Comissão da Câmara Municipal de Natal aprova Projeto sobre reordenamento urbano do bairro do Alecrim

Foto: Marcelo Barroso

A Comissão de Legislação, Justiça e Redação Final aprovou, nesta segunda-feira (26), o Projeto de Lei 14/2017, da vereadora Nina Souza (PDT), que estabelece diretrizes para o reordenamento urbano do bairro do Alecrim. De acordo com a matéria, toda iniciativa que altere o ordenamento do bairro, seja em seu aspecto social, comercial, ambiental, urbanístico e cultural, deve ser formalizada através de Projeto específico.

“A necessidade de que todo ordenamento, seja do bairro do Alecrim ou de qualquer bairro, seja precedido por um Projeto específico, é porque através dele será explanada toda uma sistemática, todo um planejamento onde o cidadão pode tomar conhecimento de todas as intervenções que serão feitas. E nosso Projeto trata justamente sobre isso”, explicou a vereadora Nina Souza.

Os membros da Comissão votaram pela supressão do artigo que estabelece o prazo de dois anos para que a Prefeitura reordene o Teatro Sandoval Wanderley. “O Teatro é de extrema relevância, não só para o Alecrim, mas para toda Natal, porém com o estabelecimento do prazo ficamos com receio que o Poder Executivo vetasse o Projeto e prejudicasse a matéria como um todo”, disse o vereador Fúlvio Saulo (SD).

A Comissão aprovou também o Projeto de Lei 159/2013, do ex-vereador Rafael Motta, subscrito pelo vereador Paulinho Freire (PSDB), que dispõe sobre a utilização de milhagem ou outros benefícios provenientes de passagens aéreas adquiridas com recursos do tesouro público do município de Natal para um fundo do desporto.

Outro Projeto aprovado foi o 92/2019, do vereador Ney Lopes Júnior (PSD), que cria a Lei Super K VS Câncer em defesa da educação de crianças portadoras de neoplasia (câncer).

Participaram da reunião os vereadores Preto Aquino (Patriota), Kleber Fernandes (PDT) e Ana Paula (PL).

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Jairo disse:

    O Alecrim só presta daquele jeito. Todo esculhambado e cheio de gente.

PM da reserva é morto a tiros no bairro do Alecrim, em Natal

Um subtenente da reserva remunerada da Polícia Militar, de 54 anos, foi executado a tiros na manhã desta sexta-feira (19) no bairro Alecrim, na Zona Leste da capital. De acordo com a polícia, o militar não estava armado. Informações dão conta que ele saiu de casa, na rua Ocidental de Baixo, no Paço da Pátria, e seguia a pé pela rua Rafael Fernandes no bairro Alecrim, a caminho do Instituto de Cegos, onde trabalhava atualmente. Na ocasião,dois homens que já estariam esperando por ele dentro de um carro modelo HB20, atiraram duas vezes na cabeça da vítima, que morreu na hora.

Diante das circunstâncias do crime, a polícia acredita em execução, porque os criminosos não tinham interesse nos bens do policial. Inclusive, a carteira e o relógio da vítima foram deixados no local.  Após os disparos, os homens fugiram com destino ignorado. Diligências estão sendo realizadas na região.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gil disse:

    Meus pêsames à família. 54 anos e já na reserva a uns 5. Reforma da previdência já.

    • justiniano disse:

      Você conhece o regime militar e suas peculiaridades? militares trabalham com todos os direitos e garantias trabalhistas ou possuem carga horária específica com hora extra, etc? Só uma breve reflexão…

    • Gil disse:

      Como todo funcionário público não faz jus ao FGTS posto que tem estabilidade. e trabalha 1 dia e folga 3, tem diária operacional, se aposenta com 48 anos. Mas isso vai acabar, pela simples falta de recursos.

    • Saulo disse:

      É mesmo!!! PM trabalha 1 por 3. Converte licença-prêmio em tempo de serviço e se aposenta com 47. Como é 1/3, trabalho efetivo somente 12 anos.

    • Chico disse:

      Pois pega uma arma e entra ali em Mãe Luiza, Passo da Pátria, Felipe Camarão, Nossa Senhora da Apresentação e tenta combater a criminalidade todo santo dia pra tu ver se chega, pelo menos, aos 45 anos com saúde mental e física. Pimenta no dos outros é refresco…

Morador de rua é morto enquanto dormia em calçada no bairro do Alecrim

A Polícia Militar confirmou o assassinato a tiros de um morador de rua enquanto dormia em uma calçada do bairro Alecrim, Zona Leste de Natal, na noite desse domingo (11).

A Polícia Militar afirma que a vítima, de 26 anos de idade, dormia sobre um papelão próximo ao cruzamento entre a Rua dos Pajeús e a Rua Leão Veloso, popularmente conhecida como Avenida Cinco. Informações dão conta que os criminosos se aproximaram da vítima em um Ford Ka preto e atiraram. O morador de rua morreu no local. A motivação do crime será investigada pela Polícia Civil.

Guardas municipais detém suspeito de arrombamento e furto no bairro do Alecrim

Foto: Semdes

Agentes da Ronda Ostensiva da Guarda Municipal do Natal (Romu/GMN) detiveram na manhã desta quarta-feira (05) um acusado de arrombamento e tentativa de roubo identificado como Paulo Pereira da Silva. A prisão foi realizada no bairro do Alecrim logo após o suspeito fugir do local do delito.

De acordo com informações repassadas pelo Subcomando de Segurança da GMN, os guardas municipais realizavam patrulhamento na área comercial do Alecrim quando foram informados ocorrência. O suspeito foi perseguido pelos agentes e detido logo em seguida. Os agentes não encontraram arma de fogo ou objeto furtado na ação.

Os guardas municipais informaram que populares apontaram o suspeito como autor de crime relacionado a furto de objetos de uma carreta pertencente a companhia de energia elétrica local e um comércio da região.

Paulo Pereira da Silva foi conduzido pelos guardas municipais à Central de Fragrantes da Polícia Civil onde foram realizados os procedimentos legais referentes ao fato.

FOTOS: Motorista do Uber que trabalhava com carro roubado é preso no Alecrim

Uma ação realizada pela Delegacia Especializada em Furtos e Roubos (Defur) prendeu em flagrante, nesta terça-feira (27), Isael Ely Batista, 19 anos, quando foi apreendido com o mesmo um veículo roubado na rua dos Pegas, localizada no bairro do Alecrim, Zona Leste de Natal. Em depoimento, Israel afirmou que comprou o carro, de modelo Uno 2015 que estava adulterado, pelo valor de R$ 7.000,00 reais para trabalhar como uber.

O veículo original foi apreendido em posse de um traficante no dia 12 de maio de 2017, por policiais civis da Delegacia Especializada em Narcóticos (Denarc). Israel foi preso através de abordagem policial, sendo autuado pelos crimes de adulteração de veículo automotor e receptação qualificado, e encaminhado ao sistema prisional, onde ficará à disposição da Justiça.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. dona Odete disse:

    Pego Uber e não deixo de pegar, melhor em todos os aspectos, táxi tem que fazer uma renovação geral, está ultrapassado.

  2. Duda disse:

    Por isso que eu so uso taxi e um veiculo com indentificado uber usei uma vez nunca mais

  3. Kiko disse:

    Sou totalmente contrário aos serviços prestados pela Uber da forma que ora é praticado. É preciso ter cuidado e entender sua estratégia de negócio, pois essa empresa é predatória. Vai de mercado em mercado sugando tudo o que pode. Além disso, os percentuais cobrados pela Uber são bem elevados em função do pouco investimento. Para quem não sabe, a Uber que já provocou um grande abalo nos serviços de táxi, prepara o lançamento do seu próximo produto (serviço) – locação de veículos. Este produto afeta diretamente os seus atuais parceiros (motoristas de Uber) e consequentemente taxistas. Acredito, inclusive, que provocará a extinção das duas categorias.
    Outro fator que justifica ser contrário a Uber é que esta empresa não deixa nenhuma divisa para Estados e Municípios sob o apelo da geração de emprego e renda para os seus parceiros (uma meia verdade).
    Agora vejamos o outro lado…..
    O serviço de táxi precisa ser moralizado. É inconcebível que uma concessão pública vá parar na mão de empresários (inclusive alguns políticos de nossa cidade), que muitas vezes possuem mais de uma dezena de licenças, quando o correto é uma por pessoa. E nada mais.
    Essa realidade fez com que surgissem inúmeras pessoas dispostas a locar estas licenças e tornarem-se taxistas sem qualquer preparo e controle dos órgão de fiscalização. Um verdadeiros absurdo que maculou a imagem dos verdadeiros taxitas (aqueles que possuem somente uma licença e as tem como meio de vida). Com o surgimento da Uber, aqueles motoristas que locavam as licenças (concessões) passaram a operar com parceiros da Uber, e da mesma forma sem qualquer preparo e controle dos órgão públicos. Digo isso de forma comprovada.
    Desta forma, para não me estender mais, devendo a taxação e regulamentação dos serviços prestados pela Uber (não extinção), para, ai sim, apurarmos a sua viabilidade e garantia de uma justa concorrência. E do outro lado que os serviços de táxi por concessão pública seja operado seguindo a sua concepção e finalidade, hoje totalmente desvirtuada.

    • Léo Júnior disse:

      Não só respeito como compartilho de tal visão sobre ambos os serviços, não há como balizar o mesmo produto sem haver regras claras para ambos, a concorrência predatória não viabiliza nenhuma atividade para que saudavelmente ela mantenha-se, não trata se apenas de uma questão local, transcende limites geográficos, éticos, moral e outras ordens, antes de pagar ninharia sobre determinado produto procuro me informar sobre o custo de determinada operação entender o todo.

  4. Alyson disse:

    Tem bandido em qualquer segmento da sociedade.

  5. MB disse:

    Não confio em Uber. Prefiro pagar mais caro. Só uso taxi; é mais seguro!

    • LULADRÃO disse:

      Você deve ser petista ou sindicalista. Pois quem preza pelo serviço de excelência usa o UBER.

    • eu disse:

      vlw taxista!

    • Leo Júnior disse:

      " serviço de excelência" é realmente….quanta excelência ! Baseando se em determinados pontos de vista. Descreve " o cidadão" dessa afirmativa.

  6. Helio Motta disse:

    Será que os defensores das Audiências de Custódia dirão que essa é a segunda vez que ele é preso pelo mesmo crime só esse ano?
    Mas isso é lógico. Bandido quando é solto vai cometer crimes. É disso que vivem. É isso que fazem.
    Fora os iludidos, os teóricos humanistas e garantistas que povoam as salas das Audiências, ninguém em sã consciência imagina que eles saem de lá para se matricular num cursinho preparatório do ENEM.

  7. Bruno bezerra disse:

    Essa é a qualidade dos motoristas da Uber… País injusto q vergonha…

    • Helio Motta disse:

      O amigo quer procurar no Google manchetes de taxistas envolvidos em crime e ver o nível de alguns desses profissionais?
      Melhor não né…

    • LULADRÃO disse:

      Tem bandido em todas as profissões e lugares. A UBER presta excelentes serviços a população.

    • Luciano disse:

      O amigo deve ser no mínimo um dos "Taxista ou melhor, motorista de taxi" que pagam uma diária absurda para um "Taxista (dono da concessão)" ficar em casa em segurança enriquecendo as suas custas…

  8. Leo Júnior disse:

    Merece 05 estrelas o motorista e o aplicativo pois não trata se de um caso isolado, eis o "mais barato" e direito de escolha dos usuários.

  9. Pptaxitur disse:

    Por isso q à Sttu pede antecedentes criminais, para ser um taxista. Parabéns à PM E PC

  10. LULADRÃO disse:

    A UBER não tem nada com isso. Ele é que é um bandido!

Prefeitura discute obras de melhorias para o bairro do Alecrim

Um grupo de empresários ligado ao bairro do Alecrim se reuniu com gestores da Prefeitura do Natal, nesta segunda-feira (5), na sede da Secretaria de Mobilidade Urbana (STTU) para tratar de projetos de melhoria da infraestrutura local e incrementar a revitalização da região.

Entre outros assuntos, foram debatidos os problemas vividos pelo bairro como as calçadas tomadas pelo comércio informal, a falta de estacionamento, acessibilidade, segurança, iluminação e drenagem, além da poluição visual.

A proposta para o Novo Alecrim prevê um reordenamento da infraestrutura viária do bairro, implantação de um Shopping Outlet, criação de galerias comerciais, mudança de tráfego de veículos, reorganização e padronização das calçadas, criação de bolevards e novo relógio.

Com investimentos privados no novo shopping serão criadas mais 220 lojas, mil vagas para estacionamento e gerados aproximadamente dois mil empregos diretos e indiretos. Também estão previstas a criação de galerias comerciais que irão gerar mais 1.700 unidades nos próximos anos. A segurança também ganhará benefícios com áreas monitoradas por câmeras e criação de postos de vigilância, além de ronda permanente de polícias militar e a guarda municipal.

Durante o encontro, a secretária da STTU, Elequicina Maria dos Santos sugeriu a criação de um Grupo de Trabalho composto por técnicos de cada secretária do Executivo Municipal para discutir todas as ações e definir o papel que cada órgão terá juntamente com a iniciativa privada na formatação final deste projeto e sua execução.

Participaram do encontro além da gestora da STTU: os adjuntos de trânsito, Walter Pedro, de Transporte, Clodoaldo Trindade; os secretários de Serviços Urbanos, Daniel Bandeira, o adjunto, Márcio Miranda; o secretário de Obras Públicas e Infraestrutura,Fred Queiroz e o adjunto, Tomaz Neto, além do arquiteto Demítrius Garcia e representação dos comércio local.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rafael disse:

    Qualquer associação local tem condições de assumir esta ideia. Não estou entendo a necessidade de ceder isto a um grupo paulista.
    Qual a troca de favores políticos envolve isso?

  2. cidadão disse:

    vixe… a sttu tá no meio… vai dar bronca…

  3. Zacarias potiguar disse:

    Grupo de trabalho…

    Pense numa coisa rápida e eficiente.

    Resumo: nunca mais teremos notícia disso.

Audiência pública debate melhorias para o bairro do Alecrim

Foto: Marcelo Barroso

Melhorias e políticas públicas para o bairro do Alecrim foi o tema discutido, na manhã desta quarta-feira (5), em audiência pública na Câmara Municipal de Natal. Proposta pelos vereadores Aldo Clemente (PMB) e Kleber Fernandes (PDT), a audiência contou com a presença de representantes da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU), da Secretaria Municipal de Segurança Pública e Defesa Social (SEMDES), além de representantes dos conselhos comunitários e da Associação dos empresários do bairro do Alecrim.

O vereador Aldo Clemente explicou que o tema da audiência é de grande relevância para que o bairro do Alecrim seja resgatado. “O bairro do Alecrim é um bairro centenário que concentra 40% do comércio varejista de Natal e está esquecido pelo poder público. Lá temos problemas de segurança pública, que é um grande gargalo dentro do bairro, a mobilidade urbana também tem que ser resolvida, e através dessa audiência pública iremos apresentar alguns requerimentos para os secretários para que essas questões sejam resolvidas”, disse Aldo.

O vereador Kleber Fernandes destacou problemas que inviabilizam o comércio no Alecrim e prejudicam os empresários do bairro. “Nós questionamos na audiência alguns pontos críticos que afetam tantos os moradores , como também, os empresários do bairro. Como por exemplo, o ordenamento do espaço público, nós vemos os ambulantes tomando conta das calçadas e ruas, a questão do estacionamento rotativo, sinalização, instalação dos binários, reorganização das praças, entre outros problemas que afetam moradores e a população de Natal como um todo”, afirmou Kleber Fernandes. O vereador explicou que a audiência pública é importante para debater, junto aos moradores e ao poder público, e encontrar soluções viáveis para atender os anseios e as expectativas dos moradores e comerciantes do bairro do Alecrim.

Para o presidente da Associação dos empresários do Bairro do Alecrim, Derneval Sá, o grande problema é a má administração do bairro por parte do poder público. Segundo o empresário há dois anos 100 mil pessoas circulavam pelo comércio do Alecrim, hoje, esse número caiu pela metade. “O Alecrim recebe uma má administração por parte dos poderes públicos. Podemos citar vários problemas como por exemplo, nossas calçadas, ruas e avenidas são todas invadidas, assim como nossas praças, e isso afasta o público. Além de problemas de segurança e iluminação pública que levam os comerciantes a fecharem mais cedo. Precisamos discutir e encontrar soluções para que essas dificuldades não prejudiquem ainda mais os comerciantes, consumidores e moradores do bairro”, afirmou Derneval Sá.

De acordo com o secretário adjunto da STTU, Walter Pedro, a secretaria está avançando para colocar em prática projetos com o objetivo de melhorar a mobilidade urbana do bairro. “Estamos regulamentando o sistema de carga e descarga, já discutimos com alguns empresários e definimos os horários, estamos avançando no projeto do binário da avenida 3 com a avenida 4, que vai melhorar o fluxo do trânsito principalmente aos sábados, além da fiscalização diária que a STTU realiza para diminuir o impacto do trânsito no Alecrim”, concluiu Walter Pedro.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ângelo júnior disse:

    O bairro do Alecrim, hj com os espaços públicos invadidos por camelôs e lanchonetes de forma não padronizada, parece uma favela. Os camelôs invadiram as calçadas e ruas, isso tem dificultado a circulação de pessoas e veículos, em razão dos estreitamentos. A calçada do Colégio João Tibúrcio foi ocupada com lanchonetes de alvenaria, os canteiros centrais também. Isso é antro que merece a fiscalização dos órgãos de vigilância sanitária, pois não há como a higiene dos produtos que lá são feitos serem de boa qualidade. Agora os nossos vereadores não vão querer mexer com eles, em razão da impopularidade que pode advir. E ainda dizem que Natal tem vocação turística.

  2. joão carlos mendell disse:

    Tá de um jeito que não tem mais jeito.
    O povo já se acostumou com aquela esculhambação. Qualquer coisa que se faça… Piora.

Projeto da UFRN propõe intervenções no bairro do Alecrim

120117099d3549042cae2f3e730e1Foto: Anastácia Vaz

Mais do que um popular bairro comercial da cidade do Natal, o Alecrim é um dos mais ricos patrimônios históricos do Rio Grande do Norte. Fortalecer relações culturais e reacender discussões sócio-históricas sobre áreas com valor patrimonial é um dos objetivos de uma recorrente ação de extensão que a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) realiza com alunos do 7° período do curso de Arquitetura e Urbanismo.

A cada seis meses, um novo alvo. Dessa forma, as turmas de Arquitetura se debruçam sobre os estudos técnicos e históricos acerca de uma área específica que merece atenção. Neste semestre, sete professores e sete disciplinas do curso estão envolvidos em estudar e realizar projetos de intervenção físico-territorial para problemáticas encontradas no centenário bairro do Alecrim, em Natal.

Denominado O Alecrim Revisitado, o projeto dos alunos da UFRN, que tem coordenação de Maísa Veloso, professora de Arquitetura e do Programa de Pós-graduação da UFRN, contou recentemente com diversas palestras, mesas-redondas e oficinas com participação de agentes atuantes do bairro natalense. O objetivo é discutir os temas que assolam o cotidiano de quem frequenta, trabalha ou vive no Alecrim.

Há 17 anos trabalhando na área de projetos, Maísa Veloso explica qual foi o processo de debate escolhido para o projeto. “Fizemos várias discussões com atores sociais do bairro do Alecrim, como os representantes dos comerciantes, dos camelôs, da prefeitura, historiadores, moradores e outros. Realizamos mesas-redondas e palestras para dar subsídios aos alunos, que irão elaborar projetos de intervenção para o bairro”, conta a professora.

Além disso, Maísa Veloso explica a importância de conscientizar a população quanto ao valor do bairro. “Buscamos conscientização. Trabalhamos de forma intensiva para discutir e ir a campo propor projetos de arquitetura, urbanismo e paisagismo. Eles serão o produto da ação”, afirma. Quanto ao objetivo, a professora fala sobre atenção e reconhecimento. “Queremos chamar atenção da comunidade para a importância histórica do bairro, que é popular, mas pouco reconhecido como patrimônio de Natal”, destaca.

Centenário, o bairro conta com edificações e projetos arquitetônicos da metade do século XIX, como o Cemitério do Alecrim, tombado como Patrimônio Cultural do Estado no ano de 2011. Além dele, as casas que cobrem o entorno da igreja do bairro também carregam consigo histórias do presente e do passado. Outro ponto de relevância histórica do Alecrim é a Feira, que acontece nos finais de semana – atualmente aos sábados – desde meados de 1920.

Embora muitos potiguares associem o Alecrim apenas ao viés comercial, o bairro carrega diversas cargas culturais, assim como outros pontos da cidade do Natal, como a Cidade Alta e a Ribeira, por exemplo. Muitas das edificações presentes no Alecrim estão descaracterizadas e acabam passando quase despercebidas pelos habitantes da capital do estado. No entanto, projetos como O Alecrim Revisitado atuam de forma a resgatar a identidade adormecida.

As atividades de preparação do projeto O Alecrim Revisitado foram realizadas de 8 a 16 de setembro. Além dos alunos e dos agentes sociais atuantes no Alecrim, professores com identificação com o bairro e especialistas como o arquiteto e urbanista Zeca Brandão, professor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), contribuíram por meio de palestras.

Como resultado, os alunos preparam projetos de intervenção para minimizar ou resolver problemas atuais no Alecrim, tais como os camelódromos – que hoje ocupam um espaço de área pública – e a feira, tão tradicional quanto o bairro, mas que na visão dos alunos poderia ser reordenada. A ideia é propor intervenções respeitosas, que não venham a ferir as tradições culturais do bairro e de seus habitantes e frequentadores.

Com informações da UFRN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Fernando Antonio disse:

    É facílimo resolver o grave problema do camelódromo do Alecrim. Existe um prédio grande pertencente ao estado onde funcionou por muito tempo o Detran. Sugestão: lá se construiria um mini-shopping com dois pisos e retiraria os ambulantes do canteiro centro da AV 2. só faltando vontade política para resolver o grave problema enfrentado pelo bairro. Fica a sugestão. Obrigado.

FOTO: PM captura fugitivo de Alcaçuz no bairro do Alecrim

Francisco Ã-talo Vieira da Silva, de 25 anosA Polícia Militar do Rio Grande do Norte (PMRN), por meio do 1o Batalhão de Polícia Militar (1o BPM), conseguiu capturar na manhã desta quinta-feira (23) um dos fugitivos do Pavilhão 2 da Penitenciária Estadual de Alcaçuz. Os policiais identificaram o foragido como Francisco Ítalo Viera da Silva, de 25 anos, que participou da fuga ocorrida nesta quarta-feira (23). A viatura fazia um patrulhamento de rotina e se deparou com Francisco Ítalo em atitude suspeita no cruzamento da Rua dos Paiatis (Avenida 11) com a Rua Presidente Sarmento (Avenida 4), no Alecrim.

Durante a abordagem, os policiais constataram que ele teria participado da última fuga e conduziram Francisco Ítalo para o complexo onde cumprirá o restante da sua pena.

A Secretaria de Estado de Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed) está empenhada na localização e captura de todos os foragidos do Complexo Penal de Alcaçuz, trabalhando diuturnamente para manter a sensação de segurança no Rio Grande do Norte.

Polícia Civil prende acusado de estupro contra adolescente no bairro do Alecrim

Policiais civis da Delegacia de Capturas (Decap) prenderam na manhã dessa quinta-feira (24), no bairro do Alecrim, um homem identificado como Relemberg Luiz de Oliveira, de 42 anos. Ele é acusado de ter cometido um estupro contra uma adolescente de 14 anos, crime ocorrido no ano de 1995, na cidade de São José de Mipibu-RN.

O homem foi detido em cumprimento a um mandado de prisão expedido pela Vara Única da Comarca de São José de Mipibu-RN. O documento, datado de março de 2012, aponta uma sentença condenatória contra o acusado de nove anos e nove meses de reclusão.

Na delegacia, Relemberg negou as acusações. “Ela era minha namorada e eu costumava dormir na casa da mãe dela, não houve estupro”, alegou. Aos prantos, ele disse que na época a mãe da menor o denunciou à polícia, tendo ficado preso apenas durante um mês e meio. “A mãe dela retirou a queixa logo depois, eu não passei muito tempo preso. Não sabia nem que existia essa condenação contra mim”, justificou. Relemberg ficará recolhido à disposição da Justiça.