Presidente do STJ mantém prisão de Eduardo Cunha

Foto: Agência Brasil

A presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministra Laurita Vaz, negou nesta quarta-feira (18) mais um pedido de habeas corpus do ex-deputado Eduardo Cunha, que está preso desde outubro de 2016 pelas investigações das operações Sépsis e Lava Jato, da Polícia Federal (PF).

Ao analisar o pedido de liberdade feito pela defesa, a ministra entendeu que não há ilegalidades na manutenção da prisão. Para a presidente do STJ, a gravidade das acusações contra Cunha e o risco de reiteração justificam a prisão do ex-deputado.

A defesa de Eduardo Cunha ao recorrer ao STJ alegou que não há mais motivos para mantê-lo encarcerado, após o fim da ação penal na qual o ex-parlamentar foi condenado a 24 anos e dez meses de prisão, em regime fechado, pelo crime de corrupção.

No mês passado, Cunha foi sentenciado pela Justiça Federal em Brasília no processo que apurou pagamento de propina de empresas interessadas na liberação de verbas do Fundo de Investimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FI-FGTS).

Agência Brasil

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Chico disse:

    Esse era pra soltar, fez um favor enorme ao país, tirar aquela anta presidanta dilmanta da presidência do país. Podia anistiar todo o dinheiro roubado

    • JOAO MARIA disse:

      CHICO VOCÊ TEM TODA RAZÃO, ELE LIVROU O BRASIL DA MAIOR QUADRILHA DA HISTORIA

Justiça do Distrito Federal rejeita pedido de liberdade de Eduardo Cunha

O deputado cassado e ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (MDB-RJ) em foto de arquivo (Foto: Eraldo Peres/AP)

O juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal de Brasília, rejeitou um pedido de liberdade do ex-deputado federal Eduardo Cunha (MDB-RJ), preso desde 2016

Na decisão, o magistrado negou derrubar uma prisão preventiva decretada em 2017 na Operação Patmos, baseada na delação premiada de executivos da JBS.

Em depoimento, o empresário Joesley Batista disse que pagava propina para o ex-deputado permanecer em silêncio a respeito de supostos delitos cometidos pelo presidente Michel Temer e outros políticos da cúpula do PMDB.

Eduardo Cunha ainda permanece preso em razão de outros decretos de prisão preventiva, da Justiça Federal no Paraná e em Brasília, relacionados a desvios na Petrobras e na Caixa Econômica Federal.

A defesa pediu o fim da prisão a Vallisney de Souza Oliveira sob o argumento de que o ex-deputado está afastado da política desde a cassação de seu mandato, em 2016.

O Ministério Público, porém, recomendou a manutenção da prisão, apontando “forte influência” do ex-deputado junto “a outros comparsas para locupletar-se”, mesmo após seu afastamento da Câmara.

O juiz considerou ainda haver risco de novos crimes e rejeitou também pedido da defesa para aplicar medidas alternativas – que podem incluir uso de tornozeleira eletrônica, proibição de contato com outros investigados ou recolhimento de passaporte, por exemplo.

“A necessidade de manter interrompida a atuação da organização criminosa referida e o risco concreto de reiteração criminosa justificam a manutenção da prisão cautelar, não se mostrando suficiente a substituição por medidas cautelares para afastar as aludidas circunstâncias”, escreveu o magistrado.

G1

 

Raquel Dodge não quer delação de Eduardo Cunha

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Raquel Dodge está decidida a rejeitar a proposta de delação feita recentemente por Eduardo Cunha. A PGR não acredita no que ele diz e não esquece os ataques feitos pelo ex-deputado contra o Ministério Público.

O fracasso das tratativas atormenta a defesa de Cunha. Como os bens dele seguem bloqueados, seus advogados não estão recebendo. A esperança morreria com a negativa de Dodge.

Radar On-Line, Veja

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Messias Lider disse:

    1 – Isso que está falando, é um pensamento seu, não a realidade.
    A intenção da PGR, é não fazer troca alguma com um bandido da grandeza de Eduardo Cunha.
    2 – Acho interessante que um Brasil cheio de corruptores, de pessoas que cometem infrações quer seja no transito, quer seja numa fila de banco ou em outras modalidades e até vendem seu voto, mas eles são cheios de autoridade quando se trata de políticos!

  2. Romualdo disse:

    Quando Eduardo Cunha foi preso, vi aqui mesmo nesse blog alguém comentando que essa prisão era pra impedir dele falar e não ao contrário. Agora vejo a comprovação, ao ver essa ação da indicada por Temer para concluir a operação abafa, conforme vazamento da fala de Romero Jucá: "…para estancar a sangria".
    Está tudo sendo abafado e quem vai querer ouvir Cunha, quando sabemos que ele está quietinho por ter feito acordo para receber uma gorda mesada e para não mexerem com sua mulher e filha, até o assunto ser esquecido e ganhar a liberdade, como tantos tem conseguido com o aval de São Gilmar Mendes. Padroeiro dos bandidos e ladrões partidários de Aécio, Serra e Temer.
    Alguém ainda tem alguma dúvida? Querem mais alguma prova?
    Onde estão as panelas?

    • Só olhando disse:

      Quanto as minhas panelas estão em casa como sempre estiveram, dai pergunto e as suas panelas aonde estão?

    • Sebastião disse:

      Interessante a memória seletiva dos petistas.
      Vocês até aqui não reclamaram por Janot não ter aceito a delação de Ricardo Pessoa da UTC por 2 vezes que tentou. Ele falou cobras e largados de Lula e Dilma, diz ter uma carreta de 18 pneus de provas contra os ex presidentes e membros do PT, coisa quente e comprovada, mas Janot e Fachin nunca aceitaram a delação dele. Qual será a razão?
      Quando Janot e Fachin aceitaram imediatamente as gravações e a delação da turma da JBS, aquela que recebeu R$ 01 Bilhão dos bancos públicos, durante o governo do PT, mesmo devendo Milhões ao INSS, vocês não disseram um pio!
      Mas agora questionam, falam, gritam e acusam por não aceitarem a delação de Eduardo Cunha, inimigo do PT, achando que ele só tem coisas contra Temer e Aécio??? Cuidado, pode ser mais um tiro no pé. Lembrem que ele gosta tanto de Dilma e do PT quando o PT e Dilma dele.
      De onde vem os R$ 44 milhões que foram revelados da família de Lula?

    • Romualdo disse:

      Ficou nervosinho porque Sebastião?
      Não estamos falando aqui da corrupção atribuída a Lula ou a Dilma, mas a cometida por Aécio, Temer, Serra e sua trupe.
      Vc tem bandido de estimação?
      Dilma perdeu o cargo acusada de cometer "pedaladas fiscais" e Lula está respondendo inúmeros processos.
      E Aécio, Serra e Temer?

    • Ana disse:

      Incrível ainda vê em nosso país, pessoas defendendo Lula, Dilma, Ze dirceu ou Aécio, temer, Serra ou outro canalha corrupto desses qualquer. A não ser que seja por algum interesse pessoal, compartilhar de suas falcatruas por exemplo, que realmente não entendo. As pessoas que aqui escrevem parecem ter um bom conhecimento e educação, e ainda defendem uns trocos desses, imagina os desavisados, analfabetos e leigos, sei não, mas acho que estamos fadados a lama por muitos anos por atitudes como essa de vcs.

    • Ana disse:

      E com relação a Dodge, que parece mais um fusquinha, tá fazendo o papel sedoso dela, impedir que o canalha do Cunha abra sua fossa e jogue excrementos em todos eles, inclusive nela também.

Presidente afastado da Câmara Eduardo Cunha vira alvo de torcedores por má fase do Flamengo

eduardo-cunha-acompanha-jogo-do-flamengo-em-um-camarote-do-estadio-mane-garrincha-1462979747868_615x300Eduardo Cunha é um dos personagens mais polêmicos da atual política nacional. Afastado da presidência da Câmara dos Deputados, ele é torcedor fanático do Flamengo e até o ano passado utilizava com frequência a conta no Twitter para cornetar o time e provocar os rivais. Algumas postagens foram arquivadas pelos seguidores e ressurgiram quando o agora ex-parlamentar virou réu no STF (Supremo Tribunal Federal).

O período até o afastamento da presidência da Câmara coincidiu com a má fase do clube de coração. O Rubro-negro foi eliminado da Primeira Liga e do Carioca antes das finais. Em tom de ironia e com o objetivo de alfinetá-lo, diversos usuários da rede social passaram a republicar as postagens para criticar o Flamengo.

O UOL Esporte selecionou as publicações destinadas ao clube da Gávea:

– As falhas da defesa, principalmente de Wallace, resultaram em RTs conjuntos por comemoração ao afastamento de Eduardo Cunha da Câmara dos Deputados, além do desejo de parte da torcida em ver o zagueiro fora do time.

VEJA MEMES aqui em texto na íntegra

UOL

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Falando Sério disse:

    Mais um engano o problema do flamengo com torcedor não é Cunha e sim lula.

Teori Zavascki avança no pedido de afastamento de Eduardo Cunha

teori_zavascki_obsFoto: André Coelho | Agência O Globo

Teori Zavascki tem trabalhado no pedido de afastamento de Eduardo Cunha da presidência da Câmara.

A interlocutores, disse que se aproxima o momento de liberar o caso para a pauta do STF — para depois do impeachment, por exemplo.

Até porque alguns ministros já indicaram ter convicção formada sobre o assunto

Lauro Jardim, O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Val Lima disse:

    A corda e o cadafalso já estão prontos à espera de Eduardo Cunha….
    Não demora um mês…

  2. Falando Sério disse:

    Deixa Cunha lá até tirar a turma de raivosos que parecem cachorros babando de doentes e cuspindo nos brasileiros e brasileiras, essa turma vai ter um piripaque.

Cardozo diz que recebimento do pedido de impeachment foi vingança de Cunha

cardozo_impeachment_2
Foto: Zeca Ribeiro / Agência Câmara

Na segunda parte da apresentação da defesa da presidenta Dilma Rousseff, o advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, afirmou que o recebimento do pedido de impedimento da chefe do governo pelo presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), foi um ato de “vingança” e, por isso, caracteriza desvio de poder.

Durante quase duas horas, Cardozo fez, na tarde desta segunda-feira (4), a defesa de Dilma na comissão especial da Câmara que analisa o pedido de impeachment da presidenta. Os membros da comissão não tiveram autorização para fazer perguntas durante a fala do ministro, mas, em três oportunidades, parlamentares favoráveis ao impeachment interromperam a exposição e foram repreendidos pelo presidente do colegiado, Rogério Rosso (PSD-DF).

Cardozo disse que há “indiscutível, notório e clamoroso desvio de poder” no recebimento do pedido do impeachment. “Conforme [foi] fartamente noticiado pela imprensa, a decisão do presidente Eduardo Cunha não visou não visou à abertura do [processo de] impeachment, não era essa sua intenção, não era essa a finalidade. Sua Excelência, Eduardo Cunha, usou da competência para fazer uma vingança e uma retaliação à chefe do Executivo porque esta se recusara a dar garantia dos votos do PT no Conselho de Ética a favor dele”, argumentou Cardozo. Cunha enfrenta processo por quebra de decoro parlamentar no Conselho de Ética da Casa.

Na defesa apresentada à comissão especial, o advogado-geral da União rebateu os pontos do pedido de impeachment. Segundo Cardozo, o fato de a comissão ter ouvido os juristas autores do pedido feriu o direito de defesa da presidenta. Para Cardozo, se a peça não era clara o suficiente, deveria ser negada. O ministro ainda ironizou a peça e a considerou “imprecisa” e “tecnicamente bastante reprovável, passível de sobrerrejeição por inépcia”.

Cardozo ressaltou ainda que, na exposição feita na semana passada, os juristas foram além do que foi acatado pelo presidente da Câmara no pedido de impeachment, o que, para o ministro, claramente afronta o direito de defesa da presidenta da República. “A defesa não foi intimada a acompanhar. Se o fosse, faria contestações”, disse.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Elves Alves disse:

    Cardozo é useiro e vezeiro em confundir o cargo público com prebenda partidária.
    Não agiu ele como ministro da Justiça, quando da investidura do cargo, mas como simples advogado lulo-dilmista e do PT.
    Agora na Advocacia-Geral da República, novamente Cardozo tem circunscrito sua atuação à defesa de Lula, Dilma e do partido.

  2. Soriedem disse:

    Mas isso seu ministro, td mundo já sabe. Na verdade quem tem que ter impeachment é cunha.

Jarbas quer paralisação da Câmara enquanto Cunha estiver na presidência

jarbas vasconcelos

Apesar da pressa da oposição com o processo de impeachment de Dilma Rousseff, o deputado Jarbas Vasconcelos diz que a Casa deveria paralisar todos os seus trabalhos e só retomá-los – impedimento inclusive – após a saída de Eduardo Cunha da presidência.

Jarbas Vasconcelos é do mesmo partido de Cunha. Vale lembrar que ele já disse que “Eduardo Cunha é um psicopata, um doente”.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Marcos disse:

    Alguém íntegro, ganhou respaldo comigo

  2. É. Costa disse:

    Taí um cara q tem bom senso.
    Cadê a população q não pede a saída de cunha como fazem com a presidenta. Seria o mais coerente, já q com um imaginaria saída dela, cunha seria nosso maravilhoso vice presidente.
    Imaginem!

  3. Verdade seja dita disse:

    Aproveite e peça também a saída de todos envolvidos na corrupção, como Cunha, Renan, Lula e tantos outros que estão afundando o país.
    Não seja seletivo, seja justo.

  4. Ôlôco, Óxente disse:

    MEU DEUS, ali tem alguem coerente!

A vida de sultão de Eduardo Cunha

1457297952_816852_1457298243_noticia_normal_recorte1Conforme a Operação Lava Jato vasculha nas contas do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, mais nítido se perfila um homem com um padrão de vida milionário e muito acima das possibilidades de um deputado comum. A mais recente denúncia contra Cunha, protocolada pela Procuradoria Geral da República na sexta-feira, traz uma radiografia das caríssimas preferências do peemedebista nas suas viagens internacionais com a família. No documento, onde Cunha é acusado de receber mais de cinco milhões de reais em propinas por viabilizar a compra pela Petrobras de um campo de petróleo na África, afirma-se que os extratos das contas secretas na Suíça de Cunha demonstram “despesas completamente incompatíveis como os rendimentos lícitos declarados do denunciado e seus familiares”. Despesas que, segundo o procurador Rodrigo Janot, foram pagas com o dinheiro desviado da estatal.

Entre os gastos de Cunha, que já virou réu no Supremo Tribunal Federal (STF) na semana passada sob a acusação de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, chamou a atenção do procurador Janot a viagem a Miami de nove dias com a família no Réveillon de 2013. Entre 28 de dezembro e 5 de janeiro, Cunha gastou 42.258 dólares, cerca de 84.000 reais na época, e 169.500 reais na cotação atual. O salário de Cunha em 2012 era, segundo ele mesmo declarou, de 17.794 reais por mês.

Naquelas férias só em hospedagem há uma fatura de mais de 23.000 dólares. Destacam-se também os almoços e jantares em restaurantes de luxo cujas contas superaram os 6.000 reais. Um dos jantares em Miami Beach em 28 de dezembro, em um restaurante de comida asiática, superou os 1.000 dólares. No dia seguinte, o congressista foi às compras e desembolsou 2.327 dólares na loja Saks Fifth Avenue que vende artigos de grifes como Fendi, Valentino ou Yves Saint Lauren e 3.803 dólares na loja de grife Salvatore Ferragamo. Os dias de compras foram um plano recorrente durante essa viagem e repetiram-se despesas na Giorgio Armani (1.595 dólares) ou na Ermenegildo Zegna (3.531 dólares).

Um mês depois, Eduardo Cunha viajava a Nova Iorque e voltava a gastar na Salvatore Ferragamo mais 1.175 dólares, 909 dólares na loja da Apple Store e 1.668 no restaurante francês Daniel, chefiado pelo badalado chef Daniel Boulud. A conta de hotel no Hilton, no dia 12 de fevereiro de 2013, somou 2.761 dólares pela hospedagem de três dias.

Nesse mesmo dia, Cunha viajava a Zurique, na Suíça, onde os investigadores encontraram pelo menos cinco contas secretas no nome do deputado, da sua mulher Claudia Cruz, e da sua filha Danielle. Nessa viagem, do dia 12 ao dia 16 de fevereiro, Cunha gastou mais de 10.000 dólares em hospedagem em três hotéis diferentes.

O luxuoso rastro do deputado que se rebelou contra o Governo Dilma Rousseff no ano passado, quando rompeu publicamente com o Palácio do Planalto, se estendeu até Paris, onde gastou 2.500 dólares em um restaurante; em Barcelona, onde pagou 3.572 dólares em um hotel, e até na Rússia, onde liquidou uma conta de um restaurante de 3.000 dólares.

A lista de cinco páginas de despesas anexadas à denúncia parece não terminar nunca: 5.400 dólares na loja de Chanel em Nova York em setembro de 2013; 730 dólares em um bar de Veneza em março de 2014; ou quase 6.000 dólares por se hospedar em um hotel em Dubai em abril de 2014.

Janot ressalta que as despesas, “pagas com dinheiro proveniente de desvios da Petrobras”, continuaram mesmo após a eleição de Eduardo Cunha como presidente da Câmara dos Deputados em fevereiro de 2015. Só nesse mês, os extratos de Cunha somam 31.800 dólares.

Perda de mandato

Os extratos bancários da filha Daniellle e a mulher de Cunha, a jornalista Claudia Cruz, que se declara “dona de casa”, são igualmente estrambóticos. Claudia gastou, em janeiro de 2014, 7.700 dólares na loja de Chanel em Paris; mais de 4.000 dólares na loja Charvet Place Vendome; 2.646 dólares em Christian Dior e quase 3.000 dólares na loja de Balenciaga. Em Roma, em março de 2014, Claudia, comprou 4.500 dólares em artigos da Prada, 3.536 dólares na Louis Vuitton de Lisboa e mais 3.799 no mesmo mês na loja de Chanel em Dubai. Já em 2015, as faturas em lojas de grife do cartão de Claudia somam 14.700 dólares. A filha de Cunha gastou, segundo a denuncia, mais de 42.00 dólares em lojas de luxo entre dezembro de 2012 e abril de 2014. Cruz e a filha, porém, não são alvos da denúncia, já que não têm foro privilegiado e devem responder, se houver acusação, na primeira instância judicial, o que pode ficar sob a alçada do juiz da Lava Jato em Curitiba, Sergio Moro.

Cunha nega as denúncias e rejeita a acusação de que o dinheiro venha de desvios da Petrobras. Na denúncia, que ainda será analisada pelo Supremo, Janot pede que o deputado devolva aos cofres públicos o rastreado em suas contas na Suíça além de pagar uma multa. Pede ainda que ele perca o mandato parlamentar pelo crime de falsidade ideológica eleitoral por não ter sido transparente sobre seus bens na prestação de contas de candidato.

El País

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Val Lima disse:

    Rapaz a mulher mais parece Elton John….kkkkk

  2. Thiago disse:

    Panelaço? ninguém?

  3. Charles disse:

    Que marmota de óculos é esse? Existe gpsto pra tudo mesmo.

  4. Polyana disse:

    E quem se importa ou bate panelas?
    Por que ninguém o afasta ou conduz coercitivamente para a prisão?
    Essa é a luta contra a corrupção?

    • BRASIL MOSTRA TUA CARA disse:

      Mais de cem envolvidos na Lava- Jato foram levados para depor coercitivamente, inclusive o cabeça, o mentor, ou seja, o ladrão mor Lula molusco!

  5. Brasil, Meu país NÃO será dos fascistas! disse:

    #SomosTodosCunha
    Assinado:Coxinhas hipócritas

Por 10 votos a zero, STF aceita abrir ação penal contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha

Por unanimidade, o STF (Supremo Tribunal Federal) transformou nesta quinta-feira (3) o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), em réu, sob acusação dos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, por seu suposto envolvimento no esquema de desvios na Petrobras.

Essa é a primeira ação penal aberta pelo Supremo na Operação Lava Jato. A decisão do STF tem potencial para aumentar o desgaste político de Cunha, uma vez que levará os ministros a discutirem o pedido da Procuradoria-Geral da República para que ele seja afastado do comando da Casa e do mandato e também deve reforçar seu processo de cassação em discussão na Câmara.

O recebimento da denúncia da Procuradoria-Geral da República contra Cunha começou a ser delineado na sessão desta quarta (2), quando o relator da Lava Jato, Teori Zavaski, e mais cinco ministros votaram a favor da admissão da acusação de que o deputado teria recebido US$ 5 milhões em propina de contratos de navios-sonda da Petrobras.

Na sessão desta quinta, os ministros Dias Toffoli, Gilmar Mendes, Celso de Mello e Ricardo Lewandowski também votaram para abrir a ação penal. Luiz Fux não participou do julgamento.

VOTOS

Integrante mais antigo do STF, Celso de Mello puxou o voto mais duro, com fortes críticas a políticos envolvidos em esquema de corrupção.

O ministro chegou a citar parte de seu voto sobre o esquema de corrupção do mensalão, que desviou recursos públicos para a compra de apoio político no Congresso no início do governo Lula.

Celso afirmou que a Lava Jato revela episódios criminosos que são vasto painel de assalto e mostram da captura do Estado por dada organização criminosa. Para o ministro, a Lava Jato aponta a degradação da dignidade política e a delinquência institucional.

“Houve vasta organização criminosa de progressão tentacular, organizada em níveis hierárquicos próprios, observava métodos homogêneos de atuação e que operando por intermédio de vários núcleos especializados, com clara divisão de tarefas, núcleo político, empresarial, financeiro, operacional”,disse.

Segundo o ministro, “qualquer ato de ofensa, como aceitação de suborno, culmina por atingir justamente a própria respeitabilidade institucional do Poder Legislativo, residindo neste ponto a legitimidade do procedimento constitucional da cassação do mandato parlamentar de quem se haja demonstrado indigno de representar o povo brasileiro. Falta de decoro parlamentar é falta de decência, capaz de desmerecer a Casa [Legislativa] e seus representantes”, afirmou.

Gilmar Mendes reforçou a fala defendendo que o petrolão seria o filhote maior do mensalão e que os dois esquemas revelam um modo de governança. Ele ainda citou que o advogado de Cunha, Antonio Fernando de Souza, foi o responsável por apresentar a denúncia do mensalão, quando ocupava a chefia do Ministério Público.

“Registro ainda observação histórica: a situação peculiar do doutor Antonio Fernando, que teve atuação neste tribunal como procurador-geral da República. Todos nós reconhecemos sua atuação ímpar, clara, elevada, imparcial. E que hoje também atua na nobre tarefa da defesa, admitindo que atuou aqui quando fez a denúncia do mensalão e talvez agora desse filhote maior do mensalão, que é o petrolão”, afirmou.

“Como diz o poeta e escritor que eu aprendi a admirar, Mia Couto, talvez traduzindo uma outra pensata: o pior do passado ainda está por vir, parece que os fatos de hoje revelados revelam que os fatos de ontem não eram tão graves”, completou.

Toffoli defendeu que, apesar de haver os indícios para abertura da ação penal, ainda não há os elementos para condenar Cunha.

A divergência no julgamento foi aberta por Toffoli e seguida por Gilmar. Os dois ministros votaram para rejeitar a denúncia contra a ex-deputada Solange Almeida (PMDB-RJ), que teria apresentados requerimentos a pedido de Cunha para achacar empresas e forçar a liberação do pagamento de propina.

Toffoli defendeu que não há elementos mínimos de que Solange Almeida tenha participação no esquema. Isso porque ela não foi citada por nenhum dos delatores. O ministro citou que foi funcionário da Câmara e que sabe que essa questão de apresentação de requerimentos e projetos por deputados a pedido de colegas faz parte da “vida parlamentar”. “No que diz respeito a Solange Almeida, os elementos da denúncia não são suficientes”.

PRÓXIMOS PASSOS

Não há prazo para o desfecho do Caso de Cunha que também é alvo de outras investigações por suspeita de que recebeu propina de contratos da Petrobras em contas secretas no exterior.

Agora, o Supremo começa a fase de instrução processual, com a apresentação de testemunhas de defesa e acusação. Na sequência, uma nova etapa de coletas de provas e questionamentos dos elementos do processo.

Cunha também será interrogado e, depois, o Ministério Público fará suas alegações finais, repassando o caso para o ministro Teori Zavascki fechar seu voto. Outro integrante do Supremo será encarregado de revisar o processo, liberando o caso para votação.

A propina teria saído de dois contratos entre a Petrobras e as empresas Samsung Heavy Industries e a japonesa Mitsui foram fechados em 2006 e 2007 por US$ 1 bilhão e, segundo a Procuradoria, foi acertada propina de US$ 40 milhões a políticos e funcionários da estatal. O lobista Julio Camargo era o representante das empresas.

Segundo os delatores, com o passar dos anos ainda havia um débito da propina acertada inicialmente e, então, Cunha foi chamado para reativar o pagamento. Nesse período, a parte da propina que coube a ele foi de US$ 5 milhões, segundo as investigações.

Dois requerimentos foram apresentados na Câmara em 2011 por Solange. Eles pediam às autoridades informações sobre contratos da Petrobras com a Mitsui. A Folha de S.Paulo revelou em abril de 2015 que o nome “dep. Eduardo Cunha” aparece como autor dos arquivos de computador em que eles foram redigidos.

Na avaliação do relator, os elementos indicam que Cunha passou a atuar no esquema quando o comissionamento de Julio Camargo foi suspenso. Outro lobista, Fernando Soares, o Baiano, teria acertado com Cunha o achaque para tentar reativar o esquema.

Teori, no entanto, rejeitou a parte da denúncia que apontava que os dois políticos participaram do acerto inicial para os desvios nos contratos de navios-sonda entre 2006 e 2007.

Na prática, o relator diminuiu as imputações dos crimes de lavagem de dinheiro e corrupção apontados pela Procuradoria contra o deputado. O ministro entendeu que, no caso da celebração dos contratos, não ficou comprovado que Cunha participou do acerto inicial da propina, já que os próprios delatores afirmaram que ele agiu a partir de 2010.

Folha Press

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Polyana disse:

    Isso é uma imoralidade. Cassar um homem honesto como esse.
    Isso é uma injustiça!
    Um homem santo que foi apoiado e abençoado por Silas Malafaia e Marcos Feliciano dentro das Igrejas Evangélicas.
    Um homem que sempre esteve ao lado de Aécio Neves, Serra, FHC, Alckimim, Paulinho da Força Sindical, Cássio da Cunha Lima, José Agripino e Henrique Alves.
    Um homem que tinha a companhia e apoio irrestrito de Luciano Hulk, Ronaldinho Fenônimo, Bolsonaro, Sherezade e Lobão.
    Um homem acima de qualquer suspeita!
    Querem culpar um inocente.

    • BRASIL MOSTRA TUA CARA disse:

      Parabéns Polyana, fala assim também do maior marginal já visto nesse país…LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA.

  2. Brasil, meu país! disse:

    Será q o Aecim e PSDB/DEM vão pedir recontagem de votos?

  3. Carlos Bastos disse:

    KKKKKKKKKKKKKKKK, 10 a zero

Supremo aceita denúncia contra Eduardo Cunha na Lava Jato

STFA maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) aceitou nesta quarta-feira (2) o recebimento parcial de uma denúncia contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), pelo suposto recebimento de US$ 5 milhões de propina do esquema de corrupção que atuava na Petrobras.

Dos 11 ministros da Corte, 6 votaram nesta quarta a favor da abertura da ação penal contra o deputado. Outros cinco magistrados irão votar nesta quinta-feira (3).

Na sessão desta quarta, além do relator do caso, Teori Zavascki, votaram a favor da abertura da ação penal os ministros Cármen Lúcia, Marco Aurélio Mello, Luís Roberto Barroso, Luiz Fachin e Rosa Weber.

O julgamento será retomado nesta quinta (3) com os votos dos ministros Dias Toffoli, Gilmar Mendes, Celso de Mello e Ricardo Lewandowski. Luiz Fux está fora do país e não deve participar do julgamento.

Ao acolher parte da denúncia, Teori Zavascki afirmou haver indícios “robustos” de que Cunha aderiu à “engrenagem espúria” do esquema de pagamento de propina que atuava na Petrobras.

“Há indícios robustos para, nesses termos, receber parcialmente a denúncia pois a narrativa em seu segundo momento dá conta que Eduardo Cunha, procurado por Fernando Baiano, aderiu para recebimento para si e concorrendo para recebimento de Fernando, oriunda da propina destinada a diretores da estatal”, ressaltou Teori durante seu voto.
“Elementos confortam sobejamento do crime de corrupção passiva, majorado ao menos na qualidade de partícipe por parte do deputado Eduardo Cunha para se incorporar à engrenagem espúria de Nestor Cerveró”, complementou o relator.

A acusação da Procuradoria Geral da República (PGR) aponta que Cunha recebeu, entre 2006 e 2012, “ao menos” US$ 5 milhões para “facilitar e viabilizar” a contratação de dois navios-sonda pela Petrobras, construídos pelo estaleiro sul-coreano Samsung Heavy Industries para operar no Golfo do México e na África.

A defesa de Cunha contesta as acusações e sustenta que os depoimentos de seu principal delator, Júlio Camargo foram tomados sob pressão da PGR e que ele mentiu. Além disso, os advogados do presidente da Câmara argumentam que ele não tinha influência sobre a diretoria internacional da Petrobras para facilitar a contratação, entre 2006 e 2007, além de não conhecer, nesta época, outros envolvidos nas negociações.

Fonte: G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Antônio Silva disse:

    Vcs já notaram que esse pessoal empoleirado na Assembléia Legislativa é tudo "Paneleiro"?

  2. Val Lima disse:

    Eu quero saber qdo vai chegar a hora do Renan??!!!

  3. Sandro Múcio disse:

    Até o encerramento dos votos qualquer um dos ministros pode mudar o voto. Os que ainda não votaram podem apresentar argumentos que façam os outros mudarem. Portanto, a informação não está correta. Até o momento Cunha perde por 6 x 0, mas ainda pode virar o jogo.

  4. Povo disse:

    Prezado Bruno,

    Gostaria de esclarecimentos sobre o seu trabalho na AL-RN que o rende um humilde salário bruto de R$ 10.481,17.

    Grato,

    O povo.

    • bruno disse:

      OI Povo, tem vários esclarecimentos, no próprio blog, nas nossas redes sociais tb. Valeu Povo.

BOMBA: Eduardo Cunha cobrou R$ 52 milhões em propina

cunhaDois novos delatores confessaram à Procuradoria-Geral da República que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), cobrava propina para liberar dinheiro do FI-FGTS para empresas e recebia os valores em contas até agora desconhecidas, na Suíça e em Israel, segundo documento obtido por ÉPOCA. No total, a PGR afirma que reuniu provas de R$ 52 milhões em propina, divididas em 36 prestações. A revelação foi feita na delação premiada de Ricardo Pernambuco e Ricardo Pernambuco Júnior, da empreiteira Carioca Engenharia.

Ao contrário dos outros casos da Lava Jato, a dupla afirma que a propina foi cobrada diretamente por Eduardo Cunha, sem intermediários, em encontros pessoais. Os delatores detalham até os centavos da propina paga para receber R$ 3,5 bilhões do Fundo de Investimento do FGTS, o FI-FGTS, para uma obra no Rio. Há mais: o empreiteiro Léo Pinheiro, da OAS, também trocou mensagens diretas com Cunha, justamente para tratar da liberação de valores do FGTS.

As evidências foram levadas ao ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal, relator da operação Lava Jato que autorizou dezenas de buscas na última terça-feira. Entre os alvos, está Fábio Cleto, indicado para cuidar das loterias e do FGTS para uma diretoria da Caixa Econômica Federal. Ele era indicado por Cunha e foi nomeado com o aval da presidente Dilma Rousseff – ele deixou o cargo na semana passada. “Seguindo no esquema ilícito, Eduardo Cunha se valia de sua influência sobre Fábio Cleto para aprovar a liberação dos investimentos do FI-FGTS e cobrava valores neste sentido dos empresários interessados”, diz a PGR. Em 2014, o FI-FGTS tinha R$ 31,9 bilhões em ativo total e tinha participação em 44 projetos, segundo o seu relatório de gestão.

A delação premiada da Carioca Engenharia inclui até uma tabela com os valores das propinas. “Eduardo Cunha deu uma conta de um banco chamado ISRAEL DISCOUNT BANK para fazer a transferência de parte dos valores. O depoente preparou uma tabela, com data, conta de onde saiu e do destinatário dos valores, no montante total de US$ 3.984.297,05”, diz o documento.

Ricardo Pernambuco é taxativo: “em relação a estas transferências tem absoluta certeza que foram destinadas para Eduardo Cunha”, diz o delator. Há outras provas. A secretária de Pernambuco tentou, em 16 de agosto de 2011, agendar uma reunião com Cunha e enviou e-mail ao deputado, perguntado qual seria a pauta. Cunha foi curto e grosso: “Ele está a par. Só avisar q sou eu!”.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Fernando disse:

    Parabéns pra esse que se diz cristão.

  2. Comedor de Coxinhas disse:

    Foi esse corrupto q o PSDB/DEMO colocaram na presidência da Câmara pra derrubar Dilma.

  3. caio fabio disse:

    Esse é cara da Assembleia de Deuse

  4. ELTON disse:

    ALEM DE SER O MAIOR DEMAGOGO CARA DE PAU QUE JA PASSOU PELO PLANALTO

  5. ELTON disse:

    EDUARDO CUNHA ROUBOU E CONTINUA ROUBANDO, MAS MAIS DO QUE O LULA NÃO. O TAL LULA….O QUE TEM A CARA DE NORDESTINO BEBEDOR DE CACHAÇA, É O MAIOR LADRÃO DESSE PROCESSO TODO.

JOGO SUJO: Cunha trabalha para levar processo de cassação de volta à estaca zero

cunha2Depois de manobrar de modo a adiar sucessivas vezes a análise do processo que pode levar á sua cassação no Conselho de Ética, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), trabalha agora para que os trabalhos do colegiado voltem à estaca zero. Isso postergaria o desfecho do caso para o ano que vem, já que o Congresso entra em recesso no próximo dia 22. Depois da troca do relator do caso na semana passada, Cunha defende agora que os integrantes do conselho tenham o direito de pedir vista coletiva do texto que será apresentado pelo deputado Marcos Rogério (PDT-RO) – ele assumiu a relatoria após o afastamento de Fausto Pinato (PRB-SP).

Cunha pede ainda que seu advogado, Marcelo Nobre, possa se manifestar previamente sobre o relatório do pedetista. Já Rogério discorda. Para ele, um pedido de vista por parte da tropa de aliados do presidente da Câmara seria um precedente para que os deputados abrissem novamente a fase de discussão da representação. O processo parou antes de os deputados votarem o parecer de Pinato.

“Cercear o meu direito de defesa não é uma boa coisa. É só cumprir o regimento que as coisas andam no seu tempo devido, sem contestação ou obstáculos”, disse Cunha nesta segunda. “Sem dúvida cabe novo pedido de vista. Qualquer interpretação diferente disso é falta ao regimento. Obviamente que se foi feito um novo sorteio e houve troca de relator, o processo retornou ao estágio inicial. É natural que tenha relatório, abre para pedido de vista, a defesa terá de ser apresentada em função do novo relatório, e tem que conhecer [o texto antes] para poder apresentar a defesa. Mesmo que seja o mesmo relatório, isso faz parte do processo. Cabem outros argumentos a serem colocados porque daquele momento para cá outros argumentos surgiram em debates e discussões, e provavelmente a defesa vai querer trazê-los.”

“Não terei nenhuma atitude no sentido de acelerar o processo, mas também não vou procrastinar. Eu sei que vai haver esperneio”, rebateu Marcos Rogério. “No meu entendimento não cabe pedido de vista porque já ocorreu não só pedido de vista como a discussão da matéria. Nesse momento, um novo pedido de vista poderia ter outros desdobramentos, porque se pode pedir vista, pode discutir novamente também, em prejuízo ao processo. A matéria está madura para ser votada.”

Para evitar que a Conselho de Ética ignore todas as sete sessões conturbadas realizadas desde novembro sobre o processo contra Cunha, Marcos Rogério decidiu escrever um relatório preliminar sucinto. Cinco dias depois de ser oficializado como novo relator, ele vai ler nesta terça um parecer favorável à abertura do processo, mas sem detalhar a denúncia e as investigações contra o peemedebista em andamento no Supremo Tribunal Federal (STF). “O que há de mudança entre o meu voto e o do primeiro relator são os aspectos de fundamentação. Ele transcreve trechos da peça do Ministério Público com relação à existência ou não de conta no exterior​. Eu não estou colocando isso no meu relatório, porque para mim isso é peça de mérito e vai ser analisado em uma fase posterior. Nessa primeira fase estou enfrentando a admissibilidade: legitimidade de quem fez a representação, tipicidade da conduta, justa causa para investigar e legitimidade passiva. Estou admitindo a representação nesses termos.”

O novo relator também comparou o caso aos andamentos de processos na Justiça e argumentou que a Câmara já decidiu, neste ano, em questão de ordem semelhante, que não era compulsório conceder novo pedido do vista em casos de substituição na relatoria. Segundo ele, na questão de ordem número 26 de 2015, a cúpula da Câmara rejeitou abertura de prazo para vista em casos de término de legislatura. Na ocasião, Cunha respondeu ao deputado Felipe Maia (DEM-RN), autor da questão de ordem, que “quanto às matérias que já tiveram vista na comissão, caso haja novo relator e este mantiver o relatório, não caberá vista; também não caberia se ele apresentasse complementação, mas, por uma questão de bom senso e de acordo, cada comissão poderia até conceder; se ele proferir novo parecer, aí caberá vista”.

“Se invocar aspectos de matéria penal ou processual civil, há paralelos de que, quando não há prejuízo à defesa, não há nulidade. A defesa teve direito de participar do debate, os componentes do conselho tiveram oportunidade de debater a matéria, então não houve cerceamento de defesa. Teve todas as garantias, e o relator não está apresentando um novo relatório, não estou afirmando nada diferente do relator inicial. Meu voto como membro do conselho era pela admissibilidade e como relator também é. Os objetivos finais são os mesmos.”

“Em uma situação paralela, diz que quando houver mudança de legislatura e novo relator, se ele subscreveu o relatório anteriormente apresentado ou apresentar complementação de voto, não cabe vista. E veja que estamos tratando de nova legislatura, em que ha prejuízo para novos parlamentares. Se nessa situação não cabe vista, vai caber num processo da mesma legislatura, praticamente na mesma semana? Quais os fatos novos que justificariam um pedido de vista. Respeitar a ampla defesa é obrigação constitucional, mas a duração razoável do processo também é garantia constitucional.”

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Junior pinheiro disse:

    Esse cara é muito sujo, uma breve comparacao, qual a inteligencia dos nobres deputados de nosso pais… colocar presidentes como Severino Cavalcate e Eduardo Cunhao????? sebosos!!

  2. Luciano disse:

    Com apoio dos Tucanos e DEMOS! Onde andam os indignados com o PT?
    Hipócritas! !!!!!!!!!

Conselho de Ética vai votar projeto de afastamento de Cunha

eduardo_cunha_rezandoO comando do Conselho de Ética elaborou projeto que pede o afastamento cautelar do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), enquanto o processo contra sua cassação tramitar na Casa. A proposta será apresentada no conselho na reunião desta quinta e a disposição é tentar colocá-lo em votação na sessão. O presidente do conselho, José Eduardo Araújo (PSD-BA), afirmou que, se preciso, vai até o Papa para tentar afastar Cunha.

— Está difícil trabalhar nessa casa. Se precisar vamos recorrer ao Supremo para mostrar isso. Se precisar, vou recorrer ao Papa — disse Araújo.

O projeto é assinado pelo presidente e pelos dois vices: Fausto Pinato (PRB-SP) e Sandro Alex (PPS-PR).

O presidente também criticou a decisão do vice-presidente da Câmara, Waldir Maranhão (PRB-MA), que deu decisão que afastou Pinato da relatoria do caso de Cunha no conselho. Ele duvida que Maranhão tenha tomado essa decisão sozinho.

— Você acha que o vice tomaria essa medida sozinho?

Fonte: O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Maria de Jesus F.Marinho disse:

    Que paiiiiiiis é esse que a Justiça não age, afastando o presidente da câmara para não atrapalhar o andamento deste processo.

Fátima afirma que Cunha não tem legitimidade para acatar impeachment contra Dilma

FatimaA senadora Fátima Bezerra (PT) criticou o deputado Eduardo Cunha (PMDB) pelo fato dele ter aceitado o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). Para a Fátima, Cunha, mesmo presidente da Câmara dos deputados, não tem legitimidade moral de aceitar o processo.

Fátima lembrou que Cunha responde a um processo por quebra de decoro parlamentar por ter mentido na Comissão de Ética, o que pode fazer com que ele perca o mandato, e ainda a outros processos decorrentes da existência da fortunas milionárias em contas fora do Brasil que nunca foram declaradas e que só foram descobertas após investigações. “A este presidente falta legitimidade moral. Responde a processo no Conselho de Ética e a outros dois fora. O Brasil não pode ficar refém de um home que está soterrado com lama até o pescoço. Este homem, inimigo declarado do Governo, contribuiu para a crise do país. Infelizmente ainda está a frente da Presidência da câmara”, disse.

A parlamentar disse que a abertura foi uma vingança política contra o PT e a presidente Dilma Rousseff pelo fato fato do partido ter se posicionado favorável à continuidade do processo contra Cunha no Conselho de Ética. “Esse homem resolve, depois de quatro meses com esse pedido de impeachment, autorizar exatamente no dia em que meu partido toma a decisão coerente de não livrar a cara dele no Conselho de Ética”, completou.

Fátima também defendeu a celeridade do processo de impeachment. Nacionalmente, essa tem sido uma orientação nacional do partido no Congresso Nacional, já que a base, mesmo com algumas dissidências, garante o arquivamento do processo. A oposição quer colocar para o próximo ano, após o recesso, para inflamar o tema junto a opositores e alguns movimentos sociais.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Carvalho disse:

    Essa turma da esquerda fala muito e trabalha pouco.
    Quando é oposição, diz que está tudo errado.
    Quando é governo, faz tudo errado.

  2. Observador Jurídico disse:

    Desculpe, Senadora, mas suas palavras refletem um pensamento dotado de total ignorância jurídica.
    O impeachment não foi pedido por Cunha nem conduzido por ele. Ele apenas admitiu o pedido, função exclusiva de quem é Presidente da Câmara, enquanto assim o for, independente de suas qualificações morais, e encaminhou para quem deve decidir sobre o seu cabimento, que é a Câmara. No de Collor isso foi feito na mesma semana enquanto Cunha passou 3 meses para um ato tão simples, que sequer adentra no mérito da questão. Se valorizou., mas na verdade caberia a ele apenas dizer se o fato narrado (pedaladas e desrespeito à lei orçamentária) era ou não, em tese, caso de Impeachment, o que é inegável. Basta ler a Constituição. Se o fato ocorreu ou não quem decide é a Câmara. Se deve implicar na perda do mandato, quem decide é o Senado.
    Mas o discurso Dilma x Cunha, que a senadora repete, é uma criação artificial de Marketing, o que, em última análise, é uma forma de enganar, de ludibriar, de esconder o verdadeiro debate, independente da posição que sobre ele se adote, que é se a Presidente cometeu ou não crime de responsabilidade (fundamento jurídico do impeachment) e se, por isso, tem condições políticas de continuar governando (fundamento político).
    Lamento apenas o desvirtuamento proposital do debate público que, emoldurado pela grave crise vivida pelo país, merecia ser tratado com a máxima sinceridade e responsabilidade por todos os seus protagonistas. Como cidadão, gostaria de conhecer a fundo os fatos para poder adotar uma posição a respeito.

  3. João disse:

    Votei nela, e até agora não vi valer o voto… Senadora estudo medicina, e metade da turma
    Do primeiro período Unp irá desistir Pq não tem
    Condições de pagar a mensalidade… Entraram na faculdade esperando o FIES e até agora nada…. Uma causa boa para a senhora defender seria essa: o fies para estudantes que não possuem condições… Trabalhe pelo povo, deixe a defesa de Dilma que ela mesma saberá fazer, defenda o povo, que te elegeu!!!!!

    • Val Lima disse:

      Muito bom seu comentário João….

    • Brasil sem corruptos disse:

      Gostei. Correto. O Partido dos Trabalhadores Comissionados, entrou contra Itamar, Collor, Fernando Henrique e Sarney. Quer dizer somente esse partido é quem ditas as regras, ora vão se catar seus demagogos. Quem tem legitimidade então é Delcidio, Dirceu, Genuíno

  4. magno disse:

    A cada dia fico mas enojado com os pífios representantes do pt, tais personagens nada mas são do que meros abutres, fazendo uso dos seus bicos afiados e de suas garras muito treinadas, se deliciam de um pais jogado as moscas, essa senhora inlustre representante desta sigla partidária do mal que ajuda de forma direta a transferir o vírus epidêmico da corrupção que se estalou no QG de Brasília, para a terra papa gerimum.
    Enlouquecida pelo fato de fazer parte do poder e vendo negras nuvens se aproximando difere palavras ao vento, trazendo no seu já contaminado cérebro palavras venenosas as quais pobre vítimas já dispõe do antídoto contra tal peçonha, as urnas mostraram a está senhora e toda a corja por ela aplaudida que o Brasil têm um povio que merece respeito, daremos o troco vossa excelência aguarde que as tetas do governo vossa senhoria e toda a ralé petista jamais voltaram a mamar nela, aguarde.

  5. Val Lima disse:

    Mais uma vez a Senadora pisou na bola…..pense num arrependimento (eleitor)…prometo não repetir o erro…..

  6. Paulo disse:

    Isso entende muito de lei….risos

  7. Ptinha tudo agora PTinha nada disse:

    Agora vão beatificar a Dilma agora vai ser Santa Dilma de Calcuta

  8. joel Avelino de lima disse:

    Qual a legitimidade que a cambada do PT tem senadora a senhora é muito cara de pau.

  9. caio fabio disse:

    Cala a boca Magda. Quem requereu foi o jurista Hélio Bicudo um dos fundadores do PT, que está injuriado como milhões de brasileiros pelo mar de lama que se transformou esse partido.

Quando começa o caos? Atenção: já começou!

DF - CUNHA/JORNALISTAS - POLÍTICA - O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), concede entrevista aos jornalistas setoristas da Câmara fazendo um balanço do primeiro semestre do ano, em uma café da manhã oferecido no anexo IV na Câmara dos Deputados, em Brasília. 16/07/2015 - Foto: ANDRÉ DUSEK/ESTADÃO CONTEÚDO
Foto: André Dusek / Estadão Conteúdo

 

Do Josias de Souza: Abandonado pelo PT, Eduardo Cunha detonou o processo de impeachment contra Dilma Rousseff. Fez isso num instante em que a Lava Jato exibe as entranhas da República, o PIB aponta para um derretimento de mais de 3% em 2015, a inflação roça os dois dígitos, o desemprego bate em 8% e o Planalto celebra como vitória a aprovação no Congresso de uma proposta que o autoriza a fechar as contas do ano com um rombo de R$ 119,9 bilhões no lugar do prometido superávit de R$ 55,3 bilhões. Muita gente se pergunta: quando começa o caos? A má notícia é que o caos já começou. A boa notícia é que, diante da tragédia a pino, o país tem a oportunidade de se reinventar. Caos não falta.

Dilma não precisou da oposição para chegar ao caos. Desfrutou do privilégio de escolher o seu próprio caminho para o inferno. A presidente costuma dizer: “Ninguém vai tirar a legitimidade que o voto me deu”. Engano. Há na praça uma pessoa que parece decidida a transformar em problema aquela que havia sido eleita como solução dos 54 milhões de brasileiros que lhe deram o voto em 2014. Chama-se Dilma Rousseff a responsável pelos atentados cometidos contra a legitimidade de Dilma Rousseff, hoje um outro nome para o erro.

Depois de liberar seus operadores políticos para providenciar os votos que salvariam o mandato de Eduardo Cunha no Conselho de Ética da Câmara, Dilma foi desautorizada pelo seu próprio partido. O PT concluiu que o resgate cobrado por Cunha para engavetar o impeachment era caro demais até para um partido que se tornou amoral. Diante do fato consumado, Dilma faz pose de valente. Nas suas primeiras reações, ela disse que jamais cedeu a chantagens. Fez uma aparição em público enrolada na bandeira da legalidade. Sustenta que não há razões para o impeachment. Em privado, auxiliares da presidente ruminam o receio de que a deterioração da economia devolve os brasileiros às ruas. Reconhecem que o governo bateu nas fronteiras do imponderável.

Eduardo Cunha vinha dizendo aos aliados que não cairia sozinho. Ambicioso, ele quer levar junto ninguém menos que a presidente da República. E o petismo não pode nem reclamar. Foi sob Lula que Cunha plantou bananeira dentro dos cofres da Petrobras.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Antônio José disse:

    A Presidente Dilma errou quando não buscou trabalhar em conjunto com o Povo e se sustentou em propostas que levaram ao arrocho econômico. Contudo, as causas desse pedido são golpistas e oportunistas. Tem implantar o imposto sobre grandes fortunas e não tirar direito do povo trabalhador.

  2. Rodrigo disse:

    O pecado da Dilma Rousseff foi ela não ter sido ela mesmo a guerrilheira. Tornou se marionete nas mãos do Lula e do pt. Agora aguente. O povo brasileiro não cometeu nenhum crime e também não tem conta no exterior. Mas apanha todos os dias por ter acreditado nas mentiras da Dilma.

Dilma afirma que pedido de impeachment é inconsistente: “Não existe ato ilícito”

Foto: Wilson Dias / Agência Brasil
Foto: Wilson Dias / Agência Brasil

Em pronunciamento, a presidente DIlma Rousseff disse que recebeu com indignação a decisão do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), de acatar o pedido de impeachment contra ela. Em referência indireta ao peemedebista, ela afirmou que não tem conta no exterior, que não pesam contra ela denúncias de práticas de atos ilícitos nem de desvio de dinheiro público. Com uma cara bastante séria, Dilma prosseguiu, dizendo que nunca coagiu pessoas nem instituições em busca de satisfazer seus interesses pessoais. Segundo ela, são inconsistentes e improcedentes as razões que embasaram o pedido de impeachment.

Dilma também negou que tenha barganhado votos no Conselho de Ética da Câmara para evitar a abertura de processo de perda de mandato contra Cunha. Ela aproveitou ainda para registrar que o Congresso aprovou na tarde de hoje a nova meta fiscal, permitindo que o governo volte a ter condições de prestar todos os serviços à população.

— Recebi com indignação a decisão do presidente da Câmara de processar pedido de impeachment contra mandato democraticamente conferido a mim pelo povo brasileiro. São inconsistentes e improcedentes as razões que fundamentam esse pedido. Não existe nenhum ato ilícito praticado por mim. Não paira sobre mim nenhuma suspeita de desvio de dinheiro público. Não possuo contas no exterior. Nunca coagi ou tentei coagir instituições ou pessoas na busca de satisfazer meu interesse. Meu passado e meu presente atestam minha idoneidade e meu inquestionável compromisso com as leis e a coisa coisa pública — discursou Dilma ao lado de 11 ministros.

— Nós últimos tempos,em especial nos últimos dias, a imprensa noticiou que haveria interesse na barganha dos votos de membros da base governista no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados. Em troca haveria o arquivamento dos pedidos de impeachment. Eu jamais aceitaria ou concordaria com quaisquer tipos de barganha, muito menos aquelas que atentam contra o livre funcionamento das instituições democráticas do meu país, bloqueiam a justiça, ou ofendam os princípios morais ou éticos que devem governar a vida pública. Tenho convicção e absoluta tranquilidade quanto à improcedência desse pedido, bem como quanto ao seu justo arquivamento. Não podemos deixar as conveniências e os interesses indefensáveis abalarem a democracia e a estabilidade de nosso país. Devemos ter tranquilidade e confiar nas nossas instituições e no estado democrático de direito. Obrigado a todos vocês e muito boa noite.

A presidente esteve acompanhada, no Salão Leste do Palácio do Planalto, dos ministros Jaques Wagner (Casa Civil), Ricardo Berzoine (Secretaria de Governo), José Eduardo Cardozo (Justiça), GIlberto Occhi (Integração), Celo Pansera (Ciência e Tecnologia), Aldo Rebelo (Defesa), Henrique Eduardo Alves (Turismo), Armando Monteiro (Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior),Gilberto Kassab (Cidades), Luís Inácio Adams (AGU) e André Figueiredo (Comunicações).

Ao longo dos quatro minutos que duraram seu discurso, os ministros permaneceram enfileirados ao lado direito de Dilma, em manifestação de apoio.

O Palácio do Planalto foi tomado de surpresa com a decisão de Cunha de abrir o processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff hoje. No começo da tarde, logo após o anúncio dos deputados petistas de que votariam contra Cunha no Conselho de Ética, o governo reagiu imediatamente temendo que algo grave pudesse acontecer, vislumbrando a discussão do impeachment nas próximas semanas. No entanto, ao longo da tarde e com o ambiente parecendo calmo, o Planalto resolveu que aguardaria os desdobramentos da reunião do conselho, na semana que vem. Mesmo com a preocupação no ar, ninguém imaginava que Cunha desse andamento ainda hoje ao pedido de afastamento.

Imediatamente após o anúncio de Cunha de que aceitaria o pedido de impeachment, o ministro Jaques Wagner (Casa Civil) desceu para o gabinete de Dilma para discutir o assunto. Em seguida chegou o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo.

Auxiliares da presidente afirmaram que o momento é de cautela e que não cabia até então ao governo se antecipar ao debate sobre o impeachment. Até minutos antes do anúncio de Cunha, o Planalto avaliava que se ele tomasse essa decisão, ficaria evidente que estava se vingando do PT e do Executivo. Surpreendidos, os governistas se reunirão para decidir qual será a reação a Cunha.

O núcleo político do governo vinha operando fortemente para que os três deputados petistas no Conselho de Ética aliviassem a situação de Cunha a fim de evitar que ele aja contra a petista. A operação, no entanto, vinha causando constrangimento na maioria da bancada do PT, que não concordava com a ajuda ao peemedebista.

— Berzoini, Jaques e Rossetto, que têm proximidade com muitos de nós na bancada sabiam da nossa posição e da nossa dificuldade, mas agiram de forma contraditória, numa posição de governo que não era boa para ninguém — disse um parlamentar petista citando os ministros do PT da Secretaria de Governo, da Casa Civil e do Trabalho, respectivamente.

A decisão tomada pela bancada, com o suporte do PT a partir da nota do presidente Rui Falcão, expôs a rebeldia dos deputados com a pressão do governo.

— Criou-se uma situação muito constrangedora. Não podemos igualar Dilma a Cunha — disse o deputado Vicentinho (PT-SP).

Fonte: O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. octavio lamartine disse:

    Essa senhora devia ser ir para ser colocada no Vaticano , para ser uma santa.
    O país enfiado em uma crise , nunca vista na sua história, e essa santa não fez nada , é inocente.
    Esse povo do PT já passou de todos os limites .
    Estar na hora , agora , do povo ir às ruas , ordeiramente e pedir para acelerar essa votação URGENTE , para tirar essa mulher e sua cambada , inclusive aquele barbudo , para tentarmos ver se o país volta a andar.

  2. Moreira disse:

    Tchau Dilma !!!

  3. Junior pinheiro disse:

    Por outro lado a Dilma e o PT nao sao burros nao! sao a mulesta!!!!!

  4. Junior pinheiro disse:

    Esse Cunha é realmente um Cunhao seboso, e ainda posa de crente….de bonzinho, nada fez pelo país! !!!!vai entrar pra historia como alguem que só jogou contra o povo Brasileiro!!!!!

  5. Elves Alves disse:

    Dilma não apenas é presidente, como foi reeleita.
    Parabéns aos envolvidos.
    Viva a surrealismo eleitoral brasileiro.

  6. Greg disse:

    Não é meu sentimento ou vontade! Durante todo esse período não vi nenhuma proposta da oposição para desenvolvimento ou para contornar a crise econômica no Brasil. Ficou claro que a nossa crise é também econômica, mas acima de tudo, uma crise pelo poder! Os partidos brigam e brincam com o poder como adolecentes em um jogo de video-game, como se fossem os donos do país e todo o resto fosse obrigado à obedecer suas decisões. A briga é pelo poder, não por melhoria alguma! #ForaCunha e todo o conluio corrupto!

  7. Coelho disse:

    Que anta. O impeachment é processo político que, em qualquer pais sério, já teria sido deflagrado antes e por muito menos. Não há que se falar em curvar-se. Esse besta retardou um processo que, há muito, deveria ter ganhado fim. Outrossim, como Deus escreve sempre certo, creio que melhor momento não existia. Todas as vísceras estão expostas. E não se diga que foi a imprensa que criou fatos, há pois, tudo está ganhando mais repercussão lá fora que aqui dentro. Estamos cegos de informações amplas.

  8. Weslem disse:

    Vai te bora diaba e leva os petralhas junto com vc , já vai tarde , roubaram não só o Brasil roubaram a esperança de um povo, fizeram tudo ao contrário que pregavam , nunca mais vão assumir nada, e esses úteis que estão aí são todos corruptos PMDB PSDB DEM E ESSES COMUNISTAS, vai embora e não olhem para trás, porque daqui para frente vai levar chumbo grosso na cara.

  9. Luciano disse:

    Parabéns Dilma!
    Parabéns PT!
    Quem se curvou pra esse crápula corrupto foi a oposição encabeçada pelo PSDB/DEM.