Ministério quer contratar professores de educação física para postos de saúde para desenvolvimento de atividades contra o sedentarismo

Foto: Paul Rogers / NYTNS

No segundo semestre, o Ministério da Saúde contratará professores de educação física para desenvolverem atividades com quem for atendido nos postos de saúde. É que dados do ministério mostram que três em cada 100 mortes registradas no país em 2017 podem ter sido influenciadas pelo sedentarismo.

Ancelmo Gois – O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bruno disse:

    Perfeito, não sei pq o profissional de educação física não trabalha nos hospitais, postos de saúde ??
    Eles são a prevenção e a reabilitação!

Postos de saúde abrem no sábado para vacinar contra pólio e sarampo

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Municípios que ainda não atingiram a meta de vacinar 95% das crianças contra a poliomielite e o sarampo devem abrir os postos de saúde no próximo sábado (1º). A orientação foi divulgada nesta quarta-feira (29) pelo Ministério da Saúde. Cerca de 3,3 milhões de poliomielite e o sarampo ainda não foram imunizadas contra as doenças.

A pasta alertou que a organização da mobilização no fim de semana é de responsabilidade de cada município e que, portanto, é necessário verificar com as secretarias municipais quais postos estarão abertos. Até ontem (28), 70% das crianças brasileiras haviam sido vacinadas. Foram aplicadas, ao todo, mais de 15,7 milhões de doses das vacinas.

Até o momento, Amapá é o único estado que já superou a meta de vacinação, atingindo 99,81% para pólio e 99,43% para sarampo. As capitais Macapá e Porto Velho também superaram a meta, atingindo 100,3% para pólio e 99,8% para sarampo e 98,3% para pólio e 98,3% para sarampo, respectivamente.

Entre os estados com menor cobertura vacinal estão Rio de Janeiro, com 51,2% para pólio e 52,4% para sarampo e Distrito Federal, que tem 54% para pólio e 53,7% para sarampo. Já entre as capitais, as piores taxas de imunização estão em Boa Vista, com 38,4% para pólio e 38,3% para sarampo e Salvador, com 38,8% pólio e 38,4% sarampo.

Campanha

Este ano, a vacinação é feita de forma indiscriminada, o que significa que mesmo as crianças que já estão com esquema vacinal completo devem ser levadas aos postos de saúde para receber mais um reforço.

No caso da pólio, as crianças que não tomaram nenhuma dose ao longo da vida vão receber a vacina injetável e as que já tomaram uma ou mais doses devem receber a oral. Para o sarampo, todas as crianças com idade entre um ano e menores de 5 anos vão receber uma dose da tríplice viral, desde que não tenham sido vacinadas nos últimos 30 dias.

Casos de sarampo

Até o dia 28 de agosto, foram confirmados 1.553 casos de sarampo no Brasil, enquanto 6.975 permanecem em investigação. O país enfrenta dois surtos da doença: no Amazonas, que já computa 1.211 casos confirmados e 6.905 em investigação, e em Roraima, onde há 300 casos confirmados e 70 em investigação.

Casos isolados e relacionados à importação foram identificados nos seguintes estados: São Paulo (2); Rio de Janeiro (18); Rio Grande do Sul (16); Rondônia (2); Pernambuco (2); e Pará (2).

Foram confirmadas ainda sete mortes por sarampo, sendo quatro em Roraima (três em estrangeiros e uma em brasileiro) e três no Amazonas (todos brasileiros, sendo dois óbitos em Manaus e um no município de Autazes).

Agência Brasil

 

Postos de Saúde de Natal não marcam consultas por falta de internet. Água e Gás também estão cortados

Reportagem da Tribuna mostra a situação que chegou o atendimento que a População vem tendo nos postos de Saúde de Natal. É um coisa de você ficar louco e perguntar como conseguem que cheguem a um ponto desses. Segue reportagem,

Há quase um mês, as Unidades Básicas de Saúde estão desconectadas da Central de Marcação de Consultas devido corte no acesso à internet. Ou seja, apesar de prestar o atendimento básico, os Postos não têm mais a capacidade de encaminhar o paciente para realizar um exame nem marcar consulta com um especialista.

Alex RégisMiquelani Cavalcanti, mãe de dois filhos, diz que sofre com a falta de medicamentos nos postos

Segundo funcionária de uma Unidade de Saúde, que não quis ser identificada, a população está ciente das condições de trabalho: “Estamos explicando a situação e, infelizmente, contra a nossa vontade, passamos a adotar o procedimento do ‘tv’ (‘te vira’) quando alguém precisa de um exame ou um atendimento mais complexo”, lamentou a servidora. “O que podemos fazer é informar onde ele pode conseguir fazer um raio x, por exemplo. Passamos o endereço e em alguns casos, quando a pessoa é carente, até ajudamos no dinheiro da passagem”. A servidora informou que não há previsão para o sistema voltar a funcionar ainda em 2012.

As reclamações dos servidores dentro das Unidades de Saúde são recorrentes, da mesma forma que o pedido para preservar a identidade: “Todo mundo sabe dos problemas, mas ninguém fala abertamente com medo de perseguição. Eu mesmo não quero confusão pro meu lado”, disse funcionária lotada em Unidade na zona Oeste de Natal. Vale registrar que o fornecimento de água potável e gás de cozinha foi interrompido, segundo a servidora, há mais de três meses: “também estamos sem distribuição de leite para crianças e as linhas telefônicas estão cortadas”. Popularmente conhecidas como Postos de Saúde, as Unidades são o primeiro contato da pulação com o atendimento básico preventivo e deveriam ser capazes de minimizar a superlotação de hospitais e prontos socorros – um dos mecanismos para isso seria o Programa de Saúde Familiar (PSF).

MEDICAMENTOS

“Está quase tudo parando”, disse Miquelani Cavalcanti, dona de casa e mãe de dois filhos. Ela afirma que “está difícil encontrar remédios, e quando o atendimento é para pediatra encaminham logo para o (Hospital Infantil) Sandra Celeste. Sem falar que tenho que ir muitas vezes até conseguir uma ficha para atendimento”.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. ALVESJUNIOR disse:

    REALMENTE ESTA UM CASO DE CALAMIDADE. VOÇE NAO TEM MAIS A QUEM RECORRER. O MINISTERIO PUBLICO FAZ VISTA GROSSA . NAO TEM  INTERNET PARA MARCAÇAO DE CONSULTA. OS ALUGUEIS DOS IMOVEIS ESTAO A MAIS DE 10 MESES SEM PAGAREM. COMO E O CASO DOS  PSF. PANATIS.  O DA GUARITA 11 MESES. FELIPE CAMARAO . QUEM PERDEU A ESPERANÇA JA TOMOU OS IMOVEIS. TODOS EM ESTADO DEPLORAVEL. ENQUANTO ISSO  OS VERIADORES DE NATAL .COM QUE CARA VAO TER MORAL. PARA PEDIREM O SEU VOTO.

Falta de medicamentos nos Postos de Saúde da PMN é generalizada

O que dizer de um problema que a Prefeitura não consegue resolver? O que dizer das unidade básicas de saúde não ter o básico? Segue reportagem da Tribuna:

Quem se dirige aos Postos de Saúde de Natal em busca de atendimento, corre o risco de não recebê-lo. A ausência de médicos, desta vez, não é o maior problema. O desabastecimento das unidades, cuja solução definitiva ainda não foi apresentada pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), atinge todas as regiões da capital. Hoje, dois meses após as investigações da Delegacia do Patrimônio Público e Ministério Público que resultou na interdição do depósito do Departamento de Logística e Suporte da Secretaria, um relatório  que analisa o órgão municipal será entregue ao Ministério Público e à Justiça do Rio Grande do Norte.

Alex RégisA direção da Unidade Mista de Mãe Luíza não estava presente no início da tarde de ontem e os funcionários optaram por não comentar a situação.

A equipe de reportagem da TRIBUNA DO NORTE percorreu uma unidade de saúde (mista ou básica) em cada região administrativa da capital durante o dia de ontem. Os problemas na Unidade Básica de Saúde do Pajuçara, por exemplo, foram apontados pelos servidores e pacientes enquanto aguardavam atendimento no final da manhã.

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. caio fábio disse:

    Enquanto isso a "madame borboleta" está nos seus intermináveis passeios privados

Nos Postos de Saúde da Prefeitura falta até Aas e dipirona

Tribuna do Norte

Em meio a investigações que apuram o descarte ilegal de medicamentos da rede pública de saúde, o abastecimento ainda é um problema longe de ter solução. Nas unidades de saúde, reclamações não faltam. A reportagem da TRIBUNA DO NORTE percorreu ontem quatro unidades de saúde – uma em cada região administrativa da cidade – e constatou que o problema do desabastecimento continua.

Falta desde medicamentos básicos, como dipirona, Aas (Ácido Acetil  Salicílico) e vitaminas, como Ácido Fólico, à medicações específicas, como os psicotrópicos Tegretol e Diazepan 5mg; os antibióticos Amoxilina e Ampicilina; e anticoncepcionais em comprimidos e injetáveis. O mais grave é que o problema está exatamente nas unidades de referência, como a Policlínica da Zona Oeste, no bairro da Cidade da Esperança.

Usuários compram agulhas e seringas para abastecer posto do Cidade Satélite

Tribuna do Norte:

Em busca de atendimento médico para a filha de 14 anos, o comerciário Rubens Dantas foi ao posto de saúde de Cidade Satélite, na manhã desta quinta-feira (11), mas se deparou com situação corriqueira às unidades de saúde municipais: o desabastecimento. Faltava, além de medicamentos, seringas e agulhas para ministrar a medicação prescrita pelo médico de plantão. Os pacientes, então, fizeram uma “vaquinha” e decidiram comprar e doar 55 quites de seringas e agulhas para garantir alguns atendimentos na unidade.

(mais…)