Saúde

No Brasil, 84% das pessoas acham que visitantes só devem entrar no país com comprovante de vacinação contra a Covid, diz pesquisa

Foto: Márcia Foletto 10-12-2020 / Agência O Globo

Um estudo feito pela empresa de consultoria Ipsos para o Fórum Econômico Mundial concluiu que cerca de três em cada quatro adultos em 28 países concordam que viajantes só devem entrar em seus países (dos entrevistados) caso apresentem um comprovante de que foram vacinados contra a Covid-19 ou um documento que comprove que realizaram recentemente um teste cujo resultado deu negativo.

No Brasil, 84% dos participantes que responderam à pesquisa concordaram que turistas só devem desembarcar no país se apresentarem o “passaporte de vacinação”. Para os entrevistados, isto garantiria mais segurança à viagem e aos eventos de grande porte.

Cerca de dois em cada três entrevistados nos 28 países concordam que o acesso a locais públicos, como grandes eventos e estádios de futebol deveriam exigir o “passaporte de vacinação”. Entre os entrevistados brasileiros, a porcentagem foi um pouco maior: 75%.

Além disso, quase metade dos entrevistados concordam que o documento deve ser exigido por lojas, restaurantes e escritórios.

Na pesquisa global, uma média de oito em cada dez dizem que se sentem confortáveis permitindo que seu médico acesse seus dados pessoais de saúde e registros de vacinação. No entanto, pouco mais da metade entre os que estão empregados concorda que não se importariam se seus empregadores tivessem acesso a essas informações, e metade de todos os adultos ficariam confortáveis caso o governo acessasse esses dados. Apenas quatro em cada dez adultos ficariam confortáveis caso as informações fossem acessadas por empresas privadas, como companhias aéreas e hotéis.

No geral, os idosos tendem a se sentir mais confortáveis em permitir que o médico tenha acesso às informações sobre saúde e vacinação do que os mais jovens. Em contraste, os mais jovens tendem a se sentir mais confortáveis permitindo que seu empregador, seu governo e empresas privadas acessem suas informações pessoais de saúde. Pessoas com níveis mais altos de educação ficam um pouco mais confortáveis com o acesso de seu médico, governo e empresas privadas aos seus dados de saúde do que aqueles com níveis mais baixos de educação.

No Brasil, 77% dos entrevistados disseram se sentir confortáveis caso seus médicos tenham acesso às suas informações de saúde e vacinação; 62% não se importariam caso os dados fossem vistos por seus empregadores; e 49% ficariam confortáveis caso os dados fossem acessados pelo governo ou por empresas privadas.

A pesquisa foi realizada online com mais de 21 mil adultos entre 26 de março e 9 de abril de 2021. Foram ouvidas aproximadamente mil pessoas em cada um dos seguintes países: Austrália, Bélgica, Brasil, Canadá, China continental, França, Alemanha, Grã-Bretanha, Itália, Japão, Espanha e os EUA. E 500 pessoas em Argentina, Chile, Colômbia, Hungria, Índia, Malásia, México, Holanda, Peru, Polônia, Rússia, Arábia Saudita, África do Sul, Coreia do Sul, Suécia e Turquia.

Outra pesquisa da Ipsos realizada online com mais de 15 mil adultos em 12 países, de 8 a 11 de abril, mostra que o público global está dividido sobre a a ideia de deixar restrita apenas àqueles que foram vacinados a permissão para participar de atividades que envolvem grandes grupos de pessoas, como andar de transporte público, viajar e participar de eventos culturais e esportivos. No Brasil, 63% concordam com esta ideia.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Estive em Dubai recentemente e lá entra de 1 em 1 mint pessoas vindo da India, gente !! não pede nem doc. pessoas infectadas vindo da India é demais, por isso que daqui alguns dias vai está novamente o mundo todo com picos altissimos… precisa barrar pessoas nas fronteiras, pq não adianta tomar vacina e se isolar, e deixar os infectados de outros países trazendo suas variantes.

  2. Nem se preocupem que ninguém virá a um país onde a mensagem do governo central é: CONTAMINEN SE.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Agente infiltrado se reuniu com grupo que deu golpe da vacina em prefeituras do país

Empresa que suspeita de aplicar golpes em prefeituras na venda de vacinas contra a Covid-19 se reuniu com agente infiltrado da polícia no Recife — Foto: Pedro Alves/G1

Os sócios da empresa investigada por aplicar golpes em prefeituras com falsas vendas de vacinas contra a Covid-19 participaram de uma reunião que contou com um agente infiltrado da polícia, segundo documento ao qual o G1 teve acesso.

O esquema foi descoberto depois que a prefeitura de Barra do Piraí, no Rio de Janeiro, desconfiou que era uma fraude e acionou a polícia.

Segundo a Delegacia de Combate à Corrupção e Lavagem de Dinheiro do RJ, responsável pela investigação, não havia indícios de que prefeituras de Pernambuco tenham sido contatadas, apesar de a reunião ter acontecido no Recife.

Os sócios diziam ser intermediários de uma empresa estadunidense que seria dona de meio bilhão de doses da vacina de Oxford/AstraZeneca, por, supostamente, ter financiado os estudos para a produção dos imunizantes (veja vídeo acima).

A empresa alvo da investigação é a Montserrat Consultoria, com sede no Poço da Panela, na Zona Norte do Recife. Pelo menos 20 prefeituras de todo o Brasil podem ter sido lesadas pelos criminosos.

Como foi a reunião

O G1 teve acesso à decisão judicial que autorizou o cumprimento dos mandados de busca e apreensão nesta quinta-feira (22) em Pernambuco. Nela, o juiz auxiliar da 1ª Vara Especializada do Rio de Janeiro Bruno Monteiro Ruliere cita a reunião realizada no dia 12 de abril, após uma “carta convite” expedida pela Montserrat Consultoria.

Segundo o documento, participaram da reunião Eduardo Henrique Meneses e José Klleber Queiroz Malaquias, ambos sócios da Montserrat, além do agente infiltrado da polícia, que acompanhou o prefeito de Barra de Piraí, Mário Reis Esteves (Republicanos), que foi quem denunciou o esquema.

O encontro aconteceu em uma sala compartilhada por duas das empresas dos investigados (veja vídeo abaixo), a Montserrat Consulting e Hat Soluções Inteligentes, no edifício empresarial Casa Forte Corporate, mesmo local onde foram cumpridos mandados de busca nesta quinta-feira (22).

Os dois homens, na reunião, afirmaram ter negócio jurídico com a Oxford/AstraZeneca, “o que lhes conferiu o direito de receber vacinas contra o Covid-19 e que ora pretendem revender ao ente municipal”, disse o juiz. A fornecedora do imunizante Oxford/AstraZeneca negou qualquer negociação com os suspeitos.

Os criminosos entravam em contato com as prefeituras por e-mail ou WhatsApp e exigiam pagamento antecipado, segundo o delegado Thales Nogueira, da Delegacia de Combate à Corrupção e Lavagem de Dinheiro, do Rio de Janeiro.

“Eles entravam em contato por e-mail, por WhatsApp e depois mandavam uma minuta de contrato que exigia o pagamento antecipado ou por swift, que é uma remessa internacional, ou por carta de crédito internacional”, afirmou.

O contrato, ao qual o G1 teve acesso, apontou que seriam vendidos a Barra do Piraí 4,5 mil frascos contendo dez doses cada um. Cada frasco custaria US$ 7,90, o que daria aproximadamente R$ 44.

Nas investigações, a polícia também descobriu que esses dois sócios abriram, neste ano, duas empresas, cada uma com capital de R$ 7 milhões: VGL Administração de Participações, cujo proprietário é Eduardo Leal, e RWX Participações, de José Klleber.

O delegado Thales Nogueira afirmou que foram expedidos oito mandados de busca e apreensão em Pernambuco. Alguns deles foram em residências dos sócios da empresa, na Madalena, Zona Oeste do Recife, e num resort de luxo na Praia de Muro Alto, no Litoral Sul.

Ele disse ainda que a Ecosafe Solutions, empresa que supostamente seria detentora das vacinas, sequer aparentava ter estrutura para ser capaz de fazer esse tipo de transação.

“A empresa que ela diz representar nos Estados Unidos é uma empresa recém-criada, é uma empresa que funciona num coworking, o que não é normal pra uma empresa desse porte e várias inconsistências que levaram o Juízo da Primeira Vara Criminal Especializada do Rio de Janeiro a definir oito mandados de busca e apreensão. Tanto na sede da empresa, aqui, quanto na residência dos sócios relacionados”, afirmou.

Em Pernambuco, foram apreendidos documentos, celulares e computadores. Os donos da empresa deverão ser intimados a depor posteriormente, depois que o material recolhido for analisado.

O delegado afirmou, ainda, que as próximas fases da operação serão voltadas a identificar os municípios que podem ter sido prejudicados pelos golpistas. Entre os municípios que receberam a oferta estão Duque de Caxias e Barra do Piraí, no Rio de Janeiro, e Porto Velho, em Rondônia. Somando apenas esses contratos, o golpe renderia quase R$ 70 milhões.

Negociação com prefeituras

Caxias chegou a assinar um contrato de intenção para compra de um milhão de vacinas no valor de R$ 45 milhões, mas teria voltado atrás devido à forma de pagamento exigida pela empresa, segundo o delegado.

Porto Velho negocia há mais de um mês a aquisição de 400 mil doses. O acordo passa por uma inspeção do Tribunal de Contas do Estado de Rondônia. Ao todo, R$ 20 milhões foram investidos para a compra das vacinas. O dinheiro está bloqueado e só seria liberado com a remessa embarcada. O prefeito da cidade, Hildon Chave, afirmou que não há risco de prejuízo financeiro.

“Até agora, o que se sabe é que eles se colocavam na posição de sócios da empresa e diziam que intermediavam para uma empresa americana. Ela se diz uma empresa de tecnologia, uma empresa que trabalha com Lei Geral de Proteção de Dados, mas não localizamos nenhum contrato consistente que possa dar lastro a nenhum contrato desse, internacional”, afirmou o delegado.

O G1 tentou contato com os sócios da Montserrat Consultoria e com a Ecosafe Solutions, mas nenhum deles atendeu aos telefonemas da reportagem.

G1

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Brasil é o país das Américas com mais mortes por Covid em relação à população

O Brasil passou Estados Unidos, México e Peru nas últimas duas semanas e se tornou o país com mais mortes por Covid-19 do continente americano em relação à sua população, apontam dados do “Our World in Data”.

O Brasil tem atualmente 1.756 óbitos por milhão de habitantes e ultrapassou o México no dia 7 de abril, o Peru no dia 13 e os EUA no dia 14. Os 10 países com mais óbitos proporcionais das Américas são:

Brasil: 1.756 mortes a cada 1 milhão de habitantes

Peru: 1.722

EUA: 1.713

México: 1.646

Panamá: 1.434

Colômbia: 1.342

Chile: 1.317

Argentina: 1.310

Bolívia: 1.083

Equador: 1.003

Em termos absolutos, os EUA são o país com mais vítimas da Covid-19 do mundo (567 mil), seguido de Brasil (373 mil) e México (212 mil).

Na semana passada, com a piora da pandemia na América do Sul, o mundo atingiu a triste marca de 3 milhões de mortes por Covid-19.

A situação tem piorado na região principalmente devido ao Brasil, e a América do Sul é atualmente a região que mais registra mortes causadas pelo novo coronavírus no mundo, à frente da Europa.

Até começo de fevereiro, quando registrava cerca de 1 mil mortes por dia (um terço do que registra atualmente), o Brasil era o 7º do continente em óbitos proporcionais. Além de EUA, México e Peru, o país também estava atrás de Panamá, Colômbia e Argentina.

O país tinha também uma média de novas vítimas da Covid-19 em relação à sua população inferior à de EUA, México, Peru, Panamá e Colômbia.

Com a escalada de mortes no país, que chegou a passar de 4,2 mil em um único dia, o Brasil viu a média de mortes passar de cerca de 5 vítimas do novo coronavírus a cada 1 milhão por dia em meados de fevereiro para cerca de 13 atualmente.

Agora, além de liderar a triste marca nas Américas, o Brasil é também o 13º país com mais mortes proporcionais do mundo. Os 20 países com mais óbitos proporcionais do mundo são:

República Tcheca: 2.654 mortes a cada 1 milhão de habitantes

Hungria: 2.606

San Marino: 2.563

Bósnia e Herzegovina: 2.373

Montenegro: 2.275

Bulgária: 2.186

Macedônia do Norte: 2.132

Bélgica: 2.048

Eslováquia: 2.034

Eslovênia: 2.000

Itália: 1.933

Reino Unido: 1.878

Brasil: 1.756

Peru: 1.722

Estados Unidos: 1.713

Portugal: 1.661

México: 1.646

Espanha: 1.646

Polônia: 1.639

Croácia: 1.598

Desde o começo de fevereiro, o Brasil passou no ranking proporcional diversos países que sofreram com ondas muito fortes de Covid-19, como Portugal, Espanha, França e Suécia.

Recorde semanal de casos

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, alertou nesta segunda-feira (19) que o mundo registrou um recorde de mais de 5,2 milhões novos casos de Covid-19 nos últimos sete dias e as mortes subiram pela quinta semana seguida.

“Números grandes podem nos deixar insensíveis”, disse Ghebreyesus. “Mas cada uma dessas mortes é uma tragédia para famílias, comunidades e nações.”

Tedros relembrou que o primeiro 1 milhão de mortes por Covid-19 aconteceu após nove meses de pandemia, em setembro do ano passado. Foram mais quatro meses para o mundo chegar aos 2 milhões de óbitos, e apenas três meses para atingir a triste contagem de 3 milhões de vítimas.

G1

 

Opinião dos leitores

  1. Se nossos políticos se unissem em torno da saúde pública, não teríamos chegado a esse ponto, no entanto, ficam utilizando-te da desgraça do povo para atacarem e se promoverem, nossa classe política com raras exceções, é uma porcaria.

    1. Ainda bem que a natureza criou esse monstro do Coronavírus.
      Luiz Inácio Lula da Silva

  2. É o efeito Bolsonaro que minimiza a proporção da pandemia aliada ao negacionismo constante. País sem política pública de combate a pandemia… Esse é o reflexo.

    1. Verdade. Faltou aos governadores fazer essa política que segundo o STF a eles competiam.

    2. Os números são bem próximos. Entre os países. Não sei se vc viu. Então nada mais determinante. A culpa é exclusivamente do vírus. E veja que tem paises muito mais ricos que o Brasil e com mais mortes.. e não vejo ninguém chamando o primeiro ministro do Reino Unido de genocida

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Colégio Porto é primeiro lugar em Direito na UFRN e tem alunos aprovados em várias universidades do país

É do Colégio Porto o primeiro lugar do curso de Direito da UFRN. O estudante Vinícius da Câmara foi aprovado para um dos cursos mais concorridos da Universidade Federal. O resultado do ENEM/SISU 2020 foi divulgado na manhã desta sexta-feira (16). A escola também teve estudantes aprovados em universidades de outros estados do país, inclusive no curso de Medicina.

Além do primeiro lugar em Direito na Federal do RN, o Colégio Porto também conquistou outras vagas no mesmo curso e teve alunos aprovados em Administração, Ciências Contábeis, Engenharia Civil, Engenharia da Computação, Farmácia, Geologia, Odontologia e Ciência e Tecnologia. Ainda no Rio Grande do Norte, a escola garantiu vaga em Ciência e Tecnologia, na Ufersa e nos cursos de Medicina e Odontologia, na UNP.

Mas os bons resultados do Colégio Porto não ficaram apenas aqui no estado. Os alunos também passaram, além do ingresso pelo ENEM, em instituições de renome fora do estado, como a FGV, Insper, Mackenzie e UNIPÊ/PB, no curso de Medicina, Universidade Federal da Paraíba e Universidade Federal de Campina Grande.

“Podemos dizer que começamos muito bem, aprovando logo no início da nossa jornada o primeiro lugar no curso de Direito da UFRN, um dos mais concorridos. Nós alegra também ver nossos alunos realizando o sonho de entrar em universidades daqui e de fora do estado também. Isso mostra que a metodologia de ensino diferenciada do Colégio Porto fez toda diferença na hora do ENEM. É uma grande conquista para nossa escola que nasceu há apenas um ano”, disse o professor André Cury, um dos diretores do Colégio Porto.

Para celebrar os resultados de forma segura, o Colégio Porto vai realizar uma sessão de fotos individual, com horário agendado para cada aluno aprovado. Nesse momento eles receberão um Kit Comemorativo, com a camiseta da aprovação, boné, band-aid e petiscos, para comemorar em família.

 

 

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Ministério da Saúde já distribuiu mais de 50 milhões de doses de vacina contra a covid-19 em todo o país

Foto: © Tânia Rêgo/Agência Brasil

O Ministério da Saúde já distribuiu mais de 50 milhões de doses de vacina contra a covid-19 em todo o país desde o início da campanha. “Até o momento, mais de 31,9 milhões de doses foram aplicadas em todo o país”, informou nesta quinta-feira (15), em nota, a pasta.

A marca foi atingida nesta semana, com o envio de mais 6,3 milhões de doses aos estados e ao Distrito Federal, o que resultou em um total de 53,9 milhões de doses desde o início da campanha de vacinação.

Segundo o ministério, a remessa abrange 3,8 milhões de doses da AstraZeneca/Oxford, produzidas pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz); e 2,5 milhões de doses da Coronavac, produzida pelo Instituto Butantan – ambas produzidas no Brasil a partir de matéria-prima importada. O envio será feito “de forma proporcional e igualitária” entre as unidades federativas, a partir de amanhã (16).

“Nessa leva, parte das vacinas será destinada para a primeira dose de idosos entre 60 e 69 anos, trabalhadores da saúde e forças de segurança e salvamento e Forças Armadas”, informou o ministério. Outra parcela dos imunizantes vacinará, pela segunda vez, trabalhadores da saúde, idosos entre 65 e 69 anos, além de 100 mil moradores do Amazonas.

Agência Brasil

Opinião dos leitores

  1. Hô Véio Bom da gota serena é o Presidente Bolsonaro.
    O homem é bom, o homem é espetacular.
    MITO 2022

    1. Ministério da saúde distribui, graças ao Governo de SP e contra a vontade do Presidente…, 50 milhões de vacinas.

      Corrigindo a reportagem.

      Mas o gado pode ficar feliz no mundo de Alice.

    2. Governo de São Paulo? Kkkkk se fosse de São Paulo toda população Paulista já estaria vacinada…As vacinas são do Brasil compradas pelo governo federal. São Paulo só faz prrencher os vidrinhos com dez ou nove doses cada um.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Blogueira é presa em MG por suspeita de vender cosméticos falsificados para todo país

Blogueira é presa na Grande BH por suspeita de vender cosméticos falsificados para todo país — Foto: Polícia Civil/Divulgação/ Foto: Reprodução/Redes sociais

Quatro pessoas de uma família foram presas em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, por suspeita de falsificar cosméticos e vender os produtos adulterados para todo o Brasil. Segundo a Polícia Civil, a principal suspeita, uma blogueira com milhares de seguidores nas redes sociais, passava-se por estudante de biomedicina e dizia ter criado métodos exclusivos, principalmente para tratamento de melasmas.

Só em um dos perfis, Rafaela Braga é seguida por cerca de 70 mil pessoas. De acordo com a delegada Andrea Pochmann, a jovem, o pai, a mãe e o marido foram detidos em flagrante na semana passada durante cumprimento de mandados de busca e apreensão em endereços ligados aos suspeitos.

“É uma menina, de 21 anos, muito bonita e chamava a atenção pela questão luxuosa, pela ostentação. Ela viaja, tirava fotos, já estava com um carro de luxo e já estava residindo em uma casa também luxuosa em um condomínio de Contagem de alto padrão”, afirmou a delegada.

O esquema passou a ser investigado há cerca de 1 mês e, de acordo com a polícia, além de consumidores, empresas estão entre as vítimas. O nome dos presos não foi divulgado pela polícia.

Segundo a polícia, a jovem era dona de uma clínica de estética na cidade da Região Metropolitana. As investigações apontam que os produtos falsificados eram vendidos no estabelecimento, pela internet e também durante cursos que a suspeita ministrava de forma presencial e online.

Pelas aulas, a jovem chegava a cobrar até de R$ 5 mil. Já os kits de produtos eram vendidos por cerca de R$ 1,5 mil.

Falsificação

De acordo com a delegada, a blogueira, que atuava no ramo de estética desde os 15 anos, e os familiares agiam de várias formas na falsificação dos produtos. Em um dos endereços em que polícia esteve na semana passada, foi encontrado um laboratório clandestino.

Segundo Andrea, a jovem chegou a ter uma linha de cosméticos licenciada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), mas até mesmo esses produtos seriam alvo de adulteração.

“Ela tinha diversos métodos de falsificação. Ela adulterava, em si, o produto, colocando no produto original o rótulo dela e colocando outro cosmético lá dentro. Como ela também pegava o produto original de uma outra empresa e colocava somente o rótulo dela”, disse a delegada.

Segundo Andrea, há inclusive produtos adicionados aos cosméticos originais que ainda são desconhecidos da polícia. O material foi encaminhado para a vigilância sanitária, mas, de acordo com a polícia, há relatos de vítimas que sofreram danos com o uso dos cosméticos, como queimaduras no rosto.

Ainda conforme a delegada, para divulgar os métodos de tratamento, a blogueira postava fotos de antes depois das pessoas, mas há informações de que, muitas vezes, ela teria usado programas de edição de imagem.

Durante as investigações, segundo Andrea, a jovem negou as suspeitas e disse que tinha todas as autorizações. Após a prisão, os detidos ficaram em silêncio.

G1

 

 

Opinião dos leitores

  1. OU PAÍS para ter LADRÃOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO. ENRAIZOU e ninguém acaba mais essa RAÇA.

  2. Quem é a blogueira, qual é o produto, qual é a empresa???
    Como se proteger e parar de usar um produto que faz mal a saúde, sem saber do que se trata?

    1. Rico nesse país não tem nome nem sobrenome quando é flagrado com a mão no roubo,Sr. Luís. Se fosse pobre tinha até o fator RH exposto.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Índia supera Brasil e se torna o segundo país com mais casos de Covid-19

Foto: Niharika Kulkarni/Reuters (22.mar.2021)

A Índia relatou um recorde diário de 168.912 infecções por Covid-19, segundo dados divulgados pelo ministério da Saúde local nesta segunda-feira (12), ultrapassando o Brasil e se tornando o segundo país mais afetado globalmente pelo coronavírus.

A Índia atingiu o total de 13,53 milhões de casos, superando os 13,48 milhões de registros do Brasil, de acordo com dados da agência Reuters e da Universidade Johns Hopkins.

Os Estados Unidos lideram a contagem global com 31,2 milhões de casos.

As mortes na Índia ficaram em 904 na segunda-feira, elevando o total para 170.179.

Os Estados Unidos são o país com o maior número de mortes (562.066), seguido por Brasil (353.137) e México (209.338). Os indianos estão em quarto neste ranking.

CNN Brasil, com Reuters

Opinião dos leitores

  1. No grupin do zap bolsopetista eu tinha lido que na Índia estavam usando ivermectina até na sopa aí não aumentavam os casos e ninguém morria… O que será que houve? Devem estar tomando a ivermectina de forma errada… Ou então eh pq a cloroquina de lá eh comunista, com certeza! Kkkk

    1. Se pegar o covid, não faça como Dória que proibe o uso e imediatamente tomou ao ficar doente. Mas sei que sua capacidade mental é muito limitada, daí sua opção política. A ivermectina não é vacina, ela apenas aumenta a resistência contra atuação do vírus.
      Outro fato, você deve ter lido INFECTADOS como mortes. É facil entender sua limitação, vive de postar opiniões distorcidas.
      Desenhando: As mortes na India. mesmo com toda falta de estrutura sanitária, disponibilidade de médicos e com aglomerações, é muito, muito menor que no Brasil. Lá eles tomam ivermectina sim! Até hoje a India não fez lockdown.

    2. A gente vê claramente a limitação intelectual (associada aos maus modos) desses jagunços digitais, militância paga para defender sua “chefa” (des) governadora e atacar o “bozo genocida”. Suas intervenções NADA acrescentam. Só mentiras, distorções e narrativas fabricadas.

    3. começou com ivermectina e terminou com cloroquina? fórmulas diferentes

  2. Não vamos esquecer a célebre frase do chefe do PT.
    “Ainda bem que a natureza criou esse monstro do Coronavírus ”
    Luiz Inácio Lula da Silva, o encantador de Jumentos.

  3. bg VC DEVERIA EXPLICAR PARA SEUS LEITORES, QUE A INDIA TEM UMA POPULACÃO 6,5 MAIOR QUE O BRASIL. PARA TA PIOR QUE O BRASIL TERIA QUE TER 87,94 MILHÕES DE INFECTADOS.

    1. Vai vê que ele esqueceu de mandar 💰💰💰💰pra lá tbm.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Média de mortes por covid-19 no país recua pelo terceiro dia

Foto: © Reuters / Kai Pfaffenbach / Direitos Reservados

O Brasil registrou ontem (4) um recuo no número diário de mortes por covid-19 pelo terceiro dia consecutivo, segundo a média móvel de sete dias divulgada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). O levantamento da Fiocruz mostra que a média registrada ontem chegou a 2.747, abaixo do recorde de 3.117 óbitos apurado em 1º de abril.

Mesmo com a queda, a média diária de mortes é quase o dobro da registrada um mês antes (1.353). Também está 21,6% acima do número de 14 dias antes (2.259 óbitos).

Novos casos

O número diário de casos, segundo a média móvel de sete dias, apresentou seu quarto dia consecutivo de quedas. Ontem, a média diária chegou a 64.324, 16,6% abaixo do recorde de 77.129 registrado em 27 de março e 12,5% abaixo de 14 dias antes (73.552).

Na comparação com um mês antes, no entanto, quando foi observada uma incidência de 57.610 de casos, a média registrada ontem apresentou uma alta de 11,6%.

A média de móvel de sete dias, divulgada pela Fiocruz, é calculada somando-se os registros do dia com os seis dias anteriores e dividindo o resultado dessa soma por sete. O número é diferente daquele divulgado pelo Ministério da Saúde, que mostra apenas as ocorrências de um dia específico.

Agência Brasil

Opinião dos leitores

  1. Será “culpa” do “genocida”? E agora, o que a grande mídia militante irá noticiar? Boas notícias eles nunca exibem.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Ministério da Saúde considera região Sul epicentro da pandemia no país

VEJA REPORTAGEM EM VÍDEO AQUI

O Ministério da Saúde considera a região Sul o epicentro da crise sanitária no país. Diante deste cenário, os governadores Carlos Moisés (PSL), de Santa Catarina, Ratinho Jr. (PSD), do Paraná, e Eduardo Leite (PSDB), do Rio Grande do Sul, solicitaram à pasta que seus estados tenham prioridade na disponibilização de vacinas contra a Covid-19.

Além disso, os três governadores decidiram unir forças para combater o coronavírus. Eles fizeram um acordo para formar uma espécie de “sistema interestadual de saúde”.

Isso se dará com o compartilhamento de informações, medidas de combate e utilização de sistemas de saúde entre os estados. Eles também vão disponibilizar medicamentos, insumos e equipamentos.

Levantamento da CNN mostra que o Brasil tem pelo menos 17 unidades da federação que estão em colapso em razão da alta de demanda por vagas de alta complexidade em razão da pandemia.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Líder do governo cita número de vacinados e mortes por milhão e diz que situação do Brasil é ‘até confortável’ comparado a outros países

Foto: Reprodução/Globo News

O líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros (PP-PR), ao comentar em entrevista à GloboNews nesta quarta-feira (17) o número de mortes por milhão de habitantes no Brasil por Covid-19 e a quantidade de vacinados, disse que a situação do país “é até confortável” (veja a íntegra da entrevista mais abaixo).

O Brasil registrou na terça (16) um novo recorde negativo com 2.798 mortes pela Covid-19 em 24 horas e totalizou 282.400 óbitos desde o início da pandemia. Também desde que a pandemia começou, o país já registrou 11.609.601 casos de infecção pelo coronavírus, 84.124 deles confirmados na terça. Segundo a Fiocruz, o Brasil passa pelo maior colapso hospitalar da história.

“Olhe bem a estatística, mortes por milhão, ou seja, o cuidado do sistema de saúde com as pessoas. Reino Unido, 1.853 [mortes por milhão], em 4º lugar. Estados Unidos, 1.609 por milhão, em 11º. Brasil, 1.300 mortes por milhão, em 22º lugar”, afirmou Barros.

“Então, nosso sistema de saúde responde, está melhor no tratamento as pessoas do que a maioria dos países de primeiro mundo que estão na nossa frente em número de vacinados, mas o Brasil é o 5º do mundo em número de vacinados. Embora tenha começado mais tarde, já são 10 milhões e 300 mil vacinados e 11 milhões e 600 que já pegaram Covid e estão imunes, então, a nossa situação, ela não é tão crítica assim. Comparada a outros países, é uma situação até confortável”, completou o deputado.

De acordo com um levantamento do projeto “Our World in Data”, ligado à Universidade de Oxford, atualmente, o Brasil ocupa a 11ª posição em número absoluto de vacinados e a 89ª se levado em consideração o percentual da população que já foi vacinada. Até o momento, 4,91% da população brasileira tomou a primeira dose da vacina e 1,79% está imunizada com duas doses. Quanto ao número de mortes por milhão, o país ocupa a 23ª posição, com 1.327,28 mortes/milhão.

O ritmo da vacinação no país é considerado lento por especialistas. Se o ritmo atual for mantido, a Fiocruz prevê dois anos e meio para imunizar todos os brasileiros com mais de 18 anos; e só com a primeira dose. Em várias cidades importantes, a vacinação tem sido interrompida por falta de doses.

O Brasil já possui casos confirmados de reinfecção pela Covid-19 desde dezembro de 2020. Por isso, ter tido a doença não é sinônimo de estar imune. Casos de reinfecção da nova variante que circula no país também já foram registrados.

Novo ministro

Na entrevista, Barros falou ainda sobre o novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que já foi anunciado pelo presidente Jair Bolsonaro como o sucessor do atual ministro, Eduardo Pazuello. Queiroga e Pazuello já iniciaram uma transição no comando da pasta. Barros disse que a prioridade deve ser a aceleração da vacinação e o adiantamento da entrega de doses já contratadas.

“Tenho a absoluta convicção que ele cumprirá sua missão, senão não teria assumido o ministério. Ele sabe o que deve ser feito e tem o comando do governo central, mas sabe que a tarefa é acelerar a vacinação, negociar adiantamento da entrega de doses e trazer novos fornecedores. E com isso nós podemos avançar”, afirmou o deputado.

G1

Opinião dos leitores

  1. Esse líder é um conversador de merda, um país que é o segundo em número de mortes, tem as maiores taxas de mortalidade diárias está em situação confortável, TNC, país sem liderança, um presidente chibata, com um legislativo pior ainda e um judiciário omisso, TNC.

  2. QUE QUE EU VOU DIZER DE UMA CRIATURA DESSAS??!! ANIMAL COM CERTEZA NÃO É!!
    É BEM PROVÁVEL QUE ELE SEJA ENQUADRÁVEL NO PERFIL MONSTRO!!

  3. A curva de mortes só cresce no país, enquanto em todo o mundo que saiu na frente com a vacinação a curva é decrescente. Esse pequeno detalhe vai fazer com que se perca mais alguns milhares de vidas. Todos ficaram comovidos e triste com a morte de um negro nos EUA, ( vidas negras importam) esse era o lema. Agora milhares morrem por dia e os cabeças de vento desapareceram, essas vidas que estão sendo perdidas agora não.importam???? Que contradição dessa resto de esquerda podre que sobrou.

  4. "11 milhões e 600 que já pegaram Covid e estão imunes." Não é bem assim, MESMO. Já foi provado que ter tido a doença não garante imunidade.

  5. Os imbecis nao se dao conta que nossa população de idosos, idade mais afetada pela pandemia, é muito menor que na Europa e USA mas sempre há alguém para tentar acobertar o desastre dessa pandemia no Brasil do gado.

  6. Interessante que ao falar sobre a vacinação ele nem usa o critério da porcentagem por milhão…

    1. Uma coisa é constatação outra é dizer que a situação é confortável, mesmo que em dados fosse, não é!!

  7. Os asseclas do jumento do Bozo são todos desprovidos, o que assumiu o MS já disse que seguirá à política do presidente no que tange à saúde, só tem LAGARTIXA. Jesussssssssssss

  8. O amigão do sogro do Laranjinha dando continuidade ao modo sabujo de administrar iniciado pelo general lambedor de botas.

  9. É muita falta de empatia desse energúmeno, mais de 2.800 no único dia e essa coisa solta uma piada desse nível.

  10. Políticos do centrão são capazes de tudo, exceto de acompanhar governantes ( presidente), em processo de autocombustão.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Projeto para conectar maiores trilhas do país de Norte a Sul pode ter mais de 10 mil quilômetros

Foto: Rede Brasileira de Trilhas / Instagram / Reprodução

Trilhas que conectam o Brasil de Norte a Sul e de Leste a Oeste, passando pelos diversos biomas presentes no território nacional. Esta é a proposta da Rede Brasileira de Trilhas de Longo Curso, projeto que nasceu em 2018 no ICMBio. O objetivo é criar uma rota nacional de 10,5 mil quilômetros que cubra todo o país, mas que pode ser “recortada” para ser feita em partes, nos moldes de circuitos que existem nos EUA e na Europa.

— Uma trilha de longo curso nacional será composta por um cardápio variado de opções, que podem caber em férias de um mês, como o Caminho das Araucárias (entre Canela, no RS, e o Parque Nacional de São Joaquim, em SC), ou num período de duas semanas, como a Trilha Transcarioca, de 180 quilômetros, que percorre toda a cidade do Rio, saindo de Barra de Guaratiba até o Morro da Urca, e passando por sete parques naturais — afirma Pedro da Cunha e Menezes, diretor da Rede Brasileira de Trilhas.

Alguns trajetos já existiam, e outros estão sendo adicionados. Ao todo, três mil quilômetros já podem ser explorados a pé ou de bicicleta no país.

— A criação de trilhas é uma importante ferramenta para a preservação do meio ambiente e para a geração de renda das populações locais, principalmente nos serviços de apoio ao turista, favorecendo o desenvolvimento sustentável — ele salienta.

Um dos exemplos de sucesso é o Caminho de Cora Coralina, com 302 quilômetros, entre Goiás Velho e Corumbá de Goiás, passando por cinco unidades de conservação e sete cidades, implementado em 2018. Mais informações em redetrilhas.org.br.

O Globo

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Megaoperação de combate à violência contra mulheres prende 764 suspeitos em todo o país

Munição e revólver apreendidos durante operação Resguardo, em Goiás — Foto: PCGO/Divulgação

Polícias civis estaduais prenderam 764 suspeitos de praticar crimes de violência contra mulheres nesta segunda-feira (8) – Dia Internacional da Mulher –, na Operação Resguardo, segundo o Ministério da Justiça. “A maioria dos mandados cumpridos durante a operação são de presos que estavam foragidos, ou de pessoas que estavam em liberdade”, disse a pasta.

Ao todo, 16,2 mil policiais estão nas ruas. O ministério não informou os estados onde os suspeitos foram detidos, mas disse que “há participação das 27 unidades da federação” na operação. As prisões ocorreram no cumprimento de mandados e em flagrante.

Balanço do Ministério da Justiça, divulgado às 12h, mostra que a operação resultou no atendimento de 6.396 vítimas, na confecção de 4.115 medidas protetivas e na apuração de 1,4 mil denúncias. Além disso, 4.698 inquéritos foram instaurados e 53 armas apreendidas.

Segundo o ministério, a Operação Resguardo ocorre desde 1º de janeiro e, neste período, levou à prisão de quase 9,1 mil pessoas, além da investigação de 46,7 mil denúncias (veja números abaixo).

Denúncias apuradas: 45.722

Presos (flagrantes e mandados): 9.181

Medidas protetivas: 56.414

Vítimas atendidas: 168.866

Armas apreendidas: 1.226

Visitas e diligências: 70.090

De acordo com Rodrigo Hauer, chefe de gabinete do Ministério da Justiça, essa foi a maior ação já realizada com foco no combate à violência contra a mulher. “Operação contou com policiais civis de todos os estados, mais de 45 mil denúncias apuradas”, disse.

Jeferson Lisbôa, secretário de operações integradas do Ministério da Justiça, afirmou que mais investigações desse tipo serão feitas. “Isso vai se tornar uma operação de rotina. Hoje é uma data comemorativa, mas vamos transformar ações de defesa à mulher em rotina”, comentou.

Mandados

A operação ocorre de forma integrada entre as forças de segurança do país. Em Roraima, por exemplo, os investigadores prenderam sete pessoas nesta segunda. Mandados de prisão também são cumpridos em pelo menos outros cinco estados: Rio de Janeiro, Paraná, Rio Grande do Sul, Sergipe e Bahia.

No Rio Grande do Sul, são 39 ordens de busca e apreensão, 14 de prisão preventiva e 10 de verificação de medida protetiva de urgência. Até às 7h, no Rio de Janeiro, 25 homens haviam sido presos. Os crimes cometidos por ele são estupros, agressões e não pagamento de fiança.

G1

Opinião dos leitores

  1. Cadeia nesses vagabundos! Homem que bate em mulher não vale NADA! São verdadeiros vermes nessa sociedade.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Megaoperação em todo o país combate crimes contra as mulheres

Cerca de 12 mil policiais civis de todo o Brasil estão participando, nesta segunda-feira (8), de uma megaoperação de combate a crimes contra a mulher. Coordenada pela Secretaria de Operações Integradas, do Ministério da Justiça e Segurança Pública, a Operação Resguardo acontece em mais de 1,8 mil cidades dos 26 estados e do Distrito Federal, no Dia Internacional da Mulher.

Segundo o ministério, o objetivo é localizar e deter suspeitos de ameaças, tentativas de feminicídio, lesão corporal, descumprimentos de medidas protetivas, estupro, importunação, entre outros crimes contra as mulheres. A ação visa, ainda, ao fortalecimento da atuação conjunta entre governos federal e estaduais, conforme estabelece o Sistema Único de Segurança Pública (Susp).

A operação começou a ser delineada em janeiro deste ano, com a análise de diversas denúncias, instauração de inquéritos policiais e levantamento de mandados judiciais. Desde então, quase 46 mil denúncias foram apuradas, aproximadamente 60 mil inquéritos foram instaurados e em torno de 68 mil diligências foram cumpridas em todas as unidades da federação.

No período, mais de 165 mil vítimas foram atendidas e cerca de 9 mil pessoas foram presas, sendo que ao menos 638 delas foram detidas hoje até as 10h30. O Ministério deve divulgar o balanço final da operação em todo o país no fim da tarde.

No Twitter, o Ministro da Justiça, André Mendonça, classificou a iniciativa como “a maior ação da história [do país] no combate a crimes contra as mulheres” e desejou que a operação seja “um marco” no enfrentamento a esses crimes.

Agência Brasil

Opinião dos leitores

  1. Estou profundamente desconfiado com ZeGado, fazendeiro, comedor de picanha, amigo compadre de Nove Dedos, bebedor de Haineken, admirador dos dedos de Anita (será fetiche?), ele ultimamente tem falado muito em rapazes, amoroso……….amigo……"quem disso cuida, disso usa", saia dessa.

    1. Segundo seu corrupto de estimação, o molusco de 19 tentáculos: Chama feministas do PT de ‘mulheres do grelo duro’. Mas os ASNOS aplaudem, hipocrisia sobra e que falta mesmo em vocês é a honestidade.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Bolsonaro lidera com folga em MG, segundo maior colégio eleitoral do país, mostra pesquisa

O presidente Jair Bolsonaro, durante inauguração de obra em Sertânia (PE) Presidência da República/Divulgação

O presidente Jair Bolsonaro lidera com ampla vantagem todos os cenários para a disputa presidencial de 2022 em Minas Gerais, o segundo maior colégio eleitoral do país (o primeiro é São Paulo), de acordo com levantamento do instituto Paraná Pesquisas feito entre os dias 18 e 22 de fevereiro.

No primeiro cenário, com Fernando Haddad como o candidato do PT, Bolsonaro recebe 35,6% das intenções de votos, ficando bem à frente do segundo colocado, Sergio Moro, seu ex-ministro da Justiça, que tem 11%. Em seguida, com 9,5%, aparece Ciro Gomes (PDT), seguido pelo petista, com 8,4%. Haddad disputou a eleição de 2018 e chegou ir para o segundo turno com Bolsonaro. Já Ciro ficou em terceiro lugar.

Na sequência aparecem o apresentador Luciano Huck, com 7,6% das intenções de voto, que não é filiado a nenhum partido e ainda não confirmou se será candidato; o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), com 4,7%; o empresário João Amoêdo (Novo), com 3,7%, e o líder do movimento sem-teto Guilherme Boulos (PSOL), com 1, 7% . Não souberam ou não responderam 4,5% dos entrevistados, enquanto 13,2% disseram que pretendem votar em branco, em nenhum ou anular o voto.

Em outro cenário, com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como o candidato do PT, Bolsonaro continua na frente com folga, mas a vantagem diminui: ele aparece com 34,8% das intenções de voto, mais que o dobro do petista, o segundo colocado, com 17,1%.

Na sequência, Moro aparece com 10% das intenções de voto, seguido por Ciro (7,3%), Huck (6,1%), Doria (4,3%), Amoêdo (3,6%) e Boulos (1,5%). Não souberam ou não responderam 3,7% dos entrevistados. Já outros 11,6% dos consultados na pesquisa disseram que pretendem votar em branco, em nenhum ou anular o voto.

Veja

Opinião dos leitores

  1. Choooooraaaaa esquerdalha!!!! Não é só a petralhada. É MBL, frente ampla, o que vier perde. Não tem adversário. O marreco vai pra cadeia.
    Cadê os eleitores de moro e mandetta?

  2. Pois então corra e vá ser candidato ao governo de Minas, pois a peia no resto do país é grande. E meso assim 35% é muito pouco para quem em um eventual segundo turno não agrega mais ninguém.

  3. É comum a memória curta de uns.
    O candidato estava hospitalizado após a facada quase mortal em plena campanha eleitoral.
    O criminoso é Adélio. Lembram. Daí não participou dos debates.
    Aguardemos os de 2022.

    1. Bolsonaristas sempre tentando reescrever a história. O motivo da não participação de Bozo nos debates NÃO foi a fakada. Ele se negou a participar depois de admitir que não entendia nada de economia. Aliás não entende nada de qualquer outro assunto, não tem civilidade para participar de discussão (veja comportamento recente com a imprensa) e sabe que quando abre a boca não tem compromisso nem com a coerência nem com a verdade. Vejamos os debates na próxima eleição, duvido que participe.

  4. Não adianta essa pesquisa, a esquerda não acredita em nada que seja diferente da diminuição dos votos de Bolsonaro. Eles negam todo e qualquer fato que seja positivo para direita. Seguindo em frente, deixa eles com as versões e vamos com a realidade, que é muito maior que os 57 milhões de votos que teve em 2018. Goste ou não a esquerda, com todo boicote da mídia, com toda campanha difamatória de alguns meios de comunicação, com toda oposição que ele recebe pelo aparelhamento estatal.

  5. Na hora H o novo presidente surgirá.Estas avaliaçoes por telefone são feitas de forma irresponsável,não existe sigilo.
    Muita água vai passar por baixo da ponte…

  6. Definitivamente, Moro vai p o 2o turno, e com o 2o turno, se não houver outra facada, e Bolsonaro será obrigado a falar, aí são favas contada. Pela 1a vez na história, teremos um presidente que mudará a história do Brasil, e a riqueza de nossa nação realmente estará a disposição do povo brasileiro, e não na mão dos corruptos, q ao longo dos tempos tem surrupiados da grande maioria do nosso povo. MORO 2022!

    1. Claro,mas antes a populacão tem que assistir a apenas um debate.Mas Moro deve estar se preparando,precisa.Ele não tem o rabo preso com a extrema direita e muito menos com a esquerda

    2. Na eleição passada o presidente fugiu dos debates por não ter nem saber o que dizer. Como será na próxima em que, espera-se, ele não fuja de suas responsabilidades? É bom ele ir se preparando.

  7. Seria interessante que o STF ( Supremo Tribunal da Furnicação) liberasse o presidiário, condenado, cachaceiro e bandido de Nove Dedos para concorrer, pois só assim, sepultaríamos, de uma vez por todas, com o famigerado PT.
    Chupa esta manga!
    Bolsonaro Forever

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Gasolina e diesel alcançam os maiores preços médios já vistos nos postos do país

Foto: Marcello Casal/Agência Brasil

A gasolina e o diesel registram os maiores preços médios já vistos nas bombas dos postos de todo o Brasil. Na semana passada, a média nacional do preço da gasolina chegou a R$ 4,92 por litro, de acordo com dado mais recente da Agência Nacional de Petróleo (ANP). Isso representa 8% a mais que em fevereiro do ano passado, pouco antes de a pandemia de coronavírus se alastrar pelo mundo e derrubar as cotações do petróleo e dos combustíveis a seus menores níveis em anos.

Com a recuperação rápida dos preços globais da commodity e piorada por um dólar que também disparou, a gasolina brasileira saltou para os valores recordes de agora.

A maior média registrada anteriormente havia sido de R$ 4,72 por litro, em outubro de 2018, poucos meses depois da greve dos caminhoneiros que paralisou o país por duas semanas em maio daquele mesmo ano. Os valores não consideram a correção pela inflação do período.

Os preços dos combustíveis são acompanhados semanalmente pela ANP em mais de 2.000 postos em todos os estados, desde 2004. No mais caro deles atualmente, no Acre, já tem gasolina sendo vendida a R$ 6 o litro (veja o preço por estados mais abaixo).

Diesel passa de R$ 5

Nas bombas do diesel, a situação não é muito diferente. O combustível que abastece os caminhões está 2% mais caro que há um ano, antes da crise do coronavírus, e 0,8% acima do pior momento de maio de 2018, quando a escalada rápida no preço fez estourar a greve da categoria. As variações também não consideram a inflação do período.

Os aumentos são mais brandos, mas suficientes para que o combustível também tenha, hoje, o maior preço já capturado pela ANP em termos nominais. Na última semana, o preço médio do litro do diesel no país estava em R$ 3,88. O valor mais caro encontrado na semana, também no Acre, chegou a R$ 5,25.

Em maio de 2018, recorde anterior, o preço médio do diesel no país bateu R$ 3,83, e o posto mais caro chegou a cobrar R$ 5,20 pelo litro do combustível naqueles meses. Uma alta sincronizada do barril no mundo e do dólar no Brasil também foi a responsável por uma arrancada rápida nos preços dos combustíveis no começo daquele ano.

Dólar caro e petróleo em alta

O preço da gasolina e do diesel no país é definido pela Petrobras, que domina o mercado de combustíveis domésticos, com base no preço do barril de petróleo no mercado internacional e na cotação do dólar: quando uma ou as duas coisas sobem, o preço dos combustíveis sobe também.

Essa política de paridade passou a ser seguida pela estatal em 2016, no governo de Michel Temer, depois que o governo de Dilma Rousseff passou os anos anteriores mantendo os preços internos mais baixos do que os que eram pagos lá fora. Os congelamentos colaboraram para os quatro anos seguidos de prejuízo que a petroleira teve até 2017.

O barril do petróleo hoje é negociado na faixa de US$ 60 no mundo, depois de ter desabado aos US$ 20 nos piores momentos do ano passado. Ele já foi mais caro. Em 2008, por exemplo, chegou a passar dos US$ 100. Mas, dentro do Brasil, o custo era ajudado por um dólar extremamente barato, abaixo dos R$ 2.

Agora, o barril em alta encontra um dólar também alto, na casa histórica dos R$ 5,40, e foi essa sincronia de aumentos que levou às escaladas rápidas dos preços nas refinarias vistas nos últimos meses. Só neste ano, o preço da gasolina vendida pela Petrobras já subiu 34%, acompanhando um petróleo que também ficou 30% mais caro lá fora, em dólar.

Crise política na Petrobras

Na semana passada, a Petrobras anunciou um aumento de 10% na gasolina de uma só vez. No diesel, o reajuste foi de 15% no mesmo dia. O aumento foi o estopim para que o presidente Jair Bolsonaro anunciasse em poucas horas o corte de impostos sobre o diesel, em uma live, e a troca do comando da estatal, por um post no Facebook.

O corte de impostos pode reduzir o preço do diesel entre 8% e 10% por dois meses, mas deve custar mais de R$ 3 bilhões aos cofres públicos, buraco que ainda não foi explicado pelo governo como será tapado.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. O presidente vem fazendo a sua parte, isentou por 2 meses pis/confins do diesel, tem um projeto para unificar o ICMS no país, já deu o prazo de um mês para que os postos informem os ganhos de cada um dentro do processo da distribuição a venda, trocou o presidente da Petrobrás que só visava o lucro, essa dele falar que a greve dos caminhoneiros não era problema da Petrobrás, fechou o caixão dele, que não teve sensibilidade para o momento que o país atravessa.
    Aguardem que vem muito mais por aí o presidente corre na frente e quer o melhor para a nossa nação.

  2. Não acredito que vcs, extremamente inteligentes, votem no atual presidente, não votaram antes e não vão votar mesmo, não precisa, a pisa já aconteceu com 57 milhões de votos, vcs vão continuar votando em que furou a venta de vcs e puxa para todo canto, questão de doutrinação e falta de senso crítico, cegueira e burrice mesmo. Ele, nove dedos. além de contribuir com a quase quebra da empresa, ainda plantou seus macacos lá, e não serão ínfimos dois anos tempo necessário para desfazer o desmantelo de 16, 14 de vcs e dois anos do ex sócio Temer, podem torcer e votar contra, olhe para trás e vejam como as esquerdas Unidas vem subindo nas pesquisas, eleições de prefeituras e governos. Vcs precisam entender que é ideia política da sua turma se esfacelou na história do mundo, basta ler (se é que conseguem) um pouco e ver o sucesso do que desejam como sonho, por sinal, sonhar é salutar, dele vivemos. Vcs sonham de um lado a maioria sonha do outro, para isso serve a democracia que tanto detestam.

  3. O MITO vai arrumar a Petrobrás que estava cheia de parasitas petralhas.
    O General Azevedo e Luna arrumou Itaipu e com 2,5 bilhões que conseguiu economizar, fez obras importantes.

    1. Se está assim, qual a razão dos partidos de esquerda correr com ações para impedir a mudança na Petrobrás? O que tem ali que só alinhados a esquerda podem assumir a presidência?
      Quando os ex presidentes da Petrobras, escolhidos entre 2002 e 2016 foram condenados por corrupção, ninguém reclamou. Precisa desenhar?

  4. Ei amigo, vc entende que a briga é exatamente para tirar esse poder de mando da Petrobras? Hoje, essa empresa infestada de pelegos, salários estratosféricos, "dona de suas ventas", faz o que quer, isso precisa acabar.

    1. Eu não entendo a profundidade da lógica de um esquerdopata… senão vejamos: Se o presidente interferir comete "crime de responsabilidade", mas, ao mesmo tempo, o que ocorre na Petrobras é culpa dele? Vocês se decidam, isso é coisa de quem tem deficiência cognitiva (retardado, antes do politicamente correto).

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Veja lista das ocupações com os 100 maiores e menores salários de contratação no país em 2020

Os cargos de direção executiva e atividades ligadas a áreas como finanças, engenharia, tecnologia da informação e saúde tiveram os maiores salários médios de contratação com carteira assinada no país em 2020, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério da Economia.

Diretor de produtos bancários e diretor de riscos de mercado foram as ocupações com maior salário médio de admissão em 2020, passando dos R$ 30 mil.

Enquanto isso, o salário médio de contratação no país ficou em R$ 1.777,30 em 2020, chegando a R$ 2.152,35 na administração pública.

Veja no quadro abaixo os salários médios de admissão por atividades econômicas no período de janeiro a dezembro de 2020 e a variação em relação a 2019:

Foto: Economia G1

Os salários médios se referem especificamente ao valor de remuneração dos profissionais contratados no ano e não podem ser usados como média salarial da ocupação, ressalta o governo.

O Brasil criou 142.690 postos com carteira assinada em 2020, segundo dados do Caged divulgados na semana passada pelo Ministério da Economia.

Veja os 100 cargos com maiores salários:

(mais…)

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *