Fiocruz prevê vacinar no país 65 milhões por semestre em 2021 contra o novo coronavírus

Foto: Reprodução/Globo News

O vice-presidente de produção e inovação em saúde da Fiocruz, Marco Krieger, disse nesta segunda (23), em entrevista à GloboNews, que a previsão da fundação é vacinar 65 milhões de pessoas no primeiro semestre de 2021 e outras 65 milhões no segundo, considerando 2 doses para cada pessoa.

A Fiocruz tem um acordo de transferência de tecnologia com a AstraZeneca (a farmacêutica desenvolve uma vacina em parceria com a Universidade de Oxford) para produção das vacinas em solo brasileiro.

A vacina da AstraZeneca/Oxford mostrou eficácia de até 90% conforme a dosagem, segundo resultados preliminares divulgados nesta segunda-feira. Os dados ainda não foram revisados por outros cientistas nem publicados em revista científica (leia mais abaixo).

Krieger também ressaltou a possibilidade de vacinar mais pessoas em menos tempo. “A grande vantagem é que esse protocolo que deu o melhor resultado traz um benefício adicional. A gente vai poder fornecer a vacina para mais 30% de pessoas do que havia previsto”, disse Krieger.

A vacina de Oxford é uma das quatro que estão em testes de fase 3 no Brasil. Em agosto, o governo federal disse que iria investir R$ 1,9 bilhão na produção de 100 milhões de doses. No começo de novembro, a Fiocruz anunciou um cronograma de produção e distribuição do imunizante no Brasil.

As outras três candidatas em testes no país são as da Pfizer/BioNTech, da Sinovac (CoronaVac) e da Johnson & Johnson.

Eficácia de até 90%

A vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford e a farmacêutica AstraZeneca mostrou eficácia de até 90% conforme a dosagem, segundo resultados preliminares divulgados nesta segunda-feira (23). Os dados ainda não foram revisados por outros cientistas nem publicados em revista científica.

Veja os principais pontos do anúncio:

A vacina teve 90% de eficácia quando administrada em meia dose seguida de uma dose completa com intervalo de pelo menos um mês, de acordo com dados de testes no Reino Unido e no Brasil. Esse foi o regime de menor dose – o que foi um ponto positivo para os pesquisadores, porque significa que mais pessoas poderão ser vacinadas.

Quando administrada em 2 doses completas, a eficácia foi de 62%.

A análise que considerou os dois tipos de dosagem indicou uma eficácia média de 70,4%.

O chefe da pesquisa da vacina, Andrew Pollard, disse estar otimista que a resposta imune gerada pela vacina dure pelo menos um ano.

Foram registrados 131 casos da doença entre os voluntários: 101 entre os que receberam o placebo (substância inativa) e 30 entre os que receberam a vacina. Não houve nenhum caso grave da doença entre os que tomaram a vacina.

Para chegar aos resultados, os pesquisadores analisaram os dados de 11.636 pessoas vacinadas. Dessas, 8.895 receberam as duas doses completas, e 2.741 receberam a meia dose seguida de uma dose completa.

A AstraZeneca pretende ter 200 milhões de doses prontas até o fim de 2020 e 700 milhões de doses até o fim do primeiro trimestre de 2021, em todo o mundo.

A vacina pode ser armazenada, transportada e manuseada em condições normais de refrigeração (entre 2°C e 8°C) por pelo menos 6 meses. (É uma vantagem em relação à candidata da Pfizer, que precisa ser armazenada a -70ºC durante o transporte, e da Moderna, que precisa ficar a -20ºC).

O CEO da AstraZeneca, Pascal Soriot, afirmou em coletiva de imprensa que uma dose menor na primeira aplicação da vacina significa que mais pessoas podem ser vacinadas em um intervalo menor.

“Poder vacinar mais pessoas mais rapidamente é realmente uma grande vantagem”, disse.

Vacinação até março de 2021

A Presidente da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Nísia Trindade disse no começo de novembro acreditar que a vacinação contra a Covid-19 no Brasil comece até março.

“Temos a expectativa de que todo o processo de imunização comece a ser feito no primeiro trimestre de 2021”, disse Nísia Trindade.

Nísia explicou que espera iniciar a produção já em janeiro ou em fevereiro. “A Agência de Vigilância Sanitária vai acompanhar todo o processo”, emendou.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Josa disse:

    Ôôô governo bom!

  2. Calígula disse:

    Hô Véio Bom é Esse Presidente Bolsonaro.

TikTok dá aos pais mais controle sobre o que filhos podem ver e postar

Foto: Antonbe/Pixabay

O TikTok está dando aos pais de seus milhões de usuários adolescentes mais opções para restringir o que seus filhos podem ver e compartilhar na tela.

O aplicativo de vídeo de formato curto anunciou uma série de novos controles dos pais na terça-feira (17), incluindo a capacidade de decidir qual conteúdo os adolescentes podem pesquisar no TikTok, quem pode comentar em seus perfis, quem pode ver quais vídeos eles curtiram e se o perfil é público ou privado.

“Nosso objetivo é encontrar um equilíbrio entre segurança e autonomia para adolescentes enquanto trabalhamos para criar um lugar seguro e de apoio para a autoexpressão”, escreveram Tracy Elizabeth, chefe da política global de segurança de menores, e Alexandra Evans, chefe de política pública para crianças para a Europa, em um blog.

As novas medidas fazem parte do recurso “Family Pairing” (Emparelhamento Familiar) do TikTok, lançado para alguns países europeus em fevereiro deste ano, que permite que os pais vinculem suas contas à de um filho adolescente.

Anteriormente chamado de “Modo de Segurança Familiar”, o recurso já permitia aos pais definirem limites de quanto tempo seus filhos passam no TikTok todos os dias, que tipo de conteúdo eles podem visualizar e a capacidade de limitar ou desligar as mensagens diretas. O TikTok agora está expandindo essa função e tornando-a disponível em todo o mundo.

“Conforme s jovens começam a construir uma presença online, é importante dar às famílias ferramentas para que pais e adolescentes possam definir barreiras juntos”, disseram Elizabeth e Evans.

O TikTok é dominado por usuários mais jovens: 32,5% da base de usuários do aplicativo nos EUA tinha entre 10 e 19 anos em junho de 2020, mais do que qualquer outra faixa etária, de acordo com os dados da empresa de análise App Ape publicada pelo portal de dados de mercado Statista.

No aplicativo, os usuários geralmente compartilham clipes de 15 segundos deles próprios dançando, dublando, fazendo esquetes cômicos ou participando de desafios que surgem na plataforma.

Como o CNN Business relatou, a popularidade do aplicativo entre os adolescentes, combinada com seu potencial único para o estrelato viral durante a noite, forçou os pais a lidar com questões difíceis sobre muitos temas, entre eles privacidade, bullying e até mesmo como seus filhos podem lucrar com a plataforma.

Nos Estados Unidos, o TikTok oferece uma versão limitada do aplicativo para usuários menores de 13 anos, que não permite compartilhar ou comentar vídeos e mensagens com outras pessoas, mas as crianças ainda podem ver o conteúdo do TikTok apropriado para a idade.

Kaya Yurieff, da CNN Business, contribuiu para esta reportagem.

CNN Brasil

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. avelino disse:

    tik tok é comunismo puro, e sem futuro

Julho de 2021 poderá ter feriado nacional para desfiles de carnaval em todo o país

Sambódromo da Marquês de Sapucaí Foto: Gabriel Monteiro / Agência O Globo

A pandemia do novo coronavírus pode levar à criação de novos feriados nacionais em 9 e 12 de julho do ano que vem para a realizaçao de desfiles de carnaval pelo país. A proposta foi protocolada pelo deputado Luizinho (PP – RJ). O presidente da Liga das Escolas de Samba do Rio (Liesa), Jorge Castanheira, anunciou que as agremiações estão dispostas a realizar o evento nesse período, condicionado à vacina contra a Covid-19 já estar entre nós.

— O deputado federal Luizinho, que preside a comissão de acompanhamento do novo coronavírus, esteve na semana passada na Liga e deu um parecer para poder criar um projeto de lei a nível nacional para que todas as capitais e cidades se reunissem para não atrapalhar as festas regionais como São João, além das Olimpíadas, que vão acontecer na segunda semana de julho. Ficou acertado os dias 9, 10 11 e 12 de julho se a vacina já tiver sido aplicada. É uma situação inédita, mas necessária. Em São Paulo já é feriado no dia 9 de julho (pela Revolução Constitucionalista de 1932).

A retomada das atividades nos barracões também seguirá regras rígidas de prevenção ao contágio pelo vírus. Máscaras, uso de álcool em gel e distanciamento social serão obrigatórios e monitorados.

Pandemia: Média móvel aponta estabilidade no contágio pelo terceiro dia no Rio; estado tem 21,3 mil mortes e 327,4 mil casos

— Agora, o trabalho no barracão será como em qualquer fábrica. Todas as fábricas do Brasil estão trabalhando. Todos os escritórios do Brasil estão trabalhando. Os barracões das escolas seguirão um protocolo rigoroso. O carnaval tem que estar pronto no início do mês de julho. Nós, trabalhadores do carnaval, festejamos a retomada da renda. Para que a comida volte à mesa de trabalhadores do carnaval. Estamos falando de carpinteiros, ferreiros, costureiras, aderecistas, bordadeiras, pintores, que sequer foram contratados. Isso naturalmente causa uma apreensão — contou o carnavalesco da Estação Primeira de Mangueira, Leandro Vieira, única escola de samba que ainda nem enredo tem.

Outra novidade neste carnaval atípico será a forma da escolha dos sambas enredos, que será através de lives:

— A Lei Aldir Blanc tem entre suas modalidades contemplar eventos virtuais dentro do contexto da pandemia. Então, todas as escolas de samba se prontificaram a escolher os seus sambas enredos de forma virtual. Através de uma live, mas as elas aguardam a confirmação da aprovação na lei. O que é feito tradicionalmente nas quadros nos fim de semana agora será transmitido para o público através de lives. A expectativa é que seja transmitido pela internet para todo mundo e que isso seja feito ao longo do mês de janeiro. E a final que escolherá o samba-enredo oficial será em fevereiro, no período quando aconteceria o carnaval oficial. Que é para preencher essa lacuna. Qualquer pessoa agora pode concorrer na Mangueira. As escolas irão colocar na disputa das sambas 120 obras. E isso é bom para mostrar para o público o quanto é grandiosa a produção artística do carnaval carioca — explicou Leandro Vieira, carnavalesco da Mangueira.

Luiz Carlos Magalhães, presidente da Portela, disse que as escolas estão no vácuo entre as eleições municipais e a definição sobre quem será o governador.

— Está tudo muito recente. Porque não tem dinheiro. Não foi falado nada em dinheiro. Foi acertado que o carnaval vai ser em julho, quando se espera que a vacina já esteja aplicada e o prefeito já esteja sentado na sua cadeira e a questão do estado já esteja definida. A prefeitura diz que vai ajudar. O prefeito ainda nem entrou e o governador saiu. A gente está no vácuo. Agora, está todo mundo esperançoso que em julho isso vai estar definido e aí é correr atrás de patrocínio — comentou o presidente do agremiação. – Em condições normais os barracões deveriam começar a funcionar no início do ano. Inocência achar que as decorrências desse ano vão ser normais.

Jorge Castanheira disse que o Governo do Estado já se manifestou em oferecer financiamento atraves da lei de incentivo ao ICMS.

— Sem subvenção. Teremos a lei de incentivo ao ICMS e a venda de ingressos, o direito de transmissão televisão e projetos incentivados — espera.

O presidente da São Clemente, Renatinho, está ansioso para saber quem será eleito prefeito do Rio. Ele reclama de falta de verba até mesmo para reabrir o barracão da escola.

— Mudou tudo nas reuniões. Vamos nessa. Estou preparado para tudo, para coisas boas. Eles querem lançar agora, vamos embora juntar as forças. Vou fazer uma mudança e vamos fazer uma escolha de samba. E escolher os 12 melhores. Não quero fazer abertamente é muito complicado. A gente não sabe explicar. Não pode 2000 pessoas, não pode 3000, então o que que pode ser? É preciso ter uma definição de qual vai ser o prefeito. Se for um vai ser uma coisa, se for outro, vai ser outra. Não tem verba nenhuma. Ainda quero abrir meu barracão mas eu não tenho nenhum tostão, não tem verba nenhuma. Tem muita gente envolvida com o carnaval e o ser humano é o mais importante para mim — disse Renato Almeida Gomes, o Renatinho.

Através de nota, a Riotur informou que aguarda a formalização do posicionamento da Liesa para começar a viabilizar a organização da festa, mas também condiciona as ações à vacina.

“Todos os atores diretamente envolvidos no carnaval estão em constante contato buscando alternativas para o evento. No momento, a ideia para a realização do mesmo em meados de 2021 é de fato uma possibilidade. Porém, apenas se houver uma vacina disponível para a população.

A Riotur aguarda a formalização desta posição da Liga Independente das Escolas de Samba para encaminhar aos trâmites internos, incluindo o Gabinete Científico”.

O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Um brasileiro disse:

    Era só o que faltava mesmo. Pão e circo para o povo.

  2. Pamela da Pampa disse:

    Vixxxe .. Santana não vai gostar nada disso!!

  3. VTNC disse:

    Que país é este,nunca precisamos de trabalhar tanto como agora, aí vem os inúteis que acham poucos os feriados que temos e ainda querem mais ? Absurdo !!!

    • Gustavo disse:

      Povo escroto. Brasil não é um país sério.

    • Charles Darwin disse:

      Confesso que também não sou muito chegado em carnaval, caro vtnc, mas muitos trabalhadores dependem desses eventos para se manterem . Carnaval não é feito só de requebrado. Há toda uma teia de faturamento que vai desde o setor hoteleiro, bares e restaurantes, transporte, técnicos de várias áreas nas questões logísticas e funcionamento em si. Isso sem falar no que é arrecadado em impostos. Há muitas formas de trabalhos. Saia dessa bolha de rancor e aproveite melhor sua vida.

    • Yuri disse:

      Charles Dawin falou muita, muita bosta. O País numa calamidade pública, quebrado financeiramente , em vias da 2 Onda e o cara pensar em Carnaval? Pqp.

IBGE atualiza lista de municípios de regiões metropolitanas no país

Foto: © Renato Soares/ MTUR

O Brasil tem atualmente 74 regiões metropolitanas (RM). O estado com maior número é a Paraíba (12). Na sequência está Santa Catarina (11), depois Alagoas (9) e o Paraná (8). O país tem também cinco Aglomerações Urbanas: três no estado de São Paulo e duas no Rio Grande do Sul.

Os dados fazem parte da lista atualizada dos municípios que compõem as regiões metropolitanas (RMs), as regiões integradas de desenvolvimento e aglomerações urbanas (RIDEs) definidas pelos governos estaduais e pela União, divulgada hoje (17) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Para o trabalho, foram consideradas as informações de 30 de junho deste ano. Desde 2013, o instituto atualiza semestralmente a composição das diferentes regiões instituídas no país.

Conforme a revisão atual, o município de Goiana passou a integrar a região de desenvolvimento Mata Norte e não mais a região metropolitana do Recife, que reduzida a 14 municípios: Abreu e Lima, Araçoiaba, Cabo de Santo Agostinho, Camaragibe, Igarassu, Ilha de Itamaracá, Ipojuca, Itapissuma, Jaboatão dos Guararapes, Moreno, Olinda, Paulista, São Lourenço da Mata e a capital pernambucana.

De acordo com o instituto, não houve alterações nas regiões integradas de desenvolvimento brasileiras, nem nas demais regiões metropolitanas.

O IBGE informou que as regiões metropolitanas e aglomerações urbanas foram instituídas por lei complementar estadual, conforme determinação da Constituição Federal de 1988. O objetivo é integrar a organização, o planejamento e a execução de funções públicas de interesse comum das regiões metropolitanas e aglomerações urbanas.

Por causa das condições climáticas, o semiárido brasileiro é uma região que recebe tratamento específico. Os estados com maior número de municípios na região semiárida são Bahia (278), Paraíba (194), Piauí (185), Ceará (175), Rio Grande do Norte (147) e Pernambuco (123).

Ainda fazem parte da região semiárida, municípios dos estados do Maranhão, Alagoas e Sergipe. Embora não esteja na Região Nordeste, Minas Gerais é o único estado que tem municípios nessa região.

Agência Brasil

Mercado Livre anuncia cinco novos centros de distribuição no país

Foto: Divulgação

O Mercado Livre anunciou a expansão de sua rede logística com cinco novos centros de distribuição no país. Serão três novas instalações em São Paulo, duas em Cajamar — uma delas já em operação — e uma em Guarulhos; uma em Minas Gerais, na cidade de Extrema; e outra em Celso Ramos, em Santa Catarina.

— Serão 340 mil metros quadrados de área instalada, isso mais que duplica a capacidade que a gente tinha em superfície plana — afirmou Leandro Bassoi, vice-presidente de Mercado Envios, o braço logístico do grupo argentino. — É um passo importante para a gente conseguir fazer entregas cada vez mais rápidas.

Quatro dos novos centros de distribuição serão do modelo conhecido como fulfillment, quando o estoque dos vendedores é gerenciado pelo Mercado Livre, do armazenamento à entrega do pacote. Em Guarulhos o modelo será de cross-docking, servindo como um entreposto de encomendas enviadas pelos vendedores.

— Por isso escolhemos Guarulhos, pela proximidade com o aeroporto — afirmou Bassoi, lembrando o investimento feito pela companhia para a criação da MELI Air, uma companhia aérea própria com frota de quatro aviões.

O objetivo da companhia é ampliar a capacidade de entrega de produtos em até dois dias. Hoje, disse Bassoi, 80% das vendas via fulfillment são entregues em até 48 horas, sendo que 70% acontecem no dia seguinte da compra. E essa rede de entregas rápidas cobre 1,8 mil cidades no país.

Antes da ampliação a empresa operava dois centros de distribuição em São Paulo, um em Cajamar e outro em Louveira, e um terceiro em Lauro de Freitas, na Bahia, inaugurado neste ano. Das cinco novas instalações anunciadas nesta quinta-feira, uma em Cajamar, com 75 mil metros quadrados, entrou em operação na segunda-feira, dia 9.

O movimento do Mercado Livre foi antecipado no mês passado pela coluna Capital, do GLOBO, que informou que o site estava absorvendo mais 75 mil metros quadrados de galpões em Cajamar (SP).

Os outros quatro começarão a operar em meados de 2021. Segundo Bassoi, o plano da Mercado Envios é encerrar o ano que vem com sete centros de distribuição de fulfillment, 17 centros de cross-docking, somando 610 mil metros quadrados de espaço de armazenagem. Além de 600 carretas e 10 mil vans, gerando 13,5 mil empregos diretos.

A expansão da rede está dentro do orçamento de R$ 4 bilhões em investimentos anunciados pela companhia para o país neste ano. Para 2021, o planejamento ainda não está fechado, mas o volume será maior.

O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Val Lima disse:

    Futuro proprietário dos Correios….

  2. Luciana Morais Gama disse:

    Enquanto grande parte do Brasil avança o RN encolhe…

  3. Brasil disse:

    Pq não uma no Nordeste?

  4. Calígula disse:

    Agora eu compro m8nha boneca inflável dos peitos GG

Unimed Natal é eleita a 26ª maior operadora de saúde do país

Foto: Divulgação

A Valor 1000 divulgou o ranking das maiores empresas de 2020. Na categoria operadoras da saúde, a Unimed Natal foi reconhecida como a 26ª maior do país, sendo a 2ª que mais cresceu em posições no ranking geral (que leva em contas as contraprestações efetivas), saindo da 33ª posição. Nas demais classificações, a cooperativa também alcançou destaques importantes como a 8ª operadora de saúde do país em índice de liquidez corrente; a 16ª em independência financeira; a 20ª maior em aplicações financeiras e também 20ª em melhor resultado financeiro.

Os índices conquistados ao longo dos anos só foram possíveis e se tornaram realidade pela união e trabalho incansável da diretoria executiva, conselhos, cooperados, colaboradores que tem o compromisso diário em fazer da Unimed Natal uma operadora de saúde sustentável, investindo em qualidade e estratégias inovadoras em prol do cuidado com nossos clientes, que refletem diretamente nos resultados alcançados até aqui.

Unimed ganha pela 28ª vez o prêmio de plano de saúde mais lembrado do país

Foto: Divulgação

A Unimed foi reconhecida mais uma vez como a marca de plano de saúde mais lembrada no país. Essa é a 28ª vez consecutiva que a cooperativa foi reconhecida com o prêmio Top of Mind da Folha, esse é um número que consagra a cooperativa como o plano de saúde com a maior pontuação na história da premiação.

Todo o reconhecimento serve como uma forma da Unimed reafirmar todo compromisso que tem em cuidar de seus clientes e de toda sociedade. O alcance desta marca na premiação, vem em um momento desafiador e que apresentou um desafio desconhecido, o novo coronavírus, que mesmo passando por este contexto a cooperativa médica continuou promovendo saúde e qualidade de vida com excelência, sendo mais uma vez lembrada pelos brasileiros quando se fala de saúde.

Brasil criou 313 mil empregos formais em setembro; terceiro mês seguido de saldo positivo e melhor resultado do ano, informa Caged

Foto: Tony Winston/Agência Brasília

 

Pelo terceiro mês consecutivo, o Brasil registrou saldo positivo na geração de empregos com carteira assinada, em um sinal de retomada do mercado de trabalho após o baque causado pela pandemia de coronavírus. Foram criados 313.564 postos de trabalho em setembro. O resultado é decorrente de 1.379.509 admissões e 1.065.945 desligamentos. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e foram divulgados nesta quinta-feira (29) pelo Ministério da Economia.

O resultado de setembro foi o melhor para um mês em todo o ano de 2020 até agora. Também foi o melhor resultado para meses de setembro desde o início da série histórica, em 1992. Até então, o melhor valor em setembro tinha sido registrado em 2008, quando foram abertas 282.841 vagas com carteira assinada.

Todos os setores da economia brasileira registram saldo positivo em setembro de 2020. O desempenho do mês foi puxado principalmente pela indústria da transformação, que abriu 108.283 vagas. O setor de serviços abriu 80.481; no comércio, foram 69.239 novos postos; na construção, 45.249; e na agropecuária, 7.751.

As cinco regiões do país também registraram saldo positivo em setembro. A alta no Nordeste foi a maior: 1,38%, em relação ao ano passado, com 85.336 novos postos. Depois, aparece o Norte, com aumento de 1,15% e 20.640 novas vagas de emprego com carteira assinada. No Sul, a alta foi de 0,85% e 60.319 novas vagas; no Sudeste, 0,65% e 128.094; e no Centro-Oeste, 0,59% e 19.194 novas vagas.

“Estamos criando emprego por três meses seguidos e em ritmo crescente”, comemorou o ministro da Economia, Paulo Guedes, em coletiva de imprensa virtual nesta quinta-feira (29). “Todas as regiões e os setores criaram vagas em setembro. Isso configura o fenômeno da volta em V da economia brasileira. Mesmo os serviço que estavam com dificuldades criaram 80 mil empregos. Temos claramente a volta em V da economia”, completou.

Acumulado do ano no Caged

No acumulado do ano até setembro, o dado de geração de vagas é negativo. Foram fechados 558.597 postos de trabalho, resultado de 10.617.333 admissões e 11.175.930 desligamentos. O resultado é influenciado pela crise causada pela Covid-19.

No primeiro semestre do ano, quando estados e municípios adotaram medidas de isolamento social, foram fechadas 1,19 milhão de vagas de trabalho com carteira assinada . Segundo dados do Caged, 1,53 milhão de postos de trabalho perdidos foram perdido no auge da pandemia, de março a junho, sendo o fundo do poço tendo sido registrado em abril (menos 918,2 mil vagas).

O resultado negativo começou a ser revertido neste segundo semestre. Em julho, foram criadas 131 mil vagas, mês que encerrou o ciclo negativo de quatro meses de demissões. Em agosto, foram mais 294,4 mil postos de trabalho. E agora em setembro, 313 mil vagas, o melhor mês do ano.

O ministro Paulo Guedes também destacou que o resultado acumulado do ano, apesar de ainda negativo, é menor que a perda registrada na última recessão econômica, entre 2015 e 2016. Isso demonstra, na sua visão, que as medidas do governo surtiram efeito. Em 2015, de janeiro a setembro, o país fechou 657,7 mil vagas. Em 2016, no mesmo período, foram fechadas 683,6 mil vagas.

Com Gazeta do Povo e CNN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. PEDRO VERDADEIRO disse:

    Vice ! Os gatinhos vão a loucura. Isso somado os índices de avaliação positiva nos remete a 2026.

  2. o sincero disse:

    com esse tipo de emprego o tal " intermitentes " o brasil logo vai chegar longe. emprego como ubs entregador de pizza de bicicleta….vamos ter vergonha na cara e deixar um futuro digno para os nissos filhos….

  3. Josa disse:

    Ôôô governo bom!

‘Basta nascer pobre para ser suspeito. Por isso, estou metendo o pé do país’, diz Neguinho da Beija-Flor

Neguinho da Beija-flor consola Paulo Cesar Marcondes, pai de Gabriel Foto: Brenno Carvalho / Agência O Globo

Após a morte do neto Gabriel Ribeiro Marcondes, de 20 anos, baleado durante uma operação policial, o cantor e sambista Neguinho da Beija-Flor abriu a possibilidade de deixar o Brasil. O jovem, sepultado nesta segunda-feira, foi morto a tiros durante um tiroteio no Morro da Bacia, no Ambaí, em Miguel Couto, no município de Nova Iguaçu. As operações em comunidades do Estado do Rio foram classificadas por Neguinho como “desastrosas”.

— No Brasil, basta nascer preto para ser suspeito. Por isso, estou metendo o pé do país — disse o sambista.

Gabriel, neto de Neguinho da Beija-Flor, tinha como trabalho montar tendas em eventos. No sábado, era o que ele fazia no momento em que teve início uma troca de tiros com a chegada de policiais militares ao Morro da Bacia na tentativa de reprimir um baile funk. Quatro pessoas foram baleadas, entre elas Gabriel.

Durante o enterro, nesta segunda-feira, o sambista disse que planos da família têm mudado desde a morte do rapaz. Um dos filhos de Neguinho tem o mesmo trabalho do jovem, e vai abandonar a atividade. Durante o velório, realizado no Cemitério de Nova Iguaçu, o cantor disse:

— Ele (Gabriel) era um menino bom. Estava armando a tenda, e segundo informações que tive, era um lugar perigoso. Estava lá armando a tenda e isso aconteceu. Parece que houve uma operação e uma troca de tiros com um pessoal. Além do Gabriel, tenho um filho que também trabalha nisso. A partir de agora não vai mais exercer esta atividade. É perigoso.

No dia 19, Neguinho da Beija-Flor usou sua conta oficial no Instagram para falar sobre a morte de Gabriel. Na primeira postagem, ele agradeceu o carinho recebido de amigos e fãs e afirmou que “a dor é enorme”.

Numa segunda publicação, com uma foto em que o sambista está ao lado do neto, ele disse ser um “momento muito difícil” e se lembrar de Gabriel sempre como um “menino sorridente”.

Gabriel chegou a ser socorrido por policiais do 20º BPM (Nova Iguaçu) e levado para o Hospital da Posse, mas não resistiu e morreu na unidade de saúde.

O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ivan disse:

    BALA PERDIDA não escolhe, cor, credo, opção sexual, opção política, localidade, nacionalidade, tampouco condição social…

  2. Cesar Bomone disse:

    Lamentável os comentários dos ESQUERDOPATAS .
    Hora alguma foi mostrado que a bala saiu das armas da POLÍCIA. Os traficantes atiram a esmo, matam inocentes mas para os ESQUERDOPATAS a culpa é sempre da polícia.
    Lamentável os comentários dos ESQUERDOPATAS sempre defendendo a bandidagem, o país está assim hoje, porque foram anos se tratando bandido como vítima da sociedade.

  3. Fernando disse:

    Estranho é essa patota revoltada com o Brasil,quando fala em ir embora,correm para morar nos E.U.A.,nenhum picareta desse,vai morar na Venezuela,Cuba,Coréia do Norte,Angola, e assemelhados…….Bando de Hipócritas !!!!

  4. Santos disse:

    O Estado do Rio de Janeiro é o mesmo que elege o presidente nas suas disputas eleitorais desde 1988. Então, tá na cara que lá é um desastre em todas as áreas.

    • Paulo disse:

      BG
      Só um babaca mesmo, querer imputar ao presidente atual o desmante-lo no Rio de Janeiro e de uma memorio fraca e seletiva mesmo. O Rio de Janeiro vem entregue aos bandidos fazem décadas teve em Leonel Brizola um dos culpados com sua filha que era viciada em drogas e ele proibia a policia de atuar.

  5. Júlia Barbosa disse:

    Isso chega a ser ridículo!
    Vai falar de pobreza pra quem vive no sertão nordestino, ou nas piores áreas das favelas e não optam pelo crime. Agora viver as custas do estado, metendo o dedo no c* do contribuinte, do trabalhador, do cidadão de bem pra financiar suas regalias, vida luxuosa, vivendo da festa em que mais se gasta dinheiro público é uma baita safadeza, mau caratismo e hipocrisia. Nojo dessa gente hipócrita, que fod* com o dinheiro público, tão cagand* e andando para as misérias, pobrezas e mazelas sociais abrir a merda da boca e falar isso.
    Faça a sua parte, reparta o seu dinheiro, dívida com seus irmãos que vivem realmente na fome, desemprego, miséria. Agora ir para o exterior? Sacana!

    • Sergio disse:

      Quem vive às custas do contribuinte, bem-educada, são os políticos e funcionários públicos . O senhor em questão, é um cantor e o neto estava trabalhando . Sua raiva é pq ele tem condições de se mandar desse país e vc não. Pq seu Mito não resolveu o problema da violência?

  6. Alguém disse:

    Vamos acabar com a policia, mais fácil, deixa a "segurança" nas mãos do crime organizado.
    Pelo menos a "justiça" deles é bem justa.
    Ou façamos o seguinte, dive o Brasil, uma parte uma terra sem lei (indico o RJ, já é assim mesmo) e o restante fica com as leis atuais, pronto, problema resolvido.

  7. Henrique disse:

    Manoel, boa viagem.

  8. edu disse:

    Ja vai tarde, nao sentiremos nenhuma falta sua! Lembre-se, em outros Paises, a boquinha nao sera igual aqui nao! kkkkk

  9. Francisco disse:

    Eike batista, mega da Odebrecht, oas… Também por ter muito dinheiro. Coitados

  10. Manoel disse:

    Esse país virou pasto para gado racista, homofóbico, terraplanista, armamentista, misógino, classista e fascista.
    Se eu pudesse iria embora tb.

    • Luladrão Mor da Silva disse:

      Vá pra Cuba, Venezuela, Coréia ou China e não volte mais.

  11. Jorge disse:

    COMO SEMPRE, onde a polícia atua para acabar com a bagunça, a PM tem culpa segundo a imprensa que luta por um país SEM SEGURANÇA.
    Desde 2003 que TODA BALA PERDIDA VEM DA ARMA DE UM POLICIAL, NUNCA SAIU DA ARMA DO BANDIDO.
    Toda bala sempre é diagnosticada pela MÍDIA como TENDO SAÍDO da arma do policial, NUNCA do ARMAMENTO CONTRABENDEADO E PROIBIDO USADO PELO BANDIDO.
    A mídia sequer fala o TIPO DE ARMAMENTO USADO pelos BANDIDOS, a única vez que falou
    sobre isso, CHAMOU RIFLE E METRELHADORA DE GUARDA CHUVA.

    O Brasil é DOMINADO por 10% de aproveitadores que manipulam e agradecem a OMISSÃO dos outros 90%.

  12. Ricardo Coutinho2 disse:

    Seu Jorge mora nos EUA.

Projeto do IFRN é aprovado como um dos melhores do país

Foto: Divulgação

Com o objetivo de selecionar projetos voltados à qualificação técnica de estudantes e recém-egressos de cursos de ciências agrárias e afins, de nível médio e superior, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) lançou o Edital de Chamamento Público n° 01/2020. A Chamada recebeu quase 500 projetos, enviados por instituições de Ensino de todo o país. Um deles, do Campus Ipanguaçu, ficou entre os nove que obtiveram nota máxima. No total, foram 75 projetos aprovados em âmbito nacional.

O Edital de Chamamento Público, intitulado AgroResidência, foi instituído com o objetivo de apoiar a formação de profissionais com as competências necessárias para plena atuação nas áreas de ciências agrárias e áreas correlatas, “por meio de treinamento prático, supervisionado e orientado”. Além de qualificar profissionais, o programa busca desenvolver nos jovens residentes, estudantes ou recém-egressos, o senso de responsabilidade ética, por meio do exercício de atividades profissionais.

Territórios Açu-Mossoró e Sertão do Apodi

Em Ipanguaçu, com o título “Qualificação profissional de estudantes e profissionais em gestão de empreendimentos associativos/cooperativos vinculados ao agronegócio da agricultura familiar nos Territórios Açu-Mossoró e Sertão do Apodi”, o projeto foi uma construção do Núcleo de Estudos em Agroecologia (NEA).

“A proposta finalista – que obteve nota máxima – foi construída de forma coletiva, com a participação de todos os membros do NEA, mantido pelo nosso Campus”, disse o professor Geraldo Jr., diretor-geral do Campus Ipanguaçu. Segundo ele, o projeto selecionado integra um grupo de quatro propostas que foram enviadas para a seleção do Ministério. Para o professor, além de comemoração, o momento é de expectativa: “A gestão sempre esteve envolvida, seja com a participação efetiva nas reuniões do Núcleo, seja no diálogo com os parceiros. Agora, estamos esperando que, efetivamente, os recursos cheguem ao Campus, nós executemos o projeto e ele alcance seu objetivo, que é fortalecer o processo de ensino-aprendizagem de estudantes egressos do Campus e – eventualmente – de outra instituição que tenha interesse em participar”, declarou.

Responsável pela elaboração da proposta, o professor Paulo Sidney, da disciplina Cooperativismo, falou sobre o resultado: “Nosso projeto visa qualificar profissionalmente estudantes em fase de conclusão de curso. Essa qualificação, na área da Gestão de Empreendimentos Associativos e Cooperativos nos Territórios Açu-Mossoró e Sertão do Apodi, terá duração de 24 meses e contará com doze residentes (seis a cada ano)”, explicou. Esses estudantes receberão, no Campus Ipanguaçu, uma complementação à formação teórica, voltada às temáticas Agroecologia, Desenvolvimento Rural Sustentável e Gestão de Empreendimentos na Agricultura Familiar. “Cada professor elaborou sua proposta dentro das linhas de pesquisa trabalhadas pelo NEA. Alguns pontos, como os aspectos metodológicos, foram construídos de forma coletiva, mas a responsabilidade técnica pela elaboração foi de cada um. Inclusive, um dos critérios de avaliação do projeto era o currículo do professor e a pertinência com o conteúdo apresentado no projeto”, esclareceu o professor.

Residentes

O edital traz que, para ser residente pelo AgroResidência, é preciso ter entre 15 e 29 anos de idade, ser estudante ou recém-egresso de cursos nas áreas de ciências agrária e afins, de nível médio ou superior, ter cursado todas as disciplinas do curso; egressos deverão ter concluído o curso há, no máximo, 12 meses. No Campus Ipanguaçu, com a implementação do projeto, apenas estudantes em fase final de conclusão de curso superior ou recém-egresso será selecionados, via chamada pública. Essa seleção buscará participantes tanto da unidade quanto de outro campus do IFRN, desde que com atuação nos territórios abrangidos pelo projeto, sendo seis estudantes para 2021 e outros seis no segundo ano, 2022.

Paulo ainda detalhou como as ações serão desenvolvidas: “A primeira turma atuará diretamente nas unidades residentes, realizando avaliações nos empreendimentos, geralmente associações e cooperativas. Lá também farão planos de ação com vistas a melhorias de gestão desses empreendimentos.” O professor acrescentou ainda que essas melhorias compreendem tanto aspectos societários como gerenciais e que, com base nessas avaliações, serão implementados programas de capacitação voltados aos dirigentes dos empreendimentos envolvidos. A segunda equipe ficará responsável pela implantação dos planos de ação nas unidades residentes, visando a melhoria da gestão das iniciativas assessoradas.

As Unidades Residentes são fazendas ou unidades de produção, empresas do agronegócio, cooperativas, empresas de assistência técnica, nacionais ou internacionais, da administração direta e indireta, e a sociedade civil organizada onde serão realizadas as atividades. Informações sobre bolsas e demais pré-requisitos podem ser obtidas no Edital do Mapa.

Parcerias

“O projeto tem, ainda, um viés acadêmico, fruto dessa inserção: faremos artigos científicos onde serão divulgados os resultados dessa experiência em âmbito regional e nacional e produziremos também uma publicação voltada para a área da gestão desses empreendimentos coletivos solidários que nós estamos trabalhando. Será uma cartilha que visa fornecer e complementar informações para os dirigentes dos empreendimentos assessorados”, finalizou Paulo Sidney.

O projeto selecionado já tem parceria com algumas cooperativas e órgãos públicos:

Associação de Comercialização Solidária Xique Xique;

Cooperativa de Comercialização Solidária Xique Xique (Cooperxique);

Cooperativa Potiguar de Apicultura e Desenvolvimento Rural Sustentável (Coopapi);

Federação de Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária do Rio Grande do Norte – Federação UNICAFES;

Associação Renascer dos Artesãos da Carnaúba (Assentamento Pedro Ezequiel);

Cooperativa de Produtores do Assentamento Novo Pingos (Coopingos);

Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural do Rio Grande do Norte (Emater/RN).

Acesse

Edital de Chamamento Público n° 01/2020

Lista com os projetos aprovados

 

William Waack: É do STF que emana boa parte da insegurança jurídica do país

Vídeo AQUI em matéria na íntegra

No quadro CNN Poder desta quinta-feira (15), na CNN Rádio, William Waack falou sobre a insegurança jurídica no mundo dos negócios e da política causada por decisões, monocráticas ou não, tomadas pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

“É o mundo das maravilhas do Supremo Tribunal Federal. A insegurança emana de lá, de onde sai uma decisão monocrática que afirma que pela lei o cara [André do Rap] tinha que estar solto e é de lá que vem uma decisão do plenário dizendo “erramos, não devia estar solto”. Vale o que, afinal?”, questionou.

O jornalista também destacou o fato de o próprio Ministério Público Federal (MPF) ter se manifestado publicamente sobre o caso, pedindo que o Supremo diga com clareza qual a abordagem em relação ao artigo 316 do Código de Processo Penal (CPP) daqui para frente.

“É muito curioso ler em nota ao público do MPF a seguinte declaração: ‘estamos inseguros, precisamos de tranquilidade’. O que podemos dizer a todos integrantes do STF é que todos nós estamos inseguros. Todos nós queremos um pouco mais de tranquilidade.

CNN Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Jonatas Calaça dos Santos disse:

    Impossível com estes onze urubus do STF. Corruptos e descarados.
    Nosso país estar no fundo do poço por culpa do judiciário .

Turismo responde por quase metade das perdas de empregos no País

Foto: Divulgação/Agência Brasil

O Grupo de Pesquisa em Economia do Turismo da Universidade de São Paulo divulgou que o setor perdeu 384 mil postos formais de trabalho em 2020, quantidade que corresponde a 45% do total de vagas fechadas na economia brasileira até agosto. O Turismo respondeu por quase metade da perda total de empregos da economia brasileira, mesmo respondendo por apenas 4% das carteiras assinadas do País. A perda nas atividades características do Turismo (ACTs) atingiu 19% do total de postos no setor.

A redução percentual foi mais de dez vezes superior à da economia como um todo, que chegou a 1,8% do total de carteiras assinadas. Apesar do emprego da economia ter começado a se recuperar a partir de julho, a queda no setor de Turismo não parou. Em agosto, o número de demissões no setor superou o de contratações em 17 mil.

Dentre as atividades características do Turismo, os serviços de alimentação foram os mais atingidos em termos absolutos, com perda de 236 mil postos formais de trabalho. Em termos relativos, a atividade mais impactada foi o agenciamento de viagens. As 20 mil vagas fechadas em agências e operadoras representam 29% do total de empregos formais que existiam no segmento no começo do ano. Na hospedagem, foram fechadas 75 mil vagas, o equivalente a 25% do total. No transporte rodoviário, o saldo foi de 28 mil demissões. Já no transporte aéreo, apesar das demissões terem ganhado escala somente a partir de julho, até o fim de agosto elas já acumulavam 8 mil, o que equivale a 13% do total de empregos no setor.

As estatísticas do Turismo foram estimadas a partir de dados do Novo CAGED e da RAIS. Para facilitar o acesso aos dados, o Grupo de Pesquisa lançou um dashboard que permite a análise da situação do emprego no Turismo de maneira atualizada, detalhada e dinâmica. O interessado pode consultar as estatísticas por atividade econômica, unidade da federação e período.

Portal Panrotas

Estados Unidos proíbem filiados de partido comunista ou qualquer outro partido totalitário de obterem cidadania ou residência no país

Foto: Reprodução

Os Estados Unidos anunciaram uma nova orientação política que impede membros do Partido Comunista ou de “qualquer outro partido totalitário” de obter residência ou cidadania, em um movimento que pode afetar dezenas de milhões de membros do partido governante da China, o Partido Comunista Chinês.

Os Serviços de Cidadania e Imigração dos EUA (USCIS) disseram que a atualização da política era “parte de um conjunto mais amplo de leis aprovadas pelo Congresso para tratar das ameaças à segurança e proteção dos Estados Unidos”. Em um comunicado em seu site oficial, eles emitiram a orientação política em 2 de outubro, dizendo que “ser membro ou filiar-se ao Partido Comunista ou a qualquer outro partido totalitário é inconsistente e incompatível com o … Juramento de Fidelidade aos Estados Unidos da América, que inclui a promessa de ‘apoiar e defender a Constituição e as leis dos Estados Unidos’”.

“Qualquer imigrante que seja membro ou afiliado do Partido Comunista ou qualquer outro partido totalitário (ou subdivisão ou afiliado), nacional ou estrangeiro, é inadmissível para os Estados Unidos”, disse o comunicado, com “inadmissibilidade” aplicável à cidadania ou residência.

Os EUA já haviam decidido que membros de partidos comunistas são inadmissíveis por prestarem o juramento de fidelidade, mas as regras têm sido aplicadas de forma muito branda nos últimos anos.

O novo anúncio oficial pode afetar quase 200 milhões de membros do Partido Comunista Chinês (PCC) e da Liga da Juventude Comunista.

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Pedro disse:

    Gente isso é espantoso, é muita burrice, esse Entregador De Pizza que perece ser engenheiro, comeu bola de esterco estragado de cavalo. com sua incompetência certamente, em vez de acabar com a Ditadura de Cuba de onde as pessoas fogem com fome, ele quer acabar com o capitalismo dos EUA, devia lembrar que tem muito tempo que o Socialismo, como bandeira do politicamente correto, já desapareceu faz tempo.

  2. Entregador De Pizza 🍕 disse:

    Eu não tenho a mínima vontade de ir naquele lixo de país.
    Mil vezes ir a Cuba, tomar uns bons mojitos, comer uns hambúrgueres de 🐷, passear em Havana… Não preciso de luxo pra ser feliz.
    Só os pobres de direita do Brasil (estão proibidos de entrar nos EUA), que pensam que são bem vindos lá…

  3. Pedro disse:

    Tem não amigo, pelo menos não devia ter, mais Tem alguns que gostam de mordomias, ser tratado de o "cara" essas babaquice que eles exploram, mais andam atrás.

  4. Sérgio disse:

    Medida eleitoreira. Vai durar poucos meses. Quando o próximo presidente assumir, vai revogar.

    • Paulo disse:

      Falou o comunista, torcendo para que comunistas tomem conta dos Estados Unidos.
      O comunismo é uma seita.

    • Sergio disse:

      Que eu saiba, Paulo, não há candidato comunista lá. Vc vive no século passado.
      Aliás, estive nos EUA e tenho condições de voltar. Já vc…

  5. Chicó disse:

    E comunista tem vontade de viajar para os EUA ???

Mortes no país por Covid caem 23% no mês

Foto: Leo Martins

Findo o mês de setembro, o número mensal de mortos por Covid-19 caiu pela segunda vez no Brasil, desta vez numa queda percentual (-23%) de quase o dobro da queda registrada um mês antes (-12%). Os números reforçam tendência de desaceleração da epidemia no país.

A maior parte da redução foi puxada por São Paulo, por representar uma fatia grande em números absolutos, e por Minas Gerais e Bahia, que tiveram reduções acentuadas de um mês para o outro.

Apenas dois estados registraram alta na comparação entre agosto e setembro. Um deles foi Goiás, que ainda está no auge do pico da doença, e o outro foi o Amazonas, onde parece despontar uma segunda onda.

Outros estados que têm grande número acumulado de mortos, como Rio de Janeiro e Ceará, tiveram picos de morte há mais de três meses, estão relativamente estáveis e não contribuíram tanto para a redução entre agosto e setembro.

Para a microbiologista Natália Pasternak, colunista do GLOBO e presidente do Instituto Questão de Ciência (IQC), apesar de as epidemias terem momentos distintos em diferentes estados, há alguns aspectos nacionais que ajudam a explicar o número geral dos óbitos por coronavírus.

— Acredito que a adesão à quarentena e o uso de máscaras contribuíram para essa queda. É importante dar esse retorno para a população para mostrar que o esforço dela foi recompensado, e que vale a pena cumprir as medidas de quarentena — diz a cientista.

Segundo Pasternak, outra chave para entender a dinâmica da pandemia é o número de pessoas suscetíveis que circulam em cada local.

— A queda no número de mortes tem outros dois motivos: o primeiro é a diminuição de pessoas suscetíveis a serem infectadas pelo vírus, e o outro fator é que existe um aprendizado médico importante de como lidar com a doença que diminui o número de mortes, porque os médicos já conhecem melhor como a doença age no organismo e quais são as maneiras de intervir e de tratar.

Nova onda?

Se o Brasil vai viver uma segunda onda de Covid-19, como países europeus experimentaram, vai depender de como a política de reabertura gradual implementada em vários estados vai se dar.

— Quando vamos reinserindo os suscetíveis na dinâmica de mobilidade da cidade, a tendência é que a taxa de transmissão volte a subir — diz Pasternak. — Com a reabertura das escolas, colocamos em circulação uma grande quantidade de pessoas, porque a escola mobiliza muita gente, são professores, funcionários, estudantes, pais, que vão precisar se deslocar na cidade.

Mauro Schechter, professor de infectologia da UFRJ, afirma que mesmo com a expectativa de um aumento de casos após a reabertura, há motivos para esperar que as mortes não cresçam tanto, com base na experiência de países europeus.

— O que eles estão vendo é um aumento de casos que não se associa ao aumento de mortes ou internações com evolução grave.

Segundo o infectologista, o perfil mais jovem de doentes que se vê agora na Europa é similar ao que o próprio Rio de Janeiro mostra.

— São jovens que ficaram isolados antes e que agora saem para ir na (rua) Dias Ferreira ou à praia — explica. — Por serem jovens, resultam em menos casos graves, mas o que eles estão fazendo é expor seus pais e avós, ainda que deste outro grupo muitos já tenham sido expostos ao vírus antes.

Para Alberto Chebabo, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia e infectologista do laboratório Sérgio Franco, ainda há motivo para se preocupar com o Rio:

— O Rio de Janeiro ainda está complicado, pois o percentual de novos casos e óbitos se estabilizou num patamar alto e não cai.

Apesar de a epidemia fluminense ter tido um início similar à paulista, por exemplo, com o fechamento de escolas e comércio quase simultâneos, a dinâmica da Covid-19 foi diferente.

— Comparando as duas capitais, é possível ver já uma diferença, pois São Paulo teve uma queda consistente, enquanto o Rio teve queda e subida, com estabilização em um patamar alto — indica Chebabo.

O médico destaca o papel de alguns estados em puxar para baixo a média nacional.

—São Paulo e Bahia fizeram, de certa forma, o “dever de casa” e estão com a queda sustentada, puxando o número do Brasil para baixo.

Curvas descoladas

Um fenômeno estranho que se apresenta na epidemia brasileira é que a curva de mortes pareceu ter uma dinâmica à frente da curva de casos. Segundo Schechter, da UFRJ, porém, esse fenômeno é um artifício que deriva da deficiência de testagem do Brasil. Como há mais testes sendo feitos só agora, há mais diagnósticos positivos com critério clínico e mais notificação. E ele concorda que o aprendizado dos médicos proporciona uma redução no número de mortes, interferindo na taxa de letalidade do vírus. Dentro dos hospitais, diz, o principal fator de influência é a experiência dos médicos com medidas de suporte e mudanças nos protocolos para cuidar da respiração dos pacientes.

— (A queda de óbitos) Não tem nada a ver com remédio A ou remédio B — diz o professor da UFRJ.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José Macedo disse:

    A queda de óbitos não tem nada a ver com remédios a ou b.
    Esse professor que disse isso é um brincalhão,
    Os índices de óbitos baixaram por grande parte dos médicos utilizarem hoje um kit de medicamentos para um tratamento precoce
    Ninguém fala mais a maioria dos médicos foram os maiores culpados dos óbitos que tiveram que por politicagem ou covardia só receitavam dipirona e vai para casa e só volte quando tiver falta de ar. Se dessem o kit que todos nós conhecemos não haveria tantas mortes.

  2. Luciano disse:

    Os petistas estão tristes, nem as aglomerações de 7 de setembro nem as convenções partidárias conseguiram aumentar o número dos mortos para alegria da esquerda que torce pelo vírus.

“Sempre falei: não tem que fechar nada, não tem que prender ninguém dentro de casa. Temos que zelar pelos mais idosos. Fora isso, tínhamos que trabalhar”, diz Bolsonaro sobre covid-19

Foto: TV Brasil / Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro foi nesta quinta-feira (1º) a São José do Egito, em Pernambuco, inaugurar uma obra hidríca à região. No evento, ele afirmou que sempre foi contra a ideia de que pessoas fora do grupo de risco para a covid-19 ficassem em casa durante a pandemia do novo coronavírus.

“Sempre falei: não tem que fechar nada, não tem que prender ninguém dentro de casa”, afirmou. “Temos que zelar pelos mais idosos. Fora isso, tínhamos que trabalhar”, justificou.

Ele também voltou a defender a hidroxicloroquina logo após a inauguração da 2ª etapa do Sistema Adutor do Pajeú (PE). A região é um reduto eleitoral dos partidos de oposição PSB e PT.

Bolsonaro atribuiu a sua ousadia a defesa do remédio sem comprovação científica para pacientes de covid-19. “Não sou médico, mas sou ousado como cabra da peste nordestino. Nós temos que buscar uma solução para nossos problemas e ela apareceu”, afirmou.

Segundo o presidente, “Deus foi tão abençoado que nos deu até a hidroxicloroquina para quem se acometer da doença. E quem não acreditou, engula agora.”

Ao se despedir da plateia que gritava mito e o aplaudia a todo momento, Bolsonaro teve dificuldade para lembrar o nome do município e pediu para os moradores buscarem bons candidatos nas eleições deste ano, na qual serão eleitos prefeitos e vereadores. “Vamos escolher gente que tenha Deus no coração, que tenha na alma o patriotismo e queira de verdade o bem do próximo.”

R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. ROOSEVELT ARILMES MUNIZ DE ALBUQUERQUE disse:

    BOLSONARO TEM RAZÃO E SEMPRE TEVE
    A QUANTIDADE DE MORTES E CULPA DOS GOVERNADORES PREFEITOS VAGABUNDOS STF GLOBO Q FOI CONTRA A IVERMECTRINA
    SE TIVESSEM USADO NÃO TERIA TANTA MORTES

  2. Jackson Trindade disse:

    O maior mentiroso da historia do Brasil. Doente que acredita nas mentiras que conta. E mais doente ainda o gado ruminante que aplaude o irreal.

    • Maria disse:

      Muuuuuuu!!!!
      #Bolsonaro2022 #NinguemDerrubaBolsonaro #FechadosComBolsonaro

  3. Paul disse:

    Valdo1976, explica o caos na Europa que seguiu a famigerada OMS. Não venha me falar de segunda onda que nada mais é do que o efeito colateral da estupidez humana, alucinação chamada "fica em casa"

    • ROOSEVELT ARILMES MUNIZ DE ALBUQUERQUE disse:

      VALDO A CULPA DE TANTAS MORTES FORAM DO STF GOVERNADORES PREFEITOS VAGABUNDOS E GLOBO Q NÃO QUISERAM USAR A IVERMECTRINA
      BOLSONARO SEMPRE TEVE E TEM RAZÃO

    • Valdo1976 disse:

      Use a Matemática (ciência) e compare proporcionalmente em relação a população de cada país o numero de mortes causadas ! ! Só a vacina e não Ivermectina é a solução para essa Pandemia ! ! Caos é sinónimo para Bolsonaro ! !

  4. Apir Pertinente disse:

    Dito isso hoje …. E ainda disse para O MUNDO, em discurso, que na pandemia agiu conforme os padrões médicos e sua atuação foi firme no sentido de combater a pandemia.

    • Valdo1976 disse:

      Ultrapassamos hoje a triste marca de mais de 144 mil mortos hoje ! ! Estamos atrás apenas dos Estados Unidos que tem mais de 200 mil mortos pela Covid-19 ! ! Coincidentemente os dois países que sempre se opuseram as determinações da OMS no combate a Pandemia ! !

Covid-19 fez reduzir em quase 0,5% a população de idosos do país

Brasil já perdeu 100 mil idosos por conta da doença | Foro: Pedro Teixeira

O Dia Internacional do Idoso é comemorado hoje no Brasil com menos 100.818 pessoas com mais de 60 anos, todas vítimas da Covid-19 em pouco mais de seis meses de pandemia. A conta é da economista Ana Amélia Camarano, pesquisadora do Ipea e nossa grande especialista em envelhecimento. Este número significa cerca de 11% do total de óbitos de idosos verificados em todo o ano de 2019. Representa, ainda, uma redução de quase 0,5% na população de idosos em 2020.

Por falar em Covid…

Ruy Castro, como todos os flamenguistas, estava ontem triste com a morte por Covid-19 do ídolo Silva “Batuta”, aos 80 anos. Ainda assim, o cronista reparou que no noticiário muita gente estava chamando o atleta de “Silva Batuta”, como se fosse nome e sobrenome:

— Errado. Era Silva, o Batuta. Muito mais nobre. Tipo D. Manuel, o Venturoso.

Ancelmo Gois – O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Roberto Fernandes disse:

    Estou errado oo não, idoso não é a partir dos 60 anos, mudaram esta classificação? Ou ninguém quer assumir que é sexagenário?

  2. Fabiano disse:

    Infelizmente o dado apresentado no título da reportagem induz à desinformação, fazendo com que o leitor pense que o Brasil agora tem menos idosos que antes devido aos efeitos da pandemia. O que os pesquisadores esqueceram de levar em conta é o quantitativo de pessoas que passaram a ser idosas nesse ano, ou seja, completaram 65 anos em 2020. Se o Brasil possui cerca de 200 milhões de habitantes e se considerarmos, só a título de ilustração aqui, que 1% nasceram em 1955, teríamos 2 milhões de pessoas que farão ou fizeram 65 anos em 2020, tornando-se idosos. Então o mais provável é que o número de idosos no país tenha aumentado, como em todos os anos anteriores, ainda que em um ritmo menor nesse ano devido à COVID-19. Mas isso teria que ser comprovado ainda.