É HOJE! Dia do Sexo – prazer e orgasmo: sexólogas dão dicas para comemorar a data em grande estilo

Foto: Ilustrativa

Em referência a conhecida posição sexual “69”, o dia 6 de setembro (6/9) foi batizado como o Dia do Sexo. Criado para uma campanha de marketing de uma marca de preservativos, a data vem sendo comemorada desde 2009 no Brasil.

Para a sexóloga e doutora em ciências pela USP (Universidade de São Paulo) Margareth dos Reis, um dia dedicado a um tema específico é sempre um convite para a reflexão. “O que desejamos a todos neste dia é que possam contemplar o direito de exercer a sua sexualidade em sintonia com todas as esferas da vida (social, emocional e erótica).

Caminhos para o orgasmo

Sexóloga pela USP e psicóloga pela PUC (Pontifícia Universidade Católica) do Paraná, Ana Luiza Garcia diz que o orgasmo tem total relação com liberação, permissão, aceitação, autoconhecimento, prática, relaxamento e entrega.

Liberação dos desejos, fantasias e instintos

Permissão para sentir prazer, para mexer o corpo, emitir sons, ser verdadeiro consigo mesmo sem se preocupar com a torcida.

Aceitação para com o seu biotipo

Esqueça pequenas imperfeições físicas e qualquer outra coisa que faça você se julgar desnecessariamente.

Autoconhecimento

É preciso entender o que você curte e não curte no encontro sexual, conseguindo dar vazão às suas vontades, respeitando seus limites.

Praticar é sempre bom

Para você perceber que até para ter orgasmo tem que treinar, tem que se masturbar, tem que explorar o corpo e descobrir sua individualidade sexual.

Relaxamento

Fundamental para abrir caminho ao prazer, diminuindo assim a exigência com sua performance e qualquer outra preocupação.

Reciprocidade e liberdade

Para Margareth dos Reis afirma que as relações de intimidade, de amor e de prazer, independente da orientação sexual de cada um, devem ser exercidas com reciprocidade de liberdade, respeito e segurança.

Qualidade é melhor do que quantidade

Margareth dos Reis defende que a conquista do bem estar sexual deve ser cultivada continuamente, mas não se deve fazer disso uma obrigação. “Não confunda quantidade com qualidade”, afirma.

Yahoo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Souza Farias disse:

    Lembrei de Ceará-Mundão… com toda certeza, faz tempo que não transa. As razões podem ser: espanta qualquer uma com sua conversa; é enrustido e tem medo de se assumir; sua masculinidade é tão frágil que dá uma de machão, mas não consegue chegar em ninguém.

  2. Cigano Lulu disse:

    Hoje é dia das manas escovar o fato e dos manos amassar o bombril. Sextou geral!

MPF recomenda a órgãos militares no RN que se abstenham de comemorar data de 1964

A recomendação é parte de uma ação coordenada nacional, que reúne unidades do MPF em vários estados

O Ministério Público Federal (MPF) recomendou aos comandos da Base Aérea de Natal, 3º Distrito Naval, 16º Batalhão de Infantaria Motorizada e 7º Batalhão de Engenharia de Combate – todos situados no Rio Grande do Norte – que se abstenham de promover ou tomar parte de qualquer manifestação pública, em ambiente militar ou fardado, em comemoração ou homenagem ao período de exceção instalado a partir do golpe militar de 31 de março de 1964.

A iniciativa integra uma ação coordenada, que reúne Procuradorias da República em pelo menos 19 estados, o Ministério Público Federal também solicita às unidades militares a adoção de providências para que seus subordinados sigam essa orientação, e que sejam adotadas medidas para identificação de eventuais atos e de seus participantes – com fins de aplicação de punições disciplinares, bem como, comunicação ao MPF para a adoção das providências cabíveis.

A Recomendação – subscrita no Rio Grande do Norte pelos procuradores da República Caroline Maciel, Victor Mariz, Fernando Rocha e Renan Felix – e aciona comandos militares de todas as regiões do país e estabelece prazo de 48 horas para que sejam informadas ao Ministério Público Federal as medidas adotadas para o cumprimento das orientações ou as razões para o seu não acatamento.

No documento, as Procuradorias da República destacam que as Forças Armadas – constituídas pela Marinha, pelo Exército e pela Aeronáutica – são instituições nacionais permanentes e regulares, destinadas à defesa da Pátria e à garantia dos poderes constitucionais, não devendo tomar parte em disputas ou manifestações políticas, em respeito ao princípio democrático e ao pluralismo de ideias que regem o Estado brasileiro.

“A homenagem por servidores civis e militares, no exercício de suas funções, ao período histórico no qual houve supressão de direitos e da democracia viola a Constituição Federal, que repudia o crime de tortura e prevê como crime inafiançável e imprescritível a ação de grupos armados, civis ou militares, contra a ordem constitucional e o Estado Democrático”.

De acordo com o Ministério Público Federal, após a promulgação da Constituição de 1988, o Estado brasileiro – por diversas oportunidades e por seus poderes constitucionalmente instituídos – reconheceu a ausência de democracia, e o cometimento de graves violações aos direitos humanos pelo regime iniciado em 31 de março de 1964.

O documento destaca que as próprias Forças Armadas admitiram – em 19/09/2014, por meio do Ofício nº 10944, do Ministro de Estado da Defesa – a existência de graves violações de direitos humanos durante o regime militar. O texto registra que os Comandos do Exército, da Marinha e da Aeronáutica não questionam as conclusões da Comissão Nacional da Verdade, por não disporem de “elementos que sirvam de fundamento para contestar os atos formais de reconhecimento da responsabilidade do Estado brasileiro” por aquelas práticas.

A Recomendação ressalta que o presidente da República se submete à Constituição Federal e às leis vigentes, não possuindo o poder discricionário de desconsiderar todos os dispositivos legais que reconhecem o regime iniciado em 31 de março de 1964 como antidemocrático. “O dever do Estado brasileiro é não só o de reparar os danos sofridos por vítimas de abusos estatais no mencionado período, mas também de não infligir a elas novos sofrimentos, o que é certamente ocasionado por uma comemoração oficial do início de um regime que praticou graves violações aos direitos humanos”, reforça o texto.

Outras experiências – No comunicado aos Comandos Militares, o Ministério Público Federal destaca que países que passaram por experiências históricas semelhantes ao Brasil se esforçam para consolidar a democracia – com repúdio à relativização dos fatos ocorridos em seus regimes autoritários. Entre os exemplos, está o da República do Chile, cuja democracia foi restabelecida após cerca de 20 anos de governo militar. O país não apenas reconheceu a ocorrência de violações sistemáticas a direitos humanos pelo Estado daquele período, como repudia declarações públicas de autoridades civis e militares em defesa da ditadura militar ou de seus agentes.

“O Exército do Chile expulsou, no ano de 2006, o capitão Augusto Pinochet Molina, após discurso defendendo o golpe de estado de 11 de setembro de 1973, e, mais recentemente, em 2018, destituiu diretor de Escola Militar, coronel Germán Villarroel Opazo, por homenagem a sequestrador da ditadura. Ainda em 2018, o ministro de estado Mauricio Rojas foi demitido pelo presidente da República, por questionar os fatos históricos expostos em museu que retrata a ditadura militar daquele país”, aponta o MPF.

Coerência com a exigência de democracia em outros países – Para o Ministério Público Federal, a exigência de respeito à democracia em outros países do continente não é condizente com homenagens a período histórico de supressão da democracia no Brasil. O órgão ressalta que a obrigação internacional assumida pelo Estado Brasileiro de promover e defender a democracia deve ser efetiva, inclusive pela valorização do regime democrático e repúdio a formas autoritárias de governo. “Em 2018, o Brasil e os Estados Unidos defenderam a suspensão da Venezuela da Organização dos Estados Americanos, em razão de violação aos preceitos da Carta Democrática Interamericana. Do mesmo modo, em janeiro deste ano, o Brasil, representado por seu presidente da República, assinou com outros países do continente a Declaração do Grupo de Lima, por meio da qual exigem o restabelecimento da democracia na Venezuela”.

A Recomendação aos Comandos Militares cita os regulamentos disciplinares do Exército, da Marinha e da Aeronáutica, que estabelecem como contravenções disciplinares ou transgressão militar manifestar-se publicamente a respeito de assuntos políticos, bem como tomar parte, fardado, em manifestações de caráter político-partidário. No texto, o Ministério Público Federal ressalta ainda que a Lei 8.429/1992 determina que constitui improbidade administrativa a prática de ato que atente contra os princípios da administração pública da moralidade, da legalidade e da lealdade às instituições, e notadamente a prática de ato visando a fim proibido em lei, regulamento ou diverso daquele previsto. De acordo com a legislação, os autores – seja civil ou militar – estão sujeitos à pena de perda da função pública, suspensão dos direitos políticos e multa civil de até cem vezes o valor da remuneração.

 

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gilberto Paulo disse:

    O MPF não se pronunciou quando todas as universidades federais usaram suas dependências para promover um curso sobre o "golpe de 2016". Usando espaço e verba pública para promover atos da esquerda.

  2. José de Arimatea L. Fernandes. disse:

    Ontem as Facções Criminosas comemorarem com grande queima de fogos de artificio, 6 anos de domínio de nossa sociedade.
    Houve queima de fogos de artifícios no Morro de Mãe Luiza, na Zona Norte, Favela do Mosquito.
    Pergunto se o MP, Governos, Seguranca Publica vai reagir a essa provocação.

  3. Jose Suelho disse:

    Era só o que faltava mesmo é fim da picada!

  4. Antonio Turci disse:

    Incrível. O MPF se metendo no que os quartéis devem ou não comemorar. Não sou admirador nem apoiador de ditadura, quer seja de direita, quer de esquerda, mas respeito os milhões de pessoas no Brasil que se sentiam muito mais seguras naqueles tempos do que hoje, por exemplo. O MPF merece todo respeito, é uma instituição de muitos méritos, digna, mas, vez por outra, parece-me, querer mandar em tudo e em todos.

  5. Ricardo disse:

    Viva a Venezuela e Cuba. Crime de tortura e assassinato, foi o que os guerrilheiros do Araguaia fizeram com o Jovem João Pereira, filho de Antonio Pereira na zona rural do município de Ximbioá no estado do Pará.

  6. Brasil! disse:

    Cabe ate musiquinha: " Meu coração é vermelho, ê, ê…"

FOTOS: Preso em SP cria ‘setor de telefonia’ na cadeia e publica selfie na web para comemorar

 Foto: G1 Santos

Uma ‘selfie’ tirada por um preso que está no Centro de Detenção Provisória (CPD) de São Vicente, no litoral de São Paulo, e que se espalhou rapidamente pelas redes sociais, ajudou a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) do estado a identificar um grupo que fraudava o bloqueio de sinal de celular na unidade. Pelo menos 14 detentos envolvidos na ação foram transferidos.

Segundo apurado pelo G1, o ‘setor de comunicação’ era comandado de dentro de uma das celas da unidade. Os presos se revezavam entre as gambiarras e celulares para burlar o sistema e trocar informações de dentro para fora do CDP.

Por meio de nota, a SAP confirmou, nesta terça-feira (23), que, a partir de informações obtidas pelo Núcleo de Inteligência da pasta, fez uma revista geral na última segunda-feira (22) na unidade. “Um grupo de presos estaria tentando fraudar o sistema de bloqueio de aparelhos de celular na unidade”, informou.

Ainda de acordo com a secretaria, os detentos não conseguiam fazer ligações, mas havia “vazamento eventual de sinal de internet”. Durante a revista, os agentes apreenderam 17 aparelhos celulares. Eles também conseguiram identificar 14 detentos envolvidos na ação. O grupo foi isolado e depois transferido para outras unidades.

Reforço no bloqueio

O CDP de São Vicente fica às margens da Rodovia Padre Manoel da Nóbrega, no bairro Samaritá. A unidade é reservada apenas para presos provisórios, com prisão preventiva ou temporária decretada. O local não abriga condenados.

A SAP também informou ao G1 que, depois da descoberta da fraude, técnicos do sistema de bloqueio de sinal de celular estiveram na unidade para reforçar o sistema. “Está sendo instalada uma tela de 16 metros ao lado da rodovia, para evitar arremessos de novos aparelhos”, finaliza a nota.

Centro de Detenção Provisória de São Vicente, SP — Foto: Fernanda Luz/A Tribuna de Santos

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Inacreditável disse:

    Faz muito tempo que o Estado perdeu o controle do sistema penitenciário brasileiro.
    Todo dia se tem uma prova diferente disso. A situação saiu do controle faz tempo.
    Para tomar o controle de volta vai dar um trabalho muito grande e deve envolver gente grande no meio do caminho. Isso não acontece sem o conhecimento e o aval de muito peixe graúdo!
    Como isso entra nos presídios? Como as armas chegam aos detentos? Como eles conseguem os objetos mais variados nas celas?

Homem é preso por comemorar no Facebook morte de policial militar

Um homem identificado apenas como Eduardo ou Dudu Careca foi detido, na noite desta quarta-feira, após postar em sua página no Facebook mensagens comemorando a morte da policial militar Fabiana Aparecida de Souza. Dudu Careca é morador da Favela da Fazendinha, no Complexo do Alemão, e foi detido por policiais da Unidade de Polícia Pacificadora da comunidade. Ele foi encaminhado para a 38º DP (Irajá) e liberado. Durante a madrugada desta quinta-feira, o homem postou mensagens alegando que sua página havia sido invadida por pessoas que queriam prejudicá-lo. Pouco tempo depois, a página foi excluída.

Nos becos próximos à sede da UPP da Nova Brasília, onde aconteceu o ataque que matou na noite de sgeunda-feira, há pichações contra o processo de pacificação, incluindo ameaças à polícia. O Bope, que ocupa o Alemão desde terça-feira, fez na quarta-feira duas operações em busca dos bandidos que mataram a soldado, nos morros do Juramento, em Vicente de Carvalho, e do Chapadão. Foram detidas 12 pessoas, sendo dois menores. Também foram apreendidas uma pistola 9mm, uma granada e uma carabina .30, além de certa quantidade de drogas.

Segundo o major Ivan Blaz, relações-públicas do Batalhão de Operações Especiais (Bope), essas ações fazem parte de uma estratégia “para movimentar os criminosos e facilitar o trabalho da Coordenadoria de Inteligência”. Ele esclareceu que ainda não tem como afirmar se algum dos presos de quarta-feira, encaminhados para a 39ª DP (Pavuna), tem ligação com o ataque à UPP Nova Brasília.

Fonte: O Globo