natal rejeita menos a legalização do aborto

Apenas a mesorregião Leste, onde está inserida a Região Metropolitana de Natal, tem um percentual de 78% de rejeição. Nas demais mesorregiões os percentuais estão acima dos 80%.

Sobre a pesquisa

O Painel RN 2021 ouviu 800 pessoas, de 16 anos acima, em todas as 19 microrregiões e 52 municípios do Rio Grande do Norte. O intervalo de confiança estimado é de 95% e a margem de erro máxima estimada é de 3.4 pontos percentuais, para mais ou para menos sobre os resultados totais da amostra. O trabalho foi realizado na primeira quinzena de agosto deste ano.

Opinião dos leitores

  1. Interessante é ver que um povo conservador acaba elegendo uma governadora que defende idéias de esquerda como: aborto, estado maior (mais carga tributária), não redução da maioridade penal, etc. Ou o povo não conhece em quem votam ou há uma séria desconfiança no processo eleitoral.

  2. Bom mesmo é ter mais filho que pode cuidar, em condições precárias, estudando em escolas decadentes e sendo influenciados por pessoas de péssima estirpe.
    15 anos depois a gente vê o resultado dessa mistura fina.

  3. Os vermelhos não estão nem aí para o que pensa o povo. O que importa é que o brasileiro é conservador e a esquerda não aceita

  4. Só quem deve ser contra ou a favor é a própria mulher. O corpo é dela.
    Não sei nem porque BG publicou essa matéria. Ele não é mulher, não engravida .

  5. São contra aborto até engravidarem amante?
    são contra aborto, mas não se sensibilizam com os assassinatos de crianças pretas na favela?! acham que sã bandidos. são contra aborto mas acham que crianças vivem na rua pq querem!

  6. Não importa o que o povo pensa. A militância e o ativismo vão empurrar goela abaixo !!!

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

VÍDEO: Sesap alerta os mais de 74 mil potiguares que estão em atraso com a aplicação da segunda dose da vacina contra a Covid-19

No Rio Grande do Norte, 74.453 potiguares estão em atraso com a aplicação da segunda dose da vacina contra a Covid-19. Diante da transmissão comunitária da variante delta em Natal e casos confirmados no estado, a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) alerta e orienta a população para buscar as salas de vacinação mais próximas de suas residências e completar o esquema vacinal.

Até o momento, no RN há 3 casos confirmados de Covid-19 com a variante delta, 36 casos em investigação e nenhuma morte foi registrada. Estudos recentes mostram que as vacinas são eficazes contra a variante delta do coronavírus e a imunização pode evitar o contágio e disseminação da doença, o desenvolvimento de casos graves e morte.

De acordo com o último Informe Epidemiológico do Coronavírus divulgado pela Sesap, o Rio Grande do Norte tem 365.294 casos confirmados, com 52 casos confirmados nas últimas 24 horas; 172.151 casos suspeitos; 717.680 descartados; e, 7.270 óbitos, sendo 01 ocorrido em Natal nas últimas 24 horas e 1.339 óbitos estão em investigação.

80% da população adulta do RN já tomou a primeira dose da vacina contra Covid-19, equivalente a pouco mais de 2.149.284 potiguares com 18 anos ou mais. E, 36% da população adulta tomou a segunda dose ou dose única da vacina contra o coronavírus, correspondendo a mais de 964 mil potiguares, apontam os dados da plataforma RN + Mais Vacina.

Na manhã desta sexta-feira (03), a taxa de ocupação dos leitos críticos é de cerca de 32% no RN; 34% na região Metropolitana; 28% na região Oeste; e, 23,5% na região Seridó, conforme o Regula RN. Atualmente, o estado tem 229 leitos críticos Covid ativos, dos quais 152 estão disponíveis e 71 ocupados. Já em relação aos leitos clínicos Covid, 235 estão ativos, sendo que 179 estão disponíveis e 51 ocupados. Até ontem (02), 50,56% dos leitos críticos estão ocupados por idosos e 49,44% ocupados por pacientes não idosos.

É importante destacar que, as pessoas que ainda não tomaram a primeira dose da vacina contra a Covid-19 devem buscar as salas de vacinação para iniciar o esquema vacinal. As vacinas são seguras e eficazes no combate à doença.

Com o feriadão do dia 7 de setembro, a Sesap orienta ainda que os potiguares continuem adotando as medidas preventivas, como o uso de álcool em gel, a utilização de máscaras de proteção individual e realizando o distanciamento social, evitando aglomerações. Por meio da adoção dessas medidas juntamente da vacinação, é possível reduzir o risco de contágio e disseminação do coronavírus.

TERCEIRA DOSE

Com a variante delta em circulação no estado, a Sesap dará início, no próximo dia 15, a aplicação da terceira dose ou dose de reforço da vacina contra a Covid-19 nos idosos acima dos 70 anos de forma escalonada. Inicialmente, a terceira dose será administrada em idosos a partir dos 99 anos e, nos dias posteriores, a idade será reduzida até alcançar os 70 anos de idade.

Gestantes, puérperas e lactantes menores de 12 a 17 anos

Hoje (03), o Rio Grande do Norte inicia a vacinação de gestantes, puérperas e lactantes de 12 a 17 anos. Para esse público-alvo, o Governo do RN e a Sesap distribuíram 4.572 doses da vacina da Pfizer com base nas estimativas informadas pelos municípios.

Vídeo abaixo:

Opinião dos leitores

  1. Perdi meu pai pra covid, porque a vacina demorou a chegar, ele tomava todas as vacinas pra evitar doenças. Fico pensando setenta e quatro mil pessoas, fora os q foram pela ideologia do presidente Jair Bolsonaro q não tomaram nem a primeira dose, de uma vacina q protege da morte e gratuita. Meu Deus, quanta idiotice !

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Vacina contra Covid-19: mais de 8,6 mil potiguares ‘atrasados’ para segunda dose

Foto: Júnior Santos

Reportagem do G1-RN nesta terça-feira(06) destaca que mais de 8,6 mil pessoas não compareceram dentro do prazo previsto para tomar a segunda dose da vacina contra Covid-19, segundo dados da plataforma RN + Vacina, onde os municípios potiguares cadastram as informações sobre a imunização da população. Todos os casos são relativos à CoronaVac. Após a primeira aplicação, a segunda dose deve ocorrer entre 14 e 28 dias depois.

De acordo com a equipe do Laboratório de Inovação em Saúde (Lais) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), que desenvolveu o sistema, os números levantados nesta segunda-feira (5), a pedido do G1, são de todos os registros já feitos no sistema, contabilizando o intervalo a partir da data informada para a aplicação.

Ou seja, se a pessoa tomou a vacina no dia 1º de março e até esta segunda-feira (5), não tem registro da segunda dose, ela está com 7 dias de atraso.

Por causa do prazo maior, nenhuma pessoa que tomou a vacina de Oxford chegou ao prazo limite para a segunda dose. Havia três casos registrados no sistema, mas a equipe considerou como erro de digitação e afirmou que irá entrar em contato com os municípios para realizar correção.

Considerando que o sistema registrava 332.257 pessoas vacinadas até a tarde desta segunda (5) no estado, o número representa cerca de 2,6% do total, embora, até agora, cerca de 76 mil tenham tomado a segunda dose. Leia texto completo AQUI.

O laboratório da UFRN ainda reconheceu que os dados podem estar diferentes da realidade, porque alguns municípios demoram para cadastrar as informações, porém há outros que usam a plataforma em tempo real.

Com G1-RN

Opinião dos leitores

  1. Muitos querem trabalhar e ajudar as nossas crianças,poucos querem ficar em casa e já estão sem trabalhar a mais de um ano, queria saber se esse tempo não contasse pra aposentadoria o que esse pessoalq não quer voltar fariam.

  2. Planilha disponibilizada pelo “Localiza SUS” permite calcular que, em relação à Coronavac no RN, 10.092 pessoas foram vacinadas com prazo entre doses maior que 28 dias. Há casos com prazo maior que 60 dias (116 pessoas).

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Potiguares fazem abaixo-assinado a favor da abertura das escolas

O decreto nº 30.419 de prevenção ao coronavírus, editado pelo governo do estado em conjunto com a prefeitura de Natal, determinou, dentre outros, o fechamento de todas as escolas públicas e privadas do Rio Grande do Norte no período inicial de 20 de março a 2 de abril.

Tendo em vista a insatisfação com o decreto, o Movimento Escola é Essencial criou um abaixo-assinado pela plataforma Change.org direcionado ao poder público do estado do Rio Grande do Norte tendo. O objetivo é transferir o ensino para a categoria de atividade essencial, conseguindo assim o funcionamento das escolas durante a vigência do decreto.

O abaixo-assinado é voltado à governadora do estado, ao secretário estadual de Educação, ao prefeito de Natal, a deputados e a vereadores e tem o intuito de alcançar 15 mil assinaturas, já tendo conseguido mais de 10.600 pessoas até o momento.

O texto inicial do movimento diz: “o fechamento das escolas implica numa visão distorcida, a qual não a considera como serviço essencial. Neste sentido, solicitamos a liberação imediata para aulas presenciais, por entendermos que a Escola é uma atividade essencial na vida das crianças e adolescentes, assim como das famílias trabalhadoras, que precisam de lugar seguro para deixar seus filhos”.

O abaixo-assinado pode ser acessado no www.change.org/p/governadora-do-estado-do-rio-grande-do-norte-sra-fátima-bezerra-movimento-escola-é-essencial

Blog da Juliska 

Opinião dos leitores

  1. As escolas principalmente públicas nem pia para lavar as mãos tem aos irem ao banheiro, imaginem álcool e outros insumos de higiene, novelos de poeira voam pelas salas. As escolas privadas mascaram todos os dias os números de funcionários doentes e afastados para continuarem funcionando, isso só irá acabar quando os filhos de pessoas de alto poder aquisitivo começar a morrer, o que não está longe.

  2. Mais da metade dos pais que assinaram esse abaixo assinado nunca foram numa reunião de pais. Passa o ano todo e nem sabe a série, o nome da escola e nem o nome do professor.🤦🤦

  3. faz 1 ano que os professores estão de Ferias a mamada vai acabar recebendo sem trabalhar agora deixa falta o salario deles pra ver se não vai aglomera fazendo protestos geração dos sindicatos comunistas.

  4. Um absurdo as escolas serem equiparadas com outros comércios, ficou claro que as escolas são ambientes muito seguros e que o fechamento trás problemas sociais muito grandes, já está na hora dos governadores e prefeitos olharem para a educação de uma forma mais seria e menos demagoga, os professores da rede publica já provaram que não estão interessados em voltar a trabalhar, até renegar a importância da escola já tentaram, vamos abrir os olhos e não permitir o fechamento das escolas, quem está pagando esse custo são as crianças e o jovens.

  5. Façam também abaixo assinado para fazer mais cemitérios.E quando faltar oxigênio para as vítimas mandem.para casa dos empresários.Se abrir escola abram.tambem academias que é menos arriscado.

    1. Os pais desesperados p se livrarem dos filhos, nem q eles morram. Pronto falei

  6. O que esperar da educação no RN, quando o sindicato dos professores luta judicialmente para que o ensino não seja considerado atividade essencial? É inacreditável!

  7. Como essa gente que segue o jegue é fria e calculista, não é atoa que pertence ao escritório do ÓDIO.

  8. Grande parte dos professores da Rede pública de ensino, estão dando aulas na rede privada.
    Eu sou a favor de cortar 50% dos salário dos servidores da educação .

  9. Vacina, vacina, vacina, vacina, vacina…
    Após vacinar os docentes podem abrir todas as escolas…antes, não!

    1. A sua vida é mais importante dia funcionários de ; supermercado, farmácia, posto de gasolina, etc , deixa de ser VAGABUNDO e volte a trabalhar VADIO , ganhar se trabalhar é coisa de VÁ GA BUN DO

  10. Se as aulas voltarem, os "PROFESSORES" MILITANTES entram em greve!! Acorda Brasil!!🇧🇷🇧🇷🇧🇷🇧🇷

    1. Questão é vacinar logo os professores e funcionários das escola aí sim tudo ok.
      Pois a maioria dos pais não se cuidam na prevenção acaba efeito dominó, uma criança infelizmente se infecta por causa dos pais, fica assintomáticos passa para os coleguinha daí ja começa o efeito dominó com os professores, funcionários e os pais dos alunos que sempre tiveram preocupação em se prevenirem. Governadora não tem culpa, se for culpar culpe o presidente por decisões tardias a favor da vacina

    2. Conversa mole desse Willian!!!
      Como vc sabe que A MAIORIA dos pais não se cuidam?
      Tem que ter aulas sim, pra evitar que os alunos escrevam um português tão fraco como esse seu.
      Outra coisa: no dia que ANVISA aprovou vacina presidente comprou e foram distribuidas em 24h.

    3. DECO – Já começa no ataque, falando do meu português, quem não tem argumento ataca o argumentador !!!

      Assuma que dói menos, foi graças a o Dória que a maioria da população foi vacinada pois o presidente não estava nem aí pra vacina, foi só lula aparecer q bolsonaro virou a favor da vacina, da mascara, Lula mesmo sem ser presidente tem conseguido fazer o bem, o ruim foi a roubalheira do governo dele que tem q assumir, faça como eu assuma os erros, deixe de ser idiota a atacar, passar bem.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Covid-19 reduz em quase dois anos expectativa de vida do potiguar em 2020, revela análise de pesquisadores da UFRN

Ganho na expectativa de vida ao nascer (em anos) se excluídos os óbitos por SRAG, 2020. Fonte dos dados básicos: Painel Covid Registral

Uma análise apresentada por pesquisadores da UFRN estima que a pandemia da covid-19 reduziu em 1,86 anos a expectativa de vida do norte-rio-grandense em 2020. Os dados apontam as diferenças na expectativa de vida da população considerando duas situações: a expectativa de vida baseada no total de óbitos registrados e a segunda levando em conta a exclusão das mortes por covid-19. Assim, foi possível quantificar os anos de vida que teriam sido ganhos caso essas mortes tivessem sido evitadas. A análise completa pode ser lida aqui.

Os professores Ricardo Ojima e José Vilton Costa, do Departamento de Demografia e Ciências Atuariais da UFRN e Victor Hugo Dias Diógenes, do Departamento de Finanças e Contabilidade da UFPB, explicam que a expectativa de vida ao nascer de uma população é um indicador demográfico que, a grosso modo, avalia o nível da mortalidade de uma determinada região. “De modo simplificado, trata-se de uma média de anos esperados de vida que uma criança nascida em determinada localidade teria caso as taxas de mortalidade presentes se mantivessem no futuro”, apontam.

Como pode ser conferido no gráfico a seguir, os estados nordestinos que apresentaram os maiores ganhos na expectativa de vida ao nascer com a teórica exclusão da covid-19 foram Ceará, Pernambuco e Maranhão, com ganhos de 2,65, 2,33 e 2,28 anos, respectivamente. “Isso quer dizer que se fossem retirados os óbitos por coronavírus de 2020 no Ceará, por exemplo, a expectativa de vida poderia ser 2,65 anos maior. O Rio Grande do Norte, com 1,86 anos, se encontra em posição intermediária e apresenta uma diferença de anos que está abaixo da média do Brasil e, no Nordeste, perde apenas para Paraíba, Bahia e Piauí”, comparam os pesquisadores.

No caso do RN, as pessoas com 60 anos de idade teriam adicionado 6,3% ao seu tempo de vida com a extinção da covid-19. Ou seja, para uma pessoa que tivesse chegado aos 60 anos de idade em 2020 no Rio Grande do Norte era esperado que ela vivesse até os 86 anos, porém essa expectativa de vida caiu para 84,5 anos. Portanto, o coronavírus contribuiu com uma perda de um ano e meio na vida do potiguar desta faixa etária.

O estudo aponta que, em termos proporcionais, os maiores ganhos com a exclusão da covid-19 em termos de anos da expectativa de vida seriam nas idades mais avançadas. Isso se deve ao fato de que os grupos de maior risco para o desenvolvimento de quadros graves da doença serem os mais idosos, como pode ser conferido no gráfico abaixo:

Ganho na expectativa de vida (em %) por idade se excluídos os óbitos por SRAG, 2020. Fonte dos dados básicos: Painel Covid Registral

No quadro geral, a análise aponta que o Brasil apresentaria um ganho com a exclusão da covid-19 de 2,6% no valor da expectativa de vida ao nascer, enquanto o Nordeste, 2,53%. “Mas ao verificarmos esse ganho na expectativa de vida em cada idade, nota-se que esse ganho é decrescente, o que já é esperado. No entanto, se consideramos o ganho proporcional na expectativa de vida em cada idade, verifica-se que os maiores ganhos percentuais ocorrem nas idades mais avançadas”, reitera o estudo.

SRAG

O estudo utiliza a sigla SRAG na análise, que significa Síndrome Respiratória Aguda Grave, por agrupar as doenças respiratórias causada por vírus gripais, como a covid-19. Como principal virose registrada entre as internações e os óbitos no ano passado, segundo os dados do Infogripe/Fiocruz, a covid-19 foi responsável por 99,3% das mortes com resultado laboratorial positivo para vírus respiratório no ano de 2020.

Os dados básicos para a análise apresentada nesta pesquisa foram obtidos na Central de Informações do Registro Civil (CRC) que são atualizados diariamente no Portal da Transparência (Painel Covid Registral) e mantido pela Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen).

Com UFRN

Opinião dos leitores

  1. Isso se chama ociosidade, ou melhor não ter o que fazer, vão procurar uma lavagem de roupa, gastando o dinheiro dos nossos tributos pra fazer pesquisa do óbvio, resumindo bando de desocupados.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Operação do MPRN combate atuação de facção criminosa em seis cidades potiguares

Fotos: Divulgação/MPRN

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) deflagrou nesta quinta-feira (4) a operação Dia da Coruja. O objetivo foi desarticular uma facção investigada pelo cometimento dos crimes de homicídio, tráfico de drogas, roubo, organização criminosa e porte ilegal de arma de fogo, entre outros, na cidade de Jucurutu e região.

Ao todo, a operação Dia da Coruja cumpriu 25 mandados de prisão e outros 32, de busca e apreensão. A ação contou com a participação de 6 promotores de Justiça, servidores do MPRN e ainda policiais militares. Além Jucurutu, houve cumprimento de mandados nas cidades potiguares de São Rafael, Triunfo Potiguar, Mossoró, Assu e Acari. O nome da operação é uma alusão a Jucurutu, que é uma espécie de coruja, e também à ave símbolo do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do MPRN.

As investigações sobre os crimes cometidos pela facção em Jucurutu foram iniciadas pelo Gaeco, do MPRN, em 2019. “Com esse trabalho investigativo, obtivemos provas que permitirão desarticular a facção que vinha cometendo uma série de crimes em Jucurutu e região, especialmente o tráfico de drogas, com toda a cadeia de outros crimes e problema que essa prática ilícita acarreta”, explicou o promotor de Justiça Fausto França, coordenador do Gaeco/MPRN.

O MPRN irá continuar investigando se as pessoas presas têm envolvimento com outros crimes. “Com essas prisões decorrentes da operação Dia da Coruja, acreditamos que haverá uma redução significativa no cometimento de crimes em Jucurutu. De qualquer maneira, vamos continuar investigando se essas pessoas presas também cometeram outros crimes na região”, concluiu Fausto França.

Opinião dos leitores

  1. Gostaria de ver essas operações em mãe Luiza, peço da pátria, Felipe camarão, favela do mosquito.
    Que todos os membros de facção que dominam esses locais fossem presos…

  2. Meu sonho é vê uma operação dessa, investigando prefeitos e secretários de saúde, envolvidos em desvios de recursos públicos do combate ao covid 19.
    Bolsonaro tem razão
    MITO 2022 REELEITO

    1. Pras bandas de ponta negra é por onde deve começar.
      Isso vai acontecer próximo ano, vcs vão vê, podem esperar.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Metodologia canadense garante a crianças potiguares rápida adaptação em outros países

Alunos da Maple Bear Natal que vão estudar fora têm se destacado por conhecimento. Fotos: Divulgação

Se adaptar a uma nova realidade, com outro idioma e outro modo de viver, pode ser um grande desafio para adultos, que já possuem toda uma carga de formação. Agora, imagine para crianças? A adaptação pode ser um processo longo e complicado. No entanto, ter um bom conhecimento da língua inglesa, o acesso à cultura de outros países e uma prática escolar que segue metodologia internacional são atributos que podem alavancar esse processo. A Maple Bear Natal reúne exemplos de alunos que precisaram sair do Rio Grande do Norte para o exterior e tiveram um excelente desempenho, mostrando que a metodologia canadense da escola está de acordo com o que é aplicado nas principais instituições de ensino mundo afora.

A advogada Raquel Macedo se mudou para os Estados Unidos com a família há dois anos. As filhas Lara, de 13 anos, e Anita, de 6 anos, não tiveram dificuldades para se adaptar ao novo país. As crianças estudavam na Maple Bear Natal antes da mudança e tiveram o suporte educacional necessário, com um modelo de ensino bilíngue que proporcionou o desenvolvimento do raciocínio em duas línguas, além de oportunizar o contato com os costumes e a história de outros países. “A adaptação foi muito suave e sou muito grata por elas terem estudado na Maple Bear Natal. Não tenho dúvidas que facilitou muito. Tenho amigos brasileiros que os filhos estudaram em outras escolas e tiveram dificuldades”, assegurou.

Lara, a filha mais velha, foi aprovada para compor a turma de Inglês avançado na escola em que estuda nos EUA depois de passar apenas seis meses em um programa do governo americano para estrangeiros que oferece suporte para quem não tem o Inglês como primeira língua. O resultado foi considerado muito positivo já que, normalmente, o programa tem dois anos de duração. Anita, a caçula da família, adquiriu a fluência rapidamente e já compreendia o que o professor falava e conseguia se comunicar com as outras crianças, mesmo muito pequena.

“As meninas já raciocinavam em Inglês por causa da base que tiveram na Maple Bear Natal. Até os problemas de matemática em Inglês elas já sabiam compreender por que estudavam matemática no outro idioma. E não é apenas a questão do bilinguismo, é a visão de mundo também, de conhecer a cultura de outros países. Isso também fortalece a base das crianças e facilita na adaptação”, disse Raquel, lembrando que na Maple Bear, a metodologia é atualizada com o que é trabalhado nos países desenvolvidos.

Outro ponto em comum entre o ensino da Maple Bear Natal e das escolas americanas é que a avaliação é feita por conceitos representados em letras – A, B, C, D – em vez de notas em números. “As meninas já estavam acostumadas com esse formato”, comenta. Raquel destaca ainda a diversidade cultural que existe na Maple em Natal, que por ser bilingue, recebe alunos das mais diversas origens, inclusive estrangeiros. “Já ter essa convivência com crianças de origens culturais diversas também contribuiu”, assinala.

Escada para o futuro

Foto: Divulgação

Quem também não teve dificuldades para se adaptar a uma temporada de três meses na Inglaterra, em 2020, foram os filhos da médica geriatra Vanessa Giffoni. Renato, de 13 anos, e Maria, de 9, alunos da Maple Bear Natal. “Desde o primeiro dia de aula no Reino Unido, Renato não teve nenhuma dificuldade de comunicação ou de acompanhar os conteúdos. Recebeu até elogios do professor de Inglês. Maria também tirou de letra. Ela até ganhou um diploma de honra ao mérito da escola pelo esforço, pelos avanços e por se adaptar tão bem em tão pouco tempo”, relatou.

Vanessa não tem dúvidas de que o aprendizado na Maple Bear Natal foi fundamental para que a família pudesse passar essa temporada fora do país sem prejuízos para a educação dos filhos. “Essa experiência só confirmou o que eu já tinha certeza com relação ao ensino da Maple Bear Natal. Não só em relação ao idioma, mas a capacidade de adaptação às disciplinas, as discussões em sala de aula. Meu sonho é que meus filhos possam ser cidadãos do mundo e eu tenho certeza de que o ensino que eles tiveram e têm hoje vai ser a grande escada para o futuro deles”, concluiu.

Metodologia canadense

A Maple Bear Natal funciona há 12 anos na capital potiguar, oferecendo turmas de educação infantil, a partir de 1 ano de idade, até o ensino fundamental. A metodologia canadense de ensino estimula a observação, a resolução de problemas e a tomada de decisões. São atividades que contribuem para a formação de crianças independentes e com pensamento crítico.

Na educação infantil, o programa da escola oferece uma grade de ensino completa e abrangente em todos os sentidos. Dessa forma, a criança constrói autonomia e paixão pelo aprendizado. De 1 até os 4 anos de idade, 100% das aulas são ministradas em Inglês. Na última série da educação infantil, 25% do conteúdo é repassado em Português, com o início da alfabetização nas duas línguas.

Já no ensino fundamental, as crianças desenvolvem todas as competências de comunicação em Português e Inglês, incluindo compreensão, fala, leitura, escrita, visualização e representação. As aulas acontecem 50% em inglês e 50% em Português. Os conteúdos estudados em inglês incluem Língua Inglesa, Artes, Matemática e Ciências.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Mata-mata da Série D: ABC e Globo fazem duelo local, enquanto América encara o Coruripe-AL

Foto: Divulgação

ABC, América e Globo agora miram a fase mata-mata do Campeonato Brasileiro da Série D. Na tarde desta sexta-feira(27), duelaram pela última rodada em seus grupos, e garantiram seus objetivos.

O ABC venceu o Itaibaiba-SE pelo placar de 2 a 0, no estádio Frasqueirão. Os gols do alvinegro foram marcados por Richardson, aos 36 do 1º tempo, e Jairinho, aos 07 do segundo tempo. Mesmo com a derrota, os sergipanos também conquistaram a classificação para a fase seguinte.

Contra o Campinense, na Paraíba, o América empatou pelo placar de 0 a 0. O resultado foi o suficiente para garantir a primeira colocação do alvirrubro. Os paraibanos, que precisavam da vitória e uma combinação de resultados, acabaram eliminados do campeonato.

Em Ceará-Mirim, o time do Globo, em confronto direto pela classificação, diante do Atlético da Paraíba, venceu com folga, pelo placar de 3 a 0. Gabriel Santos e Beleu (duas vezes) marcaram os gols da vitória da Águia. Os paraibanos não avançaram na competição.

Na fase mata-mata, ABC(1º do grupo 4) e Globo(4º colocado do grupo 3) garantem o duelo local.

O América(1º do grupo 3), por outro lado, encara o Coruripe-AL(4º colocado no grupo 4).

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Quase 60% dos potiguares irão às compras na Black Friday, com gasto médio superior a R$ 600

Compras pela internet ganham mais espaço na data promocional, cada vez mais consolidada e que, este ano, acontece no dia 27 de novembro. Foto: Divulgação

Com a retomada ainda lenta da atividade econômica, toda data que movimente o comércio e os serviços é ansiosamente aguardada. É o caso da Black Friday, que acontece no próximo dia 27 de novembro e que funciona como uma espécie de termômetro para as compras de final de ano. Devido à importância da data, o Departamento de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (DEES) da Fecomércio RN fez um levantamento em Natal e Mossoró para aferir a disposição dos consumidores nas duas cidades para efetivamente ir às compras.

“De uma maneira geral, os números nos animam e nos levam a seguir confiantes na consolidação da retomada das vendas do varejo no estado. A Fecomércio, inclusive, está enviando aos empreendedores um e-book com 10 dicas para aproveitar bem esta data que será uma espécie de prévia para as vendas de final de ano”, afirma o presidente da Fecomércio RN, Marcelo Queiroz. Quem quiser ter o material pode acessar o site da Fecomércio RN ou enviar um e-mail para o endereço [email protected] A íntegra da pesquisa também está site (fecomerciorn.com.br).

Natal

Em Natal, 56,8% pretendem comprar na Black Friday deste ano, uma queda de 3 pontos percentuais em relação ao ano passado (59,8%). Os 43,2% dos natalenses que não irão às compras, apontam a falta de dinheiro (34,4%); não gostar da data (23,5%); o desemprego (8,9%); as contas ou dívidas em atraso (8,1%); e a pandemia (6,5%) como motivos para não gastarem. A pesquisa do DEES mostra que 44% dos consumidores estão pensando em aproveitar a data para antecipar suas compras de Natal.

Para os natalenses que vão às compras, os produtos mais desejados são eletrodomésticos (33,6%); eletrônicos (21,1%); celulares/smartphones/tablets (20,3%); roupas (14,8%); móveis e decoração (13,3%). Além disso, a maioria dos entrevistados (56,8%) considera comprar itens não planejados, caso os descontos oferecidos pelo comércio sejam atrativos.

O levantamento da DEES/Fecomércio RN mostra, ainda, que o valor médio gasto será de R$ 619,44. Em 2019, este valor foi de R$ 692,48, portanto este ano espera-se uma redução de 10,5%.

Quanto à forma de pagamento 38,6% dos compradores pretendem pagar no cartão de crédito de forma parcelada; 30,9% mencionaram optar pelo pagamento à vista em dinheiro; seguido pelo cartão de crédito em parcela única, com 9,9%; e pelos que vão pagar usando o cartão de débito, com 7,4%.

Além disso, a pesquisa mostra que 38,3% dos consumidores pretendem comprar em lojas de shoppings, e 32,4% em lojas on-line – aumento de 10,4 pontos percentuais em comparação com 2019. Os outros 20,1% pretendem comprar em lojas do comércio de rua.

Mesmo com a garantia de descontos oferecidos, quase 80% dos natalenses (78,7%) irão fazer pesquisas dos produtos e serviços antes de adquirir os itens, sendo que 52,8% o farão para confirmar se os produtos estão de fato na promoção e 25,9% para escolher as lojas em que os produtos desejados estão mais baratos. Para garantir a clientela, os empresários devem focar em descontos, no qual 44,5% dos consumidores irão dar prioridade a esses estabelecimentos. Em seguida, os consumidores procurarão por preço baixo (35,1%); qualidade dos produtos (10,6%); facilidade de pagamento (10,5%); atendimento diferenciado (9,1%); necessidade (8,8%); variedade de itens (4,5%); e divulgação dos produtos (1,5%).

Mossoró

Foto: Divulgação

Já na principal cidade do Oeste potiguar, 59,5% dos consumidores pretendem comprar na Black Friday deste ano. A falta de dinheiro (37,3%), não gostar da data (24,2%) e a necessidade de poupar (9,3%) foram os motivos apontados por 40,5% que não almejam ir às compras nesta data.

Os eletrodomésticos lideram o ranking de intenções de compra e são o alvo de 39,8% dos compradores na Black Friday. Em seguida aparecem os eletrônicos (31,3%); as roupas (25,8%); e celulares/smartphone/tablets (24,2%). A pesquisa mostra que 56,3% dos consumidores mossoroneses ouvidos comprarão itens não planejados, caso os descontos oferecidos pelo comércio sejam atrativos, e que quatro em cada dez (40,5%) pessoas estão pensando em aproveitar a data para antecipar suas compras de Natal.

De acordo com o levantamento da DEES/Fecomércio, o ticket médio previsto para as compras em Mossoró é de R$ 608,07 e, 24,5% ainda não decidiram quanto irão desembolsar na compra. Para pagar as compras, o método mais utilizado será o cartão de crédito para 33,5% dos entrevistados, seguido do dinheiro (28,8%), como uma forma de ganhar mais descontos com os métodos à vista.

O comércio de rua de Mossoró é a principal escolha para a compra (42,4%). As compras pela internet são apontadas por 30,7% dos entrevistados, seguida pelos shopping centers, com 14,8%. Porém, para efetivar a compra, 81,3% dos compradores mossoroenses irão pesquisar os preços dos produtos e serviços antes de adquirir os itens, sendo que 50,6% o farão para confirmar se os produtos estão de fato na promoção e 30,7% para escolher as lojas em que os produtos desejados estão mais baratos.

Para garantir a compra, deve-se investir em preços atrativos, o que é necessário para 87,7% dos entrevistados; atender às necessidades dos consumidores (34,9%); descontos dos produtos (23,3%); qualidade dos itens (14,2%); facilidade de pagamento (9,8%); dentre outros.

Ambas as pesquisas foram realizadas entre os dias 15 e 30 de outubro de 2020, entrevistando 1000 pessoas (570 em Natal, 430 em Mossoró), com índice de confiança de 95% e um erro amostral de aproximadamente 4% para mais ou para menos. Confira as pesquisas em fecomerciorn.com.br/pesquisas/.

Opinião dos leitores

  1. Por falar em compras: O POVO QUER SABER, ONDE FOI PARAR OS 5MILHÕES DE REAIS USADOS PARA COMPRA DOS RESPIRADORES?
    A GOVERNADORA ESTÁ CALADINHA

    1. Oi. Você parece mais informado que o judiciário, legislativo e tribunais de contas, de todas as esferas
      Faça seu papel e denuncie.

    2. Verdade Calígula, cadê os R$ 5.000.000,00? Mas também Michele Bolsonaro tem que explicar os R$ 89.000,00 dos cheques de Queiroz, Flávio Bolsonaro tem que explicar as rachadinhas e por aí vai.

    3. Culígula, há locais mais adequados para você denunciar, faça sua parte, cidadão fiscal!

  2. O sucesso da Black Friday deve-se ao empenho do Governo do Presidente Jair Bolsonaro, pela excelente condução do país, pelo excelente trabalho perante a crise econômica provocada pela pandemia do covid 19. Eu mesmo espero gastar uns 4 mil reais.
    Parabéns Presidente Bolsonaro.
    Estamos com o Mito em 2022.

    1. Nada a ver uma coisa com a outra!!! esse ta doido igual ao besta fera de Brasilia…

    2. Pense numa pessoa desocupada, pra escrever asneiras. Inflação nas alturas, dólar também, gasolina a R$ 5,00 e esse cara festejando algo que nem começou ainda. Vergonha alheia…

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Fábio Faria agradece potiguares pela lembrança na pesquisa para o Senado 2022

Foto: Reprodução/Instagram

O ministro das Comunicações e deputado federal Fábio Faria lidera a corrida para a cadeira no Senado 2022. É o que aponta a pesquisa do instituto Seta, divulgada nesta terça-feira (22), com exclusividade, pelo Blog do BG.

Fábio Faria (PSD) aparece na preferência dos natalenses com 20,9% das intenções de voto.

O segundo lugar aparece com 15,5% e o terceiro com 3,8% das intenções de voto.

“Agradeço aos potiguares pela confiança e pela lembrança na pesquisa para o Senado. 2022 ainda está longe e o meu único foco agora é na missão de ajudar o governo do Presidente Jair Bolsonaro, para que as pessoas tenham a percepção e reconheçam as grandes realizações que estão sendo feitas.”

No levantamento foram ouvidos 1000 eleitores de Natal, entre os dias 17 e 18 de setembro. Um dos maiores números de entrevistados de todas as pesquisas já realizadas na capital potiguar, registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo RN-09489/2020.

Opinião dos leitores

  1. É muita falta de ter em quem votar.
    Rita das Mercês aparece COLADA em Fábio Faria? Aquela em quem os Faria colaram pra arrebentar com os recursos públicos da Assembleia. Continua escondida ou aparece na pesquisa colada neles?
    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  2. Só tenho uma certeza: não voto em candidato da esquerda em 2022.
    PT, PSOL, PC do B, PDT, PSB e REDE.
    Também não voto no PSDB, DEM, PL e MDB.
    Todos esses podem esquecer.

    1. Concordo com você Leco. Esse ano já exclui todos os candidatos desses partidos. Vamos mudar!!

  3. Se permanecer no governo e o Deputado Coronel AZEVEDO não for candidato é quem pode derrotar o senador do Franco-petista.

  4. Se for candidato com o apoio do presidente Jair MESSIAS Bolsonaro, pode contar com o meu voto.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Turismo

Pesquisa do OBSERVATUR/RN aponta que 74,8% dos potiguares pretendem viajar após pandemia de Covid-19

Foto: Divulgação

A pesquisa “Intenção de viagem do potiguar após a pandemia da COVID – 19”, do Observatório do Turismo do Rio Grande do Norte – OBSERVATUR/RN, revelou que 74,8% dos potiguares pretendem viajar após a pandemia.

A investigação evidenciou que 28,9% dos turistas potiguares irão preferir destinos domésticos; 24,4%, destinos dentro do RN, e 21,4% destinos no Nordeste.

Entre os destinos turísticos a serem procurados no RN pelos potiguares, Pipa foi citada por 30,2% dos futuros viajantes; São Miguel do Gostoso por 20,1% e Serra de São Bento e região por 14,9%.

Na conquista dos visitantes, segundo a pesquisa do Observatório coordenado pela UERN Natal, os diferenciais mais relevantes serão os atrativos turísticos (22,4%), preços praticados (21,6%) e cuidados com a higienização sanitária dos ambientes turísticos (20,1%).

O levantamento traz um perfil bem detalhado do que os turistas potiguares vão buscar após a pandemia, norteando poder público e empreendimentos turísticos para a retomada do turismo no RN.

“Buscamos municiar o setor com informações valiosas para a reabertura, depois do cumprimento dos decretos estaduais de isolamento social, que provocaram o fechamento de hotéis, pousadas, equipamentos de lazer, bares, restaurantes e similares no RN, assim como, afetaram os trabalhadores autônomos do turismo, como os guias, bugueiros, entre outros prestadores de serviços”, explica o Prof. Dr. Sidcley Alegrini, do curso de Turismo da UERN Natal e coordenador do Observatório.

Foram aplicados 1.253 questionários digitais, entre os dias 26 de maio a 03 de junho.

O relatório completo da pesquisa pode ser consultado AQUI.

SOBRE O OBSERVATUR/RN

O Observatório do Turismo do Rio Grande do Norte – OBSERVATUR/RN, com sede no Campus de Natal da UERN, é um ambiente destinado ao fomento do turismo potiguar, que visa contribuir para que o destino turístico RN torne-se mais competitivo e consequentemente gere mais oportunidades de desenvolvimento para o Estado e para a sua população.

O OBSERVATUR/RN tem como objetivo geral, analisar o comportamento do turista potiguar, além de objetivos específicos como, levantar informações sobre o turismo do RN; compilar dados estatísticos do turismo potiguar e analisar as informações obtidas em pesquisa de demanda turística. A missão do observatório é ser um instrumento social, facilitador de gestão, informações e debate, funcionando como um instrumento técnico, catalisador, polifuncional e descentralizado, planejado e administrado de forma participativa, com estabilidade e autonomia.

A proposta de criação do OBSERVATUR/RN surgiu durante a Reunião do Conselho Estadual de Turismo do RN – CONETUR, onde foi realizado um compromisso público para realização das primeiras pesquisas de demanda turística no RN, em setembro de 2017 e que seguem até os dias atuais. Tais pesquisas contam com o apoio da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte – UERN (coordenadora do projeto), da Universidade Potiguar – UnP, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia – IFRN, da Secretaria de Estado de Turismo – SETUR/RN, da Secretaria Municipal de Turismo – SETUR/Natal, da Empresa Potiguar de Promoção Turística – EMPROTUR, do Sindicato dos Bugueiros do RN e do Sindicato dos Guias de Turismo do RN – SINGTUR/RN e da Federação do Comércio de Bens Serviços e Turismo do Rio Grande do Norte – FECOMÉRCIO/RN.

Os relatórios das pesquisas já realizadas estão disponíveis na plataforma B2B do Portal Trade Turístico do RN.

Opinião dos leitores

  1. Quando liberarem geral, vai faltar vaga nos aviões…
    E as redes sociais bombando de fotos e vídeos pós-pandemia.
    Vai timbora corona

    1. Exatamente… como é que quando ase 75% irão viajar, se o IBGE apontou que quase 40% da população potiguar está abaixo da linha da pobreza? Fora os que estão um pouco acima e já não viajam normalmente. Além dos que irão sair endividados… gostaria que fosse verdade, e torço para a recuperação ser melhor do que imaginamos, mas as pesquisas deveriam servir para adoção de políticas públicas voltadas ao estímulo, e esse tipo de dado, trás uma ilusão, que pode colocar comodismo em órgãos e atrapalhar essa retomada.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *