Saúde

Por falta de vacinas, aplicação da segunda dose da coronavac é suspensa em Natal

A Secretaria Municipal de Saúde de Natal confirmou que as doses de Coronavac para a segunda aplicação acabaram na capital potiguar, e quem se dirigiu aos postos de vacinação nesta segunda-feira(12) para tomar a segunda dose ficou sem a vacina. Quando o estoque for restabelecido, a SMS Natal informará a população.

VEJA MAIS: Butantan entrega 1,5 milhão de doses da CoronaVac ao Ministério da Saúde nesta segunda

Leitores do Blog também relataram o problema. Enquanto filas se formaram nas unidades de saúde da capital nesta segunda-feira (12), acabou vacinado apenas o público prioritário da primeira dose, e da segunda dose da Astrazeneca.

A vacinação contra COVID-19 continua para aplicação da primeira dose para os idosos de 63 anos+ e para a segunda dose com imunizante da Oxford.

Opinião dos leitores

  1. Como pode isso ser verdade se 4 dias atrás tínhamos 300 mil doses estocadas??????? Dia 8 de abril tínhamos recebido 754 mil doses e apenas 457 mil aplicadas.

  2. Vcs sem conhecimento e com pouca análise da situação, ficam conversando besteira. Não existe um culpado só, seja lá quer for, existem muitos culpados, do presidente a ministros, governadores, prefeitos, otarios que ficam puxando a corda politica e a população irresponsável. Como por a culpa só em um? Até o fique em casa de Mandetta foi catastrófico, a demora da ANVISA, os governadores que em vez de unir, preferiram criar fatos pata desgastar o presidente, não construíram leitos suficientes, fecharam serviços, o negacionista da doença enquanto pandemia, a politização da questão é ações mal explicadas de muitos. A população com festas e baladas, o STF, tem muita gente na reta.

  3. Vixe! E agora? Será que a governadora bokus tá escondendo vacina ou simplesmente o presidente inepto não comprou vacinas tempestivamente e agora tá acabando? Qual a narrativa do grupin do zap?

  4. Dia 14/04, quarta-feira, é o dia marcado pela equipe de saúde para minha segunda dose. Quem governa o Estado, devia estar com as vacinas nos postos para serem aplicadas e não prestar uma informação desse tipo , deixando as pessoas inseguras.

    1. A culpa é totalmente do Min. da Saúde pela falta da vacina no RN. O próprio Ministério mandou aplicar todo o estoque reservado para a segunda dose

  5. Impressiona ver o jogo político acima do respeito a vida. Estou criticando?
    Lançam o comunicado e não informam os números de vacinas o RN recebeu e quantas foram aplicadas. Se a ação é tomada, justifique com números, fundamente para afastar a certeza da má gestão. Então vamos facilitar, quantas vacinas o RN recebeu e quantas foram aplicadas?
    O RN é o penúltimo estado em número de vacinas aplicadas, na PB já estão disponibilizando vacina para quem tem 59 anos. No nordeste até SE e AL estão a frente do RN, assim como estados muito maiores, PE e CE.
    Onde estão os órgãos que deveriam fiscalizar e cobrar ações e providências do governo do estado? Cadê a classe política do RN que está totalmente omissa em toda pandemia?
    Onde fica o respeito a vida dos eleitores? Tudo se resume a briga política?

  6. Vixe, será que a Governadora passou também o cadeado nas vacinas?
    Que falta de competência e humanidade dessa governadora ingrata, prepotente, arrogante e soberba.

    1. Sabe ler? Secretaria Municipal de Saúde. Se o presidente tivesse comprado lá em julho do ano passado as 70 milhões de doses da Pfizer, talvez não estaríamos passando por isso.

    2. Sim, Potiguar. As vacinas vem para o Estado e o Estado distribui para as Secretarias municipais. Você é tolo ou se faz?

    3. O ministério da saúde mandou aplicar todas as doses sem reserva da segunda dose. Ou seja ta mais perdido que cego em tiroteio

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

PDT pede interdição de Bolsonaro por falta de ‘capacidade mental’ para seguir como presidente

Foto: Mateus Bonomi/AGIF/Estadão Conteúdo

O PDT protocolou nesta segunda, 8, junto à Procuradoria-Geral da República, um pedido de interdição do presidente Jair Bolsonaro. O partido alega que, durante a pandemia da covid-19, o chefe do Executivo age “na contramão dos atos que uma pessoa em plena saúde mental agiria” e que, portanto, não teria capacidade mental para continuar no cargo.

“(Bolsonaro) tem a finalidade deliberada de causar danos à população brasileira, conduzindo o país ao abismo com as suas condutas negacionistas e obscurantistas em detrimento da ciência”, diz o documento assinado pelo presidente da sigla, Carlos Lupi, e pelo ex-ministro Ciro Gomes.

Comentários de Bolsonaro sobre a vacina e sobre medidas de isolamento social foram usados como argumento para defender a hipótese de que Bolsonaro não tem o discernimento necessário, “nem tampouco capacidades mentais plenas” para seguir como presidente: “(Bolsonaro) continua a incitar a população a voltar à normalidade, a não utilizar máscara e a não seguir as orientações das autoridades sanitárias; (…) diminuiu a importância da vacina; (…) tem apresentado resistência quanto à implementação da política de vacinação.

“Bolsonaro coloca a população brasileira em risco. Já são mais de 260 mil mortes pela Covid e ele segue agindo contra todas as ações de saúde e proteção”, diz Ciro.

O processo de interdição está previsto na seção IX do Código de Processo Civil. Pela lei, a interdição pode ser promovida pelo Ministério Público em caso de doença mental grave. Se acatado, o processo de interdição inclui uma entrevista minuciosa feita por um juiz, que emite parecer sobre a capacidade do possível interditado de praticar atos da vida civil. O juiz pode ouvir pessoas próximas e parentes enquanto é realizada a produção de prova pericial. Só então há uma sentença. A lei não especifica o processo caso a interdição tenha como alvo a autoridade máxima do País.

Juristas ouvidos pelo Estadão acham difícil que a ação do PDT avance. “É remota a possibilidade de êxito da representação do PDT em razão do fato político que está em jogo”, diz o advogado criminalista e constitucionalista Adib Abdouni. “Mas, diante dos evidentes indícios da incapacidade do presidente da República para a prática dos atos da vida civil, o procurador-geral da República tem competência constitucional para propor perante o Supremo Tribunal Federal uma ação judicial objetivando interditar Jair Bolsonaro.”

A ação também tem um percalço de ordem política, na análise da advogada constitucionalista Vera Chemin. “Um processo de interdição não é tão simples quanto pode parecer. Do ponto de vista político, a PGR dificilmente requererá aquela interdição. Quanto à possibilidade legal de iniciar um processo dessa natureza, até pode ser aventado ‘remotamente’, sob o manto da lei nº 8112/1990 (sobre o regime jurídico dos servidores públicos), pois o presidente da República é considerado um agente público e, nesse caso, pode ser enquadrado naquela legislação, tendo como consequência a aposentadoria por invalidez permanente em decorrência de doença grave”.

Em setembro de 2019, uma ação popular enviada à Justiça Federal do Distrito Federal pedia a interdição de Bolsonaro por falas sobre pessoas de região Nordeste, homossexuais e pelo “apoio à ‘revolução’ de 1964”, entre outros temas, mas o pedido foi indeferido.

O pedido do PDT à PGR cita episódios como o de uma viagem a Uberlância em que o presidente afirmou, sobre vacinas: “Tem idiota nas redes sociais, na imprensa, (falando) ‘vai comprar vacina’. Só se for na cada da tua mãe”. Também é citada a frase “Chega de frescura, de mimimi”, utilizada por Bolsonaro para se referir aos protocolos de isolamento social.

“Eu acho que ele é louco e precisa ser interditado antes que mais brasileiros morram por sua loucura”, disse Lupi. “A ação é um caminho constitucional e esperamos que, sendo aceita, vá a julgamento pelo Supremo”. O presidente municipal do PDT em São Paulo, Antônio Neto, acrescentou: “Não é possível que esse cidadão, responsável pela morte de milhares de brasileiros, que incentiva aglomeração em meio à pandemia, combate toda e qualquer proteção da sociedade, que combate a vacinação, bata bem da cachola. É louco e precisa ser interditado.”

Reale Junior já falou em interdição

Um dos autores do pedido de impeachment contra a ex-presidente Dilma Rousseff, o jurista Miguel Reale Júnior falou em março de 2020 em uma possível interdição contra Bolsonaro. Ele defendeu que o Ministério Público pedisse que o presidente fosse submetido a uma junta médica para saber se ele teria sanidade mental para o exercício do cargo. “O Ministério Público pode requerer um exame de sanidade mental para o exercício da profissão”, disse em entrevista ao Estadão. Dias antes, Bolsonaro participara de uma manifestação contra o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal (STF) em Brasília. “Bolsonaro também está sujeito a medidas administrativas e eventualmente criminais. Assumir o risco de expor pessoas a contágio é crime.”

Estadão

Opinião dos leitores

  1. Ehhehehehe!
    Quero saber pra onde vai coroné Ciro com essa do Fachim.
    A esquerda não tem votos pra eleger um candidato vai eleger dois…
    Ciro vai pra Bolsonaro ou pra Moro?
    Pra Lula, se honrar a palavra, ja disse que nunca mais faz campanha junto com o PT, tem uma mágoa grande do Lula porque lula apoiou andrade.
    Kkkkkkkkkkkkkk
    Uma coisa é certa, não será se quer candidato nesse atual cenário se tudo se confirmar como candidatos os três que aparece melhor colocados nas pesquisas, Bolsonaro, Moro e Lula **doria, hulk da globo lixo e mandeta nem falo, três sem votos.
    Vamos aguarda BG.

  2. ESSE PTD É MAIS UMA FACÇÃO CRIMINOSA, SÃO LADRÕES DA MESMA QUADRILHA DO PT. O ROUBOU ACABOU ESSES ESQUERDOPATAS CAVIAR. NÃO TEM MAIS ONDE MAMAR. BOLSONARO 2022.

  3. Bg ,se eu fosse você ,eu tinha era vergonha de publicar uma matéria dessa ,eles estão desesperado , não sabem mais o que fazer !!!

  4. Esse fdp do PR JB está me traindo. Eu usei meu voto com arma e ele como a única bala pra exterminar essa babaquice. Tá esperando o q.PR pra dar um basta.

  5. Jacaré ? está lelé , pode acreditar , PIXU Nsk é psicólogo mas PIXU é um estudioso da mente humana . Os sinais de alterações são patognomônicos ( Gadolândia : há para o dicionário) , PIXU fala difícil .

  6. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Os adoradores de corruptos como zedogado e pixuleco tendo 01 dia de alegria.
    Aguarde o que vem por aí. Do povo nenhum político escapa, principalmente os corruptos.
    Estão puxando demais a corda, vai arrebentar.

  7. Era só o que faltava kkk. Quanta apelação por poder, meu Deus do céu!
    Será que não tem outra coisa pra inventar? PQP kkkk
    Isso é uma vergonha kkkk

    1. Procuram corrupção, não acham, aí haja apelação. E o pior, ocupando a justiça com coisas sem lógica. Esse negócio tinha que ser revertido, quando não tivesse fundamento. Aí essa brincadeirinha de tá entrando com ação com toda merda, acabava. Os caras tão de sacanagem.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

ESCASSEZ GLOBAL: Maior fabricante de vacinas alerta para falta de matérias-primas

Foto: Gareth Fuller/Pool via AP

O CEO da maior fabricante de vacinas do mundo e a cientista-chefe da Organização Mundial da Saúde (OMS) disseram que há escassez global da matérias-primas para produzir imunizantes contra o coronavírus.

Adar Poonawalla, diretor-presidente do Serum Institute of India – que está licenciado para produzir centenas de milhões de vacinas contra a covid-19 da AstraZeneca e Novavax – disse a um painel do Banco Mundial na quinta-feira que uma lei dos Estados Unidos que bloqueia a exportação de certos itens importantes, como bolsas e filtros, pode causar sérios gargalos. Soumya Swaminathan, da OMS, acrescentou que faltam frascos, vidros, plásticos e tampas usadas por essas empresas.

“A vacina da Novavax, da qual somos um grande fabricante, precisa desses itens dos Estados Unidos”, disse Poonawalla. “Se estamos falando sobre aumentar capacidade no mundo todo, o compartilhamento dessas matérias-primas fundamentais vai se tornar um fator limitante crítico, ninguém conseguiu abordar isso até agora.”

O governo Biden anunciou planos de usar a Lei de Produção de Defesa para aumentar os suprimentos necessários para a fabricação de vacinas da Pfizer. Em 2020, a Pfizer reduziu as metas de produção depois que a farmacêutica americana enfrentou dificuldades para garantir todas as matérias-primas de que precisava para produzir vacinas em grande escala.

“Isso é algo que precisaria de alguma discussão com o governo Biden para explicar a eles que há suficiente para todos”, disse Poonawalla. “Estamos falando sobre ter acesso global gratuito a vacinas, mas, se não conseguirmos as matérias-primas dos EUA, isso será um sério fator limitante.”

Mesmo sob condições ideais, vacinar 7,8 bilhões de pessoas testaria a delicada coreografia das cadeias de suprimento globais de maneiras nunca vistas em tempos de paz. Isso porque a produção de uma vacina depende de uma complexa cadeia de valor global de matérias-primas e componentes.

“Há escassez de matérias-primas, de produtos necessários para a fabricação de vacinas”, disse Swaminathan. “É aqui que, mais uma vez, precisamos de um acordo global e coordenação para não proibir as exportações.”

Ela disse que os parceiros de vacinas da OMS, a Federação Internacional de Fabricantes e Associações Farmacêuticas e a Rede de Fabricantes de Vacinas dos Países em Desenvolvimento realizarão reuniões na segunda e terça-feira da próxima semana para discutir essas questões.

Apesar das advertências de Poonawalla, ele disse que o Serum distribuiu nos últimos dois meses 90 milhões de doses da vacina da AstraZeneca para 51 países depois que recebeu autorização emergencial dos reguladores indianos no início de janeiro, um ritmo recorde para a empresa.

Valor

Opinião dos leitores

  1. Mistura com cloroquina, no depósito de Bolsonaro tem umas 50 toneladas que ele comprou e, exceto o alguns exemplares do gado, ninguém quiz tomar

  2. $ó $e fala em vacina$.
    E o tratamento precoce com remédios baratos defendido por vários médicos inclusive pela maior autoridade desse país??
    Ninguém da ouvidos, e o fumo só entrando.
    Era custo governadores e prefeitos no Brasil todo sentar e discutir com os medicos?
    Tinha que ser implementado uma coisa dessas pro bem do povo.
    Mas não, fazem loby pros laboratórios mult milionários.
    Esses políticos são uma vergonha.

  3. Na loucura do mundo por essa vacina, eles irão perder oportunidade pra ganhar mais dinheiro, isso são uns fdp, acoloiados com a china. Taí a China, causadora e dessieminadora dessa pandemia no mundo, totalmente incólume. O mundo que se f**, é isso que eles desejam.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Denúncia

FOTO: Moradores denunciam falta de manutenção das piscinas do clube da Telemar, na avenida Amintas Barros, e temem por pragas

Foto: Cedida

Os moradores do bairro de Nossa Senhora de Nazaré, na capital potiguar, queixam-se do abandono das piscinas do clube da Telemar, situado na avenida Amintas Barros.

Segundo os denunciantes, desde o mês de dezembro, as piscinas não são tratadas, apresentando coloração verde escura. O temor pela proliferação de pragas durante o pedido da pandemia é a principal preocupação dos moradores locais.

 

Opinião dos leitores

  1. Kd o poder público pra notificar e gerar receita com multas. Nossos órgãos públicos deixam de arrecada muito com os que desobedecem as regras

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Prefeito do Rio diz que vai suspender vacinação contra a Covid-19 na quarta-feira por falta de doses

Foto: Reprodução/ TV Globo

O prefeito do Rio, Eduardo Paes (DEM), anunciou por meio de uma postagem em suas redes sociais que a cidade terá que interromper a campanha de vacinação contra a Covid-19 na quarta-feira (17) por falta de doses do imunizante.

“Recebi a notícia de que não chegaram novas doses. Teremos que interromper amanhã a nossa campanha. Hoje vacinamos pessoas de 84 anos e amanhã de 83. Estamos prontos e já vacinamos 244.852. Só precisamos que a vacina chegue. Nova leva deve chegar do Butantan na próxima semana”, afirmou Eduardo Paes.

Segundo o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, o calendário retorna na próxima segunda, dia 22 de fevereiro, quando a cidade deve receber mais doses da Coronavac do Instituto Butantan.

“Infelizmente, a gente vai ter que interromper o calendário, voltar para o calendário original, porque a gente antecipou uma semana o calendário no Rio”, disse Soranz.

O calendário de vacinação contra a Covid-19 havia sido antecipado no dia 2 de fevereiro. A previsão era que todos os idosos com idade até 75 anos fossem vacinados até o fim de fevereiro.

O plano segue sendo vacinar todos os idosos com mais de 60 anos até o fim de março, disse o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz.

“Quem tem 82 anos tem que procurar os postos na semana que vem, voltando ao calendário original”, afirmou o secretário.

A Prefeitura do Rio de Janeiro ainda vai avisar como ficará o novo calendário, a partir da chegada de mais doses. Em entrevista à GloboNews, Eduardo Paes disse que a prioridade segue sendo vacinar os grupos mais vulneráveis à Covid.

“Havia a expectativa de chegada de mais doses, isso não aconteceu, quando o secretário de Saúde informou isso pela manhã eu já fiz a comunicação de que teríamos que suspender na quarta-feira. E há uma expectativa de entrega de doses por parte do Butantan na semana que vem. Assim que as doses chegarem a gente retoma. A gente quer acelerar isso”, afirmou Paes.

Segunda dose

A segunda dose a ser aplicada nos profissionais de saúde e idosos abrigados está garantida, segundo Soranz.

“A segunda dose está reservada, a gente já começa na segunda-feira a aplicar a segunda dose em alguns institutos de longa permanência de idosos. Profissionais de saúde que tomaram a primeira dose no dia 20 de janeiro, também terão a aplicação desta dose amanhã, 16 de fevereiro. Vamos aproveitar o feriado de carnaval para poder aplicar a dose”, informou o secretário.

Suspensão em outros lugares do Brasil

A vacinação também foi interrompida em Ananindeua, na Região Metropolitana de Belém, no domingo (14). A informação foi publicada nas redes sociais da prefeitura do município.

Segundo o poder municipal, o quantitativo para aplicação das primeiras doses em idosos teria acabado. A secretaria disse ainda que aguarda um novo repasse do Ministério da Saúde para que a vacinação volte a acontecer.

G1

Opinião dos leitores

    1. É fácil governar uma cidade assim. Ele espera que tudo caia do céu.
      Corra atrás, faça convênios, compre vacinas, negocie com o Estado o remanejamento de estoques (as chamadas xepas das vacinas).

    2. Realmente! Ele, Crivela, Flávio Bolsonaro… Todos deveriam estar presos!

    3. Porque titia? Acabou a vacina. Quem deveria ter comprado preferiu se preocupar com coisas mais importantes, como liberação de armas, ofensas à países estrangeiros e guerrinha pela reeleição. Sim, foi o Bozo, o infeliz que nos trouxe a essa situação Esse sim ira pra cadeia em brevê.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Por falta de seringa, Japão pode desperdiçar milhões de doses de vacina da Pfizer

Foto: KAZUHIRO NOGI / AFP

Milhões de pessoas no Japão podem ficar sem vacina contra a Covid-19 porque o país comprou 144 milhões de doses da vacina Pfizer — o suficiente para 72 milhões de pessoas — mas não tem a sergina correta para a aplicação, segundo reportagem do Guardian.

As seringas padrão em uso no Japão não conseguem extrair a sexta dose de cada frasco fabricado pela farmacêutica norte-americana, segundo a ministra da Saúde, Norihisa Tamura.

Fatam seringas de baixo “espaço morto”, ou seja, que têm êmbolos estreitos capazes de puxar qualquer sobra de vacina, revela o jornal britânico. Sem elas, os vacinadores japoneses terão que usar seringas padrão que extraem apenas cinco doses por frasco. Dessa forma, além do despedício, haveria vacina suficiente para 60 milhões de pessoas. O Japão tem, aproximadamente, 127 milhões de habitantes.

“As seringas usadas no Japão podem tirar apenas cinco doses. Usaremos todas as seringas que temos que podem tirar seis doses, mas, é claro, não será suficiente à medida que mais injeções forem administradas”, disse Tamura, de acordo com a agência de notícias Kyod.

O governo japonês solicitou aos fabricantes de equipamentos médicos que aumentem a produção das seringas especializadas. Outros países que usam a vacina da Pfizer, como Estados Unidos e alguns da União Europeia, também relataram escassez desse tipo de material, o que significa que provavelmente haverá uma forte competição para garantir suprimentos adicionais rapidamente.

Segundo o Guardian, um funcionário do ministério da saúde japonês informou a uma agência de notícias local que: “quando o contrato foi feito, não tínhamos certeza de que um frasco poderia ser usado para seis doses. Não podemos negar que demoramos para confirmar isso”.

O Japão vai iniciar seu programa de vacinação contra a Covid-19 no dia 17 de fevereiro, alguns meses depois de várias nações desenvolvidas.

Os primeiros a serem vacinados serão entre 10 mil e 20 mil profissionais de saúde da linha de frente, seguidos por outros 3,7 milhões de trabalhadores de saúde a partir de meados de março. A imunização de 36 milhões de pessoas com 65 anos ou mais só deve começar no início de abril.

A Pfizer enviou, neste sábado, pedido de registro definitivo de sua vacina contra a Covid-19 no Brasil à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Caso a agência dê o aval à empresa, o imunizante, que a farmacêutica desenvolve com a alemã BioNTech, poderá ser distribuído amplamente e comercializado no país.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Meus amigos se o problema do governo do MINTOmaníaco inepto fosse faltar seringa… Se lá no Japão talvez faltem seringas aqui quase não tínhamos nem vacina!

    1. Kkkkkk. Virou partida de futebol? Cada qual escolhe seu político corrupto de estimação e torce até morrer ? Quando um time vence os outros tiram sarro? A que ponto o brasileiro chegou : ter político de estimação ! Logo no Brasil !

  2. No Japão, primeiro mundo, pode.
    Se fosse no Brasil o presidente estaria sendo esculhampado pela esquerda maldita.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Por falta de pagamento, médicos ameaçam suspender atendimento na sexta-feira nos Centros Covid-19

Os serviços contratados pela Prefeitura Municipal do Natal – PMN ao combate a COVID-19 estão com pagamentos em aberto desde outubro de 2020. Os médicos que prestam atendimento clínico nos postos destinados a Covid ameaçam suspender a qualquer momento as atividades mediante ao não cumprimento dos honorários.

Os médicos que compõem as escalas de combate à Pandemia fazem parte da Cooperativa Médica do RN e cobram da sua diretoria e da gestão municipal esclarecimentos a respeito dos pagamentos até às 19h da quinta-feira (11). Os profissionais já comunicaram, que caso não haja qualquer inciativa da PMN, na sexta-feira (12), a partir das 7h da manhã haverá dificuldade no preenchimento da escala.

A paralisação pode acontecer em um momento delicado no pico da segunda onda da Pandemia e as vésperas do Carnaval, que mesmo havendo orientação de não aglomeração, organizam para festas informais, o que pode alavancar à procura por atendimento nos Centros Covid.

Opinião dos leitores

  1. Riscos (médicos) e políticos (ricos) jamais pensaram na saúde do povo.
    A única visão desse povo é financeira.
    Acreditar nessa conversa de trabalho com vontade e devoção é conversar fiada como político dizer que quer o bem do povo também.
    Agora, antigamente havia perseguição dos políticos aos funcionários e hoje não precisa mais pq a justiça a eles pertence.
    E os ricos médicos são anos luz ricos além da realidade que eles revelam e estão cagando para salvar vidas pobres.
    Caiam na real! O Brasil pertence aos ricos e políticos. Morrendo mais da metade dos pobres pra eles é um bom negócio.

  2. Então quer dizer que os guerreiros que estão a frente do combate ao COVID-19, se não receber agora vão parar.
    Parabéns “ guerreiros” do dinheiro.

    1. Já que estás trabalhando de graça, vai lá no hospital lavar uma louça.

    2. Imbecil!!
      Va vc pra linha de frente liso, com fome agua e luz Atrazado e a conta do cartão comendo juros.
      Vai marmota!!!
      Só pode ser um esquerdista cagando pela boca.

    3. Meu caro …acredito que voce é da linha dos BOLSOTRALHAS que acham que 250 reais de pra sobreviver…toda equipe médica do enfermeiro ao medico precisam ser muito bem remunerados…SO OS BOLSOTRALHAS E QUE ACHAM O GOVERNO DESSE BOSTA PRESIDENTE DO QUINTO DOS INFERNOS BOM.

  3. Esse o prefeito coronel Álvaro Dias, ele nunca me enganou, são todos farinha do mesmo saco.ele a a governadora só pensam em 2222.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comportamento

Furar a fila da vacinação é ‘falta de caráter e sensibilidade’, diz Mourão

Foto: Pablo Jacob/Agência O Globo

O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou nesta sexta-feira que quem “fura” a fila da vacinação contra Covid-19 demonstra falta de solidariedade e de caráter. Mourão pediu que a população se conscientize e compareça somente no momento adequado.

— É necessário também que as pessoas se conscientizem, que cada um tem que comparecer de acordo com o seu grupo, para ser vacinado. E não procurar atropelar o processo. Isso denota uma falta de solidariedade, uma falta até de caráter da pessoa que faz isso — disse o vice-presidente, ao chegar no Palácio do Planalto.

Em pelo menos cinco estados — Amazonas, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe — há sinais de uma interferência política na vacinação, com gestores de saúde ou pessoas ligadas a eles furando a fila de prioridade para receber a primeira dose. O Ministério Público investiga os dribles nos critérios oficiais.

Mourão afirmou que a “corrida da vacina” afeta todos os países, porque os insumos existentes não são necessários para para a produção:

— Essa corrida da vacina é uma corrida que está, vamos dizer assim, causando problema no mundo inteiro, porque tem uma quantidade enorme de gente a ser vacinada. A quantidade de insumos a ser produzida não é dentro da necessidade.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Poxa! Até parece que estamos na Dinamarca ou Japão. O Brasil sempre foi assim: Se poder fala com o gerente para não entrar na fila; arruma um atestado pra não entrar na fila; senta na poltrona destinada a idosos; diz que é de menor; diz que e filho do deputado, prefeito, coronel, do doutor dono de tal clínica e por aí vai… Sim, diz que é jornalista e que está atrasando para o início do programa e fura a fila…

  2. É. Mas Não vejo caráter no governo federal. A mentira é uma constante e isso também é falta de caráter.

  3. Será que essas pessoas conseguem deitar a cabeça no travesseiro e dormir sossegadamente? Se não tiverem caráter e hombridade, sim!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Empregado que não tomar vacina poderá ser demitido por justa causa, avaliam advogados; entenda em que situações

FOTO: MARCOS SANTOS/USP IMAGENS

Trabalhadores que se recusarem a tomar a vacina contra a covid-19 correm o risco de serem mandados embora por justa causa, afirmam advogados especializados em Direito do Trabalho ouvidos por esta coluna.

Com a aprovação para uso emergencial das vacinas contra a covid-19 pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) no domingo (17) e início do Plano Nacional de Imunização na segunda-feira (18), que irá permitir que todos os brasileiros possam se proteger da doença nos próximos meses, a recusa em se vacinar poderá custar o emprego de quem trabalha com carteira assinada.

Por enquanto, apenas os profissionais da saúde que estão da linha de frente de combate à pandemia provocada pelo novo coronavírus estão sendo imunizados, mas à medida que a vacina for sendo liberada para todos, os trabalhadores das demais áreas poderão ser cobrados pelas empresas para apresentar o comprovante de vacinação a fim de manter seus empregos.

A coluna ouviu a advogada Adriana Calvo, autora do Manual de Direito do Trabalho e membro da comissão de Direito do Trabalho da OAB/SP; a especialista em gestão de pessoas e compliance trabalhista Ana Gabriela Primon, sócia do escritório Granadeiro Guimarães Advogados e o professor do Departamento de Direito do Trabalho da USP, Antonio Rodrigues de Freitas Júnior.

Para os três advogados, a possibilidade de demissão é possível e até mesmo provável, uma vez que o STF (Supremo Tribunal Federal) julgou que, apesar de a vacinação não ser obrigatória, ela poderá implicar em punições para aqueles que se recusarem a tomar a vacina. A decisão foi tomada no julgamento das Ações Diretas de Inconstitucionalidade (ADIs 6586 e 6587) e de um Recurso Extraordinário com Agravo (ARE 1267879) que tratavam da vacinação contra a covid-19 e do direito de recusar a imunização em razão de convicções pessoais.

Empresa deve garantir ambiente de trabalho saudável

“Essa é uma questão bastante complexa e envolve uma discussão constitucional”, explica a advogada Ana Gabriela. “De um lado temos a liberdade do indivíduo e o princípio da legalidade, pelo qual ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei, e, por outro, há a questão da saúde pública e o dever legal do empregador de manter um ambiente de trabalho saudável.”

“Considerando que o STF já decidiu que a recusa pode implicar em aplicação de multa, impedimento de frequentar determinados lugares ou até usar o transporte público, por exemplo, é possível a aplicação da justa causa porque nesse caso a empresa deve priorizar o interesse coletivo”, diz Ana Gabriela.

Para o professor Freitas, “o espaço do estabelecimento da empresa é de uso compartilhado e contribuir para evitar a propagação da doença por meio de práticas cientificamente recomendadas, é medida de higiene do local de trabalho pela qual cabe ao empregador zelar, fixando normas e protocolos de observância obrigatória”.

A advogada Adriana Calvo completa. “Fica claro que se o município onde estiver sediada a empresa não editar nenhuma lei dizendo que a vacina é obrigatória, então caberá ao empregador decidir se ele vai torná-la obrigatória ou não com base no seu poder diretivo. Esse poder vem do artigo 157 da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), pelo qual o empregador tem o dever de zelar pela saúde e segurança no ambiente de trabalho.

“Como existe a possibilidade de o empregado que contrair covid-19 culpar a empregadora por acidente de trabalho trazendo repercussões econômicas muito grandes para a empresa, assim que a vacina estiver disponível, é provável que as empresas passem a exigir que seus empregados se imunizem.”

E os trabalhadores que estiverem em home office?

Já para o trabalhador que está em home office, ou seja, trabalha da sua casa e não comparece à empresa, os advogados entendem que, nesse caso, a empresa não pode obrigar a pessoa a se vacinar.

“Se o empregado trabalha em home office e não retornou à atividade presencial, não haveria nenhum fundamento para que o empregador exigisse a vacina desse empregado. O empregado está na sua casa, não traz nenhum risco para a empresa, é direito dele decidir se quer ser vacinado ou não”, diz Adriana Calvo.

Quem pode se negar a tomar a vacina e não ser demitido?

O professor Freitas entende que qualquer empregado pode ser demitido por justa causa, desde que fique demonstrado que há uma recusa infundada em tomar a vacina. Mas aqueles que tiverem uma recusa fundamentada não poderão ser obrigados. “Por exemplo: gestantes não podem ainda se submeter à vacina e portando podem se recusar. Por outro lado, a vacina também tem que estar disponível na localidade em número tal que sua aplicação seja possível”, diz.

O empregado que apresente também um atestado médico demonstrando que possui determinada condição de saúde que não permite se vacinar também não poderá ser obrigado, explica a advogada Adriana Calvo.

Mas basta não tomar a vacina para já ser mandado embora por justa causa?

Não é bem assim. Como a demissão por justa causa é uma punição que prejudica bastante o trabalhador, ela precisa ser aplicada de maneira proporcional à gravidade da falta, explica a Ana Gabriela. A sugestão da advogada é que a empresa faça uma gradação das penalidades.

“Primeiro, a empresa deveria aplicar uma advertência, em seguida, poderia aplicar uma suspensão do contrato de trabalho e, por fim, caso ainda houvesse a resistência do trabalhador, a demissão por justa causa.”

A advogada Adriana Calvo concorda que não deve haver uma justa causa imediata. “O ideal é primeiro dar uma advertência e um prazo de 30 dias para o empregado se vacinar e, caso ele não o fizer, então aplicar a justa causa.”

Tudo isso lembrando que a vacinação já tem de estar disponível para todos, pois já ficou decidido que as empresas não poderão comprar vacinas para imunizar seus empregados.

Ainda não há prazo para que a vacina esteja disponível para todos os brasileiros no Plano Nacional de Imunização.

O QUE É QUE EU FAÇO SOPHIA – R7

Opinião dos leitores

  1. Pelo mesmo raciocínio da reportagem seria motivo de justa causa para demissão/impeachment do Bozo.

  2. Devemos avaliar o mesmo para aqueles funcionários que participaram do réveillon em Gostoso, Pipa, parrachos, espaço di Trento etc…
    Esses devem ser demitido por justa causa na mesma hora, colocou vários colaboradores em risco e demais pessoas próximas da família.

    1. Homi, quem vai pra esses cantos não é empregado. É empregador

  3. O problema é que não tem vacina. Serve cloroquina? Bozo não acredita em vacina e não foi atras. Agora se humilha perante o mundo para conseguir uma. Pelo mesmo raciocínio da reportagem seria motivo de justa causa para sua demissão/impeachment.

  4. A vacina contra o coronavírus será igual a febre amarela: obrigatória para entrar ou viajar a determinados lugares.
    Vc não tem a obrigação de tomar, porém se não tomar não poderá ir. Ficará ilhado.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Cidade no interior do AM registra 7 mortes por falta de oxigênio, e culpa Secretaria do Estado de Saúde por falhas de planejamento

A prefeitura de Coari, distante 450 km de Manaus pela via fluvial, divulgou uma nota em que afirma que sete pacientes internados com Covid-19 no Hospital Regional da cidade morreram por falta de oxigênio, nesta terça-feira (19). Segundo o texto, Coari deveria ter recebido 40 cilindros de oxigênio na segunda-feira (18), mas a aeronave que levaria os tanques acabou viajando para Tefé (AM) e ficou impossibilitada de retornar, pois o aeroporto não aceita voos noturnos.

O texto culpa falhas de planejamento da Secretaria de Saúde do Amazonas pela falta do insumo, o que prejudicaria as medidas de combate à Covid-19 no município. Segundo a nota, 200 cilindros do Hospital Regional de Coari estão retidos pela Secretaria da Saúde — e parte deles estaria aguardando o abastecimento. A prefeitura acusa a o governo de distribuir a outra parte a Unidades Básicas de Saúde ou (UBS de Manaus.

Após as mortes, uma multidão foi até a porta do hospital para protestar contra as mortes.

O G1 questionou a Secretaria da Saúde do Amazonas sobre as acusações, mas não obteve retorno até a publicação deste texto.

Crise do oxigênio

Com mais de 232 mil casos e 6,3 mil mortes decorrentes da Covid-19, o Amazonas vive um caos no sistema de saúde com hospitais lotados. As unidades de saúde não têm oxigênio suficiente para todos os pacientes, o que fez o governo adotar medidas emergenciais para receber o insumo. O governo da Venezuela é um dos que enviou ajuda ao Amazonas.

A situação é tão dramática que, desde a semana passada, o estado está enviando pacientes para receber atendimento em outros estados. No total, 115 pacientes foram transferidos. O transporte dos passageiros é feito em aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB), que foram adaptadas para essa finalidade.

Um decreto suspende as atividades econômicas não-essenciais até o dia 31 de janeiro. A circulação de pessoas em todos os municípios do Amazonas está restrita entre 19h e 6h.

Com hospitais lotados e o número de mortes aumentando, os cemitérios registraram aumento de sepultamentos. Desde a semana passada, esses locais já operam com horário de funcionamento ampliado e, no Cemitério do Tarumã, há câmaras frias para os corpos serem preservados e não necessitarem ser enterrados em valas coletivas – como no primeiro pico da pandemia, em abril e maio de 2020.

Foto: Reprodução

G1

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Professores do Estado que participaram do Projeto “Juntos no Enem”, iniciado no fim de outubro, ainda não receberam

Foto: Reprodução

Professores do Estado que participaram do Projeto “Juntos no Enem”, ainda não receberam suas remunerações em folha suplementar pelas suas aulas ministradas, que são exibidas via Youtube, e ainda em TV aberta. As aulas em vídeo começaram no final de outubro de 2020, sob a promessa do pagamento aos professores até 31 de dezembro.

Ao Blog, a informação é que a categoria anda insatisfeita pela falta de um posicionamento oficial da Secretaria de Educação do Estado, diante de um projeto que tem boa aceitação dos estudantes potiguares, e que continua em exibição nesta semana, e na próxima, durante o período de aplicação das provas do Exame Nacional do Ensino Médio(Enem).

A categoria ainda destaca que há o interesse do Estado na continuidade do projeto visando o próximo Enem. Contudo, a falta de esclarecimento na data de pagamento para esse tipo de remuneração suplementar gera insegurança dos professores.

Opinião dos leitores

  1. É assim mesmo o desgoverno do PT.
    Mais a propaganda cara Fake, está vinculada nas rádios e televisão.
    BG!!
    COMEÇARAM UM TAPA BURACOS SONRIZAL DE FLORANIA A SÃO VICENTE
    CURRAIS NOVOS E ABANDONARAM, uma vergonha de estrada, estreita sem acostamentos, o que tem é pau de jurema grosso quase em cima da estrada, não recebe um rosso a anos, pois esse é um trecho da BR 226 sob o comando do Estado do Rio Grande do Norte.
    Foi uma invensão do então governador Zé Agripino, na época pra conseguir construir esse trecho de estrada, isso foi na decada de 80.
    Hoje é quase impossível transitar, só falta arrancar os bofes de tanto supapos e saculejos.
    Muito cuidado, não perca a direção, porque se perder, um pé de jurema te espera, não exister área de escape, e um corredor fechado.
    Então!!
    É uma vergonha discarada, a propaganda cara de pau, do governo do PT.
    Fora Fátima.

    1. Esse engodo é em todas as áreas do governo.
      Não tem uma RN que preste.
      Diz a propaganda que o Estado está com o pagamento do pessoal em dia.
      Como se tem gente que não recebeu décimo do ano de 2018??
      Mais uma mentira.
      O governo é fraco, pífio, sem rumo, sem planejamento.
      Cadê os 11.000 defuntos?
      Cadê os respiradores?
      Isso a propaganda não fala.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Juíza é alvo de ataques após soltar advogada vegana da prisão por falta de alimentação adequada

Foto: Reprodução Twitter

A juíza de Direito Placidina Pires, da vara Dos Feitos Relativos a Organizações Criminosas e Lavagem de Capitais de Goiás, tem sido alvo de ataques nas redes sociais desde a última terça-feira, 5.

A polêmica começou após a magistrada conceder liberdade provisória a advogada suspeita de integrar uma quadrilha envolvida em lavagem de dinheiro e jogos de azar. A decisão baseou-se na dieta da detenta, que é vegana (não consome nenhum alimento de origem animal) e a unidade prisional não teria cardápio específico para esse tipo de alimentação.

No Twitter, ao comentar o caso, Eduardo Bolsonaro disse que o Brasil não é para principiantes. “Enquanto em todo o mundo a primeira coisa que ocorre a um preso é perder determinados direitos, no Brasi é o contrário, a preocupação é em preservar todos os direitos”, afirmou.

A juíza, por sua vez, defendeu-se dos ataques e afirmou que a liberdade com monitoração eletrônica foi concedida à ré não porque ela é vegana, mas porque, em função dessa peculiaridade, apresenta grave estado de saúde.

“Além disso, é primária, o crime não é de natureza violenta (decorrente do jogo do bicho), possui endereço certo (advogada) e não havia risco de fuga ou de que venha a atrapalhar a instrução processual, de modo que fazia jus à liberdade provisória.”

Justiça Potiguar

Opinião dos leitores

  1. O país mergulhado numa crise sem fim, sem vacina, sem seringa, sem ministro da saúde, sem presidente, sem NADA.
    Mas é com a soltura de uma advogada que é vegana, que os filhos de presidente, vão empenhar forças.
    E hoje, INFELIZMENTE hoje, vamos bater a triste marca de 200 mil mortes.

  2. Eduardo Bolsonaro fale da vacina, deixe de desviar o foco. Aliás é uma tática dos Bolsonaros, desviar o foco do que realmente interessa para o Brasil por falta de competência.

  3. Depois que soltaram Lula, Dirceu, Genoíno, Henrique Eduardo Alves, pq essa indignação com a soltura da moça? Afinal ela merece a segunda chance.

  4. é só comer o arroz e o feijão e descartar a proteína…
    agora todo preso vai alegar ser vegano pra ser solto, é mole?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Com pedidos de demissão por falta de pagamento, médicos de UPA de Parnamirim restringem atendimento em plantão por falta de profissionais e alta demanda local

O plantão da Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Nova Esperança, em Parnamirim, na região metropolitana de Natal, restringiu o atendimento, em decorrência do desfalque de médicos para demanda local. Há semanas, o plantão nesta unidade hospitalar de alto fluxo vem sofrendo com o suporte, desde o setor de pediatria a casos graves.

Segundo médicos locais, a UPA que sofre com a escala desfalcada há meses, ocorre em meio ao pedido de demissão de muitos médicos, por falta de pagamento da Prefeitura.

“Tendo em vista a prioridade dos atendimentos emergenciais, nos vimos obrigados a restringir por falta de suporte devido a escala desfalcada”, explicam os médicos, sobre pacientes que se queixam que foram orientados a procurar outras unidades de saúde.

Opinião dos leitores

  1. E aí, prefeito Taveira? Como responder a isso? O senhor foi reeleito com um discurso de que tudo corria bem em Parnamirim, uma cidade quase perfeita…Pura mentira! Num momento como esse de pandemia, um dos únicos locais de atendimento à população sofre com a falta de médicos? Qual a sua desculpa para isso?

  2. Falta chamar os concursados que estão no cadastro de reserva e até momento não foram chamados. Gerando esse déficit de profissionais, o Sr prefeito, é só fazendo contrato ou renovando, ao invés de chamr todos os concursados. Fica a dica!!!!

  3. O ministerio público, também deveria fazer uma VISITA IN LOCO nos postos para vê o funcionamento e a FALTA de medicos, Exemplo é o posto de saúde que funciona no caic de rosa dos ventos que NÃO tem medico na especialidade clinico geral e dentista. UMA VERGONHA e um CRIME contra a população de parnamirim. ALÔ MINISTÉRIO PÚBLICO, vamos ACORDAR e colocar na cadeia essa galera. Vamos fiscalizar os recursos publicos.

  4. A PREFEITURA É UM DESCASO COM AS EQUIPES DE SAÚDE. FALTA INSUMOS, NÃO PAGAM A INSALUBRIDADE, NÃO ESTABELECERAM A PLANOS DE CARGOS E CARREIRAS DOS CONCURSADOS. FALTA SENSIBILIDADE DOS GESTORES.
    MATERNIDADE ESTÁ AS TRAÇAS, FALTA DE MÉDICOS, ENFERMEIROS, TÉCNICOS……

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Denúncia

Mesmo formados, novos PMs no RN são tratados como ‘alunos soldados’, andam desarmados e são vítimas de assaltos

Mais um dos novos policiais militares recém-formados no Rio Grande do Norte foi assaltado, dessa vez, nessa segunda-feira(14), em Natal. Os criminosos abordaram o policial pedindo que entregasse sua arma. Na ocasião, o policial informou que não estava armado, sendo revistado e tendo levado sua mochila com sua farda e seus pertences. O fato é semelhante ao ocorrido na semana passada, quando bandidos armados abordaram um dos novos policiais pedindo que ele entregasse sua arma. Assim como no caso

Segundo uma denúncia anônima ao Blog, o que chama a atenção nas duas ocorrências é que os novos policiais estão virando alvo dos criminosos ao se deslocar das suas residências para o serviço desarmados em várias regiões do Estado e na capital.  Mesmo formados, estariam sendo distribuídos como se trabalhassem em uma espécie de sistema de estágio, como ‘ alunos soldados’. Ainda não receberam suas armas por parte da polícia. Ainda segundo a fonte ao Blog, o comandante geral alega que não pode alterar a arma para esses novos policiais por não possuírem ainda o RG/PM, nem autorização para comprarem a sua arma particular.

A denúncia ainda classifica o tratamento aos novos policiais como ‘desumana’. A fonte conta que eles estão distribuídos para regiões diferentes da que trabalham, em escala de segunda a sábado. “Esse pessoal, que ainda recebe como salário de aluno soldado, sem estrutura de alojamento e alimentação, está vulnerável alugando casos na periferia, e andando desarmados”, disse.

A insatisfação, em resumo, tem mais um agravante, quando policias afirmam que existem, sim, armas suficiente para cautelar para os novos policiais, e não se entende porque os mesmos ainda não receberam suas armas de forma definitiva.

Opinião dos leitores

  1. Pobres jovens PMs. Sem logística para o trabalho, ainda vão amargar mais de três meses para receberem o primeiro salário, devido a elevada burocracia desse estado do RN.

  2. Colocar policiais nas ruas sem armas e viaturas é o mesmo que nada.
    A farda não impede roubos, assim como placa de proibido parar não impede violação da lei de trânsito.
    Imoral e ilegal o que estão fazendo com os novos PMs, colocando-nos nas ruas, sem as suas devidas armas e viaturas, deixando-os torrando no sol.
    Violação a dignidade da pessoa humana.
    E só Deus sabe quando irão começar a receber os salários.

  3. Só espero que Deus toque no coração dos comandantes e vejam que por trás das fardas dos novos soldados tem homens/mulheres com família, filhos(as) que precisam de seus familiares de está presente na suas casas. Já se doaram tanto durante o curso e agora depois de formados ainda passando por toda essa situação. Sendo obrigados a ficar distante da sua família e presos em locais sem estrutura.

  4. Nós como familiares só pedimos que organizem os horários dos novos soldados para que eles possam ir em suas casas visitar seus familiares, pois alguns tem crianças pequenas e outros crianças com necessidades especiais que não entendem a ausência do pai. Quando nós pensávamos que iria melhorar após a formatura em questão de horário como os dos demais da categoria ficou pior, nem parece que já são soldados, até às permutas do estágio foi indeferida onde poderia ficar um pouco melhor para a maioria que permutaram para o mais próximo de suas casas, mais ainda estão sendo tratados como alunos. Parece que o curso ainda não acabou só saíram do CAIC e do CFAP para ruas. Só pedimos um pouco mais de consciência e benevolência.

  5. Total descaso com os recém-formados. Não houve ainda distribuição, nem estão dando condições para os mesmos edesenvolverem seu trabalho como deveriam. Os jogam na rua e eles que se virem. Sem falar que muitos, estão longe de suas famílias.

  6. A questão é que além de morar muito distante de suas casas, eles estão tendo que trabalhar 6 horas por dia, até no final de semana, fazendo com que os mesmos tenham que além de pagar as despesas do translado para a capital ainda precisam pagar aluguel na capital e o aluguel da casa de suas famílias. Nós que somos familiares pedimos, respeitosamente, ao comando da PM RN que reveja pelo menos essa questão do horário de 6 hrs por dia, passando a trabalhar como os outros da categoria para que eles possam nos visitar pelo menos uma vez na semana.

  7. Isso é um absurdo,pais de família distante de seus filhos e esposas,trabalhando todos os dias,desarmados e fora o gasto que tiveram com outra mudança de local.Muita desorganização e falta de comunicação.

  8. Distribuam esses policiais por todo o estado e respeitem a classificação do concurso, dêem o armamento que precisam, organizem a carga horária e ponto final a resposta está sendo dada nas ruas, os novos políciais chegaram pra somar mas precisam de condições igualitárias e não serem sugados pelo governo.

  9. Acho uma falta de organização por parte das autoridades, fazem tudo sem planejamento… desde o início existe um despreparo nas pessoas que estão a frente da formação desses novos PM… que são feitos de palhaços… nunca vi estágio após formatura?? É uma logística sem lógica ???

  10. Tudo dentro da normalidade!
    A única diferença desta turma de soldados para as demais é que possui nível superior, que não quer dizer que esteja em outro patamar, esperemos as cenas dos próximos capítulos.

    1. De fato, desde muito tempo os papa mikes potiguares começam assim, desarmados. E sobre o pessoal do interior, infelizmente eles se submeteram a um certame que tirou o direito de escolher onde ficar.
      E olhe que esse concurso teve abstenção recorde.
      O pessoal fica falando de comando, de aluguel de casa, mas não se dá ao trabalho de se informar.

  11. Desumano? Ahh vão cagar!! Estão na PM pq querem. Em relação a desarmado, é so não andar fardados por aí.. todos sabiam que essa turma Nutela são cheios de mimmi

    1. Mimimi??? Tenha mais respeito pelos soldados rapaz, são vidas que estão ali pra servir a sociedade sem quase nenhuma estrutura, se vc tem cunhao assim pra ficar falando de segurança atrás de um celular,por que não vai lá e mete a cara vc desarmado??? Falar é fácil,quero ver fazer melhor!!

  12. A esquerda sempre quis desarmar a polícia e a desgovernadora está pondo em prática para ver se essa experiência dá certo com os novos policiais que são os cobaias

    1. Já moro aqui á mais de cinquenta anos mais, nunca tinha presenciado tantos desmandos em um unico desgoverno . Só podemos lamentar, o RGN está totalmente entregue aos fora da lei simplismente pela incompetência da senhora Fátima Bezerra.

    1. Entrei na Polícia há mais de vinte anos e recebi a arma ainda na primeira semana de trabalho.
      É um absurdo o que estão fazendo com esses jovens PMs!

    2. O governo federal formou 600 novos PRFs, em novembro deste ano, e eles estão trabalhando com toda a logística necessária (fardas, coletes, armas, algemas, viaturas).

      Governo estadual manda 1000PMs para as ruas só fardados? Isso é humilhar o policial e fazer a sociedade de palhaça.

  13. A situação dos novos soldados é deplorável. Foram colocados longe do seu domicílio. O critério de antiguidade na distribuição não foi obedecido e estão sendo obrigados a deixar suas famílias e ir tirar uma escala de 6/18 horas gastando combustível e sem ter onde se instalar. Uma vergonha.

  14. Agora todos podem perceber que o grande problema da PM não somente falta de soldados e sim a incompetência dos gestores(comandantes) durante todos esses anos, são despreparados, os imediatos não sabem fazer uma escala, pode contratar 10.000 novos policiais que vai continuar de mau pra pior

  15. Só falta dizer que a governadora é a responsável pela morte do soldado Luiz Gonzaga! Vamos ser oposição, criticar, mas ter um pouco de noção também, né?! Tem gente aqui que não pode ver uma vergonha passando que já quer passar. Misericórdia. rs

    1. Mas que foi irresponsabilidade do governo colocar nas ruas 1000 policiais militares, somente de fardas nas ruas, isso foi!

  16. Ate parece que o fato de ser policia vai impedir de sofre violência porque a baixo da piramide da sociedade todos estamos sujeitos

  17. Os novos soldados, todos portadores de curso superior e, portanto, com uma leitura mais acurada da realidade e da vida, estão perplexos com a desorganização e a incompetência do Comando da PM-RN. Não é só esta questão relacionada às armas, que coloca em risco a vida deles, e de uma escala de trabalho em vigor controversa, para dizer o mínimo. Por insensibilidade, o comando rechaçou a permuta de soldados do interior e da capital, previamente acordada entre eles. Esta permuta corrige uma distorção, permitindo que os jovens policiais não fiquem longe dos seus domicílios, tendo com isso de arcar com despesas extraordinárias, como alimentação e constantes deslocamentos entre as cidades, o que aumenta também os riscos à vida de todos eles. Isso está gerando um descontentamento imenso na nova tropa. Cabe reforçar que a permuta não alteraria em nada os contingentes destinados a cada cidade, uma vez que feita de comum acordo entre os próprios novos soldados. Mas, para demonstrar autoritarismo o processo foi vetado pelo comando, depois de estar adiantado.

    1. Tudo verdade suas palavras, muito Absurdo isso. É de não acreditar

  18. Não sei até quando vai continuar essa palhaçada do Comandante Geral. Pais de família longe de suas casas, de seus filhos, trabalhando de segunda a sábado, sem ter chance de ver seus familiares, sem falar nos gastos financeiros que esses novos políciais estão tendo, porque tem que arcar com os gastos de duas residências ( a cidade que estão trabalhando e a casa onde deixou a esposa e filhos. MAS TENHO CERTEZA QUE A FILHA DO COMANDANTE GERAL TÁ TRABALHANDO PERTO DO PAPAI, TÁ EM CASA TODO DIA, TÁ TENDO A FOLGUINHA DA PRINCESINHA DO PAPAI. O COMANDANTE GERAL VENDO A FILHA EM CASA, PERTO DA FAMÍLIA, PRA ELE TÁ TUDO BEM E TRANQUILO, O RESTO QUE SE LASQUE.

    1. Oxente. O cara mora no interior ou em outro Estado e no momento da inscrição no concurso diz que quer trabalhar em Natal… ele que se vire pra se sustentar … quem mandou fazer concurso longe de seu domicílio! Liga pro presidente da segurança kkk, ele num disse que ia acabar com os bandidos. Kkkkk munnnnnn, munnnnn. Bote uma pexera na mão dos novatos.

  19. Primeiro fator que me parece é a mal formação, um policial jamais pode andar desatento, não é a arma que vai defende-lo e sim a atençao e reaçao no momento em que for abordado.

    1. Ficou bom seu comentário viu…. só falta apagar! Ainda mais esses ninjas que não precisam de armas pra se defender! Eles não estão numa roda de capoeira não, abestado!

    2. Essa foi boa, e como ele deveria reagir, igual aos filmes de Hollywood?
      A atenção dele serviria pra que quando se está caminhando e vem um assaltante, correr enquanto leva tiros?
      Paciência…

    3. Rapaz, parabéns pelo seu comentário! Você merece dar aula de como fazer parte dos "Superamigos". O cara reagir desarmado. Paciência!

    4. Emerson é especialista em assalto e entende tudo!!!! queria ver andar na rua com uma carteira com 100 reais ou um celular… Comentario que da ideia que a policia deva andar desarmada pq sao ninjas.. aí vem Fachin diz que so o Estado pode estar armado, porque segurança publica é dever do Estado. Mas o Estado paralelo pode comprar arma adoidado de todo tipo.. vamos reagir com pedras e paus? So pode ser um petista ou um formado em humanas pra ter pensamento assim fora da realidade.

    5. Essa foi boa…esse entende de segurança pública..kkkkkk comentário totalmente sem noção da realidade.

  20. Meu Deus, quanta falta de consideração com os novos policiais Militares.
    Será que só vão entregar as armas quando morrer um jovem Policial? Quando um filho não voltar pra casa?
    Qué isso Governadora.
    Qué isso Comte Geral da PM
    Qué isso Secretário de Segurança.

  21. Vixi, Fátima, pode isso Arnaldo?
    À tá, governo socialista, comunista, esquerdista não gosta de Puliça.
    Até que enfim BG publicou algo sobre o RN kkkk

  22. Mais uma show de incompetência do desgoverno Fátima, no RN a polícia é abordada pelo bandido e assaltada, vamos sorrir para não chorar! Cadê Antenor Roberto, o grande vice desgovernador que toma a frente de tudo o que se refere a Polícia Minutar, parece mais o comandante geral honorário.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Liga de Estudos e Combate ao Câncer vai parar serviços por causa da falta de repasse da prefeitura de Mossoró

A Liga Mossoroense de Estudos e Combate ao Câncer (LMECC) comunica a sociedade Potiguar que, em razão da falta de repasse financeiro por parte da Prefeitura Municipal de Mossoró irá paralisar a realização de cirurgias eletivas a partir de amanhã (02 de dezembro).

Os débitos em atraso são referentes a produção do mês de setembro de 2020, que soma R$ 747.340,71 e ao plus do mês de agosto de 2019, que corresponde a R$ 371.099,21, valor este já enviado pelo Governo do Estado do Rio Grande do Norte e não repassado pela Prefeitura Municipal de Mossoró.

Recentemente foi realizada uma negociação com a Secretaria Municipal de Saúde, onde na ocasião foi firmado um compromisso verbal de quitar um débito no valor de R$ 381.331,96 parcelado em três vezes. Esta quantia seria destinada ao pagamento de procedimentos cirúrgicos já autorizados, mas que ainda se encontravam em aberto.

Na última sexta-feira (27 de novembro) foi emitido um comunicado esclarecendo a todos da real situação e pendências financeiras da Prefeitura Municipal de Mossoró para com a Liga Mossoroense. A Prefeitura nos informou e emitiu nota explicando que ontem (30 de novembro), estaria realizando o repasse referente a produção do mês de setembro do ano corrente. No entanto, até o presente momento não obtivemos a efetiva resolução do problema.

É importante ressaltar que somados todos os débitos dos valores do plus da Prefeitura Municipal de Mossoró para com a Liga Mossoroense de Estudos e Combate ao Câncer, dos anos de 2018 à 2020, a dívida com a instituição chega a R$ 9.085.350,19.

Apesar de todos os esforços feitos por parte da Liga Mossoroense em buscar acordos com a Prefeitura Municipal de Mossoró, não houve por parte deste Poder Executivo manifestação que indicasse a solução do problema. A instituição lamenta pelos pacientes que serão prejudicados e espera poder retornar com este serviço o mais breve possível.

A Liga Mossoroense é referência no tratamento oncológico em Mossoró e região, atendendo cerca de 64 municípios, compreendendo as II, IV e VI regiões das Unidades Regionais de Saúde Pública (URSAP), com um fluxo de aproximadamente 350 pacientes/dia.

Paulo Henrique Lima do Monte

Presidente da Liga Mossoroense de Estudos e Combate ao Câncer (LMECC)

Mossoró-RN, 01 de dezembro de 2020.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Suspeitos de assassinar policial militar em Natal são liberados por falta de provas, destaca reportagem

O PortalBO destaca nesta segunda-feira(30) que o delegado de plantão da Central de Flagrantes, Francisco das Chagas não encontrou elementos comprobatórios suficientes que atestam a participação dos três homens e as duas mulheres conduzidas a unidade na tarde desse domingo (29) suspeitos de participação no assassinato que vitimou o policial militar Ricardo Brito, morto dentro do carro durante um assalto na praia do Meio. O bacharel informou a reportagem que nada leva a crer que os averiguados estiveram no local do crime. Todos os detalhes AQUI em reportagem na íntegra.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *