Operação Máfia Capital: veja quem foram as pessoas presas e como funcionava o esquema da coleta de lixo de Caicó

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) deflagrou nesta terça-feira (14) a operação Máfia Capital. A ação apura fraudes na contratação de veículos, maquinário e pessoal para coleta de lixo na cidade de Caicó com o cometimento dos crimes de organização criminosa, fraude a licitações, peculato e corrupção ativa e passiva.

Núcleos empresarial e administrativo

Devido à complexidade da forma como os envolvidos cometeram os crimes, o MPRN sistematizou as condutas atribuídas a cada um dos investigados. A Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público de Caicó desvendou a existência de “clara corrupção e fraude no processo de contratação de caçambas, por intermédio da Secretaria de Infraestrutura e Serviços Urbanos de Caicó”. A investigação aponta que, inicialmente, Clélio José de Sena Filho atuou de forma isolada para corromper Abdon Maynard. Posteriormente, houve a atuação de um núcleo empresarial integrado por Luiz Guilherme Salzano Leite, que ostenta a posição de controlador da empresa Viacon; e outras cinco pessoas, todas investigadas pelo MPRN.

Na Secretaria de Infraestrutura e Serviços Urbanos de Caicó, foi detectada a corrupção de agente público, que passou a ser denominada como núcleo administrativo. Esse núcleo promoveu a fraude do procedimento licitatório de contratação de serviços envolvendo o fornecimento de caçambas para Caicó; o compartilhamento de informações sigilosas ou restritas com particular; e o direcionamento da contratação em favor da empresa Viacon. O núcleo administrativo era composto unicamente por Abdon Augusto Maynard Júnior.

Veja mais: MPRN deflagra operação para investigar fraudes na coleta de lixo em Caicó; ex-secretário e empresários são presos

Para o MPRN, os investigados são membros de uma “complexa e bem estruturada organização criminosa, cujos líderes são empresários (núcleo empresarial) responsáveis por um grupo de empresas que, agindo em típica atividade de cartel, acertando e superfaturando preços, e pagando vantagens econômicas indevidas (propina) a funcionários públicos (núcleo administrativo), lograram contratar indevidamente com o Poder Público Municipal, às custas de licitações indevidamente dispensadas e/ou fraudadas”.

As investigações apontam que “a contratação da empresa Viacon Construções e Montagens Ltda para realizar o serviço de coleta de lixo na cidade de Caicó, pelo período emergencial de 3 meses, está repleta de ilicitudes, que precisam ser apuradas mais a fundo, com a finalidade de averiguar o tamanho real do prejuízo aos cofres públicos, bem como o grau de participação e culpabilidade de cada um dos agentes envolvidos, sejam eles agentes públicos ou particulares”.

Coleta de lixo três vezes na semana em São Gonçalo do Amarante resulta, em média, por mês, 1,7 tonelada descartada em aterro sanitário

A Prefeitura de São Gonçalo do Amarante, através da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur), realiza a coleta de lixo domiciliar no município, nas zonas rurais e urbanas, três vezes por semana, em todos os bairros e comunidades, entre às 7h e 17h. Varrição de ruas, capinagem e pintura de meio-fio são outros serviços prestados à população pela pasta.

Em média, por mês, 1,7 tonelada de lixo domiciliar é retirada e descartada em um aterro sanitário em Ceará-Mirim. Já a coleta de podas e entulhos, feita no mínimo uma vez por semana, gera 459 carradas de resíduos vegetais, o que equivale a 5,8 toneladas/mês – descartada no aterro de inertes, localizado no Centro de São Gonçalo.

A despesa mensal com a prestação desses serviços é de aproximadamente R$ 800 mil. “Esse trabalho é essencial para manutenção da saúde pública e bem-estar da população. Mas sempre alertamos para educação de coleta de lixo. A população precisa – e deve – fazer sua parte”, observa Basílio Junior, secretário da Semsur.

 

Prefeita está insatisfeita com coleta do lixo e promete "medidas enérgicas" contra cidadão mal acostumados

Não diria exatamente que chega a trabalhar contra, mas que foi um tiro no pé o que a assessoria da prefeita Micarla de Sousa fez ao utilizar a conta da alcaidessa no Twitter.

Reproduzindo trecho de entrevista à TV Ponta Negra, postaram que Micarla chamou aos carretéis as empresas que cuidam da coleta do lixo da cidade para passar recibo.

“Eu não estou satisfeita com o serviço e quero melhoria rápida”, dizia a mensagem.

Foi um tiro no pé porque por um lado as empresas estão com dificuldades em razão dos atrasos nos repasses. Ninguém operacionaliza sem recursos.

Por outro lado, se a prefeita não está satisfeita, avalie então quem está sofrendo na pele esse problema. Pode até ter recebido a mensagem como afronta, algo que tenho certeza que não foi.

Em outra post, a assessoria reproduziu fala da prefeita, segundo a qual “tomaremos medidas enérgicas com aqueles que jogam lixo em locais inadequados”.

Pelo que entendi, a promessa é de que o cidadão mal acostumado a jogar lixo inadequadamente vai pagar a conta pela má contribuição que dado à cidade.

Direito de pergunta:  quem responderá pelos desmandos no atraso da coleta?

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Milena Lima disse:

    Eu estou insatisfeita com toda a gestão da prefeita, quero melhoria rápida, e aí? Ela vai deixar o cargo ou vai resolver trabalhar de verdade?!

  2. a prefeita conseguiu atingir 97% de insatisfação popular, mais uns 3 buracos e chega a 100%

Sem receber há nove meses, empresa paralisa coleta de lixo na Zona Norte

Sem receber há pelo menos nove meses, a empresa de limpeza pública Trópicos decidiu repassar a fatura da conta para a população e paralisou, na Zona Norte, a coleta de lixo domiciliar.

E se não paralisou em toda a ZN, a Trópicos decidiu deflagrar em outra parte uma operação tartaruga. Vai pegando o lixo sem menor pressa, enquanto o acúmulo chega no passo do coelho.

Ao Jornal de Hoje, a Urbana minimizou os efeitos da crise. Admitiu os atrasos, mas negou suspensão de serviços. O valor da dívida não foi revelado.

Ontem, a prefeita Micarla de Sousa falou sobre o assunto quando foi abordada na 96 FM.

De acordo com ela são “dificuldades herdadas de gestões anteriores”.

Lembrando que daqui a pouco a gestão anterior vai ser a da própria prefeita. Se reeleita, será de si mesma que falará quando evocar esse discurso.

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Kedson disse:

    Todos os erros atuais, a atual prefeita fala que herdou das gestões anteriores.