Diversos

ARTIGO: O Maior desastre ambiental do RN — Por Marcus Aragão

Pois é. Foi isso mesmo que você acabou de ler. Conversando com a equipe de peritos encarregada pela perícia na Lagoa do Bonfim para ser entregue ao Ministério Público. A equipe me garantiu que caso a situação da Lagoa do Bonfim continue e as 6 lagoas cheguem a secar, este fato será o maior desastre ambiental do RN.

Todos já sabíamos que a situação era grave mas é pior do que se podia imaginar.

Foi firmada uma TAC (termo de ajustamento de conduta) entre o Ministério Público e a Caern em 1998 na qual estabelecia que o nível da lagoa do Bonfim, que na época estava na cota 42, não poderia descer para a cota 39. Este era o limite. Mas para o órgão politico que regula o abastecimento de água não existem limites. Hoje a cota baixou para 37 e a bomba da Caern continua exaurindo o meio ambiente. Você nem percebeu mas já sugaram quase 60% da lagoa em volume de água. Tá vendo? Não, você não está vendo. Este é o complicador pois tudo ocorre abaixo da superfície.

Imagine, caro leitor, se fosse uma motosserra derrubando as árvores dos canteiros da Prudente de Morais. Eita, que caos, hein? Crianças chorando abraçadas as árvores, buzinaço, celulares filmando tudo, reportagens e os ambientalistas parando o trânsito em frente ao Midway.

Poderíamos até retirar as árvores da Prudente, da Salgado Filho e de todas as vias de grande fluxo. Aliviava o trânsito imensamente para todos diariamente. Em compensação as árvores retiradas seriam replantadas numa quantidade 3x maior em outro local mais adequado. Compensação perfeita.

— Infelizmente não se pode fazer o mesmo com as Lagoas! Não existirá compensação depois que secar a última gota de esperança.

Demorei uma hora para escrever este artigo. Como sai 442 litros/segundo. Durante os 60 minutos que escrevi foram escoados da lagoa 1 milhão, quinhentos e noventa e um mil litros da nossa maior lagoa do RN. Fazer um pouco é fazer muito nesta questão. Desde que seja a coisa certa. Segundo a equipe de peritos, apenas abrir poços resolveria grande parte do problema desde que localizados em regiões estratégicas que sejam próximas das pessoas que precisam do acesso à água e longe dos lençóis freáticos.

O governo do Estado gastou 12 milhões de reais para construir 12 poços em outras regiões visando aliviar a sucção na Lagoa do Bonfim — Só o dinheiro do contribuinte foi sugado. Repare. 8 poços já estão abandonados/quebrados e apesar de 4 estarem funcionando, a sucção da bomba da Caern não foi reduzida.

O programa das adutoras foi uma boa ideia mas que deveria ter sido substituído em tempo hábil por uma solução definitiva. Um remédio administrado por tanto tempo sempre trás efeitos colaterais.

Esperamos não precisar ver nosso Estado mais uma vez em destaque nacional por razões que nos façam vergonha por falta de vergonha dos governantes. Cidade mais violenta do Brasil, Apreensão de 7 bilhões em cocaína em nosso Porto, e agora o vexame de ter encontrado a solução para um problema que ampliou o mesmo. Ou seja, para resolver a questão da seca, ampliamos o problema secando também 6 lagoas.

É lamentável que muitos fiquem boiando na água em relação a essa questão. Relutam em fazer algo por razões políticas ou por achar que está tudo bem. E o tempo está passando como se a lagoa fosse uma ampulheta onde a água escorre no lugar da areia. O tempo de fazer algo também está passando.

Vou terminar o artigo com aquela história do sujeito que caiu do décimo andar. Enquanto ele caia rumo ao solo, respondeu tranqüilamente a pergunta que fizeram do segundo andar:

— Como vai? Perguntou o vizinho.
Ele respondeu: — Até aqui tudo bem.

Marcus Aragão
Publicitário
Instagram @aragao01

Opinião dos leitores

  1. Infelizmente os problemas ambientais que nos cercam e que são muitos só são resolvidos qdo o caso vira uma catástrofe.

  2. Em pleno século 21, vejo pessoas que olham pro próprio umbigo e culpam o outro, seja político ou vizinho… vejo pessoas ainda hj, lavando carros e calçadas, justificando que elas pagam suas contas, porém, no final será cobrado de todos, principalmente dos que não tem recursos financeiros. Parabéns pela matéria, mas precisamos de matérias e materiais que eduquem a população, senão o fim será terrível!

  3. Artigo importante. Parabéns pelas duas publicações. Desde o começo dos estudos para levar água da adultora para a população do interior indicava justamente esse alarme. Cabe ao atual governo tomar medidas urgentes, e implantar as várias soluções. É dever da sociedade exigir essas soluções. As soluções EXISTEM, custam, devemos implantar.

  4. Não podemos assistir parados esse absurdo de acabarem com nosso meio ambiente. São 6 lagoas que vão se acabar. Alô Fátima bezerra

  5. Já venho denunciando esse absurdo há mais de 10 anos até fui ao ministério público uma vez , mas nada foi feito. Como sempre. Tenho fotos de como era quando cheguei em Natal e como estava ficando. Logo que cheguei a profundidade de 30 metros. Hoje não passa de 12-13 metros

  6. A situação ambiental do nosso país só piora. E aqui não tem sido diferente. O seu artigo muito bem fundamentado, retrata direitinho, um problema de amplo conhecimento dos órgãos responsáveis pela preservação ambiental. Ou seja, não é por falta de conhecimento e sim de ações concretas e vontade política. Acorda RN

  7. Fátima está acabando com o meio ambiente.
    Cadê Macron para punir o RN e proibir a importação de queijo do Seridó?

  8. Cabe aos Ministérios Públicos Federal e Estadual intervirem, não é concebivel que as lagoas sequem sem a ação dos que que devem lhe proteger por dever de ofício, por onde anda os que abraçaram as ruínas do Reis Magos? Será que o IDEMA e IBAMA vão continuar a fazer costa grossa para as Lagoas? Assim como os MPS?

  9. O maior desatre ambiental do RN aconteceu nos manguezais de Galinhos/Galos, com o represamento dos canais de maré e a destruição de centenas de km2 de manguezais.

  10. Trágico. O ministério público fez de tudo e conseguiu impedir a ampliação da Av Eng Roberto Freire, alegando que ia ter impacto ambiental se as obras invadissem parte do um inútil descampado.
    Este problema das lagoas é realmente grave e não se vê um pio desses burocratas que se mostram inúteis.

  11. Parabens, Marcos Aragão.
    Infelizmente os gestores públicos nada fazem efetivamente. Ficam apenas a olhar o pior acontecer. Afinal, são milhares de votos em jogo e, pra eles, quem defende a lagoa é meia dúzia de pessoas que têm granja lá, que ficam andando de jet-ski e lanchas. Não sabem eles que muitos que moram ou que têm terreno na lagoa não utilizam essas embarcações, mas simplesmente, amam e preservam esse nosso querido patrimônio natural do RN.

  12. Infelizmente uma grave situação que compromete todo um ecossistema e a situação social dos moradores locais. Cabe a nós cobrarmos a responsabilidade dos órgãos competentes em fiscalizar e punir os responsáveis por esse desastre ambiental!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Governo Bolsonaro herdou desmonte ambiental, diz Salles

Foto: José Cruz/Agência Brasil

Ricardo Salles disse esta manhã, em audiência no STF, que o governo Jair Bolsonaro não é responsável pelo desmonte ambiental.

“O desmonte ambiental dito por alguns foi recebido pelo governo (…). A narrativa de que o governo não preserva o Meio Ambiente não corresponde aos fatos.”

O ministro disse ainda que já tomou todas as providência para a retomada do Fundo Clima.

“O plano de ação já foi feito, o comitê gestor já foi empossado e os recursos foram para o BNDES.”

O Antagonista

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Juiz suspende licença ambiental do túnel de drenagem da Copa por 40 dias

Em decisão proferida na última quinta- feira, 02, o juiz Geraldo Antônio Mota acatou pedido do Ministério Público e suspendeu os efeitos da licença ambiental dada pelo Instituto de Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente do Rio Grande do Norte (IDEMA), referente ao projeto de edificação de um túnel de drenagem de águas pluviais, interligando uma área que parte do Centro Administrativo  até o rio Potengi.

Para a autorização da licença ambiental, seria necessário a realização de um Estudo Prévio de Impacto Ambiental e o seu  respectivo Relatório (EIA/RIMA), nos moldes declinados na Constituição Federal. Entretanto, o IDEMA realizou apenas um Relatório de Avaliação Simplificada – RAS,  o que não contempla todas as exigências ambientais já que a obra possui proporções e dimensões diferenciadas para cada região, e atinge diversos bairros da cidade do Natal.

O IBAMA foi notificado para, em um prazo de quinze dias, informar se há risco de impacto ambiental e se há necessidade, ou não, de realizar-se estudo de Impacto Ambiental principalmente referente aos efeitos  na qualidade da água do rio Potengi , decorrente do lançamento de dejetos oriundos do túnel de drenagem.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *