Atlético-PR oficializa contratação de Adriano Imperador

AdrianoO mistério terminou. O Atlético-PR confirmou nesta terça-feira, através do seu Twitter oficial, a contratação do atacante Adriano, que assinou com o Furacão até dezembro deste ano. Agora, ele espera ser relacionado pelo clube entre os jogadores que vão disputar a fase de grupos da Copa Libertadores. O Imperador, de 31 anos, chegou ao Furacão em dezembro do ano passado para tentar recuperar a forma física. Mais magro, ele deverá ter um contrato de produtividade com o clube paranaense. As cifras do acordo rondam os R$ 100 mil mensais.

O Rubro-Negro corre contra o tempo para que o recém-contratado possa jogar a Libertadores. A Conmebol estabelece prazo para as equipes enviarem a lista de relacionados em até 48 horas antes da estreia. Para que o Imperador esteja entre os atletas rubro-negros, é necessária que a regularização dele no quadro da CBF e a futura inscrição na Federação Sul-Americana sejam realizadas ainda nesta terça-feira. O Atlético estreia na fase de grupos quinta, contra o The Strongest (BOL), às 20h, na Vila Capanema. O atacante treina entre os titulares, sob o comando do treinador Miguel Portugal, e caso a papelada seja posta em dia, deve ser relacionado e ficar no banco de reservas para a partida contra o time boliviano, por ainda não ter ritmo de jogo.

O Atlético-PR é mais uma chance de recomeço que o jogador tem na carreira. Desde 2010, enquanto jogador do Flamengo, que o Imperador não tem uma continuidade no futebol. Ele não joga uma partida oficial desde março de 2012, quando ainda era vinculado ao Corinthians – clube que defendeu em poucas ocasiões. Depois que saiu do Timão, o Botafogo mostrou interesse em recuperar o jogador – sem sucesso – e o Internacional tentou a contratação do atleta, que acabou reprovado nos exames físicos e teve a ida a Porto Alegre vetada.

TRAJETÓRIA NO FURACÃO

O Imperador chegou ao CT do Caju em dezembro do ano passado. Ele mesmo teria procurado a diretoria do Furacão para fazer um trabalho de recuperação. O jogador ficou encantado com as instalações da casa atleticana.

Os trabalhos iam bem e Adriano estava muito melhor fisicamente, até que na última semana de janeiro, o centroavante recebeu folga, junto com todo o elenco atleticano. Ele viajou ao Rio de Janeiro, para visitar a família e os amigos. Segundo reportagem do Jornal Extra, o Imperador teria feito uma festa até o raiar do sol na terça-feira (21). Ele não se reapresentou ao Atlético no dia 23 de janeiro, quinta, conforme combinado anteriormente.

Ele justificou a ausência com o pretexto de fazer o registro da filha recém-nascida, Lara – sem aviso prévio ao Rubro-Negro paranaense. O clube acordou com o atleta que ele voltaria às atividades na segunda-feira (27), mas novamente ele não apareceu. Apenas na quinta, dia 30 de janeiro, Adriano voltou ao CT do Caju e tirou fotos sorridentes ao lado da diretoria. A relação não se abalou e o jogador acertou o vínculo contratual com o clube nesta segunda.

O IMPÉRIO

O Adriano que o mundo conheceu como um centroavante exemplar começou a carreira nas categorias de base do Flamengo. Ainda franzino, não chamou muita atenção em terras brasileiras, e acabou negociado com a Inter de Mião (ITA). Antes de se firmar nos Nerazurri, o jogador nascido na comunidade da Vila Cruzeiro foi emprestado para Fiorentina e Parma. Mais tarde, ganhou corpo e força e tornou-se titular absoluto na equipe de Milão. Xará do governante que reconstruiu o Panteão e fundou o Templo de Vênus na Roma Antiga, Adriano logo ganharia o título de Imperador.

Pela Inter foram quatro scudettos na Série A do Campeonato Italiano, duas Copas da Itália e duas Supercopas da Itália. As atuações clamorosas levaram o atleta a ser convocado para a Seleção Brasileira. O momento inesquecível do centroavante na Amarelinha foi durante a Copa América de 2004. A Argentina batia a Canarinho na final do torneio até os instantes finais. Quando a reação parecia improvável, Adriano acertou belo chute que levou a partida para os pênaltis, vencidos pelo Brasil.

Lancenet

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Expedito Junior disse:

    Pobre Atlético-PR.

Advogado do Atlético-PR se mostra preocupado com possível impugnação da partida com Vasco

Na próxima sexta-feira, será julgado o recurso do Vasco contra a decisão do presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Flávio Zveiter, de não julgar o pedido de impugnação da partida contra o Atlético-PR, válida pela última rodada do Brasileiro. E, mesmo aparentando confiança, o advogado do Furacão se mostrou preocupado com o julgamento:

– Preocupação sempre existe, o recurso do Vasco é bem articulado. Mas a tendência é que não ocorra o julgamento do pedido. O Zveiter acertou nas duas vezes em que negou o pedido do Vasco. A expectativa é de que não aconteça. – disse Domingos Moro ao LANCE!Net.

O pedido do Vasco se baseia no artigo 19 do regulamento geral de competições da CBF, que prevê que o jogo só pode ser interrompido por até 60 minutos. Devido a barbárie entre torcedores de Atlético-PR e Vasco, o jogo ficou paralisado por 71 minutos. Mas, para Domingos Moro, as decisões do árbitro e do STJD foram corretas, além de afirmar que, caso o Cruz-Maltino consiga a impugnação, seria uma “virada de mesa”:

– O árbitro já foi julgado, absolvido e não houve recurso da procuradoria. Na última sexta, ele se defendeu e explicou que a decisão de voltar a partida foi tomada antes dos 60 minutos. O que atrasou foi a retirada de todas as pessoas do gramado e dos feridos que saíram pelo gramado. Amanhã (sexta-feira) serão julgados outros casos, mas o do Vasco seria a maior tentativa de virada mesmo. O Atlético-PR não deu causa para o atraso no recomeço, foram as torcidas.

Caso o Vasco consiga os três pontos da partida contra o Atlético-PR, e com a perda de quatro pontos pelo Flamengo, após julgamento no STJD, o Vasco se livraria do rebaixamento, empurrando o rubro-negro para a degola. Por envolver outros times, o advogado acredita que a seja difícil ocorrer uma mudança:

– A impugnação da partida acarretaria em muitas mudanças na tabela, podendo envolver o Botafogo, o Flamengo… Até a Conmebol seria envolvida no caso, já que o Botafogo seria beneficiado e teriam que mudar os adversários na Libertadores.

Fonte: Lancenet

Vasco perde oito jogos de mando de campo por briga em Joinville; Atlético-PR punido com 12

2013120833155.jpg-GE31EGJPE.1O Superior Tribunal de Justiça Desportiva julgou na tarde desta sexta-feira Atlético-PR e Vasco pela confusão entre as torcidas na partida de domingo passado, na Arena Joinville. O clube carioca foi punido com oito jogos sem o mando de campo, sendo quatro com portões fechados, e multa de R$ 80 mil. O Atlético-PR recebeu 12 jogos de punição, sendo seis com portões fechados, e multa de R$ 120 mil. A CBF decidirá quais partidas serão jogadas sem a presença de torcida.

Um relator, dois auditores e o presidente da sessão, Paulo Bracks, participaram do julgamento. Os dois times foram condenados por unanimidade. O árbitro Ricardo Marques Ribeiro foi absolvido por três votos a um e as federações catarinense e paranaense foram absolvidos. A Arena Joinville não foi interditada.

Após o julgamento, os advogados de Vasco e Atlético-PR anunciaram que vão recorrer do resultado. O clube paranaense concordou com a pena, mas disse que vai pedir a redução do número de partidas da punição. O Vasco concordou com a multa, mas não quer perder mandos de campo.

– Não acho que o Vasco possa ser lesado, uma vez que foi atacado – disse a advogada do Vasco, Luciana Lopes.

O Globo

CONFRONTO: Aliados, torcedores do Palmeiras prometem 'vingar' o Vasco contra o Atlético-PR

fanati Integrantes da maior torcida organizada do Palmeiras escreveram em uma rede social na internet que prometem ajudar vascaínos a “dar o troco” nos atleticanos após a violenta briga que marcou o jogo entre Atlético-PR e Vasco, na última rodada do Campeonato Brasileiro.

A página não é oficial, mas conta com 12 mil membros de torcedores palmeirenses. Nela, é possível ver a mensagem: “Os Fanáticos do Atlético Pr vocês não perdem por esperar. MV + FJV o Aval está dado…”. Outros membros, no entanto, condenaram a postagem alertando para o risco do clube ser punido em função da violência.

A suposta revanche aconteceria no próximo duelo entre Palmeiras e Furacão no Pacaembu, estádio onde os paulistas têm atuado, já que a Arena Palestra ainda está em obras.

Presente no “Redação SporTV” desta quinta, o o secretário nacional de futebol do Ministério do Esporte, Antonio Nascimento, disse que mensagens em redes sociais têm ajudado a polícia a identificar torcedores violentos.

– Por isso que é importante o serviço de inteligência da polícia. Isso é uma minoria das organizadas. Não pode achar que é hora de suspender todas as organizadas. Foram algumas delas que, inclusive, alertaram que o jogo entre Vasco e Atlético tinha grande risco de ter confusão – disse.

Sportv

Tribunal pode rebaixar a Portuguesa na segunda-feira; Vasco quer impugnação de partida contra Atlético-PR

O Campeonato Brasileiro, em campo, terminou semana passada. Mas há ainda pelo menos mais duas ou três rodadas no “tapetão” para definir a classificação final. Vasco, Atlético-PR, Flamengo, Portuguesa e Fluminense estão com uma seleção de advogados trabalhando em ritmo acelerado para livrar seus clubes de situações que já estavam definidas e que podem sofrer uma reviravolta.

O presidente da CBF, José Maria Marin, e o vice-presidente da entidade, Marco Polo Del Nero, garantem que não vão aceitar uma “virada de mesa” no Brasileirão e que vão lutar para que apenas a lei seja cumprida, seja ela favorável a quem for, independentemente dos clubes envolvidos.

“Se tiver jogador irregular e perder pontos, e isso levar ao rebaixamento, não tem como consertar. Não tem virada de mesa. É apenas o cumprimento da legislação”, disse Del Nero, à Rádio Globo. Nesta quarta-feira, a CBF encaminhou ao STJD as irregularidades cometidas por Flamengo e Portuguesa.

Na segunda-feira, a 1.ª Comissão Disciplinar do tribunal vai julgar os dois casos, envolvendo a Portuguesa e o Flamengo, que teriam escalado na última rodada do Campeonato Brasileiro atletas de forma irregular – Héverton, pela Lusa, e André Santos, pelo clube carioca.

Se condenados, Fla e Portuguesa poderiam perder quatro pontos. Isso significaria o rebaixamento da Lusa e a manutenção do Fluminense na Série A. Em 2006, o Tricolor carioca foi campeão da Série C do Brasileiro e também não disputou a Série B, saltando no ano seguinte direto para a Primeira Divisão.

Na quarta-feira, ao site GloboEsporte.com, o advogado Oswaldo Sestário, que defende a Portuguesa no STJD, disse estar convicto de que passou a informação correta para o advogado Valdir Rocha, do jurídico da Lusa – de que Héverton teria sido suspenso por duas partidas.

“Até tenho as anotações, tenho tudo, não tem a mínima chance de ter passado que seria um jogo só. Geralmente no outro dia faço um comunicado oficial, mas acabou não acontecendo porque falei por telefone.” A Portuguesa alega que só foi notificada da decisão na segunda-feira, por isso escalou o jogador e este será o principal argumento durante o julgamento.

Na verdade, o time rubro-verde não tem muitas armas para se defender. Além da questão da notificação, outro ponto que será bastante abordado é o fato da decisão beneficiar um time carioca, o Fluminense. “Não fomos nós que erramos. Se alguém errou, foi o Fluminense que não teve competência para subir em campo e agora quer subir pelo tapetão”, disparou o vice-presidente do Departamento Jurídico do clube, Orlando Cordeiro de Barros.

COM NOVO ADVOGADO

A Portuguesa resolveu que não vai mais contar com os serviços de Oswaldo Sestário, advogado que representou o clube no julgamento. Nesta quarta, em comunicado oficial, o presidente da 4.ª comissão do STJD, Paulo Bracks, afirmou que o resultado do julgamento (de André Santos e Héverton, na sexta-feira passada) “foi imediatamente proclamado” por ele.

Por meio de nota, o Flamengo criticou a possibilidade de alteração de resultados obtidos em campo. “A classificação final de cada agremiação foi conseguida por seus méritos e problemas. Mudar essa realidade será um desserviço ao futebol e uma afronta ao torcedor brasileiro”, registra o documento.

Na sexta-feira, a 4.ª Comissão Disciplinar do STJD vai julgar os incidentes ocorridos domingo, em Joinville, durante o jogo Atlético-PR e Vasco. Cada um pode perder até 20 mandos de campo e cumprir a pena com portões fechados. O Vasco quer, por meio de outra ação, impetrada nesta quarta-feira, a impugnação da partida.

Estadão

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Roberto disse:

    A Portuguesa utilizou um jogador irregular, portanto tem mais é que pagar pelo o erro. Quem manda os dirigentes serem burros e escalarem ele nessa situação, agora pegue segunda divisão pra deixarem de ser besta.

  2. Valter Campos disse:

    Quando se pensa que o Brasil evoluiu, vemos essa palhaçada.
    Os times não fizeram sua parte em campo, vão ao tapetão. Já passou do tempo dessas mutretas dos cartolas corruptos do futebol.
    Dizem que somos um celeiro de craques, por outro lado, temos dirigentes de atitudes condenáveis, questionáveis reprováveis.
    A imprensa esportiva continua dando ouvido a Eurico Miranda, pra quê? Ele nunca contribuiu com nada positivo, sempre usou da politicagem para dar títulos ao vasco.
    Quando o futebol vai evoluir dentro e fora dos campos???????????

Procurador geral do STJD quer punir Atlético-PR e Vasco da Gama com jogos sem torcida em 2014

Na denúncia que pretende apresentar até quinta-feira, o procurador geral do Superior Tribunal de Justiça Desportiva, Paulo Schmitt, vai pedir outra vez que Atlético Paranaense e Vasco da Gama percam até 10 mandos de jogos e, nestas partidas fora de seu estádio e a 100 quilômetros de distância, sejam disputadas com os portões fechados.

“Já temos prevista esta punição no regulamento do Campeonato Brasileiro de 2014, nos artigos 69A e 69B. Mas como este caso incide na próxima temporada, vou voltar à carga”, disse ao Blog do Boleiro nesta segunda-feira. Schmitt acha que esta é uma medida quer atinge os cofres dos clubes que passariam a cobras das uniformizadas uma atitude ordeira.

Nesta temporada, o procurador pediu a mesma punição para Vasco da Gama e Corinthians depois do conflito entre as organizadas no estádio Mané Garrincha, em Brasília. O STJD acabou apenas optando pela perda de mando de jogos. O Tribunal pleno achou que não cabia no caso a pena dos portões fechados.

Schmitt acompanhou ao vivo, pela televisão, o conflito que paralisou o jogo em Joinville, disputado entre o Atlético-PR e o Vasco da Gama. “Um conflito deste só mesmo quando o Coritiba caiu para a Série B e houve briga generalizada além de vandalismo. Mas os torcedores brigaram contra os soldados da PM e invadiram o campo”, lembrou o procurador.

Se forem julgados e punidos, os vascaínos poderão começar a Série B de 2014, jogando fora da cidade do Rio de Janeiro.

Terra

Presidente do Atlético-PR chama São Paulo de 'bambinhos' e alfineta ídolo do seu próprio clube

0002048115431_imgO presidente do Atlético-PR, Mário Celso Petraglia, não fugiu das polêmicas em sua participação do programa Bola da Vez, da ESPN Brasil. Em 90 minutos de entrevista, o dirigente criticou o principal destaque do Furacão, o meia Paulo Baier; chamou o São Paulo de “bambinhos”; disse que o clube foi já vítima de forças ocultas; e revelou tentativa de fusão com Paranás e Coritiba.

O ponto mais polêmico de sua entrevista foi com relação à renovação com Paulo Baier. Após marcar dois gols no Atletiba, no domingo, o jogador deixou o gramado anunciando que deixará o time ao final do ano, porque a atual diretoria não pretende mantê-lo.

O dirigente, porém, não se inibiu em criticar o camisa 10. “Parece loucura, mas o que ele ganhou pelo Atlético? Não sou contra o Paulo Baier, mas a nossa política é de renovação, de juventude”, argumentou. “Nos melhores jogos nossos neste ano, depois da recuperação do Mancini, ele não estava em campo”, continuou, afirmando que o jogador foi herança da gestão anterior.

Mais polêmicas

O São Paulo também não escapou do “gatilho” de Petraglia. O dirigente comentou que, quando assumiu o clube em 1995, o projeto era ser campeão brasileiro em dez anos. Fato que se confirmou até com antecedência, já que em 2001 foi campeão nacional.

“Fomos quase bi em 10 anos. Se não fossem forças ocultas teríamos sido. Se não fossem as forças ocultas, teríamos sido campeões da Libertadores”, afirmou, sobre os vice-campeonatos brasileiro de 2004 contra o Santos e da Libertadores 2005 diante do São Paulo.

Petraglia citou o fato do Furacão ter sido obrigado a mandar a final da Libertadores no Beira-Rio. Ele garante que tinha certificados de que a Arena da Baixada possuía 40 mil lugares. “Nos tiraram na mão grande. Por força de ‘instruciones superiores’ fomos jogar no Beira-Rio. Dois meses depois, os bambinhos foram lá (Arena) e tomaram de 4″, disparou.

Só um clube no Paraná?

O dirigente ainda revelou que na década de 90 chegou a sugerir uma fusão entre Atlético e Paraná, já que na visão dele Curitiba “não comporta três clubes grandes”. E reforçou o fato de que, hoje, o Tricolor destruiu a maior parte de seu patrimônio.

Além disso, o cartola também afirmou que, na época, chegou à loucura até mesmo de pensar na fusão envolvendo os três principais clubes do Estado, incluindo o arquirrival Coxa. “Nossa sede sria o Couto Pereira e faríamos proposta para disputar o Paulistão”, concluiu.

Futebol Interior

Time da Série A do Brasileirão quer disputar o Campeonato Carioca como Duque de Caxias

Estamos em meados de 2013, mas o Atlético-PR já está pensando na temporada do ano que vem, especificamente no Estadual. No entanto, quem pensa que trata-se do Campeonato Paranaense, está enganado. O Furacão quer ceder seu time sub-23 para o Duque de Caxias e disputar o Cariocão. O presidente do clube, Mario Celso Petraglia, revelou que as conversas já foram iniciadas.

“Existe mesmo essa conversa. Seria um reforço e uma rodagem que daríamos ao time sub-23. Temos a cultura da inovação. Criamos essa categoria e temos que buscar alternativas para ela”, disse.

Empolgado com o projeto, o cartola disse que também há opções além do Estadual do Rio de Janeiro.

“Não existe nada fechado ainda. Estamos vendo outras alternativas no estado de São Paulo e também aqui no Paraná”, contou.

Por sua vez, a diretoria do Duque de Caxias vê com bons olhos a oportunidade de contar com o time sub-23 do Rubro-Negro. Luiz Carlos Arêas, presidente do tricolor da Baixada Fluminense, acredita em um possível acerto.

“Não vejo motivo para não fazer essa parceria. Já fizemos isso com o Vasco, no começo da história do clube, e por que não com o Atlético-PR?”, finalizou o dirigente.

Yahoo Esportes

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. paulo kasinsk disse:

    Taí uma boa ideia. O modelo poderia ser copiado por aqui, por ABC e América. O futebol local, que de há muito deixou de existir, poderia ser terceirizado para o Sport, Náutico, Santa Cruz (que garantiria bos rendas), Vitória, Bahia, Ceará e até pelo Asa de Arapiraca. Time macho, esse do Asa, e o pessoal da terra do fumo tem dinheiro para investir. E os dirigentes locais iriam lá, cuidar dos negócios deles. Ganharíamos mais representatividade e a Arena das Dunas é perfeita para isso. Taí, gostei.

CBF confirma duelo entre América e Atlético-PR para o estádio Barrettão

Segundo o blog Vermelho de Paixão, a supervisão do América já recebeu um comunicado oficial da Confederação Brasileira de Futebol(CBF) informando a transferência do jogo contra o Atlético/PR para o estádio Barrettão, duelo válido pela segunda fase da Copa do Brasil. O confronto está programado para às 19h30.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Dani disse:

    Grande iniciativa !
    Parabéns ao Procurador.