Cidades de Minas flexibilizam comércio e hotéis poderão abrir

Foto: Divulgação / Parque do Avestruz Hotel Fazenda

As cidades de Itaúna, a 87 km de Belo Horizonte e Esmeraldas, na região metropolitana da capital, anunciaram a abertura de comércios locais que haviam sido fechados como forma de prevenção à propagação do novo coronavírus.

O novo decreto desses municípios permite que os serviços de hotéis, pousadas e equivalentes possam retornar as atividades.

Na cidade de Esmeraldas, o Parque do Avestruz Hotel Fazenda realizou adaptações para receber os hóspedes com maior segurança.

De acordo com Fabiana Silveira, diretora comercial do hotel as mudanças foram pensadas antes da flexibilização da prefeitura. O estabelecimento voltará a funcionar a partir do dia 1º de maio e, segundo ela, medidas de segurança serão adotadas.

— Nesses últimos dias estamos realizando os ajustes. Nossos colaboradores já estão em isolamento e estamos preparando o restaurante para receber os hóspedes respeitando as orientações dos órgãos de saúde.

Áreas comuns foram fechadas e os hóspedes poderão realizar atividades individuais como caminhadas, passeio à cavalo, pesca, dentre outros.

R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. FRASQUEIRINO disse:

    Pelo teor da reportagem, com as medidas tomadas mais parece uma prisão de luxo. Difícil vai ser encontrar quem vai querer se hospedar com a falta de dinheiro e a crescente epidemia do CV.

  2. Flaus Henrique disse:

    Eu só queria saber o q passa na cabeça de um dono de hotel que resolve abrir o comércio em uma situação dessas, vai abrir? Vai, mas quem danado vai passear e se hospedar fora de sua casa na hora em q o mundo passa por uma Pandemia? Eu sinceramente não tenho coragem jamais de fazer algo parecido.

Produtos do RN poderão ser comercializados por todo o país: entenda o certificado SISBI-POA e sua importância

FOTO: ASSECOM/RN

O Rio Grande do Norte vai receber o Certificado de equivalência dos Serviços de Inspeção, do Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (SISBI-POA). Isso significa que os órgãos de inspeção estaduais terão condições de avaliar a qualidade e a inocuidade dos produtos de origem animal com a mesma eficiência do Ministério da Agricultura, preservando a segurança alimentar do consumidor. A conquista é resultado de uma luta de mais de 20 anos, que envolve o Programa de Fortalecimento de Inspeção Animal no RN, com a participação do Governo do RN, por meio da Secretaria da Agricultura, da Pecuária e da Pesca (Sape) e do Instituto de Defesa e Inspeção Agropecuária do RN (Idiarn), junto à Superintendência Federal de Agricultura no RN (SFA/RN), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

A certificação acontecerá na próxima segunda-feira (9), durante a realização de seminário sobre o tema, em Fortaleza/CE, que contará com a participação da Ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina.

“Imagine que a partir de agora os queijos e doce de leite do Seridó; as carnes de bode de Angicos, Mossoró e Lajes; e ainda peixes como tilápia e panga, além do camarão, produzidos pelos pequenos produtores locais, poderão ser comercializados por todo o país. Isso é fantástico, pois irá impulsionar toda cadeia produtiva da pecuária, com a segurança alimentar garantida ao consumidor, bem como a segurança jurídica ao produtor”, ressaltou o secretário da Agricultura, Pecuária e Pesca do RN, Guilherme Saldanha.

Mário Manso, diretor geral do Instituto de Defesa e Inspeção Agropecuária (Idiarn), órgão responsável pela inspeção, explica que essa é uma grande conquista para o Estado e para os produtores potiguares, que a partir de agora, com o reconhecimento da eficiência do SIE, pelo Governo Federal, poderão comercializar seus produtos no Brasil inteiro, desde que possuam o selo estadual.

“Ter nosso serviço equiparado ao nacional tem uma importância enorme, principalmente quando levamos em conta o nosso potencial para a produção de queijos artesanais, e mais ainda quando lembramos da regularização pela qual estão passando, as 39 queijeiras no Seridó, através do Projeto Governo Cidadão e da Secretaria de Agricultura e Pesca do RN (SAPE)”, afirma. Com a ação, os produtos passam a ter, de fato, o preço equivalente à qualidade que possuem e chegarão aos mercados além do RN de forma legal.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Hélio Andrade disse:

    Muito bom para os produtores/fabricantes de produtos de origem animal do RN. Parabéns para o IDIARN.

Médicos e médicas transgêneros e travestis poderão usar nome social nos cadastros de consulta pública, diz Conselho Federal de Medicina

Foto: Ilustrativa

Médicos e médicas transgêneros e travestis poderão usar seu nome social, e não o civil, nos cadastros dos Conselhos Regionais de Medicina (CRMs) usados de forma pública por colegas e pacientes. A orientação foi encaminhada aos conselhos nesta semana pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), segundo um comunicado do órgão publicado nesta quarta-feira (8).

Desde 2016, após um decreto permitir o uso de nome social por servidores públicos federais, médicos e médicas trans só podiam usar seu nome social “em documentos administrativos internos e em seus locais de atuação”, como cadastros internos, crachás, ofícios e contracheques, após decisão do conselho federal.

Segundo o CFM, a orientação para que esse uso fosse expandido para os cadastros externos, como as plataformas dos conselhos regionais pelas quais pacientes podem procurar especialistas, foi elaborada em 2019 após um parecer da Coordenadoria Jurídica da entidade, a partir da análise de requerimentos feitos por profissionais da área.

Para ter esse direito garantido, cada profissional precisa oficializar o pedido de adoção do nome social.

O CFM ressaltou, em nota, que a carteira de identificação profissional do CFM – que serve como documento de identificação – só pode ser alterada para o nome social por meios judiciais. “Para proceder essa alteração o médico, deve obter autorização judicial, o que possibilita a mudança de todos os seus documentos de forma definitiva”, diz o conselho.

Bem Estar – Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Curitiba já disse:

    Que danado é transgenero??

Dados de localização e navegação poderão ser apagados no Google. Se usuário pedir

Foto: Bloomberg

O Google, controlado pela Alphabet, vai permitir que os usuários criem seus perfis com a opção de excluir automaticamente dados de localização e navegação na web, oferecendo um meio-termo para os mecanismos de coleta de dados sempre ativados ou sempre desativados da gigante da internet. Mas só se o internauta quiser e pedir.

Os usuários agora podem optar por ter seus dados excluídos após um período de três meses ou 18 meses, segundo um post publicado na quarta-feira no blog da empresa. A mudança permitirá que os internautas tenham maior controle sobre seus dados, mas também pode impedir um bloqueio total da coleta de dados pelo Google. Embora possam interromper toda a coleta de dados agora, o Google utiliza essas informações para segmentar anúncios que alimentam sua máquina de receita multibilionária.

O Google tenta convencer clientes e reguladores de que respeita a privacidade dos internautas e que protege os dados coletados. A empresa bloqueou a rede social Google Plus no ano passado depois de encontrar uma falha que expôs informações pessoais de meio milhão de usuários.

O Google e o Facebook, outro gigante no mercado de anúncios on-line, tornaram-se algumas das empresas mais valiosas da história com a coleta de bilhões de pontos de dados sobre bilhões de pessoas e vendendo acesso segmentado aos anunciantes. Políticos, consumidores e defensores da privacidade em todo o mundo têm questionado esses modelos de negócios e se a permissão para o acesso a informações pessoais compensa os serviços prestados pelas empresas.

Enquanto o Google lança sua mais nova ferramenta de privacidade, a antiga promessa do Facebook de deletar alguns dados coletados de usuários ainda não se materializou. O Facebook disse que ainda está desenvolvendo a ferramenta e planeja apresentá-la ainda este ano.

O Globo