Relatório aponta as cidades mais inteligentes e conectadas do Brasil

(FOTO: GETTY IMAGES )

Quais são as cidades mais desenvolvidas e conectadas do Brasil? É essa a pergunta que o Ranking Connected Smart Cities pretende responder. Realizado pela consultoria Urban Systems, o relatório traz indicadores que qualificam os locais mais inteligentes e conectados do país.

Campinas foi a primeira colocada na lista deste ano. É a primeira vez que a líder do ranking não é uma capital. São Paulo ficou com a segunda posição e Curitiba ficou em terceiro lugar.

O relatório mapeia as cidades com maior potencial de desenvolvimento no Brasil por meio de indicadores que retratam inteligência, conexão e sustentabilidade. Ao todo, são avaliados 70 indicadores, separados em 11 tópicos: mobilidade e acessibilidade, meio ambiente, urbanismo, tecnologia, saúde, segurança, educação, empreendedorismo, energia, governança e economia. Confira as 20 primeiras colocadas:

1. Campinas (SP)
2. São Paulo (SP)
3. Curitiba (PR)
4. Brasília (DF)
5. São Caetano do Sul (SP)
6. Santos (SP)
7. Florianópolis (SC)
8. Vitória (ES)
9. Blumenau (SC)
10. Jundiaí (SP)
11. Campo Grande (MS)
12. Niterói (RJ)
13. Belo Horizonte (MG)
14. Rio de Janeiro (RJ)
15. Joinville (SC)
16. Itajaí (SC)
17. Balneário Camboriú (SC)
18. São Bernardo do Campo (SP)
19. Palmas (TO)
20. Porto Alegre (RS)

Época Negócios

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Delano disse:

    A inteligência e a capacidade de discernimento é inversamente proporcional a região inteligente e conectada. Por isso o nordeste votou em peso no pt, uma demonstração da inteligência dessa região ao longo das eleições.

  2. Sérgio Nogueira disse:

    Aqui a Prefeitura e a STTU fazem de tudo para nos deixar conectados.
    Conectados ao Waze para tentar escapara do congestionamento artificial que aquela secretaria adora criar.

  3. Silva disse:

    Tá explicado porque o Pessoal de Santa Catarina deu maioria absoluta pra Bolsonaro na eleição presidencial.
    Já nos Estados da Região Nordeste, nem com um binóculo, uma luneta da nasa se vê alguma cidede nessa lista.
    Tái um exemplo claro de uma população, que não depende de esmolas.
    Alguma dúvida??

    • Robério Mauricio da Silva disse:

      O que não duvido é de seu complexo de vira-latas. As regiões sul e sudeste sempre foram beneficiadas pelo governo federal e mesmo assim estadoscomo o Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e Minas estão com o pires na mão, enquanto para o norte/nordeste sobravam as esmolas, inclusive para a educação.

  4. joaozinho da escola disse:

    Se aparecesse a cidade de Natal na lista, eu iria emigrar.

    • Nazareno disse:

      Essas Cidades não chegaram a esse patamar nesse governo. Vem crescendo ao longo dos anos inclusive nos anos que o pais foi administrado pelo PT.

Cidades médias e grandes com mais homicídios estão no Norte e Nordeste

Foto: Fernando Frazão/Arquivo Agência Brasil

As regiões Norte e Nordeste do Brasil concentram 18 das 20 cidades mais violentas do país, mostra levantamento divulgado nesta segunda-feira(5) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). A pesquisa, que contabiliza apenas municípios com ao menos 100 mil habitantes, mostra ainda que o estado de São Paulo tem 14 das 20 cidades menos violentas.

O estudo é um desdobramento do Atlas da Violência que destrincha os dados das 310 cidades médias e grandes do país. Para medir o nível de violência, o Ipea se debruçou sobre a taxa de homicídio por 100 mil habitantes nos municípios brasileiros no ano de 2017.

Os números permitem identificar que as cidades mais violentas e menos violentas apresentam também grande diferença entre os índices de desenvolvimento humano. Segundo o Ipea, as cidades mais violentas, em geral, têm também números piores no acesso à educação, desenvolvimento infantil e mercado de trabalho, enquanto as menos violentas têm indicadores considerados parecidos com os de países desenvolvidos.

As cidades mais violentas têm, em média, 60% da taxa de atendimento escolar das menos violentas, e o percentual de jovens de 15 a 24 anos que não estudavam, não trabalhavam e eram vulneráveis à pobreza era quatro vezes maior.

A cidade mais violenta do Brasil em 2017 foi Maracanaú, no Ceará, com 145,7 homicídios para cada 100 mil habitantes. No ano do estudo, 308 pessoas foram assassinadas na cidade, que fica na região metropolitana de Fortaleza e tem 224 mil habitantes.

A capital cearense foi a cidade que teve o maior número absoluto de homicídios em 2017, com 2.145 casos, superando até mesmo as cidades populosas do país. O Rio de Janeiro, que tem mais que o dobro de habitantes de Fortaleza, teve 1.850 assassinatos, e São Paulo, que tem uma população quatro vezes maior, teve 1.011 – menos que a metade.

Após Maracanaú, a lista de cidades mais violentas continua com: Altamira (PA), São Gonçalo do Amarante (RN), Simões Filho (BA), Queimados (RJ), Alvorada (RS), Porto Seguro (BA), Marituba (PA), Lauro de Freitas (BA), Camaçari (BA), Caucaia (CE), Nossa Senhora do Socorro (SE), Cabo de Santo Agostinho (PE), Marabá (PA), Ananindeua (PA), Fortaleza (CE), Mossoró (RN), Vitória de Santo Antão (PE), Rio Branco (AC) e Eunápolis (BA).

A cidade considerada mais pacífica do Brasil foi Jaú, em São Paulo, com uma taxa de 2,7 homicídios para cada 100 mil habitantes. A cidade de 146 mil moradores teve quatro assassinatos em 2017. Indaiatuba e Valinhos, também situadas em São Paulo, ocupam o segundo e o terceiro lugar na lista, que continua com Jaraguá do Sul (SC), Brusque (SC), Jundiaí (SP), Passos (MG), Limeira (SP), Americana (SP), Bragança Paulista (SP), Santos (SP), Araxá (MG), Araraquara (SP), São Caetano do Sul (SP), Tubarão (SC), Mogi das Cruzes (SP), Itatiba (SP), Varginha (MG), Catanduva (SP) e Sertãozinho (SP).

O coordenador do estudo, Daniel Cerqueira, avalia que políticas focalizadas em territórios vulneráveis são a luz no fim do túnel, com iniciativas voltadas para o desenvolvimento infanto-juvenil e para as famílias mais pobres. Ele defende ainda um reforço na qualificação policial e a melhora das condições de encarceramento.

Agência Brasil

Quatro cidades da região Agreste potiguar terão parada no abastecimento nesta terça

A Caern informa que quatro cidades da região Agreste do Estado terão uma interrupção no abastecimento de água durante o dia desta terça-feira (30): Lajes Pintadas, Coronel Ezequiel, Jaçanã e Campo Redondo. A parada também vai atingir a cidade de Santa Cruz, que é atendida por um sistema próprio de abastecimento, a cargo da prefeitura. A água distribuída é adquirida da Caern.

A interrupção será necessária para que a companhia faça a substituição de um registro e parte da tubulação, além da instalação de um medidor de vazão para a cidade de Santa Cruz.

O sistema será desligado logo cedo, às 6h, com retorno previsto para as 17h30 do mesmo dia. Após a religação do sistema, o abastecimento será totalmente normalizado em até 48 horas.

BOA NOTÍCIA: Cidades de Cruzeta e João Dias saem da situação de colapso no abastecimento

Foto: CAERN

O quadro de abastecimento nos municípios do Rio Grande do Norte registrou duas boas notícias nos últimos dias. Do total de cinco cidades que ainda estavam em situação de colapso no fornecimento de água, duas deixaram essa condição.

Na região Seridó, desde o último dia 25, a cidade de Cruzeta não está mais nessa lista. A Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) retomou o fornecimento, com o atendimento à população agora em sistema de rodízio, sendo quatro dias com abastecimento e três dias com o sistema paralisado.

No Alto Oeste, foi o município de João Dias que teve o abastecimento retomado. Com o novo quadro, apenas três cidades da região do Alto Oeste potiguar permanecem em situação de colapso: Paraná, Pilões e São Miguel.

Apesar da boa notícia, a Caern recomenda que a população use a água de forma racional, a fim de preservar os mananciais por mais tempo.

 

Cidades que perderam profissionais do Mais Médicos terão financiamento

Portaria do Ministério da Saúde publicada nesta sexta-feira (5) no Diário Oficial da União estende para seis meses o prazo de pagamento da verba de custeio às unidades básicas de saúde que perderam profissionais do Programa Mais Médicos em fevereiro. Até então, o repasse era cortado caso a unidade permanecesse sem profissionais por mais de dois meses.

Por meio de nota, a pasta informou que o prazo precisou ser ampliado após mudanças no programa. Desde fevereiro, médicos designados para postos de saúde em locais menos vulneráveis, como grandes cidades, ao completarem três anos no Mais Médicos (prazo previsto em lei), não têm o vínculo renovado.

“Assim, as unidades onde eles atuavam ficariam fora da regra e, portanto, impedidas de receber recursos a partir de meados de abril”, destacou o comunicado.

Com a portaria, mesmo sem o médico, a unidade básica vai conseguir receber a verba de custeio e outros financiamentos federais. A medida, segundo o ministério, foi solicitada por estados e municípios em reunião da Comissão Intergestores Tripartite (CIT), ocorrida na semana passada.

A pasta vem mantendo a renovação de profissionais no programa apenas em cidades classificadas como mais vulneráveis – em geral, pequenos municípios e distritos sanitários indígenas. Nesses locais, além de pagar o salário dos médicos, cerca de R$ 11,8 mil mensais, a pasta vai repassar às equipes mais R$ 4 mil para custeio.

“As cidades que perderam profissionais do Mais Médicos poderão utilizar os recursos também para contratar seus próprios médicos”, concluiu o ministério.

Cubanos

Na última quarta-feira (27), o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse que a pasta pretende regularizar a situação de cerca de 2 mil médicos cubanos que permaneceram no Brasil após o rompimento do governo de Cuba com o Mais Médicos. “Estão numa condição de exilados”, destacou.

Em audiência pública na Comissão de Assuntos Sociais do Senado, Mandetta explicou que a ação integra uma proposta, ainda em elaboração, de reformulação do Mais Médicos. A previsão, segundo ele, é que o pacote seja enviado ao Congresso Nacional em abril.

Agência Brasil

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Aécio disse:

    Desde o início já se sabia que haveria um alto índice de desistência dos médicos patriotas em se fixar em locais distantes, mais do que a vida, eles visam o dinheiro e são ensinados a pensar assim ainda na faculdade. Agora o povo desassistido pode fazer arminha que vai ter médico… kkkk

  2. Edilson Borges disse:

    Espero que já aconteça isso, conheço uma médica cubana que trabalhava em Vera cruz, optou em ficar aqui mas até agora não teve oportunidade de trabalho, e ela é uma médica excelente.

  3. Leo disse:

    Onde andam os médicos patriotas brasileiros?
    Bando de mercenários.

  4. fiscalização disse:

    Tinha Boa vontade. Agora o as médicos, advogados estão ruim de moral. Só pelos salários. É só tirar um dia e ir visitar os doentes em hospitais.

  5. M.D.R. disse:

    Que é necessário urgência para os CUBANOS, vivam com dignidade e respeito, até por que opção pelo BRASIL já é uma virdute desse profissionais da SAÚDE, que desempenhou seu trabalho com responsabilidade. Agora é vez do nosso país retribuir a sua legitimidade.

Médio Oeste potiguar: chuvas alteram cor da água em cidades

FOTO: CAERN/ADM

As cidades de Triunfo Potiguar, Paraú, Janduís, Campo Grande, Messias Targino e Patu estão com a cor da água alterada em função das chuvas. A Adutora Médio Oeste possui sua captação na barragem Armando Ribeiro Gonçalves que vem recebendo chuvas nos últimos dias. A mistura da água do manancial com a das chuvas provoca a mudança na cor. Este fato é registrado normalmente em período de inverno.

A Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) faz o tratamento da água conforme a legislação vigente para garantir potabilidade ao produto. Os parâmetros atendidos incluem turbidez, PH, coliformes, entre outros. A Caern continuará fazendo esforços para melhorar a cor da água oferecida a população. Mesmo com as chuvas que vêm caindo, a barragem Armando Ribeiro está com 20,37% da sua capacidade. Os dados da situação volumétrica são desta segunda-feira (21) e está disponível no site da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh).

Atrações do Carnaval de Natal custaram quase R$ 1,4 milhão; Ricardo Chaves surpreende com R$ 150 mil

Potiguar Roberta Sá foi uma das que se apresentou no Carnaval

Um levantamento da Página Paralela mostra que as atrações do Carnaval de Natal custaram, pelo menos, R$ 1.333.500.

Os valores não incluem ainda uma série de contratações locais que serão pagas futuramente e que se apresentaram pela modalidade de edital, conforme explicou o secretário de Cultura, Dácio Galvão.

Pelo levantamento, do jornalista Everton Dantas, as oito apresentações nacionais custaram R$ 853 mil.

Foram contratados Antônio Nóbrega, Maestro e a Orquestra Popular da Bomba do Hemetério, Spokfrevo e Orquestra, Monobloco, Carlinhos Brown, Margareth Menezes, Paralamas do Sucesso e Ricardo Chaves.

Já as 22 atrações locais de valores divulgados até agora somaram R$ 480.500.

Entre as atrações nacionais, Ricardo Chaves teve o cachê mais alto. Ele cobrou R$ 150 mil para se apresentar na terça de Carnaval.

Paralamas do Sucesso foram o segundo show mais caro, com R$ 142 mil, valor próximo ao que Margareth Menezes cobrou, de R$ 140 mil.

Completam o ranking Carlinhos Brown (R$ 133 mil), Monobloco R$ 115 mil, Cavaleiros do Forró (R$ 100 mil), Roberta Sá (R$ 75 mil) e Spok Frevo e Orquestra (R$ 65 mil).

A reportagem completa pode ser conferida AQUI.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. ????? ??????? disse:

    Uma dica para os "artistas de janela" locais: vão morar no Rio (ou noutro lugar) e conquistem a simpatia de Dácio Galvão.

  2. Sergio Paulo disse:

    Os artistas de fora já toca c o dinheiro no bolso ,já o da terra vai sofrer o pão q o diabo amassou.

  3. Tomaz disse:

    Pao e circo.PERFEITO!

  4. Gustavo disse:

    Esse dito carnaval em Natal não atrai turista algum!! Nenhum turista vai vir para Natal, no carnaval, para ir a um show de Ricardo Chaves, Margareth ou cavaleiros do forro. Eles vêm neste período para descansar. Se a Prefeitura quisesse atrair turistas para cá, em decorrência de festas de Carnaval, ela apoiaria projetos da iniciativa privada, como camarotes particulares. Isso, sim, poderia atrair turistas. Isto vem ocorrendo em Recife/Olinda que conseguiu revitalizar o seu carnaval atraindo milhares de turistas do Brasil com seus camarotes privados. Em Natal, o Prefeito quer é voto da população e talvez algo a mais com esses shows caríssimos p qualidades das bandas…

  5. Bonitao disse:

    Ricardo Chaves toca até em bar, cavaleiros nem se fala. Uma piada esses valores, cade os órgãos de controle

  6. Edu disse:

    Ô povo para escrever merda, se querem um Carnaval forte, com quase 600 mil turistas, precisam de atrações fortes, nacionais. E para isso, têm se um preço alto. Parabéns a Prefeitura pelo grande Carnaval, e que a cada ano seja melhor.

    • Fabiano disse:

      Isso mesmo. É a turma da insatisfação eterna. Não consideram que movimentou a economia e o turismo. Gentinha que só sabe reclamar.

  7. Zé Guerreiro disse:

    100 mil pra Cavaleiros do Forró?!?!?!?
    Cadê os órgãos de controle?!

  8. Rico disse:

    Parabéns ao prefeito…salários em dia, coleta de lixo em dia…dentre outras coisas funcionando bem.
    E ainda proporcionando lazer ao povo natalense sem fugir das responsabilidades, quer aula melhor de administração.
    Perfeição não existe…de antemão não sou militante e nem partidário. Analiso fatos!!!

  9. CURITIBA JÁ disse:

    isto na verdade deve ter custado no minimo 30% destes valores, carlinhos brown 133 mil este prefeito é um brincalhão, que diabo é Matgareth num sei que lá, será que o tribunal de contas vai engolir uma piada desta??????

  10. Joca disse:

    Famoso PÃO E Circo……população sem saúde pública.seguranca ,escola ,calçamento……e gastando quase 1 milhão e meio de reais …faça um teste agora !!! Vá em qualquer posto de saúde e tente fazer uma sutura ou engessar uma perna ??? Irão te mandar para o depósito de gente chamado Walfredo Gurgel …porque nos postos de saúde não há gazes……e o MP mistério do faz de conta ..a tudo olha

    • MB disse:

      Concordo. Desperdício de dinheiro; só pra enganar o povão! O que verdadeiramente movimenta o capital é o emprego.

Turismo potiguar será divulgado em quatro cidades sul-americanas

O Rio Grande do Norte reforçará a divulgação dos seus destinos nos principais mercados sul-americanos a partir desta terça-feira, durante o Meeting Brasil, nas cidades de Córdoba e Buenos Aires (Argentina), Lima (Peru) e Bogotá (Colômbia).

Este é o segundo Meeting Brasil com presença do Estado potiguar só este ano. O primeiro foi exclusivo, o Meeting Brasil Missão Rio Grande do Norte, quando uma delegação com mais de 30 representantes do turismo do RN realizaram rodadas de negócio no Chile, Uruguai e Argentina, entre maio e junho.

A ação é uma iniciativa do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Turismo (Setur RN) e da Empresa Potiguar de Promoção Turística (Emprotur), com recursos do Governo Cidadão mediante acordo de empréstimo com o Banco Mundial.

“Nosso investimento no mercado argentino tem mostrado resultados extremamente satisfatórios, o que mostra, também, o potencial turístico que podemos explorar em outros países do continente”, observou o secretário estadual de Turismo, Ruy Gaspar.

Os meetings devem contar com a presença de 250 agentes de viagem e operadores em cada cidade. A Setur e a Emprotur também promoverão palestras de capacitação, visitas às embaixadas e reuniões com operadores de turismo.

“Queremos gerar negócios direto com agentes de viagens e operadores, fortalecendo essa ligação com o empresariado local e a imagem do nosso Estado como um destino repleto de riquezas naturais e com estrutura para receber tal demanda”, pontuou Aninha Costa, presidente da Emprotur.

A agenda de eventos começa por Córdoba (15) e segue para Buenos Aires (17). Em seguida, seguem viagem para Lima (22) e finalizam o Meeting Brasil na capital colombiana de Bogotá (24).

Representam o Rio Grande do Norte durante o Meeting, a presidente da Emprotur, Aninha Costa, a gerente de Promoção Internacional da Emprotur, Nayara Santana e coordenador do Centro de Convenções de Natal, Arnaldo Saint-Brisson. O RN e a Bahia são os únicos estados nordestinos presentes ao evento.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Potyguar disse:

    Tragam armamento pesado e coletes a prova de bala já que virão visitar uma das localidades mais violentas do planeta terra.

  2. Ricardo disse:

    BG, essa divilgação do turismo potiguar é temerária, pois é irresponsabilidade do Governo querer trazer turistas para o RN, quando nem os residentes estão guarnecidos mínimamente de segurança pública.

  3. Almir Dionisio disse:

    Aproveitem e divulguem também os índices de criminalidade no Estado, é uma ótima oportunidade.

  4. Ana disse:

    Pra quê?! Pro povo vir, ser assaltado, esfaqueado ou até morto!

  5. BRASILL SEM FUTURO disse:

    Será que a Insegurança também vai ser informada tbm??

    Ninguém quer vim pra um Estado como o RN so Morrer…..

Governo confirma que 1200 militares do Exército e Marinha ficarão no RN até dia 16

exercito

Foto: Divulgação

Militares das Forças Armadas darão apoio à segurança pública do Rio Grande do Norte no combate à onda de violência que assola a capital Natal e cidades vizinhas. Cerca de 1.200 homens do Exército e da Marinha atuarão na região metropolitana de Natal. A operação começou nesta segunda-feira (1º/08) e vai até o dia 16 de agosto.

A decisão, para aplicação da Garantia da Lei e da Ordem (GLO), foi autorizada no domingo (31/07) pelo presidente em exercício, Michel Temer, atendendo a um pedido do governador do estado, Robinson Faria.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rosaldo disse:

    Ainda nem chegaram e já dizem quando vão voltar……..

  2. endson victor disse:

    Comentar..nossos governantes nao estao nem ai pra gente. eles estao preocupados com as eleiçoes de outubro. e o povo que é besta e vende o voto,é quem sofre com essa situaçao. nos temos que aprender a votar. da um basta e tirar do poder os Alves, os Maias e todas essas familias tradicionais da nosso politica. vamos eleger gente nova com novas ideias e acabar com os politicos se profissao.

  3. Herivelto disse:

    E depois do dia 16, quem poderá nos salvar? O Desgovernador diz que a situação está sob controle. É verdade. Está sob o controle dos criminosos, que, de dentro das prisões comandam e desmoralizam as instituições. Como diria Boris Casoy, "isto é uma vergonha!!!"

  4. FRASQUEIRINO disse:

    Preparem-se bandidos do "Hotel Alcacuz". A "cobra vai fumar".

  5. Francisco Suélio Januário Filho disse:

    Graças a Deus. Em duas semanas todos os problemas de violência no RN estarão resolvidos. Isso sim, é aula de estratégia.

Fim de semana tem chuvas acima dos 50 mm em quatro cidades do RN

emparnO fim de semana foi de chuva em 15 cidades potiguares. Segundo a Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn), entre as 7h da sexta-feira (12) e 7h desta segunda (15) foram registradas precipitações acima dos 50 milímetros em quatro municípios da região Seridó. Em Cruzeta, onde mais choveu, o índice pluviométrico chegou a 95,8 milímetros.

Em Equador (com 71,3mm), São José do Seridó (60mm) e Parelhas (53mm) as chuvas também levaram alívio para o homem do campo. Na região Oeste, onde também foram registradas precipitações, o município de Serra do Mel foi onde mais choveu: 15mm. Na Grande Natal, choveu muito pouco: 0,4 milímetros em Ceará-Mirim.

O Rio Grande do Norte enfrenta a pior seca dos últimos 100 anos. Dos 167 municípios, 153 estão em estado de emergência por causa da estiagem prolongada. Atualmente, 19 cidades estão em situação de colapso no abastecimento d’água e outras 72 em sistema de rodízio.

Abaixo, veja lista das 15 cidades onde choveu neste fim de semana

Região Oeste
Serra do Mel: 15mm
Assu: 3mm
Baraúna: 2mm
Olho D’Água do Borges: 2mm
Patu: 1mm
Região Seridó
Cruzeta: 95,8mm
Equador: 71,3mm
São José do Seridó: 60mm
Parelhas: 53mm
Pedro Avelino: 23,5mm
São Fernando: 18,3mm
Florânia: 9,2mm
Caicó: 7,8mm
Acari: 1,4mm

Fonte: G1

TRT-RN convoca mais oito municípios para negociar pagamento de precatórios

Depois de já ter negociado este ano o pagamentos de precatórios em valores superiores a R$ 8 milhões, o Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região (TRT-RN) volta a receber, amanhã, em audiência de conciliação, mais oito prefeitos para tratar das condições de parcelamento dos precatórios inscritos no orçamento de 2014.

As audiências de conciliação estão sendo conduzidas pela juíza do trabalho Lisandra Cristina Lopes, designada pela presidência do tribunal para atuar no Juízo Auxiliar de Conciliação e Negociação de Precatórios.

Veja a pauta desta quinta-feira (20):

1) 8h30 ” MUNICÍPIO DE BARAÚNAS. Prefeito:Antônia Luciana de Oliveira Costa.

Para negociar as condições de pagamento dos precatórios inscritos no orçamento 2014.

2) 9h ” MUNICÍPIO DE SÃO PAULO DO POTENGI. Prefeito: José Leonardo Cassimiro de Araújo. Para negociar as condições de pagamento dos precatórios inscritos no orçamento 2014 e RPVs.

3) 9h30 ” MUNICÍPIO DE ALTO DO RODRIGUES. Prefeito: Abelardo Rodrigues Filho. Para negociar as condições de pagamento dos precatórios inscritos no orçamento 2014.

4)10h ” MUNICÍPIO DE GOVERNADOR DIX-SEPT ROSADO. Prefeito: Anaximandro Rodrigues do Vale Costa. Para negociar as condições de pagamento dos precatórios inscritos no orçamento de 2014.

5) 10h30 ” MUNICÍPIO DE BOA SAÚDE. Prefeito: Paulo de Souza Segundo. Para negociar as condições de pagamento dos precatórios inscritos no orçamento 2014.

6) 11h ” MUNICÍPIO DE MESSIAS TARGINO. Prefeito: Arthur de Oliveira Targino. Para negociar as condições de pagamento dos precatórios inscritos no orçamento de 2014.

7) 11h20 ” MUNICÍPIO DE IPANGUAÇU. Prefeito: Leonardo da Silva Oliveira. Para negociar as condições de pagamento dos precatórios inscritos no orçamento 2014.

8) 11h40 ” MUNICÍPIO DE PORTALEGRE. Prefeito: Manoel de Freitas Neto. Para negociar as condições de pagamento dos precatórios inscritos no orçamento 2014.

Fonte: Ascom – TRT/21ª Região

Vejam quais são as cidades mais fáceis e difíceis de conseguir emprego no Brasil

São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba, respectivamente, são as cidades onde é mais fácil encontrar empregos on-line no Brasil. Isso por serem cidades com menor taxa de aplicantes por vaga anunciada, ou seja, onde a competição por postos de trabalho ainda é menor em comparação às demais capitais incluídas na pesquisa realizada pelo site de busca de empregos Adzuna. Curitiba entrou para o ranking este ano, impulsionada por vagas geradas no setor de serviços. Porto Alegre e Goiânia fecham a lista das cinco cidades onde as chances de conseguir um emprego são maiores.

— A pesquisa tem foco em vagas anunciadas na internet, e refletem tendências no mercado de trabalho em cada uma destas capitais. A presença de Curitiba e Goiânia na lista de cidades onde é mais fácil encontrar empregos aponta para uma descentralização na geração de vagas, fora do eixo Rio-São Paulo, dado também confirmado pelas fontes oficiais — comenta João Francisco Lemos, gerente regional do site Adzuna para o Brasil.

De acordo com os dados, a competição por empregos em São Paulo e no Rio de Janeiro aumentou com relação ao levantamento realizado em maio de 2013. São Paulo apresentava uma taxa de 15 candidatos por vaga em maio do ano passado, aumentando para 16 nos dados deste ano. Já o Rio de Janeiro apresentava 13 candidatos por vaga em maio passado, aumentando para 17 nos dados deste ano.

— Este ano, São Paulo ficou à frente do Rio na lista de cidades com menor relação candidato por vaga. E o aumento da competição no Rio de Janeiro pode ser reflexo da desaceleração no número de empregos criados — explica Lemos, ressaltando que a avaliação feita pelo Adzuna não é positiva, se imaginarmos que os números de pessoas à procura de emprego ainda é muito alto, e houve aumento desse número em relação ao ano passado.

A pesquisa aponta Recife como a capital mais difícil para encontrar um emprego no Brasil, com até 90 candidatos para cada vaga anunciada, seguida de Salvador. São Luís, Belém e Vitória completam a lista das capitais mais difíceis para encontrar empregos.

O Adzuna também pesquisou a média salarial anunciada por categorias de emprego. O segmento com maior média salarial foi contabilidade e finanças, com média salarial mensal de R$ 4.496, seguido por engenharias (R$ 3.570) e setor jurídico (R$ 3.272).

Entre as cidades pesquisadas, as que possuem maior média salarial anunciada são Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Curitiba.

No seu levantamento, o Adzuna classificou 10 capitais brasileiras de acordo com o número de anúncios de empregos publicados no site, que possui mais de 300 mil vagas atualizadas mensalmente, e comparou este número com os dados sobre desemprego disponibilizados pelo IBGE, CAGED, DIEESE e fontes municipais. A comparação permitiu estabelecer uma proporção da relação de candidatos por cada vaga gerada e fornecer um mapa da empregabilidade no país.

Os setores que mais contratam on-line

De acordo com o levantamento, os setores com maior demanda de contratação são, respectivamente, o setor de serviços (58.640 vagas), setor industrial (32.939 vagas vagas) e setor administrativo (22.082 avgas). O setor que apresentou maior crescimento no número de vagas publicadas entre junho e dezembro de 2013 foi o de logística (11.889 vagas).

No panorama geral, afirma Lemos, o setor de serviços continua à frente na criação de vagas, enquanto finanças, engenharias e tecnologia da informação guardam as melhores ofertas profissionais, a julgar pela média salarial.

O Globo

Caern faz rodízio de abastecimento em 17 cidades potiguares

Por causa da baixa reserva de água nos reservatórios, a Caern já iniciou um sistema de rodízio de abastecimento em 17 cidades do agreste potiguares. Pelo menos três delas ficaram por dia sem receber água.

Os municípios que serão atingidos pelo rodízio são Lagoa de Velhos, Tangará, Campo Redondo, Bom Jesus, Serra Caiada, Boa Saúde, Coronel Ezequiel, Eloy de Souza, Lagoa de Pedras, Monte Alegre, São Bento do Trairí, Lagoa Salgada, Monte Alegre, Sítio Novo, São Tomé, São Pedro do Potengi, Ielmo Marinho.

A medida segue por tempo indeterminado até que o nível dos reservatórios se normalize.

 

Ministro estuda tirar obras de mobilidade de Natal da Matriz de Responsabilidade da Copa por causa dos atrasos

O ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, afirmou nesta quinta-feira que existem obras no “vermelho” em relação ao cronograma em quatro das 12 sedes da Copa do Mundo de 2014. Essas obras poderão ser retiradas da matriz de responsabilidade em outubro, o que, na prática, significa que o Brasil não teria mais compromisso de entregá-las para o evento da Fifa.

Ribeiro deu entrevista após reunião com prefeitos de 75 cidades para o lançamento de um programa de mobilidade para cidades entre 250 e 700 mil habitantes. Segundo os dados divulgados pelo ministro, que tem como base um levantamento de 15 de julho, há problemas graves de calendário em obras de Natal (RN), Cuiabá (MT), Manaus (AM) e Brasília (DF).

A capital potiguar tem duas obras com o carimbo vermelho: a reestruturação da Avenida Engenheiro Roberto Freire e o corredor de ônibus Zona Norte-Arena das Dunas. Em Cuiabá, o problema é com o veículo leve sobre trilhos (VLT), que tem problemas de licenciamento até a falta da conclusão de projeto executivo. Em Manaus, o projeto do Monotrilho está sob risco, por problemas de licenciamento. Já em Brasília, o VLT que ligará o aeroporto a um terminal na Asa Sul também preocupa, mas, segundo Ribeiro, a licitação foi concluída e o projeto pode migrar para o selo amarelo.

De acordo com os dados divulgados, 56% das obras de mobilidade estão com o calendário adequado. Além dessas obras com carimbo vermelho, há ainda outras 18 que têm o selo amarelo e precisam de aceleração nos processos para que sejam entregues dentro do prazo.

Fonte: Estadão

Natal, Alexandria, Dix-Sept Rosado, Lajes, Maxaranguape e Messias Targino estão com o FPM bloqueados

Está em Ana Ruth Dantas

O Tesouro Nacional divulgou a lista dos municípios que estão com a primeira parcela do FPM de fevereiro bloqueada. No Rio Grande do Norte, seis cidades estão nessa situação: Natal, Alexandria, Governador Dix-Sept Rosado, Lajes, Maxaranguape e Messias Targino.

O bloqueio foi realizado pela Secretaria da Receita Federal.

Atacadão é o supermercado/atacado mais barato

Jornal da Tarde

Em tempos de alta da inflação, o consumidor não pode abrir mão de pesquisar os melhores preços entre supermercados da mesma cidade ou região. Segundo pesquisa da Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Proteste), podem existir diferenças de até R$ 1.944,12 nos valores cobrados na cesta de 104 produtos líderes de venda ao longo de um ano, como ocorre em Brasília.

Rio de Janeiro, a pesquisa constatou que a procura pelos estabelecimentos com os menores preços de itens líderes de venda pode gerar uma economia anual de R$ 1.204,07 para os consumidores. Situações semelhantes ocorrem em 20 cidades de 13 Estados mais o Distrito Federal pesquisadas pelo Proteste, que consultou um total 1.156 supermercados.

Outras variações anuais importantes de preços entre os pontos de venda mais caros e mais baratos foram observadas nas cidades de Belo Horizonte (R$ 1.182,36), Florianópolis (R$ 1.142,78), Campinas (R$ 1.116,82), Salvador (R$ 1.109,32) e São Paulo (R$ 1.055,78).

Já entre as cidades pesquisadas, as menores diferenças de preços encontram-se nas cidades de Niterói, no Rio de Janeiro (R$ 151,07), nas pernambucanas de Olinda (R$ 471,96) e Jaboatão dos Guararapes (R$ 512,75), e em Porto Alegre (R$ 519,28).

“A variação de preços em uma cidade, dependendo do ponto de venda, pode ser muito grande, até em supermercados de uma mesma rede. Por isso, às vezes vale a pena atravessar a rua e conferir o preço em outro estabelecimento antes de fazer as compras”, afirma a Associação Proteste no estudo.

O levantamento considera o supermercado mais barato de cada cidade e, a partir desse referencial, quanto os outros cobram a mais. Segundo a associação, o Atacadão destaca-se como o mais barato em nove das 20 cidades pesquisadas e o Makro em outras cinco. No endereço eletrônico do Proteste (www.proteste.org.br) estará disponível, a partir desta segunda-feira (29), um simulador de custos da cesta de compras referente a vários supermercados do País.

O cálculo do valor da cesta levou em consideração ponderações, referentes à importância de cada item na composição das compras do mês, baseadas na Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).