EMBAIXADA BRASIL-EUA: Parecer de Advocacia do Senado não vê nepotismo no caso de Eduardo Bolsonaro

Foto: Reprodução/Instagram

A Advocacia do Senado Federal deu parecer favorável, na terça-feira (3), à indicação do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL), filho do presidente Jair Bolsonaro, para o cargo de embaixador do Brasil nos Estados Unidos.

A consulta ao órgão foi feita pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM), para verificar a aplicabilidade da Súmula Vinculante nº 13 do STF (Supremo Tribunal Federal) à nomeação de chefe de missão diplomática permanente.

A decisão do tribunal trata sobre “a nomeação de cônjuge, companheiro ou parente em linha reta, colateral ou por afinidade, até o terceiro grau, inclusive da autoridade nomeante ou de servidor da mesma pessoa jurídica investido em cargo de direção, chefia ou assessoramento, para o exercício de cargo em comissão ou de confiança ou, ainda, de função gratificada na administração pública direta e indireta em qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, compreendido o ajuste mediante designações recíprocas, viola a Constituição Federal’.

O parecer, publicado pelo órgão, considerou que a indicação de Eduardo não configura nepotismo e que não desrespeita a súmula.

R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rogério Rocha disse:

    Nem os maiores ditadores tiveram tamanha coragem…

  2. Bozó disse:

    Pra se dar bem na vida tem que saber fritar hamburger …. e tome peia…

  3. Delano disse:

    Só não é nepotismo, mandar Flávio bolsonaro pra papuda. Ele merece, sem sombra de dúvidas.

Site “The Intercept” publica que Deltan Dallagnol teria cogitado se candidatar ao Senado e não descartaria 2022

O procurador Deltan Dallagnol considerou durante mais de um ano se candidatar ao Senado nas eleições de 2018, dizem mensagens trocadas via Telegram e entregues ao Intercept por uma fonte anônima. Num chat consigo mesmo, que funcionava como espaço de reflexão do procurador, ele chegou a se considerar “provavelmente eleito”. Também avaliou que a mudança que desejava implantar no país dependeria de “o MPF lançar um candidato por Estado” — uma evidente atuação partidária do Ministério Público Federal, proibida pela Constituição.

Confira matéria completa no portal Justiça Potiguar clicando aqui.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rivanaldo disse:

    Me assusta o nível da loucura deste Dallagnol. Um cara que fala sozinho em chat. Um sujeito que discute seu futuro na terceira pessoa.
    Mas o mais assustador é que um bando de jornalistas carreiristas e canalhas deu visibilidade e voz pra este sociopata.

    • David disse:

      É o que ômi. Vc acha que pra desbaratar essa enorme quadrilha, a PF, o MP e um juizeco conseguem fazer alguma coisa? Amigo essa quadrilha é uma rede bem montada, onde vários membros dela estão n STF, sabe pra que? É pra travar, dificultar, anular a ação dos homens de bem, que tentarem atingir esses bandidos. Só esses gênios da lava jato conseguiram parar as ações nefasta desses CANALHAS ladrões… Pra Isso tiveram que arregimentar a mídia, alguns políticos, dobrar parte podre do stf, acontece que com o tempo, e o avanço da operação, começa atingir todos os bandidos, nisso, eles, os bandidos, ensaiam uma reação, e é isso que estamos vendo, são aliados dos bandidos na mídia, nas redes sociais, nos tribunais, todos querendo extinguir a operação mais eficiente e favorável ao povo e a nação de toda a história desse país. São roubos de trilhões de reais desvendados, poderosos presos, bilhões recuperados. Você acha algo mais maravilhoso que isso? Viva a lava jato e MORO 2022

  2. Vitor Silva disse:

    O mais assustador é o tom de megalomania e a certeza do tom político dado por Deltan a lava jato (eu sou a favor da operação). Subiu tanta a cabeça que ele mandava as mensagens para si próprio num devaneio sem tamanho. Detalhe: A CF proíbe que membros do poder judiciário, incluindo do Ministério Público Federal, se filiem a partidos políticos e disputam eleições.

  3. Ivan disse:

    Seria um baita senador!!!! Bora Deltan!!!!!!!

  4. Peconhento disse:

    Pronto mais um crime cometido por Dallagnol, falou em ser candidato aaiiimmmmmm!!!!
    Como é mesmo o resultado da pesquisa dessa semana, fabricada nos porões da esquerda e divulgada pelo datafolha que dá vitória ao derrotado Haddad???
    Não tem nada mesmo patético e improdutivo para ficar gastando o tempo???
    Qual a razão desse terroristas do intercePT não estão presos??? Lembrei, vocês mebram??? Gilmar Impunidade Mendes deu um HC preventivo a eles. Isso sim é fazer justiça!!!

  5. fabio soares lins disse:

    ja tem meu voto e apoio

VÍDEO: Após quebrar vidraça no Senado e oferecer resistência, homem é neutralizado com arma de choque

A Polícia Legislativa do Senado prendeu na tarde desta quinta-feira(29) um homem que quebrou uma das portas de vidro da chapelaria da Casa e tentou agredir um policial, e ofereceu resistência. Conforme vídeo acima, homem foi neutralizado por arma de choque.

Vídeo: Instagram Joice Hasselman. Acesse aqui.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Beto Araújo disse:

    Tem que explicar a ele que o alvo não pode ser o policial

FOTO: Vândalo é preso após quebrar porta de vidro do Senado

Foto: Igor Gadelha/Crusoé

A Polícia Legislativa do Senado prendeu agora à tarde um homem que quebrou uma das portas de vidro da chapelaria da Casa e tentou agredir um policial, conta Igor Gadelha na Crusoé.

Joice Hasselmann estava no local no momento do incidente, mas não foi atingida.

Vândalo é preso depois de danificar uma das entradas do Senado

O Antagonista

Presidentes da Câmara, do Senado e ministro do STJ também foram alvos dos hackers

Davi Alcolumbre e Rodrigo Maia | Jorge William \ O Globo

Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre estão entre as autoridades que foram alvos dos hackers presos anteontem em São Paulo.

Sergio Moro já avisou a Maia e está ligando de um por um.

Também foram detectadas investidas no Judiciário, como ao ministro do STJ João Otávio de Noronha.

Lauro Jardim – O Globo

Moro nega no Senado conluio com MP durante Lava Jato

Foto: Agência Senado

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, negou nesta quarta-feira, 19, que tenha havido conluio ou convergência com investigadores enquanto era juiz da Lava Jato. O ministro deu a declaração no início da audiência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado para esclarecer supostas mensagens trocadas entre ele e procuradores da operação

Para se defender da acusação de que houve conluio, Moro apresentou dados sobre as ações e sentenças da Lava Jato. Por exemplo, citou que houve 45 sentenças judiciais e que o Ministério Público recorreu de 44, além de que 91 dos 298 pedidos de prisão foram indeferidos. “Se falou muito em conluio. Os dados são um indicativo de que não há convergência absoluta entre ministério Público e juízo ou entre polícia e juízo”.

Moro começou sua fala inicial declarando que não tem “nada a esconder”. “A ideia é esclarecer muito em torno do sensacionalismo criado em cima dessas notícias”, afirmou.

Estadão

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Manoel disse:

    Os petralhas além de serem bandidos são burros armação tão fraca e barata se existe algum bandido e mentiroso tá preso chama se Lula, vcs vão ter que engolir por 8 anos é melhor jairseacostumando.

  2. NOJO DE BOSTA disse:

    Cadeia para esse BANDIDO e seus apoiadores tenham vergonha na cara, um JUIZECO de merda que manipula seus interesses e odios pessoais, se deu bem e fez valer o AMIGO e meu amigo, vamos todos ficar bem….tenham vegonha, defender esse BANDIDO

    • João disse:

      Que tal discutir o que está nos autos?

    • TT Maria. disse:

      Sera que esse nojo é do Psol ou PT.
      Vc quer comparar Jesus com Zé buchudo é??
      A onde ta a perícia desses áudios??
      Vai de vagar, se não vc vai fazer compahia a o dono desse site brevemente.
      Lula tá preso babaca.

  3. BozoAsno disse:

    Pq os apoiadores do sequestro do LULA ficam babando de raiva quando perguntamos sobre o Queiroz e o turbinamento da fortuna Bozoasno! Algum pitbull armado com cérebro de laranja pode responder.

    • João disse:

      Batatinha quando nasce,
      Espalha rama pelo chão.
      Meu Presidente anda de moto,
      O seu de camburão.

    • João disse:

      Quem é Bozoasno? É alguém que vivia voando de cima pra baixo em avião de empreiteiro favorecido por dinheiro de pobre?

    • Zé Maria. disse:

      O quê o presidente Jair Messias Bolsonaro tem haver com Queiroz ??
      Tem algum processo tramitanto contra o MITO??
      Heim, heim??
      Lula tá preso babaca.

  4. AntiBozo disse:

    Quem não deve não teme! Entregue o seu celular e dos membros do MPF. Mas, estou achando estranho a recusa! Será que o senhor conhece até demais os procedimentos da PF ou os responsáveis pela investigação dos celulares não são de confiança. No mínimo esquisito. Daí saberemos se bate. Pois, o site que mostra as conversas…até agora não confirmou se foi hacker. Quem apoia essa linha pode dar um tiro no pé. Não é senhora GLOBO e outros!? Cuidado…muito cuidado. A guilhotina do povo está sendo afiada!

    • Lino disse:

      Já foi entregue meu anjo. Vc tá muito atrazado, tá pensando que MORO é do PT é?? Va se atualizar, peça pro BG botar de novo a matéria.

  5. Osvaldo disse:

    Quem não tem o que temer, vai se submeter às perguntas acusatórias das raposas do congresso, figuras que trabalham pela impunidade e defendem a corrupção.
    Em passado recente isso não acontecia, estariam os membros do governo blindado por seus pares que hoje são investigados.
    Correram para chamar o ministro para responder por suas falas terem sido levadas a público cuja fonte é ilegal, sem credibilidade e pior, numa grosseira falsificação com a montagem dos diálogos foram de ordem e sem contexto. Sequer os diálogos possuem uma ordem cronológica, possuem datas e horas distantes numa mesma conversa ou com ordem de horário invertida. Coisa de bandido ou melhor, terrorista uma vez que ataca membro da República.
    A turma do mimimi, Moro não se disse inocente, não precisa, apenas demonstra a farsa que está sendo submetido e os apoiadores do quanto pior, melhor vibram a cada mentira divulgada pelo hacker.
    Estão aplaudindo um hacker que comete vários crimes e querem condenar um juiz que fez justiça. A democracia venezuelana está de portas abertas para receber os inconformados

  6. José disse:

    Todo culpado se diz inocente!

  7. André Fortes disse:

    Qualquer pessoa que já teve um processo na justiça sabe o pavor que causa o juiz cochichando no ouvido da parte contrária!

    • joaozinho disse:

      Quem nao deve, nao teme.

    • # Lula na cadeia sempre disse:

      Chora não bebe , arrume outro ladrao preferido, o seu verme Lula irá apodrecer na Cadeia

    • Amo os Minions disse:

      Vamos ver até quando ele sustenta a versão. Sabem do Queiroz!?

Por crescimento, Bolsonaro prepara ‘pacto de entendimento e metas’ com Câmara, Senado e Supremo

O presidente Jair Bolsonaro ao receber os convidados para um café da manhã no Palácio da Alvorada Foto: Marcos Corrêa/PR

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni , afirmou nesta terça-feira que será assinado um “pacto de entendimento e metas” entre os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário para projetos prioritários e a retomada do crescimento do país. O documento deverá ser formalizado em um ato no Palácio do Planalto no início de junho. A minuta do texto foi apresentada hoje em um café da manhã no Palácio da Alvorada com presidente Jair Bolsonaro e os presidentes do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli , da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

— O Brasil precisa, nós temos reafirmado isso, ter harmonia e entendimento entre todos os Poderes de representação da sociedade brasileira. Da reunião de hoje se consolida a ideia de que se formalize um pacto de entendimento e algumas metas de interesse da sociedade brasileira a favor da retomada do crescimento — disse o chefe da Casa Civil, que participou do encontro juntamente com os ministros da Economia, Paulo Guedes, e do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno.

Previdência em destaque

A ideia inicial do texto foi apresentada pelo presidente do STF, Dias Toffoli, em outubro do ano passado. Segundo Onyx, a Casa Civil ficou responsável por fazer uma síntese do pacto e discuti-la com os presidentes da República, da Câmara e do Senado. A reforma da Previdência é uma das metas do acordo.

– Estão todos preocupados e todos querem construir um caminho onde o Brasil, como a gente sempre diz, possa passar o portal do equilíbrio fiscal e aí ir para o caminho da prosperidade que é o que todos nós desejamos. O esforço de todos é no sentido de ver o Brasil daqui a um ano por exemplo ser visto pelo mundo todo como um pais que cresce, se desenvolve, gera emprego e melhor condição de vida para a nossa população – disse.

Após os atos pró-governo, Bolsonaro, por meio do porta-voz da Presidência, Otávio do Rêgo Barros, defendeu que “a voz das ruas não pode ser ignorada” e que é preciso um pacto entre os Poderes para o país avançar. No domingo, foram defendidas pautas nas ruas como a reforma da Previdência e o pacote anticrime do ministro Sergio Moro (Justiça), mas também houve críticas a parlamentares do centrão e ao presidente da Câmara.

– É hora de retribuirmos este sentimento. O que devemos fazer agora é um pacto pelo Brasil. Estamos todos no mesmo barco e juntos podemos mudar o país – disse o presidente, em mensagem lida pelo porta-voz.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Joaquim disse:

    O povo vai pagar o pato.

  2. Carlos disse:

    Quem vai pagar como sempre é a classe trabalhadora que paga impostos e não tem como burlar as regras. Essa cambada de FDP não larga o filet e vai continuar a gastar encima dos mais humildes. E a população não faz nada. Brincadeira…..

PSL vai tentar devolver Coaf para Moro no Senado mirando votação apertada que foi na Câmara e pressão popular

O senador Major Olímpio (PSL) — Foto: Fernanda Calgaro/G1

Apesar do risco de a medida provisória 870 caducar se não for votada até o dia 3 de junho, a bancada do PSL no Senado vai tentar devolver o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) para o Ministério da Justiça, comandado por Sergio Moro.

“Vamos apresentar um destaque para manter com o Ministério da Justiça o Coaf, órgão importante no combate à corrupção”, disse ao blog o líder do PSL no Senado, Major Olímpio.

Segundo ele, o resultado da votação na Câmara já mostrou que os parlamentares começaram a mudar suas posições em relação ao tema nos últimos dias.

“E vai mudar mais ainda, principalmente com as redes sociais divulgando os nomes dos deputados que votaram para tirar o Coaf do ministro Sergio Moro”, afirmou o senador do PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro.

O senador Major Olímpio destacou que a votação na Câmara foi mais apertada do que imaginavam os partidos do Centrão.

“Eles achavam que iriam ganhar com folga, e a diferença foi de apenas 18 votos. Se aprovarmos aqui no Senado a volta do Coaf para a Justiça, uma segunda votação na Câmara pode ter um outro resultado por causa da repercussão nas redes sociais”, destacou o líder do PSL.

Caso os senadores aprovem mudanças no texto que passou pela Câmara, ele terá de ser submetido a nova votação naquela Casa. Questionado se não temia que isso poderia gerar o risco de a MP caducar, porque ela vence no dia 3 de junho, o senador disse não acreditar nisso.

“Faz parte do processo de funcionamento do Legislativo. O Senado não pode ser apenas um carimbador do que a Câmara decide. É natural que possamos fazer mudanças e, aí, os deputados vão analisar se mantêm a decisão deles ou acompanham a nossa”, acrescentou Major Olímpio.

O senador disse que vai recolher assinaturas para seu destaque, nominalmente, para que seja apresentado na votação da MP 870, que reestrutura a Esplanada dos Ministérios, prevista para ocorrer na próxima terça-feira (28).

Valdo Cruz – G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Anti-Comunista disse:

    COMO É QUE BANDIDO DITA AS REGRAS NO BRASIL ?

Senado aprova fim de carência de planos de saúde para casos de urgência e emergência

Foto: Arquivo/Agência Brasil

Casos de urgência e emergência de beneficiários de planos de saúde podem ficar fora dos prazos de carência. A mudança está prevista no Projeto de Lei do Senado (PLS) 502/2017, aprovado na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) nesta quarta-feira (15). A iniciativa, da senadora Rose de Freitas (Pode-ES), também reduz para 120 dias o período de carência nas internações hospitalares.

Hoje a legislação define prazo de carência de 24 horas, para atendimentos de urgência e emergência; 300 dias, para parto; e 180 dias, para cirurgias. Apesar dos argumentos das operadoras de que a fixação de períodos de carência proteja as operadoras contra eventuais abusos e fraudes do consumidor, Rose argumenta que essa regra não pode inviabilizar o atendimento de saúde em circunstâncias excepcionais e imprevisíveis, que exijam solução imediata.

O relator, senador Mecias de Jesus (PRB-RR), considerou injustificável o plano de saúde não cobrir um problema de saúde que surja nas primeiras 24 horas do contrato e exija pronta intervenção médica.

“Retirar esse direito do usuário consumidor seria colocar em risco sua vida ou incolumidade física. Evidentemente, não se trata de permitir fraudes ao plano de saúde, que, no momento da contratação, poderá verificar se o potencial consumidor está em situação de urgência ou emergência previamente constituída”, explicou.

Como foi aprovado em caráter terminativo, caso não haja recurso da decisão da CAS, o projeto seguirá direto para a Câmara dos Deputados.

Agência Brasil

 

Senado cobra descaso do governo com os pequenos agricultores

Foto: Divulgação

A senadora Zenaide Maia participou nessa quarta-feira (8), das discussões em defesa dos trabalhadores da agricultura familiar, na audiência pública que contou com as presenças de representantes do INCRA, MAPA, CONTAG, TCU e CONAFER.

A questão central colocada pelos Senadores foi os procedimentos de emissão da Declaração de Aptidão ao PRONAF, como instrumento de identificação e de qualificação dos agricultores familiares com suas formas associativas, para que tenham acesso aos programas e às políticas do governo para o setor.

Projeto sobre pagamento de despesas por detento é enviado ao Senado

Imagem de Arquivo/Agência Brasil

O plenário do Senado enviará à Comissão de Direitos Humanos da Casa projeto de lei (PL) que obriga o preso a ressarcir o Estado das despesas com sua permanência no sistema carcerário. O PL foi apresentado em 2015, pelo então senador Waldemir Moka, e passou pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) antes de chegar ao plenário. O projeto deverá ficar por 15 dias na comissão para debates antes de voltar ao plenário, para votação.

A votação do texto estava previsto para essa terça-feira (23), mas o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), acolheu o requerimento do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) para que o tema seja discutido com mais profundidade. Alcolumbre colocou o requerimento de Randolfe em votação e este foi aprovado simbolicamente (sem votação nominal, registrada em painel). Outros senadores apoiaram Randolfe e pediram um debate mais profundo sobre o tema.

“Temos que voltar esse assunto para a Comissão de Direitos Humanos, debater com profundidade. É fácil imputar responsabilidade com quem, muitas vezes, o Estado não teve nenhuma para [responsabilidade] com ele”, disse Rose de Freitas (Pode-ES). “Sabemos que há, além da sanção jurídica, a sanção social. Dificilmente, a pessoa arranja emprego [após deixar a prisão]. Quem vai ser condenado com isso vai ser toda a família. Vamos encaminhar para a Comissão de Direitos Humanos”, acrescentou Fabiano Contarato (Rede-ES).

Até mesmo os senadores favoráveis ao projeto, como Major Olímpio (SP) e Soraia Thronicke (MS), ambos do PSL, concordaram com o encaminhamento da matéria à CDH. “A matéria é importantíssima, fundamental para a aplicação da justiça”, disse Olímpio. O senador chegou a pedir a apreciação também da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), mas a demanda não foi à frente.

Soraia lembrou que o projeto é direcionado aos condenados por corrupção e lavagem de dinheiro, dentre outros crimes financeiros. “O projeto diz que os que têm condições financeiras devem ressarcir o Estado pelos gastos com sua manutenção. Os que não têm é outra história”, disse a senadora. Ela chegou a pedir a relatoria do projeto na CDH.

O texto original afirma que, no caso de condenados sem condições econômicas, o ressarcimento ao Estado não deve prejudicar a indenização dos danos provocados pelo crime, desde que determinados judicialmente; a assistência à família e pequenas despesas pessoais. “Entretanto, aquele que reúne condições econômicas, como, por exemplo, os condenados por corrupção, lavagem de dinheiro ou crimes financeiros, deve promover o ressarcimento ao Estado […]”, diz o texto do PL.

Agência Brasil

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ivan disse:

    Os partidos de esquerda serão contra!!!!

Senado aprova pedido de investigação de preços das passagens aéreas no RN

A Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, aprovou, nesta terça-feira, 26, requerimento solicitando ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) a abertura de inquérito administrativo para apurar abusos nos preços cobrados por companhias aéreas no Rio Grande do Norte. A proposta foi apresentada pelo senador Jean Paul Prates.

Jean Paul destacou que as passagens chegam a custar o dobro do preço, quando comparadas com as tarifas cobradas pelos estados do Ceará e de Pernambuco, que são vizinhos.  “Não conseguimos respostas para entender a composição desses preços no Rio Grande do Norte”, criticou o senador.

Com informações do Grande Ponto

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Jão disse:

    Aeroporto faraônico, subsídios no querosene, e a população ganha as passagens mais caras do país. É de cair o esfíncter da bunda.

“FAXINA”: Davi Alcolumbre demite 149 funcionários do Senado ligados ao MDB

Foto: Jorge William/O Globo

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), começou uma “limpeza geral” nos cargos relacionados à Presidência da Casa. Por meio do Diário Oficial da União desta terça-feira, determinou a exoneração de 149 funcionários comissionados que estavam ocupando postos importantes em áreas como a Diretoria-Geral, a Secretaria-Geral e o Instituto Legislativo Brasileiro (ILB), entre outros.

As demissões fazem parte de uma “faxina” que Alcolumbre vinha estudando, desde que assumiu o cargo, para retirar de postos estratégicos pessoas ligadas aos presidentes anteriores, como Eunício Oliveira (MDB-CE), Renan Calheiros (MDB-AL) e José Sarney (MDB-AP), todos do MDB.

Foram exonerados nomes em sete áreas diferentes do Senado: 78 na Diretoria-Geral, 29 na Secretaria-Geral, 18 na Presidência do Senado, 17 no Instituto Legislativo Brasileiro (ILB), três na Comissão Diretora, dois na Comissão Mista do Congresso Nacional de Assuntos Relacionados à Comunidade dos Países de Língua Portuguesa e outros dois na Comissão Mista Permanente de Regulamentação e Consolidação da Legislação Federal.

A reportagem do Valor apurou que esta é uma primeira lista de demitidos. Outros devem ser demitidos nos próximos dias, já que a lista concentra apenas funcionários do segundo escalão e ainda não contempla diretores e secretários. Não constam entre os exonerados, por exemplo, dois cargos considerados estratégicos: o de secretário-geral da Mesa Diretora, sob o comando de Luiz Fernando Bandeira de Mello, e o da Diretoria-Geral do Senado, ocupada Ilana Trombka. Nos bastidores, o que se fala é que ambos devem ser demitidos até a Semana Santa, que começa em 14 de abril.

Tanto Bandeira quanto Ilana são ligados ao ex-presidente e senador Renan Calheiros, que foi presidente do Senado por quatro mandatos. Há algumas semanas, Davi também demitiu o diretor da Polícia Legislativa, Pedro Ricardo Araújo Carvalho, que ocupava o cargo havia 14 anos. Ele chegou por indicação de Renan e acabou sendo preso em 2016 por suspeita de prestar serviço de contrainteligência para ajudar senadores investigados na Operação Lava Jato. O diretor sempre negou as acusações.

Valor

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. paulo disse:

    BG
    Tem que tirar essa corriola toda.

Pedido de CPI sobre rompimento de barragem de Brumadinho é protocolado no Senado

Divulgação/Corpo de Bombeiros

O pedido de criação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar as causas do rompimento da barragem em Brumadinho (MG) foi protocolado nesta quinta-feira (7) na Mesa do Senado.

O requerimento, entregue pelos senadores do PSD Otto Alencar (BA) e Carlos Viana (MG), tem 44 assinaturas, 17 a mais que o mínimo exigido. Segundo o senador Carlos Viana, inicialmente a comissão não tem caráter punitivo, mas sim voltado para a proposição de uma legislação mais moderna.

Viana, que pretende ser o relator da comissão, lembrou a criação recente da Agência Nacional de Mineração. Segundo ele, o órgão não tem estrutura suficiente para fiscalizar a situação das barragens de rejeitos. “Se tivéssemos modernizado a legislação na hora certa , se tivéssemos permitido uma agência mais moderna, teríamos salvado a vida dessas pessoas”, afirmou.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) , um dos que assinaram o requerimento, adiantou que na próxima terça-feira (12), o documento deve ser lido no plenário da Casa. A partir daí, os líderes podem indicar os nomes que vão compor a comissão. Serão 11 titulares e sete suplentes. A CPI deve ter duração de 180 dias e limite de despesas de R$ 110 mil.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Flauberto Wagner disse:

    Vai começar a encenação teatral, por favor Luz, Câmara, Ação que o espetáculo deprimente e da autopromoção vai começar.
    É lamentável dizer não fazer da situação lastimável das famílias que perderam os seus entes queridos em detretimento aos seus interesses políticos.
    O que era para ter sido feito e não foi, era a aplicação vigorosa da lei, inclusive uma fiscalização mais severa e nada foi feito em função de muitos que hoje querem de mentirinha esta CPI terem recebidos recursos financeiros do agente causador para gastarem em suas campanhas.
    Esta CPI será mais um circo dos horrores que será promovido para a Câmara alta e sem nenhum efeito punitivo.

Aposentadorias de Agripino Maia, Romero Jucá e outros senadores publicadas pelo Senado

O Boletim do Senado desta segunda-feira (4) publicou ato da Diretoria Geral da Casa com a aposentadoria do ex-senador Romero Jucá (MDB-RR).

O presidente nacional do MDB terá direito de receber 24/35 avos do salário integral de um senador da ativa.

Como os salários dos senadores estão atualmente em R$ 33.763,00, Jucá receberá R$ 23.151,77, reajustados junto com os salários dos senadores em atividade.

Boletim do Senado – 4 de fevereiro de 2018

Trata-se de aposentadoria proporcional ao tempo que ele atuou como parlamentar. Nos seu três mandatos, Romero Jucá completou 24 anos.

Como ele, outros senadores que não foram reeleitos estão pedindo aposentadoria.

No mesmo boletim desta segunda-feira, também foram publicados atos de concessão de aposentadoria proporcional aos seguintes ex-senadores (obtenha aqui o Boletim):

Tales Farias – UOL

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Carlos Augusto Caldas disse:

    Vergonha!

  2. Carlos Augusto Caldas disse:

    Vergonha!

  3. Fagner disse:

    E ainda querem matar de vez o povo com essa famigerada reforma da previdência.

  4. Ubiratan Pantoja Pompeu disse:

    Minha esposa luta a dois anos para se aposentar por idade, simplesmente porque estava de benefício, até agora não conseguiu. Vai fazer um ano que está brigando na justiça. Tem um total de 19 anos de contribuição. Na verdade ladrão se aposenta mais sedo.

  5. HSA disse:

    Kkkkkkkkk
    Abrir mão? SQN!
    Nem mortos vão abrir mão.

  6. Pato Amarelo disse:

    ISSO É UMA VERRRRRGGGGGOOOONHA !!!!
    e ainda tem trouxas que brigam por políticos .

  7. Santos disse:

    Cadê o MPF?
    Tenho certeza que essa lei (9.506/97) é INCONSTITUCIONAL.

  8. Milka disse:

    Num gesto de grandeza todos estes galados irão abrir mão desta boquinha. Estão todos podres de rico e isso não lhes fará falta. serão recebidos em aeroportos com salvas de palmas.

  9. Ze disse:

    Vergonha e injuriado com essa ditadura político-juridica

Projeto para tornar crime hediondo ‘poluição ambiental com morte’ está parado no Senado

Após o rompimento da barragem em Mariana, Randolfe Rodrigues apresentou no Senado, em 2016, um projeto de lei para incluir no rol dos crimes hediondos “a poluição ambiental com resultado morte”.

A proposta, cujo relator é o senador mineiro Antonio Anastasia, está parada na CCJ.

O Antagonista