Henrique Eduardo Alves recebeu propina de 4 empreiteiras, diz investigação

O procurador da República Rodrigo Teles disse haver indícios de que o ex-ministro do Turismo Henrique Eduardo Alves, preso hoje (6) em Natal, solicitou e recebeu recursos ilícitos de ao menos quatro empreiteiras para sua campanha ao governo do Rio Grande do Norte, em 2014, da qual saiu derrotado.

Segundo a investigação, ao menos R$ 7,5 milhões em recursos ilícitos teriam sido recebidos pelo ex-ministro, que também usou o dinheiro para despesas pessoais.

Uma das empresas envolvidas foi a OAS, responsável pela construção da Arena das Dunas, sede da Copa do Mundo de 2014 em Natal. As investigações in dicam que Alves atuou junto ao Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Norte para atrasar em anos as ações de fiscalização do órgão, que havia identificado o superfaturamento da obra.

Em troca, o político recebeu uma doação oficial de R$ 3 milhões da OAS por meio Diretório Estadual do PMDB, afirmaram os investigadores, bem como outros R$ 650 mil diretamente. Negociações parecidas teriam ocorrido junto às empreiteiras Odebrecht (R$ 3 milhões não declarados), Carioca Engenharia (R$ 400 mil) e Andrade Gutierrez (R$ 100 mil).

As investigações foram conduzidas em parceira com a Receita Federal e o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), que apontaram operações suspeitas, como o saque de grandes quantias em dinheiro a poucos de dias da eleição de 2014.

“A gente analisando a propria época desses saques de valores em espécie nota, inclusive, um saque de R$ 2 milhões em espécie poucos dias antes do segundo turno, o que gerou a suspeita de que esses recursos possam ter sido utilizados para a compra de votos”, afirmou o procurador Rodrigo Teles.

Segundo os procuradores responsáveis pelo caso, Henrique Eduardo Alves teria oferecido a todas as empresas sua influência nos poderes Executivo, Legislativo e, inclusive, Judiciário em troca de propina. Ele teria agido também em conjunto com o deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Nesta quarta-feira, a Polícia Federal cumpriu cinco mandados de prisão preventiva na Operação Manus, incluindo aquele contra Henrique Eduardo Alves, além de seis mandados de condução coercitiva, quando a pessoa é levada forçadamente a depor, e 22 ordens de busca e apreensão. O ex-ministro permanecerá preso em Natal, informou a PF.

Ele também investigado em um caso paralelo, conduzido pela Procuradoria da República do Distrito Federal, no qual é suspeito de ocultar R$ 20 milhões em contas no exterior. A Agência Brasil entrou em contato com a defesa de Henrique Eduardo Alves e aguarda retorno.

Em nota, Henrique Alves esclarece situação sobre Tribuna do Norte – Rádio Globo Natal

A propósito do post em O Antagonista, sobre nossa participação e situação administrativa/financeira das empresas Tribuna do Norte e Rádio Globo Natal, esclareço aos seus leitores que:

1 – Não houve venda ou transferência acionária do jornal Tribuna do Norte ou da Rádio Globo Natal;

2 – Existem tratativas em andamento para repetirmos, no âmbito do jornal e da rádio, a mesma parceria que temos há 12 anos com a InterTv Cabugi;

3 – A Tribuna do Norte e a Rádio Globo Natal não têm passivos de nenhuma espécie.

Atenciosamente,

Henrique Eduardo Alves

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. FRASQUEIRINO disse:

    Em outras palavras admitiu a negociação. TN falida.

  2. Aline Bezerra disse:

    Kklkkk Bra, nos urubus de plantão.
    Só observo.

TSE aprova por unanimidade contas de Henrique Alves, então candidato ao Governo do RN

Por interino

O Pleno do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu ontem por unanimidade aprovar as contas do então candidato ao Governo do RN Henrique Eduardo Alves . Seguindo o voto do Ministro relator Napoleão Maia Filho, aprovaram por 7 X 0 .

Votaram os ministros Jorge Mussi, Henrique Neves,Luciana Lóssio, Luiz Fux, Rosa Weber e Gilmar Mendes.

“Nessas condições, a reconsideração da decisão agravada é medida que se impõe, ante as particularidades do caso concreto e a orientação jurisprudencial sedimentada por esta Corte Superior”, diz o voto.

Assessoria Henrique Alves

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Julyanna disse:

    Brasil…
    Mostra tua cara …
    Quero ver quem paga …
    Prá gente ficar assim …
    Brasil
    Qual o teu negócio?
    O nome do teu sócio?

    Que vergonha !!!!
    ??? para nós trabalhadores…

  2. Reginaldo disse:

    Esse TSE é uma piada, o cara todo enrolado na Lava Jato, renunciou por causa de delações e é absolvido por 7x 0.
    kkkkkkkkkkkkkk não jeito pra esses Deuses do Olimpo

  3. Henrique Eduardo disse:

    Show !!!

  4. Eterno Vascaino disse:

    O TSE pode aprovar, MAIS EU NÃO ! fora alves e maia .

  5. Flauberto Wagner disse:

    Pare o mundo que eu quero descer… Uma frase bem antiga mas então atual! Como pode com tantas citações e outra muitas delações sobre recursos de origem duvidosas que foram implementados na campanha do mesmo, tem suas contas aprovadas além de piada é um presente de Natal para dele, outra coisa, quando dizem por aí que não existem coerência nas descisões do corte eleitoral o mundo só falta desmoronar.
    É por essas e outras razões que quando um político é citado, logo ele diz tá tudo declarado e aprovado pelo TSE, ou seja,o que entendi é que as contas são analisadas de forma protocolar e por mera rotina.
    Vai comendo Raimundo… Alias vai comendo Gilmar e cia.
    Parabéns ao agraciado pelo feito, só assim sabemos e temos a certeza que o "Crime Eleitoral" no Brasil é principio e requisito para a diplomação…

  6. Roberto Araújo disse:

    Quem aprova TSE?

  7. Curioso disse:

    Não poderia ser diferente disso; afinal estamos falando de um cidadão de bem, homem honrado, figura decente, ser humano honesto…

  8. HENRIQUE disse:

    Tudo bem$$$$$$$$$$$$$.

Henrique Eduardo Alves é o cara

Aniversariante do dia, o deputado federal Henrique Eduardo Alves é o que se pode chamar de O Cara.

Vivendo o momento mais feliz e produtivo de sua longa carreira política, iniciada em 1970, quando conquistou o primeiro de 11 mandatos, Henrique é o político mais influente do Rio Grande e um dos parlamentares mais influentes de Brasília.

Nada do Rio Grande do Norte se resolve sem a presença e intervenção do filho dileto de Aluizio Alves.

Se as associações comunitárias, de municípios e de empresários precisam encaminhar pleitos e pedir apoio ao Governo Federal, recorrem a Henrique.

Se a governadora Rosalba Ciarlini, a quem ele não apoiou na campanha de 2010, precisa de apoio e abrir as portas do Governo Federal, recorre a Henrique.

Presidente estadual do PMDB, sócio-proprietário de um fortíssimo sistema de comunicação e líder de uma máquina partidária forte e azeitada, Henrique Alves tem demonstrado desenvoltura, jogo de cintura e virou figurinha carimbada em qualquer discussão sobre assuntos de interesses do Rio Grande do Norte.

Em nada lembra a pecha de “deputado copa do mundo”, pregada e alardeada por seus adversários políticos e empresariais num passado não muito distante. Pecha amplamente divulgada por gente que hoje está muito próxima do deputado.

Líder do PMDB pela sexta vez, por escolha de seus pares, Henrique se encaminha para ser presidente da Câmara dos Deputados. Poderá ser o coroamento de uma carreira política ou o passo mais importante para um momento ainda mais grandioso. Os rumos da política decidirão e mostrarão o caminho.

Tudo isso somado, isso significa que o filho dileto, que um dia Aluizio Alves sonhou em ver prefeito de Natal e governador virou o cara.

E isso pode significar que Aluizio morreu sem ver o filho no auge. Maduro, eloqüente, influente. E com plenas condições de chegar ao cargo que um dia o pai ocupou. Pode ser de ministro, pode ser até de governador. Alguém duvida?

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Breno Cardoso disse:

    a única coisa que ele sabe fazer é ser influente mermo, pq não faz nada que preste

Henrique "lembra" a Dilma poder de fogo do PMDB ao discutir futuro da Câmara dos Deputados

Durante o almoço em que a presidente Dilma Rousseff confirmou a vinda ao Rio Grande do Norte para o próximo dia 28 deste mês, o líder do PMDB na Câmara, Henrique Eduardo Alves, tratou de mostrar seu poder de fogo à presidenta-chefe.

É que ontem, na votação da DRU (Desvinculação de Receitas da União), 99% da bancada do PMDB acompanhou a recomendação do Planalto, contra 94% da ala petista, partido da presidente Dilma.

Logo a conversa partiu para os rumos da Câmara dos Deputados. Como se sabe, o PT prometeu a Henrique a presidência da Casa no próximo ano. Diante dos obstáculos que têm surgido ao projeto do peemedebista, Henrique tratou de “lembrar” à presidenta o poder do PMDB, que pode ser usado contra ou favor do governo.

Ah, Dilma vai participar do programa do PMDB. Grava sua inserção na próxima segunda-feira.

Ascensão de Garibaldi ameaça projeto político do primo Henrique Eduardo Alves

Mais um episódio para melar os planos de Henrique Eduardo Alves, que quer ser presidente da Câmara dos Deputados.
Diante da exitosa empreitada de Garibaldi Filho, primo de Henrique, à frente do Ministério da Previdência, a imprensa começa a ventilar em suas páginas as conversas de bastidores do Planalto.

E elas dão conta de que, em razão do prestígio em alta, Garibaldi é o nome do governo para assumir a presidência do Senado no próximo ano e substituir José Sarney.

Garibaldi, além disso, já foi presidente do Senado e teve uma gestão na qual não houve um escândalo envolvendo seu nome, ou com assessores a ele ligados.

Em nenhum tabuleiro de xadrez político, será permitida a movimentação dos dois Alves rumo às cadeiras principais do Congresso.
Sendo da mesma família, mesmo partido, estado e grupo político é corolário lógico que a presidência da Câmara, sendo Garibaldi presidente do Senado, ficará para o PT.

PSD ameça projeto político de Henrique Eduardo Alves

Uma nova coalisão partidária ameaça o projeto político de Henrique Eduardo Alves, que quer se despedir da Câmara dos Deputados sendo seu presidente no próximo biênio.

Alves tem o apoio – até agora incondicional o PT, partido com a maior bancada da Casa; são 87 deputados.

Mas o neófito PSD – com velhos nomes de guerra – propôs ao PSB lançar um nome à presidência da Casa.

Henrique, que não é unanimidade nem em seu partido, agora deverá colocar na agulha nomes que garantam seu projeto político.

A costura começa pelo próprio nome sugerido pelo PSB para disputar a presidência, o deputado federal Márcio França, de São Paulo. Segundo Renata Lo Prete, o próprio França tratou de ligar para Alves e garantir que vai mesmo é apoiar o nome do peemedebista.

Conversa para boi dormir. Caso sinta que sua candidatura é viável, França disputará com Henrique, que mal pode comemorar a ida de um forte candidato à Presidência da Câmara, Aldo Rebelo, para o Ministério do Esporte.