RN registra neste ano mais de 1500 casos de dengue e 318 de Chikungunya; veja boletim da Sesap sobre Aedes Aegypt

FOTO: ROGER ERITJA, via BBC

Sesap divulga novos números das arboviroses

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), por meio da Subcoordenadoria de Vigilância Epidemiológica (Suvige), divulgou nessa terça-feira (28), o boletim das arboviroses no RN referente ao período da semana epidemiológica 01 a 19, encerrada em 11 de maio de 2019. Ao total, foram notificados 8.049 casos suspeitos de dengue, sendo confirmados 1.537, o que representa uma incidência de 231,36 casos por 100.000 habitantes.

Em 2018, considerando o mesmo período, foram 12.107 casos notificados e 5.501 confirmados, gerando uma incidência de 348 casos por 100.000 habitantes. Quanto à classificação, do total de 1.537 confirmações em 2019, 1.473 casos foram classificados como dengue, 57 como dengue com sinais de alarme e 07 como dengue grave.

Zika Vírus

Com relação ao Zika vírus, da semana epidemiológica 01 a 19 de 2019 foram notificados 37 casos, o que corresponde a uma incidência de 1,06 casos por 100.000 habitantes. No mesmo período de 2018, foram 241 notificações, gerando uma incidência de 6,93 casos por 100.000 habitantes. Em 2019, nenhum caso foi confirmado e foram descartados 21 casos. Neste ano, a IV e a V Região de Saúde concentram as maiores incidências, nos municípios de Bodó e Ruy Barbosa, respectivamente.

Chikungunya

Quanto à Chikungunya, em 2019 foram notificados no estado 1.025 casos suspeitos, sendo confirmados 318, representando uma incidência de 29,46 casos por 100.000 habitantes. Em 2018, no mesmo período, foram notificados 1.215 casos, com 313 confirmações, o que significa uma incidência de 34,92 casos por 100.000.

Prevenção

A Sesap realiza ações de prevenção e educação em saúde, bem como orienta e supervisiona o trabalho realizado pelos agentes de endemias dos municípios para controle do vetor, o mosquito Aedes aegypti. Além disso, são realizadas as operações de aplicação do inseticida por meio dos carros fumacê, que devem ocorrer apenas quando houver necessidade do controle de surtos e epidemias por arboviroses.

De acordo com a subcoordenadora de vigilância epidemiológica da Sesap, Alessandra Lucchesi, “é necessário que a população tome as medidas de prevenção à proliferação do mosquito: receber o agente de saúde em suas residências, eliminar água de vasos de flores, tampar tonéis e tanques, não deixar água acumulada, lavar semanalmente depósitos de água, manter caixas de água e tanques devidamente fechados e colocar o lixo em sacos plásticos, mantendo a lixeira fechada, entre outras”.

[VÍDEO] Prefeitura de Parnamirim comprou 10 mil camisas que matam o mosquito da dengue; faltou só o certificado de garantia

Polêmica grande em Parnamirim com a compra de um Kit de prevenção contra o Aedes Aegypti.

Na sessão da Câmara Municipal nesta terça-feira 8, o vereador Antônio Batista, do PMDB, garantiu que Parnamirim já possui um sistema de prevenção à picada do mosquito Aedes aegypti: uma camisa que pode ser lavada 30 vezes que, ainda assim, protege as pessoas e ainda mata o inseto. De acordo com ele, a camisa faz parte de um kit que será entregue aos alunos da rede municipal.

Pra contextualizar, essas camisas fazem parte de um lote de 10 mil camisas comprados pela Prefeitura de Parnamirim que afastam o mosquito. Mas, pelo visto, faltou o certificado de garantia de que a vestimenta realmente funciona.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Roberto Carlos disse:

    Homi, seu minino! O ex-Prefeito Agnelo, deve tá se bulino todim no túmulo!
    Não porquê ele fosse um exemplo de correção; mas sim, porquê num teve essa idéia quando foi Prefeito!
    E tá agora vendo, lá d.. ……. … ……..! O vereador Batista "Grande Sumidade" defendendo essa grande solução, para o fim definitivo da Dengue, Chicungunha e Zica; em todo o mundo.
    O melhor de todo, foi ver a cara dos edis, Parnamirinenses, frente a esse absurdo.

  2. Val Lima disse:

    Rapaz não tenha dúvida !!! Essa vai parar no Fantástico da Rede Globo….kkkkk

  3. entediado disse:

    bota camisinha contra picadura de mosquito.

  4. João Alcantara de Melo disse:

    Absurdo! Não sei como a população de Parnamirim elege uma criatura dessas. Não sabe nem falar direito. Absurdo!!!! O bom é que essa camisa não só repele, mas mata o mosquito! Kkkkkkkkkkk meu Deus! Estamos perdidos, a PresidentA diz que A mosquita é que pica, aí vem um vereador desse e sai com essa explicação para o absurdo gasto de 800 mil reais em 10 mil camisas e 10 mil revistas… Não seria melhor investir esse dinheiro em ações de combate ao mosquito. Ministério público não atua em Parnamirim Pq tem muitos interesses na prefeitura!!!! Acorda PARNAMIRIM.

  5. Suely Roriz Pantoja disse:

    Era so o que faltava!

  6. Laís disse:

    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Não têm mais o que inventar essa prefeitura! DESESPERADOS ??????

  7. FDP disse:

    Isso é só mais uma, vai lá na Secretaria de Trânsito e vê onde está sendo feito esse "monitoramento", deve ser no mesmo lugar onde foi parar o dinheiro dessas camisas.
    Prefeitura instala câmeras de monitoramento no litoral
    http://www.parnamirim.rn.gov.br/newsItem.jsp?p=3407

  8. Francisco de Assis Xavier disse:

    Bruno, uma pergunta, porque até hoje o MPRN não atua contra a Prefeitura de Parnamirim? já existe varios motivos para atuar e nada faz, estão todos na mão do Prefeito

  9. Verdade seja dita disse:

    Conta outra que já estou quase dormindo.

  10. Márcio Macedo disse:

    Só pode ser uma brincadeira do vereador. Kkkkkkkk

  11. lima disse:

    Piada, já vi de tudo na vida.

Nova Cruz faz mutirão e dá exemplo na luta contra o Aedes Aegypti

A prefeitura de Nova Cruz, através da Secretaria Municipal de Saúde, atendeu a convocação da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap/RN) e além de aderir ao Plano Estadual de combate ao Aedes Aegypti, realizou mutirões contra o mosquito responsável por transmitir doenças como a Dengue, Chikungunya e Zika – microcefalia.

Durante todos os dias do mutirão, que aconteceu nas duas últimas semanas do ano, os profissionais de saúde das Estratégias Saúde da Família, NASF, CAPS AD III, Centro de Especialidades e os agentes de endemias e comunitários de saúde atuaram na cidade, visitando residências e estabelecimentos comerciais, realizando o trabalho de prevenção e de tratamento focal, utilizando larvicida, e prestando orientação sobre os hábitos do vetor, e sobre sintomas da dengue, zica e chikungunya.

O objetivo foi conscientizar a população sobre os perigos que envolvem essas doenças, bem como sobre a importância de se trabalhar intensamente o combate ao mosquito vetor, através de medidas simples como o descarte correto dos materiais que podem acumular água parada, e orientando a população sobre como fazer a limpeza eficiente de tanques armazenadores de água.

O mutirão aconteceu no período de 17 a 29 de dezembro de 2015 e atuou nos bairros Salgado, São Judas, São Sebastião, Santa Luzia, Frei Damião, Planalto, Catolé, Nova Descoberta e Cidade do Sol, considerados os bairros que apresentaram um maior número de focos do mosquito. A Secretária de Saúde, Rita de Cássia Rodrigues, esteve à frente das ações e alertou para o fato de que “Em Nova Cruz, cerca de 90% dos focos do mosquito Aedes Aegypti estão dentro das residências, em especial nos tanques armazenadores de água.

Por isso torna-se urgente que ações dessa natureza sejam realizadas, para que assim possamos vencer o mosquito e todos os problemas a ele relacionados”. A Secretária ainda destacou que o trabalho de combate ao mosquito vai continuar sendo efetivado pela Prefeitura durante todo este ano. A intenção é conter a proliferação do mosquito e inibir o avanço das enfermidades causadas pelo vetor.

Sesap terá apoio das Forças Armadas para combate ao aedes aegypti

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) confirmou, durante coletiva realizada na tarde desta quarta-feira (09), a participação das Forças Armadas no combate ao mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue, zika vírus, chikungunya e microcefalia. A Secretaria vai contar com um contingente de militares (ainda a ser definido), que será distribuído em nove municípios prioritários: Natal, Parnamirim, Macaíba, Ceará-Mirim, Mossoró, Assu, Caicó, Pau dos Ferros e Santa Cruz.

Os municípios foram escolhidos com base no índice de infestação predial, no déficit em agentes de endemias e pelo fato de serem responsáveis por 80% dos casos de ocorrência de dengue no RN. De acordo com a subcoordenadora de Vigilância Epidemiológica, Kristiane Fialho, a Sesap deverá se reunir, nos próximos dias, com as Secretarias de Saúde desses municípios para ter a adesão das Prefeituras e definir o número de militares necessário à ação.

A proposta da Secretaria é de que cada agente atue em conjunto com dois militares, potencializando a atuação dos agentes de endemias na identificação e eliminação de focos do mosquito, em domicílios e áreas vulneráveis. A Sesap vai capacitar todo o contingente militar que participará da operação. A Capacitação será dias 22, 23, 29 e 30 de dezembro (terças e quartas-feiras), no CEFOPE.

Durante a reunião, foram divulgados os novos números de microcefalia, dengue, zika vírus e chikungunya registrados no Rio Grande do Norte. Até 5 de dezembro de 2015, foram notificados no estado 106 casos suspeitos de microcefalia relacionada ao vírus zika, dos quais 96,1% dos casos (101) foram em recém-nascidos e 3,8% (4) intra-uterino. Até o momento, são 07 óbitos confirmados de microcefalia. As notificações são provenientes de 35 municípios do RN. Natal reuniu o maior número de ocorrências (34), seguido de Mossoró (10) e Parnamirim (6).

O Brasil registra 1.761 notificações de casos suspeitos de microcefalia relacionada ao vírus Zika, distribuídas em 14 Unidades Federadas (Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Sergipe, Bahia, Alagoas, Ceará, Maranhão, Piauí, Rio de Janeiro, Tocantins, Maranhão, Goiás, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal).

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Elves Alves disse:

    Se vão combater a larva do mosquito, o problema seria da Marinha.
    Se vão abater o mosquito em pleno voo, aí o problema seria da Aeronáutica.
    Então, o que danado tem a ver o Exército com o aedes aegypti?

  2. Carvalho disse:

    Ainda bem que as Forças Armadas irão combater um mosquito, porque se fosse combater um país agressor estaríamos ferrados.
    O governo do PT deixou as FA's com munição para apenas uma hora de guerra e pouquíssimos projetos de modernização e reaparelhamento saíram do papel.