Televisão

Empresa vai pagar R$ 6,8 mil para alguém assistir a 13 filmes de terror

Foto: Blumhouse Productions/Miramax

Uma empresa financeira vai pagar a uma pessoa a ser contratada US$ 1.300 (aproximadamente R$ 6,8 mil) para assistir a 13 filmes de terror em outubro, em um esforço para descobrir se o tamanho do orçamento de um filme afeta sua eficácia.

A FinanceBuzz está procurando contratar alguém para ser um Analista de frequência cardíaca de filmes de terror. A pessoa assistirá 13 dos filmes mais assustadores já feitos enquanto monitora sua frequência cardíaca usando o Fitbit, disse a empresa em um comunicado à imprensa.

“Em homenagem à próxima temporada assustadora, nós da FinanceBuzz estamos morrendo de vontade de saber se os filmes de terror de alto orçamento causam sustos mais fortes do que os de baixo orçamento”, disse o comunicado.

“Você nos ajudará a descobrir se o orçamento de um filme impacta ou não o quão assustador ele pode ser usando um Fitbit para monitorar sua frequência cardíaca enquanto você analisa a lista de 13 filmes.”

O participante escolhido deve assistir aos seguintes filmes entre 9 e 18 de outubro:

Jogos Mortais

Terror em Amityville

Um Lugar Silencioso – Partes I e II

O Mistério de Candyman

Sobrenatural

A Bruxa de Blair

A Entidade

Corra!

Uma Noite de Crime

Halloween (2018)

Atividade Paranormal

Annabelle

A FinanceBuzz fornecerá ao novo analista um rastreador Fitbit junto com o pagamento de US$ 1.300 e um cartão-presente de US$ 50 (cerca de R$ 260) para cobrir os custos de aluguel do festival do susto.

Para se candidatar, os interessados devem preencher um formulário e informar a empresa por que são a melhor pessoa para a função.

As inscrições devem ser feitas até 26 de setembro, e o FinanceBuzz escolherá um vencedor até 1º de outubro.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Assisti a todos, os melhores na minh opinião: Um lugar silencioso, o mistério de Candyman, Uma noite de crime e Annabelle

  2. O governo do gado é um filme de terror e população assiste de graça, imagine ganhar quase R$ 7 mil para assistir a 13 filmes, aí sim vale a pena.

    1. Pois é Boi Ferrado, concordo com vc, vou até mais longe, depois de 14 anos de terror, a coisa fica muito mais fácil e veja terror mesmo, mortes, tentativas de assassinato, roubo muito, terror, mensalão, petrolao, Andrade Gutierrez, Odebrecht, Eike batista, os irmãos joesley, Angola, Venezuela, apedrejamento público, Cesare Battisti, as falas da Anta, Barusco, Cervero olhudo, refinaria de passadena, compra de caças suecos, braskem, somos super bem preparados para essa missao, leia homem, só que precisa ler mais para concorrer, eu estou mais preparado que vc que certamente é da escola do rapaz e por óbvio não gosta muito de frequentar os bancos escolares.

    2. Na escola de balé e corte e costura, não tenho dúvidas que sim.

  3. Tô precisando muito desse dinheiro kkk e uma coisa que sei fazer é assistir os filmes concentrado

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Representante da Davati diz que reverendo Amilton tinha ‘ofício’ para representar empresa no Ministério da Saúde

Foto: Reprodução/CNN Brasil

A CPI da Pandemia ouve agora o representante oficial da Davati Medical Supply no Brasil, Cristiano Carvalho, na condição de testemunha. O empresário deve ser questionado acerca do suposto caso de propina envolvendo a compra de vacinas AstraZeneca contra a Covid-19.

Segundo Carvalho, as tratativas para compra dos imunizantes foram encerradas em 15 de março, com a demissão de Eduardo Pazuello do comando da pasta. As revelações do suposto pedido de propina partiram do revendedor de vacinas e PM, Luiz Paulo Dominghetti. Segundo seu depoimento à CPI, ele recebeu o pedido de Roberto Dias em um restaurante em Brasília no dia 25 de fevereiro – Dias nega qualquer pedido de favorecimento na compra das vacinas.

Respondendo a Renan Calheiros, o depoente informou que o reverendo Amilton de Paula tinha “ofício” para representar a Davati Medical Supply perante o Ministério da Saúde. “Nós demos um oficio para ele representar a empresa perante o Ministério da Saúde, em especial na negociação que estava ocorrendo.”

É o reverendo Amilton de Paula que leva Dominghetti ao Ministério da Saúde, segundo Carvalho. O representante, no entanto, não afirma que foi Amilton quem marcou o encontro no restaurante em Brasília, em 25 de fevereiro. Sobre a remuneração do reverendo, Carvalho acredita que ele manteve “algum tipo de acordo” com Dominghetti.

“Ele [reverendo] diz em entrevista que receberia uma doação, mas a empresa dele é privada. então tenho absoluta certeza que ele tinha algum tipo de acordo com o Dominghetti.”

À analista de política da CNN Renata Agostini, o diretor do departamento de Imunização do Ministério da Saúde, Lauricio Monteiro Cruz, afirmou a proposta de venda de 400 milhões de doses de vacina pela Davati Medical Supply chegou à pasta em fevereiro pelas mãos do líder religioso Amilton Gomes de Paula.

Representante da Davati confirma reunião com Elcio Franco no Ministério da Saúde

Durante a sessão, Cristiano Carvalho afirmou que esteve com o então secretário-executivo do Ministério da Saúde, Elcio Franco. Segundo ele, a reunião na pasta aconteceu em 12 de março. “No dia 12 de março eu estive com reverendo Amilton, Dominguetti, estivemos com coronel Boechat, Pires e Elcio Franco. E com o Coronel Elcio Bruno também”, disse.

“Estive no Ministério da Saúde pela primeira vez em 12 de março e antes disso eu nunca tinha fornecido nada pra o Ministério da Saúde. Fui receoso, mas a insistência e os traços de veracidade que chegavam a mim era indiscutível que existia uma demanda [pela compra da vacina]”, disse.

Carvalho revelou que conheceu Dominghetti em 10 de fevereiro – o suposto pedido de propina aconteceu no dia 25.

“Conheci ele [Dominghetti] através de Rafael Alves, representante de vendas autônomo. Eu tive contato com ele telefônico no dia 10 de fevereiro. Eu sempre fui incrédulo sobre a venda de vacinas, e só comecei a dar uma atenção depois que começaram a chegar comunicações oficiais do Ministério.”

Com CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Compra de vacinas que NÃO HOUVE (nenhuma Covaxin chegou ao Brasil) e NENHUM centavo foi pago por isso. É essa CPI fake já está perdendo vários dias “investigando” o que não existe. Há vários dias. Haja paciência!

  2. Doação, comissionamento…as narrativas são se sucedendo…
    Queima propinal,digo…quengaral….
    Muuuuummmmmmm

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Eco serviços ambientais emite nota

A empresa Eco serviços ambientais vem por meio desta nota informar a realidade dos fatos, acerca da matéria veiculada nos blogs do Dina, do BG e de Gustavo Negreiros, em que relata que a empresa Eco Serviços ambientais é alvo de investigação do Ministério Público Estadual e do trabalho, e possíveis cometimentos de crimes em usina que supostamente teria virado problema ambiental em Monte Alegre.

A empresa Eco Serviços Ambientais é uma empresa séria e que traz inúmeros benefícios ao meio ambiente e a sociedade, uma vez que tem como uma das suas atividades transformar lixo em adubo, através do processo e compostagem. A empresa também faz uma triagem de materiais recicláveis para que os mesmos sejam comercializados, desta forma, dando a destinação correta para os resíduos sólidos, e contribuindo com a logística reversa, que é um dos pilares da Política Nacional dos Resíduos Sólidos.

Importante frisar que o vídeo que ilustra a reportagem NÃO foi gravado na empresa Eco Serviços Ambientais e sim no lixão de Monte Alegre, desta forma induzido o leitor ao erro e denegrindo a imagem da empresa, podendo causar prejuízos irreparáveis à sua imagem.

No que tange à investigação do Ministério Público, trata-se tão-somente de uma investigação, na qual será garantido o contraditório e a ampla defesa, oportunizando a Empresa a comprovar a sua responsabilidade ambiental e social, desta forma, provando que está de acordo com a legislação pátria vigente. Em relação a determinação imediata da paralisação das atividades – pelo IDEMA, a empresa já apresentou toda a documentação necessária e todas as provas que está cumprindo com as condicionantes da sua licença ambiental, e está aguardando a análise de tal documentação para a liberação do seu funcionamento.

Por fim, a empresa reafirma o seu compromisso com à política de responsabilidade social e ambiental, e convida o Ministério Público e o IDEMA para visitarem as suas instalações, bem como, a sociedade civil.

Sem mais para o momento, fazemos votos de estima e apreço.

Opinião dos leitores

  1. Coincidentemente isso ocorre justamente quando inauguraram o Aterro Sanitário de Bom jesus. Ainda que a prática de enterrar lixo já esteja descartada dos países desenvolvidos, ainda insistimos nessa prática que não resolve o problema. Mas, o peso do dinheiro aqui fala mais alto. Estamos na Idade Média quando falamos sobre o destino final dos resíduos, vivemos em um mundo de bens naturais finitos, o mundo não se regenera na mesma proporção do consumo, precisamos reciclar, reaproveitar e não enterrar matéria prima que foi descartada.
    No futuro seremos cobrados.
    Fica a dica.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

CPI – (VÍDEO): Dominguetti diz que Luis Miranda quis negociar vacina diretamente com empresa e mostra áudio

Luiz Dominguetti afirmou à CPI da Covid nesta quinta-feira (1º) que o deputado Luis Miranda (DEM-DF) tentou negociar aquisição de vacinas contra a Covid diretamente com a empresa Davati Medical Supply.

Os nomes de Miranda e da Davati vieram à tona, nos últimos dias, em razão de duas denúncias distintas de supostas irregularidades na compra dos imunizantes (entenda abaixo).

A declaração foi dada quando Dominguetti – que se diz representante comercial da Davati para negociações no Brasil – descrevia telefonemas que teria recebido de pessoas do governo com ofertas de “facilidades” para os contratos de vacinas.

“Muita gente me ligava dizendo ‘eu posso isso, eu posso aquilo’, mas eu nunca quis avançar nessa seara porque já tinha tido um processo todo doloroso dentro do ministério [da Saúde]. Nem eu, nem a Davati queria vivenciar isso de novo. Eu tenho informação que parlamentar tentou negociar a busca da vacina diretamente com a Davati, eu tenho essa informação”, afirmou Dominguetti.

O senador Humberto Costa (PT-PE) perguntou, então, qual seria o nome desse político. Dominguetti respondeu que era o parlamentar que havia prestado depoimento à comissão. Depois, questionado novamente, citou nominalmente Luis Miranda.

Dominguetti diz que não chegou a tratar diretamente com o deputado – que teria conversado com o CEO da Davati no Brasil, Cristiano Alberto Carvalho.

“O Cristiano me relatava que volta e meia tinha parlamentares procurando, e o que mais incomodava era o Luis Miranda, o mais insistente com a compra e o valor de vacinas. O Cristiano me enviou um áudio onde pede que seja feita uma live, o nome dele, que tinha um cliente recorrente, que comprava pouco, em menos quantidade, mas que poderia conseguir colocar vacina para rodar”, declarou.

G1

Opinião dos leitores

  1. Não durou dois dias a farsa de Dominghetti, arquitetada pelo planalto. Esse governo já acabou e não sabe, é um morto vivo.

  2. A armação dos milicos não vai funcionar…tomara que esse PM bandido seja preso… Afastado da PM de Minas ele já foi…e já perdeu o celular…se procurar direitinho tem coisa no celular dele que pode chegar até aquele político que ele elogiava no Facebook…pago um dólar (não é propina de vacina) pra quem adivinhar quem é esse político…
    Dica: 👉👉👉

  3. A AstraZeneca já disse que não tem representantes no Brasil.
    Isso aí, é só mais um combustível pra deixar o mito cada vez mais forte.
    Kkkkkkkk
    O homi é INCORRUPTÍVEL IMBROCHAVEL E INCOMIVÉL.
    os patetas da CPI já estão passando vergonha, agora essa lorota de uma vacina indiana, que não foi comprada uma dose, o país não gastou uma pataca, não há nenhum prejuízo pro erário publico, aí fica um bando de esquerdopatas procurando o que não exister.
    Homi!!
    Procurem o que fazer.
    Aceita, dói muito menos, isso vai até 2026, vcs adoecem.
    Kkkkkkkkkkkj
    Brasileiro decente, não vota em ladrão, vcs vão vê a surra de votos.
    Kklkkkkkkk

    1. Bozo já desmentiu Mendonça? Não pode, né? Parece que está documentado. Então porque não denunciou?

  4. Essa turma de Bolsonaro só tem mala. “Se gritar pega ladrão….Não fica um meu irmão”.

  5. Vixe , o deputado foi fazer um giro e fez um foral, poderia ter ficado calado deputado, agora quem vai se lascar é vossa excelência.

    1. Rapaz se lascaram kkkkkk o tiro saiu pela culatra. kkkkkkkkkkkkkkk Pilantras.

    2. Ao contrário, o governo tentou plantar a desconfiança com um Áudio editado…mas tem um delegado lá..kkkk
      A mentira caiu logo e a armação foi pro brejo…
      Queima quengaral..kkk

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Governo renova contrato sem licitação de R$ 936 mil para Restaurantes Populares com empresa em situação irregular

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Trabalho e Assistência Social (SETHAS), publicou no Diário Oficial do dia 29 de junho a renovação de contratos emergenciais com irregularidades com a empresa Paisagem Comércio e Serviços para o fornecimento de refeições dos Restaurantes Populares nas cidades de Parnamirim, São Paulo do Potengi, Parelhas e Pau dos Ferros. Sem abrir processo licitatório, nem muito menos ter o parecer jurídico da Procuradoria-Geral, apesar de questionamentos formulados durante o processo, o Governo prorrogou os contratos por 120 dias que custarão R$ 936 mil.

Em fevereiro, o Blog do BG já havia publicado a contratação da empresa de forma irregular (ver link AQUI). Alguns outros detalhes ainda causam estranheza, como as informações de que empresa contratada pelo Governo está com certidão trabalhista POSITIVADA, além de que na pesquisa de preços realizada pela SETHAS, para fins de justificar a renovação dos atuais contratos emergenciais, foram apresentadas propostas com valores inferiores ao da empresa contratada, e mesmo assim se procedeu a renovação com a Paisagem com valores superiores aos ofertados.

Outros pontos que infringiram a legislação nos processos, decorre das renovações quanto a prorrogação, por mais 120 dias, de contratos emergenciais firmados em Janeiro de 2021, com base no que estabelece o art. 24, inciso IV, da Lei 8.666/93. Segundo o dispositivo, o prazo máximo de contratação emergencial é de até 180 dias, não sendo possível a renovação destes de modo a suplantar tal prazo.

No entanto, os contratos emergenciais firmados em janeiro desse ano já possuíam o prazo limite de 180 dias, conforme indicam os extratos anexos. Assim, somando-se a esse prazo os 120 dias da renovação, notadamente o limite estabelecido pelo art. 24, inciso IV, da Lei 8.666/93 resta desobedecido.

Importante registrar que os contratos emergenciais firmados em janeiro e agora renovados tem por objeto Restaurantes Populares que já haviam passado pela contratação de 05 anos, máximo permitido para serviços continuados, além de 12 meses em caráter extraordinário, acrescidos de mais 30 dias pagos por indenização.

Ou seja, os contratos emergenciais firmados derivam de falta completa de planejamento da SETHAS para realização dos procedimentos licitatórios pertinentes, o que seria o caminho mais correto a se tomar face o término dos contratos antigos.

O recurso da contratação emergencial foi utilizado após suplantados TODOS os prazos relativos aos contratos anteriormente firmados, e, pasmem, de Janeiro desse ano para cá, a SETHAS não deflagrou os procedimentos necessários às novas contratações, e agora acaba por renovar tais contratos, numa afronta ao próprio fundamento legal que permite esse tipo de contratação.

Ao renovar os emergenciais firmados em Janeiro/2021, a SETHAS foi de encontro a VEDAÇÃO EXPRESSA contida no art. 24, inciso IV, da Lei 8.666/93, que determina o seguinte:

“Art. 24 – (…..) IV – nos casos de emergência ou de calamidade pública, quando caracterizada urgência de atendimento de situação que possa ocasionar prejuízo ou comprometer a segurança de pessoas, obras, serviços, equipamentos e outros bens, públicos ou particulares, e somente para os bens necessários ao atendimento da situação emergencial ou calamitosa e para as parcelas de obras e serviços que possam ser concluídas no prazo máximo de 180 (cento e oitenta) dias consecutivos e ininterruptos, contados da ocorrência da emergência ou calamidade, vedada a prorrogação dos respectivos contratos (…..)”.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

“Apresentação entre o governo e o vendedor nunca foi feita, e a discussão nunca avançou para um contrato”, diz empresa

À TV Globo, a Davati, com sede nos Estados Unidos, informou ter sido procurada por um de seus representantes no Brasil para que ajudasse a encontrar vacinas contra a Covid para o país.

Ainda na nota, a empresa afirmou que providenciou uma proposta ao governo federal a fim de assegurar vacinas, mas que nunca foi formalmente respondida.

“Portanto, a apresentação entre o governo e o vendedor nunca foi feita, e a discussão nunca avançou para um contrato”, acrescentou.

Foto: Reprodução

Com informações do G1

Opinião dos leitores

  1. Essa TV Globo é traiçoeira no meu caso por causa de algumas gravações com situações-emocionais problematicas e exposição indevida na televisión sem nada de autorização,uma tortura e humillación emocional me deixando com graves problemas mentais; psicológicos e psiquiátricos.

  2. A AstraZeneca esclareceu há bastante tempo que não utiliza intermediários e que suas negociações foram feitas diretamente com o Ministério da Saúde e a Fiocruz. Quanto à essa empresa, sediada no Texas-EUA, é já foi flagrada em outros países por negociações fraudulentas. Concretamente, não houve NADA de errado envolvendo o governo Bolsonaro até agora. Tudo isso são apenas narrativas mentirosas de corruptos aliados à grande mídia militante, TODOS com “saudades” do dinheiro público que recebiam aos montes na época da roubalheira do PT. Mas essas narrativas não duram 1 dia sequer, caem TODAS.

  3. Isso tudo vai acabar encontrando gente da esquerda que roubou não do governo kkkkkkkkkkkk são uns imbecis mesmos. A diferença é que se tiver coisa errada alguém vai pagar e sair do governo e não ser cumplice como o desgorverno dos petralhs faz.

  4. É melhor o gado se acalmar. As denúncias estão só começando. Bozo continua entalado, perdeu a voz, coitado.

  5. Roubo de dinheiro público é condenável em qualquer situação e provoca miséria e morte. Mas roubo de dinheiro da saúde em tempos de mais de 500 mil mortos é um absurdo. Deveria ser considerado crime hediondo e seus autores condenados à pena máxima permitida no país.

    1. Concordo. Portanto, como não houve nada de errado no governo federal, vamos investigar os governadores, principalmente os ligados ao tal Consórcio Nordeste, responsáveis pelo desvio de BILHÕES que receberam do governo Bolsonaro. No RN, por sinal, está começando uma CPI que tem muito a investigar.

  6. O gado tomando cloroquina e ivermectina, enquanto o governo bozo incentivava o negacionismo e negociava propina das vacinas. Ê vida de gado

  7. As narrativas da esquerda cai a cada dia. Querem retomar o poder a qualquer custo ( promessas de Dirceu). Não querem saber do povo brasileiro, mas de um projeto de poder como na Venezuela, Cuba. Países falidos, quebrados, povo amordaçado.

  8. Todos os ex ministros do gabinete civil dos governos do PT foram condenados por corrupção. Existem várias empresas parceiras do governo federal entre os anos de 2003 a 2016 que executaram obras fora do Brasil que denunciaram favorecimento pelo então governo do PT. O ex presidente do PT foi condenado e preso por corrupção.
    A esposa do ex presidente do PT deixou uma herança de R$ 72 milhões sem nunc ter trabalhado.
    Mas o ex presidente do PT sempre afirmou: “não sei de nada”.
    Quando um servidor concursado do ministério da saúde comete suposto crime, logo tudo que foi feito de forma individual é atribuído ao Presidente.
    Então como é essa conta, um que usou da corrupção como forma de governo, “não sabia de nada”, outro que fala a verdade e não pactua com corrupção é culpado por tudo. Essa diferença entre as situações demonstra que vivemos na justiça dos ditadores, não numa democracia, onde o culpado é inocentado e o inocente é culpado.

    1. Não há qualquer comparação entre o governo Bolsonaro e os governos corruptos do PT. Em NADA se assemelham. Lave sua boca antes de dizer tal asneira.

    2. Ricardo Barros rouba desde quando ocupou cargos nos governos da esquerda e continua roubando agora. Porque essa alma pura, esse santo chamado Bozo o tem como líder do governo? Porque já não o substituiu nas primeiras evidências de irregularidade? Porque Bozo está calado? Vista grossa, necessidade de apoio ou cumplicidade mesmo? E porque Flavio Bozo protagonizou contato entre empresario corrupto e o BNDES? A quebra de seu sigilo bancário será pedido pela CPI? Com a palavra, o gado imundo defensor de bandido.

    1. O que está claro é que existe um esquema de corrupção funcionando no governo para roubar recursos da pandemia. Seria o caso da PF realizar a ‘operação corona’ dentro do ministério da saùde, pois tem muita sujeira e muito roubo nesses ùltimos 15 meses. Esse esquema pode explicar o por quê de demorar tanto para adquirir as vacinas. Esse esquema precisa ser desbaratado e não é notinha tanto o seu da reta que vai quebrar o esquema, mas uma investigação minuciosa.

    2. O que está claro é que a esquerdalha continua a zurrar culpa sem prova
      o que está claro é que os zumbis continuam a zurrar baseado em narrativas, flagrantemente mentirosa
      o que está claro é que o desespero aumenta e as zurradas são cada vez mais alta, perdendo totalmente o senso de ridículo e da legalidade
      o que está claro é que a turma da zurra não quer democracia, só pensa no poder e impor sua ditadura em nome da democracia

  9. Faiou. Tudo não passa de narrativas soltas de gente querendo se dar bem financeiramente. Mas não tem pra que esse nervosismo todo. Lula ganha fácil em 2022.

    1. A melhor piada do dia.kkkkkkkkkkkkkkkkkkconta outra estou gostando.kkkkkkjk

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

PF investiga fraudes em contratos celebrados entre empresa de tecnologia e órgãos públicos federais no RN, PB, CE, RJ, GO e DF

Foto: Reprodução/ PF

Um esquema criminoso, que desviou ao menos R$ 16 milhões de três órgãos públicos federais a partir de contratos fraudulentos, foi alvo da Operação Bouchonée, deflagrada pela Polícia Federal (PF) nesta terça-feira (29). Policiais federais cumpriram um total de 50 mandados de busca e apreensão em diferentes estados – inclusive no Ceará.

De acordo com a PF, os contratos fraudulentos foram celebrados entre uma empresa do ramo de Tecnologia da Informação (TI) e o Ministério da Integração Nacional (MI), o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e a Fundação Nacional de Saúde (Funasa), nos anos de 2017 e 2018. A organização criminosa ainda tentou firmar um contrato com a Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Embratur), mas não foi concretizado.

A Justiça Federal determinou o cumprimento de 50 mandados de busca e apreensão, em endereços no Ceará, no Distrito Federal, em Goiás, no Rio de Janeiro, no Rio Grande do Norte e na Paraíba. Segundo a PF, em território cearense foi cumprido apenas um mandado de busca e apreensão, no Município de Icapuí.

As fraudes iniciaram em uma licitação do Ministério da Integração Nacional, que resultou na criação de uma ata de registro de preços, instrumento que viabilizou que outros órgãos contratassem diretamente a empresa de TI investigada, por meio de adesões a essa ata.

A PF cita que os investigados criaram uma espécie de “kit adesão”, com minutas e modelos de documentos necessários para que outros órgãos formalizassem a adesão à ata de registro de preços. O “kit” era repassado aos servidores públicos cooptados, que, mediante o pagamento de propina, iniciavam o processo de adesão à ata do MI.

LAVAGEM DE DINHEIRO EM LOJAS DE VINHOS

A Polícia Federal apurou que os investigados realizaram lavagem de dinheiro em lojas de vinhos. Somente uma loja recebeu transferências de mais de R$ 3 milhões da empresa de Tecnologia da Informação, em um período de apenas quatro meses.

Os envolvidos responderão pelos crimes de peculato, organização criminosa, lavagem de dinheiro, fraude à licitação, falsificação de documento particular, corrupção ativa e passiva, com penas que, se somadas, podem chegar a mais de 50 anos de prisão.

Diário do Nordeste – Verdes Mares

 

Opinião dos leitores

    1. Concordo. Tem que passar esse país a limpo. Mas não podemos esquecer das fraudes atuais, aquelas desse governo, que agora começam a aparecer.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Prefeitura de Macaíba solta nota e sai pela tangente sem esclarecer contratação emergencial de empresa para coleta de lixo

A prefeitura de Macaíba enviou ao Blog do BG nota em que rebate a postagem a cerca da contratação emergencial de empresa, em substituição a contrato que estava licitado no município.

Na nota, a prefeitura utiliza as pendências judiciais que a empresa TCL enfrenta em outras cidades do RN, citando ainda pendências trabalhistas.

A nota, no entanto, não avança em uma questão central: os argumentos utilizados pelo município de Macaíba não se sustentam para justificar a saída de uma empresa e colocação de outra, de forma emergencial, sem licitação.

Contratos emergenciais são justificados quando há calamidade pública, o que não se verificou em Macaíba.

A interrupção de um contrato licitado poderia ser feita mediante a convocação de nova concorrência pública, dado que, como se sabe, a calamidade não existia, e o trâmite poderia ocorrer normalmente.

Pendências judicias como investigações e ações sobre pessoas físicas relacionadas a empresas nunca puderam ser colocadas como motivo para interrupção de contratos, salvo em caso de condenação transitada em julgada com pena restritiva de direitos, o que não aconteceu.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Parnamirim fecha parceria com empresa de aplicativo de transporte em prol da vacinação

FOTO: ASCOM – DIVULGAÇÃO

A Prefeitura de Parnamirim e a empresa de tecnologia 99 fecharam uma parceria que resultará em benefícios no deslocamento para os profissionais de saúde, que atuam na vacinação contra a Covid-19. Ao todo, estão disponíveis 2 mil vouchers com descontos no valor da corrida, para o transporte de passageiro.

De acordo com Terezinha Rêgo, secretária municipal de saúde, a ação passou a funcionar na última semana e é de fundamental importância no atual momento. “É um reforço para a Sesad e só vem a somar com a imunização da população. Contribui com a logística, praticidade e conforto no transporte dos nossos profissionais. Ajuda nos horários estendidos, dias especiais de vacinação aos sábados e também na hora de levar a vacina para uma pessoa acamada”, comentou.

O planejamento, organização, elaboração, execução e avaliação das políticas de saúde, visando facilitar a mobilidade dos profissionais, está sob responsabilidade da Secretaria Municipal de Saúde. Para garantir o acesso ao serviço, o profissional tem que usar a plataforma para o deslocamento até o ponto de vacinação, acessar o aplicativo na categoria 99 Pop e inserir o código promocional ‘Promocodes’, repassado pela Sesad. Os vouchers poderão ser usados nas categorias 99Pop, 99Táxi, 99entrega ou 99Poupa, todos no aplicativo da 99.

SOBRE A 99

A 99 é uma empresa de tecnologia, que oferece transporte, conveniência e soluções para as necessidades dos brasileiros. O aplicativo faz parte da companhia global Didi Chuxing (“DiDi”), e no Brasil conecta mais de 20 milhões de pessoas a serviços de mobilidade, pagamentos e entregas.

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

GRAVE: Empresa de coleta de lixo hospitalar que atua no RN tem atividades suspensas por descarte de materiais infectantes a céu aberto

Foto: Reprodução

A empresa Waste Coleta de Resíduos Hospitalares, com sede na Paraíba, mas que tem atuação em um hospital privado de Natal e pelo menos cinco prefeituras no interior do RN, teve suas atividades suspensas após fiscalização da Polícia Ambiental e SUDEMA-PB que identificou descarte irregular de materiais infectantes na cidade de Sousa.

Na operação foi encontrada queima de resíduos hospitalares como agulhas, seringas, testes de Covid e outros materiais infectantes a céu aberto, enquadrando a empresa no Art. 60 da lei 9.605/98 de Crimes Ambientais.

O caso foi remetido ao Ministério Público para investigação aprofundada e poderá trazer consequências negativas para os contratantes, visto que a responsabilidade dos resíduos é compartilhada.

 

Opinião dos leitores

    1. Unimed
      Serra Caiada
      Pedro Avelino
      Fernando Pedrosa
      Acari
      Afonso bezerra
      Lajes pintada
      Entre outros….
      Todos da Paraíba sabe a fama dessa empresa e de seus sócios ocultos

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Pazuello atribui responsabilidade por falta de oxigênio a empresa e à secretaria de Saúde do AM

Foto: Reprodução

O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello disse à CPI da Covid nesta quinta-feira (20) que, na opinião dele, a responsabilidade pela falta de oxigênio hospitalar em Manaus foi da empresa fornecedora, White Martins, e da Secretaria de Saúde do estado.

“Então a empresa White Martins, que é a grande fornecedora, somada à produção da Carbox, que é uma empresa menor, já vinha consumindo sua reserva estratégica e não fez essa posição de uma forma clara desde inicio. Começa aí a primeira posição de responsabilidade”, afirmou o ex-ministro.

“O contraponto disso é o acompanhamento da Secretaria de Saúde, que se tivesse acompanhado de perto, teria descoberto que estava sendo consumido uma reserva estratégica. Vejo aí duas responsabilidades muito claras”, completou Pazuello.

O depoimento do ex-ministro, iniciado na quarta, foi retomado na manhã desta quinta. A primeira parte do depoimento foi marcada pela crítica de senadores ao que apontaram como contradições de Pazuello. O ex-ministro respondeu a questionamentos do relator, Renan Calheiros (MDB-AL) – que ocuparam a maior parte da sessão –, e de três parlamentares inscritos.

Manaus foi uma das capitais que mais sofreram na pandemia. No início da segunda onda, entre o fim em janeiro de 2021, a cidade registrou o colapso do sistema da sáude, com falta de oxigênio hospitalar e filas nas UTIs. As mortes por Covid dispararam, e o Ministério Público de Contas aponta pelo menos 31 mortes por falta de oxigênio hospitalar.

Pazuello disse que quando chegou junto com a equipe do Ministério da Saúde, no início da janeiro, começou a ter conhecimento do problema. Segundo ele, a pasta foi “proativa” a partir do momento que soube da falta de oxigênio.

“Até no momento que o Ministério da Saúde, o gabinete do ministro, com seus secretários chegaram a Manaus, e nós passamos a dividir ali naquele momento a compreensão do problema. No dia 10 a noite e no dia 11 começamos a agir acionando tudo o que tinha que acionar. Eu volto a dizer para o senhor, da nossa parte nós fomos muito proativos no momento em que tomamos conhecimento”, disse Pazuello.

G1

Opinião dos leitores

  1. O general deu mais um show, para desespero dos corruptos. Vários senadores nem pergunta fizeram e usaram seu tempo apenas para atacar o governo e o depoente. Uma vergonha.

  2. Ele está querendo, o tempo todo, blindar o governo federal. Retirando a culpa mais clara que pode existir. Não adianta agir assim, ele está mentindo o tempo inteiro!!!!Vergonha para nação, vergonha para o mundo inteiro. O mundo está assistindo essas aberrações indiscriminadas da pandemia no Brasil. A falta de compromisso com a população brasileira e daquele que votaram nesse mito. Que de mito não tem nada! Palo contrário, estou metorando, quando ele fala ou age. O Brasil, está entregue as melícias, a alta da inflação, aos coas social, com a pobreza crescente e o desmando do governo.

    1. O estado tinha dinheiro em caixa (e muito) pq não comprou o oxigênio? O MS é almoxarifado de estado?

    2. Deveri se chamar pau-de-sebo, o cabra escorrega de mais . Mente muito, supera Pantaleão.

    3. Treinou com afinco as respostas com Bozo e seu gabinete extra oficial.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Empresa contratada pela Prefeitura de Natal para coleta de lixo hospitalar está inabilitada pelo CREA-RN

O Blog do BG teve acesso a uma certidão do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia – CREA em que consta como inabilitada para diversos serviços a empresa ALPHA SERVIÇOS E CONSTRUÇÕES LTDA – ME contratada pela Secretaria Municipal de Saúde de Natal para realização da coleta de lixo hospitalar no Município. Sem contar que o atual contrato de prestação de serviço foi firmado durante a pandemia.

Segundo o CREA consta que a empresa está inabilitada para coleta de resíduos, serviços de construção, imunização de pragas entre outros, o que impediria que o contrato fosse firmado com o Município de Natal.

Veja abaixo:

Foto: Reprodução

Opinião dos leitores

  1. Bruno Giovanni, jornalista bom é o que busca as entranhas do assunto. Essa empresa da Paraíba que vc…. tem muito a esconder. Objetivamente sobre o tema da Vossa “importante notícia” provavelmente amanhã o Sr terá a verdade sobre os fatos. Lembre que o CREA não foi ouvido/consultado sobre o assunto!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Empresa Freelimp se destaca no RN mesmo em tempos de pandemia

Foto: Divulgação

Em tempos de pandemia de COVID-19, muitas empresas se reinventaram a fim de manter os negócios em dia. Renovar-se num mercado cada vez mais competitivo e que passa pela maior crise econômica dos últimos tempos tornou-se uma missão árdua para muitos empresários, tendo em vista a impossibilidade de atender os consumidores em alguns segmentos.

Dessa forma, despertar novas demandas de consumo foi a grande sacada da Empresa Freelimp para se sobressair na dificuldade da crise. A Empresa, que já é referência no setor de limpeza e manutenção de piscinas no Rio Grande do Norte, sentiu uma considerável queda do faturamento no inicio da pandemia. No entanto, os empresários Ítalo Bento e Frederico Queiroz, sócios da Freelimp, agregaram ao serviço essencial de limpeza, outros serviços, como rejunte de piscina, iluminação em led, revitalização de piscina de fibra, além da venda de piscinas de fibras.

“As pessoas se viram presas em casa e nós atentamos para os cuidados maiores e essenciais dessas piscinas, que antes eram pouco utilizadas. E daí também possibilitamos a instalação rápida de piscinas para quem nunca pensou em ter em casa, mas que diante do cenário precisavam de alguma forma fazer lazer com a
família”, relatam os sócios.

Hoje, um ano depois, a Freelimp inaugura sua loja física no município de Canguaretama – RN, visando atender a Região Agreste e todo o litoral Sul do Estado, que tinham a lacuna de uma loja que oferecesse a venda de material de limpeza, produtos químicos, acessórios e demais itens relacionados, bem como um suporte de assessoria completa.

Agora, a Freelimp caminha rumo aos novos objetivos, a fim de se colocar cada vez mais no patamar de serviços essenciais com uma série de feitos importantes e motivantes para o empreendedorismo local. Cuidar da saúde e da higienização serão medidas não só para o agora, mas um legado para gerações futuras e, oferecer serviços com toda segurança e profissionalismo é o grande diferencial da empresa, levando também o que e há de mais moderno e inovador no mercado com o melhor custo benefício.

Tudo que se espera é que nossa economia reaja com ideias e iniciativas pontuais como as da Freelimp Piscinas, um exemplo de desenvolvimento em meio à crise.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Bug do Carrefour: Problema em site faz empresa vender produtos abaixo do preço

Foto: REUTERS/Régis Duvignau

Já pensou em comprar uma televisão de 43 polegadas por R$ 400? Ou uma máquina de lavar grande por R$ 398,90? Parece até mesmo uma brincadeira de 1º de abril. Mas não foi isso o que aconteceu: o site do Carrefour apresentou problemas na manhã desta quinta-feira (1) e diversos de consumidores aproveitaram disso para fazer várias compras no site do varejista.

Os descontos eram, de certa forma, inimagináveis mesmo se fossem em uma Black Friday: como uma geladeira Brastemp Duplex de R$ 2.449 por R$ 419,90. Ou um smartphone Samsung Galaxy S20 de R$ 4,443,33 por R$ 419,90.

Procurado, o Carrefour confirmou que se tratou de um problema interno e que se manifestará mais tarde. Foi criado um comitê interno para lidar com o problema.

O Procon-SP notificou a empresa para entender o que aconteceu. Entre os pedidos de esclarecimento estão os produtos que foram afetados, a quantidade de consumidores que fizeram a compra e qual foi o motivo desses preços tão baixos.

A empresa pode não entregar?

Para Guilherme Farid, chefe de gabinete do Procon-SP, a empresa é obrigada a cumprir com todas as vendas segundo o Código de Defesa do Consumidor. Mas existe um porém: o bom senso. Segundo Farid, quando um “erro grosseiro” é detectado, a empresa pode não cumprir com a entrega do produto.

“Erros acontecem. O ponto principal para analisarmos a situação é o bom senso. É a norma de direito: não está escrito em nenhum lugar, mas está presente em todos”, diz Farid.

Por isso, na visão do profissional do órgão de defesa do consumidor, cada produto será analisado caso a caso. No caso de descontos de maiores, como os citados aqui na reportagem, aparentemente, se tratam de erros grosseiros.

Porém, no caso dos produtos com descontos dentro do convencional, de cerca de 50%, que costumam ser comuns em datas promocionais, a história pode ser diferente.

Mas um cliente pode ir à Justiça se quiser receber o produto?

“A Justiça já teve a oportunidade de analisar esse tipo de problema e pode estabelecer o cumprimento forçado. Porém, o juiz equaliza a leitura do caso com a questão da razoabilidade e do bom senso”, diz Farid. “A Justiça vai ouvir as declarações da empresa para entender o caso.”

Nas redes sociais, os próprios consumidores admitiam que os preços estavam muito fora do normal. Alguns já começam a publicar que as compras foram canceladas.

CNN Brasil

 

Opinião dos leitores

  1. Levando em consideração esses acontecimentos, até a nota divulgada pelo Procon de São Paulo, qual o caminho que podemos trilhar, para conseguir ficar com os pedidos? Justiça, ou outro tipo de reclamação, até através do Procon de SP?
    Se levarmos em consideração a nota divulgada pelo próprio Procon, qual o melhor caminho para conseguir o direito a ficar com os produtos comprados?
    Existe um sistema de recompensas criado pelo Carrefour, que não cancelou minha recompensa, mesmo eles cancelando a compra.
    O Carrefour ainda enviou vouchers de 50,00 reais para cada cliente que efetuou a compra, e teve seu pedido cancelado.
    Enfim, o que fazer para ter direito a receber o produto adquirido?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Empresa paga R$ 13 mil para candidatos participarem de detox digital por 24h

Foto: Suksao/Freepik

A necessidade de estar conectado o tempo todo está te deixando para baixo? Deixe o telefone de lado por uma hora. Ou, melhor ainda, deixe por 24 horas – você poderá ganhar U$ 2.400 (pouco mais de R$ 13 mil) com isso.

A empresa Reviews.org, que testa produtos e serviços domésticos, está realizando um desafio de desintoxicação digital por 24 horas. Os candidatos escolhidos para o desafio receberão mais de U$ 2 mil para sobreviver um dia inteiro sem usar os equipamentos eletrônicos.

“Se você deseja abandonar seus dispositivos por um dia, mas ainda precisa ser pago, esta é a oportunidade perfeita para você”, escreveu a empresa em seu site, onde aspirantes ao detox digital podem acessar para se inscrever.

Grudado nas redes sociais? Perfeito (para o concurso)

Para ajudar a determinar quem deve se inscrever, a empresa faz algumas perguntas criteriosas.

“Você sempre quis vencer competições de realidade, como American Ninja Warrior, mas esteve muito ocupado tentando vencer Mario Kart e Mortal Kombat?”, pergunta a Reviews.org aos possíveis candidatos.

“Você sabe um pouco demais sobre seus velhos conhecidos pelas redes sociais?”

De acordo com a empresa, o candidato ideal é alguém que “definitivamente goste de tecnologia” e esteja pronto para um desafio. E embora possa parecer fácil fazer uma desintoxicação no Instagram por um dia, o desafio é um pouco mais complexo.

Não é tão fácil quanto parece

Os selecionados para o desafio não terão apenas que desligar seus celulares por um dia, mas também terão que ficar sem a televisão, jogos, computadores, relógios e dispositivos domésticos inteligentes (inclusive as modernas caixas de som).

Mas o microondas ainda poderá ser usado, segundo a empresa.

Os desafiados receberão cofres para armazenar seus eletrônicos por 24 horas, junto com um vale-presente de U$ 200 (quase R$ 1.100) da Amazon para montar um “kit de sobrevivência” sem tecnologia, escreveu a empresa.

Algumas sugestões de kit de sobrevivência do Reviews.org incluem uma máquina de escrever para substituir os computadores, papel para as mensagens de texto, tintas e pincéis para substituir a fina arte da selfie.

Os desafiados terão que avaliar o kit de sobrevivência e dar feedback sobre a experiência após completar o desafio – mas eles farão isso enquanto com o cobiçado título de “Competidor Detox Digital 2021”.

Tempo de uso de eletrônicos é risco crescente à saúde

O desafio da empresa chega em um momento em que o “tempo de permanência nos eletrônicos” ganha um novo significado.

A pandemia obrigou muitas pessoas a trabalhar remotamente e os alunos a estudar online, tornando os dispositivos mais necessários do que nunca.

De acordo com um relatório de 2019 da organização sem fins lucrativos Common Sense Media, os adolescentes norte-americanos gastavam, em média, mais de 7 horas por dia nos aparelhos eletrônicos apenas para entretenimento.

“Temos a sensação de que alguém precisa de uma pausa”, escreve a Reviews.org.

Para se inscrever, a empresa solicita algumas informações pessoais e um texto de 100 palavras sobre por que você é a pessoa certa para o desafio – também é preciso ter autorização legal para trabalhar nos Estados Unidos.

As inscrições seguem abertas até 26 de março e os vencedores serão anunciados na página da empresa no YouTube no dia 29 de março.

CNN Brasil

 

Opinião dos leitores

  1. Poderiam lançar um concurso desse modelo para o nosso Exmo. Sr. Presidente da República Federativa do Brasil. Ele teria que ficar 24 horas sem dar declaração inapropriada e sem fazer besteiras. Missão difícil para o mito.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

VÍDEO que roda em redes sociais mostra motorista de rede de postos roubando combustível de caminhão da empresa

Fotos: Reprodução

A rede de postos Domingos e a Transportadora Domingos, que pertencem ao grupo de empresa Domingos, esclarece que foi vítima de furto de combustíveis praticados pelo seu ex-motorista, com ajuda de outros meliantes.

A nota ainda esclarece que a polícia impediu que infratores conseguisse lograr êxito total no delito.

O grupo ainda informa que sua assessoria jurídica representará judicialmente aqueles que caluniosamente fizeram publicar ou republicar vídeos nas redes sociais por prática de crime previsto na legislação brasileira, diante acusações inverídicas sobre o posto, inclusive, de adulteração de combustíveis.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *