Ministério da Saúde confirma acordo com a Moderna para compra de 13 milhões de vacinas contra a Covid-19

 Foto: REUTERS/Eduardo Munoz

O Ministério da Saúde informou à CNN nesta sexta-feira (5) que fechou acordo com a Moderna para compra de vacinas contra a Covid-19 produzidas pela farmacêutica americana.

Ao todo, o acordo prevê 13 milhões de doses da vacina no segundo semestre de 2021.

Segundo integrantes da pasta, o acordo foi fechado durante a reunião do secretário-executivo do ministério, Elcio Franco, com representantes da Moderna na manhã desta sexta (5).

Os auxiliares do ministro Eduardo Pazuello ressaltaram que o contrato ainda não foi fechado. A previsão é de que a assinatura ocorra nas próximas semanas após ajuste dos termos.

Confira o cronograma previsto de entrega das doses da vacina:

Total: 13 milhões de doses em 2021

Até final de julho: 1 milhão de doses

Até final de agosto: 1 milhão

Até final de setembro: 1 milhão

Outubro e dezembro: 10 milhões

CNN Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Natalense disse:

    Dezembro?

  2. Sabichão disse:

    Julhoooo?? Kkkkk, esse ministério da saúde é uma piada. Ainda bem que o presidente DORIA, tomou a frente e possibilitou vacina para os brasileiros.

  3. Fabio disse:

    Calma manoel se não vc vira purpurina .
    Mito 2022

    • Manoel F disse:

      Eh só esse “argumento “ que vc tem pra defender seu MINTOmaníaco? Kkkkkkk. A limitação intelectual parece ser condição sine qua non pra ser bolsopetista!

    • Samuel Uel disse:

      Mais uma vez o Bozo cancela o pronunciamento que ia fazer na tv….
      O Mito é um frouxo mesmo…..
      Ser uma vaca sebosa de um covarde como o Bozo é o fundo do poço da decadência

  4. Manoel F disse:

    Massa! Assim quem sabe não sofreremos tanto na terceira onda, pq agora na segunda a pilha de mortos vai pra conta do MINTOmaníaco!

Com repasse federal de R$ 89,3 milhões, Ministério do Desenvolvimento Regional autoriza início de obras na linha ferroviária de Natal e anuncia investimentos em Recife e João Pessoa

(Foto: Adalberto Marques/Ascom MDR)

O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) autorizou, nesta quarta-feira (10), o início das obras no sistema de transporte de passageiros sobre trilhos da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) em Natal (RN). Também foram anunciados repasses para Recife (PE) e João Pessoa (PB). O investimento federal nas ações será de aproximadamente R$ 89,3 milhões.

O maior montante – R$ 58,3 milhões – será investido na implantação da Linha Branca, em Natal. O empreendimento, que já teve início autorizado, será composto por 24 quilômetros de via, com quatro estações. As cidades de São José de Mipibú e Nísia Floresta serão beneficiadas com a iniciativa – o trecho começa na última estação da Linha Sul. A previsão é de que cerca de 6,8 mil passageiros utilizem o serviço diariamente com o acesso à capital, além de apoiar o turismo na região.

De acordo com o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, os investimentos fazem parte do processo de modernização e ampliação do sistema de trens urbanos de Natal. “Esse ato que fazemos aqui hoje responde a uma reivindicação da população, que vai ter a capacidade de se locomover com conforto para o trabalho e para as suas casas. Há mais de 10 anos não havia investimento em novas linhas, apesar de todas as necessidades e demandas apresentadas. O governo do presidente Jair Bolsonaro tem compromisso com aqueles que mais precisam da ação do Estado”, ressaltou Marinho.

Recife e João Pessoa receberão R$ 31 milhões

Também foram anunciados investimentos nas linhas em Recife e em João Pessoa.

Na capital pernambucana, R$ 21 milhões serão destinados para a recuperação de coberturas das estações e implantação de acessibilidades para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida na Linha Sul.

Já em João Pessoa, o repasse de R$ 10 milhões será utilizado na implantação de quatro desvios que permitirão a redução no tempo de espera e trarão mais conforto e segurança aos passageiros.

O presidente da CBTU, José Marques, ressaltou o empenho do Governo Federal para atender também aos outros estados, como Pernambuco e Paraíba, que têm a operação do sistema ferroviário sob a coordenação da entidade. “O Ministério tem dado todo o apoio em relação a todos os projetos, seja na expansão da malha ferroviária, como no início dos trabalhos da Companhia em Brasília”, destacou.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tico de Adauto disse:

    Esse é o cara q tirou os direitos do trabalhador. Se elege nem pra técnico de time de futebol de botão.

  2. Neto disse:

    Ôôôôhh…véi bom da gota serena.
    Kkkkkkkkk.
    Primeiro turno babacas.
    O Nordeste agora é Bolsonaro.
    Tchau queridos

  3. Calígula disse:

    Hô Presidente bom da gota serena.
    P homem é bom, o homem é espetacular.

Ministério da Saúde negocia compra de 10 milhões de doses da vacina Sputnik V

Foto: Adriana Toffetti/A7 Press/Estadão Conteúdo

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, Elcio Franco, anunciou nesta sexta-feira (5) a intenção de comprar 10 milhões de doses da vacina Sputnik V importadas da Rússia. A informação foi divulgada pelo ministério.

A compra, no entanto, só vai ser concretizada se a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberar o uso emergencial da vacina e se o governo considerar o preço “competitivo”.

Elcio comunicou a intenção a representantes do laboratório União Química, que deverá produzir o imunizante no Brasil, em uma fábrica no Distrito Federal.

O ministério também disse que, num momento posterior, pretende comprar doses da Sputinik V fabricadas pelo laboratório em território nacional.

O interesse do governo pela Sputnik V aumentou depois de a Anvisa ter retirado a exigência de estudos de fase 3 conduzidos no Brasil para aprovação de uso emergencial das vacinas contra a Covid-19. A fase 3 é quando a vacina é testada em larga escala, com milhares de voluntários, para avaliar sua segurança e eficácia.

Até então, os estudos da fase 3 tinham que ter sido feitos obrigatoriamente no país, o que não aconteceu com a Sputnik V.

Após a decisão da Anvisa, o governo sinalizou também interesse na vacina Covaxin, produzida pelo laboratório indiano Bharat Biotech. Somando as compras iniciais da Sputnik e da Covaxin, o governo estima obter 30 milhões de doses.

Andamento das vacinas

Quatro desenvolvedores fizeram testes no país: a Pfizer, a Johnson, Oxford e a Sinovac. Até agora, apenas as vacinas de Oxford e da Sinovac foram aprovadas emergencialmente e estão sendo aplicadas na população.

Dessas duas, só a Oxford publicou resultados preliminares em uma revista científica de seus testes de fase 3.

A Pfizer ofereceu doses ao país, mas ainda não teve aprovação de uso emergencial da Anvisa e as negociações com o governo federal têm enfrentado obstáculos.

A Sputnik V e a vacina do laboratório Moderna têm estudos de fase 3 com resultados publicados em revistas científicas, mas conduzidos fora do país.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Sabichão disse:

    Oxe, num dizia que não prestava?! A russia é foda mesmo.

  2. Josa disse:

    Ôôôô governo bom!!

Ministério do Desenvolvimento Regional aplicará R$ 393 mil no diagnóstico de falésias no RN

Foto: Reprodução/Corpo de Bombeiros do Rio Grande do Norte

O Ministério do Desenvolvimento Regional anunciou nesta quarta-feira (23) uma parceria com a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) para a realização de um diagnóstico da situação das falésias no estado. Serão aplicados R$ 393,7 mil no projeto.

O trabalho será realizado nas praias de Pipa, em Tibau do Sul, e Barra de Tabatinga, no município de Nísia Floresta. O relatório preliminar será entregue pela universidade no primeiro trimestre de 2021 e deverá apontar soluções para evitar desmoronamentos e aumentar a segurança de moradores e turistas que frequentam a região.

Em novembro, um casal e uma criança morreram ao serem atingidos pelo desmoronamento de parte de uma falésia, na Praia de Pipa, um dos principais pontos turísticos do estado, distante 80 quilômetros de Natal.

Erosões

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) divulgou ontem (22) um estudo inédito sobre as áreas vulneráveis à erosão hídrica em todo o país.

O trabalho gerou mapas que foram disponibilizados por meio da plataforma do Programa Nacional de Levantamento e Interpretação de Solos. Os dados poderão ser usados para elaboração de políticas publicas.

Agência Brasil

‘Sei que o sr é um homem honrado’, diz Álvaro Antônio a Ramos em pedido de desculpas por ‘ato injusto e impensado’

Foto: Jorge William / Agência O Globo

Antes de ser demitido por ter enviado uma mensagem com ataques ao ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, o agora ex-ministro do Turismo Marcelo Álvaro Antônio usou o mesmo grupo de WhatsApp de ministros do governo Jair Bolsonaro para pedir desculpas ao colega, dizendo saber que ele é um “homem honrado”. “Mais uma vez peço que me perdoe pelo ato injusto e impensado da minha parte”, complementou. Ele enviou o texto na noite de terça-feira, horas depois de ter chamado Ramos de “traíra” no aplicativo de mensagens. Mas a retratação não evitou que o presidente decidisse demiti-lo, na tarde de quarta.

“Caros colegas, venho neste mesmo espaço me desculpar com o Ministro Ramos. Tomei uma iniciativa inadequada após ouvir algumas conversas. Como disse o próprio Ministro Ramos a [sic] pouco e pessoalmente comigo, q forma mais adequada seria procurá-lo e relatar o ocorrido. Mas creio que todos nós em algum momento da vida agimos erroneamente, foi o meu caso. Ministro Ramos, sei que o Sr é um homem honrado. Mais uma vez peço que me perdoe pelo ato injusto e impensado da minha parte. Um abraço fraterno!”, escreveu Álvaro Antônio.

Na primeira mensagem, o então ministro do Turismo pediu desculpas aos colegas por “utilizar este espaço com objetivo que não seja a construção de um Brasil melhor”. E disparou contra Ramos: “O Sr deveria ter aprendido na sua própria formação militar que não se joga um companheiro de guerra aos inimigos, não se pode atirar na cabeça de um aliado…Ministro Ramos, o Sr é exemplo de tudo que não quero me tornar na vida, quero chegar ao fim da minha jornada EXATAMENTE como meus pais me ensinaram, LEAL aos meus companheiros e não um traíra como o senhor (sic)”.

O agora ex-ministro destaca no texto que como deputado apoia a candidatura de Bolsonaro desde 2016 e questionou qual a atuação de Ramos neste período. “Quem estava na campanha eram os conservadores que hoje o senhor ataca sem parar, de forma covarde”, escreveu. Leia a mensagem na íntegra.

Bolsonaro se irritou ao ver a exposição de mais uma briga entre integrantes do governo. Após o episódio no qual o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, chamou Ramos de “Maria Fofoca” após a colunista do GLOBO Bela Megale revelar enfrentamentos entre ele e a ala militar do governo, o presidente pediu em uma reunião ministerial que as rusgas fossem resolvidas de forma reservada.

Ao ser chamado para o Planalto na tarde de quarta-feira, Álvaro Antônio se encontrou com Ramos e os dois bateram boca. Testemunhas relataram ao GLOBO que o clima ficou “tenso” e houve “gritaria”.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Lucian disse:

    Ta de melé solto.
    Volta pra ser deputado.
    Foi o mais votado em MG.

  2. Lucas disse:

    Com o Mito não tem boquinha não, conversou merda, RUA. Mito 2022.

    • Zé de Tonha disse:

      Com esse imbecil do Minto pode fazer laranjal, só não pode ocupar a vaga do centrão. E o gado idiota aplaude.

  3. aof disse:

    Tchau, querido!

  4. Théo disse:

    Sei…..

Bolsonaro diz que atual ministro da Justiça é ‘muito melhor’ que Moro, e cita recorde de apreensões de drogas, de recursos, prisões de bandidos e outros pela PF

Foto: Reprodução / TV Brasil

O presidente Jair Bolsonaro fez críticas ao ex-ministro da Justiça, Sergio Moro, nesta quinta-feira (8), durante solenidade de encerramento dos cursos de formação da Polícia Federal, em Brasília.

Segundo Bolsonaro, o atual titular da pasta, André Mendonça, é “muito, mas muito melhor do que o outro que nos deixou há pouco tempo”.

“E a prova está aí: recorde de apreensões de drogas, de recursos, de prisões de bandidos, entre outros. Isso é muito bom para todos nós, isso dá esperança para o Brasil.”

Uma das críticas a Moro, que deixou o cargo no fim de abril, foi a de que ele demorou para liberar o curso de formação de policiais federais. André Mendonça teria tido papel importante na autorização.

“Quando houve a troca de ministro estava em voga aceitar ou não vocês que faziam parte do concurso anterior. Nós conseguimos sensibilizar o ministro da Economia e conseguimos fazer com que vocês viessem fazer o curso e ingressar na PF”, afirmou o presidente, que disse ainda que no ano que vem serão abertas duas mil novas vagas.

Bolsonaro também afirmou que, ao contrário de governos anteriores, não tem dado motivo para a PF ir atrás de seus ministros.

O presidente também citou que um de seus filhos, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), é formado pela corporação. “Também tenho um filho na PF. O 03. E ele muito me orgulha. Ele atualmente é parlamentar, mas tem um saldo muito positivo”, comentou.

Ele também analisou que o trabalho da PF no combate à corrupção, principalmente durante a Operação Lava Jato, fez a população olhar de uma maneira diferente para os políticos. “E isso fez com que eu me elegesse presidente.”

O ministro da Justiça, André Mendonça, falou um pouco antes. Ele afirmou que Bolsonaro sempre exigiu que o ministério garantisse autonomia e condições para desempenhar seus trabalhos.

André Mendonça teve liberação dos médicos para acompanhar a cerimônia. Em meados de setembro, ele foi diagnosticado com uma inflamação no coração e teve de ser internado.

R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Carlos disse:

    Família bozo😄😄😄

  2. SUPER SÉRGIO MORO 2022 disse:

    Moro não servia porque não protegia a familícia.

  3. Braulio Pinto disse:

    Vindo da boca do presidente isso é elogio. Com todo o arrumadinho e maracutaias que fez com os investigados da lava jato e juizes, Bolsonaro ainda se preocupa com o seu principal adversário nas eleições, a verdade. Ele hoje é o principal cabo eleitoral de Moro, e não perde a oportunidade de falar merda.

    • george disse:

      Taí um candidato que não mete medo no Bolsonaro, o tal do Moro tá com a moral tão em baixa e tão preocupado com o Brasil que vai imitar o Jean Willys e vai se exilar em outro país.

  4. BOSCO disse:

    Não faz muito tempo e o Sérgio Moro era o cara perfeito ! Vá acreditar nessa cambada de políticos. A raça mais desprezível do mundo !

  5. Entregador De Pizza 🍕 disse:

    O marreco de Maringá prendeu o opositor do miliciano (sem provas), elegeu o rei do gado e depois, foi descartado.

    • Acorda Brasil disse:

      "sem provas": É com muito prazer que lhe confiro o seu CRP – Certificado de Retardado Petista. Honraria somente conferida a poucos, companheiro.

    • GCF disse:

      Moro não foi descartado!
      Apenas OPTOU em sair do governo por divergências na gestão da PF.
      Marrecos existem no sítio de Atibaia e gado é o animal que a JBS,[ empresa muito conhecida da Dilmanta, íntima de Luladrão e Temer(sóclise)], utiliza em suas falcatruas.
      E miliciano é o soldado dos sindicatos, contratado com $ do trabalhador, controlados por Stedle, José Plástica Dirceu, Luladrão e cia PeTralha.

Ministério da Agricultura confirma foco de peste suína clássica no Piauí

Foto: Divulgação/ Governo federal

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) confirmou nesta segunda-feira (5) um foco de Peste Suína Clássica (PSC) no Piauí. O diagnóstico foi confirmado pelo Laboratório Federal de Defesa Agropecuária em Pedro Leopoldo (MG), por técnica de diagnóstico molecular (RT-PCR em Tempo Real).

O caso ocorreu no município de Parnaíba, norte do estado, em criatório de suínos para subsistência. Segundo o ministério, o estado é localizado fora da zona reconhecida como livre de PSC pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE).

“A ocorrência já foi notificada pelo Ministério à OIE e não há justificativas para restrições ao comércio internacional de suínos e seus produtos”, afirmou a pasta por meio de nota. O último foco de PSC no Piauí havia sido encerrado em novembro de 2019.

O ministério informou ainda que a propriedade em que se identificou o foco da doença foi interditada e o serviço veterinário estadual está adotando os procedimentos determinados pela pasta para eliminação do foco, incluindo sacrifício dos suínos e desinfecção da propriedade afetada, além de investigações para rastreamento de provável origem e vínculos epidemiológicos.

Peste Suína Clássica

A Peste Suína Clássica (PSC), também conhecida como febre suína ou cólera dos porcos, é uma doença viral, altamente contagiosa, que afeta somente suínos e javalis. Não oferece riscos à saúde humana e não tem impacto na saúde pública.

O estado do Piauí faz parte da zona não reconhecida como livre de PSC, juntamente com outros 10 estados (AL, AM, RR, PA, AP, MA, CE, RN, PB, PE).

Os limites entre as zonas livre e não livre de PSC são protegidos por barreiras naturais e postos de fiscalização, onde procedimentos de vigilância e mitigação de risco para evitar a introdução da doença são adotados continuamente.

A zona livre de PSC do Brasil concentra mais de 95% de toda a indústria suinícola brasileira.

Toda a exportação brasileira de suínos e seus produtos são oriundas da zona livre, que incorpora 15 estados brasileiros e o Distrito Federal (RS, SC, PR, MG, SP, MS, MT, GO, DF, RJ, ES, BA, SE, TO, RO e AC), e não registra ocorrência da doença de PSC desde janeiro de 1998.

CNN Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Lopim disse:

    Carne de pôico, tô fora

Ministério da Economia autoriza concurso para 207 cargos temporários

Foto: Ilustrativa

O Ministério da Economia autorizou a realização de concursos públicos para 207 cargos diversos de caráter temporário. Destes, 107 serão destinados ao Depen (Departamento Penitenciário Nacional), órgão subordinado ao Ministério da Justiça e Segurança Pública, para atender a encargos temporários de obras e serviços de engenharia destinados à construção, à ampliação e à reforma de complexos penais.

As outras 100 vagas serão direcionadas a SPPE (Secretaria de Políticas Públicas de Emprego) e a Sepec (Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade), nas funções de coordenador de análise de prestação de contas temporário, analista, agente de apoio de prestação de contas temporário e analista de instauração de tomada de contas especial.

O aval para criação dos concursos consta em portarias publicadas no DOU (Diário Oficial da União) nesta terça-feira (6).

O prazo para a publicação dos editais de abertura de inscrições para os processos seletivos será de até seis meses, contados a partir a da publicação das Portarias.

Para os cargos destinados ao Depen, a duração dos contratos, bem como as possíveis prorrogações vão seguir as normas dispostas no art. 4º da Lei nº 8.745, de 1993. Já para as demais vagas, os contratos serão de até quatro anos, podendo ser prorrogados.

Assinaram as portarias o secretário especial de desburocratização, gestão e governo digital do Ministério da Economia Caio Paes de Andrade, e o secretário-executivo do Ministério da Justiça e Segurança Pública Tarcio Issami Tokano.

R7

Ministério da Saúde gastou menos de um terço do dinheiro disponível para combate à pandemia, diz TCU

Relatório do Tribunal de Contas da União (TCU) revelou que o Ministério da Saúde gastou apenas 29% do dinheiro que recebeu para as ações de combate ao coronavírus.

A análise abrange os gastos da pasta desde março, quando o governo decretou estado de calamidade pública no país, até julho deste ano.

Segundo o documento, divulgado pelo jornal “Folha de S. Paulo” e também obtido pela TV Globo, o Ministério da Saúde recebeu, até o fim de junho, R$ 38,9 bilhões para ações específicas contra o coronavírus.

O dinheiro recebido pela pasta deveria ser dividido assim:

R$ 16 bilhões para os fundos municipais de saúde;

R$ 9,9 bilhões para os fundos estaduais de saúde;

R$ 11 bilhões em ações diretas do ministério como compra de respiradores, testes e equipamentos de proteção;

R$ 542 milhões em transferências para o exterior para aquisição de insumos importados.

No entanto, segundo os auditores, dos R$ 38 bilhões, o ministério só pagou efetivamente R$ 11,4 bilhões, ou 29% de tudo o que recebeu para combater o coronavírus.

O relatório destaca a falta de critérios para a distribuição dos recursos por estados.

“Chama a atenção o fato de Pará e Rio de Janeiro terem, respectivamente, a segunda e a terceira maior taxa de mortalidade por Covid-19 (31,4 e 28,1 mortes por 10.000 habitantes), conforme dados informados pelo Ministério da Saúde em 28/5/2020, mas serem duas das três unidades da federação (UF) que menos receberam recursos em termos per capita para a pandemia”, diz o TCU.

O documento está na pauta de julgamentos do TCU e faz parte de um acompanhamento feito pelos auditores das despesas do combate ao coronavírus.

O relatório cobra que o Ministério da Saúde preste esclarecimentos sobre o funcionamento do gabinete de crise, dê mais informações sobre os critérios de distribuição de recursos a estados e municípios; e explique as regras utilizadas para aquisição de insumos – como equipamentos, remédios e testes.

O relatório foi concluído em 15 de julho e não fala em punição para os gestores do ministério.

O dado mais recente sobre os recursos da pasta estão disponíveis no portal do Tesouro Nacional. Até esta terça-feira (21), o ministério havia pago mais de R$ 17,5 bilhões; o equivalente a 44,9% do total dos recursos disponíveis.

Os números ainda estão abaixo da necessidade do país, na avaliação do economista Gil Castelo Branco. Ele afirma que, em um cenário de pandemia, não há justificativa para o dinheiro ficar parado nos cofres do governo.

Para o economista, as mudanças sucessivas no comando do Ministério da Saúde também têm influência na lentidão dos repasses. Há mais de dois meses a pasta está sem ministro titular e é comandada interinamente por Eduardo Pazuello.

“Um aspecto, a meu ver, que é relevante, foi esse troca troca de ministros, porque toda vez que você troca ministros e troca secretários e muitas vezes, troca equipe, cabeça do ministério, evidentemente que você não tá contribuindo para agilidade nesses processos. Me parece que esse troca troca em nada contribui para que os gastos sejam mais efetivo,”, avaliou.

Com G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Verdade disse:

    Se O SATANÁS ESTA NA PRESIDENCIA..ESPERAR O QUÊ… O INFERNO É POUCO PARA O BRASIL…ESSE DEMONIO ESTA TRANSFORMANDO O PAÍS EM UM DILÚVIO..QUEIMA

  2. Braulio Pinto disse:

    Mais importante do que deixou de ser gasto é como foi gasto o dinheiro enviado, quanto desse dinheiro foi desviado em cada um dos estados e punição para os responsáveis.

  3. Cesar Bomone disse:

    Parece que para alguns é um absurdo não estarem gastando esse dinheiro, assim inviabiliza a CORRUPÇÃO.
    Os estados do Rio de Janeiro e do Pará, citados no relatório por terem recebidos poucos recursos são os mesmos onde os escândalos de CORRUPÇÃO no combate a pandemia viraram notícia nacional.
    Parece que para alguns o importante é gastar o dinheiro, mesmo que seja DESVIANDO para a conta de corruptos.

  4. Alexandre disse:

    Não consigo entender, gastou pouco reclama se gastase demais e o fim do mundo pela imprensa comunista.

  5. CADÊ A COERÊNCIA??? disse:

    Êi! Você que bate com o pau em Xico, uso o mesmo pau e bata em francisco. Seja coerente….use os mesmos argumentos e criatividade para perguntar onde está o dinheiro.

    • Anti-Político de Estimação disse:

      Não se exige coerência de fanáticos, eles preferem ser felizes em suas bolhas imaginárias e continuar vibrando pelos seus ídolos, que eles mesmos sustentam com seus impostos.

  6. Bozolóide disse:

    Temos que economizar! Acabou a mamata! A parada aqui agora é séria, não vamos ficar gastando dinheiro com bobagens. Além do mais, já temos um grande estoque de cloroquina que dá pra salvar todo mundo. Dá até pra ressuscitar, menos esquerdistas. Aguentem como bons soldados pois estamos em guerra contra o comunismo que nos ameaça desde 1917.
    Anaê!!!

Ministério da Infraestrutura abre consulta pública para arrendamento do terminal salineiro de Areia Branca

A Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) do Ministério da Infraestrutura abriu processo de consulta pública para o recebimento de contribuições da minuta do edital e contrato de arrendamento do terminal salineiro no Complexo Portuário de Areia Branca, no Oeste do Rio Grande do Norte. O prazo para envio das contribuições segue aberto até o dia 26 de agosto. Por causa do distanciamento social para evitar a propagação da Covid-19, as audiências públicas acontecerão de forma virtual.

O Terminal Salineiro de Areia Branca (Tersab) é destinado a movimentação e armazenamento de grãos sólidos minerais, especialmente sal marinho. O Brasil é autossuficiente na produção de sal e ocupa a décima colocação no ranking de produtores mundiais. O RN é o maior produtor do país.

Segundo o Ministério da Infraestrutura, cerca de 5,7 milhões de toneladas tiveram origem no Rio Grande do Norte. Os investimentos previstos para este empreendimento são de R$ 162 milhões e estimativa é de que 3.257 empregos sejam criados ao longo dos 25 anos do contrato de arrendamento.

Com G1-RN

Ministério de Minas e Energia mantém recomendação para extinguir horário de verão

Foto: © Arquivo/Agência Brasil

O Ministério de Minas e Energia (MME) manteve a recomendação de não se adotar o horário de verão neste ano (período de 2020/2021). O horário foi extinto em abril do ano passado, com base em estudos da pasta, que apontaram a pouca efetividade na economia energética, e também em estudos da área da saúde, sobre o quanto o horário de verão afeta o relógio biológico das pessoas.

Em nota técnica publicada quinta-feira passada (9), a pasta avaliou o resultado regulatório da extinção do horário de verãoe disse que a economia de energia com a medida diminuiu nos últimos anos e já estaria perto da neutralidade, em razão das mudanças no hábito de consumo de energia da população.

Quando foi criado, o horário de verão tinha por objetivo aliviar o pico de consumo, que era em torno das 18h, e trazer economia de energia na medida em que a iluminação solar era aproveitada por mais tempo. No entanto, nos últimos anos, o Ministério de Minas e Energia constatou uma alteração no horário de pico com maior consumo de energia no período da tarde, por causa da intensificação do uso do ar condicionado, quando o horário de verão não tinha influência.

A nota acrescenta que a descontinuidade da aplicação do horário de verão 2019/2020 implicou também redução do custo de operação do sistema elétrico e que, com a revogação dele, continuou ocorrendo redução de demanda no período noturno, “provavelmente pela alteração natural da luminosidade”.

“Este comportamento, provavelmente, está associado ao uso menor uso de equipamentos de climatização, em especial do ar condicionado, o que decorreu da melhoria das condições de conforto térmico aos consumidores de energia elétrica em seu período de descanso noturno, sem ter havido antecipação de uma hora”, diz a nota.

A nota informa também que as avaliações de impacto do horário de verão nos ciclos anteriores a 2019 superestimaram a redução de demanda no período noturno e que o aumento na carga foi subestimado. Uma avaliação anterior do Ministério de Minas e Energia já havia apontado que, entre os efeitos do fim da medida no setor elétrico, evitaram-se custos ao consumidor brasileiro de energia elétrica de R$ 100 milhões.

“Diante dos ganhos na otimização do uso dos recursos energéticos com a não adoção do horário de verão no ciclo 2019/2020, e na ausência de fatos novos que pudessem implicar a necessidade de avaliações adicionais às ora apresentadas, e também fundamentadas na Nota Técnica nº4/2019/CGDE/DMSE/SEE (SEI nº 0263485), recomendamos que se mantenha a suspensão dessa política pública também para o ciclo 2020/2021”, conclui a pasta.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Antonio Turci disse:

    Uma boa notícia, graças a Deus.

Ministério do Desenvolvimento Regional anuncia cerca de R$ 6,6 milhões em recursos para saneamento no RN

Foto: Divulgação

O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) autorizou o repasse de R$ 30,7 milhões para ações de saneamento básico em 17 estados brasileiros. A maior parte dos recursos foi destinada às regiões Nordeste (R$ 15,8 milhões) e Norte (R$ 6,5 milhões), que possuem os índices mais baixos de cobertura dos serviços de água e esgoto. Os valores serão investidos em obras de abastecimento, esgotamento sanitário, manejo de águas pluviais e saneamento integrado, além de estudos e projetos para o setor.

A responsabilidade pelas intervenções é dos estados e municípios e os pagamentos são realizados de acordo com a execução dos serviços. “Estamos mantendo o aporte em obras importantes e que vão trazer melhores condições de vida à população brasileira. Com esses recursos e a garantia de continuidade dos serviços, também conseguimos assegurar a oferta de empregos nesse momento de pandemia”, ressalta o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho.

Na região Nordeste, a capital potiguar contará com R$ 6,5 milhões para as obras de drenagem urbana sustentável no Túnel Arena das Dunas. Também no Rio Grande do Norte, a cidade de Mossoró contará com R$ 382,8 mil para a implantação de sistema de esgotamento sanitário nos bairros Belo Horizonte, Lagoa do Mato, Nova Betânia, Redenção, Santo Antônio e Santa Delmira, além dos conjuntos habitacionais Abolição III e IV.

Em Olinda (PE), o Governo Federal garantiu o aporte de R$ 5 milhões para as obras de retificação e revestimento de trecho do canal Bultrins-Fragoso. Na Bahia, as cidades de Camaçari, Itapetinga e Salvador receberão, somados os repasses, R$ 1,7 milhão para ações de abastecimento de água e projetos na área de resíduos sólidos.

Já Parauapebas, no Pará, poderá investir R$ 4,81 milhões na elaboração de projetos de engenharia para implantação de sistemas de abastecimento de água e esgotamento sanitário na cidade. Mais quatro municípios paraenses – Ananindeua, Belém, Itaituba e Oriximiná – vão receber, ao todo, mais R$ 1,22 milhão. Os recursos serão aplicados em obras, estudos e projetos no setor.

Outras localidades

Para o estado de São Paulo, o MDR repassou R$ 2,99 milhões para obras e intervenções nos municípios de Americana, Campinas, Hortolândia, Mogi Guaçu, Olímpia, São Bernardo do Campo, São José do Rio Preto e Tupã. Do total de recursos, mais de R$ 1 milhão atenderá a cidade de Campinas com ações de saneamento integrado na bacia do Ribeirão Quilombo, que envolvem a construção de canais e reservatórios de amortecimento, implantação de rede de esgotamento sanitário e pavimentação de vias.

Águas Lindas de Goiás e Catalão, no estado goiano, poderão avançar na ampliação de seus sistemas de esgotamento sanitário com o aporte de R$ 1,28 milhão e R$ 1,10 milhão, respectivamente. Já as cidades gaúchas de Porto Alegre, Nova Hartz e Sapucaia do Sul terão R$ 1,53 milhão para obras e intervenções que envolvem o manejo de águas pluviais e sistemas de abastecimento de água e de esgotamento sanitário.

Em outros dez estados – Santa Catarina, Maranhão, Rondônia, Piauí, Sergipe, Alagoas, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Paraná e Rio de Janeiro –, os repasses do Governo Federal totalizam mais de R$ 4 milhões e atenderão 15 municípios.

Carteira de obras e projetos

Desde janeiro, cerca de R$ 330 milhões foram repassados pelo Ministério do Desenvolvimento Regional para garantir a continuidade de empreendimentos de saneamento básico pelo País.

Atualmente, a carteira de obras e projetos do MDR no setor – contratos ativos e empreendimentos em execução ou ainda não iniciados – é de R$ 21,5 bilhões para financiamentos e de R$ 20,2 bilhões para o Orçamento Geral da União.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Inaraí disse:

    É bozo de novo seu menino.
    É o mundo todo!!

  2. Tarcísio Eimar disse:

    Muito bem ministro RM. Agora vamos ver se finalizam de vez essa obra de drenagem do túnel da Arena.

  3. Said disse:

    Eita miliciano véi ruim esse nosso presidente,tá levando o RN nas costas,só tem notícia de investimentos federais os estaduais estão indo pra aonde mesmo heim?

Ministério do Meio Ambiente cria projeto-piloto para proteger mata nativa da Amazônia e destinará R$ 500 milhões

Foto: © Valter Campanato/Agência Brasil

O Ministério do Meio Ambiente criou nesta sexta-feira (3) o Programa Floresta+ para valorizar quem preserva e cuida da floresta nativa do país. O projeto-piloto vai começar destinando R$ 500 milhões para conservação da Amazônia Legal. O programa conta com a participação do setor privado e de recursos de acordos internacionais.

“Esse é o maior programa de pagamento por serviços ambientais no mundo, na atualidade. Os R$ 500 milhões recebidos do Fundo Verde do Clima vão remunerar quem preserva. Vamos pagar pelas boas práticas e reconhecer o mérito de quem cuida adequadamente do meio ambiente”, disse o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, em reunião virtual nesta sexta.

Podem participar do programa pessoas físicas ou jurídicas, de direito público ou privado, grupo familiar ou comunitário que, de forma direta ou por meio de terceiros, executam atividades de serviços ambientais em áreas mantidas com cobertura de vegetação nativa ou sujeitas à sua recuperação.

A conferência apresentou o programa Floresta+ para representantes do governo federal, dos estados da Amazônia Legal, além de instituições públicas, universidades, fundações, centros de inovação, doadores do Fundo Verde do Clima e de povos indígenas.

Cadastro Nacional

O Brasil conta com 560 milhões de hectares de floresta nativa no território brasileiro e o próximo passo do governo é criar o Cadastro Nacional de Serviços Ambientais e a regulamentar o pagamento por serviços ambientais, previstos no Código Florestal.

Dentre os serviços ambientais considerados essenciais estão o monitoramento, vigilância, combate a incêndio, pesquisa, plantio de árvores, inventário ambiental e sistemas agroflorestais para conservação e a proteção da vegetação nativa. Dentre os benefícios estarão a conservação da biodiversidade, a proteção do solo e das águas e a regulação do clima.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. GG disse:

    Cadê makrom , Greta e o papa pra aplaudir agora???

  2. Carlos disse:

    Muito mi mi mi, a força dos safados grileiros etc são bem maiores e o brasileiro se vende por qualquer coisa. Esse país não tem jeito.

Ministério da Cidadania bloqueia auxílio emergencial à esposa de Queiroz

Foto: Reprodução

Após o Congresso em Foco revelar que Márcia Oliveira de Aguiar, esposa de Fabrício Queiroz, estava recebendo o auxílio emergencial mesmo estando foragida da Justiça, o Ministério da Cidadania informou que seu benefício foi bloqueado. Entretanto, na central telefônica 111, da Caixa Econômica Federal, a informação ainda é de que a segunda parcela do auxílio de Marcia será paga a partir desta sexta-feira (3).

O Ministério não forneceu mais detalhes sobre o processo de bloqueio do benefício de Márcia. O auxílio de R$ 600 mensais foi criado pelo governo federal para ajudar famílias de baixa renda durante a pandemia de covid-19.

Na quinta-feira (2), a Caixa Econômica informou ao Congresso em Foco, que o banco é a operadora dos pagamentos, porém a ordem para efetuá-los vem da Dataprev. A Dataprev, por sua vez, afirmou que “assim como a Caixa é a operadora do pagamento, a Dataprev é processadora dos pedidos. Ambas empresas parceiras tecnológicas do Ministério da Cidadania”..

Márcia é considerada foragida da Justiça desde o último dia 18 de junho, quando Queiroz foi preso. Na ocasião, a Justiça também expediu um mandado de prisão contra ela, mas a polícia não conseguiu localizá-la.

Congresso em Foco

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gustavo Woltmann disse:

    Continue trabalhando nisso.

  2. MORO E DALLAGNOL 2022 disse:

    No próximo TROPA DE ELITE não vai ter mocinho. Todos os personagens serão bandidos.

  3. Antonio Turci disse:

    Esta senhora só pode ter "culpa no cartório". Se fosse inocente jamais estaria se escondendo.

  4. Luiz Antônio disse:

    Honestidade é questão de índole.

Ministério da Saúde detalha erro que incluiu 857 mortes em balanço da Covid e reafirma 525 óbitos no domingo

O Ministério da Saúde afirmou nesta segunda-feira (8) que “corrigiu duplicações” e que os números corretos do boletim de domingo (7) são:

525 óbitos novos (total é 36.455)

18.912 casos confirmados (total é 691.758)

Erro no cálculo de mortes

No domingo, o primeiro primeiro balanço divulgado apontava 1.382 mortes. Segundo o ministério, houve um erro na contabilização das mortes em Roraima (RR): a soma apontava 762 óbitos, sendo que o correto seriam 139. Somente por causa do erro em RR, foram incluídas 623 mortes a mais no balanço.

Mas, segundo uma tabela divulgada pelo ministério (abaixo), é possível verificar que, além de RR, outros 24 estados tiveram erros corrigidos na tabela. As “duplicações” somavam outros 234 óbitos ao balanço. Apenas Distrito Federal e Mato Grosso do Sul não precisaram de ajustes.

Comparativo de casos e mortes divulgados em 7-6-20 pelo Ministério da Saúde — Foto: Reprodução/Ministério da Saúde

Erro também nos casos confirmados

O número de casos informados no domingo também passou por correção. O primeiro balanço indicava 12.581 casos, levando o total de casos confirmados para 685.427. A pasta explicou que também ocorreu um engano com relação aos registros do Ceará: foram divulgados 62.303 casos, mas com a atualização foram para 64.271.

“O Ministério da Saúde informa que corrigiu duplicações e atualizou os dados divulgados sobre casos e óbitos por COVID-19 no último domingo (7), às 20h37. Em especial, podem ser citadas a situação de Roraima, em que haviam sido publicados 762 óbitos e, após verificação do Ministério da Saúde, o número foi consolidado em 142. Outra situação corrigida foi em relação ao número de casos confirmados no Ceará, que passou de 62.303 para 64.271 após atualização”, diz a nota enviada no início da tarde desta segunda.

“Assim, o último boletim de 24h deve ser considerado 18.912 casos e 525 óbitos novos. O total de casos no país é de 691.758 e de óbitos 36.455 ao longo da pandemia. O número de recuperados soma 283.952 pacientes e outros 371.351 estão em acompanhamento médico”.

Erro percebido ainda no domingo

O erro do Ministério da Saúde foi percebido ainda no domingo. Isso porque, depois de divulgado o primeiro balanço, a própria pasta informou novos números da doença. O painel do ministério que acompanha a evolução da doença aponta para 525 mortes em 24 horas e 18.912 casos a mais.

Bem Estrar – G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Manoel disse:

    Mais vergonha pro país no exterior.
    Maquiagem descarada dos números.
    A ditadura é agora.

  2. Célio disse:

    Erram sim! Minha tia acabou de falecer no hospital do coração por covid.está nahora parado essas críticas e trablharmos para melhorar. o que você tá dizendo Berg não ajuda ninguém. se você quer fazer uma coisa boa com conforte as pessoas. Espero sinceramente em Deus que você nunca tenha que passar por essa experiência.

  3. Berg disse:

    No RN não é diferente.
    Erram também todos os dias.

Ministério da Saúde divulga protocolo que libera no SUS uso de cloroquina em casos leves de covid-19, sob o consentimento do paciente

Foto: HeungSoon/Pixabay

O Ministério da Saúde divulgou nesta quarta-feira(20) um protocolo para aplicação da cloroquina e hidroxicloroquina em pacientes com sintomas leves para tratar do novo coronavírus.

Entre os sintomas leves listados pelo governo, estão coriza, diarreia, dor abdominal, febre, tosse, entre outros.

A aplicação indicada da cloroquina é de 450 miligramas a cada doze horas no primeiro dia. A mesma quantidade poderá ser usada a cada 24 horas do segundo ao quinto dia de tratamento.

A mudança no protocolo era um desejo do presidente Jair Bolsonaro, defensor da cloroquina no tratamento da doença causada pelo novo coronavírus.

O uso da cloroquina foi motivo de atrito entre Bolsonaro e os últimos dois ministros da Saúde, Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich. Os dois deixaram o governo, no período de um mês.

O novo protocolo mantém a necessidade de o paciente autorizar o uso da medicação.

O termo de consentimento, que deve ser assinado pelo paciente, ressalta que “não existe garantia de resultados positivos”.

O documento afirma ainda que o paciente deve saber que a cloroquina pode causar efeitos colaterais que podem levar à “disfunção grave de órgãos, ao prolongamento da internação, à incapacidade temporária ou permanente, e até ao óbito”.

Com UOL e G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cigano Lulu disse:

    Cloroquina no dos outros é refresco! O Capetão deveria sim é distribuir o antiviral remdesivir para todos. Cloroquina nem minha égua Adelaide aguenta mais, ela que usa o medicamento para tratar de tireoide. Os efeitos colaterais são terríveis. Só defende o uso de cloroquina quem precisa dela para escapar da morte – e ainda assim por não dispor de alternativa adequada.

  2. Paulo Roberto disse:

    Certíssimo! O Dr explica ao paciente, que apesar de não haver evidências científicas robustas, existem evidências clínicas de sucessos do tratamento na fase 1 (replicação viral) e somente na fase 1, esclarece sobre as reações adversas (bem menores que da dipirona, por exemplo) e em comum acordo consentido pelo paciente, prescreve nas doses protocolares.
    O mais interessante é que os remédios que existem a décadas (cloroquina de 1934 e hidroxicloroquina de 1955) largamente usados na malária e em algumas doenças reumáticas, não tinham complicações relevantes e eram baratíssimos, manipulados em qualquer laboratório pois já tem a quebra da patente.
    Hoje, com a notoriedade da pandemia, apareceram complicações terríveis e preços estratosféricos. A quem isso pode interessar?!

  3. Bebeu disse:

    Cuidado senhores PATRIOTAS LEIGOS E LOUCOS, O CORONA TE AGUARDA DE BRAÇOS ABERTOS! O MAL POR SI SE DESTRÓI

  4. Roberto disse:

    Super perfeito. Só toma quem quiser…

  5. Santos disse:

    Esse medicamento é uma fração do tratamento, pois é parte de um coquetel compostos por, pelo menos, mais outros dois dois ou três medicamentos.
    Como é que o presidente consegue pautar a vida de parte das pessoas numa discursão tão inútil?
    O analfetismo funcional é, sem a menor dúvida, é a pior herança deixada pelos governos ptistas.
    Jesus!

  6. Juliano bugueiro disse:

    Não coloque o nome de Deus em vão.

  7. natalsofrida disse:

    Perfeito.

  8. Jason disse:

    Interessante nesse comentário do patriota fiel é que não sabemos se é um humor irônico, uma crítica aos apoiadores do Bolsonaro ou aos apoiadores da esquerda ou ainda está rogando praga aos que não querem seguir o Eleito de Deus.

  9. PatriotaFiel disse:

    Os petralha e os comunistas vão tudo morrer pq nãoquerem seguir o Eleito de Deus, mas os homens de bem, defensores da familia, esses sim vão herdar a terra. Viva o Bolsonaro. Nem Teich, nem Mandetta, nem Moro, nem Bebiano, nem OMS são páreos com a inteligencia do Capitão. Bolsonaro 2022, 2026, 2030, 2034 se achou rui vai para Cuba

    • Sergiana disse:

      Pelo amor de Deus não coloque o nome de Deus em vão os que vcs deve fazer e dobrar o joelho pedir a jesus Cristo misericórdioso com muita oração isso que vcs só fala petralha bolsomino isso não resolve em nada isso que está acontecendo foi muitos que zombaram de Jesus Cristo a irá de deus veio a tona muitas coisas viram por Air adiante pare de ficar descutindo não resolve em nada vão orar pra pedir a Deus uma solução

    • Braulio Pinto disse:

      Aliado de bandidos, como agora claramente demonstrado. Não reconheço e nem respeito o deus que você e Bolsonaro seguem. O inferno é seu destino.