VEREADOR: Cidades do RN e PI têm 9 vagas e só 10 candidatos, destaca reportagem nacional

Foto: Aparecido Gonçalves/G1

A eleição mais concorrida para vereador neste ano será em Nova Iguaçu (RJ), que tem uma relação de 40,7 candidatos por vaga. Já as menos disputadas serão em Curral Novo do Piauí (PI) e em Viçosa (RN), com apenas 1,1 candidato para cada vaga.

Ao todo, serão 501.799 candidatos a vereador disputando 58.208 vagas. É uma relação de 8,6 candidatos por vaga. O levantamento considera apenas os concorrentes considerados aptos pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A quantidade não significa democratização, segundo o cientista político Vitor Peixoto. “As eleições proporcionais são como as maratonas de rua. Uma multidão de corredores amadores e uma pequena elite do esporte. Quando olhamos a São Silvestre, parece que todos estão ali com possibilidade de correr, mas somente uma elite muito reduzida chegará ao final.”

Em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, serão 448 candidatos para 11 vagas na Câmara Municipal.

A Região Metropolitana do Rio tem 4 das 10 eleições mais disputadas para vereador. Completam a lista: São Gonçalo, com 39,4 candidatos por vaga; Japeri, com 35; e a capital, com 34,1.

Menos concorridas

Já Piauí, Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul dominam a lista das 10 eleições menos concorridas. Cada estado tem três cidades na lista.

Em Curral Novo do Piauí (PI) e em Viçosa (RN), a corrida eleitoral terá a inusitada situação em que apenas um candidato sairá perdedor. Isso porque serão 10 concorrentes para 9 vagas.

Pequenas são maioria

A maior parte das Câmaras municipais tem o número mínimo de vereadores: 9. Isso porque as vagas são limitadas pelo tamanho da população e a maioria dos municípios brasileiros tem entre 10 mil e 20 mil habitantes.

‘Falsa democratização’

O grande número e a variedade de candidatos não significa maior democratização das eleições, afirma o professor da Universidade Estadual do Norte Fluminense Vitor Peixoto. Isso porque os recursos de campanha e os votos continuam muito concentrados, explica o cientista político.

“A enorme desigualdade econômica da sociedade brasileira é reproduzida na arena eleitoral. Muitos candidatos com poucos votos e uma elite que realmente disputa as vagas”, afirma o especialista.

“Existe uma falsa ideia de democratização na disputa para vereador por ser muito inclusiva e ter muitos participantes de diversas clivagens sociais (classe, gênero, cor, religião, regiões, torcidas de futebol etc.), mas esconde o lado extremamente concentrado das disputas”, explica. “80% a 90% dos candidatos não conseguirão ultrapassar a barreira individual dos 10% do quociente eleitoral pra assumir uma vaga. Ou seja, serão subcompetitivos.”

De acordo com Vitor Peixoto, o grande número de candidatos é até prejudicial para o eleitor, pois aumenta o custo para obter informação sobre cada um. Além disso, como os partidos têm listas de candidatos muito grandes, o voto pode ir para um candidato que não é do interesse do eleitor.

“O número é muito excessivo. A longo prazo, acho que isso (a redução) vai ocorrer, com a diminuição dos partidos, a partir do fim da coligação eleitoral. A tendência é afunilar, para a gente ter capacidade cognitiva para tomar a decisão diante de tantos candidatos. A gente não sabe quais são todos os candidatos que estão na lista dos partidos.”

G1

Cresce 60% o número de cidades com mais eleitores que habitantes, aponta levantamento da Confederação Nacional de Municípios

Foto: © Marcelo Camargo/Agência Brasil

O número de municípios com mais eleitores que habitantes aumentou na comparação com o cenário visto nas eleições de 2018. Segundo levantamento feito pela Confederação Nacional de Municípios (CNM), desta vez são 493, 8,8% das cidades brasileiras. Em 2018, quando 308 cidades do Brasil registraram essa inversão, o aumento foi de 60%.

O estudo foi feito a partir do cruzamento de dados da base de eleitores do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com a população oficial calculada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O estado com o maior número em termos percentuais é Goiás (22,76%), seguido do Rio Grande do Norte (17,9%) e da Paraíba (14,8%).

Proporcionalmente, a cidade que lidera a lista nacional de municípios com mais eleitores do que habitantes é Severiano Melo (RN). Lá, segundo estimativa do IBGE, são 2.088 habitantes, já os dados do TSE apontam 6.482 eleitores aptos a votar, o número é três vezes maior que a quantidade de habitantes.

Em números absolutos, na liderança da lista nacional de municípios com mais eleitores que habitantes está o município pernambucano de Cumaru,no Agreste do estado. Segundo o IBGE, ele possui 10.192 moradores, já o TSE aponta que há na cidade 15. 335 cidadãos aptos a votar este ano.

Justificativa

A diferença, segundo o consultor da área técnica, da CNM, Eduardo Stranz, pode ser justificada por desatualizações nas estimativas de população feitas pelo IBGE, fraudes e , especialmente, por questões afetivas. “Existe uma ligação muito grande das pessoas com as cidades onde elas nasceram, sobretudo nesses municípios pequenos. Elas migram para cidades maiores, regiões metropolitanas ou cidades-pólo em busca de emprego ou estudo, mas não transferem seus títulos eleitorais, isso é muito comum”, avaliou.

Stranz, que há mais de 30 anos trabalha com municípios, lembrou ainda que em cidades menores a disputa política é muito acirrada e as pessoas nascidas nessas localidades têm sempre algum grau de parentesco com os candidatos o que, segundo ele, também contribui para que elas não transfiram seus títulos.

Dados IBGE

Outro ponto que deve ser levado em conta é a defasagem nos dados sobre a população brasileira. “Isso está mais evidente agora, em 2015. Segundo o Plano Nacional de Estatística, o IBGE teria que ter feito uma contagem populacional para ajustar a fórmula que calcula essa estimativa, mas isso não aconteceu sob o argumento de falta de verba”, explicou o especialista.

O Brasil adota uma das seis fórmulas utilizadas no mundo para estimar a população . A equação, que projeta o número de habitantes a partir de dados do Censo Demográfico, tem eficiência por quatro anos, no quinto ano, é preciso recontar a população para ajustar a fórmula. “Como não foi feito isso, as populações estimadas a partir de 2015 têm tendência mais ao erro que acerto. Isso também pode ser importante nessa diferença”, destacou Eduardo Stranz.

Fraudes

Questionado se o número maior de eleitores em relação aos habitantes em determinadas cidades não pode significar fraude, o consultor disse que sim, mas que casos de curral eleitoral são pontuais. “Hoje em dia isso é cada vez menos comum. As pessoas têm muito mais acesso à informação, discussão política. Olhando o perfil dessas cidades, fica mais evidente a ligação das pessoas com sua terra natal.

Revisão

Nos casos em que há muita discrepância entre eleitores e habitantes ou que há um aumento da transferência de domicílios, a Resolução 22.586/2007, do TSE, determina que seja feita uma revisão do eleitorado sempre que for constatado que o número de eleitores é maior que 80% da população, que o número de transferências de domicílio eleitoral for 10% maior que no ano anterior, e que o eleitorado for superior ao dobro da população entre 10 e 15 anos, somada à maior de 70 anos no município.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Luciano Brito disse:

    O famoso trabalho de Formiga antecipado, leva os eleitores pra cidades pequenas bem antes das eleições, Me ajuda, se eu ganhar eu te ajudo.

  2. Procópio Netto disse:

    "Para o TSE, o conceito de domicílio eleitoral envolve também o vínculo político, familiar, afetivo, profissional, patrimonial ou comunitário do eleitor com a localidade onde pretende exercer o direito de voto. Na prática, isso quer dizer que quem está morando em outra cidade a estudo ou a trabalho não está obrigado a transferir para aquela cidade seu domicílio eleitoral se o seu vínculo afetivo, familiar, político ou outro é maior com o da sua cidade de origem." (Fonte: Site do TSE)
    Por esse entendimento existem pessoas que possuem domicílio eleitoral em uma cidade e residência em outra, o que pode criar divergências entre o número de habitantes e o número de eleitores.

  3. Ivis Carvalho disse:

    Não constitui fraude. Na grande maioria das cidades pequenas isso ocorre pq os jovens saem em busca a de empregos em centros maiores, mas continuam votando em sua terra Natal. Ninguém(ou quase ninguem), quer votar em outra cidade que não seja a sua!!!!

    Quando ocorre fraude, é um percentual desprezível…

SÓ PRECISAM DE UM VOTO PARA VENCER O PLEITO: Quatro cidades do RN têm apenas um candidato a prefeito nas eleições de 2020

Quatro dos 167 municípios do Rio Grande do Norte possuem apenas um candidato disputando o cargo de prefeito, nas eleições deste ano, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Em Frutuoso Gomes, Serrinha dos Pintos, Tenente Ananias e Viçosa, todos no Oeste, os postulantes não têm opositores e só precisam de um voto para vencer o pleito.

De acordo com levantamento do G1, a situação se repete em 107 municípios brasileiros. Este ano, o número de cidades com candidatos únicos no país é um pouco maior do que o registrado em 2016, quando a Justiça Eleitoral notificou 95 casos desse tipo. Em 2012, foram 108 ocorrências.

Com informações do G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. ELTON OLÍMPIO disse:

    Sinal de uma boa administração, quando até os adversários recomecem que não têm chance.

  2. Tarcísio Eimar disse:

    Imaginem o cenário de somente um candidato com opção q só terá somente só o seu próprio voto e seja um cabra de peia, q ninguém aceite e todos votem nulo, mesmo assim ele se elegerá. É muita bagunça nesse país

  3. Bruno Rodrigues disse:

    Serrinha dos Pintos deveria fazer parte da cidade de Martins.

  4. jo disse:

    Os entendedores entenderão que votar branco ou nulo não anula a eleição

  5. isabele araújo disse:

    Se não estou enganado, pela lei, precisa que 50% da população mais 1 vote, pois se isso não ocorrer o pleito sera anulado.

    • Marcelo disse:

      Acredito que seria 50% + 1 dos votos válidos. Esses candidatos(as) terão 100% dos votos válidos mesmo apenas ele(a) votando.

  6. Edison Cunha disse:

    Isso é um absurdo!
    Nesses casos, as eleições deveriam ser canceladas e marcado uma nova data.

    • Souza disse:

      Na verdade o município deveria ser extinto e anexado a outro.

    • Deco disse:

      Se cancelar e marcar uma nova data corre o risco de não ter nenhum candidato. Kkkkkkk

Cidades de Minas flexibilizam comércio e hotéis poderão abrir

Foto: Divulgação / Parque do Avestruz Hotel Fazenda

As cidades de Itaúna, a 87 km de Belo Horizonte e Esmeraldas, na região metropolitana da capital, anunciaram a abertura de comércios locais que haviam sido fechados como forma de prevenção à propagação do novo coronavírus.

O novo decreto desses municípios permite que os serviços de hotéis, pousadas e equivalentes possam retornar as atividades.

Na cidade de Esmeraldas, o Parque do Avestruz Hotel Fazenda realizou adaptações para receber os hóspedes com maior segurança.

De acordo com Fabiana Silveira, diretora comercial do hotel as mudanças foram pensadas antes da flexibilização da prefeitura. O estabelecimento voltará a funcionar a partir do dia 1º de maio e, segundo ela, medidas de segurança serão adotadas.

— Nesses últimos dias estamos realizando os ajustes. Nossos colaboradores já estão em isolamento e estamos preparando o restaurante para receber os hóspedes respeitando as orientações dos órgãos de saúde.

Áreas comuns foram fechadas e os hóspedes poderão realizar atividades individuais como caminhadas, passeio à cavalo, pesca, dentre outros.

R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. FRASQUEIRINO disse:

    Pelo teor da reportagem, com as medidas tomadas mais parece uma prisão de luxo. Difícil vai ser encontrar quem vai querer se hospedar com a falta de dinheiro e a crescente epidemia do CV.

  2. Flaus Henrique disse:

    Eu só queria saber o q passa na cabeça de um dono de hotel que resolve abrir o comércio em uma situação dessas, vai abrir? Vai, mas quem danado vai passear e se hospedar fora de sua casa na hora em q o mundo passa por uma Pandemia? Eu sinceramente não tenho coragem jamais de fazer algo parecido.

Dos 82 casos confirmados de coronavírus no RN, Natal registra 42, Mossoró 17 e Parnamirim 10; veja demais

Segundo boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), nesta terça-feira(31), os casos confirmados de coronavírus no Rio Grande do Norte dividem-se da seguinte maneira:

Natal (42), Mossoró (17), Parnamirim (10), Assú (1), Apodi (1), Caicó (1), Carnaubais (1), Luís Gomes (1), Macaíba (1), Monte Alegre (1), Passa e Fica (1), São Gonçalo do Amarante (2), São José de Mipibu (1), Tibau (1).

VEJA MAIS – Boletim atualizado- casos de coronavírus no RN: 82 confirmados, 1836 suspeitos e 405 descartados e 01 óbito

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Nilson Bezerra disse:

    BG, Os pacientes que estão curados não saí dessa estatística?

Cidades com mais de 50 mil habitantes terão de usar pregão eletrônico; obrigação vale para compras com recursos de convênios com União

 

Ver essa foto no Instagram

 

Mais uma medida para transparência: as 665 cidades brasileiras com mais de 50 mil habitantes terão que aderir às novas regras do pregão eletrônico quando forem utilizar recursos da União vindos de transferências voluntárias. Essa iniciativa do Governo Bolsonaro tem o objetivo de ampliar a concorrência nas licitações públicas e permitirá que empresas de todo o Brasil participem destes processos realizados pelos municípios. Tal iniciativa é também uma forma de combater a corrupção. Com a ampliação da obrigatoriedade dessa modalidade, o cidadão poderá acompanhar o andamento das aquisições municipais, o que amplia a transparência e o controle dos gastos. A medida vale para a aquisição de bens e contratação de serviços comuns e já está em vigor. Fonte: @ministeriodaeconomia ( @secomvc )

Uma publicação compartilhada por Jair M. Bolsonaro (@jairmessiasbolsonaro) em

A partir desta semana, os municípios brasileiros com mais de 50 mil habitantes terão de usar o pregão eletrônico para comprar bens e serviços com recursos de convênios com a União e demais transferências voluntárias. A nova regra abrange 665 cidades e vale para a aquisição de mercadorias e de serviços usados no dia a dia. Apenas as obras estão fora dessa modalidade de contratação.

Em 6 de abril, o pregão eletrônico se tornará obrigatório nos municípios de 15 mil a 50 mil habitantes. Em junho, será a vez de as cidades com até 15 mil moradores adotarem o sistema. O cronograma foi estabelecido pela Instrução Normativa 206, editada em outubro do ano passado, pelo Ministério da Economia. Desde outubro, a obrigação vale para os estados e o Distrito Federal.

Segundo o secretário de Gestão do Ministério da Economia, Cristiano Heckert, o pregão eletrônico aumenta a economia de recursos públicos de duas maneiras. A primeira é a ampliação da concorrência. Ao permitir a participação de empresas de todo o país nas licitações, o sistema aumenta a oferta.

“Em vez de comprar apenas na região, a prefeitura pode comprar de todo o país, escolhendo o preço mais vantajoso”, explica Heckert. Segundo o secretário, caberá ao fornecedor oferecer o frete mais barato e o menor preço, no caso de uma prefeitura adquirir bens de regiões distantes. “A responsabilidade, que muitas vezes era do Poder Público, passa para o vendedor”, acrescenta.

A segunda vantagem listada pelo secretário consiste na redução da corrupção. “O pregão eletrônico é um sistema mais transparente, que registra todas as transações. As informações estarão disponíveis para o cidadão acompanhar”, afirma Heckert.

Plataforma

Os municípios interessados podem registrar as aquisições com recursos de transferências voluntárias diretamente no Sistema de Compras do Governo Federal (Comprasnet). A ferramenta está integrada à Plataforma +Brasil, criada em setembro do ano passado para informatizar a prestação de contas de transferências federais voluntárias recebidas pelos entes locais.

Caso o município não queira usar o Comprasnet para fazer as aquisições e recorra aos sistemas próprios, o pregão eletrônico, explicou Heckert, será registrado na Plataforma +Brasil na prestação de contas. Atualmente, a Plataforma +Brasil registra nove modalidades de utilização de recursos de transferências federais. O Ministério da Economia pretende estender a prestação eletrônica de contas a todas as 30 modalidades nos próximos meses.

O estado com mais municípios abrangidos pelas novas normas é São Paulo, com 137 municípios. Em seguida, vem Minas Gerais, com 72. Segundo a Secretaria de Gestão, a União assinou 1.920 convênios com cidades de mais de 50 mil habitantes no ano passado, repassando voluntariamente R$ 2,3 bilhões a essas prefeituras.

Agência Brasil

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Flávio Villar disse:

    É uma péssima notícia para os comerciantes de cidade pequena. Onde está a parte da lei que insentiva a economia regional? Passaram por cima? Aqui no RN praticamente todas as compras são feitas de Estados como Pernambuco. Quem vai garantir o emprego do potiguar? E o imposto que o RN vai deixar de arrecadar? Como fica?

FOTO: Erva doce contra coronavírus e cidades do Brasil isoladas? Saúde desmente multiplicação de fake news

Mensagem replicada no WhatsApp atribui foto de performance artística em Frankfurt, há seis anos, como um registro de corpos empilhados de vítimas do coronavírus na China Foto: Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde identificou, através de seus canais nas redes sociais, diversas fake news propagadas sobre o novo coronavírus, que já deixou 170 mortos na China e mais de 7.711 infectados em todo o mundo. Entre os boatos replicados na internet, está a recomendação do consumo de chá de erva doce e sucos de acerola e laranja para se proteger da doença, que ainda não chegou ao Brasil, pelo Hospital das Clínicas de São Paulo.

Segundo a mensagem distribuída em grupos de WhatsApp, a erva teria a mesma substância que o medicamento Tamiflu e, por isso, deveria ser consumida duas vezes ao dia, sempre após as refeições, “como se fosse café”. A pasta desmentiu que o chá contenha fosfato de oseltamivir, princípio ativo do remédio.

Outro texto reproduzido nos aplicativos de mensagens acusa o governo brasileiro de “esconder os números” da “epidemia que está ocorrendo aqui e no mundo”. Segundo o boato, oito cidades do Brasil estariam sob quarentena, a exemplo da província de Hubei, na China, e 41 pessoas já teriam morrido em decorrência do novo coronavírus. Os infectados estariam na casa dos 600 e outros 40 mil pacientes estariam sob suspeitas.

Conforme divulgado na última quarta-feira pelo próprio Ministério da Saúde, o Brasil tem apenas nove casos suspeitos e nenhuma infecção confirmada. Portanto, não há nenhum registro de morte, tampouco de municípios em quarentena. As vítimas são monitoradas a todo o momento e estão isoladas em hospitais.

Uma foto de uma performance artística representando 528 vítimas do campo de concentração nazista Katzbach, em Frankfurt, no ano de 2014, acabou compartilhada na internet como um registro de corpos empilhados em uma rua chinesa, o que indicaria um cenário muito pior do que o divulgado pelo governo de Pequim.

Um quarto rumor relaciona a epidemia ao consumo de sopas de morcego na China. Embora haja suspeita de que o vírus tenha sido transmitido pelo consumo de animais selvagens, não há comprovação científica de que morcegos sejam de fato o hospedeiro natural. Outras espécies ainda estão sendo investigadas e as fotos reproduzidas no WhatsApp, segundo o boatos.org, foram publicadas por uma influenciadora digital há quatro anos.

Nem mesmo a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) escapou das fake news. Uma mensagem apócrifa afirma que pesquisadores da instituição confirmaram a capacidade de dano neurológico do coronavírus. Entre os efeitos deletérios estariam a perda de memória, confusão mental, dificuldade motora e até coma. Como lembrou o Ministério da Saúde em seu site, o novo vírus sequer foi isolado no Brasil e não há indícios de que ele cause prejuízos ao cérebro.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Zé Lopes disse:

    Imagine para o professores! Viram muitas notícias boas, reajuste do piso e dia 15 vem os atrasados.

Projeto-piloto de Moro em cidades no país reduz assassinatos em 47%

Foto: Marcelo Camargo/Agencia Brasil

O número de assassinatos caiu 47% nas cidades que integram o projeto-piloto de Sergio Moro: Em Frente, Brasil.

Em quatro delas, a queda dos homicídios foi impressionante: 73% em Ananindeua, 59% em Goiânia, 25% em Paulista, 11% em Cariacica.

Só numa cidade, São José dos Pinhais, houve aumento da criminalidade, segundo o dados divulgados pelo Valor.

O Antagonista com Valor

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ivan disse:

    O Brasil deve muito a esse…Só o fato de ser odiado por bandidos já diz tudo!!!!

  2. Curiosa disse:

    Robô? Esse papel ficou para os eleitores de Bolsonaro que acham por bem defender desmandos e uma gestão desastrosa, alem de criminosos pq acreditam que ele e seus aliados são "Honestos". O tempo está se encarregando de provar quem é quem, e bem antes do imaginado.

    • Ems disse:

      Gestão desastrosa ??? Os números e fatos estão aí !!! A economia começa a reagir com apenas 10 meses de governo.

  3. thiago augusto disse:

    agora é replicar em TODAS as capitais do país, pra começar…

  4. Curiosa disse:

    Era fã desse juiz, mas depois que passou a usar vendas quando o crime é dos seus aliados, perdeu a credibilidade.

    • Bento disse:

      Curiosa você é um robô não tem credibilidade para julgar um homem de bem.
      Por favor fique com seus bandidos de estimação.

  5. Gustavo disse:

    Moro é um patrimônio nacional. Sua integridade e competência gera a ira dos bandidólatras
    O Brasil ainda tem jeito, a despeito de PT, PCC, STF, corruptos e vagabundos.

Relatório aponta as cidades mais inteligentes e conectadas do Brasil

(FOTO: GETTY IMAGES )

Quais são as cidades mais desenvolvidas e conectadas do Brasil? É essa a pergunta que o Ranking Connected Smart Cities pretende responder. Realizado pela consultoria Urban Systems, o relatório traz indicadores que qualificam os locais mais inteligentes e conectados do país.

Campinas foi a primeira colocada na lista deste ano. É a primeira vez que a líder do ranking não é uma capital. São Paulo ficou com a segunda posição e Curitiba ficou em terceiro lugar.

O relatório mapeia as cidades com maior potencial de desenvolvimento no Brasil por meio de indicadores que retratam inteligência, conexão e sustentabilidade. Ao todo, são avaliados 70 indicadores, separados em 11 tópicos: mobilidade e acessibilidade, meio ambiente, urbanismo, tecnologia, saúde, segurança, educação, empreendedorismo, energia, governança e economia. Confira as 20 primeiras colocadas:

1. Campinas (SP)
2. São Paulo (SP)
3. Curitiba (PR)
4. Brasília (DF)
5. São Caetano do Sul (SP)
6. Santos (SP)
7. Florianópolis (SC)
8. Vitória (ES)
9. Blumenau (SC)
10. Jundiaí (SP)
11. Campo Grande (MS)
12. Niterói (RJ)
13. Belo Horizonte (MG)
14. Rio de Janeiro (RJ)
15. Joinville (SC)
16. Itajaí (SC)
17. Balneário Camboriú (SC)
18. São Bernardo do Campo (SP)
19. Palmas (TO)
20. Porto Alegre (RS)

Época Negócios

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Delano disse:

    A inteligência e a capacidade de discernimento é inversamente proporcional a região inteligente e conectada. Por isso o nordeste votou em peso no pt, uma demonstração da inteligência dessa região ao longo das eleições.

  2. Sérgio Nogueira disse:

    Aqui a Prefeitura e a STTU fazem de tudo para nos deixar conectados.
    Conectados ao Waze para tentar escapara do congestionamento artificial que aquela secretaria adora criar.

  3. Silva disse:

    Tá explicado porque o Pessoal de Santa Catarina deu maioria absoluta pra Bolsonaro na eleição presidencial.
    Já nos Estados da Região Nordeste, nem com um binóculo, uma luneta da nasa se vê alguma cidede nessa lista.
    Tái um exemplo claro de uma população, que não depende de esmolas.
    Alguma dúvida??

    • Robério Mauricio da Silva disse:

      O que não duvido é de seu complexo de vira-latas. As regiões sul e sudeste sempre foram beneficiadas pelo governo federal e mesmo assim estadoscomo o Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e Minas estão com o pires na mão, enquanto para o norte/nordeste sobravam as esmolas, inclusive para a educação.

  4. joaozinho da escola disse:

    Se aparecesse a cidade de Natal na lista, eu iria emigrar.

    • Nazareno disse:

      Essas Cidades não chegaram a esse patamar nesse governo. Vem crescendo ao longo dos anos inclusive nos anos que o pais foi administrado pelo PT.

Cidades médias e grandes com mais homicídios estão no Norte e Nordeste

Foto: Fernando Frazão/Arquivo Agência Brasil

As regiões Norte e Nordeste do Brasil concentram 18 das 20 cidades mais violentas do país, mostra levantamento divulgado nesta segunda-feira(5) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). A pesquisa, que contabiliza apenas municípios com ao menos 100 mil habitantes, mostra ainda que o estado de São Paulo tem 14 das 20 cidades menos violentas.

O estudo é um desdobramento do Atlas da Violência que destrincha os dados das 310 cidades médias e grandes do país. Para medir o nível de violência, o Ipea se debruçou sobre a taxa de homicídio por 100 mil habitantes nos municípios brasileiros no ano de 2017.

Os números permitem identificar que as cidades mais violentas e menos violentas apresentam também grande diferença entre os índices de desenvolvimento humano. Segundo o Ipea, as cidades mais violentas, em geral, têm também números piores no acesso à educação, desenvolvimento infantil e mercado de trabalho, enquanto as menos violentas têm indicadores considerados parecidos com os de países desenvolvidos.

As cidades mais violentas têm, em média, 60% da taxa de atendimento escolar das menos violentas, e o percentual de jovens de 15 a 24 anos que não estudavam, não trabalhavam e eram vulneráveis à pobreza era quatro vezes maior.

A cidade mais violenta do Brasil em 2017 foi Maracanaú, no Ceará, com 145,7 homicídios para cada 100 mil habitantes. No ano do estudo, 308 pessoas foram assassinadas na cidade, que fica na região metropolitana de Fortaleza e tem 224 mil habitantes.

A capital cearense foi a cidade que teve o maior número absoluto de homicídios em 2017, com 2.145 casos, superando até mesmo as cidades populosas do país. O Rio de Janeiro, que tem mais que o dobro de habitantes de Fortaleza, teve 1.850 assassinatos, e São Paulo, que tem uma população quatro vezes maior, teve 1.011 – menos que a metade.

Após Maracanaú, a lista de cidades mais violentas continua com: Altamira (PA), São Gonçalo do Amarante (RN), Simões Filho (BA), Queimados (RJ), Alvorada (RS), Porto Seguro (BA), Marituba (PA), Lauro de Freitas (BA), Camaçari (BA), Caucaia (CE), Nossa Senhora do Socorro (SE), Cabo de Santo Agostinho (PE), Marabá (PA), Ananindeua (PA), Fortaleza (CE), Mossoró (RN), Vitória de Santo Antão (PE), Rio Branco (AC) e Eunápolis (BA).

A cidade considerada mais pacífica do Brasil foi Jaú, em São Paulo, com uma taxa de 2,7 homicídios para cada 100 mil habitantes. A cidade de 146 mil moradores teve quatro assassinatos em 2017. Indaiatuba e Valinhos, também situadas em São Paulo, ocupam o segundo e o terceiro lugar na lista, que continua com Jaraguá do Sul (SC), Brusque (SC), Jundiaí (SP), Passos (MG), Limeira (SP), Americana (SP), Bragança Paulista (SP), Santos (SP), Araxá (MG), Araraquara (SP), São Caetano do Sul (SP), Tubarão (SC), Mogi das Cruzes (SP), Itatiba (SP), Varginha (MG), Catanduva (SP) e Sertãozinho (SP).

O coordenador do estudo, Daniel Cerqueira, avalia que políticas focalizadas em territórios vulneráveis são a luz no fim do túnel, com iniciativas voltadas para o desenvolvimento infanto-juvenil e para as famílias mais pobres. Ele defende ainda um reforço na qualificação policial e a melhora das condições de encarceramento.

Agência Brasil

Quatro cidades da região Agreste potiguar terão parada no abastecimento nesta terça

A Caern informa que quatro cidades da região Agreste do Estado terão uma interrupção no abastecimento de água durante o dia desta terça-feira (30): Lajes Pintadas, Coronel Ezequiel, Jaçanã e Campo Redondo. A parada também vai atingir a cidade de Santa Cruz, que é atendida por um sistema próprio de abastecimento, a cargo da prefeitura. A água distribuída é adquirida da Caern.

A interrupção será necessária para que a companhia faça a substituição de um registro e parte da tubulação, além da instalação de um medidor de vazão para a cidade de Santa Cruz.

O sistema será desligado logo cedo, às 6h, com retorno previsto para as 17h30 do mesmo dia. Após a religação do sistema, o abastecimento será totalmente normalizado em até 48 horas.

BOA NOTÍCIA: Cidades de Cruzeta e João Dias saem da situação de colapso no abastecimento

Foto: CAERN

O quadro de abastecimento nos municípios do Rio Grande do Norte registrou duas boas notícias nos últimos dias. Do total de cinco cidades que ainda estavam em situação de colapso no fornecimento de água, duas deixaram essa condição.

Na região Seridó, desde o último dia 25, a cidade de Cruzeta não está mais nessa lista. A Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) retomou o fornecimento, com o atendimento à população agora em sistema de rodízio, sendo quatro dias com abastecimento e três dias com o sistema paralisado.

No Alto Oeste, foi o município de João Dias que teve o abastecimento retomado. Com o novo quadro, apenas três cidades da região do Alto Oeste potiguar permanecem em situação de colapso: Paraná, Pilões e São Miguel.

Apesar da boa notícia, a Caern recomenda que a população use a água de forma racional, a fim de preservar os mananciais por mais tempo.

 

Cidades que perderam profissionais do Mais Médicos terão financiamento

Portaria do Ministério da Saúde publicada nesta sexta-feira (5) no Diário Oficial da União estende para seis meses o prazo de pagamento da verba de custeio às unidades básicas de saúde que perderam profissionais do Programa Mais Médicos em fevereiro. Até então, o repasse era cortado caso a unidade permanecesse sem profissionais por mais de dois meses.

Por meio de nota, a pasta informou que o prazo precisou ser ampliado após mudanças no programa. Desde fevereiro, médicos designados para postos de saúde em locais menos vulneráveis, como grandes cidades, ao completarem três anos no Mais Médicos (prazo previsto em lei), não têm o vínculo renovado.

“Assim, as unidades onde eles atuavam ficariam fora da regra e, portanto, impedidas de receber recursos a partir de meados de abril”, destacou o comunicado.

Com a portaria, mesmo sem o médico, a unidade básica vai conseguir receber a verba de custeio e outros financiamentos federais. A medida, segundo o ministério, foi solicitada por estados e municípios em reunião da Comissão Intergestores Tripartite (CIT), ocorrida na semana passada.

A pasta vem mantendo a renovação de profissionais no programa apenas em cidades classificadas como mais vulneráveis – em geral, pequenos municípios e distritos sanitários indígenas. Nesses locais, além de pagar o salário dos médicos, cerca de R$ 11,8 mil mensais, a pasta vai repassar às equipes mais R$ 4 mil para custeio.

“As cidades que perderam profissionais do Mais Médicos poderão utilizar os recursos também para contratar seus próprios médicos”, concluiu o ministério.

Cubanos

Na última quarta-feira (27), o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse que a pasta pretende regularizar a situação de cerca de 2 mil médicos cubanos que permaneceram no Brasil após o rompimento do governo de Cuba com o Mais Médicos. “Estão numa condição de exilados”, destacou.

Em audiência pública na Comissão de Assuntos Sociais do Senado, Mandetta explicou que a ação integra uma proposta, ainda em elaboração, de reformulação do Mais Médicos. A previsão, segundo ele, é que o pacote seja enviado ao Congresso Nacional em abril.

Agência Brasil

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Aécio disse:

    Desde o início já se sabia que haveria um alto índice de desistência dos médicos patriotas em se fixar em locais distantes, mais do que a vida, eles visam o dinheiro e são ensinados a pensar assim ainda na faculdade. Agora o povo desassistido pode fazer arminha que vai ter médico… kkkk

  2. Edilson Borges disse:

    Espero que já aconteça isso, conheço uma médica cubana que trabalhava em Vera cruz, optou em ficar aqui mas até agora não teve oportunidade de trabalho, e ela é uma médica excelente.

  3. Leo disse:

    Onde andam os médicos patriotas brasileiros?
    Bando de mercenários.

  4. fiscalização disse:

    Tinha Boa vontade. Agora o as médicos, advogados estão ruim de moral. Só pelos salários. É só tirar um dia e ir visitar os doentes em hospitais.

  5. M.D.R. disse:

    Que é necessário urgência para os CUBANOS, vivam com dignidade e respeito, até por que opção pelo BRASIL já é uma virdute desse profissionais da SAÚDE, que desempenhou seu trabalho com responsabilidade. Agora é vez do nosso país retribuir a sua legitimidade.

Médio Oeste potiguar: chuvas alteram cor da água em cidades

FOTO: CAERN/ADM

As cidades de Triunfo Potiguar, Paraú, Janduís, Campo Grande, Messias Targino e Patu estão com a cor da água alterada em função das chuvas. A Adutora Médio Oeste possui sua captação na barragem Armando Ribeiro Gonçalves que vem recebendo chuvas nos últimos dias. A mistura da água do manancial com a das chuvas provoca a mudança na cor. Este fato é registrado normalmente em período de inverno.

A Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) faz o tratamento da água conforme a legislação vigente para garantir potabilidade ao produto. Os parâmetros atendidos incluem turbidez, PH, coliformes, entre outros. A Caern continuará fazendo esforços para melhorar a cor da água oferecida a população. Mesmo com as chuvas que vêm caindo, a barragem Armando Ribeiro está com 20,37% da sua capacidade. Os dados da situação volumétrica são desta segunda-feira (21) e está disponível no site da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh).

Atrações do Carnaval de Natal custaram quase R$ 1,4 milhão; Ricardo Chaves surpreende com R$ 150 mil

Potiguar Roberta Sá foi uma das que se apresentou no Carnaval

Um levantamento da Página Paralela mostra que as atrações do Carnaval de Natal custaram, pelo menos, R$ 1.333.500.

Os valores não incluem ainda uma série de contratações locais que serão pagas futuramente e que se apresentaram pela modalidade de edital, conforme explicou o secretário de Cultura, Dácio Galvão.

Pelo levantamento, do jornalista Everton Dantas, as oito apresentações nacionais custaram R$ 853 mil.

Foram contratados Antônio Nóbrega, Maestro e a Orquestra Popular da Bomba do Hemetério, Spokfrevo e Orquestra, Monobloco, Carlinhos Brown, Margareth Menezes, Paralamas do Sucesso e Ricardo Chaves.

Já as 22 atrações locais de valores divulgados até agora somaram R$ 480.500.

Entre as atrações nacionais, Ricardo Chaves teve o cachê mais alto. Ele cobrou R$ 150 mil para se apresentar na terça de Carnaval.

Paralamas do Sucesso foram o segundo show mais caro, com R$ 142 mil, valor próximo ao que Margareth Menezes cobrou, de R$ 140 mil.

Completam o ranking Carlinhos Brown (R$ 133 mil), Monobloco R$ 115 mil, Cavaleiros do Forró (R$ 100 mil), Roberta Sá (R$ 75 mil) e Spok Frevo e Orquestra (R$ 65 mil).

A reportagem completa pode ser conferida AQUI.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. ????? ??????? disse:

    Uma dica para os "artistas de janela" locais: vão morar no Rio (ou noutro lugar) e conquistem a simpatia de Dácio Galvão.

  2. Sergio Paulo disse:

    Os artistas de fora já toca c o dinheiro no bolso ,já o da terra vai sofrer o pão q o diabo amassou.

  3. Tomaz disse:

    Pao e circo.PERFEITO!

  4. Gustavo disse:

    Esse dito carnaval em Natal não atrai turista algum!! Nenhum turista vai vir para Natal, no carnaval, para ir a um show de Ricardo Chaves, Margareth ou cavaleiros do forro. Eles vêm neste período para descansar. Se a Prefeitura quisesse atrair turistas para cá, em decorrência de festas de Carnaval, ela apoiaria projetos da iniciativa privada, como camarotes particulares. Isso, sim, poderia atrair turistas. Isto vem ocorrendo em Recife/Olinda que conseguiu revitalizar o seu carnaval atraindo milhares de turistas do Brasil com seus camarotes privados. Em Natal, o Prefeito quer é voto da população e talvez algo a mais com esses shows caríssimos p qualidades das bandas…

  5. Bonitao disse:

    Ricardo Chaves toca até em bar, cavaleiros nem se fala. Uma piada esses valores, cade os órgãos de controle

  6. Edu disse:

    Ô povo para escrever merda, se querem um Carnaval forte, com quase 600 mil turistas, precisam de atrações fortes, nacionais. E para isso, têm se um preço alto. Parabéns a Prefeitura pelo grande Carnaval, e que a cada ano seja melhor.

    • Fabiano disse:

      Isso mesmo. É a turma da insatisfação eterna. Não consideram que movimentou a economia e o turismo. Gentinha que só sabe reclamar.

  7. Zé Guerreiro disse:

    100 mil pra Cavaleiros do Forró?!?!?!?
    Cadê os órgãos de controle?!

  8. Rico disse:

    Parabéns ao prefeito…salários em dia, coleta de lixo em dia…dentre outras coisas funcionando bem.
    E ainda proporcionando lazer ao povo natalense sem fugir das responsabilidades, quer aula melhor de administração.
    Perfeição não existe…de antemão não sou militante e nem partidário. Analiso fatos!!!

  9. CURITIBA JÁ disse:

    isto na verdade deve ter custado no minimo 30% destes valores, carlinhos brown 133 mil este prefeito é um brincalhão, que diabo é Matgareth num sei que lá, será que o tribunal de contas vai engolir uma piada desta??????

  10. Joca disse:

    Famoso PÃO E Circo……população sem saúde pública.seguranca ,escola ,calçamento……e gastando quase 1 milhão e meio de reais …faça um teste agora !!! Vá em qualquer posto de saúde e tente fazer uma sutura ou engessar uma perna ??? Irão te mandar para o depósito de gente chamado Walfredo Gurgel …porque nos postos de saúde não há gazes……e o MP mistério do faz de conta ..a tudo olha

    • MB disse:

      Concordo. Desperdício de dinheiro; só pra enganar o povão! O que verdadeiramente movimenta o capital é o emprego.

Turismo potiguar será divulgado em quatro cidades sul-americanas

O Rio Grande do Norte reforçará a divulgação dos seus destinos nos principais mercados sul-americanos a partir desta terça-feira, durante o Meeting Brasil, nas cidades de Córdoba e Buenos Aires (Argentina), Lima (Peru) e Bogotá (Colômbia).

Este é o segundo Meeting Brasil com presença do Estado potiguar só este ano. O primeiro foi exclusivo, o Meeting Brasil Missão Rio Grande do Norte, quando uma delegação com mais de 30 representantes do turismo do RN realizaram rodadas de negócio no Chile, Uruguai e Argentina, entre maio e junho.

A ação é uma iniciativa do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Turismo (Setur RN) e da Empresa Potiguar de Promoção Turística (Emprotur), com recursos do Governo Cidadão mediante acordo de empréstimo com o Banco Mundial.

“Nosso investimento no mercado argentino tem mostrado resultados extremamente satisfatórios, o que mostra, também, o potencial turístico que podemos explorar em outros países do continente”, observou o secretário estadual de Turismo, Ruy Gaspar.

Os meetings devem contar com a presença de 250 agentes de viagem e operadores em cada cidade. A Setur e a Emprotur também promoverão palestras de capacitação, visitas às embaixadas e reuniões com operadores de turismo.

“Queremos gerar negócios direto com agentes de viagens e operadores, fortalecendo essa ligação com o empresariado local e a imagem do nosso Estado como um destino repleto de riquezas naturais e com estrutura para receber tal demanda”, pontuou Aninha Costa, presidente da Emprotur.

A agenda de eventos começa por Córdoba (15) e segue para Buenos Aires (17). Em seguida, seguem viagem para Lima (22) e finalizam o Meeting Brasil na capital colombiana de Bogotá (24).

Representam o Rio Grande do Norte durante o Meeting, a presidente da Emprotur, Aninha Costa, a gerente de Promoção Internacional da Emprotur, Nayara Santana e coordenador do Centro de Convenções de Natal, Arnaldo Saint-Brisson. O RN e a Bahia são os únicos estados nordestinos presentes ao evento.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Potyguar disse:

    Tragam armamento pesado e coletes a prova de bala já que virão visitar uma das localidades mais violentas do planeta terra.

  2. Ricardo disse:

    BG, essa divilgação do turismo potiguar é temerária, pois é irresponsabilidade do Governo querer trazer turistas para o RN, quando nem os residentes estão guarnecidos mínimamente de segurança pública.

  3. Almir Dionisio disse:

    Aproveitem e divulguem também os índices de criminalidade no Estado, é uma ótima oportunidade.

  4. Ana disse:

    Pra quê?! Pro povo vir, ser assaltado, esfaqueado ou até morto!

  5. BRASILL SEM FUTURO disse:

    Será que a Insegurança também vai ser informada tbm??

    Ninguém quer vim pra um Estado como o RN so Morrer…..